Conheça aqui as principais novidades da Ducati Multistrada 1260 2019.

No último dia 31, quarta-feira, no período da noite, na cidade de São Paulo, a fabricante Ducati exibiu de forma oficial a versão da nova motocicleta Multistrada, desenvolvida no modelo big trail. Se trata do modelo Multistrada 1260, a qual será comercializada em duas diferentes versões, sendo a versão standard, também conhecida como a 1260, e a outra, que é a top de linha, chamada de 1260 S.

A configuração de entrada que possui painel digital parecido com o que equipa a Supersport S, possuindo diferentes modos para conduzir, como por exemplo cruise control, potência que conta com acelerador eletrônico, modo anti-wheelie, o qual possui um sistema que evita empinadas nos momentos de acelerações, controle para reter o motor em momentos que estiver em ladeiras, que no momento que se encontrar ativo realiza o acionamento do freio traseiro de forma automática para auxiliar o condutor a sair em locais de aclive e controle de tração em oito diferentes níveis.

O sistema de frenagem é da marca Brembo e seu ABS é da Bosch, o qual tem boa atuação em curvas, devido à Unidade de Medição Inercial que também é da Bosch, tecnologia essa conhecida como IMU, a qual analisa diversos dados da motocicleta em tempo real realizando a interpretação destes e retornando a mais adequada resposta. A suspensão conta com um conjunto de garfo invertido em sua parte dianteira, já na balança é um alumínio em sua parte traseira. Ao se tratar de ergonomia, o assento que é ajustável possui altura mínima de 825 milímetros e altura máxima de 845 milímetros.

Com relação a motorização, é um Testastretta DVT com 1.262 centímetros cúbicos, o qual consegue desenvolver uma potência de 158 cavalos quando atinge 9.750 rotações por minutos, além de um torque que alcança 13,2 kgfm em 7.500 rpm. Segundo a própria montadora, este novo motor conta com uma curva ainda mais linear, além de conseguir oferecer 85 por cento do torque, o qual já se disponibiliza ao atingir no mínimo 3.500 rpm. Se comparar com o motor Multistrada 1200, a elevação de sua curva é de 5.500 rpm, o que corresponde a 18%, de acordo com a montadora Ducati.

Todos esses itens são comuns para ambas as versões. A configuração 1260 S, ainda conta com mais itens em sua lista de equipamentos de série e diversa outras novidades. Na parte eletrônica, o destaque fica por conta do quickshifter bidirecional, o qual já é opcional em sua versão de entrada, além de um sistema de suspensão considerado semi-ativo, sendo, em sua dianteira, um Sachs e também em sua traseira, controlado pelo sistema DSS, o Ducati Skyhook Suspension Evolution, o qual dá a permissão permite para realizar o ajuste através dos modos e age de forma constante para oferecer equilíbrio adequado à motocicleta em cada uma das situações de pilotagem, segundo a própria montadora.

Sem contar, a configuração top de linha ainda conta com faróis totalmente em tecnologia LED, equipado com o DCL, sistema da montadora, conhecido como Ducati Cornering Lights, o qual direciona a luminosidade ao realizar curvas. Para finalizar, o painel com tecnologia TFT e com display de 5 polegadas colorido apresenta os dados referente a motocicleta. Ainda consegue gerenciar diversas funções de smartphone através do DMS, o Ducati Multimedia System e também do Bluetooth, controlando notificações e dando permissão de controle das músicas por meio dos botões que se localizam próximos da manopla do lado esquerda.

Independentemente da versão, seja ela a de entrada ou então a top de linha, irão ser vendidas na coloração vermelha. A configuração de entrada da 1260 possui um preço inicial de R$ 74.900, já a versão 1260 S é comercializada pelo valor de R$ 84.900.

FILIPE R SILVA


A Ducati Scrambler possui 4 versões, cada uma com suas peculiaridades estéticas, porém mantendo os itens de tecnologia e segurança por igual.

Com um visual criativo, espirituoso e arrojado, a nova Ducati Scrambler é uma nova marca de expressividade e partilha de positividade. Um universo de diversão e liberdade em forma de motos, equipamentos e visual. A Ducati Scrambler tem quatro versões, cada uma com suas peculiaridades estéticas, porém mantendo os itens de tecnologia e segurança por igual, confira abaixo as versões:

  • Scrambler Classic: Se adequa perfeitamente àqueles que procuram valorizar cada detalhe, para apreciadores do estilo anos 70, sem perder o prazer do conforto ao pilotar, com a funcionalidade e requintes de uma moderna motocicleta. A Scrambler Classic se destaca por seus detalhes refinados e robustos, tais como sua frente em alumínio, suas rodas raiadas, para-lamas traseiros e banco na cor marrom, com inserções no formato de diamantes. A Scrambler Classic vem nas cores Sugar White e Laranja Sunshine. Preço: R$ 41.900,00.
  • Scrambler Icon: O ponto inicial por meio do qual você encontra expressão. Com a Icon, é claramente perceptível o conforto proporcionado para pilotagem, com seu tanque em aço, em forma “teardrop”. Seu banco à altura de 790 mm garante uma viagem com muito conforto, tanto para o piloto como para o passageiro. Dentre seus destaques da Scrambler Icon, temos o amplo guidão, rodas Dual Sport e farol equipado com lente de vidro, além de luz-guia de LED. Protetores da correia com alumínio em seu acabamento. Contendo protetor térmico, agregando ao estilo da moto. A Scrambler Icon pode ser adquiridas em 3 cores disponíveis: Vermelho Ducati, Amarelo ’62 e Silver Ice. Preço: R$ 38.900,00
  • Scrambler Urban Enduro: Esta versão é companhia ideal para quem precisa superar obstáculos urbanos usando de agilidade, e também explorar caminhos ainda pouco percorridos. O banco marrom possui sulcos, e é forrado usando tecidos técnicos, gerando conforto ergonômico incomparável. Tanto seus protetores do garfo quanto o protetor presente no reservatório de óleo do motor junto à grade do farol ajudam a proteger partes imprescindíveis da motocicleta, seguindo seções off-road, ao mesmo tempo que a barra transversal dá mais firmeza ao amplo guidão. Outras alusões ao design e desempenho off-road incluem para-lamas alto, construído com fibra plástica e também com rodas raiadas. A Scrambler Urban Enduro vem na cor Verde Selvagem. Preço: R$ 41.900,00.
  • Scrambler Full Throttle: Versão com inspiração no estilo Fat Track, fazendo claras referências a motocicletas de corrida em pista oval, a Full Throttle vem equipada com escapamento próprio de corrida tipo Termignoni homologado para ser usado na estrada, tem banco desenhado para corrida guidão baixo ajustável. Também satisfaz as necessidades do dia-a-dia perfeitamente mantendo a beleza e design esportivo. Preço: R$ 42.200,00.

Obs: Todos os modelos Ducati Scrambler vem com Distribuição desmodrômica, motor Duplo em L, 2 válvulas por cilindro, refrigerado a ar, 803 cc, torque de 67 Nm a 5.750 rpm e potência de 73 cv.

Pontos positivos e negativos da Ducati Scrambler

Prós:

  • Torque, saindo-se muito bem em arrancadas;
  • Segurança e conforto;
  • Tecnologia de última geração;
  • Alta potência.

Contras:

  • Não tem indicador de combustível (mostrando somente ao se atingir a reserva).
  • Preço alto.

Ficha Técnica

  • Transmissão

Caixa de câmbio comporta 6 velocidades;

Proporções: 1=32/13 2=30/18 3=28/21 4=26/23 5=22/22 6=24/26;

Transmissão principal: Proporção 1.85:1; Troca de marchas direta;

Transmissão final: Corrente; Pinhão traseiro 46; Pinhão frontal 15;

Embreagem: Multidisco úmida APTC / Controle: Mecânico.

  • Motor

Tipo: Duplo em L, Distribuição desmodrômica, 2 válvulas por cilindro, refrigerado a ar;

Cilindrada: 803 cc;

Diâmetro x curso: 88 x 66 mm;

Taxa de compressão: 11:1;

Potência: 73 cv @ 8,8250 rpm;

Torque: 67 Nm (73 hp) @ 5.750 rpm;

Injeção de Combustível: Eletrônica, corpo de aceleração 50 mm;

Escapamento: Conversor catalítico com duas sondas lambda, sistema de escapamento silencioso, peça única, feita com aço inoxidável e tampa em alumínio;

Emissões: Euro 4.

  • Chassis

Quadro: Treliça de tubos de aço;

Suspensão dianteira: Garfo Kayaba 41 mm invertido;

Curso da roda dianteira: 150 mm;

Roda dianteira: Rodas raiadas de alumínio, 3,00″ X 18″ (Classic, Icon); 10 raios, liga leve, 3,00” x 18 (Urban Enduro, Full Throttle);

Pneu dianteiro: Pirelli MT 60 RS 110/80 R18;

Suspensão traseira: Amortecedor traseiro Kayaba, pré-carga ajustável;

Curso da roda traseira: 150 mm;

Roda traseira: Raiada, em alumínio, 5,50″ X 17″ (Classic, Icon); 10 raios, liga leve, 5,50″ X 17″ (Urban Enduro, Full Throttle);

Pneu traseiro: Pirelli MT 60 RS 180/55 R17;

Freio dianteiro: Disco, 330 mm, calibre do monobloco radial 4 pistões com ABS como equipamento padrão;

Freio traseiro: Disco, 245 mm, calibre flutuante 1 pistão com ABS como equipamento padrão.

  • Dimensões / Peso

Distância entre seus eixos: 1,445 mm;

Rake: 24°;

Trail: 112 mm;

Dispositivo para bloqueio do guidão: 35°;

Tanque de combustível: Capacidade de 13,5 L;

Peso seco: 176,5 kg (Classic); 170 kg (Icon, Urban Enduro, Full Throttle);

Peso em ordem de marcha: 192,5 kg (Classic); 186 kg (Icon, Urban Enduro, Full Throttle);

Banco (Altura): 790 mm;

Altura máxima: 1,150 mm / reservatório de freio;

Largura máxima: 845 mm / espelhos;

Comprimento máximo: 2,100 – 2,165 mm;

Assentos: 1 (Banco duplo).

  • Equipamentos

Ducati Scrambler Classic: Rodas raiadas de fabricação em alumínio, para-lamas na roda dianteira e traseira (alumínio), design vintage, logotipo exclusivo do modelo Classic, suporte alto para a placa.

Scrambler Full Throttle: Silenciador de encaixe tipo Termignoni, guidão baixo em alumínio, banco desenhado no modelo corrida de terra batida, traseira esportiva, suporte exclusivo de indicador de curvas.

Padrão para todos os modelos: Tanque fabricado em aço, painéis laterais intercambiáveis, feitos de alumínio, farol com lente de vidro, guia de luz de LED, com protetor em alumínio intercambiável, instrumentos de LCD com protetor de alumínio, também intercambiável, lanterna traseira de LED com difusão de luz, protetores da correia de alumínio em acabamento usinado, roda dianteira 18 polegadas e traseira de 17 polegadas, banco com entrada USB (pode ser usado como compartimento de armazenamento).

Por Douglas Ribeiro

Ducati Scrambler Classic 2018

Ducati Scrambler Icon 2018


Lançamento da nova moto no Brasil será em agosto deste ano.

Em geral, quando se trata do lançamento de algum automóvel inédito, seja um carro ou uma moto, esse mesmo evento se transforma em uma das apresentações mais interessantes entre os consumidores bem abastados, os especialistas, e aos amantes dos veículos em geral.

Desta feita, após a estreia desta motocicleta, centro das atenções no evento da companhia Ducati, no cerne do Salão Duas Rodas, realizado no ano de 2017, o inédito modelo, batizado Supersport pela empresa, aportou de forma definitiva em território brasileiro, sendo que o inicio de sua comercialização se dará pelo preço de 63.900 reais. O valor anunciado, em realidade, estava estipulado para as vendas prévias, que iniciaram a partir do dia 30 do mês de julho de 2018. As primeiras unidades serão desembarcadas no Brasil no próximo mês, agosto, e muitas delas já reservadas.

Em sua história, a montadora Ducati Motor Holding constituiu-se e firmou-se como uma importante indústria italiana que, ao longo do tempo, especializou-se na produção motocicletas, com sede construída na tradicional cidade de Borgo Panigale, interior da Bologna. Originalmente, esta empresa iniciou suas atividades de produção fabricando por meio da fabricação de rádios.

Mas, voltando ao tema central, a Supersport adquiriu, mesmo antes de se popularizar no Brasil, um título alternativo: Esportiva Urbana, dado que se trata de uma motocicleta do tipo usado em esportes, elaborada e montada na companhia italiana. Assim, o modelo Supersport foi vasado em uma estrutura muito mais ousada, apresentando um design mais atraente e perigoso, por assim dizer, entretanto, na medida em que o consumidor a guiar, perceberá sua maior praticidade, eficiência e versatilidade, tanto no perímetro urbano quanto nas estradas e rodovias.

Para citar apenas alguns de seus atributos mais essenciais, vale destacar a força que o seu motor equipado com dois cilindros, suplementados por 937 CC, pode entregar no desempenho, que chega a atingir em torno de 113 Horse Power, além da potência em termos de 96,7 Nm no torque.

Grande parte do pacote de especificações pode ser listado conforme segue:

1 – O sistema de freios, que agora está munido de ABS e do controle na tração na forma de série, reforçados pelas três modalidades de condução: a Esportiva, o estilo Turismo e o estilo Urbano;

2 – Possui um tipo suspensão dita “Öhlins”, que proporciona ajustes;

3 – Está aparelhada de câmbio ao modo "Quick Shift", garantindo maior segurança na troca das marchas, dispensando a utilização de embreagem;

4 – O motor é de tipo Testastretta (11°) de 937 cm3, entregando resultado de 113 CV, chegando a 9.000 de RPM;

5 – Está munida do visor no estilo de Plexiglas, o qual está posicionado em altura ideal, podendo ajustado em duas posições, suplementado por mais 50 mm em reposicionamento;

6 – No que tange à base, ela está equipada com os famosos Pneus da Pirelli, o Diablo Rosso III, medindo 120(70ZR), com aro rio 17 para roda frontal e 180(55ZR), com aro raio 17 na roda traseira;

7 – Com relação à estrutura, ela está munida dos Garfos de tipo Marzocchi, que medem até 41 mm no total, sendo, também, de tipo ajustável conforme as situações;

8 – No que tange ao sistema de freios, conforme foi explicado, a Supersport está aparelhada do sistema ABS, marca Brembo, em duplo disco dianteiro de 320 mm, além da presença de pinças do tipo M4.32;

9 – Existe, além de tudo, um necessário pacote de segurança inserido pela própria empresa, que inclui dispositivo ABS da Bosch, reforçado por um Controle de Tração elaborado pela Ducati;

10 – Equipada com: Ducati Quick Shift – DQS;

11 – Munida de farol estilo “milha diurno”, em luz Led;

12 – A Supersport está equipada com mais um vantagem, para fechar com chave de ouro, que consiste em uma entrada USB inteiramente resistente à água, localizado logo abaixo do banco da moto.

Por Paulo Henrique dos Santos

Ducati Supersport S

Ducati Supersport S


A nova Ducati SuperSport S traz visual agressivo e muita potência.

A Ducati SuperSport S é uma moto indicada para os usuários aventureiros e que gostam de muita velocidade. Ela foi projetada para atrais pessoas que gostam de fazer trilhas, viajar para a cidade e também pilotar na estrada. Como resumo geral essa versão foi projetada para atrair um grande número de adeptos de motos potentes e robusta. Além da beleza, essa moto traz motor muito potente, capaz de acelerar o coração dos mais corajosos. Veja abaixo as principais informações dessa moto.

Moto com motor potente

A primeira informação sobre essa moto é seu moto que é: Testastretta 11º com 4 válvulas por cilindro, bi-cilindros em L, refrigeração líquida e Desmodromic. Seu motor faz a potência máxima de 133 cv, seu torque máximo é 96,7 e seu rpm é 9.250. Essa moto é considerada muito potente e por isso é indicada para que já tem experiência em pilotar motos.

Moto com grandes proporções

Já não é novidades que a Ducati SuperSport S é uma moto grande e bem chamativa, porém, alguns usuários ainda não sabem seu real tamanho. Então vamos a essas informações:

– Altura do assento: 810 mm

– Distância entre-eixos: 1,478 mm

– Avanço: 91 mm

– Ângulo de lançamento: 28º

– Capacidade do tanque de combustível: 16 litros

– Peso: 210 KG

Valor de mercado da Ducati SuperSport S

O valor de mercado dessa moto pode espantar a alguns consumidores, pois ela pode custar R$63.900,00. Pode ser que esse valor esteja realmente acima do esperado, mas o que é indiscutível é que uma moto desse porte poderia custar até mais, e somente quem entende de moto vai entender isso. Para quem ainda está em dúvida se realmente vale a pena adquirir essa moto, a resposta é bem simples: Se o consumidor quiser ter uma moto completa, com designe agressivo, com motor bem potente, e com uma duração de muito tempo, a resposta é sim. Pois esse modelo oferece todos os requisitos citados.

Moto ideal para quem gosta de acelerar na pista

Uma das observações sobre essa moto, é que ela é indicada para pessoas que gostam de praticar esportes ou que gostam de adrenalina. Pois sua potência é muito alta e, por isso, o mais comum é que o usuário acelere muito essa máquina. O ideal é ter cautela, principalmente para quem nunca pilotou uma moto com essas características. E para todos que pilotarem a Ducati SuperSport S é bom ter muita cautela (até os mais experientes).

Moto com freios potentes

Os freios desse modelo são muito potentes, e potencializam a segurança dessa moto. Ele tem dois discos de 320 mm de diâmetro na parte da frente. Na parte traseira a moto tem dois discos simples de 245 mm de diâmetro com pinça de dois pistões. E todos são com sistema ABS. Essa é uma boa informação para quem deseja comprar essa moto.

Moto com detalhe que a torna mais resistente

A Ducati SuperSport S foi projetada com detalhes mais resistentes, para dar mais diferencial a esse modelo. E eles se encontram no quadro com desenho de treliça em tubos de aço e no para-brisa com regulagem de altura. Todos esses pequenos detalhes foram pensados pela marca, para dar aos seus consumidores mais uma razão de escolher essa moto na hora da compra.

Consumo médio

Não há uma informação precisa sobre esse modelo, porém, o esperado é que ela faça em média 16,7 km/l tanto na estrada e na cidade. O que é um ótimo resultado.

Conclusão final sobre a Ducati SuperSport S

Esse modelo é totalmente inovador e muito completo. Portanto, é indicado para pessoas que prezam por uma moto com funções mais avançada e com um pouco de experiência!

Por Cristiane Amaral

Ducati SuperSport S

Ducati SuperSport S

Ducati SuperSport S

Ducati SuperSport S


Conheça aqui mais detalhes sobre a nova Ducati Supersport 2019.

Todo lançamento de algum novo automóvel, seja sobre quatro ou duas rodas, torna-se uma grande sensação entre consumidores abastados e especialistas, amantes de carros e motos.

Assim, logo após ser apresentada como a principal atração no evento da Ducati no interior do Salão Duas Rodas, no ano de 2017, o modelo Supersport chegou finalmente e oficialmente ao Brasil, onde será comercializada pelo valor de 63.900 reais. Este preço já é válido na sua pré-venda, a qual iniciará no dia 30 de julho próximo, sendo que as primeiras unidades estão programadas para desembarcarem em território nacional no mês de agosto.

A companhia Ducati Motor Holding consiste em uma fábrica italiana especializada em motocicletas, estabelecida no município de Borgo Panigale, na Bologna, a qual iniciou suas atividades fabricando modelos e estruturas de rádios.

Esta alcunhada "esportiva urbana", motocicleta estilo esporte, produzida pela montadora italiana e intitulada de Supersport, está vasada em um visual bem mais radical, design mais imponente, porém, o seu uso se mantém versátil, tornando-se uma opção tanto para o trânsito na cidade, quanto para longas viagens, na estrada.

Entre os seus atributos e especificações, destacam-se o potente motor em 2 cilindros e mais 937 CC, desempenho que entrega um resultado de 113 cavalos de potência e a força de 96,7 Nm em torque.

No que tange ao pacote do sistema de freios, se trata de dispositivo ABS e o controle de tração em série, suplementados por 3 modos de condução: o Esportivo, o Turismo e o Urbano. Sua suspensão é de tipo “Öhlins”, dita totalmente ajustável, munida de um câmbio do tipo "Quick Shift", que proporciona uma troca de marchas sem necessidade de embreagem.

Entre os principais atributos da Supersport, podem ser listados os seguintes:

1 – Equipada com Motor Testastretta 11° com 937 cm3 e desempenho 113 CV, atingindo o grau de 9.000 rpm e os já citados 96,7 em Nm a 6.500 de RPM;

2 – Possui um visor formado de Plexiglas, instalado em altura ajustável para até 2 posições e mais 50 mm de deslocamento;

3 – Utiliza os Pneus Pirelli Diablo Rosso III, com 120/70ZR, aro 17 na roda dianteira e de 180/55ZR, aro 17 na rado traseiro;

4 – Está aparelhada de Garfos Marzocchi medindo em torno de 41 mm, e de natureza totalmente ajustável;

5 – Sobre o seu sistema de frenagem, ela está munida da seguinte maneira: dianteiro estilo Brembo com dois discos em 320 mm e mais as pinças tipo M4.32;

6 – possui os 3 Modos de Pilotagem, ou seja, o tipo Esportivo, o Turismo e o Urbano;

7 – Em seu pacote de Segurança oferecido pela Ducati, ela conta com o sistema ABS Bosch, suplementado do Controle de Tração da marca Ducati;

8 – Munida do Ducati Quick Shift, o DQS;

9 – No que tange aos faróis, ela está equipada com o farol de tipo milha diurno, ou DRL, da marca LED;

10 – Em termos de instrumentação, trata-se de uma aparelhagem inteiramente de tipo LCD;

11 – Todas elas agora estão munidas da entrada para USB e, neste caso, a super novidade está em que essa entrada é à prova de água, instalada por baixo do assento.

Para todos os consumidores que estão cheios de cascalho, dispostos a trocar sua moto velha ou adquirir sua primeira, interessados na Supersport, é importante informar que ela estará disponível, por enquanto, apenas na cor vermelha, embora, para fora do país já esteja sendo comercializada na opção branca, a qual esteve em exibição no Salão Duas Rodas em 2017.

Vale a pena conferir, quem gosta.


A Ducati Multistrada 1260 apresenta muitas características interessantes que a fazem concorrer ao título de um dos melhores lançamentos mundiais no setor de motocicleta.

Uma das montadoras de motocicletas mais conhecidas do mundo é a Ducati. Criada no final dos anos 20, mais precisamente, em 1926 na cidade de Borgo Panigale Bologna, na Itália. A fábrica teve seu início de forma inusitada, pois, os seus primeiros produtos eram rádios. Alguns anos depois, a empresa mudou seu ramo de fabricação e começou a produzir motocicletas. Em mais nove décadas de atuação no mercado internacional, a empresa italiana conseguiu provocar profundas transformações no mercado de motocicletas, pois, hoje a entidade que fabricou a primeira moto com 250 cilindradas no ano de 1960, tornando-se assim a motocicleta mais rápida do mundo.

Em todos esses anos desde a sua fundação, a Ducati serviu como inspiração para as outras montadoras, por investir em mão de obra muito especializada para fabricar seus produtos e peças. E por investir muito dinheiro em tecnologia para o desenvolvimento de suas motocicletas. Os produtos da entidade italiana são comercializados em muitos países nos mais diferentes continentes e a empresa é uma das líderes do mercado de motocicletas no planeta. Um outro fato relevante a respeito de sua história é que há cerca de cinco anos, mais precisamente, em 2012, a Ducati foi comprada pelo grupo Audi, um dos maiores grupos de produção automobilística do mundo.

A cada anúncio de um novo lançamento da Ducati despertam interesse nos apaixonados por motos. Pois, todos sabem que um grande produto vai estar disponível no mercado e ele vai ser capaz de atrair atenção do consumidor, além da mídia especializada e de outras montadoras. Um dos lançamentos mais recentes do grupo italiano foi a Ducati Multistrada 1260. A Multistrada é uma das famílias de motocicletas da Dulcati. Essa linhagem faz muito sucesso desde o seu lançamento há alguns anos atrás. Prova disso, é o seu número de vendas, que é sempre muito expressivo.

Falando especificamente da Ducati Multistrada 1260 ela apresenta muitas características interessantes que a fazem concorrer ao título de um dos melhores lançamentos mundiais no setor de motocicleta.

Primeiramente vamos falar sobre o design da Ducati Multistrada 1260. Essa moto apresentada é um modelo considerado esportivo, ótimo para viagens em qualquer lugar, desde grandes metrópoles a lugares mais vazios e sem tanta habitação. Ela é um modelo mais alto, o que poderia gerar um desconforto para o condutor e para o passageiro, Entretanto, o seu banco está mais confortável tornando a viagem mais agradável.

Ela pode ser encontrada em diferentes tonalidades como: em vermelho, preto, branco (todas cores dominantes) e em mescla dessas cores, todas as tonalidades são metálicas.

A Ducati Multistrada 1260 ainda apresenta um bagageiro que foi reformulado para que este item possa caber mais pertences. O seu painel também sofreu algumas alterações, ele agora é todo em LED e funciona como um verdadeiro computador de bordo. Apresentando informações muito mais precisas e de forma muito mais fácil. Informações como: relógio, quantidade de combustível, tipo de condução, dentre outras informações.

A Ducati Multistrada 1260 apresenta o motor Testastretta DVT com 158 cavalos, o que confere para ela uma boa performance nas pistas. Ela ainda conta com uma suspensão eletrônica semi – ativa, discos de freio. O seu para-brisa também foi modificado, agora ele é produzido em fibra de carbono, o que torna este item ainda melhor, já que ele está menos pesado.

Ainda não se tem uma data definida de quando o produto chega ao mercado internacional e nem o nacional. A empresa italiana também não divulgou qual será o preço da Ducati Multistrada 1260. Lembrando que o preço dela pode variar de acordo com o gosto do cliente, que pode incluir ou retirar itens.

Se você quer saber mais informações a respeito da Ducati Multistrada 1260, acesse o endereço eletrônico da marca que é o: www.brasil.ducati.com/index.do.

Por Isabela Castro

Ducati Multistrada 1260


A nova moto esportiva vai deixar de lado o motor bicilíndrico e inovar com o motor de 4 cilindros em V de 1.103 cm³ que rende 214 cv e 12,4mkgf.

A Ducati já é uma marca italiana renomada no mercado de motos e vai lançar seu novo modelo que é a Ducati Panigale V4. Esse novo lançamento promete grandes mudanças e trazer a modernidade encima de 2 rodas.

Ducati Panigale V4 promete quebrar paradigmas

O novo lançamento da Ducati vai inovar trazendo uma grande mudança em seu novo modelo. A nova moto esportiva vai deixar de lado o motor bicilíndrico e inovar com o motor de 4 cilindros em V de 1.103 cm³ que rende 214 cv e 12,4mkgf. Ela também tem o sistema desmodrômico de válvula, que já é padrão da marca e vai ser mantido nesse novo lançamento. E essa é a primeira vez que essa estrutura de propulsor é usada em uma moto de linha italiana.

Conheça os itens de série da Ducati Panigale V4

O pacote de itens desse lançamento é sensacional e muito animador e nele contém:

Quickshift (que é o sistema que troca de marcha sem precisar movimentar o manete de embreagem) que é usado para subir e descer marchas e tem três modos de condução que são rua, corrida e sporte.

Freios ABS de curva

IMU que é a unidade de medição inercial é de série e tem 6 eixos que leem a velocidade, mudanças de direção e a inclinação da moto para garantir a entrega certa de potência na roda traseira e também faz a aplicação de força do ABS ou controle de tração.

Existe uma versão da Panigale V4 mais completa

O que algumas pessoas não sabem sobre a Ducati Panigale V4 é que existe uma versão mais completa dela, que é a Panigale V4 S que contém amortecedores Öhlins NIX-30 na parte da frente e TTX36 na parte de trás e também na direção semiativas com ajuste eletrônico bateria de Íon de lítio e rodas de alumínio forjado. Essa nova versão foi desenvolvida principalmente para as pistas, e ainda foi adicionada a ele o para-lamas de fibra de carbono, pedaleiras ajustáveis, banco revestido de alcantara e escapamento de titânio da Akrapovic, que vai elevar a potência para 226 cv. Essa nova versão é indicada para quem vai competir e precisa de uma máquina completa, que traz velocidade, estabilidade e segurança em uma única moto.

Design arrojado e encantador

A Ducati Panigale V4 é uma moto robusta e que chama a atenção por onde passa. Ela é ideal para pessoas que gostam de ter uma máquina grande, atrativa e potente. Ela se enquadra na categoria esportiva e por isso é indicada para diversos tipos de competições. Ela veio para deixar seu nome registrado através de toda sua potência.

Panigale V4 vem para substituir a versão Panigale 1299 S

A Panigale V4 não é qualquer moto ou mais um novo lançamento. Ela vem para substituir outra máquina bem potente que é a Panigale 1299 S. isso já mostra que essa moto vem para impressionar até os mais conhecedores de motos do mundo. A versão da Panigale 1299 S é uma máquina muito conceituada e que possui 205 cavalos, o que a torna muito potente. Por essa razão já podemos esperar uma máquina para ninguém colocar defeito.

Apresentação à altura da marca e da grande máquina

Para a apresentação da Panigale V4 foram convocados os pilotos da MotoGP, e isso já mostra a grandiosidade desse lançamento tão esperado. Os pilotos que participaram dessa apresentação foram o Andrea Dovizioso e Jorge Lorenzo. Porém, quem teve o privilégio de entrar no palco pilotando essa maravilhosa máquina, foi o australiano Casey Stoner, que foi campeão mundial em 2007 em Ducati.

Valor da Panigale V4

Essa é uma das informações mais esperadas desse lançamento, e ela vai custar o equivalente a R$ 107.000,00. É claro que o valor pode ser considerado alto para uma moto, mas, ela não é uma simples moto. É uma máquina de competição e muito potente. Além de ser um lançamento.

Ainda não existe uma data para o lançamento da Ducati Panigale V4, o que se sabe é que será lançada em 2018. Em quanto isso o que nos resta é aguardar!

Por Cristiane Amaral

Ducati Panigale V4


Modelo chega ao país com o título de moto mais cara do Brasil.

A Ducati, fabricante italiana de motocicletas, informou hoje, dia 23 de Janeiro, que o início da Pré-Venda da 1299 Superleggera no Brasil já começou. O novo modelo, que custa 550 mil reais, é o mais caro do mercado brasileiro.

Ao todo, 500 unidades foram fabricadas, no entanto, somente 03 dessas unidades virão para o Brasil. A 1299 Superleggera roubou o posto da Kawasaki Ninja H2R, que pode ser adquirida por quase R$ 340 mil.

Segundo informações divulgadas pela Ducati, as reservas precisam ser realizadas em suas concessionárias mediante o pagamento de sinal de 10% do valor total. As entregas ainda não têm data definida, mas ao que tudo indica, devem acontecer no segundo semestre deste ano. Outra novidade divulgada pela fabricante é que a Multistrada 950, outra moto top de linha, chegará ainda este ano ao nosso país.

Conhecida e aguardada por ser a evolução da 1199 Superleggera, a moto é a primeira fabricada com braço, rodas, chassi, sub chassi e carenagem em fibras de carbono. Tal característica é a grande responsável por sua leveza e sofisticação. O motor de 02 cilindros rende 215 cv de potência e segundo a fabricante italiana, seu motor de cilindro duplo é o mais potente já fabricado.

O motor da 1299 Superleggera é uma verdadeira máquina tecnológica, suas características incluem: Pistões com 02 segmentos de 116 mm, eixo acrescido de contrapesos em tungstênio, cárter fundido, biela de titânio, escapamento Akrapovič 100% de titânio com silenciador duplo, válvulas de saída e de entrada com maior diâmetro em titânio e cabeçotes de cilindro desenvolvidos especialmente para a Ducati 1299.

A moto mais cara do Brasil possui ainda um sistema com calibragem para curvas que evita o travamento das rodas, de categoria “Cornering”, especialmente desenvolvido com a empresa Bosch. Dentre outros itens, há o controle de tração, controle ABS e de deslizamento, além de controle de frenagem e largada, que demonstra que o seu objetivo é para o uso em pistas.

Os compradores das únicas 03 unidades de nosso país ganharão alguns mimos da empresa, como por exemplo, um Macacão exclusivo Ducati Corse.

Para maiores informações sobre a localidade das concessionárias ou curiosidades da marca, acesse: www.brasil.ducati.com.

Por Beatriz


Modelo deverá chegar ao país depois da Multistrada 950.

Em 2018 estreará no Brasil a novíssima Monster 797, que vem logo depois da Multistrada 950, que deve chegar ainda em 2017.

Embora estivesse programada também a chegada da Scrambler Sixty2 em território brasileiro, sua vinda foi cancelada. Segundo a fabricante, o motivo da desistência de trazer esse modelo se deve ao fato de seu preço ser muito compatível com o preço da Scrambler 800, já vendida no Brasil, não compensando assim a sua venda.

De acordo com a diretoria da Ducati, as motos Scrambler 800 e Scrambler Sixty 2 possuem características muito parecidas, com o diferencial apenas no motor, por isso seus preços são muito próximos, por isso a sua oferta no Brasil chega a ser inviável, pois aqui não existe a questão dos incentivos fiscais para motos de baixa cilindrada, diferentemente do que ocorre em outros países.

A BMW tem apostado para o Brasil, nos modelos de cilindradas mais baixas, mas possui a vantagem de ter a sua própria fabricação. Por sua vez, o fato da produção da Sixty ser em Bolonha, ainda faz com que seu preço não possa cair.

Segundo o diretor da fábrica italiana, a única forma de oferecer preços mais acessíveis em suas motos de cilindrada menor seria a partir de uma parceria com outras fabricantes que atuam no Brasil. Mas apesar de já ter existido algum comentário sobre essa possibilidade, no momento está descartada e por isso não podem entrar na concorrência deste segmento de motocicletas.

Em relação a uma fábrica própria no Brasil, mais precisamente em Manaus, esta possibilidade também está descartada. Pois a fabricante italiana monta seus modelos em um espaço que pertence a Dafra motos em Manaus.

Agora, no que refere a nova Monster 797, que já é garantia de chegar ao Brasil, ela é uma sequência da já fora de linha 796.

Quando o modelo 796 saiu de linha, foi substituída pela Monster 821, que foi produzida com um motor que possuía refrigeração líquida.

A Nova Monster 797 chega com o motor a ar, o que a deixa mais acessível. A previsão de preço, embora ainda não exista números exatos, estima-se que será maior que o preço da Scrambler.

Sirlene Montes


Modelo possui 950 cavalos de potência e conta com controle de tração e freios ABS.

A Ducati apresentou na Europa seu mais novo lançamento, a inédita Multistrada 950, deixando ainda maior a sua linha de aventureiras.

Com um visual mais agressivo, inspirado na moto de 1200 cc, ela apresenta controle de tração, modos de potência e freios ABS.

De acordo com a Ducati, o conceito de criação da 950 visou oferecer uma moto mais “versátil e acessível”, porém, mantendo as características da 1200.

O lançamento foi um dos destaques da marca no Salão de Milão 2016 (EICMA). A Ducati Multistrada 950 ainda não tem previsão para ter suas vendas iniciadas no Brasil.

Apesar de ser de menor cilindrada, a Multistrada 950 possui um motor de alta performance, onde se encontra 2 cilindros e 937 cc.

O motor da 950 é originário da linha Hypermotard e chega a render 113 cavalos a 9.000 rpm e 9,8 Kgfm a 7.750 rpm, que trabalha em sintonia com um câmbio de 6 marchas.

A Multistrada 950 apresenta o visual arrojado, uma espécie de “Crossover”, e apresenta características voltadas para o asfalto, contudo, com ela também é possível enfrentar um off-road mais leve.

A moto vem com rodas de liga-leve. A roda dianteira vem com 19 polegadas e a traseira com 17 polegadas.

Ao contrário da 1.200 cc, que possui a suspensão tipo monobraço na traseira, a Multistrada 950 foi simplificada e vem equipada com uma de duplobraço.

Saiba aqui quais foram as 10 motos que mais se destacaram no Salão de Milão 2016:

A principal aposta das montadoras para o Salão de Milão 2016 foi no segmento das “pequenas aventureiras. Este é um dos segmentos que mais crescem no Brasil, com modelos como XRE 300 e XT 250 Ténéré. Agora surgiram novidades no mercado como os modelos BMW G 310 GS, Suzuki V-Stron 250 e Versys-X 300. Veja aqui quais são as motos que se destacaram:

1) BMW G 310 GS

2) Kawasaki Versys-X 300

3) Suzuki V-Stron 250

4) Honda CB 650F

5) Ducati Multistrada 950

6) Yamaha T7

7) BMW HP4 Race

8) K TM 1290 Super Duke R

9) Triumph Street Scrambler

10) Honda X-AD

Fabiana Batista Santos


Os novos modelos foram apresentados no Salão Internacional de Milão de 2015 e já estão à venda no Brasil.

Os modelos XDiavel e XDiavel S da Ducati já estão à venda e puderam ser vistos inicialmente, em um Road Show pelo Brasil.

Os novos modelos foram apresentados no Salão Internacional de Milão, em novembro de 2015, ganhando o prêmio de “A mais bela moto” em meio a todos os lançamentos mundiais.

A cruiser com motor Ducati Testastretta de 1.262 cc L-Twin, tem comando com válvulas variáveis DVT. Ela despeja 156 cv a 9.500 rpm, com um torque de 13,35 kgf.m a 5.000 rpm, e se conserva até os 7.500.

O peso da moto quando está abastecida é de 247 kg. Com câmbio de 6 marchas ela tem a embreagem deslizante. A injeção de combustível é da Bosch e acelerador eletrônico.

Além dessas tecnologias, a possante ainda apresenta Unidade de Medição Inercial da Bosch, para medir vários recursos eletrônicos. Esse sistema é capaz de ler a velocidade da roda quando a moto se inclina, a pressão feita pelos freios e aceleração, isso recebe o nome de “Cornering ABS”.

A Ducati controla bem a tração, estabilidade e assistente para ladeiras pode manter a roda de trás no chão, caso haja uma frenagem brusca. O modelo ainda consegue manter a estabilidade em caso de uma curva se o piloto precisar frear, não permitindo que a moto escorregue em caso de aceleração brusca.

O piloto automático possui 3 modos de pilotagem e 8 níveis para controlar a tração. Seu chassi é feito em quadro de treliça em aço tubular, com entre eixos comprido e o banco baixo. Rodas em aro 17 com pneus modelo Diablo Rosso II, da Pirelli.

Novo farol em LED, no guidão tem botões de controle iluminados. A capacidade de seu tanque de combustível é para 18 litros.

A nova versão sem o S, pode ser encontrada na cor preta fosca e grafite no quadro e nas rodas. E com S vem na cor preto brilhante, uma linha vermelha atravessando o tanque e quadro cinza com rodas pretas.

A Ducati brasileira conseguiu importar 70 unidades da XDiavel e já vendeu 20 dos modelos S que trouxe pelo valor de R$ 85.900 e as mais simples podem ser encontradas por R$ 74.900. Os modelos têm dois anos de garantia e revisão a cada 15 mil km rodados.

Por Ruth Galvão

 

Ducati XDiavel


Modelo desembarca no Brasil no mês de Novembro. Preço ainda não foi confirmado.

A montadora italiana de motocicletas esportivas Ducati, recentemente anunciou o desembarque de mais uma integrante da marca, a nova 959 Panigale. O modelo é produzido na região de Bologna, no município de Borgo Panigale e foi divulgado no ano de 2015. Entretanto, ainda continua sem ter seu preço anunciado, a motocicleta chegará ao Brasil no mês de novembro.

A moto foi anunciada no ano passado e lançada em 2016, o menor modelo da dinastia foi inspirada em sua irmã com um motor um pouco mais potente, a Panigale 1299, que de fábrica já conta com um motor Superquadro bicilíndrico posicionados em “L” que possui 955 cilindradas e tem uma capacidade de gerar uma potência de 157 cavalos a 10.500 giros e um torque máximo de 10,9 kgfm a nove mil RPM. Propulsor esse, que está acoplado a um câmbio de seis velocidades com sistema DQS, quick shift, o qual permite a troca de marcha de maneira mais ágil. O motor novo, que é substituto do antigo de 898 cilindradas, teve suas peças desenhadas novamente e foi aplicado alumínio para diminuir seu peso e assim oferecer um desempenho melhor, além de ficar de acordo com os padrões europeus de emissões, o Euro 4.

O modelo Panigale 959 utiliza um quadro de alumínio monocoque, uma estrutura leve e rígida, que buscou inspiração em modelos utilizados na MotoGP. Na parte da frente, a suspensão é invertida, com tubos de 43 milímetros e 120 milímetros de curso, ajustável. Na parte de trás, conta com uma tradicional balança de alumínio, com amortecedor de 130 milímetros de curso, regulável.

Oferecendo uma boa quantidade de recursos eletrônicos, a 959 Panigale será comercializada com acelerador eletrônico, o ride-by-wire, além de controle de tração e diversos modos de pilotagem. Para aumento da segurança, a moto também foi equipada com um amortecedor de direção e com freio com sistema ABS, que conta com discos semiflutuantes. Suas pinças somam quatro pistões. As rodas, que são de 17 polegadas, possuem 10 raios e fazem uso de pneus da marca Pirelli, modelo Diablo Rosso Corsa, no tamanho 120/70 ZR17 na dianteira e na traseira 180/60 ZR17. Seu peso é de 176 kg, seco.

FILIPE R SILVA


Quem é apaixonado por motos deve ter visto os novos modelos da Ducati Scramber no último evento do Salão Duas Rodas que ocorreu em outubro do ano passado na cidade de São Paulo. Foram três novas versões apresentadas: a Icon que custa R$ 38.900, a Full Throttle de R$ 42.900 e a Urban Enduro que custa R$ 41.900. Essas versões não estão a pronta entrega, exceto a Icon.

Mesmo sendo vendidas em versões diferentes, cada uma delas possuem o mesmo chassi e também o mesmo motor, além de algumas configurações iguais como a medida e a altura dos bancos (790 mm), o tanque com capacidade de 13,5 litros de combustível e o peso de 170 kg. Veja agora os detalhes de cada uma delas:

1. Urban Enduro

Essa versão é ideal para quem busca aventuras tanto nas ruas e avenidas da cidade quanto nas estradas e trilhas do campo, por exemplo, pois possui equipamentos que lembram aquelas motos off-road.

Vendida na cor verde musgo selvagem, a versão possui os para-lamas da frente avantajado, guidão alto, protetores de farol em forma de tela, além de protetores de rodas em alumínio e de cárter bengala de suspensão. Tudo isso para evitar acidentes de viagem. A versão ainda vem com bancos na cor marrom com as costuras feitas na horizontal e um logotipo com o design da marca no tanque.

2. Classic (Icon)

Quem gosta do estilo vintage vai se agradar com a versão Classic da Scramber. Ela vem na cor laranja, e possui rodas com aro de alumínio raiado e leve, bancos de couro na cor marrom com as costuras na forma de triângulos na parte de cima e para-lamas na frente e atrás de aço puro escovado.

3. Full Throttle

Quem ama corridas com certeza vai se apaixonar pela versão Full Throttle, pois ela oferece um sistema mais esportivo do que as outras. Vendida na cor preta, num tom mais intenso, vem com detalhes na cor amarela e preto no banco e também no tanque. O guidão é bem "espaçoso" e lembra o modelo "fat bar", com rodas leves, para-lamas da frente no estilo esportivo e escapamentos Termignoni equipado para mão dupla na ponta.

Imagem: site da Ducati Scrambler


Montadora lança novas versões do modelo no Brasil. Preço varia de R$ 38 mil a R$ 42 mil.

Há alguns meses a montadora italiana Ducati lançou o modelo Scrambler versão Icon no país. No entanto, a montadora surpreendeu ao divulgar a comercialização de outras versões do modelo. Vale ressaltar que o modelo é hoje a opção mais acessível da marca italiana em território nacional.

As especificações técnicas das versões são iguais, no entanto, o que muda são alguns detalhes no design. O modelo Scrambler conta com motor de dois cilindros, 800 cilindradas e sistema de refrigeração a ar, capaz de gerar até 75 cv de potência. Já o tanque tem capacidade de armazenar até 13,5 litros de combustível. A Ducati confirmou que o modelo pesa 170 Kg sem o acréscimo de fluidos e combustíveis.

A versão Urban Enduro possui design off-road e conta com guidão largo e para-lamas alto, sendo ideal para quem enfrenta estradas de terra. A versão Full Throttle conta com escapamento duplo, exclusivamente na cor preta e detalhes em amarelo.

A versão Classic, por sua vez, é o que mais se assemelha a primeira linha de Scrambler, lançada em 1962 pela Ducati. O modelo conta com banco de couro envelhecido e rodas raiadas, que remetem ao passado. Já a versão Icon é a mais essencial do pacote e não possui grandes destaques, exceto por sua poderosa especificação técnica.

Segundo informações, a Ducati planeja comercializar ainda esse ano o modelo Scrambler Sixty2 de 400 cc em território brasileiro. A motocicleta conta com motor de dois cilindros que gera 41 cv de potência máxima e 3,5 kgfm de força de torque. Além disso, o modelo conta com câmbio manual de seis velocidades.

 O modelo também possui base na primeira geração Scrambler, lançada na década de 60. Apesar de ter design semelhante ao da linha Scrambler 800, o modelo Sixty2 conta com peças modestas em relação a sua irmã mais velha. Estima-se que com o lançamento do modelo no país, a Sixty2 passe a ser o modelo com o melhor custo-benefício da empresa. Infelizmente, a empresa ainda não se pronunciou quanto à data de comercialização da motocicleta no país.

A Ducati revelou o preço das versões, sendo: Icon por R$ 38.900; Urban Enduro e Classic por R$ 41.900 e a versão completa Full Throttle deverá custar R$ 42.900.

Por Wendel George Peripato


Moto será o novo modelo de entrada da Ducati no Brasil

A Ducati deu uma volta no tempo e se inspirou para criar a nova Scrambler: um modelo retrô, que resgatou a simplicidade das motos dos anos 50 – mas só no visual, porque as novas tecnologias marcam presença no modelo.

A nova moto da marca italiana foi apresentada no Brasil na última quarta-feira (23) e é apontada como a mais importante dos últimos tempos e tem uma missão bem especial: ser o novo modelo de entrada da Ducati, com um marketing pesado em cima, muitos acessórios e itens de vestuário.

Quatro versões da moto estarão disponíveis:

  • Icon, que é a básica e estará disponível nas cores amarela e vermelha;
  • Urban Enduro, na cor verde militar, com rodas raiadas e para-lama dianteiro elevado;
  • Full Trottle, que tem um guidão mais baixo e mais curto e pintura preta fosca e para-lama dianteiro curto;
  • Classic, com banco marrom, pintura laranja, para-lamas de alumínio e rodas raiadas.

Todos os modelos têm motor 2 cilindros, com 75 cavalos de potência e 6,98 kgfm de torque. Elas têm rodas 18” na dianteira e na traseira 17” e o seu painel é circular, com tela de LCD. Faróis e lanternas de LED – um farol redondo da frente, o que nos remete aos modelos antigos. Têm embreagem deslizante APTC e sua transmissão final é por corrente acoplada ao câmbio de 6 marchas.

Quem estiver em São Paulo e quiser ver a moto de perto, ela está exposta no espaço chamado “Land of Joy”, onde ficará até 4 de outubro.

No Salão de Milão, em 2014, a Scrambler foi eleita “a mais bela do Salão” – imagine agora o tanto de bela que tem que ser para conseguir um título desses em meio a tantas concorrentes.

Os preços das motos serão divulgados somente no Salão Duas Rodas, mas estima-se que não fiquem abaixo de R$ 35 mil.

Por Elia Macedo

Ducati Scrambler no Brasil

Ducati Scrambler no Brasil

Fotos: Divulgação


Novo modelo será a naked mais potente já fabricada pela montadora.

O mundo automobilístico costuma voltar suas atenções em setembro para o famoso Salão do Automóvel de Frankfurt, na Alemanha, onde muitos aguardam ansiosamente por carros futurísticos e superpotentes, verdadeiras máquinas sobre rodas.

Mas muitos esquecem que não é apenas de veículos de quatro rodas que vive o mundo dos automóveis, como é o caso da Ducati, que ficou praticamente esquecida para esse evento, pois não recebeu um convite formal para ser participante como integrante desse mundo de rodas. Mas isso não foi problema, já que a marca acabou entrando como participante sendo integrante da marca do Grupo Volkswagen.

No evento, a montadora promete, no dia 14 de setembro, revelar seu novo modelo, a Monster 1200 R, a qual acaba de revelas duas novas imagens em um teaser. Apesar das imagens terem sido divulgadas, ainda não é possível perceber nenhum detalhe que revele realmente muitos detalhes do novo modelo.

A única informação oficial confirmada pela marca de Borgo Panigale é que essa será a naked mais potente já fabricada até hoje por ela. Um novo chassi também será apresentado durante o evento, sendo mais esportivo, com um design mais tecnológico, se comparado com os modelos Monster 1200 S e Monster 1200 Standard.

Outras informações, como valor de entrada e data oficial de lançamento, assim como os mercados onde a Monster 1200 R será comercializada ainda não foram divulgadas.

Além desse modelo, a Ducati ainda promete revelar novas motocicletas durante o Salão do Automóvel de Frankfurt, no dia do VW Group Night. A Monster 1200 R deve ficar exposta até o dia 20 de setembro no estande da marca durante o evento.

Assim como a marca do grupo VW, a Honda também pretende trazer uma grande revelação para esse Salão, com um carro conceito que vem com um motor derivado de uma motocicleta, o bloco RC213V, pertencente a MotoGP. Uma grande inovação para a indústria automobilística.

Por Felipe Villares

Teaser Ducati Monster 1200 R

Teaser Ducati Monster 1200 R

Fotos: Divulgação


Novo modelo começou a ser vendido no Brasil e tem preço sugerido de R$ 43.900.

No mês de março do ano passado, a Ducati Monster 821 foi anunciada para o Brasil. Na última sexta-feira (3) a montadora italiana iniciou oficialmente a venda do modelo no país. O novo modelo deverá substituir a Ducati Monster 793, e possui preço sugerido de R$ 43.900.

A fabricante italiana preparou um presente para os cinquenta primeiros clientes que adquirirem o novo modelo. No lançamento, a Monster 821 deverá contar com IPVA grátis. Além disso, no pagamento à vista haverá desconto de R$ 1.500, ou seja, o preço deverá ser de R$ 42.400.

A Ducati Monster 821 não deve deixar a desejar em relação às concorrentes japonesas. O modelo conta com motor de dois cilindros com 821 cilindradas, capaz de gerar 112 cv de potência máxima. Uma das grandes novidades do novo modelo é o sistema de refrigeração líquida, que possui maior eficiência se comparado ao sistema de refrigeração a ar.

Conta também com aceleração eletrônica e controle de tração de oito modos, como itens de série. O controle de tração é um sistema de segurança bastante utilizado em motocicletas vendidas fora do Brasil, e proporciona maior estabilidade em qualquer terreno, já que aproveita o máximo de tração exercida pelo motor.

A Monster 821 conta também com sistema de frenagem ABS com regulagem para três níveis, que evita que as rodas traseira e dianteira travem. O modelo possui peso de 205 Kg com todos os fluídos e combustíveis inclusos. Sobre o reservatório de combustível, o modelo pode armazenar até 17,5 litros.

A motocicleta deverá ser fabricada em Manaus, em parceria com a montadora Dafra. O novo modelo possui características semelhantes com a Ducati Monter 1200, que é sucesso no país. Além disso, a Ducati Monter 821 é considerada o modelo de entrada da empresa no país. Porém, esse posto não deverá durar muito, já que durante o evento Salão Duas Rodas 2015 a montadora italiana deverá apresentar o modelo Scrambler, que promete ser o melhor custo benefício do Brasil.

Por Wendel George Peripato

Ducati Monster 821

Ducati Monster 821

Fotos: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: