Suzuki Katana 125 – design, motor e ficha técnica


Confira aqui as principais novidades presentes na nova Suzuki Katana 125.

Nos dias de hoje, a Suzuki possui oito modelos de motos com 125 cilindradas. Entre elas, se destaca a Katana, que será comentada em maiores detalhes ao longo deste artigo quanto à sua ficha técnica e outras especificações que possam ajudar os consumidores a fazer uma compra mais consciente caso estejam interessados no modelo em questão.


É possível afirmar que a Suzuki Katana foi lançada ainda no ano de 1981. Na ocasião citada, ela se tornou um verdadeiro sucesso de vendas, visto que rompia com vários padrões de motocicletas, de modo que ao longo dos anos acabou se tornando bastante cultuada pelos aficionados por veículos deste tipo. Assim, nada mais natural do que o modelo fazer um retorno.


Isso aconteceu ainda no ano de 2017, ocasião na qual a Suzuki apresentou durante o EICMA, evento que acontece na cidade de Milão, um protótipo chamado Katana 3.0 Concept. Embora ele fosse somente um conceito desenvolvido pela marca até então, a sua recepção foi tão positiva que a motocicleta foi colocada em produção pela empresa. Atualmente, ela já está disponível no mercado de Portugal.


Devido a isso, alguns detalhes já podem ser conhecidos. Assim, o primeiro deles é o design, que não foi um consenso. Ele é bastante diferente da versão dos anos 80, o que causou alguns estranhamentos, mas não foi o suficiente para impedir que a Suzuki Katana fosse novamente um sucesso de vendas.


Apesar das diferenças, a nova Katana possui inspiração no modelo original. A sua parte mecânica é algo que chama bastante a atenção dos consumidores, visto que possui um motor de quatro cilindros em, linha, além de 999cc. O motor é montado em dupla trave em alumínio.

Vale destacar também alguns aspectos relativos às suspensões da moto, que são KYB e possuem a forquilha invertida e totalmente ajustável. Em termos de amortecedor traseiro, vale pontuar que ele também é ajustável e isso pode ser feito pré carga, além de permitir a recuperação.

Quando se fala sobre os recursos de travagem, é válido mencionar que a Suzuki usou as pinças Brembo de montagem radial, que já estavam presentes em alguns modelos das gerações mais recentes da marca. Cada uma delas possui quatro êmbolos e atua em dois discos diferentes com ABS Bosch.

Em termos de conforto, é possível destacar que os bancos possibilitam essa característica ao modelo. Entretanto, eles são pouco espaçosos para transportar um segundo passageiro. Isso acontece porque as abas laterais não possuem pregas, ao contrário do que se pode parecer nas imagens veiculadas online. Além disso, a moto é 6kg mais pesada do que algumas da Suzuki, o que a torna ótima para estradas.

No que se refere ao acelerador e aos cabos, vale pontuar que a Suzuki Katana peca um pouco e a marca perdeu uma ótima oportunidade de recuperar um modelo que foi revolucionário neste sentido na ocasião do seu lançamento. Logo, quando o assunto é a tecnologia, a Katana fica um pouco abaixo de modelos da concorrência, visto que o acelerador não é ride by wire e ela não possui modos de condução ou quick shift, além de não contar com cornering ABS ou chave inteligente contactless.

Assim, é interessante destacar que quando se fala sobre recursos eletrônicos, a única coisa que o modelo em questão oferece é o controle de tração regulável, que possui três níveis distintos e é desligável. Isso pode ser considerado uma pena tanto considerando a concorrência do atual mercado quanto o legado da própria Katana, que se tornou uma moto cultuada ao longo dos anos exatamente por ter oferecido aos aficionados uma série de aspectos inovadores. Logo, a nova Katana pode ser considerada um modelo conservador e seguro.


Amanda Guimarães Faria


Outros Conteúdos Interessantes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.