Modelo chega aos 326 cv e sai por mais de R$ 350 mil.

Foi anunciado pela marca produtora de motos de alta potência Kawasaki, a aceitação do começo de encomendas para a linha superesportiva da marca do ano de 2019, sendo elas Kawasaki Ninja H2, Kawasaki Ninja H2 Carbon e Kawasaki Ninja H2R, ambas tem características não urbanas, sendo conhecidas como "moto de pista", porém, mesmo assim, dois dos modelos poderão ser pilotados nas ruas, tirando claramente a H2R, que é feita para a pista, onde o ambiente é controlado e se tem uma segurança maior para alta velocidade. Mais uma vez globalizando as três, é importante que se saiba que sua produção mundial é limitada, ressaltando que a Carbon e a H2R têm como base a mais nova irmã, que é a H2.

Mesmo sabendo que chegarão apenas no ano de 2019, já poderão ser feitas as encomendas de ambos os modelos citados, e isto à partir do mês de outubro, por preços que estão à altura de suas características e desenvolvimento, seja na cidade, seja na pista, independentemente disto, terá um preço justo.

A pré-venda das motos podem ser feitas a partir do hotsite www.kawasakibrasil.com/lancamento. Porém fique atento que essas pré-vendas têm limitação de tempo e podem ser feitas apenas até o dia 30 de novembro, e vale ser ressaltado ainda que elas chegarão apenas a partir de maio do ano que vem, então para quem encomendar, espera-se que a ansiedade seja grande, até porque, imagine, é um superesportiva em sua garagem.

As cores da moto são um tanto quanto interessantes, isso porque seus nomes não são tão comuns de serem citados popularmente, observe, as motos H2, H2 Carbon e H2R têm as opções:

  • Mirror Coated Spark Black (preto);
  • Mirror Coated Matte Spark Black (preto);
  • Golden Blazed Green (Carbon) verde;
  • Mirror Coated Matte Spark Black, que é para a H2R;

Tendo ainda sim a maior potência da H2 e da H2 Carbon 2019, tomando início em suas antecessoras, ambas as motos têm como a mais atrativa e chamativa novidade uma pintura considerada especial prata espelhada, que não é tão comum de se ver, cor que atualmente está sendo chamada de “auto curativa”, ou também pode ser conhecida como auto regenerativa.

A tecnologia que é envolvida e apresentada nas motos parecem coisa de filmes futuristas, pois apresentam um grande grau de inteligência e uma maior segurança, mesmo se tratando de uma superesportiva, porém, a tinta pode realmente corrigir de forma própria alguns arranhões feitos pelo motorista ao conduzir, mas desde que a temperatura ambiente seja mantida alta o suficiente para que todo esse processo seja feito, assim, garantindo uma ótima condução e confortabilidade. Tendo em mente ainda a característica da moto H2R, isso porque além de trazer esta pintura cromada, ainda possui detalhes feitos em prata. Já agora pensando na segunda geração, esta veio com uma pintura diferente, lembrando como se fossem pedaços de vidro, coisa que deixa quem conduz ou olha sua condução, muito surpreso. E em relação a sua potência, podem todos aqueles que amam velocidade, ficarem felizes, pelo motivo da mesma ter sido aumentada em 15%, que mesmo parecendo um número pequeno, para uma moto é muito significativo.

As motos, como dito anteriormente, tem seu preço justo, pois levaremos em conta vários fatores, principalmente os que foram citados aqui, começando por ser uma moto extremamente preparada para a pista, e apesar de apta, não tão capaz de ser conduzida pela cidade, e mais um de seus investimentos foram em pinturas, por se tratarem de cores incomuns, espera-se um grande trabalho em cima das mesmas, e por fim, sua potência, que de maneira absurda aumentou e com certeza houve um grande trabalho para isto.


Confira aqui os detalhes da nova Kawasaki Ninja 650 2018.

A família Ninja da Kawasaki está entre uma das mais conhecidas no mundo das motocicletas. Na maioria das vezes, mesmo os que não entendem nada sobre as duas rodas, tem a ideia de que trata-se daquelas verdinhas famosas. No mercado brasileiro, a montadora japonesa acaba de alterar dois destes modelos: a Kawasaki Ninja 1000 e Ninja 650.

A segunda foi a que sofreu maiores alterações e faltou apenas um propulsor novo para que pudesse ser considerado um modelo totalmente produzido do zero. A aposta do modelo agora é na categoria “sport-touring”, um setor que não é muito explorado no mercado nacional.

Com aparência de superesportiva, a nova motocicleta não aparenta tanta radicalidade como indica seu visual, mas sim, demonstra um todo, onde o piloto não conduz a mesma de maneira desconfortável, para que o mesmo consiga desfrutar da viagem. O objetivo principal da categoria sport-touring é esse, uma tocada com moto-turismo com um visual esportivo.

Anteriormente, o motor de dois cilindros paralelos tinha uma potência de 72,1 cv em 8.500 giros, já a Kawasaki Ninja 650 linha 2018 é lançada com 68 cv em 6.500 rotações. Embora tenha perdido um pouco daquela explosividade, fator de grande nitidez ao decorrer dos testes na região de Morungaba (SP), a entrega de sua força tornou mais linear e chega também mais cedo nas rotações, fazendo com que a utilização do modelo ficasse mais confortável, ainda mais para perímetros urbanos.

O torque, por outro lado, aumentou um pouco, chegando a 6,7 kgfm, o que antes era de 6,5 kgfm. Ainda que pareça um valor baixo, ele chega mais rapidamente ao alcançar os 6.500 giros, já que anteriormente atingia somente a 7 mil rotações.

Um outro fator que ajuda é a utilização de uma embreagem do tipo assistida, o que dá maciez ao acionamento do manete, além do sistema deslizante, o qual faz com que as roda traseiras travem ao reduzir as marchas. Um recurso bem interessante, ainda mais ao trafegar em piso molhado.

Seu sistema de freios está bem dimensionado utilizando ABS, fazendo uso na dianteira de disco duplo com 300 mm e simples na traseira com 220 mm.

FILIPE R SILVA


Novas motos da Kawasaki já estão com a pré-venda liberada.

A fabricante de motocicletas Kawasaki iniciou a pré-venda no Brasil da linha Ninja H2, isto é, já está batendo na porta a chance para as pessoas que querem comprar o que existe de melhor qualidade no setor esportivo da marca japonesa em três opções diferentes: a H2 Carbon, a H2 e também a gigantesca H2R, as quais contam com os preços de uma simples bagatela, sendo R$ 164 mil, R$ 156 mil e R$ 357 mil.

Para que estes preços possam ser justificados, a Kawasaki H2 está alguns passos a frente do que realmente se refere a motocicletas do segmento esportivas. Ela faz uso de um propulsor de 4 cilindros, disponibilizando 998 cilindradas e está equipado com um compressor mecânico, o que resulta em uma potência de 205 cavalos e um torque de 13,6 kgfm, permitindo que a mesma leve uma carga de 238 kg, além do piloto. A Kawasaki H2 Carbon utiliza o mesmo propulsor, porém, é uma edição numerada e limitada a 120 unidades, utilizando uma carenagem frontal fabricada com fibra de carbono, da mesma forma que na H2R.

Exatamente, a H2R, que foi produzida de forma exclusiva para as pistas, conta com um sistema de escape menos restritivo e consegue atingir uma potência de 310 cavalos e um torque de 16,8 kgfm, podendo transportar uma carga de 216 kg além do piloto. Para facilitar a vida e a pilotagem do corajoso consumidor, a moto conta com vários sistemas eletrônicos que podem ser configurados de acordo com a habilidade e o desejo de quem estiver atrás do guidão dessa monstruosa moto.

Já ficou interessado para ter uma delas? No momento já se pode fazer uma reserva por meio da página eletrônica que foi criada de forma exclusiva para a Kawasaki H2. Caso não deseje fazer por este meio, a revendedora mais próxima de sua residência pode fazer parte deste processo. A fabricante pede um prazo de seis meses para que a mesma possa ser entregue, que é o período de importação do Japão e também de fabricação.

FILIPE R SILVA


Nova moto deve ganhar linhas mais parecidas com a da Ninja H2 e contará com o sistema supercharger.

Não há como negar que as motocicletas da Kawasaki, por todo o mundo, são sinônimos elegância e são caracterizadas como sonho de consumo de muitas pessoas devido a imponência e qualidade. E como não poderia ser diferente, os recentes lançamentos da marca, as enfurecidas Kawasaki Ninja H2 e H2R, causaram uma verdadeira agitação, pois estas são equipadas com propulsores de quatro cilindros de 1 litro com sobrealimentação realizada por supercharger, que são capazes de gerar incríveis 200 a 300 cavalos de potência, respectivamente.

Apesar de todo esse conjunto atrair a atenção de muitos consumidores, os preços dessas motocicletas não ficarão muito acessíveis, haja vista que a H2 custa R$ 120 mil e a versão de pista (H2R) sairá por R$ 350 mil.

Todavia, para aqueles consumidores que ficaram extremamente animados com estas novidades, as notícias são boas, uma vez que a fabricante japonesa está trabalhando na produção de uma nova motocicleta sobrealimentada com valor mais acessível. Segundo as notícias que já estão sendo divulgadas nos bastidores, a Kawasaki irá fazer a expansão da utilização do sistema supercharger em modelos de motocicletas até mesmo menos radicais que a série H2, sendo que a próximo modelo a ser contemplado com esta inovação será a famosa Kawasaki Ninja R2, cujo propulsor dotado de 4 cilindros deverá deslocar aproximadamente 800cc, gerando uma potência máxima de cerca de 190 cavalos e um torque que gira em torno dos 11 kgfm.

Este novo propulsor está sendo desenvolvido com a finalidade de ser mais compacto e leve que o da H2 e teria um compressor de geometria variável, ou seja, trabalhará por meio da variação da angulação de suas pás para que haja uma rotação mais rápida para que não aconteça o “lag” em uma faixa menor de giros.  O intercooler seria uma outra aplicação para fazer o resfriamento do ar antes que entrasse na turbina, fazendo com que ocorra uma indução com maior densidade.

Com relação ao design desse novo modelo, algumas projeções já estão sendo divulgadas, sendo que muitos dizem que são oriundas da própria Kawasaki, nessas projeções é possível visualizar algumas linhas bastante similares às da H2, principalmente nas laterais e rabeta, já a dianteira ficou no estilo mais convencional.

O lançamento desta novidade da Kawasaki tem previsão de lançamento no mercado no início do ano de 2017, porém, com grande chances de aparecer ainda neste ano em algum dos grandes salões de motocicletas.

Por Adriano Oliveira





CONTINUE NAVEGANDO: