Análise da Yamaha Lander 250 ABS 2019




Confira aqui os prós e contras da nova Yamaha Lander 250 ABS 2019.

A Yamaha Lander 250 está entre as motocicletas de grande sucesso na história da marca no território brasileiro, batendo a marca de 103 mil unidades emplacadas. Fabricada no ano de 2006 de maneira específica para o Brasil, tendo uma proposta de transitar tanto no asfalto quanto na terra, o modelo apareceu como uma alternativa para brigar com a Tornado 250, modelo da Honda, e depois com o modelo XRE 300.

Com o peso da idade, a moto passou recentemente por uma das maiores alterações de toda sua vida, indo para a segunda geração, assim como ocorreu com sua moto urbana, Yamaha Fazer 250. A péssima notícia é o fato de que ao lançar a XTZ 250 Lander na linha 2019, o modelo Ténéré 250 acaba por sair de linha, a qual integrava a família on/off-road das 250 cc da fabricante.


Embora tenha escolhido manter somente um dos modelos, a marca japonesa não deixou de lado a Ténére 250 e diversas características desta acabaram sendo transferidas para este lançamento. Sendo um misto de Lander com Ténéré.

Ainda que não tenha definido o preço, a moto já irá desembarcar nas concessionárias do Brasil ainda no mês de janeiro de 2019, na segunda quinzena.

Elementos importantes na nova Lander 250 linha 2019:

  • De série com freio ABS, porém, somente em sua roda dianteira
  • Visual novo, tendo a XT 660R como inspiração
  • Aumento no volume do tanque em 11 litros, atingindo a marca de 13,6 litros
  • Luzes passaram a ter tecnologia LED
  • Elevação de seu peso total, aumentando em 10 kg, passando a ter 143 kg
  • O propulsor continuou sendo o mesmo, gerando uma potência de 20,9 cavalos
  • O painel também se manteve, porém, recebeu indicadores novos
  • Banco em dois níveis, agora é mais largo
  • Guidão, assento e escapamento foram alterados
  • As suspensões foram encurtadas um pouco
  • Suspensões e chassi foram modificados

Deixou de ter design de trilheira

Somente o modelo Lander 250 possuía uma utilização mista eu mantinha uma cara de trilheira, quando se tratava no mercado das 250/300. Assim que a Tornado saiu de cena, a Honda XRE 300 já foi lançada com um design mais de aventureiro e, por fim, a Lander acabou ficando mais moderna.


A Yamaha deu o recado de forma clara, de que a inspiração para este lançamento adveio da XT 660R, que é uma das motocicletas mais clássicas da marca, só que não está mais no mercado.

Fazendo uso de novas carenagens que envolvem seu tanque, farol redesenhado na dianteira e para-lama mais bicudo na frente, é de fato fácil identificar os elementos da antiga XT neste lançamento. A nova Lander 2019 está encorpada, até parecendo uma moto que possui um moto de cilindrada maior.

Entretanto a moto também teve uma dose de estilo da Yamaha Crosser 160 , ainda mais em seus grafismos coloridos. Mais sobriedade neste arranjo poderia deixar a Lander muito mais parecida com a XT 660R.

Na sua parte de trás, há também um visual totalmente novo e bem mais moderno, equipada com uma lanterna que remete a Fazer atual, que por sinal suas lâmpadas de posição agora são em tecnologia LED. Além disso, suas alças de garupa passaram a ser mais confortáveis e ter mais robustez.

As alterações ainda seguem com o assento novo que deverá ser muito querido pelos motociclistas que ficaram órfãos da Ténéré 250. Aquele banco reto da Lander antiga já era, com uma pegada off-road. Neste lançamento o banco vem mais anatômico e mais largo, com dois níveis, o que traz muito mais conforto para os ocupantes da motocicleta, que inclusive reclamavam muito do antigo banco, por ser seco e fino demais. O guidão é novo também e deixou os braços do piloto mais relaxados.

FILIPE R SILVA

Compartilhar:


Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *