Nova moto da Indian pode ser encontrada com preços que variam de R$ 91.990 a R$ 94.990.

A fabricante Indian, de motocicletas, está fechando o ano de 2016 com chave de ouro. Tudo isso é por conta do lançamento da nova Indian Springfield, que é a sexta de sua linha no País e que levou esse nome para homenagear a cidade que é sede da empresa.

Já se pode encontrar nas concessionárias do Brasil as primeiras unidades em cores como: bicolor (vermelho com cinza metálico) ou somente preto brilhante. Os preços podem variar de R$ 91.990 a R$ 94.990.

Em relação as novidades da motocicleta estão a keyless, chamada também de partida sem chave, o piloto automático ou cruise control, malas laterais mais rígidas e que contam com controle remoto para travamento, monitoramento da pressão dos pneus, faróis para auxiliar, alarme, protetores cromados dos lados e plataformas na parte de trás que já vem com ajuste para a altura.

O motor é o mesmo de sua “irmã”, a Thunder Stroke, com 2 válvulas por cilindro V2 e de 1.811cc. A refrigeração é a óleo e a ar, do cilindro. O torque chega a atingir 16,5 kgf.m, em baixas rotações, como a 3 mil rpm. Uma diferença está na parte ciclística como as suas medidas de trail e caster que foram reduzidas, além de contar com guidão mais estreita, o que torna a motocicleta com cara de muito mais clássica e bem mais fácil de ser pilotada. Um de seus benefícios também está ligado a suspensão da parte de trás que vem com ajuste pneumático, que é realizado manualmente, por uma bomba, o que era até então uma exclusividade dos modelos Roadmaster e Chieftain, que estão no topo da linha da Indian.

Mesmo custando R$ 8 mil a menos que o modelo Cheftain e a mais cerca de R$ 2 mil, do que a Chief Vintage, a Nova Indian Springfield traz um painel que vem até com sistema de entretenimento e de som, chegando a ser mais completo, além de uma carenagem na frente.

Gostou da nova Indian Springfield? Qual é a sua opinião sobre ela? Comente e compartilhe conosco as suas experiências!

Por Kika Akita

Indian Springfield 2017

Indian Springfield 2017

Fotos: Divulgação


Confira aqui o preço e as principais novidades presentas na nova Indian Chieftain.

Se existiam dúvidas elas provavelmente estão perdendo força com o tempo, isso porque a Indian Chieftain, ao que parece, não está com medo ou receio algum de investir em tecnologia, sem esquecer um lado que consagrou a marca: seu visual.

A Indian Chieftain será fabricada na cidade de Manaus, estado do Amazonas.

Até o presente momento a informação é de que os preços iniciais partem de R$ 99.990. Tem algo nessa moto que vale a pena de se destacar. Muita gente (e a maioria especialistas) não chegam a um consenso de que tradição e modernidade podem sim se dar as mãos e andarem juntas sem problema algum. A Chieftain, ao que parece, veio não apenas provocar, mas também provar que é possível quando o trabalho é bem feito.

A moto chegou oficialmente no Brasil neste ano. Além da tecnologia e de dar continuidade ao padrão visual que não foi deixado de lado, também temos informações sobre os seus principais aspectos.

Em primeiro lugar, de série, a Chieftain conta com freios ABS e travamento remoto das malas laterais, além de entrada USB e Bluetooth, sistema de som com rádio AM/FM, monitoramento de pressão dos pneus, partida sem chave e controlador de velocidade de cruzeiro.

Como é de lei toda custom chamar a atenção, com a Chieftain não poderia ser diferente. Uma das principais coisas que logo de cara atrai qualquer olhar é a presença de forma excessiva de cromados. O acabamento da moto entra na linha de uma boa qualidade, apresentado um visual bem limpo. Isso é bem perceptível quando vemos que a marca conseguiu esconder toda a fiação relacionadas aos punhos de comando dentro do guidom. No mais, ainda podemos ressaltar o painel que traz o velocímetro, hodômetros digital e parcial, tela digital com dados de consumo, temperatura e conta giros. Tudo mostrado ao piloto com uma boa visualização.

Há vários outros aspectos que também chamam a atenção. Acrescentando à lista estão alguns detalhes. Um bom exemplo é o War Bonnet, que nada mais é do que o índio que se tornou símbolo oficial da marca. Ele é iluminado no para-lama dianteiro e este, por sua vez, ainda continua alongado e curvado. Fato que é marca registrada da fabricante desde os modelos Indian que foram lançados em 1934.

Por Denisson Soares


Moto é puro luxo e conta com motor 1.8. Preço da moto deve ser de R$ 115 mil.

Pelo nome já se pode ter uma ideia, Roadmaster, "mestre das estradas" traduzido para o português. O novo modelo da norte-americana Indian entra para o mercado brasileiro disposta a lutar por clientes acostumados ao "turismo de luxo" e tem preço e motor de carro.

A nova Roadmaster teve como inspiração um modelo da década de 40, na cor única, preta para garantir mais beleza. A possante apresenta freios com sistema ABS , o acelerador é eletrônico e a suspensão de trás possui regulagem a ar.

Só pela altura, 2,66m, a Roadmaster já mostra sua imponência e precisa de um motor V2 (dois cilindros em v), que possui 1.811 cc (ou 1,8 litro). Com uma força de impressionar, o maior destaque da nova moto é seus 16,5 Kgfm de toque. Sobre a potência, não houve divulgação.

Os cilindros e as formas cromadas e arredondadas dos cabeçotes remetem ao estilo retrô. O motor vem com esfriamento misturado por ar e óleo e câmbio de seis marchas.

Maior Conforto:

De acordo com a fabricante Indian, a construção do chassi foi toda feita em alumínio forjado, o que garante à moto pouco nível de tensão. Seguindo a tradição, mas com ares modernos, o novo modelo traz uma dianteira com garfo telescópico e tubos cromados de 46mm de diâmetro e 116mm no curso.

Na traseira ela apresenta monoamortecedor regulável com curso de 114 mm e na parte de dentro da tampa lateral dá para consultar uma tabela com peso/pressão, para ajuste de suspensão.

O modelo de luxo da Indian tem como ponto forte o conforto que oferece, como faróis embutidos com LED e o para-brisa de regulagem elétrica. Mas não para por aí, ela ainda apresenta outros pontos que também vão atrair o consumidor: o piloto automático e o banco aquecido.

O modelo de luxo ainda dá conta de transportar até 142 litros de bagagem, desde que estejam bem organizados entre o top case, alforjes de lado e dois compartimentos pequenos que ficam na carenagem, perto do motor.

O luxuoso modelo concorre diretamente com as linhas Touring e CVD da Harley e foi avaliada em R$ 115 mil.

Por Ruth Galvão


Modelos que serão lançados no Brasil são Chief Classig, Chief Vintage, Chieftain, Roadmaster e Scout.

A Indian é a mais antiga fabricante de motocicletas dos Estados Unidos – ela já teve o título de maior do mundo. Tem entre seus modelos mais conhecidos e mais populares o Chief e o Scout.  É uma das concorrentes diretas da Harley-Davidson e ano passado anunciou que viria para o Brasil em 2015 e está mesmo vindo.

A montadora apresentará em outubro, no Salão Duas Rodas, os modelos que serão vendidos no País – cinco modelos serão apresentados e já se sabe quais são. Vamos conhecê-los.

Indian confirma modelos que serão vendidos no Brasil:

Inicialmente, serão comercializados os modelos Chief Classig, Chief Vintage, Chieftain, Roadmaster e Scout. Nem é preciso dizer que ela entra no mercado brasileiro para brigar de frente com a Harley e pegar a sua fatia de mercado.

A Chief Classic tem um estilo tradicional e recursos como partida do motor com a chave no bolso, controlador de velocidade e outros recursos práticos. Tem rodas de 16 polegadas com pneu largo. Motor V2 de 111 pol³, cuja prioridade é o torque. Pesa 354 kg.

A Chief Vintage tem malas laterais e banco em couro e é cheia de cromados. Recursos e motor iguais ao da Classic, a única diferença é mais pesada: 10 kg a mais.

A Chieftain combina modernidade com traços de estilos tradicionais. Tem para-brisa com ajuste elétrico e malas rígidas em seu espaço para bagagem. Pesa aproximadamente 370 kg. Motor igual às da série Chief, tanque com capacidade para quase 21 litros de combustível e sistema de áudio com interface Bluetooth.

A Roadmaster tem recursos iguais aos da Chieftain, alguns um pouco mais sofisticados, como o sistema de áudio com navegador e aquecimento no banco e nas manoplas. Pesa bastante també, cerca de 406 kg. É uma grande estradeira de turismo.

A Scout é o modelo médio da marca americana. Tem motor V2 de 1.133 cm³ com injeção eletrônica, potência de 100 cv. Rodas de alumínio, câmbio de 6 marchas e pesa 248 kg.

A marca pertence atualmente ao Grupo Polaris, que a comprou em 2011 e de lá pra cá vem renovando os modelos. Ainda não está definido se a Indian terá sua própria fábrica no Brasil ou se terceirizará a montagem, como fazem a Ducati e a BMW, por exemplo. Também se não tem informações sobre preços. O que se sabe é que terá concessionárias em São Paulo/SP, Rio de Janeiro/RJ, Belo Horizonte/MG e Florianópolis/SC.

A disputa com a Harley-Davidson:

A título de curiosidade, com quais modelos da Harley  a motos da linha Chief da Indian "brigarão" diretamente: Chief Classic x Harley-Davidson Fat Boy, Chief Vintage x Road King e Chieftain x Street Glide.

Por Elia Macedo

Motos Indian no Brasil

Foto: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: