Modelo deverá chegar ao país depois da Multistrada 950.

Em 2018 estreará no Brasil a novíssima Monster 797, que vem logo depois da Multistrada 950, que deve chegar ainda em 2017.

Embora estivesse programada também a chegada da Scrambler Sixty2 em território brasileiro, sua vinda foi cancelada. Segundo a fabricante, o motivo da desistência de trazer esse modelo se deve ao fato de seu preço ser muito compatível com o preço da Scrambler 800, já vendida no Brasil, não compensando assim a sua venda.

De acordo com a diretoria da Ducati, as motos Scrambler 800 e Scrambler Sixty 2 possuem características muito parecidas, com o diferencial apenas no motor, por isso seus preços são muito próximos, por isso a sua oferta no Brasil chega a ser inviável, pois aqui não existe a questão dos incentivos fiscais para motos de baixa cilindrada, diferentemente do que ocorre em outros países.

A BMW tem apostado para o Brasil, nos modelos de cilindradas mais baixas, mas possui a vantagem de ter a sua própria fabricação. Por sua vez, o fato da produção da Sixty ser em Bolonha, ainda faz com que seu preço não possa cair.

Segundo o diretor da fábrica italiana, a única forma de oferecer preços mais acessíveis em suas motos de cilindrada menor seria a partir de uma parceria com outras fabricantes que atuam no Brasil. Mas apesar de já ter existido algum comentário sobre essa possibilidade, no momento está descartada e por isso não podem entrar na concorrência deste segmento de motocicletas.

Em relação a uma fábrica própria no Brasil, mais precisamente em Manaus, esta possibilidade também está descartada. Pois a fabricante italiana monta seus modelos em um espaço que pertence a Dafra motos em Manaus.

Agora, no que refere a nova Monster 797, que já é garantia de chegar ao Brasil, ela é uma sequência da já fora de linha 796.

Quando o modelo 796 saiu de linha, foi substituída pela Monster 821, que foi produzida com um motor que possuía refrigeração líquida.

A Nova Monster 797 chega com o motor a ar, o que a deixa mais acessível. A previsão de preço, embora ainda não exista números exatos, estima-se que será maior que o preço da Scrambler.

Sirlene Montes


Modelo possui 950 cavalos de potência e conta com controle de tração e freios ABS.

A Ducati apresentou na Europa seu mais novo lançamento, a inédita Multistrada 950, deixando ainda maior a sua linha de aventureiras.

Com um visual mais agressivo, inspirado na moto de 1200 cc, ela apresenta controle de tração, modos de potência e freios ABS.

De acordo com a Ducati, o conceito de criação da 950 visou oferecer uma moto mais “versátil e acessível”, porém, mantendo as características da 1200.

O lançamento foi um dos destaques da marca no Salão de Milão 2016 (EICMA). A Ducati Multistrada 950 ainda não tem previsão para ter suas vendas iniciadas no Brasil.

Apesar de ser de menor cilindrada, a Multistrada 950 possui um motor de alta performance, onde se encontra 2 cilindros e 937 cc.

O motor da 950 é originário da linha Hypermotard e chega a render 113 cavalos a 9.000 rpm e 9,8 Kgfm a 7.750 rpm, que trabalha em sintonia com um câmbio de 6 marchas.

A Multistrada 950 apresenta o visual arrojado, uma espécie de “Crossover”, e apresenta características voltadas para o asfalto, contudo, com ela também é possível enfrentar um off-road mais leve.

A moto vem com rodas de liga-leve. A roda dianteira vem com 19 polegadas e a traseira com 17 polegadas.

Ao contrário da 1.200 cc, que possui a suspensão tipo monobraço na traseira, a Multistrada 950 foi simplificada e vem equipada com uma de duplobraço.

Saiba aqui quais foram as 10 motos que mais se destacaram no Salão de Milão 2016:

A principal aposta das montadoras para o Salão de Milão 2016 foi no segmento das “pequenas aventureiras. Este é um dos segmentos que mais crescem no Brasil, com modelos como XRE 300 e XT 250 Ténéré. Agora surgiram novidades no mercado como os modelos BMW G 310 GS, Suzuki V-Stron 250 e Versys-X 300. Veja aqui quais são as motos que se destacaram:

1) BMW G 310 GS

2) Kawasaki Versys-X 300

3) Suzuki V-Stron 250

4) Honda CB 650F

5) Ducati Multistrada 950

6) Yamaha T7

7) BMW HP4 Race

8) K TM 1290 Super Duke R

9) Triumph Street Scrambler

10) Honda X-AD

Fabiana Batista Santos


Modelo desembarca no Brasil no mês de Novembro. Preço ainda não foi confirmado.

A montadora italiana de motocicletas esportivas Ducati, recentemente anunciou o desembarque de mais uma integrante da marca, a nova 959 Panigale. O modelo é produzido na região de Bologna, no município de Borgo Panigale e foi divulgado no ano de 2015. Entretanto, ainda continua sem ter seu preço anunciado, a motocicleta chegará ao Brasil no mês de novembro.

A moto foi anunciada no ano passado e lançada em 2016, o menor modelo da dinastia foi inspirada em sua irmã com um motor um pouco mais potente, a Panigale 1299, que de fábrica já conta com um motor Superquadro bicilíndrico posicionados em “L” que possui 955 cilindradas e tem uma capacidade de gerar uma potência de 157 cavalos a 10.500 giros e um torque máximo de 10,9 kgfm a nove mil RPM. Propulsor esse, que está acoplado a um câmbio de seis velocidades com sistema DQS, quick shift, o qual permite a troca de marcha de maneira mais ágil. O motor novo, que é substituto do antigo de 898 cilindradas, teve suas peças desenhadas novamente e foi aplicado alumínio para diminuir seu peso e assim oferecer um desempenho melhor, além de ficar de acordo com os padrões europeus de emissões, o Euro 4.

O modelo Panigale 959 utiliza um quadro de alumínio monocoque, uma estrutura leve e rígida, que buscou inspiração em modelos utilizados na MotoGP. Na parte da frente, a suspensão é invertida, com tubos de 43 milímetros e 120 milímetros de curso, ajustável. Na parte de trás, conta com uma tradicional balança de alumínio, com amortecedor de 130 milímetros de curso, regulável.

Oferecendo uma boa quantidade de recursos eletrônicos, a 959 Panigale será comercializada com acelerador eletrônico, o ride-by-wire, além de controle de tração e diversos modos de pilotagem. Para aumento da segurança, a moto também foi equipada com um amortecedor de direção e com freio com sistema ABS, que conta com discos semiflutuantes. Suas pinças somam quatro pistões. As rodas, que são de 17 polegadas, possuem 10 raios e fazem uso de pneus da marca Pirelli, modelo Diablo Rosso Corsa, no tamanho 120/70 ZR17 na dianteira e na traseira 180/60 ZR17. Seu peso é de 176 kg, seco.

FILIPE R SILVA





CONTINUE NAVEGANDO: