Yamaha Neo 125 – Scooter já ameaça vendas da NMax



  

Modelo mais barato da Yamaha pareceter caído no gosto dos brasileiros e suas vendas só aumentam.

A nova linha de motocicletas, que foi lançada em setembro de 2016, demonstrou com seus indicativos que o mercado nacional estava carente de uma opção mais acessível de scooter. O modelo tem sido muito procurado e traz um valor muito viável aos consumidores. A scooter Neo é a scooter mais em conta atualmente no mercado, já que a Honda não produz mais a Lead 110. O valor da Neo, a mais barata da categoria, gira em torno de R$ 7.990,00 e as vendas estão indo de vento em polpa.

Segunda dados liberados pela Fenebrave, o novo modelo da Neo fez o fechamento do mês de fevereiro de 2017 registrando 767 emplacamentos. Esse número supera inclusive a Nma 760, com 733 emplacamentos registrados no período. Já no mês vigente – em março – a Neo está com registro de 871 vendas, muito próxima da NMax, que registra 881 unidades vendidas até agora.

Enquanto isso, a líder do segmento de scooters, a Honda de modelo PCX 150, continua intacta: são 2009 unidades vendidas em fevereiro e 1906 emplacamentos registrados até o último dia 27 (março). Contudo, com a soma de vendas das NMax e Neo, a Yamaha fica bem próxima da Honda.





A versão da Yamaha vem demonstrando a total reformulação em relação a Neo 115, o modelo anterior. A Neo 125 apresenta destaque pelo motor, que possui injeção eletrônica e rende 9,8 cavalos de potência e 0.98 kgfm de torque. Em relação ao design, também ocorreram mudanças, tal como a traseira, que traz faróis de LED. Falando sobre a mecânica da motocicleta, os freios UBS simbolizam uma novidade e funcionam de forma combinada: o acionamento do dianteiro acontece de forma parcial quando o traseiro é ativado, isso ajuda no equilíbrio quando pensamos nas frenagens.

Por enquanto, analisa-se que a nova Yamaha Neo 125 tem muitas chances de continuar crescendo no volume de vendas, devido às condições evidentes do custo benefício oferecidas.

Carolina B.



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *