A linha CRF é a nova aposta da Honda para o segmento de motos para competições. Ela vem munida de inéditas especificações, sobretudo nas partes mais essenciais para os pilotos profissionais.

Entre as maiores companhias automotivas do planeta a Honda Motor Company, que consiste em uma das mais importantes fabricantes de automóveis e motocicletas do mundo, está com novidade para o mercado internacional.

A criação da linha CRF na Honda se destina, exclusivamente, à produção de veículos para competições. Deste modo, não há homologação, neste segmento, para trânsito nas ruas, ou seja, são motocicletas comercializadas, somente, para os campeonatos de corridas em pistas fechadas. A linha está sendo renovada com esse novo modelo da CRF de 2019, o qual está munido de inéditas especificações, sobretudo nas partes mais essenciais para os pilotos profissionais.

O modelo Honda CRF 2019 está sendo produzido em duas versões, a 250 e a 450. Cada uma delas possui mais duas versões. Os atributos essenciais, presentes em todas, são os seguintes: a função HRC em Launch Control; possuem um sistema de controle para largada em três níveis selecionáveis, o 1º é o Muddy Beginner, ou Lama para iniciantes; o 2º é o Dry Basic, ou Seco Básico, ou o 3º, que é o Dry Expert e o sistema EMSB, um tipo de seletor dos modos de condução em três níveis distintos de desempenho na força do motor sobre o solo, compondo os níveis normal, suave ou o agressivo.

Todas as versões estão equipadas com uma suspensão dianteira de tipo Upside-Down Showa-SPG de 49mm; com uma suspensão traseira de tipo Pro-Link Showa; possuem a injeção eletrônica em PGM-FI; munidas de partida elétrica; aparelhadas com bateria de 12V em Li-ion; os discos de freio são de 260mm, na roda dianteira e de 240mm, na roda traseira, sendo as mesmas produzidas em alumínio DID pretas.

Sobre a mecânica as informações são as seguintes:

Na linha 250 o motor é do tipo Monocilíndrico em 249CC – sendo que a companhia Honda não permite divulgação de números sobre a potência e o torque – o qual dispõe da função de arrefecimento com água; munido de duplo comando e injeção eletrônica, além de um câmbio em cinco marchas. No caso da CRF 250RX, trata-se de uma versão derivada da chamada 250R pertencente à linha Motocross, junto do acerto diferenciado sobre a função de respostas do acelerador do veículo. O peso oficial é de 111 kg, bastante leve; possui soluções como a de um tanque de combustível com capacidade para 8,5 litros, de tipo plástico. A versão 250R está equipada com uma suspensão bem mais rígida; possui uma roda traseira de 19 polegadas e o seu tanque de combustível é menor, com capacidade para 6,3 litros e pesa 108 kg.

No caso das versões 450, as mesmas utilizam o mesmo tipo de motor Monocilíndrico, munido com tecnologias equivalentes e com um comando de válvulas único, embora possua desempenho de 449 CC. Sobre a versão CRF 450R, a mesma possui um novo chassi e porta uma suspensão traseira bem mais compatível com a nova potência de motor – a qual, novamente, não foi divulgada pela empresa Honda – e está um quilo mais leve, dentro do peso total oficial. Seu guidão tem capacidade de ajuste em até quatro posições e as suas ponteiras no escape estão mais longas. O seu tanque de combustível está sendo produzido em titânio, o que completa o conjunto integral no peso de 112 kg.

Em relação à CRF 450RX, a mesma está equipada com roda de 18 polegadas; de um tanque de combustível produzido em plástico, porém, menor em capacidade e de um cavalete na lateral. A versão X foi projetada para competições mais longas; aparelhada de um sistema de arrefecimento por meio de ventoinhas e de câmbio em seis marchas; munida de farol e de um painel de instrumentos com novo velocímetro; com hodômetro; o indicador de consumo e autonomia.

Por Paulo Henrique dos Santos

Honda CRF 2019

Honda CRF 2019


A clássica moto dos anos 50 foi relançada e traz apenas de alguns poucos itens em termos de tecnologia e de modernização.

Entre as grandes revelações da atualidade, em termos de duas rodas, está o relançamento de um clássico das motos da década de 50.

Ao avaliar a ressurreição de um modelo antigo da Royal Enfield, os responsáveis adicionaram: Classic 500. Concebida dos anos 50, naquela época ela estava munida apenas de alguns poucos itens em termos de tecnologia e de modernização. A sua estrutura e eficiência foram mantidas, na quase totalidade, equivalentes aos concebidos pelas montadoras da época, sobre as linhas de motos até então produzidas. No mundo Vintage, por assim dizer, é assombroso o grande número de admiradores e de consumidores que adquirem esse modelo justamente por ser uma “réplica” da original de mais de cinco décadas. Ou seja, a Royal Enfield Classic 500 é muito cobiçada.

A nota publicada pela companhia indica o seguinte: o relançamento da Royal Enfield Classic 500 exigiu um tipo de suspensão temporária dos padrões e critérios regularmente utilizados para a realização de testes dessa espécie, o que acarreta na questão de que o produto final não possa acrescentar nada a mais de útil ao consumidor interessado em adquirir a moto, pela admiração que tem pela mesma. A clássica é uma das mais cobiçadas pelos aficionados. É literalmente o relançamento da mesma moto, sem muitas mudanças.

Entretanto, no sentido de garantir uma qualidade mais condizente com os padrões atuais, foram realizadas pesquisas em arquivos de memórias que permitiram aos engenheiros encontrar estruturas mais parecidas, tecnicamente, com a concepção da clássica, inspirando-se nas motos alemãs MZ, de design e maquinário robustos, prescindindo de muito luxo, munidas de motores em 2 tempos, com grande resistência, lançadas em solo brasileiro na década de 80, com a chancela da FBM.

Esta clássica moto, equipada com motor de 500 CC, foi criada para a utilização regular nas rotinas urbanas e para pequenos passeios em outros tipos de terreno, dado que esse modelo chama muito a atenção pela sua clássica beleza.

Por ser um dos melhores designs este é o seu maior apelo comercial. A Royal Enfield consiste em uma marca inglesa, sua fabricação, porém, é indiana, mas, esta é a única empresa produtora de motos em todo o mundo que permaneceu mais tempo atuante sem qualquer interrupção, desde o ano de sua fundação em 1901. Portanto, trata-se de um produto de alta categoria e confiabilidade.

No que tange à sua ficha técnica, a Royal Enfield Classic 500 possui os seguintes atributos:

Custa em torno de R$ 22.400,00, pela tabela FIPE, com zero km; o motor possui um cilindro, mais 4 tempos, e refrigeração a ar, OHV; desempenho de 499 CC; as suas medidas são, entre Diâmetro e Curso, de 84 mm por 90 mm; a taxa de compressão é de 8.5:1; sua potência integral é de 27.2 CV e de 5250 rpm; seu torque máximo é de 4,2 em kgf.m e 4000 de rpm; seu sistema de ignição é de tipo eletrônica digital; a embreagem opera por Multidisco a banho de óleo; munida de um Câmbio de cinco marchas; a lubrificação é de tipo Carter úmido e 15W 50 API e SL Grade & above, tipo JASO MA; sua alimentação se dá por Injeção Eletrônica a combustível; o filtro de ar é de tipo Filtrante de Papel; a partida é elétrica e a pedal; munido de Chassi Tubular produzido em aço, sendo que o motor faz parte da sua estrutura; sua suspensão dianteira possui a Garfo telescópico de tubos em 35 mm e curso de 130 mm; na suspensão traseira estão instalados os dois amortecedores à gás, com ajuste da pré-carga e o curso de 80 mm; medida da distância de entre eixos é de 1360 mm; a distância livre em relação ao solo é de 135 mm; comprimento total é de 2140 mm; largura total é de 790 mm; altura total de 1090 mm; a altura do assento é de 800 mm; seu peso integral é de 190 Kg, abastecido com 90% do combustível e do lubrificante; tanque com capacidade de 13.5 litros; os pneus dianteiros 90 por 90, aro19; pneus traseiros em 110/ por 80, aro 18; freio da dianteira munido de disco único em 280 mm, junto da pinça com dois pistões; o freio da traseira é de disco em153 mm; seu sistema elétrico é de 12 volt. CD; a Bateria em 12 volt – 14 Ah, lanterna dianteira em 60 – 55 W, tipo Halógena e a lanterna traseira em 21W -5W.

Vale a pena conferir este clássico.

Por Paulo Henrique dos Santos

Royal Enfield Classic 500

Royal Enfield Classic 500


Lançamento da nova moto no Brasil será em agosto deste ano.

Em geral, quando se trata do lançamento de algum automóvel inédito, seja um carro ou uma moto, esse mesmo evento se transforma em uma das apresentações mais interessantes entre os consumidores bem abastados, os especialistas, e aos amantes dos veículos em geral.

Desta feita, após a estreia desta motocicleta, centro das atenções no evento da companhia Ducati, no cerne do Salão Duas Rodas, realizado no ano de 2017, o inédito modelo, batizado Supersport pela empresa, aportou de forma definitiva em território brasileiro, sendo que o inicio de sua comercialização se dará pelo preço de 63.900 reais. O valor anunciado, em realidade, estava estipulado para as vendas prévias, que iniciaram a partir do dia 30 do mês de julho de 2018. As primeiras unidades serão desembarcadas no Brasil no próximo mês, agosto, e muitas delas já reservadas.

Em sua história, a montadora Ducati Motor Holding constituiu-se e firmou-se como uma importante indústria italiana que, ao longo do tempo, especializou-se na produção motocicletas, com sede construída na tradicional cidade de Borgo Panigale, interior da Bologna. Originalmente, esta empresa iniciou suas atividades de produção fabricando por meio da fabricação de rádios.

Mas, voltando ao tema central, a Supersport adquiriu, mesmo antes de se popularizar no Brasil, um título alternativo: Esportiva Urbana, dado que se trata de uma motocicleta do tipo usado em esportes, elaborada e montada na companhia italiana. Assim, o modelo Supersport foi vasado em uma estrutura muito mais ousada, apresentando um design mais atraente e perigoso, por assim dizer, entretanto, na medida em que o consumidor a guiar, perceberá sua maior praticidade, eficiência e versatilidade, tanto no perímetro urbano quanto nas estradas e rodovias.

Para citar apenas alguns de seus atributos mais essenciais, vale destacar a força que o seu motor equipado com dois cilindros, suplementados por 937 CC, pode entregar no desempenho, que chega a atingir em torno de 113 Horse Power, além da potência em termos de 96,7 Nm no torque.

Grande parte do pacote de especificações pode ser listado conforme segue:

1 – O sistema de freios, que agora está munido de ABS e do controle na tração na forma de série, reforçados pelas três modalidades de condução: a Esportiva, o estilo Turismo e o estilo Urbano;

2 – Possui um tipo suspensão dita “Öhlins”, que proporciona ajustes;

3 – Está aparelhada de câmbio ao modo "Quick Shift", garantindo maior segurança na troca das marchas, dispensando a utilização de embreagem;

4 – O motor é de tipo Testastretta (11°) de 937 cm3, entregando resultado de 113 CV, chegando a 9.000 de RPM;

5 – Está munida do visor no estilo de Plexiglas, o qual está posicionado em altura ideal, podendo ajustado em duas posições, suplementado por mais 50 mm em reposicionamento;

6 – No que tange à base, ela está equipada com os famosos Pneus da Pirelli, o Diablo Rosso III, medindo 120(70ZR), com aro rio 17 para roda frontal e 180(55ZR), com aro raio 17 na roda traseira;

7 – Com relação à estrutura, ela está munida dos Garfos de tipo Marzocchi, que medem até 41 mm no total, sendo, também, de tipo ajustável conforme as situações;

8 – No que tange ao sistema de freios, conforme foi explicado, a Supersport está aparelhada do sistema ABS, marca Brembo, em duplo disco dianteiro de 320 mm, além da presença de pinças do tipo M4.32;

9 – Existe, além de tudo, um necessário pacote de segurança inserido pela própria empresa, que inclui dispositivo ABS da Bosch, reforçado por um Controle de Tração elaborado pela Ducati;

10 – Equipada com: Ducati Quick Shift – DQS;

11 – Munida de farol estilo “milha diurno”, em luz Led;

12 – A Supersport está equipada com mais um vantagem, para fechar com chave de ouro, que consiste em uma entrada USB inteiramente resistente à água, localizado logo abaixo do banco da moto.

Por Paulo Henrique dos Santos

Ducati Supersport S

Ducati Supersport S


A nova Ducati SuperSport S traz visual agressivo e muita potência.

A Ducati SuperSport S é uma moto indicada para os usuários aventureiros e que gostam de muita velocidade. Ela foi projetada para atrais pessoas que gostam de fazer trilhas, viajar para a cidade e também pilotar na estrada. Como resumo geral essa versão foi projetada para atrair um grande número de adeptos de motos potentes e robusta. Além da beleza, essa moto traz motor muito potente, capaz de acelerar o coração dos mais corajosos. Veja abaixo as principais informações dessa moto.

Moto com motor potente

A primeira informação sobre essa moto é seu moto que é: Testastretta 11º com 4 válvulas por cilindro, bi-cilindros em L, refrigeração líquida e Desmodromic. Seu motor faz a potência máxima de 133 cv, seu torque máximo é 96,7 e seu rpm é 9.250. Essa moto é considerada muito potente e por isso é indicada para que já tem experiência em pilotar motos.

Moto com grandes proporções

Já não é novidades que a Ducati SuperSport S é uma moto grande e bem chamativa, porém, alguns usuários ainda não sabem seu real tamanho. Então vamos a essas informações:

– Altura do assento: 810 mm

– Distância entre-eixos: 1,478 mm

– Avanço: 91 mm

– Ângulo de lançamento: 28º

– Capacidade do tanque de combustível: 16 litros

– Peso: 210 KG

Valor de mercado da Ducati SuperSport S

O valor de mercado dessa moto pode espantar a alguns consumidores, pois ela pode custar R$63.900,00. Pode ser que esse valor esteja realmente acima do esperado, mas o que é indiscutível é que uma moto desse porte poderia custar até mais, e somente quem entende de moto vai entender isso. Para quem ainda está em dúvida se realmente vale a pena adquirir essa moto, a resposta é bem simples: Se o consumidor quiser ter uma moto completa, com designe agressivo, com motor bem potente, e com uma duração de muito tempo, a resposta é sim. Pois esse modelo oferece todos os requisitos citados.

Moto ideal para quem gosta de acelerar na pista

Uma das observações sobre essa moto, é que ela é indicada para pessoas que gostam de praticar esportes ou que gostam de adrenalina. Pois sua potência é muito alta e, por isso, o mais comum é que o usuário acelere muito essa máquina. O ideal é ter cautela, principalmente para quem nunca pilotou uma moto com essas características. E para todos que pilotarem a Ducati SuperSport S é bom ter muita cautela (até os mais experientes).

Moto com freios potentes

Os freios desse modelo são muito potentes, e potencializam a segurança dessa moto. Ele tem dois discos de 320 mm de diâmetro na parte da frente. Na parte traseira a moto tem dois discos simples de 245 mm de diâmetro com pinça de dois pistões. E todos são com sistema ABS. Essa é uma boa informação para quem deseja comprar essa moto.

Moto com detalhe que a torna mais resistente

A Ducati SuperSport S foi projetada com detalhes mais resistentes, para dar mais diferencial a esse modelo. E eles se encontram no quadro com desenho de treliça em tubos de aço e no para-brisa com regulagem de altura. Todos esses pequenos detalhes foram pensados pela marca, para dar aos seus consumidores mais uma razão de escolher essa moto na hora da compra.

Consumo médio

Não há uma informação precisa sobre esse modelo, porém, o esperado é que ela faça em média 16,7 km/l tanto na estrada e na cidade. O que é um ótimo resultado.

Conclusão final sobre a Ducati SuperSport S

Esse modelo é totalmente inovador e muito completo. Portanto, é indicado para pessoas que prezam por uma moto com funções mais avançada e com um pouco de experiência!

Por Cristiane Amaral

Ducati SuperSport S

Ducati SuperSport S

Ducati SuperSport S

Ducati SuperSport S


Veja conferir mais detalhes sobre as motos BMW F 750 e F 850 GS.

A BMW traz para o mercado brasileiro no final deste ano, as novas F 750 e F 850 GS, duas motos potentes, com design moderno, onde o quesito segurança não foi ignorado, pelo contrário, está sempre auxiliando o piloto e contam ainda com muitas novidades. Entre elas há diferenças significativas, então é bom o consumidor conhecer bem cada modelo para ver qual melhor atende seu perfil.

A F 750 e a F 850 GS não são simplesmente uma nova geração, elas foram projetadas quase que do zero, tanto no design, motor, rodas e suspensões. A intenção da fábrica alemã foi deixar os dois modelos bem mais versáteis, atendendo bem o piloto que precisa da moto para o dia a dia e também aquele que gosta de viajar nos finais de semana.

Um dos principais diferenciais entre os dois modelos é que a F 850 GS foi escolhida para ser mais off-road, por isso ela conta com garfos invertidos, enquanto a 750 GS conta com garfo telescópico convencional. E somente a 850 GS conta com o sistema de ajuste eletrônico para as suspensões. Os dois modelos trazem acelerador eletrônico, freios anti-travamento e controle de estabilidade, o que garante muito mais segurança e conforto ao piloto principalmente nas longas viagens.

No caso da 750 GS pode ter um painel digital completamente renovado e que traz conectividade com o smartphone. A iluminação melhorou bastante, o farol é de LED e à noite faz toda diferença. A produção aqui no Brasil destas duas motos já foi confirmada pela BMW, porém, ainda não há uma data prevista de quando os trabalhos terão início e muito menos, quando as vendas começam, tudo indica que seja no final deste ano. A marca alemã também não revelou os detalhes para estas duas motos, mas tudo indica que a F 750 GS, que é a opção de entrada, terá uma configuração standard. No caso da F 850 GS, esta deverá ser bem mais equipada para conseguir competir com a Triumph Tiger 800 XCx.

Quem planeja em ter uma destas motos para viajar, não ficou satisfeito com a notícia de que o tanque perdeu 1 litro de sua capacidade, passando a suportar 15 litros de gasolina, mas a BMW garante que este modelo é mais econômico que seu antecessor e a falta de 1 litro de combustível é recompensada com a economia que o modelo proporciona.

Quanto aos preços, realmente é preciso estar disposto a desembolsar um alto valor, pois das novas motos da BMW tem muito a oferecer, mas isto tem seu preço. Apesar dos valores ainda não terem sido revelados, é possível tomar como base a F 700 GS que custa R$ 39.950 e a F 800 GSS custa R$ 45.900. Os dois novos modelos serão mais caras.

A F 850 GS vem criando grande expectativa e como é bem mais equipada, poderá contar com 3 modos de pilotagem e ainda trazer importantes itens para garantir maior segurança nas viagens, um deles é o DTC – Controle de Tração Dinâmico e o outro item é o ABS otimizado exclusivamente para as curvas, deixando a moto mais estável, mesmo quando se encontra em alta velocidade.

O consumidor terá duas ótimas motos para escolher, mas elas têm detalhes que precisam ser analisados com calma, para fazer a escolha certa, pois cada uma foi projetada para atender um perfil específico de consumidor, por exemplo, a 850 GS é mais alata, tem rodas raiadas, com a dianteira de 21 polegadas e a traseira de 17. A 750 GS é mais baixa, as rodas são de liga-leve, a da frente é de 19 polegadas e a traseira de 17. A BMW caprichou nestes modelos e quando chegarem ao mercado deverão ser uma das mais desejadas.

Por Russel


A F750 2019 tem beleza, muitas inovações e chega completamente reformulada ao mercado, agradando tanto aquele consumidor que olha primeiro o design, como também aqueles que vão direto na parte técnica.

A BMW F 750 2019 é uma moto feita para quem procura conforto no dia a dia e principalmente nas viagens, uma prática mais comum entre os brasileiros que se reúnem nos finais de semanas e pegam a estrada para curtirem novos lugares, conhecer cidades e outros estados. A F750 2019 tem beleza, muitas inovações e chega completamente reformulada ao mercado, agradando tanto aquele consumidor que olha primeiro o design, como também aqueles que vão direto na parte técnica.

O mercado de veículos já se mostrou bastante competitivo no mercado nacional, com várias montadoras já disponibilizando seus modelos e dando ao consumidor brasileiro muito mais opção de escolhas na hora da compra, enquanto que o de moto ficou quase que estagnado, com modelos tradicionais dominando as vendas, mas tudo indica que este cenário está mudando e o anúncio da BMW F750 2019 confirma esta tendência. Quando a empresa anunciou que a fábrica em Manaus começaria a produção da F 750 GS e da F 850 GS, foi uma grande euforia para os amantes das motos.

Estes dois modelos foram apresentados na Europa no final do ano passado e chamaram a atenção primeiramente pela beleza, o estilo arrojado, com um visual único e incomparável. Mas o destaque não parou por aí, pois logo nota-se o motor de 853 cc, com dois cilindros paralelos, o que garante maior torque em baixas rotações. O modelo 850 tem 95 cv de potência e a 750 tem 76 cv, apesar do motor ser o mesmo para ambas. Outro detalhe que não pode passar em branco são os dois eixos de equilíbrio que garantem uma redução da vibração que é proporcionada justamente por este modelo de propulsor. Os modelos contam ainda com embreagem assistida, o que deixa a manete muito mais leve. O câmbio é de 6 marchas e seja na cidade ou na estrada, a experiência de pilotar esta moto é apaixonante.

Ao preparar o lançamento da F750 2019, a empresa precisou providenciar a atualização de toda linha de produção, uma vez que os dois modelos contam com quadros novos, que garantem maior rigidez no berço do motor. Alguns ajustes foram feitos e tudo ficou pronto para começar a produzi-las. Mas as novidades não param por aí, pois a F750 2019 conta com suspensão exclusiva e a parte eletrônica é inédita, com isso os fornecedores locais precisaram trabalhar muito para se adaptarem rapidamente à produção das novas GS, mas isto foi feito sem problemas e não houve atraso no cronograma.

Para a 850, a suspensão recebeu bengalas investidas na parte da frente e a roda é aro 21. Para a 750, optou-se por garfo convencional com rodas aro 19, garantindo assim que ela tenha um estilo mais on-road, mas atrás os dois modelos contam com aro 17. Para muitos, estas são diferenças que acabam nem sendo notadas, mas para os amantes de duas rodas é importantíssimo ter esta diferenciação, já que o mercado nacional não vinha oferecendo tantas opções na hora de comprar motos, então, quanto mais detalhes diferenciando uma da outra, melhor será para que os clientes dos mais variados estilos sejam atendidos.

Mas quem quiser ter uma dessas, precisará ter paciência porque de acordo com a BMW Motorrad, somente entre agosto e dezembro é que chegarão às lojas e isso é se não houver nenhum atraso na produção e nenhum problema for encontrado na finalização.

Um detalhe que não agradou muito foi o escape, que fica mais distante do chassi. As primeiras fotos que começaram a circular pela internet logo receberam vários comentários sobre este detalhe, muita gente gostaria que tivesse ficado mais próximo. Entre os pontos positivos no design, destaque para o faro que deu um toque todo especial à moto.

Por Russel

BMW F 750 2019

BMW F 750 2019


A TY-E é uma moto elétrica, com uma funcionalidade totalmente nova que foi feita para trilhas e ótimas aventuras.

Quem já está acostumado com os modelos comuns de motos, irá se surpreender com a nova Yamaha TY-E. Pois ela define a tradução de inovação, e é raro as pessoas não gostarem do que é novo e moderno não é mesmo?

A TY-E é uma moto elétrica e com uma funcionalidade totalmente nova que foi feita para trilhas e ótimas aventuras. O consumidor que chegar até o momento de pré-venda dessa moto, é porque sabe o que quer. Então vamos falar um pouco mais sobre ela e suas funções de forma mais detalhada.

Yamaha TY-E é leve e pesa apenas 70 kg

O primeiro destaque dessa moto é seu peso, que é apenas de 70 kg. E justamente por esse detalhe que o usuário consegue fazer diversas manobras sem muitos problemas. Ela é considerada inovadora também por esse detalhe, e a marca usa justamente isso para consolidar sua campanha de apresentação da moto e o resultado tem sido incrível.

Yamaha TY-E é trial e não apresenta problemas comuns como de outros modelos

A Yamaha TY tem sistema trial que é faz com que ela tenha uma potência mais elevada e que vem de seus componentes leves. E permite que o usuário consiga usar uma potência elevada e usando os componentes pequenos e leves dessa moto. O resultado disso tudo é um aproveitamento total das melhores funções. Esse é um dos pontos positivos da Yamaha TY-E

Como se explica uma moto tão leve e com alto desempenho?

Muitas pessoas ficam surpresas com o alto desempenho da Yamaha TY-E e seu peso de apenas 70 kg. Onde ficam todas as peças que fazem com que essa moto tenha um desempenho tão perfeito assim? A explicação está também nas baterias que alimentam o motor elétrico. Além disso, ela possui embreagem mecânica que junto com o chassi de fibra de carbono fazem que ela seja mais potente.

Alguns detalhes técnicos da TY-E

A moto tem alguns detalhes técnicos bem interessantes como:

– Sua suspensão dianteira usa garfos telescópicos tradicionais

– Ela possui 350 mm de distância mínima do solo

– Ela possui 1,310 mm de distância entre os eixos

Veja as principais características da moto elétrica da Yamaha

A Yamaha TY-E possui muitas características de alta tecnologia, e elas também são responsáveis pelo resultado final da sua funcionalidade. Veja abaixo quais são essas funções:

– Possui carenagem exageradamente estreita, porém elas não interferem

– Possui um motor elétrico de alta potência compacto de alta rotação que alcança performances mais altas em todo terreno, ela também possui um binário a baixa velocidade que a torna potente fazendo que ela tenha uma aceleração excelente

– Possui embreagem mecânica que garante potência e controle imediatos. Seu motor é elétrico e otimizado que age em uma performance de tração perfeita

– Possui uma nova bateria que tem uma potência elevada e compacta criada com componentes fortes e leves

– Possui quadro monocoque CFRP que é um modelo mais leve do mercado e ao mesmo tempo ela permite uma boa consistência e espaço de armazenamento

Qual é a real utilidade dessa moto?

A Yamaha TY-E foi criada para uso esportivo e ideal para fazer campeonatos ou hobby. Ela aguenta os impactos mais difíceis, como terra de chão batido e com diversos empecilhos. Ela não foi feita para pista de cidade, ou seja, não compre ela achando que terá mil e uma utilidades.

Ainda não se tem muitas informações sobre esse modelo, mas daqui uns dias, vão surgir mais informações para alegria de quem está na espera!

Por Cristiane Amaral

Yamaha TY-E

Yamaha TY-E


Nova linha será lançada em junho deste ano no Brasil.

Que o brasileiro é um apaixonado por carros, ninguém mais duvida, mas a cada dia o número de pessoas que se apaixonam pelas máquinas de duas rodas aumenta de forma considerável. Se você se inclui nesse grupo de pessoas conheça agora tudo sobre a Nova Linha Triumph Tiger 800, que está prevista para chegar ao Brasil no segundo semestre de 2018.

De início podemos dizer que as versões que compõem a Linha Triumph Tiger 800 chegam com diversos atributos, dentre eles único comando que se assemelha a um Joystick iluminado, o que irá proporcionar mais praticidade.

Já no fim do ano passado a Nova Triumph Tiger 800 foi lançada oficialmente em um evento chamado EICMA 2017, no exterior. Já em nosso mercado a motocicleta estrou de forma surpreendente em um evento no Salão Duas Rodas, contudo seu lançamento oficial está marcado para acontecer no mês de junho deste ano.

A linha chega ao Brasil com três interessantes versões que trazem uma série de atualizações da área tecnológica, garantindo um desempenho melhor, que a torna ainda mais potente e, por isso, muito atraente.

Ao mesmo tempo em que o lançamento chega com mais potência, não deixa de oferecer suavidade e nem versatilidade, no tráfego tanto no meio urbano quanto na estrada. Na realidade a sua fabricante não poupou investimentos ao planejar uma motocicleta muito estilosa, com tecnologia avançada e muito conforto. Sem falar de um motor equipado com uma aparelhagem totalmente nova.

Esta nova linha é composta pelas versões:

– Triumph Tiger 800 XCa;

– Triumph Tiger 800 XRx Low Seat;

– Triumph Tiger 800 XRT.

Esteticamente, a Tiger 800 recebeu uma pintura de altíssima qualidade. No painel instalado na sua lateral temos uma ilustração totalmente nova. Sem descaracterizar a motocicleta o escopo foi colocado com um visual mais moderno e dinâmico.

Cada versão da linha possui características próprias, porém todas receberam muitas melhorias, dentre elas temos um painel de instrumentos completo, de 5 polegadas, colorido e fácil de ser configurado. Já os punhos vêm atrelados ao seu guidão. Além disso, ainda temos dispositivos equipados com Luzes de LED.

A Triumph procurou nessa linha de 2018 eliminar os pontos fracos de versões anteriores, tanto que o guidão chega em uma posição de 10 mm mais perto do piloto. Por sua vez o assento foi construído com uma espuma de uma qualidade superior e para fechar, o para-brisa pode ser ajustado em cinco posições.

As três versões da Linha são equipadas com o mesmo tipo de motor que se caracteriza por ser um Tricilíndrico de 800CC, que atua com 12 válvulas que conta com a função de refrigeração do tipo líquida, que oferece uma capacidade de geração de uma potência de até 95 cv, com capacidade máxima de 9500 RPM e capacidade de torque de 7,8 Kgfm que faz 8000 giros. Na realidade, essa força maior que a motocicleta faz de forma imediata deve-se ao seu propulsor.

O escapamento da moto é equipado com um sistema de 3 em 1 que atua juntamente com um silenciador que é produzido em aço, o que proporciona mais leveza e um fluxo melhor.

O banco pode ser ajustado em até duas posições de altura, podendo ser adaptada ao porte do piloto e ao tipo do terreno. Duas das suas versões são equipadas com uma suspensão um pouco mais baixa que as outras versões da linha Tiger 800.

Ainda não é possível afirmar os valores para comercialização de cada uma das suas versões, pois a fabricante ainda não realizou nenhuma divulgação em relação a isso. Contudo, os interessados não deverão esperar por muito tempo, já que a estreia no Brasil está prevista para o mês de junho.

Por Sirlene Montes

Triumph Tiger 800 2018


Novo modelo elétrico deverá ser liberado ainda neste ano de 2018.

O mercado de motos promete muitas novidades em 2018 e já tem muitas marcas querendo seguir o caminho dos automóveis e produzir modelos que ajudem a preservar o meio ambiente. A Harley-Davidson, por exemplo, tem o projeto de uma moto totalmente elétrica e a novidade chegou causando polêmica. Um dos motivos é que a confirmação de uma moto elétrica veio acompanhada da informação de que vários trabalhadores perderão seu emprego e uma fábrica precisará ser fechada. Foi uma mistura de boa e ruim notícia, que acabou dividindo a opinião dos críticos e simpatizantes da empresa.

Outro detalhe que chama a atenção é que esta notícia chega depois de quatro anos do anúncio do 'LiveWire', um protótipo de moto elétrica. Quando ele foi anunciado, foi quase que uma revolução no mercado, mas não demorou muito para o assunto ser esquecido. Agora, esta 'novidade' chega causando certa desconfiança, pois muita gente prefere esperar desta vez e ver algo de concreto, ainda mais com uma fábrica sendo fechada e muitos perdendo o emprego, o que representa crise na empresa.

Matt Levatich, presidente da Harley-Davidson, admitiu que muitos já ouviram falar sobre o 'Project LiveWire', mas garantiu que ele continua ativo. Só que uma declaração de Levatich acabou desanimando o mercado novamente, pois segundo ele, ainda será preciso pelo menos 18 meses para apresentar algo de concreto.

O novo modelo ainda nem tem nome e se manter a semelhança com sua precursora, sua autonomia será de cerca de 80km, indo de 0 a 90km/h em apenas 4 segundos. Para ter uma ideia, a Zero SR leva 3,3 segundos. A Ducati Monster 1200 vai de 0 a 90km/h em 3 segundos.

Alguns especialistas analisam a declaração da Harley-Davidson com cautela, pois este mercado de motos elétricas não anda aquecido, mas há possibilidade de melhorar, porém, é tudo muito incerto. Eles acreditam que a empresa tenha potencial para lançar este projeto em menos tempo, porém, prefere esperar alguns meses para ver se o cenário melhora, se a procura aumenta por parte dos consumidores.

Em 2016 a TechNavio divulgou o resultado de uma pesquisa, informando que o setor de motos elétricas deveria crescer 45% até 2020. Porém, nos Estados Unidos, é cada vez menor o número de pessoas interessadas em adquirir uma moto, só no quarto trimestre do ano passado a queda foi de 6,5% nas vendas no varejo. As vendas da Harley também apresentaram queda, cerca de 8,5% ao ano.

Mas John Olin, diretor financeiro da empresa, deu uma declaração para mostrar que o clima Harley-Davidson é de crescimento e não de encolhimento. Segundo Olin, a Harley-Davidson fará um investimento de 25 a 50 milhões de dólares por ano, nos próximos anos e todo este dinheiro será destinado aos novos modelos de motos elétricas, para conseguir colocar a marca como líder mundial neste mercado. Ele disse ainda que a marca representa 'liberdade, independência e liberdade pessoal'.

Mas as polêmicas não param por aí, pois muita gente já observou que a Harley sempre foi uma empresa que cresceu em torno do ronco poderoso de suas motos e os motores possantes. Uma Harley elétrica seria bem silenciosa. Kevin Tynan, que é analista na Bloomberg intelligence, disse não ver futuro para a Harley e que a empresa estará investindo em um negócio que já nasce falido.

Alan Stulberg, um nome respeito entre os motociclistas, também é cauteloso quanto à 'novidade' da Harley-Davidson. Ele acredita que a moto elétrica da empresa até seja bem recebida pelo consumidor, mas o que conta neste mercado são os números, quantas motos serão vendidas.

Como a Harley-Davidson anunciou que vai gastar meses para lançar seu projeto, até lá o mercado terá muito tempo para analisar a ideia e lançar suas expectativas.

Por Russel


Modelo deverá chegar às concessionárias em novembro de 2017.

Os brasileiros são conhecidos, em todo o mundo, por serem apaixonados por veículos. Sejam eles carros ou motocicletas. Prova disso, é que em todo o território nacional o número de veículos aumenta a cada ano e também é comum que em uma mesma família possua mais de dois veículos. Com isso, as montadoras muitas vezes escolhem o país para lançar novos produtos. Pois sabem da paixão do povo brasileiro e da sua vontade de sempre ter um veículo melhor. E um dos lançamentos que promete agitar o mercado nacional é o da nova Honda Biz 2018. Conheça agora um pouco mais sobre essa moto e porque ela atende a todos os requisitos de ser o seu mais novo bem de consumo.

Considerada uma das maiores empresas automobilísticas do mundo, a Honda foi fundada no final dos anos 40, mais precisamente no ano de 1948, na cidade de Tóquio no Japão. Em quase 70 anos de atuação no mercado, a Honda fabrica carros e motos para diferentes fins e para diferentes grupos de pessoas, com poderes aquisitivos diferentes. Hoje os produtos da Honda são encontrados em centenas de países nos mais diversos continentes. Considerada uma das líderes deste segmento de atuação, a Honda desenvolve produtos de altíssima qualidade e, sobretudo, com muita tecnologia. Para atender as mais diversas necessidades dos seus clientes. Para que eles possam usar os produtos Honda em todos os lugares e com todos os obstáculos.

A Honda chegou ao Brasil, no início dos anos 70 e com mais de 40 anos no mercado nacional, a marca é uma das preferidas dos consumidores brasileiros quando se trata de veículo, seja carro ou moto. Devido a isso, muitos lançamentos dos produtos Honda acontecem em território nacional. E foi justamente o que aconteceu com a nova Honda Biz 2018. A Biz é uma das famílias de motocicletas mais conhecidas do mundo. Fabricada desde o ano de 1998, a ideia original é que ela fosse produzida para atender as necessidades das pessoas que precisam de um meio de locomoção rápido, mais barato e que gaste pouco combustível. Em 2018, a Honda completa duas décadas e existência e a cada ano as suas vendas só aumentam. Devido as características citadas acima e outras tantas mais.

Falando especificamente da nova Honda Biz 2018, ela apresenta grandes vantagens e foi reformulada para atender ainda mais as necessidades dos consumidores. Ela foi apresentada pela primeira vez no Salão Duas Rodas, tradicional evento que acontece na cidade de São Paulo, para apresentar ao público os novos lançamentos de motos e ela foi um dos modelos que mais chamou a atenção. Primeiramente, vamos falar sobre o seu desing. Em relação aos modelos anteriores, a Biz 2018 foi modificada tanto na sua parte da frente quando na sua parte de trás. Ganhando novas curvas. Além dos modelos de farol e de lanterna, que também foram reformulados. O seu painel também foi modificado, ele se tornou ainda mais moderno e é todo feito em LED. O painel foi modificado para se postar como um verdadeiro computador de bordo, apresentando diferentes funções, como: relógio, tipo de pista, quantidade de combustível, velocímetro, indicação de economia para a condução, dentre outras informações.

A nova Honda Biz 2018 apresenta ainda 109,1 cilindradas, uma boa potência para uma motocicleta com seu porte. Além disso, seu motor ainda conta com injeção eletrônica, tornando mais agradável e mais fácil as suas viagens. Voltando a falar do seu design, a Honda Biz 2018 apresenta bancos mais baixos e mais confortáveis para o motorista e para o passageiro. Caso o proprietário da moto queira incluir esse item na sua lista, o bagageiro da Biz foi reformulado e ganhou mais espaço para se guardar os mais variados objetos. Ela pode ser encontrada em diferentes tonalidades, como: rosa, branca, preta e outras variações. A sua parte interna é em tons mais claros, como um areia. A expectativa é que a nova Honda Biz 2018 chegue às concessionárias e as outras lojas que vendem produtos da Honda ainda no mês de novembro deste ano. Estima – se que seu preço seja a partir de R$ 7.500,00 reais para os modelos mais simples e sem tantos itens. Por isso, o preço pode variar dependendo do que o consumidor quiser incluir na sua nova motocicleta.

Isabela Castro.


Confira as características e novidades da nova BMW K 1600 Bagger.

Inspirado no conceito 101, um estudo de design de 2015 da Roland Sands e BMW Motorrad, a nova BMW K 1600 Bagger é baseada no modelo K 1600 GT sport tourer que ganhou o Prêmio Rider's Motorcycle of the Year em 2012, feito exclusivamente para os Estados Unidos. Infelizmente, diferente da Concept 101, os painéis de sotaque de madeira não entraram em produção, mas grande parte da BMW K 1600 Bagger é fiel à inspiração original.

Conheça os itens da BMW K 1600 Bagger

Em comparação com o GT, a BMW K 1600 Bagger tem um para-brisas mais curto, um guiador tubular, alforjes mais longos e mais estreitos com luzes traseiras, com LED integradas e silenciosos de cromo tipo howitzer, que são horizontais em vez de inclinados para cima.

Já para dar à BMW K 1600 B o perfil adequado do bagger, o subtrama traseiro e o assento do passageiro foram reduzidos em 2,8 polegadas. Por outro lado, o modelo traz um novo para-lama traseiro, que se dobra para facilitar a remoção da roda traseira.

A altura do assento do piloto é de 30,7 polegadas, versus 31,9 / 32,7 polegadas no GT, e um assento opcional sem custo é de apenas 29,5 polegadas. A suspensão também é menor no bagger, mas ainda há 4.5 / 4.9 polegadas de frente e traseira.

Tecnologia e inovação à altura da marca alemã BMW

Mas as novidades não param por aí, a nova BMW K 1600 Bagger também é carregada com tecnologia de ponta. O equipamento padrão inclui modos de condução (Dynamic, Road e Rain) que ajustam automaticamente de acordo com a resposta do acelerador. A saída de torque e a intervenção pelo controle de tração dinâmico, são adaptáveis ao ângulo de inclinação e o ABS Pro é otimizado de forma semelhante.

Já o modo Dynamic ESA (Electronic Suspension Adjustment) tem dois modos: Road para todas as condições e Cruise para uma conformidade mais suave, modo que ajusta automaticamente o amortecimento.

Outras características padrão da nova BMW K 1600 Bagger também incluem faróis de xenônio, autonivelantes, alças aquecidas e assento, controle de cruzeiro, o Multi-Controller, um computador de bordo e soquetes de alimentação dupla.

O modelo também incluiu pacotes Premium e Touring, adicionando fechaduras centrais de alforjas, luzes auxiliares de LED, alarme antirroubo, sistema de monitoramento de pressão de pneus, farol adaptativo que aponta para cantos, Hill Start Control, Gear Shift Assistant Pro para acionar a embraiagem, deslizando para cima e para baixo. Também possui Keyless Ride, Bluetooth, um sistema de áudio e preparação de GPS. Há também Reverse Assist, que usa uma engrenagem helicoidal, função que escorre o motor de arranque para fornecer inversão de baixa velocidade para auxiliar no estacionamento.

E quando parece que acabaram as surpresas, a BMW K 1600 Bagger também possui, ainda, dois recursos, que por muitos são considerados traços de gênio, ambos debutados no K 1600 GT / GTL em 2012.

Um dos recursos é a roda Multi-Controller no punho esquerdo, o que torna tão fácil percorrer os menus e fazer as mudanças que os pilotos são muito mais propensos a tirar proveito das muitas configurações disponíveis. O outro é o defletor de ar winglets de cada lado do carenado dianteiro, que pode ser girado para fora, para direcionar o fluxo de ar para o cockpit. Estes são os tipos de detalhes que elevam a BMW K 1600 Bagger do bom ao excelente, o que facilita, e muito, a vida dos pilotos.

O modelo também possui um conjunto de malas totalmente redesenhado, o que deixa com um ar mais moderno, elegante e compacto.

Valor da BMW K 1600 Bagger

Com tanta tecnologia inclusa, o modelo não poderia ser barato. A BMW K 1600 Bagger não sai por menos de US$ 20.000 – (cerca de R$ 63.000). Uma opção bem interessante, mas que pode conquistar o consumidor. Afinal de contas, a atração da queridinha alemã está no motor, tecnologia e no seu alto estilo.

Para mais informações e especificações, acesso ao site da fabricante alemã: www.bmwmotorcycles.com/us/en/index.html.

Por Cassiany de Paula

BMW K 1600 Bagger


Modelo é potente e tecnológico. Confira as suas especificações.

A BMW apresentou uma versão atualizada do Tourer de luxo, a K 1600 GTL. Em 2012, o ano modelo em que foram introduzidos no mercado, a BMW K 1600 GT e o GTL compartilharam o Prêmio Motocicleta do Ano do Rider, em virtude dos novos níveis de performance e sofisticação, o que trouxeram mais destaques para o turismo esportivo e segmentos de turismo de luxo.

Conheça as especificações da BMW K 1600 GTL

Diferentemente, principalmente em termos de posição de assento, tamanho, forma do para-brisas e a presença de um tronco superior, no GTL, a fabricante alemã compartilhou um mecanismo de 6 cilindros, em linha, que produz uma força de 160 cavalos e um torque de 129 lb-ft.

Segundo informações divulgadas pela empresa alemã, o motor da potente das estradas foi produzido de forma mais compacta, dentre as motos de mais de 1.000 cm³. Na estrada, o modelo BMW K 1600 GTL pode atingir a velocidade máxima de 200 km/h. Ainda de acordo com dados divulgados pela BMW, a velocidade atingida pela potência do motor é mais que o suficiente para rodar as terras brasileiras.

Assim como no GT e B, os novos conversores catalíticos e o gerenciamento de motores atualizados permitem que o motor do K 1600 GTL seja compatível com Euro4 sem perda na saída reivindicada.

Controle de tração

O modelo ainda permite três modos de condução: Road, Dynamic e Rain adaptam a resposta do acelerador às condições de condução e ajustam automaticamente a configuração de Controle de Tração Dinâmica.

O que tem de diferente no modelo, é o ESA dinâmico, que ajusta automaticamente o amortecimento da suspensão e oferece dois modos, Estrada e Dinâmico.

A BMW K 1600 GTL também possui equipamento padrão, que inclui ABS Pro, farol de xenônio, alças aquecidas e assentos, Multi-controlador, controle de cruzeiro e alforjes removíveis e malha superior.

As novas opções também incluem Reverse Assist, uma engrenagem reversa que é engajada usando um botão no guidão esquerdo e controlada usando o botão de partida e Shift Assistant Pro, o que permite deslocamentos e downshifts sem embraiagem.

Outras opções incluem o farol adaptativo, Keyless Ride, Hill Hold Control, fechaduras centrais, rodas forjadas e uma linha completa de acessórios, que torna o modelo ainda mais atraente para o consumidor.

Em questão de estilo e modernidade, a nova BMW K1600 GTL inclui novos painéis laterais, defletores de deslizamento maiores, novos defletores de vento, para proteger as mãos do piloto, espelhos redesenhados, maiores e inserções esféricas, e protetores de pés, redesenhados, e compartimentos de armazenamento mais baixos.

Modelo top de linha

O modelo também pode ser encontrado em novos esquemas de cores, que incluem: Lightwhite não metálico, Thundergrey metálico e K 1600 GTL Elegance (Ebony metallic e Blackstorm metallic).

Diante de tanto desempenho, potência e tecnologia, as vendas da BMW K 1600 GTL saem no Brasil pelo valor de R$ 124.500, o que a considera a moto uma das mais caras da empresa.

Disponível em várias cores, o modelo é top de linha da fabricante alemã. Suas características exclusivas à modernidade e som integrado, a BMW K 1600 GTL foi feita exclusivamente para estradas e longas viagens.

Curtindo o som da BMW K 1600 GT

O sistema de som integrado possui sincronização via bluetooth, o que é exclusividade da top de linha. No Brasil, o consumidor pode encontrar a versão completa do modelo GTL, já em outros países como na Europa, é possível encontrar o modelo somente com o dispositivo de GPS. O modelo vem com espaço para instalação, mas não inclusa.

Para viagens e longos passeios, o sistema de som rouba a vez. O modelo ainda é acompanhado de três malas que facilitam, e muito, a vida do condutor. Os acessórios, ainda, podem ser removidos de acordo com o desejo do consumidor.

Para mais informações e especificações, assim como modelos, séries e detalhes, acesse o site da fabricante alemã BMW pelo site: www.bmw-motorrad.com.br.

Por Cassiany de Paula

BMW K 1600 GTL


A Ducati Multistrada 1260 apresenta muitas características interessantes que a fazem concorrer ao título de um dos melhores lançamentos mundiais no setor de motocicleta.

Uma das montadoras de motocicletas mais conhecidas do mundo é a Ducati. Criada no final dos anos 20, mais precisamente, em 1926 na cidade de Borgo Panigale Bologna, na Itália. A fábrica teve seu início de forma inusitada, pois, os seus primeiros produtos eram rádios. Alguns anos depois, a empresa mudou seu ramo de fabricação e começou a produzir motocicletas. Em mais nove décadas de atuação no mercado internacional, a empresa italiana conseguiu provocar profundas transformações no mercado de motocicletas, pois, hoje a entidade que fabricou a primeira moto com 250 cilindradas no ano de 1960, tornando-se assim a motocicleta mais rápida do mundo.

Em todos esses anos desde a sua fundação, a Ducati serviu como inspiração para as outras montadoras, por investir em mão de obra muito especializada para fabricar seus produtos e peças. E por investir muito dinheiro em tecnologia para o desenvolvimento de suas motocicletas. Os produtos da entidade italiana são comercializados em muitos países nos mais diferentes continentes e a empresa é uma das líderes do mercado de motocicletas no planeta. Um outro fato relevante a respeito de sua história é que há cerca de cinco anos, mais precisamente, em 2012, a Ducati foi comprada pelo grupo Audi, um dos maiores grupos de produção automobilística do mundo.

A cada anúncio de um novo lançamento da Ducati despertam interesse nos apaixonados por motos. Pois, todos sabem que um grande produto vai estar disponível no mercado e ele vai ser capaz de atrair atenção do consumidor, além da mídia especializada e de outras montadoras. Um dos lançamentos mais recentes do grupo italiano foi a Ducati Multistrada 1260. A Multistrada é uma das famílias de motocicletas da Dulcati. Essa linhagem faz muito sucesso desde o seu lançamento há alguns anos atrás. Prova disso, é o seu número de vendas, que é sempre muito expressivo.

Falando especificamente da Ducati Multistrada 1260 ela apresenta muitas características interessantes que a fazem concorrer ao título de um dos melhores lançamentos mundiais no setor de motocicleta.

Primeiramente vamos falar sobre o design da Ducati Multistrada 1260. Essa moto apresentada é um modelo considerado esportivo, ótimo para viagens em qualquer lugar, desde grandes metrópoles a lugares mais vazios e sem tanta habitação. Ela é um modelo mais alto, o que poderia gerar um desconforto para o condutor e para o passageiro, Entretanto, o seu banco está mais confortável tornando a viagem mais agradável.

Ela pode ser encontrada em diferentes tonalidades como: em vermelho, preto, branco (todas cores dominantes) e em mescla dessas cores, todas as tonalidades são metálicas.

A Ducati Multistrada 1260 ainda apresenta um bagageiro que foi reformulado para que este item possa caber mais pertences. O seu painel também sofreu algumas alterações, ele agora é todo em LED e funciona como um verdadeiro computador de bordo. Apresentando informações muito mais precisas e de forma muito mais fácil. Informações como: relógio, quantidade de combustível, tipo de condução, dentre outras informações.

A Ducati Multistrada 1260 apresenta o motor Testastretta DVT com 158 cavalos, o que confere para ela uma boa performance nas pistas. Ela ainda conta com uma suspensão eletrônica semi – ativa, discos de freio. O seu para-brisa também foi modificado, agora ele é produzido em fibra de carbono, o que torna este item ainda melhor, já que ele está menos pesado.

Ainda não se tem uma data definida de quando o produto chega ao mercado internacional e nem o nacional. A empresa italiana também não divulgou qual será o preço da Ducati Multistrada 1260. Lembrando que o preço dela pode variar de acordo com o gosto do cliente, que pode incluir ou retirar itens.

Se você quer saber mais informações a respeito da Ducati Multistrada 1260, acesse o endereço eletrônico da marca que é o: www.brasil.ducati.com/index.do.

Por Isabela Castro

Ducati Multistrada 1260


Estima-se que o modelo possa ser encontrado partir de R$ 50.000,00 e suas vendas devem ser começadas a partir dos próximos meses no território nacional.

Uma das maiores paixões de qualquer pessoa seja de qualquer idade são os veículos, sejam, eles automóveis ou motocicletas. Prova disso, é que para esse tipo de comércio as vendas sempre permanecem altas e raramente, é anunciado que as vendas caíram. Pois, nos dias atuais, em qualquer lugar do mundo contar com esse tipo de produto, é definitivamente, uma facilidade da vida moderna. Com isso, cada vez mais as montadoras vem investindo em produtos cada vez mais tecnológicos e que possam agradar a um número maior e mais diversificado de consumidores. E um dos últimos lançamentos que promete animar os apaixonados por motocicletas é a Triumph Tiger 800 XC. Conheça agora mesmo um pouco mais sobre essa moto e o porquê ela pode ser a sua nova aquisição.

A Triumph Motocicletas é uma montadora de motos fundada no início dos anos 80, mais precisamente, em 1984 no Reino Unido. Com mais de três décadas desde a sua fundação, a Triumph Motocicletas, nos dias atuais, está presente em mais de 10 países onde fabrica seus produtos, como: Japão, Holanda, Bélgica, França, Suécia, Suíça, Japão, Alemanha, Estados Unidos e muito mais. Hoje a companhia inglesa está na lista das principais montadoras de motocicleta do mundo. Com vendas para vários países em diferentes continentes. Seus produtos são conhecidos por apresentarem características muito próprias, como: alta qualidade, design inovador, tecnologia de ponta, dentre outros. Um dos seus lançamentos mais recentes foi a Triumph Tiger 800 XC. Essa moto faz parte da tradicional família Tiger 800, que conta com outros modelos como: Tiger 800 XR; Tiger 800 XRx; Tiger 800 XR x LOW; Tiger 800 XCx e a Tiger 800 XCa.

Falando especificamente da Tiger 800 XC, ela apresenta muitos pontos que devem ser mencionados para se compreender o quão inovadora essa motocicleta é. Vamos começar pelo seu desempenho dentro das pistas. Essa motocicleta foi desenvolvida para percorrer grandes e distâncias. Visto que, ela conta com 03 cilindros e 95 cavalos. Ótimos números para quem deseja pilotar nas ruas de grandes metrópoles ou em lugares mais tranquilos. Outro ponto que merece ser destacado, a respeito da Tiger 800 XC é que ela apresenta um painel moderno todo em LED. Que apresenta com o máximo de precisão para o piloto, informações como: temperatura ambiente, medidor de combustível, velocidade média do veículo, duração médio da viagem, relógio, indicação da posição da marcha, tacômetro analógico, dentre outras informações.

A Tiger 800 XC conta com um taque de 19 litros que possuem funções que economizam em mais de 15% o combustível da moto. Propondo assim uma economia no bolso do consumidor e também uma menor poluição no meio ambiente. O seu design chama atenção, a Tiger 800 XC é um modelo esportivo bastante arrojado, ele pode ser encontrado em diferentes cores, como: preta, prata e em variações desses tons. Além de detalhes em outras cores, como vermelho, branco e azul. Todos metálicos. O para-brisa da motocicleta foi desenhado para que os condutores ao guiarem o veículo, não tenham tanto problema com ventos mais portes, por isso, ele é mais alto. Além disso, a Tiger 800 XC apresenta um banco maior com mais conforto para que motorista e passageiro possam ter mais conforto durante a viagem. Ela ainda conta com freio e suspensão elevada para o conforto do motorista.

Estima-se que o modelo possa ser encontrado partir de R$ 50.000,00 e suas vendas devem ser começadas a partir dos próximos meses no território nacional. Para saber mais sobre a Tiger 800 XC, e outras motocicletas da Triumph Motocicletas, acesse o endereço eletrônico da empresa do Reino Unido no Brasil, que pode ser visitado através do seguinte link: www.triumphmotorcycles.com.br.

Por Isabela Castro

Triumph Tiger 800 XC


Novo modelo está munido de um motor de arranque superior aos demais, ou seja, vai causar um impacto sobre as outras motos no trânsito.

As motocicletas estão entre os veículos mais vendidos e mais variados do mundo. Recentemente foi estreada a nova Brutale Dragster 800 RR, um veículo sobre duas rodas imponente, cuja aparência intimida na primeira olhada, ou seja, trata-se de um modelo próprio de Street Fighter. Foi no dia sete de julho de 2017 que foi realizada no seio da estrutura da MV Agusta, na cidade de Lisboa, a estreia do modelo novo intitulado RR MY17 da MV Agusta Brutale Dragster RR, modelo recente de 2017, em conformidade com o padrão da Euro 4.

Esta marca em forma de RR, que estava sendo usada pela companhia apenas para representar os modelos de motos munidos de quatro cilindros, tornou-se ícone que distingue os novos modelos da Brutale Dragster, tais como os veículos aparelhados com três cilindros. A nova comunhão entre a potência, o estilo e até mesmo o design fabuloso do quadro desta moto, a chamada Dragster RR, basicamente inaugura uma linha explicitamente exclusiva.

Portanto, esta nova moto, MV Dragster RR, está munida de um motor de arranque superior aos demais, ou seja, vai causar um impacto sobre as outras motos no trânsito. Na medida em que a rotação de punho for ativada e as passagens de câmbio forem executadas esta Dragster impulsiona o piloto adiante por meio de uma grande capacidade de manter a velocidade e o equilíbrio. Esta Dragster RR consiste em uma produção superior em três cilindros potencializados em 800CC, garantindo maior força, portador de melhor aparelhagem electrónica, além de estar adornada de traços contínuos, verdadeiras marcas autênticas que caracterizam esta versão RR da Brutale Dagster.

Este motor dispensa apresentação, já que se trata da típica e eficiente tecnologia italiana tão reconhecida no mercado. Assim, a companhia MV decidiu imprimir mais força e impulso no novo modelo, justificando a identificação adotada de RR. A força registrada de até 140CV confirma essa grande produção elaborada e desenvolvida, já que se trata de uma combinação sem precedentes, sendo que é a primeira vez que surge um motor com três cilindros de 800CC, que proporciona a grande potência e desempenho.

O motor pode ser descrito como um tipo compactado pesando até 52Kg, o qual abarca uma tecnologia de alto prémio, incluindo cambota com rotação inversa, promovendo este recurso como um dos mais sublimes do mercado atual. Está aparelhado de um tensor hidráulico em corrente de distribuição que garante o desempenho suave e silencioso deste motor de grande força e impulso.

Na parte electrónica a injeção sofreu nova elaboração, nela sendo incluídos os injetores duplicados por meio de um cilindro, seis no total. O desempenho da potência acontece de modo suave em rotações mais baixas, ao mesmo tempo que é carregado de energia e mais violento em suas altas rotações, munido do limitador em 13.200 RPM.

Assim, a potente MV Dragster RR abrange, neste momento, a série de um sistema de MVICS (Motor and Vehicule Integrated Control System). Está munida de Maps com maior precisão articulando de modo eficiente a capacidade explosiva dos três cilindros com rendimento e economia. Possui um desempenho tanto mais potente quanto é mais ecologicamente correto.

Possui um sistema que mantém a regularidade do torque e os movimentos do motor estão configurados em 3+1, com Sport, o Normal e Rain, além de mais uma Custom. Esta RR possui, de fato, as mesmas dimensões e a mesma geometria do modelo Dragster normal. Munido do melhor ABS, sobretudo em pistas de superfície molhadas e muito lisas. Vale a pena conferir.

Por Paulo Henrique dos Santos

MV Agusta Brutale Dragster 800 RR


A nova moto esportiva vai deixar de lado o motor bicilíndrico e inovar com o motor de 4 cilindros em V de 1.103 cm³ que rende 214 cv e 12,4mkgf.

A Ducati já é uma marca italiana renomada no mercado de motos e vai lançar seu novo modelo que é a Ducati Panigale V4. Esse novo lançamento promete grandes mudanças e trazer a modernidade encima de 2 rodas.

Ducati Panigale V4 promete quebrar paradigmas

O novo lançamento da Ducati vai inovar trazendo uma grande mudança em seu novo modelo. A nova moto esportiva vai deixar de lado o motor bicilíndrico e inovar com o motor de 4 cilindros em V de 1.103 cm³ que rende 214 cv e 12,4mkgf. Ela também tem o sistema desmodrômico de válvula, que já é padrão da marca e vai ser mantido nesse novo lançamento. E essa é a primeira vez que essa estrutura de propulsor é usada em uma moto de linha italiana.

Conheça os itens de série da Ducati Panigale V4

O pacote de itens desse lançamento é sensacional e muito animador e nele contém:

Quickshift (que é o sistema que troca de marcha sem precisar movimentar o manete de embreagem) que é usado para subir e descer marchas e tem três modos de condução que são rua, corrida e sporte.

Freios ABS de curva

IMU que é a unidade de medição inercial é de série e tem 6 eixos que leem a velocidade, mudanças de direção e a inclinação da moto para garantir a entrega certa de potência na roda traseira e também faz a aplicação de força do ABS ou controle de tração.

Existe uma versão da Panigale V4 mais completa

O que algumas pessoas não sabem sobre a Ducati Panigale V4 é que existe uma versão mais completa dela, que é a Panigale V4 S que contém amortecedores Öhlins NIX-30 na parte da frente e TTX36 na parte de trás e também na direção semiativas com ajuste eletrônico bateria de Íon de lítio e rodas de alumínio forjado. Essa nova versão foi desenvolvida principalmente para as pistas, e ainda foi adicionada a ele o para-lamas de fibra de carbono, pedaleiras ajustáveis, banco revestido de alcantara e escapamento de titânio da Akrapovic, que vai elevar a potência para 226 cv. Essa nova versão é indicada para quem vai competir e precisa de uma máquina completa, que traz velocidade, estabilidade e segurança em uma única moto.

Design arrojado e encantador

A Ducati Panigale V4 é uma moto robusta e que chama a atenção por onde passa. Ela é ideal para pessoas que gostam de ter uma máquina grande, atrativa e potente. Ela se enquadra na categoria esportiva e por isso é indicada para diversos tipos de competições. Ela veio para deixar seu nome registrado através de toda sua potência.

Panigale V4 vem para substituir a versão Panigale 1299 S

A Panigale V4 não é qualquer moto ou mais um novo lançamento. Ela vem para substituir outra máquina bem potente que é a Panigale 1299 S. isso já mostra que essa moto vem para impressionar até os mais conhecedores de motos do mundo. A versão da Panigale 1299 S é uma máquina muito conceituada e que possui 205 cavalos, o que a torna muito potente. Por essa razão já podemos esperar uma máquina para ninguém colocar defeito.

Apresentação à altura da marca e da grande máquina

Para a apresentação da Panigale V4 foram convocados os pilotos da MotoGP, e isso já mostra a grandiosidade desse lançamento tão esperado. Os pilotos que participaram dessa apresentação foram o Andrea Dovizioso e Jorge Lorenzo. Porém, quem teve o privilégio de entrar no palco pilotando essa maravilhosa máquina, foi o australiano Casey Stoner, que foi campeão mundial em 2007 em Ducati.

Valor da Panigale V4

Essa é uma das informações mais esperadas desse lançamento, e ela vai custar o equivalente a R$ 107.000,00. É claro que o valor pode ser considerado alto para uma moto, mas, ela não é uma simples moto. É uma máquina de competição e muito potente. Além de ser um lançamento.

Ainda não existe uma data para o lançamento da Ducati Panigale V4, o que se sabe é que será lançada em 2018. Em quanto isso o que nos resta é aguardar!

Por Cristiane Amaral

Ducati Panigale V4


A BMW F 850 GS é uma big trail de média cilindrada que funciona muito bem tanto em estradas asfaltadas como em estradas não asfaltadas.

Durante o Salão de Milão, a BMW apresentou diversas novidades que vão aquecer o mercado no próximo ano e fazer os olhos dos amantes de motos brilharem. Uma das novidades é a nova linha GS e um dos modelos que vem compondo essa linha é a BMW F 850 GS, uma big trail de média cilindrada que funciona muito bem tanto em estradas asfaltadas como em estradas não asfaltadas.

Em relação ao design, possui um visual que é robusto e imponente, feito com uma estrutura de aço tubular é ideal para a prática de off road. Conta com um painel de instrumentos que possui iluminação laranja que ascende automaticamente quando está em um ambiente escuro e com um display digital com tela TFT de 5,5 polegadas contendo todas várias informações necessárias como indicadores de marcha engatada, temperatura do motor, nível do combustível, informações sobre o tanque e hodômetro total e parcial. Também está equipados com conta giros, velocímetro, cronômetro, relógio, e saída 12V para acessórios e faróis de LED. A série conta ainda com bancos de assentos com alturas diferentes, comandos de punho de fácil usabilidade, controle de tração ASC, entre outros.

Vem com um sistema eCall da BMW instalado na moto, que funciona por satélite, permitindo que o piloto consiga pedir ajuda e seja rastreado em caso de algum acidente.

O motor bicilíndrico de 853 cm com potência de 95 cv, quatro tempos, arrefecimento líquido, seis marchas, discos dianteiro duplo e disco traseiro simples, rodas com raios, garfo dianteiro invertido, suspensão com ajuste eletrônico, ABS acompanhado pelo controle automático de estabilidade da BMW, pneu de 12 polegadas.

Veja abaixo a ficha técnica:

Ficha técnica da BMW F 850 ​​GS 2018

MOTOR

Tipo: Arrefecido a água, duplo cilindro, 4 tempos, dois eixos de cames na cabeça do cilindro, lubrificação por cárter seco e 4 válvulas por cilindro.

Diâmetro x curso: 84 mm x 77 mm

Cilindrada: 853 cc

Potência de: 95 cv a 8 250 rpm

Torque máximo: 92 Nm a 6.250 rpm

Taxa de compressão: 12,7: 1

Controle de mistura e gerenciamento de motores Injeção eletrônica, tubo de sucção, gerenciamento de motores BMS-M

Controle de emissão Conversor catalítico regulado, de três vias

BENEFÍCIOS E CONSUMO

Velocidade máxima: +200 km / h

Consumo por 100 km a uma velocidade constante de 90 km / h ND l

Consumo por 100 km a uma velocidade constante de 120 km / h 4.1 l

INSTALAÇÃO ELÉTRICA

Alternador trifásico de 416W

TRANSMISSÃO

Embreagem multi-disco em banho de óleo, acionada mecanicamente.

Caixa de velocidades Seis velocidades de consumo constante, integradas no cárter.

Transmissão Corrente contínua com O-rings e amortecedor anti-choque no cubo traseiro.

QUADRO e FREIOS

Moldura de aço monocasco de quadro, motor de rolamento

Roda dianteira e suspensão Forquilha reversa, Ø 43 mm

Roda traseira e suspensão Braço oscilante de dois braços em alumínio

Curso das suspensões dianteira / traseira 204 mm / 219 mm

Distância entre eixos: 1.593 mm

Avançar 126 mm

Ângulo da direção: 28 °

Pneus radiais de pneus

Medição da frente: 2.15 × 21 "Medição traseira: 4,25 × 17 "Pneu dianteiro: 90/90 – 21 Pneu traseiro: 150/70 – 17

Travão dianteiro Duplo disco 305 mm, pinça flutuante de duplo pistão.

Travão traseiro Um disco de 265 mm, pinça flutuante de pistão único.

ABS BMW Motorrad (destacável)

DIMENSÕES E PESOS

Comprimento 2,305 mm

Largura (com retrovisores) 922 mm

Altura do assento no vácuo 860 mm (assento baixo: 815 mm)

Peso seco 229 kg

Capacidade do tanque 15 l

Por Lorena Ruiz

BMW F 850 GS


Moderna e em modelo único, a moto faz parte da classe retrô, inspirada na década de 1970.

A Kawasaki revelou a sua mais nova aposta para mercado, a Z900RS. Moderna e em modelo único, a moto faz parte da classe retrô, inspirada na década de 1970, com referência as linhas clássicas da Z1, e com base no modelo Z900.

Ao invés de simplesmente dar um novo estilo ao modelo retro Z900, o Kawasaki introduziu uma série de mudanças, significativas, sob o design. Essas mudanças incluem um motor retomado e um chassi totalmente redesenhado.

Motor

Segundo a fabricante, motor quatro cilindros de 948 cm³em linha-quatro foi retomado para um torque mais forte de baixo a médio alcance. O pico de energia está reduzido de 125cv para 111 cv de potência máxima (a 8.500 rpm).

A primeira marcha também é mais curta do que o antigo modelo da marca, Z900, para torná-la mais difícil de parar, quando começar a mover-se. Já a sexta marcha é mais alta para vibrações reduzidas em velocidade.

De acordo com a fabricante Kawasaki, a estrutura de treliça de aço foi "completamente redesenhada" para acomodar o novo tanque de estilo, em formato de gota, o que, também, ajuda a oferecer uma posição de condução mais relaxada e mais alta do que a Z900.

Peso

Feita sob uma estrutura mais leve, com larga utilização de materiais resistentes, o novo modelo surge para substituir a icônica Z800. São apenas 210 kg que acrescentam mais estilo e charme no modelo Kawasaki. Sua posição mais baixa para a condução é determinante para uma condução mais esportiva.

Curiosamente, o Z900RS também obtém um freio dianteiro de maior especificação e a adição de controle de tração, no que poderia ser um sinal de que upgrades semelhantes estão a caminho do Z900.

Ainda de acordo com informações da fabricante Kawasaki, o Z900RS possui calipers dianteiros monobloco de quatro pistões de montagem radial, enquanto o Z900 possui uma configuração convencional de quatro pistões gêmeos.

Já como o modelo Z900, a Z900RS possui uma embreagem de assistência e chinelo, mas também se beneficia do controle de tração, que ao contrário da Z900, não possui nenhum.

O sistema KTRC oferece dois modos de equitação, um para "desempenho de equitação de esporte melhorado" e um para "negociar superfícies escorregadias com confiança".

Entre os muitos novos elementos de estilo tradicionais, estão o capot de cauda inspirado Z1 e o velocímetro e o rev-contador de estilo analógico.

Rodas

As culatras agora têm barbatanas para imitar o arrefecimento do ar e as novas rodas fundidas que possui mais raios. As jantes raiadas possuem dimensão para encaixe de uma grande variedade de pneus, que vão de modelos de pneus mais clássicos, aos mais desportivos, que são usados para eventos como Track Days.

A fabricante Kawasaki ainda afirma que a nota do escape de quatro em um, de estilo megafone, foi especialmente ajustada para um rumor profundo a baixas rotações.

Como o Z900, a Kawasaki Z900RS tem forquilhas invertidas de 41mm com amortecimento de compressão e amortecimento de recuperação, com ajuste de pré – carga de mola. O modelo ainda possui e um back – link horizontal, choque carregado com gás, com amortecimento de rebote, e ajuste de pré – carga da mola.

Cores

O modelo pode ser encontrado no mercado nas cores verde, marrom e laranja, preto ou fosco.

Lançamento

Os novos modelos da fabricante, a Z900 RS e a Ninja 400, foram apresentadas nesta última terça-feira, 14, em um evento em São Paulo, São Paulo Expo. Os novos modelos estão previstos para serem vendidos no Brasil a partir de 2018. Os valores ainda não foram revelados para vendas no país.

Já para demais especificações e outros modelos, acesse o site da fabricante Kawasaki pelo link: http://kawasakibrasil.com.br/.

Por Cassiany de Paula

Kawasaki Z900RS


A moto foi inspirada nas motocicletas de competições. Dessa forma, é um veículo mais esportivo e mais alto em relação aos outros modelos mais comuns da Honda.

Um dos meios de transporte mais usados em todo o mundo é a motocicleta. Este veículo é usado para diferentes finalidades e é um verdadeiro facilitador da vida moderna. Por vários motivos, nos quais podemos citar: um preço mais acessível em relação a outros veículos, um baixo consumo de combustível, a facilidade de poder transitar em qualquer lugar e estacionar também em qualquer espaço, dentre outros benefícios.

Desde a sua invenção, datada no século XIX, mais precisamente, no ano de 1820, muitas empresas tornaram-se fabricantes desse bem e que investem a cada ano muito dinheiro para desenvolver produtos altamente tecnológicos. E um dos lançamentos mais recentes do mundo sobre duas rodas foi a nova Honda CB 125R. Conheça um pouco mais sobre essa moto e porque ela pode se tornar a sua próxima compra.

Fundada no final dos anos 40 em Tóquio, no Japão, mais precisamente em 1948, a Honda é uma montadora de veículos. Em quase sete décadas desde a sua criação, a empresa japonesa é uma das principais líderes na fabricação de automóveis e motocicletas em todo o mundo. Milhões de pessoas possuem ou já possuíram ao menos um produto da entidade. Além disso, os seus veículos são exportados para todo o mundo. A Honda ainda conta com fábricas, lojas espalhadas por diferentes países nos mais diversos continentes. No Brasil, o sucesso da montadora não é diferente. No território nacional, a Honda chegou no ano de 1971 e em 46 anos de atuação no mercado nacional, a empresa sempre figura na lista doe veículos mais adquiridos pelos brasileiros. A Honda também desenvolve diferentes veículos para o transporte normal, como carros e também automóveis para indústrias, como caminhão, carretas, dentre outros.

Falando mais especificamente sobre a Honda CB 125R. Esse modelo é um dos produtos de mais alta tecnologia já desenvolvido pela montadora japonesa. Visto que, para chegar às características que ele apresenta, foram levados em consideração muitos fatores de aperfeiçoamento e desenvolvimento de outros veículos da marca japonesa. Dessa forma, primeiramente, vamos falar do design da Honda CB 125R. Este veículo foi inspirado nas motocicletas de competições. Dessa forma, é um veículo mais esportivo e mais alto em relação aos outros modelos mais comuns da Honda.

A Honda CB 125R pode ser encontrada em diferentes cores, como: amarela com variações em laranja, totalmente preta e uma mescla entre branco, azul e vermelho. Todas em tons metálicos. Ela ainda conta com um painel todo em LED, que é um verdadeiro computador de bordo, já que mostra diferentes funções como: nível de combustível, indicação da pista, relógio, dentre outras funções.

A Honda CB 125 R vem de uma família de motos potentes, a família CB que conta com tantas outras unidades e que fez muito sucesso desde o seu lançamento há alguns anos. A Honda CB 125 R possui uma boa performance nas pistas já que conta com 125 cilindradas. Ela pode ser usada tanto para fazer viagens ou para uso cotidiano, nas grandes metrópoles brasileiras. Ela foi desenvolvida atendendo as mais altas normas de segurança. Prova disso é a forma como os seus pneus foram desenvolvidos, com uma tecnologia mais alta. Ela é indicada para os jovens condutores, devido às suas especificações. Por ser uma moto em estilo esportivo. Mas, atendendo as normas para que possíveis acidentes possam ser evitados. O modelo já pode ser encontrado nas mais diversas concessionárias da Honda em todo o Brasil. O preço estipulado é a partir de R$ 9.000,00. Claro que há variações. Visto que a Honda permite que seus clientes possam colocar diferentes acessórios e escolher diferentes coisas em suas motocicletas. Assim criando um veículo muito particular.

Para saber mais sobre esse produto e outros veículos da Honda, acesse o seguinte endereço eletrônico: www.honda.com.br.

Boa sorte!

Por Isabela Castro

Honda CB 125R


Modelo será lançado no início de 2018.

Para que está buscando um novo conceito para um transporte sobre duas rodas, a nova VITPILEN 701 da montadora russa Husqvarna deverá se sobressair no mercado de motos no mundo inteiro com um novo conceito.

Lançada no último salão EICMA em Milão, a nova moto promete mostrar bastante novidades com seu novo estilo e a sua chegada aos mercados consumidores já tem data agendada: início de 2018.

Os amantes de motocicletas deverão ter algumas boas novidades com as modificações que a montadora promete entregar aos seus consumidores. Tudo isto para que ela possa se firmar cada vez mais, principalmente, a partir do ano que vem no segmento das motos feitas para rodar em estradas por um longo período.

A marca Husqvana sempre se destacou no mercado russo por seu estilo mais alternativo. Deste modo, quem procurava um conceito diferente de motocicleta que fugisse um pouco dos padrões comuns adotados pelas suas principais concorrentes como a Honda e Yamaha, mais projetadas e planejadas, ela oferece um estilo mais contemporâneo e de vanguarda.

Apesar da sua concepção sempre a frente do seu tempo, os engenheiros russos resolveram incorporar também alguns conceitos e tecnologias mais modernas, tudo em função das atuais necessidades dos seus consumidores.

Assim a nova VITPILEN 701 estreará nas concessionárias em todo o mundo trazendo algumas mudanças e adaptações em virtude do estilo de vida prático, dinâmico e moderno das grandes metrópoles mundiais.

Apesar das mudanças, alguns detalhes que poderiam passar desapercebidos foram mantidos como uma forma de manter ainda o estilo único da marca.

Neste sentido, as suas linhas de design são fiéis ao projeto original que diferencia a marca e proporciona uma experiência única ao dirigir um destes modelos. A intenção é passar para o cliente o conceito verdadeiro de “Real Street Motorcycles”.

As mudanças que podem ser notadas no seu modelo a ser comercializado no início do ano que vem começa pelo projeto de elaboração do seu quadro principal. A nova VITPILEN 701 traz esta estrutura fabricada a partir de uma liga bastante resistente feita de uma liga de aço em combinação com Cromo e Molibdênio.

Com isto, o condutor ganha em mais segurança, pois poderá ter um maior controle da motocicleta proporcionada pelo alto grau de rigidez adquirido pela combinação destes dois tipos de metais. A montagem é feita através de sistema a laser e guiada por mecanismo robótico, o que garante maior precisão e segurança na montagem.

Para que se interessa pela potência do motor, o novo modelo vem de fábrica com um sistema de injeção exclusivo de combustível e que é controlado por um dispositivo eletrônico instalado no painel da moto.

Além disto, é o sistema SEM que gerencia todo o funcionamento do motor, inclusive a quantidade exata de combustível a ser utilizada, o que proporciona uma maior economia.

Ela vem equipada com um motor de 75 Cavalos de força, o que proporciona quase 700 cilindradas de potência e um torque de mais de 6.7 rpm.

Pensando na segurança dos seus consumidores, a montadora equipou o seu modelo com sistema de freio ABS nas duas rodas e um sistema de embreagem que proporciona a troca de marchas de modo mais rápido e suavidade.

Este sistema foi desenvolvido para que a moto não perca estabilidade, principalmente, na roda traseira, o que garante ao condutor um maior controle da roda traseira e mais segurança ao realizar uma curva ou entrar para um dos lados.

Para quem ainda não conhece o modelo fabricado pela Husqvana, esta é uma chance de ter contato com um novo estilo e por que não fazer um test drive com esta novidade.

Por enquanto, a montadora ainda não informou quais as concessionárias que estarão com a motocicleta para que o público conheça e quem sabe já não saía pilotando o novo modelo. Se você se interessou, é bom saber e já ir reservando um tempo para fazer uma visita.

Por Liana Gifoni

Husqvarna Vitpilen 701

Husqvarna Vitpilen 701


Modelo alia conceito de performance e design radical e arrojado, podendo ser usada no dia a dia, finais de semana, no campo e na estrada.

A Yamaha considera a MT-09 não só uma moto de alta cilindrada de perfil naked, ela traduz um conceito de performance e design radical e arrojado, seu projeto de construção tem participação exclusiva de pilotos com o claro objetivo de trazer uma personalidade singular e única a moto e sua condução.

A Master of Torque da Yamaha, alia muita tecnologia com seu motor de alumínio em 3 cilindros trazendo potência de sobra com os seus 115cv e ronco excitante com o seu escapamento 3 em 1.

O resultado é uma moto de baixo peso, bela e esportiva, com praticidade tanto para a cidade, no trabalho e no dia-a-dia, como nos finais de semana, no campo e estradas.

Atributos e Diferenciais da Yamaha MT-09

Os principais atributos e diferencias da Yamaha MT-09 na sua versão 2018 são:

– Motor de 3 cilindros feito em alumínio, com excelentes 115cv de potência e 8,92kgf de torque fazendo dela uma das mais potentes de seu nicho

– Tecnologia embarcada em todos os quesitos, como nos freios ABS, aliás, item de série dela, controle de comportamento e performance eletrônicos em até 2 opções de variação e acelerador eletrônico.

– Peso leve e centralização da massa, fazendo o conjunto pesar apenas 191kg em ordem de marcha, com Chassi e Balança feitos em matérias nobres.

– Painel totalmente Digital, com múltiplas funções, incluindo computador de bordo, mostrador de troca de marchas, consumo e muitas outras funções.

– Uma característica exclusiva da linha MT é o seu compacto escapamento 3 em 1 que contribui para uma centralização e otimização de massa da moto, isto se traduz em manobras muito mais ágeis por parte do condutor.

Ficha Técnica

Motor de 4 tempos, 3 cilindros, refrigeração líquida, 115cv de potência máxima, torque máximo de 8,92 kgfm e câmbio de 6 velocidades.

Cilindrada de 847 centímetros cúbicos

Partida Elétrica

Transmissão primária feita por engrenagens e secundária por correntes

Combustível principal é Gasolina

Chassi tipo Diamante

Suspensão Dianteira com Garfo Telescópico

Suspensão Traseira com tipo Monocross

Pneu dianteiro medindo 120/70

Pneu traseiro medindo 180/55

Freio dianteiro duplo disco hidráulico com sistema antitravamento eletrônico

Freio traseiro com disco hidráulico com sistema antitravamento eletrônico

Altura de 1135 milímetros, Largura de 815 milímetros e Comprimento de 2075 milímetros

Peso de 191 kg

Tanque de Combustível com capacidade para 14 litros

Altura mínima de 135 milímetros e Altura do assento de 815 milímetros

Entre eixos com distância de 1440 milímetros

Acessórios

O comprador da Yamaha MT-09 pode optar também por uma vasta linha de acessórios, precisamente 28 itens, todos vendidos e detalhados no site da Yamaha, entre os principais destacamos:

Bagageiro Traseiro Prata ou Preto

Bauleto de 39 ou 50 litros

Bolsas Laterais e fixador para elas

Piscas de LED em carbono pretos ou cromados

Encostos para passageiros

Para-brisa estilizado

Suporte para utilização de Smartphone

Tomada para carregadores de 12V

Freio com Manete, Embreagem com Manete

Tanque com Protetor exclusivo

Tampas Laterais para o Radiador em um Kit personalizado

Tomadas de AR em Kit com tramas de malhas

Bolsas Internas de 39 ou 50 litros

Bolsa para Tanque

Corrente com Capa

Bolsa de Tanque com Anel e Protetor

Cores, Preço e Condições

A versão 2018 da Yamaha MT-09 esta disponível em duas cores, as metálicas Magma Red (Vermelha) e a Night Fluo (Cinza Sólida), a Yamaha oferece a moto a partir de R$ 39.770,00, não incluindo frete e seguro, ou financiada através do Consórcio Online em 60 parcelas de R$ 848,45, no Plano Premium com o crédito final de R$ 42.199,00.

Todos os detalhes desta naked com sua ficha técnica, principais características e concessionárias, podem ser conferidos no site da própria Yamaha: https://yamaha-motor.com.br/mt-09.

Por Carlos B.

Yamaha MT-09


Modelo C 400 X é o primeiro scooter de baixa cilindrada da BMW.

Cheio de charme, estilo e perfeito para ser utilizado em áreas urbanas, driblar o trânsito e chegar mais rápido, cada vez mais os scooters vem conquistando espaço e se tornando os queridinhos de muitas pessoas.

Em 2011, a BMW se iniciou na categoria scooter, e os modelos de estreia responsáveis por iniciar a marca nessa categoria foram os modelos BMW C 600 Sport e o BMW C 650 GT, ambos scooters de alta cilindrada. Porém este ano, o Salão de Milão, maior evento de motos do mundo, responsável por mostrar os novos lançamentos e tendências e é claro levar a loucura os apaixonados por motos, apresentou muita novidade nessa edição e a BMW foi responsável por uma dessas novidades, o lançamento de seu primeiro scooter de baixa cilindrada, o modelo C 400 X, inclusive a marca já prometeu que mesmo sendo de baixa cilindrada, vai manter a qualidade premium no produto.

Com lançamento previsto para 2018, o modelo possui design moderno, elegante e os faróis de LED juntamente com uma ergonomia sofisticada traz um ar meio futurista, além de ter uma boa proteção contra o tempo/clima. O painel de instrumentos conta com tela LCD multifuncional com computador de bordo, nível de gasolina, temperatura do refrigerador, lembrete de revisões, relógio de tempo, entre outras funções. Outro ponto bacana no painel, é o fato de que quando o scooter está em ambientes claros, a luz do velocímetro apaga, isso para que o condutor tenha uma melhor visibilidade. Caso prefira, o condutor pode ter também adquirir os itens opcionais, onde ele terá a possibilidade de conectar smarphones, ouvir músicas, gravar rotas e até fazer chamadas caso ele tenha um capacete apropriado para isso, tudo através de uma tela TFT de 6,5 polegadas que vem equipada com esse pacote opcional. Em relação ao espaço para bagagem, a área se estende para baixo em direção a roda traseira, com isso ganhando espaço e resultando em um generoso espaço de armazenamento.

Perfeito para ser utilizado na cidade, o modelo conta com apenas um cilindro que gera potência de 34 cavalos, controle digital do motor, um tanque de combustível de 12,8 litros e uma reserva de 4 litros, 4 válvulas por cilindro, injeção eletrônica de combustível, velocidade de 139km/h e com itens de série como freios ABS, controle de estabilidade devido combinação de um pneu dianteiro de 15 polegadas com uma frente de 14 polegadas, que além da estabilidade, também garante uma ótima agilidade, duplo disco de freio na dianteira e disco simples na traseira e câmbio automático. Tem controle de tração ASC que aumenta a segurança, além de uma trança metálica nos travões.

Existem duas opções de cores: metálico azul e branco ou branco e preto com estofado vermelho. Além dos itens opcionais no painel de instrumentos, existe vários outros acessórios de fábrica que possibilitam a personalização do produto como, por exemplo, um sistema de início sem chave, luzes LED diurnas, troncos diferentes, assento inferior ou tela superior.

Os modelos serão lançados na Europa em 2018 e ainda não teve o preço divulgado.

Veja abaixo a ficha técnica:

Marca: BMW / Modelo: BMW C 400.

Ano: 2018.

Cilindradas: 350 cc.

Distribuição: OHC.

Cilindros: 1.

Válvulas por cilindro: 1.

Alimentação: Injeção eletrônica.

Refrigeração: Líquida.

Compressão: 11.5:1.

Potência: 34 cavalos.

Combustível: Gasolina.

Consumo: 3,5 l / 100 Km

Velocidade: 139 KM/h

Sistema de ignição: Eletrônico.

Bateria: 12 V 9ah.

Travão dianteiro: 2 discos ABS/ diâmetro 265 mm.

Travão traseiro: Disco/ diâmetro 265 mm.

Diâmetro da roda: 14’

Pneu de garganta: 4,25

Material da roda: Alumínio

Modelo do pneu: Diablo scooter

Medida dos pneus: 150/70 ZR14

Por Rosângela Pereira Rodrigues

BMW C 400 X

BMW C 400 X

Fotos: Divulgação


A Honda apresentou a nova geração da CB 1000R que possui 145 cv de potência, nova aparência e design muito mais moderno.

A nova geração da motocicleta montada e produzida pela Honda CB 100R ganhou 145 cavalos de potência, nova aparência e design muito mais moderno. Separamos as características mais marcantes dessa máquina para você conferir. Confira no post!

A CB 1000R é fabricada pela montadora Honda

A montadora Honda está presente há mais de 45 anos presente aqui no Brasil. Esta imensa fábrica atua no planejamento, fabricação e montagem dos melhores carros, produtos de força e é claro, das motos e motocicletas. A Honda possui compromisso ambiental, social e na qualidade de serviços para com seus clientes.

A apresentação da nova geração de motocicletas da Honda

A incrível fabricante e montadora dos carros e motos de maior qualidade no Brasil, apresentou a sua novidade referente à motos no Salão de Duas Rodas que aconteceu na cidade de Milão: A nova geração da CB 1000R. A moto que carrega nome de "Naked" ganhou um visual totalmente diferenciado. A novidade da Honda deixou o visual Jaspion de lado, e adotou um visual totalmente novo, mesclando o design retrô e o moderno. A moto fabricada pela Honda ganhou um nome novo: Neo Sport Café.

O peso e o motor da máquina

A moto Neo Sport Café pesa em média 12 quilos a menos que a versão anterior da CB 1000R. O chassi também teve peso reduzido, foram 2 quilos e 500 gramas retirados. O motor da CB 1000R que acompanha a motocicleta é um modelo de quatro cilindros, e possui linha refrigerada por água. São 145 cavalos que equipam o motor da Neo Sport Café, 20 cv a menos que a geração anterior, são 10.500 rpm e 10,4 kgfm de torque a 8.250 rpm, são 0,5 kgfm acima da geração anterior da CB 1000R.

A Neo Sport Café é além de potente, muito tecnológica

A parte tecnológica da nova motocicleta lançada pela Honda possui acelerador eletrônico com três opções de aceleradores eletrônicos, trazendo três tipos de pilotagem definidos previamente, as quais: Standar, Rain e Sport, além desses três modos, você também tem a opção de ajustar os níveis, que são três, para ter um modo de pilotagem personalizado, controlando a tração da motocicleta. O escape do lançamento da Honda é 4X1, possui uma grande ponteira e fluxo planejado para alcançar mais torque, visando os 5.000 rpm.

O quadro de instrumentação possui muita tecnologia envolvida, seu visor é totalmente digital. O conta-giros da moto possui faixa vermelha a 10.500, isso significa que é o valor de rotação potencial máxima. O conta-giros percorre todo o superior do painel, ele ainda possui o velocímetro, também digital, ao centro, dados de computador de bordo logo ao lado e nível de combustível do outro lado.

Ciclística da motocicleta possibilita pilotar na cidade e na estrada

A ciclística da moto possui distância nos eixos de 1455 mm, ou seja, 10 mm maior que a geração anterior. O assento ficou mais alto que a última geração também, terá 830mm. O braço oscilante da motocicleta foi reduzido para 574,2 mm.

O que deixará o piloto desta bela moto mais confortável para dirigir, possibilitando o motorista passar um tempo maior em cima da moto.

Valores e data de início de vendas

A Honda ainda não decidiu qual o valor de venda do modelo Neo Sport Café, por ter sido um lançamento super recente (7 de novembro de 2017).

Por Carolina B.

Honda CB 1000R


Modelo deverá ter autonomia para 100 ou 200 km.

A Vespa apresentou o seu primeiro modelo elétrico de scooter: a Elletrica, no Salão de Milão 2017, na Itália. No evento, a versão final foi apresentada, depois que apareceu como “conceito” em 2016. Mantendo um visual clássico, o lançamento é considerado a principal revolução na história da marca e a previsão é que a Elletrica chegue às concessionárias da Europa ano que vem.

Porém, no Brasil ainda não tem previsão de vendas, mas a marca atua no País desde 2016 por meio do grupo Piaggio. O preço ainda não está definido, mas a Elletrica na versão de entrada tem autonomia de 100 Kms e na versão Elletrica X de 200 Kms , além de um gerador que auxilia o motor elétrico. Para recarregar a bateria completamente, é necessário 4 horas. A potência máxima da Vespa elétrica é de 5,5 cavalos.

Outra novidade é que a BMW também apresentou o seu primeiro scooter de baixa cilindrada: o C 400 X, que tem um motor de 350cc de um cilindro, que alcança 34 cv. Pesando 204 kg, a scooter tem um quadro tubular com suspensão dianteira de 35 mm e também duplo amortecedor na parte traseira.

Os travões dianteiros do C-400X são duplos discos de 265 mm com pinças, que têm 4 pistons. Outro destaque é para o painel de informações TFT a cores, que conta com 6,5 polegadas. A moto é ideal para andar nas grandes cidades de forma rápida e eficaz.

A Yamaha também lançou na Itália a sua primeira moto de alta cilindrada com três rodas, sendo duas dianteiras. O modelo foi batizado de Niken e será vendido no mercado europeu. O preço ainda não está definido, mas as vendas serão feitas apenas por internet, por enquanto.

A tecnologia de três rodas, já foi empregada em outras scooters e o objetivo é fornecer segurança e estabilidade nas curvas. A Niken conta com motor de 3 cilindros da MT-09 e também 847 cc de cilindrada. Também acompanha freios ABS, controle de tração e um diferencial: quick shilfter, que é um assistente eletrônico, que deixa a troca de marcha mais rápida ao eliminar o uso da embreagem, facilitando o controle por parte do motorista.

Outra marca que apresentou a sua novidade foi a Kawasaki, que lançou o modelo Ninja H2 SX no Salão de Milão, que expande a linha de motos que tem o motor supercharged e pode alcançar até 210 cavalos de potência.

Na Itália, a Ducati apresentou o seu novo modelo de moto: Panigale V4, esportiva e que conta com 214 cavalos de potência. A V4 foi feita para a substituir a Panigale 1299 S, com 205 cavalos. É a primeira vez que a Ducati investe e aposta em um motor de 4 cilindros e será vendido a partir de 22.590 euros.

Com design esportivo, a V4 mantém a tradicional leveza nas suas versões. Por exemplo, na versão de entrada a moto pesa apenas 198 Kg e para S e Speciale 195 Kg. Outro destaque é que a V4 conta com vários sistemas eletrônicos como o de frenagem com derrapagem controlada. Também tem ABS para as curvas, quick – shift para subir e descer as marchas, modos de pilotagem e controle de tração. A V4 tem um desenho novo e tanto o motor quanto o chassi conta com a tecnologia da MotoGP.

No Salão de Milão, a Honda também apresentou a nova geração da CB1000R, que foi totalmente reformulada e aderiu a um visual mais retrô. Entre as principais novidades, estão o acelerador eletrônico e 3 modos de pilotagem. Além disso, a embreagem é assistida e a moto conta com sistema de anti-deslizante, que evita o seu travamento e fornece mais segurança para o piloto. O motor tem 4 cilindros e 998 cc.

O que você achou dos lançamentos? Deixe o seu comentário!

Por Babi


A nova moto da Kawasaki foi apresentada no Salão de Tóquio e traz novidades.

Quem gosta de pilotar motocicletas e tem interesse em acompanhar as notícias sobre o mundo das motos, pode conferir aqui uma boa notícia sobre o próximo lançamento da Kawasaki.

Apresentada como a substituta da Ninja 300, no evento Salão de Tóquio 2017, que teve início no dia 25 de outubro (quarta-feira) e é a oportunidade das marcas anunciarem os novos modelos para 2018, a Kawasaki Ninja 400 é uma moto completamente nova.

Saiba mais informações sobre essa novidade a seguir.

Motor

A nova Ninja tem um motor moderno, sendo muito diferente de sua versão anterior, com novo chassi, que a torna mais leve que o modelo anterior em quase 8 quilos.

O motor é de 399 cilindradas e possui potência de 44,8 cavalos a 10.000 rotações por minuto (RPM). Com o aumento das cilindradas, há uma melhor integração entre o desenho da caixa de ar, o que resulta em mais eficiência e uma admissão ainda melhor. Desse modo, a Ninja 400 alcança quase 45 cavalos de potência, enquanto a Ninja 300 chegava até 39 cavalos.

As dimensões desse equipamento são semelhantes ao do modelo Ninja de 250 cilindradas e ainda possui a vantagem de pesar menos 1 quilo em comparação entre essa versão e a mais atual.

Assim, com motor de dois cilindros paralelos e refrigeração líquida, fabricados para ofertar um melhor desempenho em todas as faixas de vídeo e garantir comportamento confortável, tanto a pilotos novatos, quanto àqueles mais experientes.

Design

Em seu visual, há diversas mudanças em relação à sua antecessora, Ninja 300. As referências são os modelos mais robustos da Casa de Akashi, como por exemplo, a Ninja 650 e a Ninja ZX-10R.

A moto evoluiu para tentar vencer a concorrência de Yamaha YFZ-R3.

O novo painel tem mais aparência de uma realidade esportiva e apresenta conta-giros analógico no centro do painel. Completando o modelo, ao redor dele, há luzes espias e mostrador digital com fundo escuro, com informações em branco, e isso torna a visibilidade ainda melhor, tanto com relação à marcha engatada, quanto da velocidade.

Assim, a Kawasaki Ninja 400 tem mais estabilidade, facilidade nas manobras e rigidez para uma moto esportiva.

Acessórios

A nova motocicleta da Kawasaki tem vidro mais alto, banco com altura de 786 milímetros e largura de menos de 30 milímetros que o banco de seu modelo anterior, o que o torna mais ergonômico e facilita o apoio dos pés no chão.

Além disso, possui também uma proteção de depósito, fita de decoração das jantes, cadeado de capacete, tomada de corrente elétrica, um local para armazenamento de pequenos objetos, proteção para o quadro, tampa para o banco do carona e cadeado em U.

Freios, embreagem e tanque de combustível

O disco de freio na dianteira é de 290 milímetros de diâmetro. Já na parte traseira, tem um disco de 220 milímetros. O freio Anti-lock Braking System (ABS) fica a critério do cliente, podendo inclusive optar por um modelo sem esse mecanismo contra derrapagens.

O sistema de embreagem agora é mais deslizante, o que deixa os engates mais fluidos, leves e favorece mais agilidade à moto, pois há uma pressão muito menor no acionamento da embreagem. Isso permite também mais disposição ao condutor.

O tanque possui capacidade para 14 litros de combustível. Assim, o peso total é de 172 quilos para aqueles que preferirem a moto sem ABS. Já quem preferir com o dispositivo, a motocicleta terá peso de 174 quilos.

Preços

Os valores de venda ainda não foram divulgados. Contudo, assim que os primeiros compradores fizerem aquisição no mercado dos Estados Unidos e dos países da Europa, logo terá uma ideia de quanto a Kawasaki Ninja 400 custará no mercado brasileiro.

Por Melisse V.

Kawasaki Ninja 400


Modelo F 700 GS da BMW ganha versão mais barata e recebe novos retoques.

A motocicleta modelo F700 GS, que foi lançada no mês de outubro de 2016, marcou o começo de uma fase nova da BMW Motorrad aqui no mercado brasileiro, sendo o primeiro modelo, entre dez confirmadas pela montadora bávara, a ser produzida no mercado nacional.

A F700 GS foi lançada para que pudesse ser a versão de entrada da empresa, entretanto, isso não diz que a mesma seja básica. Igual outras big trail, a BMW F 700 GS é uma boa opção para rodar pela estrada, porém, ainda traz uma facilidade para percursos urbanos e veio com uma proposta urbana maior do que a BMW F800 GS com quem divide o mesmo conjunto mecânico.

A F700 GS se destaca em relação à sua “irmã mais velha” pelo fato de ter uma altura menor do solo

Antes mesmo da G310 R ser apresentada de forma oficial pela empresa, a BMW Motorrad decidiu atualizar no Brasil a sua linha. Agora o modelo recém lançado F700 GS já conta com algumas alterações para sua linha 2017. Embora tenha tido mudanças, ainda continua sendo o modelo de entrada da linha trail da BMW. Agora ela conta com novo grafismo no painel de instrumentos e novo escapamento, que ficou um pouco mais esportivo.

Com relação a parte eletrônica, o modelo recebeu um seletor de modos de pilotagem, o qual tem duas configurações (Road e Rain) em uma geração nova do sistema eletrônico de acelerador. O valor sugerido ainda continua o mesmo, sendo R$ 39.950, ainda sem contar da estreia de uma série especial inédita, batizada de Sport, com preço de R$ 35.950.

No mais, a BMW F 700 GS continua sendo a mesma, tendo um propulsor de 798 cc em seus dois cilindros, com uma potência 75 cv acoplado a um câmbio de seis velocidades. Dentre os equipamentos de série pode-se destacar a as lanternas de LED, os freios com ABS, o amortecedor traseiro que possui ajuste de pré carga, além do seu controle de tração e também de seu computador de bordo.

FILIPE R SILVA


Confira aqui os detalhes da nova Kawasaki Ninja 650 2018.

A família Ninja da Kawasaki está entre uma das mais conhecidas no mundo das motocicletas. Na maioria das vezes, mesmo os que não entendem nada sobre as duas rodas, tem a ideia de que trata-se daquelas verdinhas famosas. No mercado brasileiro, a montadora japonesa acaba de alterar dois destes modelos: a Kawasaki Ninja 1000 e Ninja 650.

A segunda foi a que sofreu maiores alterações e faltou apenas um propulsor novo para que pudesse ser considerado um modelo totalmente produzido do zero. A aposta do modelo agora é na categoria “sport-touring”, um setor que não é muito explorado no mercado nacional.

Com aparência de superesportiva, a nova motocicleta não aparenta tanta radicalidade como indica seu visual, mas sim, demonstra um todo, onde o piloto não conduz a mesma de maneira desconfortável, para que o mesmo consiga desfrutar da viagem. O objetivo principal da categoria sport-touring é esse, uma tocada com moto-turismo com um visual esportivo.

Anteriormente, o motor de dois cilindros paralelos tinha uma potência de 72,1 cv em 8.500 giros, já a Kawasaki Ninja 650 linha 2018 é lançada com 68 cv em 6.500 rotações. Embora tenha perdido um pouco daquela explosividade, fator de grande nitidez ao decorrer dos testes na região de Morungaba (SP), a entrega de sua força tornou mais linear e chega também mais cedo nas rotações, fazendo com que a utilização do modelo ficasse mais confortável, ainda mais para perímetros urbanos.

O torque, por outro lado, aumentou um pouco, chegando a 6,7 kgfm, o que antes era de 6,5 kgfm. Ainda que pareça um valor baixo, ele chega mais rapidamente ao alcançar os 6.500 giros, já que anteriormente atingia somente a 7 mil rotações.

Um outro fator que ajuda é a utilização de uma embreagem do tipo assistida, o que dá maciez ao acionamento do manete, além do sistema deslizante, o qual faz com que as roda traseiras travem ao reduzir as marchas. Um recurso bem interessante, ainda mais ao trafegar em piso molhado.

Seu sistema de freios está bem dimensionado utilizando ABS, fazendo uso na dianteira de disco duplo com 300 mm e simples na traseira com 220 mm.

FILIPE R SILVA


Confira aqui todos os detalhes da nova BMW S 1000 R 2017.

Na última segunda-feira, dia 26, a BMW anunciou a nova S 1000 R 2017 com valor de R$ 62.900 e 165 cavalos mais potente.

Seu design foi renovado, com uso de carenagens compactas, dando um ar de agressividade. A frente baixa e traseira elevada, com entrada de ar características e faróis assimétricos, completam o desenho.

O painel de instrumentos agora tem uma inclinação que ajuda visualizar os recursos. A motocicleta é vendida nas cores cinza, vermelho e tricolor. Ela possui ainda um sub-chassi novo na traseira e com escapamento novo em titânio.

A gerente de marketing da marca, Luciana Francisco, afirmou que a nova BMW S 1000R é umas das mais versáteis da empresa, combinando agilidade de uma roadster e o desempenho de superesportiva. As alterações técnicas e visuais do modelo em sua linha 2017 ajudam para que se mantenha no topo do segmento.

Mais potente e ágil

Há alterações no motor de quatro cilindros linear, que passou a gerar uma potência de 165 cavalos em 11 mil giros, representando um de cinco cavalos comparado a versão anterior. O moto, que é derivada da S 1000 RR, tem um torque de 114 Nm com 9.250 giros.

A moto superesportiva ainda conta com o Shift Assist Pro, semelhantes aos modelos XR e RR, que facilita a troca de marchas, não necessitando o uso da embreagem.

A BMW S 1000 R disponibiliza várias maneiras de modos de condução, através do uso de um botão. No modelo 2017, as opções de pilotagem são duas, sendo Dynamic e também a Dynamic Pro. Sem contar que também é possível utilizar o modo de chuva, dando respostas mais leves do acelerador, com os sistemas ASC e ABS com adaptação para piso molhado. Há também o modo “Road”, para utilização em piso seco. Para aqueles que desejam explorar os limites, há o modo “Pro”, o qual é disponibilizado sendo um extra opcional.

A motocicleta vem de série com sistemas de ponta de controle de estabilidade automático (DTC) e de freios ABS de corrida, o que apresentam excelentes valores de desaceleração e aceleração, os quais são desativados e ativos de acordo com o desejo do piloto.

FILIPE R SILVA


Confira aqui as principais novidades e o preço da Yamaha Factor 150 2018.

A Yamaha informou que já se encontra disponível para a Neo 125 e para a Fazer 150, o tão esperado sistema de freios unificados da marca. Agora, a informação é de que ele passará a integrar a linha da Factor 150 de 2018. Mas, vale ressaltar que o sistema está sendo oferecido apenas na versão ED.

O chamado sistema UBS (Unified Brake System) basicamente promove a unificação da frenagem dianteira com a frenagem traseira, usando apenas um único movimento do condutor uma vez que o sistema é acionado por meio do pedal do freio traseiro. Assim, distribui a força de frenagem entre o freio dianteiro a disco e o freio traseiro a tambor. Desta forma, uma frenagem mais eficiente é possível.

É importante observar que na situação da frenagem o mais indicado é que os dois freios sejam usados pelo piloto em conjunto. Mas o que acontece é que grande parte desses pilotos, por hábito ou por desinformação, acabam utilizando mais o freio traseiro. Com isso acabam não aproveitando o melhor da eficiência que pode ser oferecida quando o uso do disco dianteiro é o indicado.

Senso assim, o sistema UBS, além de aumentar a capacidade em termos de frenagem, também possibilita que haja que uma melhor distribuição de peso da moto no momento da frenagem, fazendo com que ela acabe ficando mais equilibrada nessas situações.

Ainda sobre a Factor 150 UBS, temos mais uma novidade. Bom, além dos gráficos também irá aparecer a cor Vermelho Pepper. Mais uma adição que complementa a linha junto com a Sports White e a Preto Eclipse.

A versão ED também irá trazer o selo ‘UBS’ como indicador de que o sistema está presente. Ele ficará bem no para-lama dianteiro.

A Factor 2018 chega ao mercado com o motor Blueflex com 150 cc e 12,2 cv.

Com relação aos preços, a informação é de que a versão Factor E, que conta com rodas raiadas, tambor, freio dianteiro e partida elétrica, sairá por R$ 7.990. No caso da Factor ED, que vem com freio a disco na dianteira, rodas de liga leve e o sistema UBS, os preços ficam em R$ 8.890.

Ambas contam com garantia de 3 anos.

Por Denisson Soares


Moto começará a ser fabricada no Brasil a partir deste mês.

O novo modelo BMW G 310R começará a ser montado no País no dia 18 de maio. A moto será a primeira de baixa cilindrada no Brasil e terá um motor monocilíndrico de 313 cc, que conta com refrigeração líquida, duplo comando de válvulas e também injeção eletrônica. Outro destaque é que segundo a BMW, pode conseguir atingir até 34,4 cavalos de potência e 2,85 Kgfm de torque.

O propulsor tem o cilindro inclinado para trás e o cabeçote rotacionado a 180 graus, o que permite que a moto fique mais rápida e também a suspensão dianteira é do tipo invertida e nos dois eixos os freios são a disco.

Além disso, as carenagens laterais estão localizadas ao lado do tanque e os freios ABS pertencem a série G310R. Outra moto produzida pela marca, que pertence a mesma família, a G310 GS, versão aventureira, tem o mesmo tipo de motor, sendo ideal para usar tanto no asfaltado como na terra, para os amantes de aventura.

O motor será o mesmo modelo da G 310R e terá freios ABS de série, além de uma ergonomia muito confortável, em que o piloto poderá ficar com os braços e pernas relaxados. As rodas são de liga leve, tendo 19 polegadas na dianteira e 17 na traseira.

A BMW também está investindo forte na sua fábrica em Manaus: R$ 4 milhões de euros, que equivale a cerca de R$ 13,9 milhões. A base da produção da moto é na Índia e de lá as peças são encaminhadas para o Brasil.

As motos da linha R Nine T ganharam expansão: Racer (que é uma versão inspirada nos anos 70) e a Pure (que é mais simples). O motor é um boxer que conta com 1.170 cc da linha GS, refrigeração de ar, além de 110 cavalos de potência. O valor da versão Racer pode chegar a 13.300 euros, enquanto o da Pure custa, em média, 12.300 euros.

A marca também deixou o modelo da linha S 1000 XR mais potente, pois o motor rende 165 cavalos e anteriormente alcançava 160 cavalos.

O que você achou das novidades nos modelos de moto da marca BMW? Deixe a sua opinião!

Por Babi


Linha 2017 recebe pequenas mudanças e é vendida por R$ 64.900.

A montadora BMW no Brasil apresentou a linha 2017 da moto R 1200 GS, porém, não conta com grandes mudanças, entretanto, o preço foi alterado e agora varia entre R$ 64.900 e R$ 75.900. Para que ganhasse um pouco mais de tempo, o modelo recebeu mudanças em seu visual, contando agora com novos defletores aerodinâmicos e para-lama dianteiro.

Confira abaixo os preços e as versões da R 1200 GS linha 2017:

Versão Sport+: R$ 64.900

Equipamentos de série: ajuste dos manetes de embreagem e de freio; acelerador eletrônico; ajuste de pré-carga do amortecedor da roda traseira; assento em dois níveis; amortecimento variável auxiliar; freios ABS; computador de bordo; cavalete central; ASC – controle automático de estabilidade; eixo cardã; embreagem anti-deslizante; guidão com ajuste de posição; indicador de direção branco cristal; imobilizador eletrônico; diversos modos de pilotagem, para-brisa com ajuste de altura; lanterna traseira em LED; protetor de cárter; tomada de 12 Volts; rodas de liga leve, suspensões telelever e paralever e suporte de top case; luz de posição diurna; farol em LED; manoplas aquecidas; protetor de escapamento cromado; RDC – controle de pressão dos pneus; protetores de mãos; piloto automático; manual do proprietário em língua portuguesa e luzes de direção em LED.

Versão Premium+: R$ 74.900 (pacote Rallye ou Exclusive adiciona-se mais R$ 1.000 sobre este valor)

Equipamentos de série: esta versão soma os equipamentos da configuração Sport+ e ainda inclui DTC – controle de tração dinâmico; sistema de partida sem chave (keyless); ESA – ajuste eletrônico de suspensão; assistente de partida em subida; assistente de troca de marchas PRO; computador de bordo PRO; modos de pilotagem PRO; ABS PRO; preparação para GPS; ASC – controle automático de estabilidade; rodas raiadas, suporte para malas laterais e motor com acabamento na cor, entretanto, este último item está disponível somente na versão Rallye.

Novos grafismos também foram recebidos pelo painel de instrumentos. Com relação ao propulsor, a R 1200 GS continua com o mesmo, o tradicional com 1.170 cc e 2 cilindros, que gera uma potência de até 125 cavalos a 7.750 giros.

FILIPE R SILVA


Modelos chegam ao país custando a partir de R$ 18.900.

A montadora indiana Royal Enfield, na última quinta-feira, dia 20, apresentou três motocicletas que serão comercializadas no Brasil, iniciando as atividades da marca no país. Focando principalmente em produtos que possuem média cilindrada e visual clássico, as motos serão montadas e importadas da Índia. As primeiras versões serão: Classic 500, Continental GT e Bullet 500.

Em 2015, após encerrar uma parceria com uma empresa importadora local, a marca de motos que conta com uma produção de 60 mil motos a cada mês inicia uma nova etapa, agora com operação própria.

Confira abaixo os valores dos modelos e de suas configurações:

– Bullet – R$ 18.900

Considerada a moto mais antiga que está em produção, tendo início no ano de 1931. Ela possui um cilindro com 499 cilindradas, gera 27,2 cv e possui injeção eletrônica. Sua roda dianteira possui 19” e na traseira conta com uma de 18 polegadas. Seu tanque possui 13,5 litros e um peso total de 194 kg.

  • Injeção eletrônica
  • Um cilindro com 499 cilindradas
  • Refrigerado a ar
  • Torque de 4,21 kgfm
  • Potência de 27,2 cavalos
  • Partida no pedal e elétrica
  • Tanque de 13,5 litros
  • 194 kg
  • 5 marchas

– Modelo Classic

– Versão Regular – R$ 19.900

– Versão Regular com ABS – R$ 20.900

– Squadron Blue, Battle Green e Desert Storm – R$ 21.000

– Squadron Blue, Battle Green e Desert Storm com ABS – R$ 22.000

Possui um visual clássico como o nome sugere e só tem banco para o piloto. O propulsor é o mesmo presente na Bullet, com as mesmas rodas de 18 e 19 polegadas. Além disso, o peso também é o mesmo, com tanque de 13,5 litros.

  • Injeção eletrônica
  • Um cilindro com 499 cilindradas
  • Refrigerado a ar
  • Torque de 4,21 kgfm
  • Potência de 27,2 cavalos
  • Partida no pedal e elétrica
  • Tanque de 13,5 litros
  • 194 kg
  • 5 marchas

– Continental:

– Versão GT – R$ 23.000

– Versão GT com ABS – R$ 24.500

  • Injeção eletrônica
  • Um cilindro com 535 cilindradas
  • Refrigerado a ar
  • Torque de 4,5 kgfm
  • Potência de 29,1cavalos
  • Partida no pedal e elétrica
  • Tanque de 13,5 litros
  • 184 kg
  • 5 marchas

FILIPE R SILVA


Modelo chega às concessionárias custando cerca de R$ 33 mil.

A Yamaha anunciou no fim de março a linha de motos naked XJ6N 2018, com algumas modificações. Um dos destaques do modelo com média cilindrada são as novas cores disponíveis: Racing Blue (azul metálico) e Matt Grey (cinza fosco metálico). O preço sugerido para a nova versão é de R$ 33.900.

O que a moto oferece

De modo geral, a fabricante manteve alguns pontos importantes da Yamaha XJ6N 2017, como o seu tradicional “ronco”, motor de 600cm3 de 4 cilindros, de 77,5 CV de potência, cilindro 4-2-1 e 6,09 kgf.m de torque. O design também continua com certa robustez e linhas musculosas.

Segundo comunicado oficial da Yamaha, com essas características a moto proporcionará melhor ergonomia e servirá para diversos tipos de objetivos. Dessa forma, trabalhará bem em baixa e média rotação, sendo um ótimo meio de transporte para diversão, em trajetos urbanos ou estradas.

De série, a XJ6N 2018 trará freio a disco, controle de frenagens, ABS em ambas as rodas, além de suspensão traseira Monocross com sete níveis de regulagem. Outra mudança na linha é que a carenagem do farol terá a mesma cor da motocicleta, enquanto o banco será bipartido e contará com ajuste de altura. Provavelmente essas características poderão atrair diferentes tipos de clientes.

Apesar de ser uma boa moto, muitos motociclistas interessados nesse tipo de modelo poderão optar por outras marcas ou linhas de mesmo padrão, pois a fabricante não tem inovado tanto no modelo Yamaha XJ6N. A prova disso é que alguns pontos básicos, como o motor, continuam praticamente os mesmos. Talvez essa ideia não venha agradar tanto seu público-alvo. Mas isso só estará certo quando a XJ6N 2018 passar de fato a ser vendida.

Ficha técnica básica da Yamaha XJ6N 2018

· Dimensões: 2120mm (comprimento) x 770mm (largura) x 1085mm (altura).

· Peso: 210kg.

· Motor: 600cc.

· Torque máximo: 6,09kgf.m/8500rpm.

· Potência máxima: 77,5CV.

· Partida: elétrica.

· Combustível: gasolina.

· Capacidade do tanque: 17 litros (3,2 litros de reserva)

· Câmbio: 6 velocidades.

· Embreagem: multi-disco.

· Freios: disco hidráulico com sistema anti-bloqueio.

· Pneu dianteiro: 120/70 Metzeler.

· Pneu traseiro: 160/60 Metzeler.

· Chassi: diamante.

A Yamaha XJ6 no Brasil

A linha XJ6 da Yamaha já está no Brasil desde 2010. O conceito em volta da marca era de apresentar uma naked média com equilíbrio em todo o seu conjunto, ou seja, sem primar tanto por uma alta potência.


Modelo chega às concessionárias custando pouco mais de R$ 12 mil.

A montadora Honda anunciou o lançamento da nova scooter SH 150i, uma motocicleta que irá tornar a lista de duas rodas da empresa ainda mais completa, que possui uma porcentagem bem considerável no mercado, sendo de 80% no atual mercado, onde 65% fica por conta das scooters). O valor sugerido para o novo lançamento será de R$ 12.450.

Assim como a SH 300i, que foi lançada a cerca de um ano atrás, o modelo novo virá cheio de novas tecnologias, com motor monocilíndrico, Over Head Camshaft – OHC, arrefecido a líquido, quatro-tempos, com cilindrada de 149,3 cm³, torque máximo de 1,4 kgfm a 6.250 rotações, potência máxima de 14,7 cavalos em 7.750 giros, acoplado a um câmbio de transmissão continuamente variável – CVT.

O tanque de combustível da motocicleta possui 7,5 litros para ser abastecido com gasolina e possui um consumo de 30 km por litro. Da mesma forma que sua irmã mais velha, também traz o sistema Idling Stop, que realiza o desligamento de seu motor ao parar por mais de três segundos.

Além disso, conta ainda com Smart Key, fixação de bauletas e molas, tomada de 12 volts, porta-capacete (cerca de 25 litros, um capacete 60), assento ergonômico em dois níveis, porta-objetos, assoalho plano, painel de instrumentos com mostradores analógicos de seu computador de bordo, rodas em liga leve de 16” e escapamento em aço inoxidável.

Seu desenho é ousado e transmite elegância e sofisticação, comum na família SH. Os faróis da frente são de led. Sobre a segurança, possui sistema de freios ABS de 240 milímetros. As cores comercializadas são azul escuro personalizado, prata fosco e azul claro perolizado, que é a novidade do lançamento.

As dimensões são de 2,03 metros para o comprimento, largura de 0,74 m, 1,34 m de entreeixos e 1,16 m de altura. O assento tem uma altura de 799 milímetros e tem peso total de 129 kg. Ainda conta com garantia por três anos. As entregas começarão a ser realizadas no mês que vem.

Este modelo está posicionado, na linha japonesa, entre modelos conhecidos: SH 300i, PCX 150 e PCX 150 DLX.

FILIPE R SILVA


Modelo mais barato da Yamaha pareceter caído no gosto dos brasileiros e suas vendas só aumentam.

A nova linha de motocicletas, que foi lançada em setembro de 2016, demonstrou com seus indicativos que o mercado nacional estava carente de uma opção mais acessível de scooter. O modelo tem sido muito procurado e traz um valor muito viável aos consumidores. A scooter Neo é a scooter mais em conta atualmente no mercado, já que a Honda não produz mais a Lead 110. O valor da Neo, a mais barata da categoria, gira em torno de R$ 7.990,00 e as vendas estão indo de vento em polpa.

Segunda dados liberados pela Fenebrave, o novo modelo da Neo fez o fechamento do mês de fevereiro de 2017 registrando 767 emplacamentos. Esse número supera inclusive a Nma 760, com 733 emplacamentos registrados no período. Já no mês vigente – em março – a Neo está com registro de 871 vendas, muito próxima da NMax, que registra 881 unidades vendidas até agora.

Enquanto isso, a líder do segmento de scooters, a Honda de modelo PCX 150, continua intacta: são 2009 unidades vendidas em fevereiro e 1906 emplacamentos registrados até o último dia 27 (março). Contudo, com a soma de vendas das NMax e Neo, a Yamaha fica bem próxima da Honda.

A versão da Yamaha vem demonstrando a total reformulação em relação a Neo 115, o modelo anterior. A Neo 125 apresenta destaque pelo motor, que possui injeção eletrônica e rende 9,8 cavalos de potência e 0.98 kgfm de torque. Em relação ao design, também ocorreram mudanças, tal como a traseira, que traz faróis de LED. Falando sobre a mecânica da motocicleta, os freios UBS simbolizam uma novidade e funcionam de forma combinada: o acionamento do dianteiro acontece de forma parcial quando o traseiro é ativado, isso ajuda no equilíbrio quando pensamos nas frenagens.

Por enquanto, analisa-se que a nova Yamaha Neo 125 tem muitas chances de continuar crescendo no volume de vendas, devido às condições evidentes do custo benefício oferecidas.

Carolina B.


Modelo deverá custar mais de US$ 8 mil.

A empresa norte-americana Harley Davidson foi nomeada em 1903 no estado de Wisconsin, na cidade de Milwaukee, por dois jovens, o William S. Harley e o Arthur Davidson. O objetivo, no início, era colocar um motor numa bicicleta, tanto para um deslocamento mais rápido, quanto para competições. Exemplares desta "máquina" foram utilizadas na primeira e na segunda guerra mundial.

Ainda não temos uma data específica para o lançamento aqui no Brasil, mas nos próximos meses, o mercado norte-americano receberá a Harley-Davidson Street Rod 750 com um valor a partir de US$ 8.699, tendo diversos opcionais para agregar.

O motor se destaca em relação a versão padrão (Street 750), com cerca de 8% a mais no torque e aproximadamente 18% na sua potência. Esta motorização, que é resfriada a ar, é chamada de High Output Revolution X, com "V-Twin e 749 CM³. Com 4.000 RPM, um torque de 6,5 kgfm e 68,4 CV de potência a 8.750 RPM. O nível de giros subiu de 8 mil para 9.000 RPM.

Esta moto adotou um novo sistema de suspensão (possuem reservatório de expansão a gás com curso de 117mm e ajuste de "pré-carga") e um novo pacote de freio (frontal duplo de 300 mm de diâmetro ventilado), com ABS de série.

A Street Rod 750 vem com um novo chassi e rodas em liga leve de 17 polegadas na traseira (pneu 120/70) e na dianteira (pneu 160/60), mostrando um visual custom bem mais agressivo. A tela de velocidade é digital e as luzes traseiras são em LED. O seu peso foi mencionado em 238 kgs e o tanque de combustível leva 13,2 litros.

As mudanças não param por ai, o ângulo de inclinação do garfo será de 27°, onde era de 32° na Street 750, que garante uma maior agilidade e um conforto maior do piloto.

A "cara" deste modelo ficou marcante nas fotos, onde as molas dos dois amortecedores traseiros, pintadas em vermelho, se destacam com as cores preto fosco, cinza bem escuro e poucas peças cromadas. O novo modelo traz o guidão reto e com os espelhos retrovisores instalados nas pontas.

Para os aventureiros brasileiros, a espera pode compensar o prazer de pilotar essa máquina nas ruas.

Por: Fernando Dias


Modelo chega às concessionárias pelo preço de 41 mil.

Chega ao mercado brasileiro o modelo mais recente da Triumph, o Street Cup. A motocicleta é produzida a partir da Street Twin no estilo street racer, apostando em um uso urbano e esportivo. A recém chegada Street Cup entrará nas concessionárias da montadora no Brasi custando R$ 41.990.

Com um propulsor de 900 cilindradas a nova street cup comporta-se bem em altas e baixas rotações. O estilo é cafe racer, com guidão baixo, entretanto, nas viagens mais longas não chega a cansar o piloto.

O motor de quase mil cilindradas da moto Street Cup possui em sua ignição um intervalo de 270°, que fornece uma potência distribuída para a caixa de marcha, que possui cinco velocidades.

O propulsor tem uma regulagem especial para que proporcione um acréscimo em seu torque máximo de 18% e na potência de até 22% no intervalo médio, se comparado com o propulsor do modelo anterior, com 8,0 kgfm de torque máximo em 3.200 giros e potência de 55 cavalos em 5.900 rotações.

A suspensão ainda é a mesma com 120 mm, entretanto, houve um reforço na mola para esta edição. Além dessa melhoria, a parte mecânica está mais robusta na nova Street Cup, o que proporciona um tempo mais estendido de manutenção de 16 mil km, diminuindo os custos de manutenção de forma significativa.

Da mesma forma que outros modelos da linha Bonneville, a Street Cup possui uma vasta gama de tecnologia, contando com controle de tração comutável, freios ABS, acelerador eletrônico ride by wire e também embreagem com controle de torque.

Em seu painel de instrumentos há um menu digital e computador de bordo, que contem informações referentes a posição de marcha, configuração de passeio a dois, hodômetro, indicador de manutenção, quantidade de combustível no tanque, autonomia residual, consumo atual e médio de combustível, ajustes do controle de tração e relógio.

Para que o consumidor possa dar um toque mais pessoal em sua motocicleta esportiva Street Cup, a montadora oferta diversos acessórios de estilo, sendo mais de 120, além de acessórios de personalidade, desempenho e conforto, como por exemplo, a suspensão da parte traseira que é ajustável, manoplas aquecidas e silenciadores Vance & Hines.

A moto é vendida em duas cores: Silver Ice/Jet Black e Silver Ice/ Racing Yellow.

FILIPE R SILVA


Modelo 2017 da BMW F 800 GS Adventure será comercializada com pequenas alterações a um valor de R$ 50.900.

A fabricante alemã BMW anunciou recentemente que está para chegar o novo modelo F 800 GS Adventure, na linha 2017, às concessionárias autorizadas da marca no mercado brasileiro. O modelo de lançamento não vem com muitas alterações, somente algumas novidades com relação ao seu visual e mudanças técnicas, além de seu preço, que agora se inicia em R$ 50.900.

O modelo F 800 GS Adventure agora tem um novo escapamento, fabricado em aço inox e suas carenagens laterais que agora também receberam alguns grafismos novos. Na parte extrema do garfo dianteiro foram instalados alguns refletores no formato retangular e na cor âmbar.

O que agora possui um novo desenho também é a tampa do compartimento onde está situada a bateria, que agora conta com alguns vincos salientes na parte lateral. Já por outro lado, o painel de instrumentos agora vem com um novo layout, além de grafismos em seus mostradores digitais e analógicos.

Agora conta com novos modos para conduzir

Com relação a parte técnica, a motocicleta agora possui, já de série, dois modos de condução, conhecidos como Road e Rain. Esses modos agem de forma conjunta com o freio ABS e o ASC, que é controle automático de estabilidade. É válido ressaltar também que ao conjunto foi adicionado o acelerador eletrônico.

O motor da linha 2017 ainda continua com os mesmos dois cilindros com 798 cilindradas. É refrigerado de maneira líquida e gera uma potência máxima de 85 cavalos atingindo 7.500 giros e possui 83 Nm de torque máximo, ao ultrapassar a marca de 5.750 giros, e está acoplado com um câmbio de seis velocidades. O tanque de combustível deste modelo conta com uma capacidade máxima de 24 litros.

O modelo F 800 GS Adventure da marca alemã ainda traz, na parte traseira, um amortecedor que possui ajustes de pré-carga e retorno. Conta também com regulagem para os manetes de freio e também de embreagem, além de uma lanterna traseira em LED, suportes para malas laterais e top case. Ainda possui também uma tomada de 12V.

FILIPE R SILVA


Confira aqui o preço e as novidades presentes na Honda XRE 300 Adventure 2017.

A Honda XRE 300 Adventure acaba de ser anunciada para esse ano, mas para muita gente o modelo não é nenhuma novidade, pois foi mostrado no "Salão Duas Rodas", há alguns anos. Essa é uma versão exclusiva e quem desenvolveu seu design foi a equipe de profissionais da Honda aqui no Brasil, levando em consideração o gosto do consumidor mais jovem, que adora um visual mais voltado para o estilo de aventura. Com isso, a XRE 300 Adventure ganhou traços próprios para o modelo.

O grafismo nas cores preto fosco, amarelo e prata metálico já deixam o modelo com um visual que chama a atenção por onde passa. No tanque de combustível é onde essas 3 cores mais se destacam e elas foram muito bem trabalhadas, nota-se que as letras em amarelo, sob o preto, tem um leve destaque, acompanhado do prata metálico na parte de cima, que dá o toque final.

Outros detalhes que não podem passar desapercebidos são as carenagens laterais e a rabeta traseira, que complementa o design aventureiro, mas as faixas nas rodas seguem o padrão e quando em movimento geram uma mistura de cores que dão a XRE 300 um novo detalhe ao visual.

Mas a Honda XRE 300 Adventura 2017 não se destaca apenas pela beleza, mas também pela potência, pois conta com motor monocilíndrico 4 tempos, arrefecimento a ar, injeção eletrônica PGM-FI, tem duplo comando no cabeçote de 291,6 cm³ e oferece 25,4 cv quando abastecida com gasolina ou 25,6 cv no caso de ser etanol.

Outro diferencial está no painel, estilo Blackout, com informações sobre a velocidade e também indica o consumo de combustível, além de hodômetro total e parcial, mais lampejador do farol. A capacidade do tanque é de 13,8 litros de combustível, sendo que a reserva é de 3,9 litros.

No mês de março a XRE 300 Adventure 2017 já está esperando por você nas concessionárias Honda, sendo que o modelo de entrada custa R$ 16.890,00. Quem desejar pegar a STD convencional é só pagar mais R$ 700,00.

A garantia é de 3 anos sem limite de quilometragem e nas 7 primeiras revisões o óleo sairá de graça.

Por Russel


Novas motos da Kawasaki já estão com a pré-venda liberada.

A fabricante de motocicletas Kawasaki iniciou a pré-venda no Brasil da linha Ninja H2, isto é, já está batendo na porta a chance para as pessoas que querem comprar o que existe de melhor qualidade no setor esportivo da marca japonesa em três opções diferentes: a H2 Carbon, a H2 e também a gigantesca H2R, as quais contam com os preços de uma simples bagatela, sendo R$ 164 mil, R$ 156 mil e R$ 357 mil.

Para que estes preços possam ser justificados, a Kawasaki H2 está alguns passos a frente do que realmente se refere a motocicletas do segmento esportivas. Ela faz uso de um propulsor de 4 cilindros, disponibilizando 998 cilindradas e está equipado com um compressor mecânico, o que resulta em uma potência de 205 cavalos e um torque de 13,6 kgfm, permitindo que a mesma leve uma carga de 238 kg, além do piloto. A Kawasaki H2 Carbon utiliza o mesmo propulsor, porém, é uma edição numerada e limitada a 120 unidades, utilizando uma carenagem frontal fabricada com fibra de carbono, da mesma forma que na H2R.

Exatamente, a H2R, que foi produzida de forma exclusiva para as pistas, conta com um sistema de escape menos restritivo e consegue atingir uma potência de 310 cavalos e um torque de 16,8 kgfm, podendo transportar uma carga de 216 kg além do piloto. Para facilitar a vida e a pilotagem do corajoso consumidor, a moto conta com vários sistemas eletrônicos que podem ser configurados de acordo com a habilidade e o desejo de quem estiver atrás do guidão dessa monstruosa moto.

Já ficou interessado para ter uma delas? No momento já se pode fazer uma reserva por meio da página eletrônica que foi criada de forma exclusiva para a Kawasaki H2. Caso não deseje fazer por este meio, a revendedora mais próxima de sua residência pode fazer parte deste processo. A fabricante pede um prazo de seis meses para que a mesma possa ser entregue, que é o período de importação do Japão e também de fabricação.

FILIPE R SILVA


Modelo deverá chegar ao país depois da Multistrada 950.

Em 2018 estreará no Brasil a novíssima Monster 797, que vem logo depois da Multistrada 950, que deve chegar ainda em 2017.

Embora estivesse programada também a chegada da Scrambler Sixty2 em território brasileiro, sua vinda foi cancelada. Segundo a fabricante, o motivo da desistência de trazer esse modelo se deve ao fato de seu preço ser muito compatível com o preço da Scrambler 800, já vendida no Brasil, não compensando assim a sua venda.

De acordo com a diretoria da Ducati, as motos Scrambler 800 e Scrambler Sixty 2 possuem características muito parecidas, com o diferencial apenas no motor, por isso seus preços são muito próximos, por isso a sua oferta no Brasil chega a ser inviável, pois aqui não existe a questão dos incentivos fiscais para motos de baixa cilindrada, diferentemente do que ocorre em outros países.

A BMW tem apostado para o Brasil, nos modelos de cilindradas mais baixas, mas possui a vantagem de ter a sua própria fabricação. Por sua vez, o fato da produção da Sixty ser em Bolonha, ainda faz com que seu preço não possa cair.

Segundo o diretor da fábrica italiana, a única forma de oferecer preços mais acessíveis em suas motos de cilindrada menor seria a partir de uma parceria com outras fabricantes que atuam no Brasil. Mas apesar de já ter existido algum comentário sobre essa possibilidade, no momento está descartada e por isso não podem entrar na concorrência deste segmento de motocicletas.

Em relação a uma fábrica própria no Brasil, mais precisamente em Manaus, esta possibilidade também está descartada. Pois a fabricante italiana monta seus modelos em um espaço que pertence a Dafra motos em Manaus.

Agora, no que refere a nova Monster 797, que já é garantia de chegar ao Brasil, ela é uma sequência da já fora de linha 796.

Quando o modelo 796 saiu de linha, foi substituída pela Monster 821, que foi produzida com um motor que possuía refrigeração líquida.

A Nova Monster 797 chega com o motor a ar, o que a deixa mais acessível. A previsão de preço, embora ainda não exista números exatos, estima-se que será maior que o preço da Scrambler.

Sirlene Montes


Confira aqui o preço e a avaliação da nova Honda CRF1000L Africa Twin 2017.

A Honda é com certeza uma marca que é líder em motocicletas. E agora a grande novidade é a nova Honda CRF-1000L Africa Twin, que se caracteriza por ser uma máquina que pode ir a todo e qualquer lugar. Ela deve estrear aqui no Brasil no segundo semestre de 2017 e traz o nome de África Twin de um modelo que já rodou por aqui, mas que a alguns anos foi retirada do mercado, mas que deixou muitos admiradores.

Porém, o mais importante e mais marcante dessa motocicleta é a retomada do perfil “go anywhere”, que representa esse espírito de que com ela pode-se ir a qualquer lugar, típico das motos mais antigas que atuavam em ralis africanos com muita eficiência.

A nova Honda foi desenvolvida para rodar no asfalto, na estrada de terra, nas montanhas desérticas, tudo isso usando pneus mistos. Por sua vez, com o uso dos pneus de trilha, ela desempenha muito bem nas “ramblas” desérticas que são compostas por pisos do tipo aluvião, além de ser excelente para raízes, lamas, ribeiras, pedras e areia.

Quem realizou todas essas avaliações, rodando por quilômetros, foi o multicampeão Jean Azevedo, profissional em Rali.

A Honda CRF foi planejada com foco na versatilidade e na simplicidade de uso. Seus freios são ABS, oferecendo ao piloto a opção de desligamento da parte traseira. Além disso, ela também possui um controle de tração que se realiza em três níveis e que podem ser desativados também. Dessa forma, assim se configura a sua parte elétrica.

Uma outra característica interessante da África Twin é o fato de seu banco oferecer a opção de duas posições de altura. Sendo a posição original de 870 mm ou a outra opção de 870mm, um pouco mais baixa, e que não oferece nenhuma dificuldade para ajustar. Mas o melhor é que as duas posições são muito confortáveis, o que é muito importante, principalmente pela finalidade de seu uso.

Enfim, a Honda CRF 1000-L África Twin não deixa nada a desejar às suas concorrentes e que apesar de não ter uma extensa lista técnica, é extremamente eficiente, o que foi atestado pelo Jean Azevedo.

Sirlene Montes


Confira aqui as principais novidades e o preço da Harley-Davidson Roadster 2017 no Brasil.

A Harley-Davidson apresentou uma novidade para a sua linha 2017 no Brasil: a Roadster, que faz parte da família Sportster. Entre os principais detalhes destacam-se a roda dianteira, que tem 19 polegadas, e a traseira, de 18 polegadas. Ambas têm alumínio fundido com 05 raios, além de tanque de 12,5 litros.

Além disso, a nova moto conta com freios ABS de série, duplo disco na dianteira e um na traseira. O motor é o V-Twin Evolution, que é refrigerado a ar e tem 1.202 cc. Segundo a marca, o motor conta com capacidade para fazer 9,6 kgfm de torque. A Roadster pode ser encontrada nas versões vermelha, cinza, preta e preta, que tem o tom fosco com faixas vermelhas. O preço é de R$ 47.500,00.

A marca também apresentou novidades em relação à linha Touring 2017, que conta com o motor Milwaukee-eight, além de um excelente sistema de suspensão, oferecendo conforto e segurança ao piloto. Um dos modelos é o Road King Classic, que apresenta pneus de faixa branca, rodas raiadas, além de inserção de alforge de couro. O design também chama atenção, sobretudo pelo estilo despojado do modelo. O controle da moto é feito por meio da nova suspensão dianteira e amortecedores traseiros pressurizados, que contam com ajuste de pré-carga.

Outro modelo da categoria é o Street Glide Special, que tem um visual despojado e estilo hot rod. Um dos diferenciais é a presença do novo motor Milwaukee – Eight 107, que tem os freios denominados Reflex Linked Brembo. O modelo especial ainda acompanha sistema de informação e entretenimento, que conta com GPS integrado, além de tela touchscreen de 6,5 polegadas. Entre outros diferenciais, a moto mantém o ABS padrão, carenagem interna que pode ser encontrada na cor preta brilhante e externa com tons combinados. Não é à toa que este modelo oferece conforto, informação, entretenimento e muita tecnologia.

A Ultra Limited chama a atenção pelo seu estilo único, sobretudo por acompanhar o motor Twin – Cooled e o farol dianteiro Daymaker de LED. Entre outros detalhes, destacam-se o controle de velocidade eletrônico cruise control, sistema de touchscreen de informação e entretenimento, além do BOOM Box 6.5 GT Premium, em que o piloto e o garupa podem escolher a música.

O que achou das novidades da Harley – Davidson?

Por Babi


Modelo possui 950 cavalos de potência e conta com controle de tração e freios ABS.

A Ducati apresentou na Europa seu mais novo lançamento, a inédita Multistrada 950, deixando ainda maior a sua linha de aventureiras.

Com um visual mais agressivo, inspirado na moto de 1200 cc, ela apresenta controle de tração, modos de potência e freios ABS.

De acordo com a Ducati, o conceito de criação da 950 visou oferecer uma moto mais “versátil e acessível”, porém, mantendo as características da 1200.

O lançamento foi um dos destaques da marca no Salão de Milão 2016 (EICMA). A Ducati Multistrada 950 ainda não tem previsão para ter suas vendas iniciadas no Brasil.

Apesar de ser de menor cilindrada, a Multistrada 950 possui um motor de alta performance, onde se encontra 2 cilindros e 937 cc.

O motor da 950 é originário da linha Hypermotard e chega a render 113 cavalos a 9.000 rpm e 9,8 Kgfm a 7.750 rpm, que trabalha em sintonia com um câmbio de 6 marchas.

A Multistrada 950 apresenta o visual arrojado, uma espécie de “Crossover”, e apresenta características voltadas para o asfalto, contudo, com ela também é possível enfrentar um off-road mais leve.

A moto vem com rodas de liga-leve. A roda dianteira vem com 19 polegadas e a traseira com 17 polegadas.

Ao contrário da 1.200 cc, que possui a suspensão tipo monobraço na traseira, a Multistrada 950 foi simplificada e vem equipada com uma de duplobraço.

Saiba aqui quais foram as 10 motos que mais se destacaram no Salão de Milão 2016:

A principal aposta das montadoras para o Salão de Milão 2016 foi no segmento das “pequenas aventureiras. Este é um dos segmentos que mais crescem no Brasil, com modelos como XRE 300 e XT 250 Ténéré. Agora surgiram novidades no mercado como os modelos BMW G 310 GS, Suzuki V-Stron 250 e Versys-X 300. Veja aqui quais são as motos que se destacaram:

1) BMW G 310 GS

2) Kawasaki Versys-X 300

3) Suzuki V-Stron 250

4) Honda CB 650F

5) Ducati Multistrada 950

6) Yamaha T7

7) BMW HP4 Race

8) K TM 1290 Super Duke R

9) Triumph Street Scrambler

10) Honda X-AD

Fabiana Batista Santos


Confira aqui o preço e as principais novidades da Honda CB 650F 2016.

A Honda anunciou a nova CB 650F no Salão de Milão deste ano. A base é a mesma, porém, o visual e o motor passaram por algumas modificações.

Começando no motor de 4 cilindros e 649cc, que ganhou alguns cavalos após a redução na relação das marchas. Ela está agora com 91 cavalos de potência a 11.000 rpm, 4 cavalos a mais que a versão encontrada hoje no mercado, que é de 87. Devido ao encurtamento das carenagens laterais, o motor ficou mais exposto do que a atual CB.

A autonomia da versão apresentada na Europa, segundo a Honda, é de mais de 350 quilômetros com o seus tanque de 17,3 litros.

Na parte dianteira, a nova CB 650F está com o garfo novo, da Showa, e os faróis e lanternas são de LED.

Não foram muitas as informações técnicas divulgadas nesta apresentação, mas se sabe que a garantia é de 3 anos sem limite de quilometragem e o freio ABS agora é de fábrica.

A Honda CB 650F chegou ao Brasil em 2014 para substituir a CB 600F Hornet e o preço de lançamento na época era de R$ 28.990,00 (com os freios ABS) ou R$ 31.190,00 (sem os freios ABS). Ambas com câmbio de seis marchas e nas cores vermelho e preto. A assistência técnica e o resgate era aqui no Brasil e em mais cinco países: Argentina, Chile, Paraguai, Uruguai e Venezuela.

Anúncios em alguns sites especializados em compra e venda de motos na internet, mostram que a CB 650F ano 2016 custa por volta de 37 mil reais e a versão CBR 650F por volta dos 39 mil reais.

Uma curiosidade, a sigla "CB" significa Citzen Band ("Faixa do cidadão", em inglês). O acréscimo da letra R coloca o moto como sendo Racing, de corrida.

Um comparativo feito pela revista "Quatro Rodas" mostrou que a CB 600F atual é mais rápida do que a CB 750F de 1972. Imagina como a nova CB 650F pode ser.

Muito se evoluiu nos últimos 40 anos, as motos ficaram mais potentes, mais leves, mais modernas. Mas o prazer de pilotar uma moto, isso sim não muda. Seja prudente no trânsito e se beber, não dirija.

Por: Fernando Dias


Modelo tem visual inspirado na Yamaha YZF-R1.

A famosa montadora japonesa Yamaha revelou na última quinta-feira, na semana passada, dia 13 de outubro, na Europa, uma novo modelo de moto esportiva, a YZF-R6.

Além de ter sofrido diversas modificações em sua parte mecânica, a esportiva também ganhou um novo desenho, o qual teve como inspiração a sua irmã maior, a famosa Yamaha YZF – R1.

O novo modelo da motocicleta agora está equipado com freios ABS modernos; sistema para trocas de marchas, conhecido como “quick shifter”, que é muito mais indicado para utilizar em estradas fechadas; controle de tração e também controle de pilotagem juntamente com um sistema chamado ride by wire, ou seja, que não possui cabos e conta com três regulagens, além de contar também com um novo sistema de suspensão.

A motocicleta está com uma nova suspensão na parte dianteira, a qual manteve o garfo ajustável, porém, ao invés de utilizar bengalas de 41 mm de diâmetro, passou a fazer uso de uma peça com 43 mm. Na parte traseira conta com um sistema ajustável monochoque.

Sem contar também que o modelo agora possui de série novas carenagens, o que segundo a fabricante melhorou a eficiência aerodinâmica em até 8 por cento. Além disso, a montadora também redesenhou o tanque de combustível da nova YZF – R6 para que a moto pudesse andar ainda melhor, diminuindo assim a resistência ao vento dianteiro.

Na questão de frenagem, o modelo conta na parte dianteira com 10 mm a mais, passando a ter agora um diâmetro de 320 mm. Entretanto, a motorização ainda continua a mesma, com 4 cilindros, totalizando 599 cilindradas, porém, a empresa ainda não fez nenhuma divulgação com relação a sua potência.

A moto também teve alterações em seu assento, o qual recebeu uma nova inclinação, que acabou mudando a ergonomia para o motociclista.

A estreia mundial do modelo acontecerá em novembro, no próximo Salão de Milão (EICMA).

A montadora japonesa até agora não divulgou nenhuma especificação técnica, detalhe com relação ao seu desempenho ou dados sobre o consumo de combustível da nova R6, o que deixa os consumidores bem ansiosos a espera de informações da moto japonesa.

FILIPE R SILVA


Moto chega às concessionárias custando cerca de R$ 39 mil.

A partir do dia 5 de setembro, os consumidores da BMW Motorrad terão a disposição a nova BMW F 700 GS, uma motocicleta que criou bastante expectativa entre os brasileiros e será comercializada em campanha de pré-venda.

O novo modelo GS da Série F chega às concessionárias no mês de novembro. Ela fará parte da lista de modelos que serão produzidos na nova planta da marca na cidade de Manaus, no Amazonas, que montará também a F 800 GS Adventure, F 800 GS, F 800 R, R 1200 GS Adventure, R 1200 GS, S 1000 R, S 1000 XR, S 1000 RR e a BMW G 310 R.

O modelo traz um toque Premium com desenho moderno. Além do propulsor de dois cilindros, com duplo comando de cabeçote em suas oito válvulas, com 798 cilindradas, movido a gasolina e refrigeração líquida. Este motor cativa seus consumidores por ter respostas rápidas, junto com uma capacidade impressionante para retomar velocidade, além do baixo consumo. O modelo possui um sistema de injeção de combustível e uma caixa de câmbio com seis velocidades. A nova big trail gera uma potência de 75 cavalos a 7.300 giros, com 77Nm de torque máximo, entregues a 5.300 rpm. Os itens de segurança do modelo, conta com disco duplo, na parte dianteira de 300 mm, na parte traseira de 265 mm, além do sistema de freios ABS com a tecnologia BMW Motorrad.

O pacote de itens de série é grande e traz mais qualidade ao produto. Dentre os equipamentos pode-se destacar o amortecimento variável auxiliar, lentes das luzes indicadoras de direção escurecidas, os ajustes de compressão da mola traseira, balança de alumínio dupla, de retorno do amortecedor traseiro, também dos manetes de embreagem e freio, sensor de cavalete lateral, tomada 12V e lanterna traseira em LED.

A BMW F 700 GS irá estrear no mercado brasileiro, por meio da campanha de pré-venda e estará disponível na coloração laranja e cinza metálico, além de contar com protetores de mãos e manoplas aquecidas, computador de bordo, controle de pressão dos pneus (RDC), controle de tração (ASC), cavalete central e luzes indicadoras de direção em LED.

FILIPE R SILVA


Modelo desembarca no Brasil no mês de Novembro. Preço ainda não foi confirmado.

A montadora italiana de motocicletas esportivas Ducati, recentemente anunciou o desembarque de mais uma integrante da marca, a nova 959 Panigale. O modelo é produzido na região de Bologna, no município de Borgo Panigale e foi divulgado no ano de 2015. Entretanto, ainda continua sem ter seu preço anunciado, a motocicleta chegará ao Brasil no mês de novembro.

A moto foi anunciada no ano passado e lançada em 2016, o menor modelo da dinastia foi inspirada em sua irmã com um motor um pouco mais potente, a Panigale 1299, que de fábrica já conta com um motor Superquadro bicilíndrico posicionados em “L” que possui 955 cilindradas e tem uma capacidade de gerar uma potência de 157 cavalos a 10.500 giros e um torque máximo de 10,9 kgfm a nove mil RPM. Propulsor esse, que está acoplado a um câmbio de seis velocidades com sistema DQS, quick shift, o qual permite a troca de marcha de maneira mais ágil. O motor novo, que é substituto do antigo de 898 cilindradas, teve suas peças desenhadas novamente e foi aplicado alumínio para diminuir seu peso e assim oferecer um desempenho melhor, além de ficar de acordo com os padrões europeus de emissões, o Euro 4.

O modelo Panigale 959 utiliza um quadro de alumínio monocoque, uma estrutura leve e rígida, que buscou inspiração em modelos utilizados na MotoGP. Na parte da frente, a suspensão é invertida, com tubos de 43 milímetros e 120 milímetros de curso, ajustável. Na parte de trás, conta com uma tradicional balança de alumínio, com amortecedor de 130 milímetros de curso, regulável.

Oferecendo uma boa quantidade de recursos eletrônicos, a 959 Panigale será comercializada com acelerador eletrônico, o ride-by-wire, além de controle de tração e diversos modos de pilotagem. Para aumento da segurança, a moto também foi equipada com um amortecedor de direção e com freio com sistema ABS, que conta com discos semiflutuantes. Suas pinças somam quatro pistões. As rodas, que são de 17 polegadas, possuem 10 raios e fazem uso de pneus da marca Pirelli, modelo Diablo Rosso Corsa, no tamanho 120/70 ZR17 na dianteira e na traseira 180/60 ZR17. Seu peso é de 176 kg, seco.

FILIPE R SILVA


Modelos chegam mais caros e em novas cores.

Quem é simplesmente apaixonado pelo mundo sobre duas rodas vai adorar a novidade que a Honda anunciou para os fãs de motocicletas. A divulgação, feita na última sexta-feira, dia 5 de agosto, é sobre a nova linha de 2017 dos seus famosos modelos e líderes de venda CG 160 Fan e CG 160 Titan.

Sem alterações na parte mecânica das motos, a grande novidade anunciada foi em relação às novas opções de cores, que vão dar o que falar. Com garantia extendida de três anos e englobando também sete trocas de óleo gratuitas, as novas linhas serão oportunizadas, a partir já deste mês, nas cores vermelha sólido e preta para a versão Fan e nas cores vermelho perolizado e preto no modelo Titan. Além disso, quem gosta de mudar e quer sempre inovar na customização de sua motocicleta poderá optar por novas cores nas faixas do veículo, sendo as opções de tonalidades em nuances de verde ou laranja, que combinam perfeitamente com a carroceria.

Honda CG 160 Titan

Apesar destas mudanças, o motor continua sendo o mesmo dos antigos modelos, tratando-se portanto de um motor monocilíndrico Over Head Camshaft (OHC), composto por quatro tempos e arrefecido a ar e com injeção eletrônica caracterizada pelo Programmed Fuel Injection (PGM-FI). Além disso, o propulsor é de 162,7 cm³, o que gera 15,1 cavalos a 8.000 e, ainda, 1,54 kgfm a 6.000 rpm. É importante destacar que este vai atrelado a um câmbio que possui cinco marchas.

Além disso, a nova linha apresenta um equilíbrio maior na utilização de freios, sendo isto possível através da tecnologia utilizada pelo CG 160 Titan, configurando a Combined Brake System, a tecnologia CBS. Sendo assim, logo que o freio traseiro é acionado, o sistema de freios automaticamente ativa o freio dianteiro.

Honda CG 160 Fan

Gostou? Pois as motos Honda CG 160 Titan e Fan já estão disponíveis nas concessionárias para quem quer visualizar e saber mais de suas especificações. Porém, já é preciso saber de antemão que o valor destas está um pouco mais salgado do que as versões anteriores. Com tanta novidade, a Honda CG 160 Titan está sendo comercializada pelo valor de tabela aproximado de R$ 9.970. A versão anterior era de R$ 9.755, o que representa um aumento de R$ 215. Já o modelo Fan está custando R$ 8.720, preço superior aos R$ 8.390 anteriores. Sendo assim, o mesmo representa um acréscimo de R$ 330.

Kellen Kunz


Modelo teve seus motores revisados e está 5% mais econômico.

A Tiger Explorer, uma legitima bigtrail com 1.200 cilindradas da marca britânica Triumph, entra em sua linha 2016 com uma nova atualização. O novo facelift foi mostrado para todos durante o Salão de Milão, que aconteceu no ano passado. Entre os pontos que foram trabalhados nessa “reestilizada” temos as atualizações no motor tricilíndrico. Além disso, outro aspecto interessante da novidade foi a inclusão de controles eletrônicos com o foco no aumento da segurança.

A novidade vai desembarcar em terras brasileiras com duas versões. A primeira é a XR com preço de R$ 58.500. O modelo já vem equipado com as rodas de liga leve e com o pacote eletrônico básico. Além dela há a XCx de R$70.500. Essa tem uma cara mais aventureira e conta com rodas raiadas.

As Mudanças:

Uma das principais alterações na linha 2016 da Tiger 1200 está justamente no motor de 3 cilindros e 12 válvulas, que conta, entre outras coisas, com comando duplo e refrigeração líquida. Ele foi retrabalhado para ter potencial para oferecer 139 cv a 9.300 rpm.

Entre os acréscimos recebidos pelo modelo estão o câmbio de seis marchas e com relações mais alongadas e a embreagem multidisco que passa a contar com o auxílio de torque, diferentes modos de pilotagem e transmissão final por eixo-cardã. Com as modificações foi possível providenciar também uma economia que fica em torno de 5% de combustível.

De acordo com alguns comentários de representantes da marca, as modificações, principalmente no aspecto eletrônico, irão permitir que o piloto tenha mais segurança e uma moto mais adequada ao estilo.

As duas versões continuam com a mesma nomenclatura, seguindo o exemplo da irmã mais nova, a Tiger 800. Entre elas há o compartilhamento do quadro e também do motor. Porém, as mudanças ficam na lista de equipamentos e no pacote de estilo.

Com relação a Tiger Explorer XCx ainda vamos ter uma lista de equipamentos exclusiva da versão. Entre eles constam o cavalete central, protetores para o motor, o radiador e o cárter.

O painel também está mais completo, trazendo mais informações, além de um terceiro modo de condução batizado de off-road. Além dele, ainda há os dois modos presentes na versão básica.

Por Denisson Soares


Primeiras imagens da nova moto são divulgadas em vídeo da Honda.

Recentemente foram divulgadas em um vídeo na Indonésia, as primeiras imagens da nova mota esportiva da Honda, de baixa cilindrada. A motocicleta ainda não tem nome oficial, mas provavelmente se chamará CBR 250RR. Este conceito foi apresentado no Salão de Tóquio 2015, mas tem tudo para logo ganhar as ruas. Mas, se você se perguntou o que são os dois “R’s” no provável nome da moto, saiba que ele faz referência a um “upgrade” em esportividade, nas atuais versões CBR 250R ou CBR 300R.

Mas, o que se pode ver no vídeo é que os faróis serão de LED e a moto terá cortes angulados e retos, lembrando os heróis de quadrinhos japoneses. Já o motor deverá ser monocilindro.

Esse modelo, de alto impacto, com certeza mexerá com o mercado nacional de motos, trazendo muita tecnologia e acessórios que vão deixar os fãs da marca de queixo caído, com itens especialmente para quem gosta de aventura. Não se sabe estimar também o valor da nova esportiva, mas o que já se sabe é que ela será de alto padrão.

Acredita que ainda neste ano, por volta de outubro, a nova esportiva da Honda já estará a disposição para compra na Ásia e só em 2017 na Europa.

Honda

Com 65 anos de mercado, a marca Honda se tornou grande no mundo. Pode-se dizer que ela é uma combinação de tecnologia com respeito ao meio ambiente, trazendo uma gama bem diversificada de produtos aos seus clientes. No total são 474 afiliadas e subsidiárias da marca em todo o mundo, sendo 72 unidades que produzem e 35 Centros de Pesquisa. Pode-se contar por volta de 190 mil funcionários, que levam consigo os lemas da empresa. Seu criador, Soichiro Honda, acreditou no poder de sonhar e levou este tema ao slogan da marca: “The power of dreams”.

Já no Brasil, a sua história se iniciou em 1971 com a importação e em 1976 com a produção no Amazonas, em Manaus.

Gostou do nosso post? Então comente suas experiências conosco! Esperamos que tenha curtido saber mais sobre a nova moto esportiva da Honda!

Kika Akita


Confira aqui o preço e as principais novidades presentas na nova Indian Chieftain.

Se existiam dúvidas elas provavelmente estão perdendo força com o tempo, isso porque a Indian Chieftain, ao que parece, não está com medo ou receio algum de investir em tecnologia, sem esquecer um lado que consagrou a marca: seu visual.

A Indian Chieftain será fabricada na cidade de Manaus, estado do Amazonas.

Até o presente momento a informação é de que os preços iniciais partem de R$ 99.990. Tem algo nessa moto que vale a pena de se destacar. Muita gente (e a maioria especialistas) não chegam a um consenso de que tradição e modernidade podem sim se dar as mãos e andarem juntas sem problema algum. A Chieftain, ao que parece, veio não apenas provocar, mas também provar que é possível quando o trabalho é bem feito.

A moto chegou oficialmente no Brasil neste ano. Além da tecnologia e de dar continuidade ao padrão visual que não foi deixado de lado, também temos informações sobre os seus principais aspectos.

Em primeiro lugar, de série, a Chieftain conta com freios ABS e travamento remoto das malas laterais, além de entrada USB e Bluetooth, sistema de som com rádio AM/FM, monitoramento de pressão dos pneus, partida sem chave e controlador de velocidade de cruzeiro.

Como é de lei toda custom chamar a atenção, com a Chieftain não poderia ser diferente. Uma das principais coisas que logo de cara atrai qualquer olhar é a presença de forma excessiva de cromados. O acabamento da moto entra na linha de uma boa qualidade, apresentado um visual bem limpo. Isso é bem perceptível quando vemos que a marca conseguiu esconder toda a fiação relacionadas aos punhos de comando dentro do guidom. No mais, ainda podemos ressaltar o painel que traz o velocímetro, hodômetros digital e parcial, tela digital com dados de consumo, temperatura e conta giros. Tudo mostrado ao piloto com uma boa visualização.

Há vários outros aspectos que também chamam a atenção. Acrescentando à lista estão alguns detalhes. Um bom exemplo é o War Bonnet, que nada mais é do que o índio que se tornou símbolo oficial da marca. Ele é iluminado no para-lama dianteiro e este, por sua vez, ainda continua alongado e curvado. Fato que é marca registrada da fabricante desde os modelos Indian que foram lançados em 1934.

Por Denisson Soares


Nova moto será vendida por 5.150 euros e contará com um motor de 313 cc.

Na última terça-feira, dia 17 de maio de 2016, a grande e renomada fabricante de veículos automotores BMW fez a definição do preço da nova motocicleta BMW G310 para o mercado europeu. O preço base de comercialização dessa motocicleta foi anunciado oficialmente na Itália, sendo que no mercado italiano as vendas dessa grande novidade irão começar no mês de outubro ainda deste ano, por lá esta motocicleta será vendida pelo preço de 5.150 euros, valor este que feita a conversão em moeda nacional ficaria em torno de R$ 20.500.

Já para o mercado brasileiro a previsão da fabricante é disponibilizar esta motocicleta também no segundo semestre do ano de 2016, sendo que por aqui ela seria montada na cidade de Manaus (AM), cidade esta em que a BMW possui uma fábrica própria e exclusiva somente para motocicletas.

No ano de 2016, o lançamento da G 310 R é um dos mais aguardados pelos apaixonados por motocicletas. A base de produção deste grande lançamento é oriunda da Índia, porém, por lá para fabricar este lançamento a BMW irá utilizar uma parceria feita com a empresa indiana chamada TVS, sendo que serão estas peças oriundas da Índia que chegarão aqui no Brasil apenas para realização da montagem das motocicletas.

O propulsor utilizado na G 310 R é um monocilíndrico inédito de 313 cc, o qual possui sistema de refrigeração feita por líquido e que funciona por meio de um duplo comando de válvula, bem como com injeção eletrônica. De acordo com os dados estatísticos da fabricante, este motor possui a capacidade de gerar uma potência de 34,4 cavalos.

No total, esta motocicleta possui um peso de nada mais nada menos que 158,5 Kg, para suportar todo este peso com maior facilidade este motor utilizado possui o cilindro inserido numa posição inclinada para trás e cabeçote com uma rotação de 180 graus, fatores estes que também contribuíram sobremaneira para que a motocicleta se tornasse ainda mais ágil.

Assim como em todos os modelos de motocicletas que possuem maiores cilindradas, a suspensão dianteira da G 310R é do modelo invertida e o sistema de freios a disco está disponível nos dois eixos.

Devido ao visual bastante chamativo, não há como negar que os detalhes do modelo foram minimamente trabalhados, haja vista que o modelo possui dupla carenagem nas laterais ao lado do tanque, detalhe este que faz com que a motocicleta se pareça ainda mais robusta.

Por Adriano Oliveira


Modelo foi apresentado na Europa e terá um motor mais potente do que os modelos convencionais.

A renomada empresa fabricante de motocicletas Yamaha fez a apresentação oficial no continente europeu, nesta última quinta feira, dia 20 de maio de 2016, do seu mais novo triciclo, veículo este que foi batizado com o nome de Tricity 155. Essa motocicleta começará a ser comercializada no mercado europeu no segundo semestre ainda deste ano. O objetivo da empresa com o lançamento deste novo triciclo foi o de aumentar a sua linha de motocicletas de três rodas, linha esta que anteriormente era representada pelo Tricity 125.

A principal novidade trazida por este novo triciclo da Yamaha é o seu propulsor, que possui maior cilindrada que os convencionais. Nesse lançamento o propulsor utilizado é de 155 cc e possui a capacidade de produzir uma potência máxima de 15,09 cavalos.

Outro diferencial trazido pelo Tricity 155 foi o fato de a Yamaha ter adotado uma roda traseira maior do que a que era utilizada anteriormente no Tricity 125, o qual foi projetado com roda traseira no tamanho 12 polegadas.

No caso do Tricity 155 o veículo foi projetado com uma roda traseira no tamanho de 13 polegadas e na parte frontal ambas as rodas possuem o tamanho 14 polegadas.

Para aqueles que pensam que esse novo triciclo da Yamaha será um veículo de condução dificultosa se enganam e muito, haja vista que o principal aspecto que foi uma das preocupações da fabricante no projeto do Tricity 155 foi o fato de fazer com que o veículo tivesse o comportamento de condução idêntico ao de uma motocicleta convencional, inclusive inclinando-se em curvas. Para conseguir este grande feito a marca fez a utilização da mesma tecnologia utilizadas por marcas renomadas, tais como a Piaggio, que possui grande sucesso com o MP3 e a Peugeot, que possui destaque com o Metropolis.

A grande vantagem de se ter um triciclo deste é fato de que a presença de duas rodas na parte dianteira oferece aos condutores um pouco mais de estabilidade do que em uma moto comum.

O certo é que a Yamaha está tentando inserir os triciclos no setor das motocicletas convencionais, já que essa é uma das tendências da marca no mercado europeu, sem sombra de dúvidas daqui há algum tempo teremos notícias deste tipo de veículo no mercado nacional.

Por Adriano Oliveira


Nova motocicleta conta com freios ABC e irá preencher o espaço entre os modelos Bros 160 e XRE 300.

A Honda anunciou recentemente a chegada de uma das motos mais esperadas de 2016. Trata-se da nova XRE 190, que promete preencher o vácuo que existia entre a Bros 160 e a XRE 300, levando em consideração a performance e o preço. O mais recente lançamento da Honda já se encontra disponível no mercado desde o dia 06 de maio. O preço sugerido da nova XRE 190 é de R$ 13.300. A moto é disponibilizada em versão única com freios ABS na dianteira e nas cores vermelho, preto e verde.

A montadora japonesa destaca que a moto intermediária foi projetada a partir de uma base totalmente nova. Seu chassi é de berço semi-duplo. Um dos principais destaques é, sem sombra de dúvidas, o motor inédito. A XRE 190 é equipada com o motor monocilíndrico refrigerado a ar que dispõe de 184,4 cc, injetado, que é capaz de entregar até 16,4 cv e 1,66 kgfm de torque através de etanol. O câmbio é de cinco marchas.

Outro destaque deste lançamento da Honda é o seu peso: apenas 127 kg. Em relação às suspensões, saiba que neste quesito a XRE 190 é bastante convencional: conta com garfo telescópio na dianteira, com 180 mm de curso, além de monoamortecimento na traseira, que possui 150 mm de curso. São 241 mm de altura livre em relação ao solo e banco a 836 mm do chão.

Os freios a disco estão presentes nas duas rodas, sendo que o sistema ABS é integrado apenas na roda dianteira. Segundo a montadora, os freios a disco são suficientes para resolver grande parte dos problemas resultantes de frenagem, até mesmo em pisos sujos. A roda dianteira é de 19 polegadas com pneus 90/90 e a traseira é de 17 polegadas e pneus 100/90.

Já em relação ao design, saiba que a nova XRE também se destaca bastante neste ponto. A sua dianteira, por exemplo, conta com faróis, para-lamas e carenagem projetados de forma exclusiva para este modelo. A traseira, por sua vez, lembra bastante a XRE 300, o único detalhe diferente é a lanterna. O painel central é digital por completo, sendo que nesta versão o mesmo é acompanhado de um medidor de consumo médio.

Por Bruno Henrique


Moto é puro luxo e conta com motor 1.8. Preço da moto deve ser de R$ 115 mil.

Pelo nome já se pode ter uma ideia, Roadmaster, "mestre das estradas" traduzido para o português. O novo modelo da norte-americana Indian entra para o mercado brasileiro disposta a lutar por clientes acostumados ao "turismo de luxo" e tem preço e motor de carro.

A nova Roadmaster teve como inspiração um modelo da década de 40, na cor única, preta para garantir mais beleza. A possante apresenta freios com sistema ABS , o acelerador é eletrônico e a suspensão de trás possui regulagem a ar.

Só pela altura, 2,66m, a Roadmaster já mostra sua imponência e precisa de um motor V2 (dois cilindros em v), que possui 1.811 cc (ou 1,8 litro). Com uma força de impressionar, o maior destaque da nova moto é seus 16,5 Kgfm de toque. Sobre a potência, não houve divulgação.

Os cilindros e as formas cromadas e arredondadas dos cabeçotes remetem ao estilo retrô. O motor vem com esfriamento misturado por ar e óleo e câmbio de seis marchas.

Maior Conforto:

De acordo com a fabricante Indian, a construção do chassi foi toda feita em alumínio forjado, o que garante à moto pouco nível de tensão. Seguindo a tradição, mas com ares modernos, o novo modelo traz uma dianteira com garfo telescópico e tubos cromados de 46mm de diâmetro e 116mm no curso.

Na traseira ela apresenta monoamortecedor regulável com curso de 114 mm e na parte de dentro da tampa lateral dá para consultar uma tabela com peso/pressão, para ajuste de suspensão.

O modelo de luxo da Indian tem como ponto forte o conforto que oferece, como faróis embutidos com LED e o para-brisa de regulagem elétrica. Mas não para por aí, ela ainda apresenta outros pontos que também vão atrair o consumidor: o piloto automático e o banco aquecido.

O modelo de luxo ainda dá conta de transportar até 142 litros de bagagem, desde que estejam bem organizados entre o top case, alforjes de lado e dois compartimentos pequenos que ficam na carenagem, perto do motor.

O luxuoso modelo concorre diretamente com as linhas Touring e CVD da Harley e foi avaliada em R$ 115 mil.

Por Ruth Galvão


Motocicleta chega com pequenas mudanças visuais e novos comandos.

Apesar da descontinuação do modelo Street CB 300R, a motocicleta Honda XRE 300 permanece na liderança do mercado on/off road, onde apresenta sua nova versão 2016, que chega ao mercado com pequenas mudanças visuais e de alguns comandos.

A aventureira da marca japonese precisou se adequar às novas regras de emissões de poluentes (PROMOT 4), o que gerou uma pequena perda de potência em seu propulsor DOHC, o qual permanece com a tecnologia flex e sistema de refrigeração a ar. Segundo a montadora, o motor possui 291,6 cc, 25,4 cavalos e 2,76 kgfm a gasolina e 25,6 cv e 2,80kgfm a etanol. Anteriormente a motocicleta desenvolvia 26,3 cavalos e 2,85 kgfm de torque.

O motor apresenta um novo diagrama de válvulas com novos ressaltos nos comandos, novo ângulo de abertura de válvulas e melhoras no arrefecimento do mesmo.

A grande novidade da versão 2016 fica por conta de seu painel digital totalmente renovado, que agora possui fundo preto e letras brancas, do tipo blackout, como as telas dos smartphones, trazendo um visual moderno. O modelo também ganhou novos punhos e comandos do guidão, assim como, a inserção de um lampejador.

Seguindo as novidades do painel, a XRE 300 apresenta um novo reservatório de combustível, juntamente com novas abas de proteção com linhas mais angulosas e uma inédita tampa de combustível articulada estilo aviador, que proporciona um aumento de 13,6 litros para 13,8 litros de capacidade de armazenamento.

No restante da motocicleta não houve nenhuma novidade, a ciclística se mantém a mesma. As suspensões permanecem do tipo telescópica e monoamortecida, na dianteira e traseira, respectivamente. Também apresenta frenagem a disco nas duas rodas e oferece uma versão com freios C-ABS, que garante maior segurança de frenagem.

Dando continuidade às novidades, A Honda passa a oferecer aos clientes a garantia de fábrica de três anos, sem limite de quilometragem para a XRE. Contando ainda com troca de óleo grátis em sete revisões.

O modelo atual possui novos preços sugeridos em relação ao modelo 2015. A versão standard (freios sem ABS) é oferecida nas cores vermelha metálica, branca e preta fosca, ao preço de R$ 15.560 – anteriormente era comercializada pelo valor de R$ 14.936. Já o modelo com freios C-ABS é comercializado ao preço de R$ 17.039 – anteriormente era de R$ 17.750. Vale ressaltar que esta versão é a única a oferecer a roupagem “Rallye”.

Os valores são referentes ao preço sugerido na região de São Paulo, para pagamento à vista, e não inclui despesas com frete e seguro.

Por Wendel George Peripato


Modelo se destaca pelo visual futurista e faz parte da série de lançamentos da Yamaha até 2018.

Depois de sua apresentação oficial como conceito no Salão de Tóquio de 2015, a Yamaha MWT-9 deverá ser tornar realidade muito em breve. O conceito dessa moto acabou trazendo grandes expectativas em torno da mesma, bem como ansiedade por parte dos amantes de motos em relação ao seu lançamento. Segundo o CEO da Yamaha, Hiroyuki Yanagi, o conceito deve se tornar realidade em dois anos, no máximo. Caso ainda não a conheça, saiba que a MWT-09 possui três rodas e é a principal aposta da montadora japonesa para o mercado de triciclos.

Um detalhe importante é que este plano da Yamaha, o lançamento do conceito MWT-09, faz parte de um conjunto bastante ofensivo de uma série de lançamentos até 2018. A empresa japonesa busca um sucesso ainda maior através de novos conceitos e projetos futurísticos. A grande ideia por trás deste lançamento da Yamaha é, sem sombra de dúvidas, a busca por uma plataforma compartilhada para diversas motos. Vale ressaltar que este sistema de plataforma compartilhada já existe há bastante tempo entre os carros. Dessa forma, tal ação reduziria o número de chassis, além da diversidade de motor, sendo que ao mesmo tempo a Yamaha expandiria sua linha de produtos.

A Yamaha MWT-09 se destaca em diversos pontos. Um dos principais destaques está na sua motorização: a moto é equipada com o mesmo motor 3 cilindros de 850 cc e 115 cv da já conhecida Naked. Um dos diferenciais está no seu design, pois o mesmo é agressivo, arrojado e bastante futurista, haja vista a carenagem larga que vem equipada com faróis duplos e uma bola-para-brisa com inclinação fora do comum. Já a existência de duas rodas na parte dianteira é o que mais chama a atenção na MWT-09. Vale destacar que cada uma das rodas dianteiras é acoplada a dois garfos invertidos.

Outro ponto que deve ser destacado na MWT-09 é quanto à estabilidade da condução. Segundo a montadora, o segredo está no ângulo de inclinação, que foi maximizado pela suspensão dianteira para fora, que juntamente com o desempenho expressional em curva, haja vista as rodas dianteiras individuais, permite com que o piloto trafegue tranquilamente em diversos tipos de estradas e ambientes. Dessa forma, toda essa conjuntura promete curvas apertadas bem sucedidas.

Por Bruno Henrique


Moto passa por nova reestilização e ganha diversos acessórios.

Após ter sido apresentada ao mundo no Salão de Milão, evento realizado na Itália no mês de novembro do ano de 2016, a nova F 800 GS chegou ao Brasil. A motocicleta veio com algumas modernizações não só no design, mas também na mecânica, atualizações estas que fizeram com que a motocicleta fosse contemplada com um novo pacote técnico. Outra mudança que ocorrerá será o local de fabricação destas motocicletas, haja vista que a BMW já anunciou que irá fazer a instalação de uma nova linha de montagem própria na cidade de Manaus (AM), ocasião em que será encerrada a parceria com a fabricante Dafra, local em que são produzidas as suas motocicletas.

Junto com a mudança de planos da BMW está incluso o lançamento da motocicleta de pequeno porte G310R, a qual virá ao mercado com um propulsor monocilíndrico e tem como objetivo dar maior agressividade à marca no mercado nacional.

Essa já é a segunda atualização que este modelo versátil da BMW passa, este modelo de motocicleta, a F 800 GS, é um modelo que pode transitar tanto na terra quanto no asfalto com bastante desenvoltura. A F 800 chegou ao mercado no ano de 2008, sendo que a sua primeira modernização ocorreu no ano de 2013, sendo que nesta ocasião o modelo foi contemplado com a inserção do sistema de controle de tração.

Já nesta nova reestilização, a F 800 GS ganhou novos acessórios estéticos, tais como novas aletas laterais prata, além de novo banco do modelo confort, o qual será disponibilizado aos clientes com três opções de formatos anatômicos.

Dentro do pacote de novos acessórios a motocicleta também ganhou nova cobertura para a chave de ignição, protetores para as mãos, bem como uma nova tampa para o tanque de combustível, o qual possui capacidade para 16 litros, sendo que no caso dessa motocicleta o tanque não fica no local convencional, pois no lugar onde comumente fica localizado o tanque de combustível nas motocicletas convencionais ela traz uma caixa que abriga tanto o filtro de combustível quanto outros componentes elétricos, posicionamento este que foi estratégico para o filtro de ar, a fim de que o centro de gravidade do modelo fosse rebaixado.

Por se tratar de uma BMW, o pacote tecnológico não poderia deixar de ser de primeira qualidade, tanto que a motocicleta possui aquecimento nos punhos, saída USB para conexão de aparelhos eletrônicos, computador de bordo e freios ABS com opção de desativação.

Por Adriano Oliveira


Modelo é inspirado no MT-07 e está sendo vendido na Europa por 7.890 euros.

Nesta última quarta-feira, dia 20 de abril de 2016, a grande e renomada fabricante de motocicletas Yamaha fez a apresentação na Europa da nova e inédita Yamaha Tracer 700. Este modelo utilizou como base a MT-07.

De modo diverso da Naked da qual foi originada, a Tracer 700 é caracterizada como uma motocicleta crossover, podendo até mesmo ser comparada como um SUV de duas rodas, pois ela foi projetada com suspensões mais diferenciadas, a fim de proporcionar aos condutores maior conforto para a realização de viagens mais longas, além do excelente conforto esta suspensão acabou deixando a motocicleta com um design mais aventureiro.

Segundo os dados que estão sendo divulgados pela própria fabricante, esta motocicleta aventureira com característica para transitar no asfalto possui um propulsor de 2 cilindros, o qual entrega ao veículo uma potência máxima de até 74,8 cavalos a 9.000 rpm e um torque de 6,9 Kgfm a 6.500 rpm, sendo que a cilindrada dessa motocicleta é de 689 cc.

O lançamento deste novo modelo pela Yamaha serviu para fazer a expansão da linha Tracer de crossovers, linha esta que já contava com a presença da MT-09.

A Tracer 700 foi projetada com a utilização do mesmo chassi e propulsor que foi utilizado na MT-07, mas ela acabou ganhando um visual bastante diferenciado, tendo em vista a inserção de um novo farol, bem como bolha na dianteira, características estas que foram projetadas por meio da inspiração retirada da Tracer 900. A fim de dar um entre eixos ainda maior para a Tracer, este modelo teve a sua projetada com um alongamento.

Além destes detalhes, na Tracer 700 a suspensão traseira teve o seu curso aumentado e para trazer uma nova proposta para este modelo, os engenheiros da Yamaha retrabalharam os amortecedores. Por enquanto esta novidade só está sendo comercializada pela marca no mercado europeu, sendo que por lá o seu preço está fixado em 7.890 euros.

O certo é que para quem é apaixonado por motocicletas e gostou do lançamento dessa grande novidade, em breve teremos novas notícias sobre o modelo e quem sabe até mesmo a grata satisfação de ter esse modelo em breve chegando ao mercado brasileiro.

Por Adriano Oliveira


Modelo chega ao Brasil custando cerca de R$ 36 mil.

No mundos dos automóveis e das motocicletas sempre há aqueles veículos que foram lançados no passado e que deixam saudade no presente, seja pelo design ou seja pelas características de motores e peças utilizadas na época. E é neste contexto que a fabricante de motocicletas inglesa Triumph está lançando novamente um de seus modelos mais famosos: a Bonneville, motocicleta esta que foi lançada no ano de 1959. Porém, esta não é a primeira motocicleta que a fabricante revive do passado, pois os modelos Bonneville T100, T1200 e Thruxton também foram relançados. Os modelos foram totalmente atualizados, ganhando eletrônica, arrefecimento a líquido e sistema de freios ABS, contudo, sem deixar de lado o clássico visual que marcou os modelos.

A maior surpresa que a empresa proporcionou aos seus clientes apaixonados foi o fato de ter feito uma multiplicação dessas motocicletas trazidas do passado e uma prova disso é a chegada ao Brasil do modelo Street Twin 900, modelo este que teve o seu lançamento mundial no mês de outubro do ano de 2015.

Os consumidores que quiserem adquirir Street Twin terão que desembolsar pelo menos R$ 36.500, valor este referente ao modelo de entrada, mas o custo benefício para os apaixonados por motocicleta sem dúvida será proporcional, haja vista que o modelo chega com as linha clássicas da marca e com avanços tecnológicos que irão agradar.

Ao longo de quatro anos, os profissionais da fabricante ficaram trabalhando para o que essa transformação trouxesse o menor impacto possível no design retrô já consagrado da motocicleta. Todavia, um dos detalhes que acabou modificando a originalidade do modelo em relação ao passado foi a escolha pela refrigeração a líquido, tecnologia esta que fez com que o modelo ganhasse um radiador, que para causar menos desgaste ao visual da motocicleta, teve que ser camuflado entre as traves do quadro do motor.

O bloco do motor, porém, não deixou de lado as antigas e famosas aletas de dissipação de calor, conforme os modelos do passado, detalhe este que acabou compondo ainda mais o estilo imponente dessa motocicleta.

No geral, essa motocicleta revivida do passado irá oferecer aos consumidores, além da facilidade de condução, uma diversão na pilotagem, haja vista que como o próprio nome diz ,ela agora será uma motocicleta do modelo Street que irá proporcionar muita praticidade para o dia a dia dos seus proprietários.

Por Adriano Oliveira


Nova moto deve ganhar linhas mais parecidas com a da Ninja H2 e contará com o sistema supercharger.

Não há como negar que as motocicletas da Kawasaki, por todo o mundo, são sinônimos elegância e são caracterizadas como sonho de consumo de muitas pessoas devido a imponência e qualidade. E como não poderia ser diferente, os recentes lançamentos da marca, as enfurecidas Kawasaki Ninja H2 e H2R, causaram uma verdadeira agitação, pois estas são equipadas com propulsores de quatro cilindros de 1 litro com sobrealimentação realizada por supercharger, que são capazes de gerar incríveis 200 a 300 cavalos de potência, respectivamente.

Apesar de todo esse conjunto atrair a atenção de muitos consumidores, os preços dessas motocicletas não ficarão muito acessíveis, haja vista que a H2 custa R$ 120 mil e a versão de pista (H2R) sairá por R$ 350 mil.

Todavia, para aqueles consumidores que ficaram extremamente animados com estas novidades, as notícias são boas, uma vez que a fabricante japonesa está trabalhando na produção de uma nova motocicleta sobrealimentada com valor mais acessível. Segundo as notícias que já estão sendo divulgadas nos bastidores, a Kawasaki irá fazer a expansão da utilização do sistema supercharger em modelos de motocicletas até mesmo menos radicais que a série H2, sendo que a próximo modelo a ser contemplado com esta inovação será a famosa Kawasaki Ninja R2, cujo propulsor dotado de 4 cilindros deverá deslocar aproximadamente 800cc, gerando uma potência máxima de cerca de 190 cavalos e um torque que gira em torno dos 11 kgfm.

Este novo propulsor está sendo desenvolvido com a finalidade de ser mais compacto e leve que o da H2 e teria um compressor de geometria variável, ou seja, trabalhará por meio da variação da angulação de suas pás para que haja uma rotação mais rápida para que não aconteça o “lag” em uma faixa menor de giros.  O intercooler seria uma outra aplicação para fazer o resfriamento do ar antes que entrasse na turbina, fazendo com que ocorra uma indução com maior densidade.

Com relação ao design desse novo modelo, algumas projeções já estão sendo divulgadas, sendo que muitos dizem que são oriundas da própria Kawasaki, nessas projeções é possível visualizar algumas linhas bastante similares às da H2, principalmente nas laterais e rabeta, já a dianteira ficou no estilo mais convencional.

O lançamento desta novidade da Kawasaki tem previsão de lançamento no mercado no início do ano de 2017, porém, com grande chances de aparecer ainda neste ano em algum dos grandes salões de motocicletas.

Por Adriano Oliveira


Motocicleta chega ao país custando R$ 36 mil e irá concorrer com a Ducati Scrambler.

A Triumph deu início a pré-venda do primeiro modelo da nova linha de motocicletas Bonneville no país, a Street Twin. A marca é uma novidade no país e é esperada para fazer concorrência com as outras marcas presentes em nosso país.

A chegada da nova motocicleta nas concessionárias brasileiras está sendo esperada para a segunda metade do mês de abril. Segundo a montadora, as primeiras 200 unidades da motocicleta terão preço especial, custando em torno de R$ 36.500 reais.

Para o ano de 2016, a marca ainda pretende trazer ao mercado nacional os outros lançamentos da linha Bonneville, que são a Thruxton R (com chegada prevista para o mês de junho), a Bonneville T120 (que é esperada para agosto) e também a Bonneville T120 Black (que chega ao mercado brasileiro em setembro deste ano).

Os preços dos novos modelos da marca ainda não foram divulgados pela empresa sediada na Inglaterra. Porém, é esperado que os preços acompanhem o de modelos similares das outras montadoras concorrentes.

O motor da nova Street Twin é de 2 cilindros, que conferem 900 cc ao modelo. Com esse motor, a motocicleta rende até 8,15 Kgfm de torque a 3.200 rotações por minuto, que chega a ser até 18% maior que a da geração anterior, segundo informações da própria companhia inglesa.

Para esse novo modelo, foi descartado o antigo sistema de refrigeração a ar, presente em modelos anteriores da marca, sendo este substituído por um novo sistema de refrigeração à liquido.

O design da motocicleta chega para agradar aqueles que curtem um visual mais retrô, baseado num estilo minimalista, sem deixar de lado a ótima qualidade das novas motocicletas lançadas nos últimos anos, causando ao condutor uma experiência de condução dinâmica. A motocicleta possui, também, um som muito característico, o que agrada muito os amantes de motocicletas, e pode ser um fator muito decisivo na hora da compra do modelo.

O lançamento da Street Twin, da Triumph, chega ao mercado visando bater de frente com a Ducati Scrambler, que a exemplo da Street Twin, também acaba de ser lançada no mercado nacional de motocicletas.

Por Igor Furraer


Quem é apaixonado por motos deve ter visto os novos modelos da Ducati Scramber no último evento do Salão Duas Rodas que ocorreu em outubro do ano passado na cidade de São Paulo. Foram três novas versões apresentadas: a Icon que custa R$ 38.900, a Full Throttle de R$ 42.900 e a Urban Enduro que custa R$ 41.900. Essas versões não estão a pronta entrega, exceto a Icon.

Mesmo sendo vendidas em versões diferentes, cada uma delas possuem o mesmo chassi e também o mesmo motor, além de algumas configurações iguais como a medida e a altura dos bancos (790 mm), o tanque com capacidade de 13,5 litros de combustível e o peso de 170 kg. Veja agora os detalhes de cada uma delas:

1. Urban Enduro

Essa versão é ideal para quem busca aventuras tanto nas ruas e avenidas da cidade quanto nas estradas e trilhas do campo, por exemplo, pois possui equipamentos que lembram aquelas motos off-road.

Vendida na cor verde musgo selvagem, a versão possui os para-lamas da frente avantajado, guidão alto, protetores de farol em forma de tela, além de protetores de rodas em alumínio e de cárter bengala de suspensão. Tudo isso para evitar acidentes de viagem. A versão ainda vem com bancos na cor marrom com as costuras feitas na horizontal e um logotipo com o design da marca no tanque.

2. Classic (Icon)

Quem gosta do estilo vintage vai se agradar com a versão Classic da Scramber. Ela vem na cor laranja, e possui rodas com aro de alumínio raiado e leve, bancos de couro na cor marrom com as costuras na forma de triângulos na parte de cima e para-lamas na frente e atrás de aço puro escovado.

3. Full Throttle

Quem ama corridas com certeza vai se apaixonar pela versão Full Throttle, pois ela oferece um sistema mais esportivo do que as outras. Vendida na cor preta, num tom mais intenso, vem com detalhes na cor amarela e preto no banco e também no tanque. O guidão é bem "espaçoso" e lembra o modelo "fat bar", com rodas leves, para-lamas da frente no estilo esportivo e escapamentos Termignoni equipado para mão dupla na ponta.

Imagem: site da Ducati Scrambler


Montadora lança novas versões do modelo no Brasil. Preço varia de R$ 38 mil a R$ 42 mil.

Há alguns meses a montadora italiana Ducati lançou o modelo Scrambler versão Icon no país. No entanto, a montadora surpreendeu ao divulgar a comercialização de outras versões do modelo. Vale ressaltar que o modelo é hoje a opção mais acessível da marca italiana em território nacional.

As especificações técnicas das versões são iguais, no entanto, o que muda são alguns detalhes no design. O modelo Scrambler conta com motor de dois cilindros, 800 cilindradas e sistema de refrigeração a ar, capaz de gerar até 75 cv de potência. Já o tanque tem capacidade de armazenar até 13,5 litros de combustível. A Ducati confirmou que o modelo pesa 170 Kg sem o acréscimo de fluidos e combustíveis.

A versão Urban Enduro possui design off-road e conta com guidão largo e para-lamas alto, sendo ideal para quem enfrenta estradas de terra. A versão Full Throttle conta com escapamento duplo, exclusivamente na cor preta e detalhes em amarelo.

A versão Classic, por sua vez, é o que mais se assemelha a primeira linha de Scrambler, lançada em 1962 pela Ducati. O modelo conta com banco de couro envelhecido e rodas raiadas, que remetem ao passado. Já a versão Icon é a mais essencial do pacote e não possui grandes destaques, exceto por sua poderosa especificação técnica.

Segundo informações, a Ducati planeja comercializar ainda esse ano o modelo Scrambler Sixty2 de 400 cc em território brasileiro. A motocicleta conta com motor de dois cilindros que gera 41 cv de potência máxima e 3,5 kgfm de força de torque. Além disso, o modelo conta com câmbio manual de seis velocidades.

 O modelo também possui base na primeira geração Scrambler, lançada na década de 60. Apesar de ter design semelhante ao da linha Scrambler 800, o modelo Sixty2 conta com peças modestas em relação a sua irmã mais velha. Estima-se que com o lançamento do modelo no país, a Sixty2 passe a ser o modelo com o melhor custo-benefício da empresa. Infelizmente, a empresa ainda não se pronunciou quanto à data de comercialização da motocicleta no país.

A Ducati revelou o preço das versões, sendo: Icon por R$ 38.900; Urban Enduro e Classic por R$ 41.900 e a versão completa Full Throttle deverá custar R$ 42.900.

Por Wendel George Peripato


Motocicleta chega às concessionárias mais leve que sua antecessora e custará cerca de R$ 13 mil.

A montadora Honda lançou a nova CB Twister 2016, que vem para substituir a CB 300R. A nova motocicleta faz uso de um grande nome do passado, a CBX 250 Twister, para chamar atenção de novos e antigos consumidores. Utilizar símbolos anteriores está em alta entre as motocicletas, a mesma Honda ressucitou a CB 500 e trouxe de volta uma moto que chegará no mercado brasileiro ainda este ano, a Africa Twin.

Os exemplos continuam com a Scrambler, sendo usado novamente pela Ducati e a pouco tempo atrás pela BMW.

Em relação à CB 300, a CB Twister teve uma diminuição de cilindrada em seu propulsor e para isso nada melhor do que fazer uso de um nome antigo que continua sendo destacado por seus consumidores.

É bem complicado dizer o porquê de uma moto com motor mais forte (300 cc), que atualmente é líder do nicho, ser substituída por uma com menos cilindradas (250 cc). Entretanto, uma das possíveis razões foi às novas leis de emissões, as quais envolvem o risco de evaporação do combustível, que acaba por exigir uma tampa para o tanque com padrões específicos, porém, o modelo CB 300 não atendia. De acordo com a empresa, a nova Twister busca ser mais eficiente e mais leve, tendo uma diminuição de 10 kg em relação a CB 300R.

O novo propulsor de 1 cilindro e 249,5 cilindradas gera uma potência de 22,4,cv, já sua antecessora (que possui um 1 cilindro e 291 cilindradas) alcança 26,7 cv.

A Honda CB Twister foi reposicionada no nicho em questão e agora este modelo se aproximou da Yamaha Fazer 250, sua maior concorrente, com relação ao tamanho de motor.

A Fazer 250 chegar a custar R$ 13.620, já a CB Twister inicia em R$ 13.050, podendo bater a marca de R$ 14.450 com ABS. As duas são flex, porém, a moto da Yamaha não conta com sistema de freios. Tal sistema, seja CBS ou ABS, será obrigatório em todas as motocicletas até o ano de 2019.

A nova Twister virá mais cara que a CB 300R, que ao sair de linha custava R$ 12.737.

Nádia Neves


Modelos Forty-Eight, Iron 883, CB e 1200 CA chegam com novidades para melhorar ainda mais o conforto.

A empresa estadunidense Harley-Davidson apresentou no Brasil, no último trimestre do ano passado, a linha Sportster 2016. Os modelos Forty-Eight, Iron 883, CB e 1200 CA seguiram as mudanças já exibidas no lançamento mundial, que ocorreu no exterior, tais motos vieram com novidades, a fim de aprimorar ainda mais o conforto.

Estes modelos foram expostos no Salão Duas Rodas 2015, que ocorreu na segunda semana de outubro, e as vendas já tiveram início neste mês de janeiro de 2016. A marca também já divulgou os valores para as motos da linha 2016.

Abaixo segue a lista de valores para 2016:

– DYNA
Low Rider – a partir de 58.400 reais, 
Street Bob – a partir de 55.800 reais, 
Fat Bob – a partir de 59.900 reais.

– SPORTSTER
Iron 883 – a partir de 42.900 reais,
1200 Custom – a partir de 51.100 reais,
Forty-eight – a partir de 50.700 reais.

– V-ROD
Night Rod Special – a partir de 79.900 reais,
Muscle – a partir de 78.500 reais.

– CVO
Limited – 151.200 reais,
Street Glide – 134.200 reais.

– TOURING
Street Glide Special – a partir de 90.400 reais,
Road King Classic – a partir de 80.300 reais,
Ultra Limited – a partir de 102.800 reais.

– SOFTAIL
Fat Boy – a partir de 69.900 reais,
Deluxe – a partir de 69.900 reais,
Breakout – a partir de 73.700 reais,
Fat Boy Special – a partir de 70.900 reais,
Heritage Softail Classic – a partir de 74.100 reais.

A empresa informou que todas as motocicletas da família Sportster passam a ter uma nova suspensão dianteira e amortecedores traseiros renovados. O objetivo foi focar na melhoria de performance, melhorando a resposta da moto em relação às imperfeições do solo.

Tornou possível também o ajuste de pré-carga na suspensão traseira, devido a estas modificações.

A marca também adicionou novos assentos em todos os modelos da família e acrescentou mais espuma no banco para aumentar o conforto, além de contar com um novo desenho.

Diversos destes modelos também receberam novos grafismos, inspirados em estilos da década de 1970, como é o caso da Forty-Eight.

Nádia Neves


Honda registra patente da motocicleta e indica que poderá lançar a nova motocicleta em solo brasileiro.

A Honda Valkyrie, que foi apresentada no velho mundo e nos Estados Unidos no ano de 2014, agora está bem perto de chegar ao Brasil neste ano. Pelo menos é o que aponta a marca japonesa, ao realizar o registro de patente do design da moto no Instituto Nacional da Propriedade Industrial, o INPI, efetuado no começo deste ano de 2016.

A Valkyrie, que é uma Cruiser, nos mercados europeus é conhecida como Gold Wing F6C. A motocicleta, que é produzida para percorrer grandes distâncias e conta com o motor Gold Wing, chama atenção pelo porte imponente e pelo desenho futurista, além também por possuir diversos painéis e poucos detalhes cromados, o que vai na contra mão das tradicionais customs. De acordo com informações publicadas pela Honda, o desenho não é apenas por estilo, as grandes carenagens laterais também são funcionais, pois auxiliam na deflexão do calor do motor para longe do piloto.

O motor é o boxer, que possui 6 cilindros opostos e conta com 1.832 cilindradas, o que é utilizado no GL 1800 Gold Wing. Possui comando único no cabeçote (SOHC), refrigerado a líquido e alcança 116 cavalos de potência a 5.500 giros e um 17 kgfm de torque, os quais são entregues ao atingir 4 mil rpm. Freios são a disco simples na traseira e duplo na dianteira, com 316 mm e possui sistema C-ABS. A transmissão é de cinco marchas longas.

Ela é 70 quilos mais leve que a irmã Gold Wing, agora pesando 340 kg, promete melhor agilidade e desempenho na estrada. O assento está a apenas 725 mm de altura do solo.

A tabela dela está em aproximadamente US$ 18 mil nos Estados Unidos. Se vendida no Brasil, a nova Valkyrie será uma motocicleta de baixo volume, tendo preços logo abaixo da Gold Wing GL 1800, que atualmente é comercializadas por valores que variam entre R$ 99.900 e R$ 119.900. Caso seja importada, sua venda se dará apenas na rede Honda Dream.

Nádia Neves


Motocicleta será baseada na K 1600 GTL e terá Faróis à Laser e Capacete Inteligente.

A BMW irá exibir na feira de eletrônicos Consumer Eletronics Show, que já ocorre na cidade estadunidense de Las Vegas, a motocicleta de alta cilindrada que tem como base a K 1600 GTL, top de linha da marca. As grandes novidades do futuro anúncio são os faróis à laser e o capacete inteligente.

O sistema de iluminação frontal com laser atinge até 600 metros à frente do piloto, 300 a mais que os faróis convencionais usados até então. E a duração em relação às lâmpadas tradicionais é muito maior. Segundo a BMW Motorrad, esse sistema de faróis ainda tem custo de produção muito elevado, mas a escala de fabricação para motos e – principalmente – carros deve aumentar com o tempo e fazer com que a equipagem se torne mais barata. Os carros BMW Série 7 e i8 já possuem a tecnologia.

Ainda mais surpreendente é o capacete interativo e com informações na viseira, algo sem precedentes na indústria automotiva. O nome do recurso é head up display. Exibe dados como velocidade de condução e ajustes da moto, status do trânsito e da via e informações legais, como velocidade máxima do trajeto. As duas câmeras acopladas, na traseira e na dianteira do item de segurança, servem para retrovisor e gravação da direção.

O intuito é manter os olhos do piloto na estrada e atenção total na condução. A novidade ainda está em estudos para desenvolvimento e provavelmente não será lançada no mercado ainda em 2016. A BMW tem o desejo de possibilitar a comunicação entre condutores em um futuro um pouco mais distante, função ideal para viagens em grupo.

O capacete é equipado com alto-falantes e microprocessador. Conforme a empresa, a operação das funções deverá ser feita na manopla do lado esquerdo do guidão. Os dados ainda podem ser programados pelo condutor e escolhidos conforme necessidade analisada por ele em relação ao trajeto escolhido.

Bruno Klein


Honda, BMW, Dafra e Harley Davidson apresentam seus modelos que chegarão às concessionárias brasileiras em 2016.

O Salão Duas Rodas 2015 lançou várias novidades para o ano de 2016. A montadora HONDA, por exemplo, certamente atualizará sua linha de CB 500, que já foi atualizada fora do país. Além disso, também já estão confirmados 3 novos lançamentos do segmento de Scooters para o mesmo ano.

Com alterações na suspensão e mudanças no visual, a linha CB500 da HONDA passa por sua primeira renovação desde o seu primeiro lançamento. A HONDA NC 750X, que também ganhou modificações com um modelo mais esportivo, contará também com um porta objetos um pouco maior, que passou de 21 litros para 22 litros. Ainda com luz de led, a nova HONDA NC 750X promete agradar seus usuários.

Em 2016 haverá uma expansão da linha de scooters da montadora Honda e a nova sensação é a SCOOTER SH 300i, ela promete uma competição acirrada com os modelos de scooters da montadora DAFRA e BMW.

BMW C 650 SPORT:

Também na linha de scooters, a BMW vem com a exclusiva BMW C 650 SPORT, que foi lançada no Salão de Milão 2015 (EICMA). De acordo com a montadora, foram renovados motor, câmbio e suspensão. O modelo também investiu na repaginação do visual, que ficou ainda mas esportivo.

DAFRA FIDDLE III:

A montadora brasileira não para de expandir sua linha de scooters e apresentou sua nova linha da FIDDLE III. O modelo promete vir com um preço acessível, além de ser muito econômico.

DAFRA SYM GTS 300:

A nova scooter das Dafra com um motor mais potente, o SYM GTS 300, virá com rodas de 13 polegadas na traseira e 14 polegas na dianteira.

Harley Davidson Iron 883:

A nova Harley talvez seja o lançamento mais aguardado para o ano de 2016, mais o seu preço virá salgado e deve passar dos 40.000 reais. As vendas já começam no começo do ano ea motocicleta agitou o Salão Duas Rodas.

A linha Sportster atualizou a suspensão e deu uma repaginada no seu visual, mas sem alterar sua ideia retrô que tanto agrada os usuários dessa máquina, mantendo seu visual clássico e elegante sem perder o conforto.

Por Nathalia Henderson


Nova linha speed triple é lançada na Europa. Modelos chegarão ao Brasil somente no ano que vem.

Posteriormente a apresentação da nova geração da Bonnville, foi a vez de a Triumph lançar a nova linha Speed Triple, com as versões Speed Triple R e Speed Triple S. Segundo a assessoria de imprensa da marca, as novas Speed Triple só chegarão ao território brasileiro no segundo semestre do ano de 2016.

O veículo passou por significativas atualizações, dentre elas está o motor e a parte eletrônica, juntamente com as carenagens e o próprio design.

De acordo com as informações divulgadas pela empresa, o novo motor de 3 cilindros e 1050 cilindradas dispõe de 104 melhorias para que assim pudesse atingir uma potência e também torque maior, em todas as faixas, dessa forma, melhorando o consumo de combustível em quase 10 por cento. Tal moto conta agora com uma nova cabeça de cilindro e câmara de combustão, além de uma nova manivela usinada, aceleradores ride by ride e também um novo desenho do pistão.

A nova motocicleta recebeu também uma nova embreagem, um radiador mais eficiente e menor, além de contar também com um sistema de escape com fluxo melhorado em 70 por cento, se comparado com a versão anterior.

O novo modelo conta com cinco modos de pilotagem, são eles: chuva, estrada, pista, esporte e um modo programável. O controle de tração e o freio ABS podem ser ativados pelo próprio piloto. Pinças responsáveis pelas frenagens são da marca brembo.

As alterações de modos incluem luzes diurnas, novos faróis, assento totalmente novo e carenagens remodeladas, muito mais elegantes.

A nova Speed Triple R, além de possuir todos os itens acima citados, tem conta com alguns acessórios adicionais, como inserções de carbono no tanque, para-lama dianteiro feito em fibra de carbono e um protetor de motor.

A Speed Triple R terá disponível as cores: Crystel White e Matt Grafite. Já as cores para a Triple S serão Phantom Black e Diablo Red.

FILIPE RIBEIRO DA SILVA


Nova moto presta homenagem aos AMG GT da Mercedes Benz.

Apenas olhar para a nova moto MV Augusta F3 800 AMG já bastava. Ela já diz tudo, mas vamos encontrar as palavras e tentar falar sobre esta belezura.

A edição especial foi lançada em parceria com a Mercedes-Benz, no Salão de Frankfurt 2015. Porque parceria com a Mercedes? Bem, porque a Mercedes se tornou possuídora de 25% da MV Augusta em outubro do ano passado e porque decidiram prestar uma homenagem ao esportivo da montadora alemã, o AMG GT, isso também explica a MV Augusta ter abandonado suas cores clássicas, vermelha e prata, e ter mergulhado no amarelo e preto ao estilo “solar beam” (feixe de energia solar, em tradução livre), o mesmo nome do carro.

A F3 800 é da família 800 das motos da MV Augusta, que tem também as Brutale 800 e Rivale 800. De acordo com a montadora, a F3 800 vem com uma proposta bem definida ao usuário: dele ter a experiência de pilotar uma superesportiva de 1.000 cm³, mas com a condução de uma de 600 cm³.

Quer ver um pouco da descrição?

Motor de 3 cilindros, 12 válvulas, 7 cilindradas e 148 cavalos de potência. Câmbio de seis marchas com assistência eletrônica de troca de marcha e acelerador eletrônico, freios ABS (da Brembo – um disco dianteiro de 320 mm e um traseiro de 220 mm, pegos por pinças de quatro e de dois pitões) e controle de tração. Para-lamas em fibra de carbono, rodas pretas, costuras amarelas no banco (que dão um toque de estilo e exclusividade) e tampa de combustível no estilo de corrida. A moto tem 173 kg. Sua suspensão dianteira tem garfo telescópico hidráulico e amortecedores invertidos.

Infelizmente o  modelo não virá para o Brasil e custa, na Europa, 15.310 euros, algo em torno de R$ 68 mil.

MV Augusta:

A montadora italiana nasceu nos arredores de Milão, no ano de 1945. Nos anos 50 e 60 dedicava-se a fabricar motos de pequena cilindrada. Com o tempo começou a investir em motos maiores. É hoje um dos grandes nomes no segmento de supermotos.

Elia Macedo


Novo modelo recebeu o nome de F3 800 AMG Solarbeam e foi inspirado no Mercedes-AMG GT.

O mundo automobilístico não se restringe aos carros, pois as motocicletas também têm grande destaque mundo afora. Prova disso está sendo o Salão do Automóvel de Frankfurt, onde diversas montadoras de motocicletas estão aproveitando o evento para lançar seus modelos superpotentes. E a MV Agusta é uma delas, que está utilizando o Salão para lançar sua nova F3 800.

Na verdade seu nome oficial será F3 800 AMG Solarbeam, pois o modelo foi inspirado no Mercedes-AMG GT. Bem propício, já que a AMG detém 25% de participação da MV Agusta.

Para esse novo modelo, a montadora deixou de lado seu clássico vermelho e prata, para adotar um amarelo bem vivo, bem parecido com o do Mercedes, e que dá o nome de AMG Solarbeam. Para contrastar com o amarelo, o preto também aparece na lateral da carenagem e em cima do tanque. Para completar o visual, a motocicleta ainda é composta por tampa de combustível racing, costuras amarelas nos assentos e para-lamas feitos em fibra de carbono.

As configurações mecânicas também são bem interessantes, compostas por um bloco de 3 cilindros, com 12 válvulas com dimensão de 798 cm³. Esse motor gera uma potência de 148 cavalos. Com câmbio de seis marchas, a F3 800 AMG Solarbeam ainda possui o sistema Electronically Assisted shift, que nada mais é do que um assistente eletrônico para troca de marcha. Além disso, também possui controle de tração e freios ABS.

Ainda não existem especulações se esse modelo deve chegar ao Brasil ou mesmo na América Latina. A única informação confirmada é de seu preço sugerido, 15.310 euros, o que equivalente a R$ 67.000 com nossa moeda atual.

Além da AMG, a Ducati também teve a mesma estratégia durante o Salão do Automóvel de Frankfurt, onde utilizou o stand da Volkswagen para promover seu novo modelo, a Ducati Monster 1200 R.

Por Felipe Villares

MV Agusta F3 800 AMG Solarbeam

MV Agusta F3 800 AMG Solarbeam

Fotos: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: