Modelo chega para ser o mais barato disponível, concorrendo com o Yamaha Neo 125.

Na quarta-feira da semana passada (5 de dezembro de 2018) a Honda revelou o preço de seu novo scooter. Vai custar R$ 8.250, tendo somente uma versão e contando com freios CBS de série.

Este é considerado o principal lançamento da Honda em 2018. O scooter chega às lojas da montadora japonesa em dezembro. A Honda tem o objetivo de posicioná-lo abaixo do modelo “PCX 150”, que é atualmente o scooter mais vendido do Brasil.

A montadora havia anunciado, no dia 19 de outubro, nove modelos de motos para 2019 no país. Dentre esses modelos havia lançamentos, renovações de modelos já existentes e séries especiais. Entre os destaques desse anúncio de outubro lá estava o pequeno Scooter Elite 125.

Motor

O pequeno Honda Elite 125 tem motor de 1 cilindro e 124,9 cilindradas. O motor conta com 9,34 cavalos de potência (7 quilowatts) e torque de 1,05 kgfm. O câmbio automático já vem com a tecnologia CVT.

Outras Características

O tanque de combustível tem a capacidade de 6,4 litros. Luzes com a tecnologia LED são disponibilizadas como itens de série, assim como os freios do tipo CBS.

A altura do assento é de 77,2 cm e você se deslocará pela cidade olhando para um painel digital em uma scooter vermelha, azul, branca ou preta. Se você decidir passar no supermercado e comprar algo, terá um espaço para bagagens abaixo do assento.

Vendas em Alta

O setor de motos no geral vem tendo uma lenta recuperação nas vendas depois de uma grave queda, tendo uma pequena recuperação apenas esse ano. Apesar desses números moderados, as scooters vêm subindo de popularidade há um bom tempo. Um bom exemplo disso é a contínua alta nas vendas no setor. Veja informações completas no site oficial da Abracio clicando aqui.

Tendo ultrapassado as 48 mil unidades vendidas em 2017, o setor de scooters superou o número anterior de 2014, que havia sido o melhor ano para as vendas no setor. Em 2014 foram vendidas quase 42.500 unidades das pequenas motocicletas.

O avanço na quantidade de unidades vendidas foi enorme num período de apenas 7 anos! No ano de 2007, a quantidade de scooters vendidas no Brasil foi de 3.280, passando para 10.567 em 2008, 29.116 em 2009 e 42.491 unidades em 2014! As vendas de 2014 foram mais de 10 vezes maiores do que as vendas de 2007!

Porém, os anos de 2015 e 2016 apresentaram números menores do que 2014. E somente em 2017 foram superados os números de 2014, com mais de 48.800 unidades vendidas em todo o país durante o ano.

Motos de alta cilindrada também se mantiveram em alta por um tempo

As motocicletas acima de 450 cilindradas são consideradas de alta cilindrada no Brasil. Essas motos, juntamente com os scooters, não tiveram a queda de vendas que outros modelos tiveram nos últimos 6 anos. Porém, elas já começaram a ter uma forte queda nas vendas em 2015, deixando os pequenos scooters como o único nicho com altas nas vendas.

As motocicletas de alta cilindradas vinham de um período de altas em vendas desde 2004. No período de 10 anos, entre 2004 e 2014, as vendas subiram vertiginosamente. Foram 5.771 motos com mais de 450 cc vendidas em 2004 contra 53.737 vendidas em 2014. Porém, em 2015 houve uma queda nas vendas para 49.738 motos e uma nova queda para 36.036 motos vendidas em 2016. Até outubro de 2017 a venda de motos de alta cilindrada estava em 27.913 unidades, mostrando uma provável nova queda. parece que o pequeno Scooter resiste a qualquer crise.

Por Bruno Rafael da Silva


A primeira scotter da Honda lançada no Brasil foi a Lead 110 e ainda conta com diversos admiradores.

A Lead 110 já fez muito sucesso no Brasil e desde que foi lançada em 2009, conseguiu ótimas vendas, mas em 2014 a própria Honda lançou a PCS 150 e esta é que passou a ser a queridinha do mercado. A Lead 110 conta com injeção eletrônica, freio CB – Combined Braking System, um sistema que aciona o freio dianteiro quando o traseiro é utilizado, assim o veículo para mais rapidamente, com segurança. Outra vantagem é que sob o banco tem espaço para acomodar tranquilamente dois capacetes. O freio de estacionamento pode ser usando com a manete do freio traseiro e todas estas comodidades associadas a um design bonito, ajudaram o modelo a ser líder de vendas.

A primeira scooter da Honda a ser lançada no Brasil foi a Lead 110, em maio de 2009 e o preço também era um grande atrativo, com isso muitos consumidores resolveram adquirir uma. Nas cidades, o modelo oferecia muito conforto com seu câmbio automático do tipo CVT e com tantos diferenciais, além do preço mais em conta, o sucesso foi imediato. Antes dela tinha a Honda Biz, mas que era com câmbio semiautomático, o que já facilitava, pois não era preciso acionar a embreagem sempre que era preciso trocar de marcha.

Mas apesar de todas as vantagens oferecidas pela Honda Lead 110, ela acabou sendo deixada de lado depois de algum tempo, justamente por não ter sido adequada à realidade do Brasil, por exemplo, suas rodas pequenas eram sempre engolidas pelos buracos nas ruas e avenidas. A suspensão de curso curto também era outro problema. Então, em 2013, a Honda trouxe a PCX, vinda do mercado europeu e já contando com muitos elogios e críticas favoráveis. Esse modelo trazia recursos inéditos que não estavam presentes nas concorrentes.

O preço reduzido também foi fundamental para ajudar a Honda PCX cair no gosto do brasileiro e logo as vendas cresceram. O motor era mais potente, as rodas eram de 14 polegadas, o visual era bem mais imponente, com linhas modernas e os muitos recursos oferecidos, era realmente o modelo perfeito para o país. A Honda PCX oferecia freios combinados CBS, o moderno sistema ACG para unir o motor de arranque ao gerador de energia, sistema star-stop que desligava o moto quando a moto ficava parada em marcha mais lenta depois de alguns segundos.

Em 2013, a Lead 110 foi a scooter mais vendida, seguida de perto pela PCX. Mas no ano seguinte foi a PCX que ficou na primeira posição e em 2015 continuou na lioerança vendendo ainda mais que nos outros anos.

Só que em 2017 a Honda colocou no mercado a SH 150i, uma forte concorrente para a PCX, da mesma empresa. A SH 150i oferece ainda mais sofisticação e tecnologia de ponta, tem até chave presencial. Só que a PCX continuou vendendo bem e chegou a ter mais unidades comercializadas que nos anos anteriores. Enquanto a PCX teve 28.049 unidades vendidas, a SH 150i vendeu apenas 2.458.

Alguns ainda sentem saudade da Lead 110, mas a Honda PCX tem muito mais a oferecer e garante bom desempenho tanto em cidades pequenas como também nos grandes centros urbanos. Essa scooter tem a praticidade de uma moto simples, mas é bem mais confortável, inclusive para o garupa. Tem câmbio automático tipo CVT, deixando o dia a dia bem mais cômodo e ainda vem com tomada para carregar o celular, um diferencial importantíssimo.

A PCX tem linhas suaves, design moderno sem ser exagerado, a carenagem frontal se destaca positivamente, trazendo o farol avantajado com iluminação LED, além da excelente aerodinâmica.

Mas a Lead 110 ainda continua sendo muito procurada e nos sites de classificados é possível encontrar vários modelos, nas mais diversas cores e em ótimo estado de conservação. Quem é mais saudoso e gostaria de ter um modelo desse, é só fazer uma pesquisa, por exemplo, no Mercado Livre, onde o preço médio é de 6 mil reais. O importante é verificar bem antes de comprar, levando a moto em um mecânico de confiança para certificar-se que está realmente em boas condições.

Por Russel

Honda Lead 110


Primeira Scooter Aventureira chega ao Brasil custando R$ 52 mil.

A Honda inova mais uma vez em um segmento já consolidado no mercado nacional e apresenta o Honda X ADV, ou como mesmo ela denomina, o SUV sobre duas rodas!

Suspensões mais altas, pneus de uso misto, motor de 738 cavalos com câmbio de dupla embreagem, além de sistemas anti-travamento nas rodas de série são algumas das qualidades desta scooter aventureira, a proposta não é só agradar compradores que pretendem se aventurar fora da área urbana, mas propiciar maior conforto e robustez no uso diário em comparação aos outros modelos.

Proposta aventureira é o grande diferencial

A Honda X-ADV tem seu design diferenciado e preparado para diferentes terrenos, entre suas principais características destaca-se o para-brisa ajustável em 5 posições para um melhor conforto na pilotagem, além de duas posições configuráveis de pilotagem.

A iluminação na dianteira é feita por faróis Full LED garantindo melhor visibilidade e sofisticação ao conjunto, além de todo o conceito tecnológico envolvido.

Segurança Tecnologia

A Honda X-ADV conta com sistemas de freios antitravamento de série nas rodas, protetores de mão nas extremidades dos guidões, dentro da proposta mais aventureira do modelo e rodas com alto poder de absorção e resistência, de 17’’ na dianteira e 15’’ na traseira.

Os recursos tecnológicos são muitos, entre eles a chave inteligente ou simplesmente Smart Key, que permite o usuário acionar o motor sem o contato físico com a moto, se desejar do seu próprio bolso.

Fora isto, a Honda X-ADV conta com computador de bordo com múltiplas funções, entre elas hodômetros totais e parciais, indicador de combustível e de marcha, além de calendário e tacômetro.

A transmissão é do tipo DCT e também conta com três tipos configurações, sendo uma manual e duas automáticas com as trocas de marchas facilitadas na pilotagem por serem feitas no próprio guidão.

O conforto é garantido com um prático porta-objetos com uma tomada de 12V para uso variado pelo seus usuários.

Especificações Detalhadas:

Motorização e Sistemas

– Motor de arrefecimento por líquido, de quatro tempos, sistema OHC e composto por dois cilindros.

– Torque de 6,93 kgfm com potência de 54,8 cavalos a 6250 rotações por minuto (rpm) e taxa de compressão de 10,7.

– Transmissão com 6 velocidades e sistema de partida elétrico.

– Combustível utilizado é Gasolina com Sistema de Alimentação feito por injeção -eletrônica.

– Bateria de 12V com Ignição Eletrônica e Faróis de LED.

Dimensões e Capacidades principais:

– Altura de 1375 milímetros, Largura de 910 milímetros e Comprimento de 2245 milímetros.

– Peso de 223 Kg.

– Entre eixos com distância de 1590 milímetros.

– Altura mínima do solo de 165 milímetro e do assento de 820 milímetros.

– Capacidade do Tanque de Combustível de 13,1 litros já computados a reserva.

– Capacidade do Óleo do motor de 4,1 litros.

– Chassi tipo Frame Diamond

– Suspensão Dianteira do tipo Garfo telescópico com curso de 153 milímetros.

– Suspensão Traseira do tipo Pro-link com curso de 150 milímetros.

– Freios Dianteiros e Traseiros a Disco com 296 milímetros e 240 milímetros de diâmetro respectivamente.

– Pneu aro 17 na dianteira de 120/70 e aro 15 na Traseira de 160/60.

Preço e Como Comprar

O preço sugerido é a partir de R$ 52.500,00, nas cores Branco e Preta. A Honda irá iniciar as vendas de seu modelo aventureiro no início de 2018, mas o site da marca já aceita pré-reservas com base no preenchimento do cadastro do link: https://www.honda.com.br/motos/x-adv, aonde o futuro comprador deve preencher de qual estado e cidade irá adquirir primeiramente.

Todos os detalhes para compra e reserva da grande novidade da Honda, estão disponíveis no link https://www.honda.com.br/motos/x-adv.

C. B.


Modelo C 400 X é o primeiro scooter de baixa cilindrada da BMW.

Cheio de charme, estilo e perfeito para ser utilizado em áreas urbanas, driblar o trânsito e chegar mais rápido, cada vez mais os scooters vem conquistando espaço e se tornando os queridinhos de muitas pessoas.

Em 2011, a BMW se iniciou na categoria scooter, e os modelos de estreia responsáveis por iniciar a marca nessa categoria foram os modelos BMW C 600 Sport e o BMW C 650 GT, ambos scooters de alta cilindrada. Porém este ano, o Salão de Milão, maior evento de motos do mundo, responsável por mostrar os novos lançamentos e tendências e é claro levar a loucura os apaixonados por motos, apresentou muita novidade nessa edição e a BMW foi responsável por uma dessas novidades, o lançamento de seu primeiro scooter de baixa cilindrada, o modelo C 400 X, inclusive a marca já prometeu que mesmo sendo de baixa cilindrada, vai manter a qualidade premium no produto.

Com lançamento previsto para 2018, o modelo possui design moderno, elegante e os faróis de LED juntamente com uma ergonomia sofisticada traz um ar meio futurista, além de ter uma boa proteção contra o tempo/clima. O painel de instrumentos conta com tela LCD multifuncional com computador de bordo, nível de gasolina, temperatura do refrigerador, lembrete de revisões, relógio de tempo, entre outras funções. Outro ponto bacana no painel, é o fato de que quando o scooter está em ambientes claros, a luz do velocímetro apaga, isso para que o condutor tenha uma melhor visibilidade. Caso prefira, o condutor pode ter também adquirir os itens opcionais, onde ele terá a possibilidade de conectar smarphones, ouvir músicas, gravar rotas e até fazer chamadas caso ele tenha um capacete apropriado para isso, tudo através de uma tela TFT de 6,5 polegadas que vem equipada com esse pacote opcional. Em relação ao espaço para bagagem, a área se estende para baixo em direção a roda traseira, com isso ganhando espaço e resultando em um generoso espaço de armazenamento.

Perfeito para ser utilizado na cidade, o modelo conta com apenas um cilindro que gera potência de 34 cavalos, controle digital do motor, um tanque de combustível de 12,8 litros e uma reserva de 4 litros, 4 válvulas por cilindro, injeção eletrônica de combustível, velocidade de 139km/h e com itens de série como freios ABS, controle de estabilidade devido combinação de um pneu dianteiro de 15 polegadas com uma frente de 14 polegadas, que além da estabilidade, também garante uma ótima agilidade, duplo disco de freio na dianteira e disco simples na traseira e câmbio automático. Tem controle de tração ASC que aumenta a segurança, além de uma trança metálica nos travões.

Existem duas opções de cores: metálico azul e branco ou branco e preto com estofado vermelho. Além dos itens opcionais no painel de instrumentos, existe vários outros acessórios de fábrica que possibilitam a personalização do produto como, por exemplo, um sistema de início sem chave, luzes LED diurnas, troncos diferentes, assento inferior ou tela superior.

Os modelos serão lançados na Europa em 2018 e ainda não teve o preço divulgado.

Veja abaixo a ficha técnica:

Marca: BMW / Modelo: BMW C 400.

Ano: 2018.

Cilindradas: 350 cc.

Distribuição: OHC.

Cilindros: 1.

Válvulas por cilindro: 1.

Alimentação: Injeção eletrônica.

Refrigeração: Líquida.

Compressão: 11.5:1.

Potência: 34 cavalos.

Combustível: Gasolina.

Consumo: 3,5 l / 100 Km

Velocidade: 139 KM/h

Sistema de ignição: Eletrônico.

Bateria: 12 V 9ah.

Travão dianteiro: 2 discos ABS/ diâmetro 265 mm.

Travão traseiro: Disco/ diâmetro 265 mm.

Diâmetro da roda: 14’

Pneu de garganta: 4,25

Material da roda: Alumínio

Modelo do pneu: Diablo scooter

Medida dos pneus: 150/70 ZR14

Por Rosângela Pereira Rodrigues

BMW C 400 X

BMW C 400 X

Fotos: Divulgação


Modelo deverá ter autonomia para 100 ou 200 km.

A Vespa apresentou o seu primeiro modelo elétrico de scooter: a Elletrica, no Salão de Milão 2017, na Itália. No evento, a versão final foi apresentada, depois que apareceu como “conceito” em 2016. Mantendo um visual clássico, o lançamento é considerado a principal revolução na história da marca e a previsão é que a Elletrica chegue às concessionárias da Europa ano que vem.

Porém, no Brasil ainda não tem previsão de vendas, mas a marca atua no País desde 2016 por meio do grupo Piaggio. O preço ainda não está definido, mas a Elletrica na versão de entrada tem autonomia de 100 Kms e na versão Elletrica X de 200 Kms , além de um gerador que auxilia o motor elétrico. Para recarregar a bateria completamente, é necessário 4 horas. A potência máxima da Vespa elétrica é de 5,5 cavalos.

Outra novidade é que a BMW também apresentou o seu primeiro scooter de baixa cilindrada: o C 400 X, que tem um motor de 350cc de um cilindro, que alcança 34 cv. Pesando 204 kg, a scooter tem um quadro tubular com suspensão dianteira de 35 mm e também duplo amortecedor na parte traseira.

Os travões dianteiros do C-400X são duplos discos de 265 mm com pinças, que têm 4 pistons. Outro destaque é para o painel de informações TFT a cores, que conta com 6,5 polegadas. A moto é ideal para andar nas grandes cidades de forma rápida e eficaz.

A Yamaha também lançou na Itália a sua primeira moto de alta cilindrada com três rodas, sendo duas dianteiras. O modelo foi batizado de Niken e será vendido no mercado europeu. O preço ainda não está definido, mas as vendas serão feitas apenas por internet, por enquanto.

A tecnologia de três rodas, já foi empregada em outras scooters e o objetivo é fornecer segurança e estabilidade nas curvas. A Niken conta com motor de 3 cilindros da MT-09 e também 847 cc de cilindrada. Também acompanha freios ABS, controle de tração e um diferencial: quick shilfter, que é um assistente eletrônico, que deixa a troca de marcha mais rápida ao eliminar o uso da embreagem, facilitando o controle por parte do motorista.

Outra marca que apresentou a sua novidade foi a Kawasaki, que lançou o modelo Ninja H2 SX no Salão de Milão, que expande a linha de motos que tem o motor supercharged e pode alcançar até 210 cavalos de potência.

Na Itália, a Ducati apresentou o seu novo modelo de moto: Panigale V4, esportiva e que conta com 214 cavalos de potência. A V4 foi feita para a substituir a Panigale 1299 S, com 205 cavalos. É a primeira vez que a Ducati investe e aposta em um motor de 4 cilindros e será vendido a partir de 22.590 euros.

Com design esportivo, a V4 mantém a tradicional leveza nas suas versões. Por exemplo, na versão de entrada a moto pesa apenas 198 Kg e para S e Speciale 195 Kg. Outro destaque é que a V4 conta com vários sistemas eletrônicos como o de frenagem com derrapagem controlada. Também tem ABS para as curvas, quick – shift para subir e descer as marchas, modos de pilotagem e controle de tração. A V4 tem um desenho novo e tanto o motor quanto o chassi conta com a tecnologia da MotoGP.

No Salão de Milão, a Honda também apresentou a nova geração da CB1000R, que foi totalmente reformulada e aderiu a um visual mais retrô. Entre as principais novidades, estão o acelerador eletrônico e 3 modos de pilotagem. Além disso, a embreagem é assistida e a moto conta com sistema de anti-deslizante, que evita o seu travamento e fornece mais segurança para o piloto. O motor tem 4 cilindros e 998 cc.

O que você achou dos lançamentos? Deixe o seu comentário!

Por Babi


A nova versão da scooter da Yamaha vem com novas atualizações que promete encantar seus usuários.

A Yamaha NMax 160 traz em seu modelo muitos atrativos. E a expectativa é que ela seja um grande sucesso em 2018. A nova versão da Yamaha vem com novas atualizações que promete encantar seus usuários.

NMax 160 tem design diferenciado

Um dos pontos mais atrativos dessa Scooter é seu design, que conta com 3 opções de cores que são: Black Eclipse (preto), Matt Red (vermelho) e S-White (branco metálico). Com cores tão lindas, fica difícil escolher uma só. O assento da nova Yamaha tem nova textura que são divididas em duas partes por uma costura e traz mais conforto para quem vai pilotar.

Além disso, as rodas dessa nova versão são pintadas de preto e lembram ainda mais as versões de scooter esportivas.

Ainda falando do design da Yamaha NMax 160, podemos destacar seus faróis de LED. Na opção de farol alto é possível ver uma terceira luz central acesa, já na opção de farol baixo é possível ver 2 feixes elegantes de luz.

Já o painel de treinamento é totalmente digital, o que podemos afirmar é que essa scooter é uma explosão de tecnologia.

Parte mecânica da Yamaha NMax 160

A parte mecânica dessa scooter conta a inovação VVA que significa atuação de válvula variável. Ela serve para permitir a variação na abertura e fechamento das válvulas de admissão do motor, e com isso ela gera economia frequente por seu melhor aproveitamento da queima de combustível.

A Yamaha NMax 160 tem motor monocilíndrico de 155cc, 4 tempos e possui comando simples no cabeçote, tem refrigeração líquida que consegue gerar a potência máxima de 15, 1v a 8.000RPe torque máxima de 1,5 gf.m aos 6.000 giros.

Em testes realizados a Yamaha NMax 160 chegou a fazer 42km por litro. Uma grande economia.

NMax 160 é fácil de pilotar

Outra notícia boa é que essa Scooter é fácil de pilotar, e por isso é indicada até para as pessoas mais inseguras. Ela possui total segurança e modernidade, que ajudam na hora em que se está pilotando. Além de ter o conforto em seu banco também.

Tipo de combustível usado

A Yamaha NMax 160 usa a gasolina como combustível, e talvez esse detalhe não agrade a todos. Porém, outros fatores positivos tornam esse detalhe muito pequeno.

Preço de mercado

A Yamaha NMax 160 tem o preço de mercado sugerido em R$ 11.690.00. Esse valor está ótimo pela potência dessa Scooter e por ser lançamento também. Talvez seja possível encontrar uma opção mais baixa de seu valor, dependendo do local onde ela será comprada.

Amortecedores diferenciados

Os amortecedores dessa scooter tiveram ajustes duplos na traseira, trazendo mais conforto para quem estiver pilotando a mesma. E esse é um detalhe que vai valorizar ainda mais esse modelo, pois existem muitas reclamações dessa parte mecânica em outros modelos de scooter.

Câmbio automático CVT

Outra informação bem legal sobre a scooter NMax 160, é que ela tem câmbio automático CVT e tanque de combustível com capacidade para 6,6 litros, discos de 230mm na dianteira e parte traseira e por fim o ABS de série e freios a discos nas duas rodas.

Ficha técnica

Motor – Refrigeração líquida, 4tempos, SOCH, 4 válvulas

Potência Máxima – 15,1 cv (8.000 rpm)

Cilindros – 1

Cilindrada Real – 155cm³

Torque Máximo – 1,5 kgf.m / 6.000 rpm

Capacidade do tanque (reserva) – 6,6L (1,4 L)

Sistema de partida – Elétrica

Pneu Dianteiro – 110/70-13M/C 48P

Pneu Traseiro – 130/70-13M/C 63P

Suspensão dianteira – Garfo Telescópico/ 100mm curso

Suspensão Traseira – Motor Balança / 90mm curso

Freio Dianteiro – Disco 230 mm

Freio Traseiro – Disco 230 mm

Peso – 127k

Conclusão final sobre a Yamaha NMax 160

Ela é uma scooter completa e com toda modernidade necessária, seu desempenho supera todas as expectativas e por isso tudo indica que ela será um grande sucesso de venda.

Por Cristiane Amaral

Yamaha NMax 160

Yamaha NMax 160


A Yamaha Neo 125 possui um amplo conjunto de atributos e preço que a deixam muito interessante.

A nova versão da Yamaha Neo 125 chegou para fazer alvoroço em um mercado dominado pela sua compatriota nipônica, atributos e qualidades ela tem de sobra para isto!

Nacionalizada pela Yamaha em Manaus, no estado do Amazonas, a Yamaha Neo 125 lançada em 2016, conta com um novo motor de 125 cm cúbicos, de 9,8 de potência a 8000 rotação por minuto (RPM), além de um preço bem agressivo para seu nicho, partindo dos R$ 7.990,00.

Fora isso, o conjunto está mais leve, compacto e moderno, o condutor vai sentir suas qualidades na prática no trânsito do dia a dia, com os seus pouco mais de 95 kg quando conduzida, além de seu assento baixo, com cerca de 77 cm do solo. A Yamaha mede pouco mais de 1,85m de comprimento e 68cm de largura, facilitando muito as manobras em baixas velocidades, como em um trânsito engarrafado (seu principal habitat) demanda. Por conta disso a Yamaha aposta muito no público feminino, tanto que a expectativa é de 60% de seu total de vendas somente para mulheres, números que se tornam muito convincentes por conta de seus tributos de leveza e estrutura customizada até no guidão frontal compacto e rebaixado.

Seu câmbio CVT automático variável, compõe um conjunto harmonioso com o seu competente motor, fazendo com que os 0,98 kgfm de torque sejam suficientes para acelerar com certa rapidez, os freios são a disco na dianteira e a tambor na traseira, com um sistema combinado quando o freio traseiro é acionado em sua totalidade o dianteiro também corresponde com 30% de sua força.

Outros diferenciais importantes além do belo design são os faróis alto e baixo de LED dianteiros, um excelente porta-objetos de 14 litros, comportando um capacete com sobras para outros objetos. Função ECO do painel indicando uma pilotagem sempre mais econômica, além do sistema Auto Stop que faz o desligamento do motor quando o descanso lateral é acionado.

A Yamaha Neo 125 traz um comparativo em sua página com o seu maior concorrente

Mostrando uma ousadia digna de elogios, a própria Yamaha Neo 125 traz um detalhado comparativo com o sua principal concorrente; a Honda Biz 125!

O comprador pode conferir além dos principais detalhes da simpática scooter os atributos da concorrente aonde a Yamaha Neo 125 vence na maioria dos quesitos.

Enumeramos os principais na lista abaixo:

– Motor de 125 cv arrefecido a Ar.

– Potência de 9,8 cv com máxima de 8000 RPM.

– Câmbio Automático CVT.

– Pneus sem Câmara, aro 14, sendo 80/80 dianteiros e 90/80 traseiros, com rodas de liga-leve.

– Peso de 92 kg.

– Tanque de Combustível com capacidade de 4,2 litros a Gasolina.

– Freios a Disco na dianteira e a Tambor na Traseira com sistema unificado UBS.

– 3 Portas Objetos, sendo 2 dianteiros e 1 embaixo do banco com possibilidade de colocar até um capacete aberto.

Diferenciais na Assistência 24 Horas e no Seguro

A Yamaha disponibiliza Assistência 24 horas para o seu produto, além das revisões com preços fixos de acordo com cada estado e cidade, outro diferencial importante a ser considerado é o seguro oferecido pela Yamaha por um preço fixo de R$ 600,00 validos por um ano, a abrangência dele é nacional e possui coberturas de furto e roubo com cobertura de 100% da tabela FIPE.

Preço sugerido e cores

.A Yamaha Neo 125 tem o preço sugerido de R$ 7.990,00 para seus interessados com frete calculado a parte de acordo com o estado a ser realizada a compra, as cores disponíveis são as metálicas Branco e Vermelho e a fosca Cinza.

Maiores detalhes com um farto material fotográfico do produto, e um recurso de zoom 360º para verificar todos os detalhes da carroceria, o futuro comprador tem disponível no link abaixo: http://yamaha-motor.com.br/neo125.

Por Carlos B.

Yamaha Neo 125

Yamaha Neo 125


Confira aqui todas as novidades presentes na nova Honda PCX 2018.

A Honda parece seguir o ditado popular: "Em time que está ganhando, não se mexe". Isto porque a scooter PCX 150 manteve as mesmas características e os principais equipamentos em sua linha 2018, as novidades são somente novas opções de cores para a versões STD, agora contando com o azul escuro perolizado e prata fosco na versão DLX.

A scooter produzida em Manaus vende muito bem, tanto que é líder em sua categoria e este sucesso de vendas não é a toa, atributos técnicos e mecânicos não faltam em seu conjunto. A Honda se gaba de ter além da scooter mais vendida no Brasil, também ser a motocicleta com maior valor de revenda. Para justificar tudo isto seus preços permanecem os mesmos para a nova linha, reforçando ainda mais a estratégia da montadora japonesa em se firmar no topo.

Caraterísticas da Honda PCX 150

O design é ponto forte desta scooter, o conjunto ótico da frente é dividido entre carenagem superior e farol, este aliás é de LED. O visual além de ser agressivo também trás atributos de robustez e imponência, o uso do LED tem como principal vantagem a melhor visibilidade para o condutor e para os usuários e motoristas em volta.

Em sua parte tecnológica, os destaques são para o sistema de freios Combined Break System, ou melhor, CBS, que basicamente distribui a frenagem de maneira equilibrada entre as rodas traseiras e as rodas dianteiras, garantindo melhor segurança ao condutor.

Fora isso, a Honda PCX 150 conta com computador de bordo com registro instantâneo do consumo de combustível durante o percurso do motorista, além de um recurso que em veículos conhecemos como sistema Start&Stop, de forma inteligente e pensando em seu uso primordial na cidade, a Honda PCX 150 adotou um sistema de desligamento automático do motor quando se encontra em marcha lenta por mais de 3 segundos, denominado de Idling Stop, o condutor tem ao seu favor mais uma importante característica neste modelo para economia de combustível, fora a praticidade do conjunto no dia a dia.

Para complementar, uma tomada de 12V que pode funcionar como um carregador, estrategicamente posicionada no porta-luvas da scooter, fecha os principais recursos de conforto para o condutor.

Detalhes técnicos da Scooter

– Motor de 149,3cc
– Ignição e Injeção eletrônica
– Chassi em formato Monobloco
– Farol LED
– Bateria de 12V de 5Ah
– Tomada de 12V para uso geral
– Computador de Bordo
– Tanque de combustível de 8 litros
– Reservatório de Óleo do motor de 0,9 litros
– Suspensão dianteira usando garfo telescópico de 100/89 mm
– Suspensão Traseira usando dois amortecedores de 85/79 mm
– Transmissão Tipo V (matic)
– Peso aproximado de 125Kg
– Freios dianteiros a disco de 180,6mm
– Freios traseiros a tambor de 130mm
– Pneu dianteiro de 90/90
– Pneu traseiro de 100/90
– Altura do assento de 761mm aproximadamente
– Distância do solo de 138mm aproximadamente
– Entre eixos de 1315mm aproximadamente
– Largura, altura e comprimento de 737mm x 1103mm x 1931mm, aproximadamente

Garantia Honda

Garantia de três anos com fornecimento de óleo totalmente gratuita a partir da terceira revisão, com a promoção adotada pela montadora de fornecimento do óleo oficial durante as sete revisões do produto.

Versões da PCX 150 2018 e preços

Honda PCX 150 2018 na cor Prata Fosco, a partir de R$ 10.500,00

Honda PCX 150 2018 na cor Azul-Escuro Perolizado, a partir de R$ 10.500,00

Honda PCX 150 2018 na cor Marrom Perolizado, a partir de R$ 11.000,00

Ficou curioso? A Honda disponibiliza um belo catálogo de fotos, cores e detalhes técnicos no link www.honda.com.br.

Carlos B.


Conheça aqui mais detalhes sobre a Yamaha NMAX 160 ABS 2018.

A Yamaha anunciou a linha 2018 do scooter NMAX 160 ABS, que chega com três novas cores e uma exclusividade pioneira: é “o primeiro scooter do mundo com sistema de controle de abertura variável de válvulas”, segundo o próprio fabricante (saiba mais clicando aqui).

Além de sistema de freios ABS (sistema anti-travamento) que oferecem mais segurança, o scooter ganhou nova calibragem na suspensão para melhorar o conforto na condução (amortecedores traseiros Double Shock com curso de 90mm e garfo dianteiro com curso de 100mm) e a tecnologia está presente em detalhes como painel em LCD com computador de bordo e câmbio CVT, comum nos scooters.

Segundo o fabricante, a autonomia também merece destaque, se for entregue conforme prometido na ficha técnica do scooter: consumo médio de 38km/l somente na gasolina (ainda não há informação sobre uma possível versão bi-combustível). Tal promessa não deve ser difícil de ser cumprida, já que existe tecnologia suficiente para tanta economia – indicação de pilotagem econômica no painel aliada à transmissão de variação contínua e o comando variável de válvulas no motor de 160 cm³, que entrega 15,1 cv de potência a 8.000 rpm e um torque máximo de 1,47 kgfm a 6.000 rpm.

A Yamaha vai ainda mais longe ao afirmar que o NMAX 160 ABS é o “primeiro da categoria com freio a disco e ABS nas duas rodas”. A verdade é que cada detalhe do Yamaha NMAX 160 ABS foi pensado para tornar a experiência de pilotagem mais segura, ergonômica e confortável. O painel em LCD possui retro iluminação em LED e um acabamento na sua lente que impede reflexos, garantindo assim uma visualização segura das informações durante a condução. O computador de bordo traz algumas informações relevantes como aviso do momento de trocar o óleo lubrificante e a hora de fazer a manutenção (troca) da correia do sistema de transmissão (CVT). O LED também está presente nos faróis, seguindo a tendência mundial no que há de mais moderno quando o assunto é iluminação automotiva.

O público feminino, que cada vez mais busca nos scooters uma opção de mobilidade, não foi deixado de lado na hora do desenvolvimento do projeto. O veículo de duas rodas conta com um porta objetos com capacidade de 25 litros – que pode abrigar um capacete e ainda pequenos objetos – e possui uma posição de pilotagem sentada com assento duplo traseiro, que permite uma elevação ao garupa, dando assim mais espaço para as pernas e melhor visibilidade.

Apesar da boa média de consumo de combustível, a capacidade relativamente reduzida do tanque limita a autonomia do scooter NMAX 160 ABS. Com apenas 6,6 litros quando cheio (já incluso a reserva de 1,4 litro), seria possível rodar, considerando a média de 38km/l, em torno de 250 quilômetros. Este número pode ser considerado razoável em regime de uso urbano (para o qual o scooter foi concebido), mas pode representar algum inconveniente em situações de regime rodoviário, portanto, vale sempre estar atento à disponibilidade de postos de combustíveis no seu trajeto, se a ideia for rodar longas distâncias em estrada a bordo do NMAX 160 ABS.

Com um pacote razoável de itens tecnológicos, o NMAX 160 ABS tem valor sugerido pelo fabricante de R$ 11.690,00 (sem frete incluso). Já disponível nas concessionárias da marca e com as três novas opções de cores: Preto Eclipse (preto sólido), R-White (branco metálico) e Matt Red (vermelho fosco), também existe a promessa de valor de seguro com “preço fixo” (veja também no site da Yamaha) em R$ 750,00. E falando em preço fixo, as revisões entraram na mesma política: basta entrar no portal da marca e conferir os valores para a sua região.

UIRA FERNANDO LOPES FERNANDES


Modelo mais barato da Yamaha pareceter caído no gosto dos brasileiros e suas vendas só aumentam.

A nova linha de motocicletas, que foi lançada em setembro de 2016, demonstrou com seus indicativos que o mercado nacional estava carente de uma opção mais acessível de scooter. O modelo tem sido muito procurado e traz um valor muito viável aos consumidores. A scooter Neo é a scooter mais em conta atualmente no mercado, já que a Honda não produz mais a Lead 110. O valor da Neo, a mais barata da categoria, gira em torno de R$ 7.990,00 e as vendas estão indo de vento em polpa.

Segunda dados liberados pela Fenebrave, o novo modelo da Neo fez o fechamento do mês de fevereiro de 2017 registrando 767 emplacamentos. Esse número supera inclusive a Nma 760, com 733 emplacamentos registrados no período. Já no mês vigente – em março – a Neo está com registro de 871 vendas, muito próxima da NMax, que registra 881 unidades vendidas até agora.

Enquanto isso, a líder do segmento de scooters, a Honda de modelo PCX 150, continua intacta: são 2009 unidades vendidas em fevereiro e 1906 emplacamentos registrados até o último dia 27 (março). Contudo, com a soma de vendas das NMax e Neo, a Yamaha fica bem próxima da Honda.

A versão da Yamaha vem demonstrando a total reformulação em relação a Neo 115, o modelo anterior. A Neo 125 apresenta destaque pelo motor, que possui injeção eletrônica e rende 9,8 cavalos de potência e 0.98 kgfm de torque. Em relação ao design, também ocorreram mudanças, tal como a traseira, que traz faróis de LED. Falando sobre a mecânica da motocicleta, os freios UBS simbolizam uma novidade e funcionam de forma combinada: o acionamento do dianteiro acontece de forma parcial quando o traseiro é ativado, isso ajuda no equilíbrio quando pensamos nas frenagens.

Por enquanto, analisa-se que a nova Yamaha Neo 125 tem muitas chances de continuar crescendo no volume de vendas, devido às condições evidentes do custo benefício oferecidas.

Carolina B.


Piaggio lançou no Brasil a primeira scooter de 3 rodas: MP3.

Você se lembra da Vespa, uma moto cheia de estilo que conquistou uma geração inteira? Pois bem, a Piaggio, marca que é dona da Vespa, acabou de lançar no Brasil a sua scooter MP3, a primeira de 3 rodas.

Primeiro foi a vez da Vespa voltar a rodar em solo brasileiro, e agora a marca de origem italiana vem com a novidade da MP3. Serão oferecidas quatro versões e os preços são a partir de R$ 38.000.00.

A motocicleta foi lançada no dia 07 de dezembro.

A MP3 com certeza vai chamar a atenção de todos pelo seu estilo que lembra os modelos clássicos, com traços muito modernizados e principalmente pelas 3 rodas, equipada com um motor de 300 c, equipada com um motor de 300 cm³.

Veja os preços dos modelos da primeira scooter de 3 rodas do mundo:

A versão de entrada, a MP3 300 Yourban LT Sport, está sendo vendida por R$ 38.800.00.

Já a versão MP3 300 Yourban LT, possui o preço para venda de R$ 39.800.00.

A versão MP3 300 LT Sport, cheia de detalhes, está saindo por R$ 47.800.00.

E por último, a versão MP3 300 LT Business, um luxo em 3 rodas que sai por R$ 49.800.00.

A novidade de 3 rodas que chega ao Brasil agora, mas ela foi lançada há 10 anos atrás, no ano de 2006. O Brasil recebe um modelo deste estilo, oficialmente pela primeira vez. Contudo, já havia no Brasil alguns modelos que vieram como importados.

A Piaggio é uma marca Italiana, que no Brasil tem seus produtos vendidos por sua representante oficial, Asset Becley, um grupo de investimentos.

Os modelos já estão sendo vendidos, a princípio na condição de produto importado, mas a intenção da empresa é que a partir de 2018 as scooters sejam montadas no Brasil, mais precisamente em Manaus.

Segundo a empresa que produz tanto a Vespa como a MP3, a estimativa de vendas para o ano de 2017 é de 12 mil unidades, entre os dois modelos. Sendo que espera-se que 60% das vendas dessa 12 mil unidades sejam da MP3.

Ainda não se sabe se a moto de 3 rodas da Piaggio vai agradar a todos os gostos. Mas elas são realmente muito charmosas.

Por Sirlene Montes

Piaggio MP3 2017

Piaggio MP3 2017

Fotos: Divulgação


Scooters da marca estão sendo comercializadas como premium e custam mais de R$ 20 mil.

Em seu retorno ao mercado brasileiro, a Vespa já estabeleceu o valor de duas de suas scooters. Ambos modelos serão comercializados simultaneamente pelo site da empresa.

O modelo Primavera 125 cc sairá a partir de R$ 22.890, enquanto a Primavera Série Histórica 150 cc estará disponível por R$ 27.930. Já é possível reservar sua motocicleta na página da companhia.

A empresa afirma a entrega do produto para qualquer região do país. Dando uma entrada de 30% do valor inicial, o restante poderá ser quitado pelo comprador posteriormente em até 36 parcelas.

Em sua volta para o Brasil, a Vespa deixou mais que claro o objetivo de colocar a marca no patamar premium entre os scooters. Tendo como embaixador da marca no Brasil o ator Caio Castro e o preço de um modelo nada convencional são pontos que confirmam o indício de que “as vespinhas” serão comercializadas com um conceito diferente dos seus modelos similares.

O líder no mercado de scooters, a Honda PCX 150, é vendida na faixa dos R$ 10.000. Existem outros modelos mais baratos que rodam na casa dos sete mil reais, como a Honda Lead e a Yamaha Neo. Já a Dafra, concorrente direta da Vespa nesse segmento, investe também em um visual mais retrô, com o SYM Fiddle III, vendido por R$ 11.390.

O retorno da montadora italiana é conciliado com a parceria ao grupo de investimentos Asset Becley. A fabricante também estará vendendo em lojas físicas outros modelos. Inauguradas em 22 de outubro, às lojas em São Paulo e Campinas já estão em plena atividade.

Por enquanto, as motocicletas serão importadas. Atualmente a marca já comercializa os modelos Sprint 150, GTS 300, 946 Emporio e Armani 150, além da série Primavera. Ambos modelos podem ser encontrados nas concessionárias denominadas “boutiques” pela empresa. Na intenção de estabelecer um visual mais forte para a marca, o presidente da Piaggio Brasil, Longino Morawski, afirma que as boutiques sempre serão charmosas e elegantes.

Já existe a previsão por parte da empresa que a motoneta passe a ser produzida no Brasil em 2018. Visto que a Vespa já busca algumas parcerias com montadoras situadas no país.

Por Denisson Soares


Modelo chega ao país mais moderno, mas com o mesmo charme e estilo de sempre.

Quem nunca imaginou-se pilotando uma Vespa em uma estrada à beira-mar com uma garota na garupa? Ou mesmo um agradável passeio boêmio a qualquer dos bares do centro da cidade.

Acredito que vocês pensaram nestas cenas no momento. É nesta concepção retrô que muitos, inclusive eu que gosto da moda vintage, podemos realizar este sonho – do que é antigo com uma pitada de modernidade.

Isto porque a Vespa será, a partir de segunda-feira (10), relançada no Brasil com alguns elementos tecnológicos modernos, mas com o mesmo charme e design que conquistou milhões de pessoas pelo mundo. No Brasil não foi diferente. Na década de 1980, muitos exemplares desta moto foram vendidos por causa de seu preço acessível e pela facilidade de uso. Além de que era possível andar sobre duas rodas e não sujar-se enquanto pilotava.

A empresa criadora da Vespa, a Piaggio, fundada em 1884, em comemoração aos quatro séculos de existência, lançará o modelo 946 Emporio Armani 150, que traz em seu design elementos futuristas sem perder a essência mostrada ao mundo, em 1946.

Imaginem vocês, estão em um Café e entre um gole e outro, vossos olhos perpassam por uma destas motos. Esta é a ideia do presidente do Grupo Piaggio Brasil, Longino Morawski. Portanto, muita atenção, não haverão concessionárias, mas lojas instaladas em espaços como estes: cafeterias e shoppings. As inaugurações das primeiras lojas físicas estão previstas para o dia 22 de outubro, nos shoppings Iguatemi, no de São Paulo e no de Campinas. Além destas duas, a empresa prevê a inauguração de mais seis lojas pelo país ainda este ano.

São quatro séries das quais serão lançadas: a Primavera 150, que será vendida a partir do dia 10, segunda-feira, pela internet – ao todo são mil unidades do modelo; a GTS 300, com freios ABS e sistemas de controle de tração ASR; a Sprint 150 e também a Primavera 125. Além do modelo comemorativo, 946 Emporio Armani.

Se a Lego reinventou-se para sair da crise, a Piaggio reinventou em nós a necessidade de sairmos da crise e o porquê de se ter uma Vespa: em uma Itália pós segunda guerra, onde a economia estava defasada e o país aos escombros, a fábrica desenhou um modelo prático e simples para a locomoção em ruas entulhadas. O baixo nível de custo e preço tornou-a uma necessidade aos cidadãos e, logo, em toda a Europa. No Brasil, a pequena scooter foi bem recebida no período pós ditadura – mais uma vez seu sucesso deu-se ao momento econômico, mas agora em nosso país.

Sabemos da situação de nossa economia atual. Portanto, adquirir uma Vespa não é uma ideia desditosa.

Marcel Alessandro Venâncio


Modelo foi apresentado no Vietnã e não deve ser produzido, servindo apenas de inspiração para novos projetos.

Uma moto que une uma aparência retrô, juntamente com toda a modernidade na sua concepção e nos detalhes. É isso que a Yamaha, uma companhia japonesa conhecida mundialmente e fabricante de um extenso leque de produtos também na área de motocicletas, apresentou no Primeiro Salão de Motos.

O evento, que aconteceu até o dia 10 de abril na cidade de Ho Chi Minh, no Vietnã, foi o palco escolhido para que a marca mostrasse seu mais novo protótipo, em uma linguagem que transpira design e dinamismo, tudo regado com uma pitada de passado. O 04GEN, nome dado ao modelo, possui um motor de 124,8cm³ e surpreendeu ao ousar nos aerofólios, trazendo para o público dois painéis móveis e transparentes nas laterais, dando a ideia de asas. Ainda, o farol, em conjunto a isso, foi idealizado de forma que se assemelhasse muito a um inseto.

Além do diferencial já comentado, o protótipo também possui uma carenagem e cobertura diferenciada. Isso porque o local também apresenta armação em resina transparente, objetivando assim mostrar os detalhes que nunca se viu na estrutura do veículo. Outra característica que demonstra a inovação constante nos modelos produzidos pela Yamaha é a utilização de um smartphone como painel para a apresentação de dados da motocicleta.

Todavia, tanta modernidade vem acompanhada também de um conceito retrô, remetendo à imagem que se tem das antigas scooters italianas da marca Vespa. O passado pode ser visto e sentido também no acabamento em couro usado para revestimento de banco.

Isso e muito mais é a 04GEN, unindo o velho e o novo. Com essa scooter, a Yamaha reforça mais uma vez a sua tradição na fabricação e criação de produtos inovadores no mercado, buscando sempre a excelência no desenvolvimento destes e, principalmente, primando em engenharia avançada para buscar os melhores resultados durante a sua locomoção.

A empresa japonesa, apesar de ter dado asas à sua imaginação, não irá, até onde se sabe, produzir a scooter-conceito. Todavia, não há motivos concretos divulgados pela organização do porquê disto. Porém, nota-se claramente a influência futurística que esta “obra de arte” acaba tendo sobre o futuro que nos aguarda neste setor. A 04GEN é uma verdadeira inspiração para os projetos que ainda virão e que estarão em breve circulando nas ruas.

Para saber mais, basta assistir ao vídeo abaixo:

Kellen Kunz


Montadora faz promoção e oferece descontos especiais em suas scooters.

As scooters, aquelas famosas motinhas no estilo Honda Biz, na primeira década de 2000, conquistaram o coração dos brasileiros. Visando esse mercado, a Dafra começou o mês de Abril de 2016 com promoções imperdíveis, a certo ponto.

A Cityclass 200i, modelo de entrada da marca, oferece um bônus de R$ 1.000,00 no preço final, o que consequentemente proporciona a motocicleta um custo de R$ 9.900,00, caso o pagamento seja feito à vista. Há também a possibilidade de ser oferecida uma entrada de 50% do valor total e parcelar o restante em até 12 vezes sem acréscimo de juros.

Para o scooter Maxsym 400i, scooter de maior padrão que a Cityclass 200i, a marca oferece um desconto de R$ 3.000,00, o que faz com que o preço da scooter Maxsym 400i caia para R$ 20.000,00, aproximadamente.

A scooter Maxsym 400i, mesmo não sendo das maiores em relação ao tamanho, até impressiona por seus números. A scooter Maxsym 400i é equipada com um motor monocilíndrico de quatro válvulas e injeção eletrônica. Essas características proporcionam a scooter Maxsym 400i um desenvolvimento máximo de 33 cavalos de potência a 7.500 rpm. A comodidade fica por conta de um câmbio automático do tipo CVT. Além disso, a segurança está disposta por um sistema de freio de discos que possui as opções ABS e hidráulica.

Os scooters ganharam o mercado e tendem a ser uma boa opção para o dia a dia. Contudo, o preço da scooter Maxsym 400i supera um pouco a média de mercado, haja vista as características típicas da motocicleta.

Outro aspecto que deve ser observado se deve ao fato da publicidade. Caso a Dafra queira uma maior porcentagem do mercado de motocicletas no Brasil, precisa necessariamente investir em propaganda. No cenário atual, quase não vemos publicidades referentes as motocicletas da Dafra.

Como em todo o caso, cabe àquele que aspira por um novo scooter fazer a relação custo-benefício. A Cityclass 200i apresenta um preço mais em conta, por volta de R$ 9.900,00, contudo, proporciona menos conforto. A scooter Maxsym 400i, com desconto de R$ 3.000,00, sai por R$ 20.000,00, aproximadamente, oferecendo mais conforto, porém, foge um pouco à média de preço do mercado.


Scooter chega ao país para concorrer com a Dafra Citycom 300i e custará cerca de R$ 23 mil.

A Honda, uma das empresas líderes mundiais em fabricação e venda de motocicletas, lançou oficialmente no mercado brasileiro a Honda SH 300. Este novo modelo da marca é um scooter considerado “premium” devido ao fato de possuir freios ABS de fábrica, bem como 300 cilindradas. O valor de comercialização dessa novidade da Honda aqui no Brasil será de R$ 23.590, o principal objetivo da fabricante com este lançamento é fazer concorrência com o scooter da marca Dafra, chamado Citycom, o qual, antes da chegada deste novo modelo aqui no Brasil, era a única opção de scooter com essa faixa de cilindrada. O Citycom é vendido pela Dafra por R$ 18.490. Apesar da diferença de valor, o modelo da Dafra não possui nem como opcional o freio ABS, mas conta com o sistema CBS já de fábrica.

O Scooter SH300i chega ao mercado nacional com a boa reputação de ter sido um grande sucesso de vendas no mercado da Europa. No mercado europeu, um scooter de 300cc são considerados ainda como de baixa cilindrada, mas mesmo assim o modelo teve uma boa aceitação, fator este que indica que aqui no país não deve ser diferente, haja vista que para o padrão nacional, um scooter dessa cilindrada está entre uma das maiores cilindradas disponibilizadas no mercado para este tipo de veículo.

Para se ter uma breve noção do quanto essa família de scooter fez sucesso no continente europeu, por lá ela já é produzida há 30 anos, sendo disponibilizados os modelos SH 150 e o SH 125. Por lá, o veículo já conseguiu superar a incrível marca de 1 milhão de unidades comercializadas.

A previsão da Honda é de que o scooter SH 300i chegue às concessionárias da marca a partir do mês de abril, sendo que a sua produção será destinada para a cidade de Manaus.

O propulsor que será utilizado no SH 300i é dotado de 1 cilindro e 279,1 cc, configuração esta que é capaz de produzir uma potência de 24,4 cavalos a 7.500 rpm e um torque de 2,59 kgfm a 5.000 rpm, este motor funcionará em conjunto com o sistema de câmbio CVT automático.

Por Adriano Oliveira


Novo modelo alia design, tecnologia e itens inovadores. Lançamento será em fevereiro de 2016.

Com um design que passa um toque de “ares” parisiense, a Dafra não esperou para 2016 o lançamento da sua mais nova queridinha: a Fiddle III.  Mas, não se afobe, fala-se de lançamento, não de chegada ao mercado de vendas, programada só para fevereiro de 2016.  

Mostrar o seu novo modelo de moto no Salão Duas Rodas, ocorrido em outubro, em São Paulo, foi uma estratégia da Dafra para “atiçar” o desejo dos apaixonados por duas rodas; fazendo-os aguardar até fevereiro do próximo, para não se precipitarem em fazer uma compra sem antes conhecer a proposta estilo vintage da Dafra.  

O que a Fiddle tem de interessante, além do seu design já citado, são itens inovadores para uma moto. O primeiro deles foi pensar no conforto de quem irá guiá-la, pois ela vem com um espaço sob o banco onde vai dar para guardar o capacete. Ainda se tratando de conforto, a Fiddle III também oferecerá entrada USB para se carregar equipamentos eletrônicos. A Dafra sabe que hoje é complicado se ficar longe das tecnologias, daí essa sacada em tornar disponível a entrada USB.  

A Fiddle III é um scooter, mas nem por isso deixará de ter uma boa potência, o que explica ela ter um motor de 124 centímetros cúbicos em 103 cv de potência.      

O visual tem também a marca do porta-luvas com fechaduras; as luzes LED, uma inovação do universo motorizado que a Dafra decidiu usar da Fiddle, com a proposta de fazer um contraponto de tecnologia com o seu desenho estilo mais retrô. A proposta é agradar a gregos e troianos, a quem gosta do antigo, mas também do moderno.  

Ainda não se sabe por quanto custará levar para casa, ou melhor, para as ruas, a nova Fiddle III da Dafra, mas o que a companhia almejou com certeza conseguiu: fazer com que se pague o valor merecido por tanta beleza, conforto e tecnologia que ela tem para oferecer.

Por Michelle de Oliveira

Dafra Fiddle III

Dafra Fiddle III

Fotos: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: