Modelo chega para ser o mais barato disponível, concorrendo com o Yamaha Neo 125.

Na quarta-feira da semana passada (5 de dezembro de 2018) a Honda revelou o preço de seu novo scooter. Vai custar R$ 8.250, tendo somente uma versão e contando com freios CBS de série.

Este é considerado o principal lançamento da Honda em 2018. O scooter chega às lojas da montadora japonesa em dezembro. A Honda tem o objetivo de posicioná-lo abaixo do modelo “PCX 150”, que é atualmente o scooter mais vendido do Brasil.

A montadora havia anunciado, no dia 19 de outubro, nove modelos de motos para 2019 no país. Dentre esses modelos havia lançamentos, renovações de modelos já existentes e séries especiais. Entre os destaques desse anúncio de outubro lá estava o pequeno Scooter Elite 125.

Motor

O pequeno Honda Elite 125 tem motor de 1 cilindro e 124,9 cilindradas. O motor conta com 9,34 cavalos de potência (7 quilowatts) e torque de 1,05 kgfm. O câmbio automático já vem com a tecnologia CVT.

Outras Características

O tanque de combustível tem a capacidade de 6,4 litros. Luzes com a tecnologia LED são disponibilizadas como itens de série, assim como os freios do tipo CBS.

A altura do assento é de 77,2 cm e você se deslocará pela cidade olhando para um painel digital em uma scooter vermelha, azul, branca ou preta. Se você decidir passar no supermercado e comprar algo, terá um espaço para bagagens abaixo do assento.

Vendas em Alta

O setor de motos no geral vem tendo uma lenta recuperação nas vendas depois de uma grave queda, tendo uma pequena recuperação apenas esse ano. Apesar desses números moderados, as scooters vêm subindo de popularidade há um bom tempo. Um bom exemplo disso é a contínua alta nas vendas no setor. Veja informações completas no site oficial da Abracio clicando aqui.

Tendo ultrapassado as 48 mil unidades vendidas em 2017, o setor de scooters superou o número anterior de 2014, que havia sido o melhor ano para as vendas no setor. Em 2014 foram vendidas quase 42.500 unidades das pequenas motocicletas.

O avanço na quantidade de unidades vendidas foi enorme num período de apenas 7 anos! No ano de 2007, a quantidade de scooters vendidas no Brasil foi de 3.280, passando para 10.567 em 2008, 29.116 em 2009 e 42.491 unidades em 2014! As vendas de 2014 foram mais de 10 vezes maiores do que as vendas de 2007!

Porém, os anos de 2015 e 2016 apresentaram números menores do que 2014. E somente em 2017 foram superados os números de 2014, com mais de 48.800 unidades vendidas em todo o país durante o ano.

Motos de alta cilindrada também se mantiveram em alta por um tempo

As motocicletas acima de 450 cilindradas são consideradas de alta cilindrada no Brasil. Essas motos, juntamente com os scooters, não tiveram a queda de vendas que outros modelos tiveram nos últimos 6 anos. Porém, elas já começaram a ter uma forte queda nas vendas em 2015, deixando os pequenos scooters como o único nicho com altas nas vendas.

As motocicletas de alta cilindradas vinham de um período de altas em vendas desde 2004. No período de 10 anos, entre 2004 e 2014, as vendas subiram vertiginosamente. Foram 5.771 motos com mais de 450 cc vendidas em 2004 contra 53.737 vendidas em 2014. Porém, em 2015 houve uma queda nas vendas para 49.738 motos e uma nova queda para 36.036 motos vendidas em 2016. Até outubro de 2017 a venda de motos de alta cilindrada estava em 27.913 unidades, mostrando uma provável nova queda. parece que o pequeno Scooter resiste a qualquer crise.

Por Bruno Rafael da Silva


Confira aqui os prós e contras da nova Yamaha Lander 250 ABS 2019.

A Yamaha Lander 250 está entre as motocicletas de grande sucesso na história da marca no território brasileiro, batendo a marca de 103 mil unidades emplacadas. Fabricada no ano de 2006 de maneira específica para o Brasil, tendo uma proposta de transitar tanto no asfalto quanto na terra, o modelo apareceu como uma alternativa para brigar com a Tornado 250, modelo da Honda, e depois com o modelo XRE 300.

Com o peso da idade, a moto passou recentemente por uma das maiores alterações de toda sua vida, indo para a segunda geração, assim como ocorreu com sua moto urbana, Yamaha Fazer 250. A péssima notícia é o fato de que ao lançar a XTZ 250 Lander na linha 2019, o modelo Ténéré 250 acaba por sair de linha, a qual integrava a família on/off-road das 250 cc da fabricante.

Embora tenha escolhido manter somente um dos modelos, a marca japonesa não deixou de lado a Ténére 250 e diversas características desta acabaram sendo transferidas para este lançamento. Sendo um misto de Lander com Ténéré.

Ainda que não tenha definido o preço, a moto já irá desembarcar nas concessionárias do Brasil ainda no mês de janeiro de 2019, na segunda quinzena.

Elementos importantes na nova Lander 250 linha 2019:

  • De série com freio ABS, porém, somente em sua roda dianteira
  • Visual novo, tendo a XT 660R como inspiração
  • Aumento no volume do tanque em 11 litros, atingindo a marca de 13,6 litros
  • Luzes passaram a ter tecnologia LED
  • Elevação de seu peso total, aumentando em 10 kg, passando a ter 143 kg
  • O propulsor continuou sendo o mesmo, gerando uma potência de 20,9 cavalos
  • O painel também se manteve, porém, recebeu indicadores novos
  • Banco em dois níveis, agora é mais largo
  • Guidão, assento e escapamento foram alterados
  • As suspensões foram encurtadas um pouco
  • Suspensões e chassi foram modificados

Deixou de ter design de trilheira

Somente o modelo Lander 250 possuía uma utilização mista eu mantinha uma cara de trilheira, quando se tratava no mercado das 250/300. Assim que a Tornado saiu de cena, a Honda XRE 300 já foi lançada com um design mais de aventureiro e, por fim, a Lander acabou ficando mais moderna.

A Yamaha deu o recado de forma clara, de que a inspiração para este lançamento adveio da XT 660R, que é uma das motocicletas mais clássicas da marca, só que não está mais no mercado.

Fazendo uso de novas carenagens que envolvem seu tanque, farol redesenhado na dianteira e para-lama mais bicudo na frente, é de fato fácil identificar os elementos da antiga XT neste lançamento. A nova Lander 2019 está encorpada, até parecendo uma moto que possui um moto de cilindrada maior.

Entretanto a moto também teve uma dose de estilo da Yamaha Crosser 160 , ainda mais em seus grafismos coloridos. Mais sobriedade neste arranjo poderia deixar a Lander muito mais parecida com a XT 660R.

Na sua parte de trás, há também um visual totalmente novo e bem mais moderno, equipada com uma lanterna que remete a Fazer atual, que por sinal suas lâmpadas de posição agora são em tecnologia LED. Além disso, suas alças de garupa passaram a ser mais confortáveis e ter mais robustez.

As alterações ainda seguem com o assento novo que deverá ser muito querido pelos motociclistas que ficaram órfãos da Ténéré 250. Aquele banco reto da Lander antiga já era, com uma pegada off-road. Neste lançamento o banco vem mais anatômico e mais largo, com dois níveis, o que traz muito mais conforto para os ocupantes da motocicleta, que inclusive reclamavam muito do antigo banco, por ser seco e fino demais. O guidão é novo também e deixou os braços do piloto mais relaxados.

FILIPE R SILVA


Com novo visual, XRE 300 chega às lojas com Freio ABS de fábrica.

A motocicleta Honda XRE 300 linha 2019 desembarca nas concessionárias do Brasil ainda no mês novembro de 2018, trazendo consigo um design totalmente novo, menos peso e sistema de iluminação em tecnologia full LED. Os interessados na trail só poderão adquirir o modelo com versão de freios ABS nas colorações prata, azul, adventure e rally, pela cifra de R$ 18.690, as quais mudam somente por seus grafismos, agora mais sofisticados. O preço é aproximadamente R$ 200 acima do que era cobrado pela linha 2018, ao estar equipada com ABS, onde a mesma sai das lojas por R$ 17.990.

A alteração visual agora teve uma radicalidade maior, se comparado com todas as outras mudanças desde 2009, quando o modelo foi lançado. O desenho da linha 2019 sofreu a perda de seu protuberante “bico”, presente na geração anterior e passou a lembrar muito a XRE 190, que possui dois paralamas sendo um deles superior menor e um junto à roda. As carenagens traseiras e laterais são totalmente novas. Ainda que sua aparência tenha sido alterada, o tanque da trail continuou com sua capacidade de 13,8 litros.

Na sua parte traseira, a nova XRE 300 ainda recebeu maiores alças laterais, as quais prometem mais segurança e conforto para quem vai na garupa. Seu conjunto de iluminação com tecnologia full LED é mais uma das novidades interessantes presente na motocicleta: piscas, o grupo ótico dianteiro e a lanterna traseira, adotam uma tecnologia de iluminação, permitindo poupar consumo de energia e peso, além de prometer uma durabilidade maior.

Na parte prática e estética ainda, o destaque fica por conta dos espelhos retrovisores novos e seu painel "black-out", o qual possui agora informações sobre o consumo instantâneo e médio.

Menor peso e freios ABS

Uma novidade interessante é o sistema de freios. A montadora japonesa deixou de lado o C-ABS, que por sua vez possuía frenagem combinada em ambas as rodas, e passou a adotar somente o sistema anti-travamento, conhecido como ABS, em dois canais independentes. Embora o sistema tenha mudado, os discos continuam os mesmos, tendo um diâmetro de 256 mm, na roda frontal com 21 polegadas; já na roda traseira, que possui 18 polegadas, o diâmetro é de 220 mm. Mantiveram as mesmas medidas nos pneus também sendo, na dianteira um 90/90/21; e na traseira um 120/80/18.

A alteração em seu sistema de freios acabou por culminar na redução de peso do modelo, passando a diminuir 5,4 kg seco, ainda que a montadora não tenha garantido esta informação. A geração anterior pesava, a seco, 153 kg, já a linha 2019 aponta, na balança, a marca de 148 kg.

Uma diminuição muito bem-vinda, visto que a performance do propulsor DOHC de um cilindro, e com tamanho de 291,6 cm³, não alterou. O motor é alimentado através de injeção eletrônica e possui combinação bicombustível, e ainda produz a mesma potência de 25,4 cavalos em 7.500 giros, ao utilizar gasolina, enquanto com etanol a potência sobe para 25,6 cavalos na mesma rotação.

A Honda XRE 300 com ABS em linha 2019 contará com quatro cores, que são inéditas para o modelo: Verde Fosco, chamada de Adventure; Vermelho, conhecida como Rally; Prata Metálico e Azul Escuro Perolizado. As primeiras unidades já estão chegando nas 1.100 lojas que irão comercializar a Honda, tendo um preço sugerido de R$ 18.690,00, para as cores Adventure e Rally, enquanto que para as cores Prata e Azul o valor será de R$ 18.200,00, sendo baseado pelo estado de São Paulo, ainda não incluindo os gastos com seguro e frete.

A moto possui três anos de garantia, sem limitação de quilometragem e 7 trocas de óleo grátis.

FILIPE R SILVA


Conheça todas as informações da Nova BMW F 850 GS 2019.

A nova BMW F 850 GS 2019 é uma moto que traz muita modernidade para seus usuários. Essa moto é indicada para quem gosta muito de aventura em cima de duas rodas, pois ela roda muito bem tanto na cidade como na estrada. Esse modelo tem muitos itens eletrônicos, que são bem atrativos para quem está em busca de uma máquina moderna e que ofereça uma viagem cheia de emoção e segurança também. Conheça agora as principias informações da Nova BMW F 850 GS 2019.

Moto sem muita potência

Uma das informações que pode não agradar a muitos usuários, é que esse modelo não tem tanta potência. A marca preferiu investir em tecnologia e deixar a potência mais baixa. O lado ruim dessa notícia, é que muitas pessoas que pilotam, buscam por motos que sejam potentes e possam ter uma aceleração alta. Mas isso não é motivo para não olhar com calma para todas as informações dessa moto, que vai chegar ao mercado conquistando até mesmo quem preza por potência. O motor desse lançamento tem 80 cv, que é considerado pouco por muitas pessoas que conhecem essa marca.

Falando sobre o motor da BMW F850 GS 2019

O motor dessa moto é muito moderno, apesar de não oferecer uma alta potência. A primeira informação sobre o motor é que ele está maior e mudou de 798 cc para 853 cc. Ele ainda tem 2 cilindros paralelos, e uma das novidades é que ele possui intervalo de ignição de 270º. O torque máximo é de 6.250 giros e 9,18 kgfm. Como podemos ver, essa moto tem um motor moderno e que consegue superar as expectativas dos usuários.

Moto com design esportivo

A Nova BMW F850 GS 2019 é uma moto com design esportivo, ideal para curte esportes e pilotar em estradas. Ela é considerada muito compacta e confortável. Outro detalhe da parte externa dessa moto são suas rodas dianteiras, que possuem 21 polegadas, elas possuem raios com fixação externas e dessa forma o usuário pode usar esses pneus sem câmara. O sistema encontrado nas rodas da BMW F850 GS 2019 é um dos mais modernos do momento e tende a agradar a muitos consumidores de moto. Já as rodas traseiras possuem 17 polegadas e são bem resistentes. Os discos de freio ficaram maiores e essa mudança ficou assim:

– Pinça flutuante de dois pistões;

– Dois discos com 305 mm de diâmetro

Nova BMW F850 GS 2019 tem novo quadro monocoque

O novo quadro monocoque vem para trazer estabilidade para o condutor dessa moto, já que ele pode ajustar de forma manual a compreensão da mola e sua velocidade de retorno. Assim é possível ter mais liberdade para conduzir a moto sem correr risco de acidentes. A suspensão dianteira invertida vem com 204 mm de curso, já a suspensão traseira, vem com monoamortecedor com 219 mm de curso.

Preço de mercado

Essa nova moto traz um valor inicial de mercado de R$50.950. Esse valor de mercado é completamente justificável, pois essa moto tem muitos itens modernos, assim como suas funções.

Câmbio com 6 opções de marchas

Outra informação interessante sobre essa moto, é que ela tem 6 opções de marchas. Dessa forma o usuário tem mais liberdade de velocidade e assim fica mais fácil assumir a direção dessa máquina.

Moto com controle de tração

Um dos detalhes de segurança dessa moto, é seu controle de tração que é bem alto. Esse detalhe é muito importante para quem se preocupa com a parte de segurança da moto. Essa moto tem 4 tipos de pilotagem, que serve para deixar o condutor mais seguro para dirigir em diferentes estradas e tipos de situações.

Conclusão final sobre a Nova BMW F850 GS 2019

A Nova BMW F850 GS 2019 é uma moto completa. Que tem um bom motor e muitos detalhes modernos. Ela é indicada para quem gosta de dirigir em diferentes lugares e tipos de estradas.

Escrito por Cristiane Amaral


Modelo chega em novas cores e custa quase R$ 8 mil.

Já iniciaram as vendas da nova Honda Biz, a linha 2019, a qual é disponibilizada em duas versões: a 110i com valor de R$ 7.750 e a 125 custando R$ 9.590. As duas agora possuem novos grafismos e novas cores. Os tons lançados são o cinza metálico e prata, além também do vermelho perolizado e uma alteração no branco perolizado, que já era visto na versão anterior. Para o modelo que é mais barato, as cores oferecidas serão vermelho perolizado, a manutenção do branco e cinza metálico.

O modelo em questão da montadora japonesa é o mais comercializado de todos os tempos, superando a marca de 100 milhões de unidades emplacadas em 60 anos, levando em consideração o modelo Super Cub. A motocicleta ficou famosa pelo fato de possuir um escudo frontal protetivo, além de um motor forte com embreagem automática. Entretanto, o modelo de lançamento, linha 2019, ainda possui entre suas principais vantagens o ótimo espaço no compartimento sob bando, destinado a colocar o capacete.

Há pouco tempo, a Honda Cub também foi equipada com um espaço sob o banco para acomodar o capacete, cuja abertura é acionada por meio da chave de ignição. Uma exigência dos tempos atuais que também virou um aperfeiçoamento foi a tomada 12V, muito utilizadas para recarregar tablets e celulares. A mesma se situa abaixo do assento de forma que não interfere no uso do espaço. Ao se tratar de cargas, a Biz tem capacidade de transportar bolsas, sacolas e mochilas através de um aperfeiçoamento do modelo, onde foi instalado um gancho retrátil na parte posterior de seu escudo frontal.

Já ao falar da parte mecânica do modelo, a Biz 110i e a 125 fazem uso de propulsores de apenas um cilindro, o qual é arrefecido através do ar e são alimentados por meio injeção eletrônica PGM-FI. Além disso, elas estão equipadas com um prático câmbio com quatro marchas e dotada de uma embreagem automática. A versão com 125 cc conta com a da tecnologia FlexOne, a qual dá ao condutor o poder de escolha entre gasolina e etanol para funcionamento de seu motor.

Honda Biz 2019 e seus detalhes

Ainda adentrando aos principais pontos da Honda Biz linha 2019, pode-se citar o sistema CBS, que auxilia de forma fundamental na diminuição do espaço de frenagem do veículo. Em testes feitos, a Biz 125 cc, utilizando freio a disco na roda frontal e freio a tambor na parte traseira, deslocou 29,4 m até a ficar imóvel, em uma velocidade de 60km/h, um espaço inferior de 6,7 metros ao que foi percorrido pela mesma Biz 125, porém, sem o sistema de CBS. Por outro lado, a Biz 110i, dotada de freios a tambor nas duas rodas, se deslocou 30,6 m em um teste equivalente, o que representa uma diminuição de 5,6 m se comparado com a Biz 110i que não possui CBS.

No quesito segurança, o conjunto de chassi-suspensões dão conta, o qual é mais adequado para utilização em estrada degradada. Para auxiliar nesse momento é melhor utilizar rodas aro 17 na dianteira e 14 na traseira, fazendo uso de pneus Pirelli modelo MT 15.

Mais um ponto chamativo nesta motocicleta é o painel em LCD, o qual tem um fundo escurecido pela tecnologia chamada blackout, e permite a melhor visualização dos indicadores.

A Biz linha 2019 não poderia abrir mão da facilidade de pilotagem que advém, não somente da leveza, que seco não passa dos 100kg, mas principalmente pela progressiva aceleração, suavidade do câmbio e a redução da altura do assento, que possui só 753 mm e também sua partida elétrica.

FILIPE R SILVA


Conheça aqui mais detalhes sobre a Yamaha NMAX 160 ABS 2018.

A Yamaha anunciou a linha 2018 do scooter NMAX 160 ABS, que chega com três novas cores e uma exclusividade pioneira: é “o primeiro scooter do mundo com sistema de controle de abertura variável de válvulas”, segundo o próprio fabricante (saiba mais clicando aqui).

Além de sistema de freios ABS (sistema anti-travamento) que oferecem mais segurança, o scooter ganhou nova calibragem na suspensão para melhorar o conforto na condução (amortecedores traseiros Double Shock com curso de 90mm e garfo dianteiro com curso de 100mm) e a tecnologia está presente em detalhes como painel em LCD com computador de bordo e câmbio CVT, comum nos scooters.

Segundo o fabricante, a autonomia também merece destaque, se for entregue conforme prometido na ficha técnica do scooter: consumo médio de 38km/l somente na gasolina (ainda não há informação sobre uma possível versão bi-combustível). Tal promessa não deve ser difícil de ser cumprida, já que existe tecnologia suficiente para tanta economia – indicação de pilotagem econômica no painel aliada à transmissão de variação contínua e o comando variável de válvulas no motor de 160 cm³, que entrega 15,1 cv de potência a 8.000 rpm e um torque máximo de 1,47 kgfm a 6.000 rpm.

A Yamaha vai ainda mais longe ao afirmar que o NMAX 160 ABS é o “primeiro da categoria com freio a disco e ABS nas duas rodas”. A verdade é que cada detalhe do Yamaha NMAX 160 ABS foi pensado para tornar a experiência de pilotagem mais segura, ergonômica e confortável. O painel em LCD possui retro iluminação em LED e um acabamento na sua lente que impede reflexos, garantindo assim uma visualização segura das informações durante a condução. O computador de bordo traz algumas informações relevantes como aviso do momento de trocar o óleo lubrificante e a hora de fazer a manutenção (troca) da correia do sistema de transmissão (CVT). O LED também está presente nos faróis, seguindo a tendência mundial no que há de mais moderno quando o assunto é iluminação automotiva.

O público feminino, que cada vez mais busca nos scooters uma opção de mobilidade, não foi deixado de lado na hora do desenvolvimento do projeto. O veículo de duas rodas conta com um porta objetos com capacidade de 25 litros – que pode abrigar um capacete e ainda pequenos objetos – e possui uma posição de pilotagem sentada com assento duplo traseiro, que permite uma elevação ao garupa, dando assim mais espaço para as pernas e melhor visibilidade.

Apesar da boa média de consumo de combustível, a capacidade relativamente reduzida do tanque limita a autonomia do scooter NMAX 160 ABS. Com apenas 6,6 litros quando cheio (já incluso a reserva de 1,4 litro), seria possível rodar, considerando a média de 38km/l, em torno de 250 quilômetros. Este número pode ser considerado razoável em regime de uso urbano (para o qual o scooter foi concebido), mas pode representar algum inconveniente em situações de regime rodoviário, portanto, vale sempre estar atento à disponibilidade de postos de combustíveis no seu trajeto, se a ideia for rodar longas distâncias em estrada a bordo do NMAX 160 ABS.

Com um pacote razoável de itens tecnológicos, o NMAX 160 ABS tem valor sugerido pelo fabricante de R$ 11.690,00 (sem frete incluso). Já disponível nas concessionárias da marca e com as três novas opções de cores: Preto Eclipse (preto sólido), R-White (branco metálico) e Matt Red (vermelho fosco), também existe a promessa de valor de seguro com “preço fixo” (veja também no site da Yamaha) em R$ 750,00. E falando em preço fixo, as revisões entraram na mesma política: basta entrar no portal da marca e conferir os valores para a sua região.

UIRA FERNANDO LOPES FERNANDES


Modelo deverá chegar ao país depois da Multistrada 950.

Em 2018 estreará no Brasil a novíssima Monster 797, que vem logo depois da Multistrada 950, que deve chegar ainda em 2017.

Embora estivesse programada também a chegada da Scrambler Sixty2 em território brasileiro, sua vinda foi cancelada. Segundo a fabricante, o motivo da desistência de trazer esse modelo se deve ao fato de seu preço ser muito compatível com o preço da Scrambler 800, já vendida no Brasil, não compensando assim a sua venda.

De acordo com a diretoria da Ducati, as motos Scrambler 800 e Scrambler Sixty 2 possuem características muito parecidas, com o diferencial apenas no motor, por isso seus preços são muito próximos, por isso a sua oferta no Brasil chega a ser inviável, pois aqui não existe a questão dos incentivos fiscais para motos de baixa cilindrada, diferentemente do que ocorre em outros países.

A BMW tem apostado para o Brasil, nos modelos de cilindradas mais baixas, mas possui a vantagem de ter a sua própria fabricação. Por sua vez, o fato da produção da Sixty ser em Bolonha, ainda faz com que seu preço não possa cair.

Segundo o diretor da fábrica italiana, a única forma de oferecer preços mais acessíveis em suas motos de cilindrada menor seria a partir de uma parceria com outras fabricantes que atuam no Brasil. Mas apesar de já ter existido algum comentário sobre essa possibilidade, no momento está descartada e por isso não podem entrar na concorrência deste segmento de motocicletas.

Em relação a uma fábrica própria no Brasil, mais precisamente em Manaus, esta possibilidade também está descartada. Pois a fabricante italiana monta seus modelos em um espaço que pertence a Dafra motos em Manaus.

Agora, no que refere a nova Monster 797, que já é garantia de chegar ao Brasil, ela é uma sequência da já fora de linha 796.

Quando o modelo 796 saiu de linha, foi substituída pela Monster 821, que foi produzida com um motor que possuía refrigeração líquida.

A Nova Monster 797 chega com o motor a ar, o que a deixa mais acessível. A previsão de preço, embora ainda não exista números exatos, estima-se que será maior que o preço da Scrambler.

Sirlene Montes


Confira aqui o preço e a avaliação da nova Honda CRF1000L Africa Twin 2017.

A Honda é com certeza uma marca que é líder em motocicletas. E agora a grande novidade é a nova Honda CRF-1000L Africa Twin, que se caracteriza por ser uma máquina que pode ir a todo e qualquer lugar. Ela deve estrear aqui no Brasil no segundo semestre de 2017 e traz o nome de África Twin de um modelo que já rodou por aqui, mas que a alguns anos foi retirada do mercado, mas que deixou muitos admiradores.

Porém, o mais importante e mais marcante dessa motocicleta é a retomada do perfil “go anywhere”, que representa esse espírito de que com ela pode-se ir a qualquer lugar, típico das motos mais antigas que atuavam em ralis africanos com muita eficiência.

A nova Honda foi desenvolvida para rodar no asfalto, na estrada de terra, nas montanhas desérticas, tudo isso usando pneus mistos. Por sua vez, com o uso dos pneus de trilha, ela desempenha muito bem nas “ramblas” desérticas que são compostas por pisos do tipo aluvião, além de ser excelente para raízes, lamas, ribeiras, pedras e areia.

Quem realizou todas essas avaliações, rodando por quilômetros, foi o multicampeão Jean Azevedo, profissional em Rali.

A Honda CRF foi planejada com foco na versatilidade e na simplicidade de uso. Seus freios são ABS, oferecendo ao piloto a opção de desligamento da parte traseira. Além disso, ela também possui um controle de tração que se realiza em três níveis e que podem ser desativados também. Dessa forma, assim se configura a sua parte elétrica.

Uma outra característica interessante da África Twin é o fato de seu banco oferecer a opção de duas posições de altura. Sendo a posição original de 870 mm ou a outra opção de 870mm, um pouco mais baixa, e que não oferece nenhuma dificuldade para ajustar. Mas o melhor é que as duas posições são muito confortáveis, o que é muito importante, principalmente pela finalidade de seu uso.

Enfim, a Honda CRF 1000-L África Twin não deixa nada a desejar às suas concorrentes e que apesar de não ter uma extensa lista técnica, é extremamente eficiente, o que foi atestado pelo Jean Azevedo.

Sirlene Montes


Confira aqui as principais novidades e o preço da Harley-Davidson Roadster 2017 no Brasil.

A Harley-Davidson apresentou uma novidade para a sua linha 2017 no Brasil: a Roadster, que faz parte da família Sportster. Entre os principais detalhes destacam-se a roda dianteira, que tem 19 polegadas, e a traseira, de 18 polegadas. Ambas têm alumínio fundido com 05 raios, além de tanque de 12,5 litros.

Além disso, a nova moto conta com freios ABS de série, duplo disco na dianteira e um na traseira. O motor é o V-Twin Evolution, que é refrigerado a ar e tem 1.202 cc. Segundo a marca, o motor conta com capacidade para fazer 9,6 kgfm de torque. A Roadster pode ser encontrada nas versões vermelha, cinza, preta e preta, que tem o tom fosco com faixas vermelhas. O preço é de R$ 47.500,00.

A marca também apresentou novidades em relação à linha Touring 2017, que conta com o motor Milwaukee-eight, além de um excelente sistema de suspensão, oferecendo conforto e segurança ao piloto. Um dos modelos é o Road King Classic, que apresenta pneus de faixa branca, rodas raiadas, além de inserção de alforge de couro. O design também chama atenção, sobretudo pelo estilo despojado do modelo. O controle da moto é feito por meio da nova suspensão dianteira e amortecedores traseiros pressurizados, que contam com ajuste de pré-carga.

Outro modelo da categoria é o Street Glide Special, que tem um visual despojado e estilo hot rod. Um dos diferenciais é a presença do novo motor Milwaukee – Eight 107, que tem os freios denominados Reflex Linked Brembo. O modelo especial ainda acompanha sistema de informação e entretenimento, que conta com GPS integrado, além de tela touchscreen de 6,5 polegadas. Entre outros diferenciais, a moto mantém o ABS padrão, carenagem interna que pode ser encontrada na cor preta brilhante e externa com tons combinados. Não é à toa que este modelo oferece conforto, informação, entretenimento e muita tecnologia.

A Ultra Limited chama a atenção pelo seu estilo único, sobretudo por acompanhar o motor Twin – Cooled e o farol dianteiro Daymaker de LED. Entre outros detalhes, destacam-se o controle de velocidade eletrônico cruise control, sistema de touchscreen de informação e entretenimento, além do BOOM Box 6.5 GT Premium, em que o piloto e o garupa podem escolher a música.

O que achou das novidades da Harley – Davidson?

Por Babi


Modelo possui 950 cavalos de potência e conta com controle de tração e freios ABS.

A Ducati apresentou na Europa seu mais novo lançamento, a inédita Multistrada 950, deixando ainda maior a sua linha de aventureiras.

Com um visual mais agressivo, inspirado na moto de 1200 cc, ela apresenta controle de tração, modos de potência e freios ABS.

De acordo com a Ducati, o conceito de criação da 950 visou oferecer uma moto mais “versátil e acessível”, porém, mantendo as características da 1200.

O lançamento foi um dos destaques da marca no Salão de Milão 2016 (EICMA). A Ducati Multistrada 950 ainda não tem previsão para ter suas vendas iniciadas no Brasil.

Apesar de ser de menor cilindrada, a Multistrada 950 possui um motor de alta performance, onde se encontra 2 cilindros e 937 cc.

O motor da 950 é originário da linha Hypermotard e chega a render 113 cavalos a 9.000 rpm e 9,8 Kgfm a 7.750 rpm, que trabalha em sintonia com um câmbio de 6 marchas.

A Multistrada 950 apresenta o visual arrojado, uma espécie de “Crossover”, e apresenta características voltadas para o asfalto, contudo, com ela também é possível enfrentar um off-road mais leve.

A moto vem com rodas de liga-leve. A roda dianteira vem com 19 polegadas e a traseira com 17 polegadas.

Ao contrário da 1.200 cc, que possui a suspensão tipo monobraço na traseira, a Multistrada 950 foi simplificada e vem equipada com uma de duplobraço.

Saiba aqui quais foram as 10 motos que mais se destacaram no Salão de Milão 2016:

A principal aposta das montadoras para o Salão de Milão 2016 foi no segmento das “pequenas aventureiras. Este é um dos segmentos que mais crescem no Brasil, com modelos como XRE 300 e XT 250 Ténéré. Agora surgiram novidades no mercado como os modelos BMW G 310 GS, Suzuki V-Stron 250 e Versys-X 300. Veja aqui quais são as motos que se destacaram:

1) BMW G 310 GS

2) Kawasaki Versys-X 300

3) Suzuki V-Stron 250

4) Honda CB 650F

5) Ducati Multistrada 950

6) Yamaha T7

7) BMW HP4 Race

8) K TM 1290 Super Duke R

9) Triumph Street Scrambler

10) Honda X-AD

Fabiana Batista Santos


Confira aqui o preço e as principais novidades da Honda CB 650F 2016.

A Honda anunciou a nova CB 650F no Salão de Milão deste ano. A base é a mesma, porém, o visual e o motor passaram por algumas modificações.

Começando no motor de 4 cilindros e 649cc, que ganhou alguns cavalos após a redução na relação das marchas. Ela está agora com 91 cavalos de potência a 11.000 rpm, 4 cavalos a mais que a versão encontrada hoje no mercado, que é de 87. Devido ao encurtamento das carenagens laterais, o motor ficou mais exposto do que a atual CB.

A autonomia da versão apresentada na Europa, segundo a Honda, é de mais de 350 quilômetros com o seus tanque de 17,3 litros.

Na parte dianteira, a nova CB 650F está com o garfo novo, da Showa, e os faróis e lanternas são de LED.

Não foram muitas as informações técnicas divulgadas nesta apresentação, mas se sabe que a garantia é de 3 anos sem limite de quilometragem e o freio ABS agora é de fábrica.

A Honda CB 650F chegou ao Brasil em 2014 para substituir a CB 600F Hornet e o preço de lançamento na época era de R$ 28.990,00 (com os freios ABS) ou R$ 31.190,00 (sem os freios ABS). Ambas com câmbio de seis marchas e nas cores vermelho e preto. A assistência técnica e o resgate era aqui no Brasil e em mais cinco países: Argentina, Chile, Paraguai, Uruguai e Venezuela.

Anúncios em alguns sites especializados em compra e venda de motos na internet, mostram que a CB 650F ano 2016 custa por volta de 37 mil reais e a versão CBR 650F por volta dos 39 mil reais.

Uma curiosidade, a sigla "CB" significa Citzen Band ("Faixa do cidadão", em inglês). O acréscimo da letra R coloca o moto como sendo Racing, de corrida.

Um comparativo feito pela revista "Quatro Rodas" mostrou que a CB 600F atual é mais rápida do que a CB 750F de 1972. Imagina como a nova CB 650F pode ser.

Muito se evoluiu nos últimos 40 anos, as motos ficaram mais potentes, mais leves, mais modernas. Mas o prazer de pilotar uma moto, isso sim não muda. Seja prudente no trânsito e se beber, não dirija.

Por: Fernando Dias


Novo modelo mostra o futuro da linha Teneré.

O Salão de Milão 2017 foi palco da apresentação da nova versão do modelo Teneré, a "Yamaha T7 Concept".

O nascimento desta "máquina" foi possível graças ao empenho de um grupo de engenheiros e desenhistas de três países. Na França temos o time oficial de Rally, na Itália um centro de pesquisa e desenvolvimento e na Holanda um laboratório de design. Eles receberam a missão de construir uma moto que suprisse todas as necessidades de um piloto numa aventura, mostrando o futuro em duas rodas nesse estilo.

A T7 foi construída com um novo quadro e novas suspensões, tendo um potente motor, chamado "CP2" de 700 cm³, para acompanhar. O tamanho e a capacidade foram projetadas para percorrer estradas e outros tipos de terrenos, estilo "Rally Dakar".

A nova versão adventure da Teneré possui uma rabeta alta e pequena, um tanque de combustível largo, reservatório de combustível em alumínio e quatro projetores de LED como farol. A carenagem e o protetor de cárter são de fibra de carbono. Para terminar, suspensão KYB Racing e escape artesanal Akrapovic.

Com uma verdadeira característica de moto de rali, a T7 não teve os detalhes técnicos revelados pela montadora e as vendas estão previstas para 2018.

A Yamaha quer alcançar a perfeição em moto, que seja ótima para longas viagens e que tenha uma durabilidade maior em todos os terrenos. Uma combinação perfeita de tecnologia e design contemporâneo..

A Teneré surgiu há 33 anos, com a XT 600Z, após o sucesso desta moto no "Rally Paris-Dakar" e entre os anos de 1984 e 1994, 61 mil unidades foram vendidas na Europa. Um enorme tanque de combustível era capaz de levar esta moto a longas distâncias sem reabastecimento, mas o peso proporcionado por isto era um pequeno problema para os terrenos em trilhas. O motor era um outro enorme diferencial, com uma característica forte e rápida. A família "Teneré" já passou por várias mudanças e os motores de 250, 660 e 1200cc fazem parte desta potência.

Para os amantes de aventuras em duas rodas, seja em estradas ou em trilhas, a nova Teneré promete surpreender os seus futuros proprietários.

Por: Fernando Dias


Modelo tem visual inspirado na Yamaha YZF-R1.

A famosa montadora japonesa Yamaha revelou na última quinta-feira, na semana passada, dia 13 de outubro, na Europa, uma novo modelo de moto esportiva, a YZF-R6.

Além de ter sofrido diversas modificações em sua parte mecânica, a esportiva também ganhou um novo desenho, o qual teve como inspiração a sua irmã maior, a famosa Yamaha YZF – R1.

O novo modelo da motocicleta agora está equipado com freios ABS modernos; sistema para trocas de marchas, conhecido como “quick shifter”, que é muito mais indicado para utilizar em estradas fechadas; controle de tração e também controle de pilotagem juntamente com um sistema chamado ride by wire, ou seja, que não possui cabos e conta com três regulagens, além de contar também com um novo sistema de suspensão.

A motocicleta está com uma nova suspensão na parte dianteira, a qual manteve o garfo ajustável, porém, ao invés de utilizar bengalas de 41 mm de diâmetro, passou a fazer uso de uma peça com 43 mm. Na parte traseira conta com um sistema ajustável monochoque.

Sem contar também que o modelo agora possui de série novas carenagens, o que segundo a fabricante melhorou a eficiência aerodinâmica em até 8 por cento. Além disso, a montadora também redesenhou o tanque de combustível da nova YZF – R6 para que a moto pudesse andar ainda melhor, diminuindo assim a resistência ao vento dianteiro.

Na questão de frenagem, o modelo conta na parte dianteira com 10 mm a mais, passando a ter agora um diâmetro de 320 mm. Entretanto, a motorização ainda continua a mesma, com 4 cilindros, totalizando 599 cilindradas, porém, a empresa ainda não fez nenhuma divulgação com relação a sua potência.

A moto também teve alterações em seu assento, o qual recebeu uma nova inclinação, que acabou mudando a ergonomia para o motociclista.

A estreia mundial do modelo acontecerá em novembro, no próximo Salão de Milão (EICMA).

A montadora japonesa até agora não divulgou nenhuma especificação técnica, detalhe com relação ao seu desempenho ou dados sobre o consumo de combustível da nova R6, o que deixa os consumidores bem ansiosos a espera de informações da moto japonesa.

FILIPE R SILVA


Modelo chega ao país mais moderno, mas com o mesmo charme e estilo de sempre.

Quem nunca imaginou-se pilotando uma Vespa em uma estrada à beira-mar com uma garota na garupa? Ou mesmo um agradável passeio boêmio a qualquer dos bares do centro da cidade.

Acredito que vocês pensaram nestas cenas no momento. É nesta concepção retrô que muitos, inclusive eu que gosto da moda vintage, podemos realizar este sonho – do que é antigo com uma pitada de modernidade.

Isto porque a Vespa será, a partir de segunda-feira (10), relançada no Brasil com alguns elementos tecnológicos modernos, mas com o mesmo charme e design que conquistou milhões de pessoas pelo mundo. No Brasil não foi diferente. Na década de 1980, muitos exemplares desta moto foram vendidos por causa de seu preço acessível e pela facilidade de uso. Além de que era possível andar sobre duas rodas e não sujar-se enquanto pilotava.

A empresa criadora da Vespa, a Piaggio, fundada em 1884, em comemoração aos quatro séculos de existência, lançará o modelo 946 Emporio Armani 150, que traz em seu design elementos futuristas sem perder a essência mostrada ao mundo, em 1946.

Imaginem vocês, estão em um Café e entre um gole e outro, vossos olhos perpassam por uma destas motos. Esta é a ideia do presidente do Grupo Piaggio Brasil, Longino Morawski. Portanto, muita atenção, não haverão concessionárias, mas lojas instaladas em espaços como estes: cafeterias e shoppings. As inaugurações das primeiras lojas físicas estão previstas para o dia 22 de outubro, nos shoppings Iguatemi, no de São Paulo e no de Campinas. Além destas duas, a empresa prevê a inauguração de mais seis lojas pelo país ainda este ano.

São quatro séries das quais serão lançadas: a Primavera 150, que será vendida a partir do dia 10, segunda-feira, pela internet – ao todo são mil unidades do modelo; a GTS 300, com freios ABS e sistemas de controle de tração ASR; a Sprint 150 e também a Primavera 125. Além do modelo comemorativo, 946 Emporio Armani.

Se a Lego reinventou-se para sair da crise, a Piaggio reinventou em nós a necessidade de sairmos da crise e o porquê de se ter uma Vespa: em uma Itália pós segunda guerra, onde a economia estava defasada e o país aos escombros, a fábrica desenhou um modelo prático e simples para a locomoção em ruas entulhadas. O baixo nível de custo e preço tornou-a uma necessidade aos cidadãos e, logo, em toda a Europa. No Brasil, a pequena scooter foi bem recebida no período pós ditadura – mais uma vez seu sucesso deu-se ao momento econômico, mas agora em nosso país.

Sabemos da situação de nossa economia atual. Portanto, adquirir uma Vespa não é uma ideia desditosa.

Marcel Alessandro Venâncio


Moto chega às concessionárias custando cerca de R$ 39 mil.

A partir do dia 5 de setembro, os consumidores da BMW Motorrad terão a disposição a nova BMW F 700 GS, uma motocicleta que criou bastante expectativa entre os brasileiros e será comercializada em campanha de pré-venda.

O novo modelo GS da Série F chega às concessionárias no mês de novembro. Ela fará parte da lista de modelos que serão produzidos na nova planta da marca na cidade de Manaus, no Amazonas, que montará também a F 800 GS Adventure, F 800 GS, F 800 R, R 1200 GS Adventure, R 1200 GS, S 1000 R, S 1000 XR, S 1000 RR e a BMW G 310 R.

O modelo traz um toque Premium com desenho moderno. Além do propulsor de dois cilindros, com duplo comando de cabeçote em suas oito válvulas, com 798 cilindradas, movido a gasolina e refrigeração líquida. Este motor cativa seus consumidores por ter respostas rápidas, junto com uma capacidade impressionante para retomar velocidade, além do baixo consumo. O modelo possui um sistema de injeção de combustível e uma caixa de câmbio com seis velocidades. A nova big trail gera uma potência de 75 cavalos a 7.300 giros, com 77Nm de torque máximo, entregues a 5.300 rpm. Os itens de segurança do modelo, conta com disco duplo, na parte dianteira de 300 mm, na parte traseira de 265 mm, além do sistema de freios ABS com a tecnologia BMW Motorrad.

O pacote de itens de série é grande e traz mais qualidade ao produto. Dentre os equipamentos pode-se destacar o amortecimento variável auxiliar, lentes das luzes indicadoras de direção escurecidas, os ajustes de compressão da mola traseira, balança de alumínio dupla, de retorno do amortecedor traseiro, também dos manetes de embreagem e freio, sensor de cavalete lateral, tomada 12V e lanterna traseira em LED.

A BMW F 700 GS irá estrear no mercado brasileiro, por meio da campanha de pré-venda e estará disponível na coloração laranja e cinza metálico, além de contar com protetores de mãos e manoplas aquecidas, computador de bordo, controle de pressão dos pneus (RDC), controle de tração (ASC), cavalete central e luzes indicadoras de direção em LED.

FILIPE R SILVA


Modelo desembarca no Brasil no mês de Novembro. Preço ainda não foi confirmado.

A montadora italiana de motocicletas esportivas Ducati, recentemente anunciou o desembarque de mais uma integrante da marca, a nova 959 Panigale. O modelo é produzido na região de Bologna, no município de Borgo Panigale e foi divulgado no ano de 2015. Entretanto, ainda continua sem ter seu preço anunciado, a motocicleta chegará ao Brasil no mês de novembro.

A moto foi anunciada no ano passado e lançada em 2016, o menor modelo da dinastia foi inspirada em sua irmã com um motor um pouco mais potente, a Panigale 1299, que de fábrica já conta com um motor Superquadro bicilíndrico posicionados em “L” que possui 955 cilindradas e tem uma capacidade de gerar uma potência de 157 cavalos a 10.500 giros e um torque máximo de 10,9 kgfm a nove mil RPM. Propulsor esse, que está acoplado a um câmbio de seis velocidades com sistema DQS, quick shift, o qual permite a troca de marcha de maneira mais ágil. O motor novo, que é substituto do antigo de 898 cilindradas, teve suas peças desenhadas novamente e foi aplicado alumínio para diminuir seu peso e assim oferecer um desempenho melhor, além de ficar de acordo com os padrões europeus de emissões, o Euro 4.

O modelo Panigale 959 utiliza um quadro de alumínio monocoque, uma estrutura leve e rígida, que buscou inspiração em modelos utilizados na MotoGP. Na parte da frente, a suspensão é invertida, com tubos de 43 milímetros e 120 milímetros de curso, ajustável. Na parte de trás, conta com uma tradicional balança de alumínio, com amortecedor de 130 milímetros de curso, regulável.

Oferecendo uma boa quantidade de recursos eletrônicos, a 959 Panigale será comercializada com acelerador eletrônico, o ride-by-wire, além de controle de tração e diversos modos de pilotagem. Para aumento da segurança, a moto também foi equipada com um amortecedor de direção e com freio com sistema ABS, que conta com discos semiflutuantes. Suas pinças somam quatro pistões. As rodas, que são de 17 polegadas, possuem 10 raios e fazem uso de pneus da marca Pirelli, modelo Diablo Rosso Corsa, no tamanho 120/70 ZR17 na dianteira e na traseira 180/60 ZR17. Seu peso é de 176 kg, seco.

FILIPE R SILVA


Modelos chegam mais caros e em novas cores.

Quem é simplesmente apaixonado pelo mundo sobre duas rodas vai adorar a novidade que a Honda anunciou para os fãs de motocicletas. A divulgação, feita na última sexta-feira, dia 5 de agosto, é sobre a nova linha de 2017 dos seus famosos modelos e líderes de venda CG 160 Fan e CG 160 Titan.

Sem alterações na parte mecânica das motos, a grande novidade anunciada foi em relação às novas opções de cores, que vão dar o que falar. Com garantia extendida de três anos e englobando também sete trocas de óleo gratuitas, as novas linhas serão oportunizadas, a partir já deste mês, nas cores vermelha sólido e preta para a versão Fan e nas cores vermelho perolizado e preto no modelo Titan. Além disso, quem gosta de mudar e quer sempre inovar na customização de sua motocicleta poderá optar por novas cores nas faixas do veículo, sendo as opções de tonalidades em nuances de verde ou laranja, que combinam perfeitamente com a carroceria.

Honda CG 160 Titan

Apesar destas mudanças, o motor continua sendo o mesmo dos antigos modelos, tratando-se portanto de um motor monocilíndrico Over Head Camshaft (OHC), composto por quatro tempos e arrefecido a ar e com injeção eletrônica caracterizada pelo Programmed Fuel Injection (PGM-FI). Além disso, o propulsor é de 162,7 cm³, o que gera 15,1 cavalos a 8.000 e, ainda, 1,54 kgfm a 6.000 rpm. É importante destacar que este vai atrelado a um câmbio que possui cinco marchas.

Além disso, a nova linha apresenta um equilíbrio maior na utilização de freios, sendo isto possível através da tecnologia utilizada pelo CG 160 Titan, configurando a Combined Brake System, a tecnologia CBS. Sendo assim, logo que o freio traseiro é acionado, o sistema de freios automaticamente ativa o freio dianteiro.

Honda CG 160 Fan

Gostou? Pois as motos Honda CG 160 Titan e Fan já estão disponíveis nas concessionárias para quem quer visualizar e saber mais de suas especificações. Porém, já é preciso saber de antemão que o valor destas está um pouco mais salgado do que as versões anteriores. Com tanta novidade, a Honda CG 160 Titan está sendo comercializada pelo valor de tabela aproximado de R$ 9.970. A versão anterior era de R$ 9.755, o que representa um aumento de R$ 215. Já o modelo Fan está custando R$ 8.720, preço superior aos R$ 8.390 anteriores. Sendo assim, o mesmo representa um acréscimo de R$ 330.

Kellen Kunz


Modelo teve seus motores revisados e está 5% mais econômico.

A Tiger Explorer, uma legitima bigtrail com 1.200 cilindradas da marca britânica Triumph, entra em sua linha 2016 com uma nova atualização. O novo facelift foi mostrado para todos durante o Salão de Milão, que aconteceu no ano passado. Entre os pontos que foram trabalhados nessa “reestilizada” temos as atualizações no motor tricilíndrico. Além disso, outro aspecto interessante da novidade foi a inclusão de controles eletrônicos com o foco no aumento da segurança.

A novidade vai desembarcar em terras brasileiras com duas versões. A primeira é a XR com preço de R$ 58.500. O modelo já vem equipado com as rodas de liga leve e com o pacote eletrônico básico. Além dela há a XCx de R$70.500. Essa tem uma cara mais aventureira e conta com rodas raiadas.

As Mudanças:

Uma das principais alterações na linha 2016 da Tiger 1200 está justamente no motor de 3 cilindros e 12 válvulas, que conta, entre outras coisas, com comando duplo e refrigeração líquida. Ele foi retrabalhado para ter potencial para oferecer 139 cv a 9.300 rpm.

Entre os acréscimos recebidos pelo modelo estão o câmbio de seis marchas e com relações mais alongadas e a embreagem multidisco que passa a contar com o auxílio de torque, diferentes modos de pilotagem e transmissão final por eixo-cardã. Com as modificações foi possível providenciar também uma economia que fica em torno de 5% de combustível.

De acordo com alguns comentários de representantes da marca, as modificações, principalmente no aspecto eletrônico, irão permitir que o piloto tenha mais segurança e uma moto mais adequada ao estilo.

As duas versões continuam com a mesma nomenclatura, seguindo o exemplo da irmã mais nova, a Tiger 800. Entre elas há o compartilhamento do quadro e também do motor. Porém, as mudanças ficam na lista de equipamentos e no pacote de estilo.

Com relação a Tiger Explorer XCx ainda vamos ter uma lista de equipamentos exclusiva da versão. Entre eles constam o cavalete central, protetores para o motor, o radiador e o cárter.

O painel também está mais completo, trazendo mais informações, além de um terceiro modo de condução batizado de off-road. Além dele, ainda há os dois modos presentes na versão básica.

Por Denisson Soares


Primeiras imagens da nova moto são divulgadas em vídeo da Honda.

Recentemente foram divulgadas em um vídeo na Indonésia, as primeiras imagens da nova mota esportiva da Honda, de baixa cilindrada. A motocicleta ainda não tem nome oficial, mas provavelmente se chamará CBR 250RR. Este conceito foi apresentado no Salão de Tóquio 2015, mas tem tudo para logo ganhar as ruas. Mas, se você se perguntou o que são os dois “R’s” no provável nome da moto, saiba que ele faz referência a um “upgrade” em esportividade, nas atuais versões CBR 250R ou CBR 300R.

Mas, o que se pode ver no vídeo é que os faróis serão de LED e a moto terá cortes angulados e retos, lembrando os heróis de quadrinhos japoneses. Já o motor deverá ser monocilindro.

Esse modelo, de alto impacto, com certeza mexerá com o mercado nacional de motos, trazendo muita tecnologia e acessórios que vão deixar os fãs da marca de queixo caído, com itens especialmente para quem gosta de aventura. Não se sabe estimar também o valor da nova esportiva, mas o que já se sabe é que ela será de alto padrão.

Acredita que ainda neste ano, por volta de outubro, a nova esportiva da Honda já estará a disposição para compra na Ásia e só em 2017 na Europa.

Honda

Com 65 anos de mercado, a marca Honda se tornou grande no mundo. Pode-se dizer que ela é uma combinação de tecnologia com respeito ao meio ambiente, trazendo uma gama bem diversificada de produtos aos seus clientes. No total são 474 afiliadas e subsidiárias da marca em todo o mundo, sendo 72 unidades que produzem e 35 Centros de Pesquisa. Pode-se contar por volta de 190 mil funcionários, que levam consigo os lemas da empresa. Seu criador, Soichiro Honda, acreditou no poder de sonhar e levou este tema ao slogan da marca: “The power of dreams”.

Já no Brasil, a sua história se iniciou em 1971 com a importação e em 1976 com a produção no Amazonas, em Manaus.

Gostou do nosso post? Então comente suas experiências conosco! Esperamos que tenha curtido saber mais sobre a nova moto esportiva da Honda!

Kika Akita


Troca da Bomba de Óleo e Embreagem será feita gratuitamente.

A montadora japonesa Yamaha informou na última quinta-feira, dia 30 de junho, um recall para a nova YZF-R3, ano 2016, para que sejam realizadas as trocas da placa de embreagem e da bomba de óleo de forma gratuita e também uma vistoria preventiva do câmbio.

Os chassis envolvidos no recall são os seguintes:

  • YZF-R3A vai de 9C6RH0920G0000101 a 9C6RH0920G0001220
  • YZF-R3 vai de 9C6RH0910G0000101 a 9C6RH0910G0002140

De acordo com a Yamaha, algumas motos acabaram tendo inconformidades na placa de embreagem e da bomba de óleo, além de uma montagem incorreta do anel de trava do eixo do câmbio.

Estes defeitos podem acabar travando o motor ou então a roda traseira, além de perder a dirigibilidade devido à dificuldade ao realizar as trocas de marchas, podendo causar graves lesões e acidentes.

O reparo que será realizado de forma gratuita tem um tempo estimado de 2 horas para trocar a placa de embreagem e a bomba de óleo.

Já a vistoria a ser realizada no câmbio levará apenas 12 minutos, porém, caso o problema de montagem seja constatado, 5 horas é o tempo necessário para solucioná-lo.

Os proprietários que tiverem dúvidas podem sana-las diretamente com a fabricante através do telefone 0800-774-3738, que atende em horário comercial.

A YZF-R3, concorrente da Kawasaki Ninja 300, é uma versão da R1, porém de baixa cilindrada, com motor de 320,6 cilindradas. A motocicleta iniciou a montagem e as vendas em território brasileiro em setembro de 2015.

É de extrema importância que o recall seja realizado, pois o chamado é sempre realizado em caso de defeito de fabricação, o que pode colocar em risco a vida de todos os condutores.

Assim que o recall for anunciado a montadora não pode determinar uma data limite para realizá-lo. A empresa apenas determina uma data para iniciar o atendimento, mas nunca para encerrá-lo.

Como dito anteriormente, todos os reparos realizados através de recall devem ser gratuitos e caso haja algum tipo de problema, como mau atendimento, lentidão no reparo ou demora no agendamento, o proprietário deverá realizar uma denúncia junto ao Procon local.

Muitos usuários acabam deixando de realizar o reparo ficando vulneráveis a altos riscos de acidentes, portanto, realize o conserto o mais breve possível.

FILIPE R SILVA


Modelos chegam de visual novo e preço mais alto.

As três versões da linha CB 500 – naked, esportiva e crossover – receberam um novo visual, além de melhorias nas suspensões. Os modelos foram criados pensando-se num custo mais acessível e pilotagem descomplicada.

Os três modelos da Honda 500 cc, naked CB 500F, esportiva CBR 500R e crossover CB 500X foram totalmente repaginadas para se tornarem atuais, com um design moderno, novos desenhos, suspensão melhorada e maior capacidade no tanque de combustível. Também foram feitas melhorias nas lanternas e farol de LED.

No mês de julho as três novas versões estarão entrando no mercado brasileiro com muitas melhorias, mas com preço bem mais salgado, o trio chega com preços parecidos, a naked 500F será vendida por R$ 26.000 ou R$ 28.000 já com ABS, já a esportiva versão única com ABS custará R$ 29.900, bem como sua irmã CB 500X ABS, também poderá ser adquirida por preço semelhante, R$ 29.900. A boa notícia é que o serviço da Honda Assistence estará disponível em todo território nacional para prestar assistência ao trio de motos 500cc e a vigência de sua garantia agora se estendeu por três anos.

A mudança maior aconteceu mesmo no visual das motos CB 500, com a repaginada elas ficaram com formas mais cheias de detalhes e atualizadas, desenhos modernos e cores que dão mais vida aos modelos.

Naked CB 500F

O que antes era simples agora ganhou um moderno conjunto óptico de LED com a carenagem do farol mais consistente. Também ganhou um tanque de combustível moderno e maior de 16,7 litros e linhas mais retas na rabeta, com duas entradas de ar. A nova naked 500F agora possui um ronco mais possante, o que deixará o comprador empolgado. A versão mais barata, sem freios ABS, custará R$ 26.000 e será vendida somente na cor preta, porém, a versão com ABS custará R$ 28.000 e terá como opções as cores branca, preta e vermelha.

Esportiva CBR 500R

O modelo atual está com aparência mais ousada e atual até nas cores. A venda da esportiva será apenas com freios ABS no valor de R$ 29.000, com opção da cor preta com grafismo laranja ou na cor vermelha com grafismo laranja e branco. A nova esportiva, além de moderna, vem com melhorias na suspensão, regulagem no manete de freio e está 12% mais cara.

Crossover CB 500X

No visual foi a menos beneficiada, continua igual a versão anterior. Sem motivos aparentes a Honda não quis usar os mesmos grafismos ousados e modernos na crossover, deixando inclusive a ponteira cromada e ‘antiquada’. Mas na mecânica os ajustes melhoraram, com regulagem de suspensão e ajustes de freios. O tanque aumentou para 17,7 litros, além de novo parabrisa 100mm mais alto.

Para quem tinha expectativas a respeito da nova crossover terá que se conformar com as cores vermelha e branca, além do preço salgado de R$ 29.900, com freios ABS.

Por Ruth Galvão


Modelo foi apresentado no Vietnã e não deve ser produzido, servindo apenas de inspiração para novos projetos.

Uma moto que une uma aparência retrô, juntamente com toda a modernidade na sua concepção e nos detalhes. É isso que a Yamaha, uma companhia japonesa conhecida mundialmente e fabricante de um extenso leque de produtos também na área de motocicletas, apresentou no Primeiro Salão de Motos.

O evento, que aconteceu até o dia 10 de abril na cidade de Ho Chi Minh, no Vietnã, foi o palco escolhido para que a marca mostrasse seu mais novo protótipo, em uma linguagem que transpira design e dinamismo, tudo regado com uma pitada de passado. O 04GEN, nome dado ao modelo, possui um motor de 124,8cm³ e surpreendeu ao ousar nos aerofólios, trazendo para o público dois painéis móveis e transparentes nas laterais, dando a ideia de asas. Ainda, o farol, em conjunto a isso, foi idealizado de forma que se assemelhasse muito a um inseto.

Além do diferencial já comentado, o protótipo também possui uma carenagem e cobertura diferenciada. Isso porque o local também apresenta armação em resina transparente, objetivando assim mostrar os detalhes que nunca se viu na estrutura do veículo. Outra característica que demonstra a inovação constante nos modelos produzidos pela Yamaha é a utilização de um smartphone como painel para a apresentação de dados da motocicleta.

Todavia, tanta modernidade vem acompanhada também de um conceito retrô, remetendo à imagem que se tem das antigas scooters italianas da marca Vespa. O passado pode ser visto e sentido também no acabamento em couro usado para revestimento de banco.

Isso e muito mais é a 04GEN, unindo o velho e o novo. Com essa scooter, a Yamaha reforça mais uma vez a sua tradição na fabricação e criação de produtos inovadores no mercado, buscando sempre a excelência no desenvolvimento destes e, principalmente, primando em engenharia avançada para buscar os melhores resultados durante a sua locomoção.

A empresa japonesa, apesar de ter dado asas à sua imaginação, não irá, até onde se sabe, produzir a scooter-conceito. Todavia, não há motivos concretos divulgados pela organização do porquê disto. Porém, nota-se claramente a influência futurística que esta “obra de arte” acaba tendo sobre o futuro que nos aguarda neste setor. A 04GEN é uma verdadeira inspiração para os projetos que ainda virão e que estarão em breve circulando nas ruas.

Para saber mais, basta assistir ao vídeo abaixo:

Kellen Kunz


Nova moto será vendida por 5.150 euros e contará com um motor de 313 cc.

Na última terça-feira, dia 17 de maio de 2016, a grande e renomada fabricante de veículos automotores BMW fez a definição do preço da nova motocicleta BMW G310 para o mercado europeu. O preço base de comercialização dessa motocicleta foi anunciado oficialmente na Itália, sendo que no mercado italiano as vendas dessa grande novidade irão começar no mês de outubro ainda deste ano, por lá esta motocicleta será vendida pelo preço de 5.150 euros, valor este que feita a conversão em moeda nacional ficaria em torno de R$ 20.500.

Já para o mercado brasileiro a previsão da fabricante é disponibilizar esta motocicleta também no segundo semestre do ano de 2016, sendo que por aqui ela seria montada na cidade de Manaus (AM), cidade esta em que a BMW possui uma fábrica própria e exclusiva somente para motocicletas.

No ano de 2016, o lançamento da G 310 R é um dos mais aguardados pelos apaixonados por motocicletas. A base de produção deste grande lançamento é oriunda da Índia, porém, por lá para fabricar este lançamento a BMW irá utilizar uma parceria feita com a empresa indiana chamada TVS, sendo que serão estas peças oriundas da Índia que chegarão aqui no Brasil apenas para realização da montagem das motocicletas.

O propulsor utilizado na G 310 R é um monocilíndrico inédito de 313 cc, o qual possui sistema de refrigeração feita por líquido e que funciona por meio de um duplo comando de válvula, bem como com injeção eletrônica. De acordo com os dados estatísticos da fabricante, este motor possui a capacidade de gerar uma potência de 34,4 cavalos.

No total, esta motocicleta possui um peso de nada mais nada menos que 158,5 Kg, para suportar todo este peso com maior facilidade este motor utilizado possui o cilindro inserido numa posição inclinada para trás e cabeçote com uma rotação de 180 graus, fatores estes que também contribuíram sobremaneira para que a motocicleta se tornasse ainda mais ágil.

Assim como em todos os modelos de motocicletas que possuem maiores cilindradas, a suspensão dianteira da G 310R é do modelo invertida e o sistema de freios a disco está disponível nos dois eixos.

Devido ao visual bastante chamativo, não há como negar que os detalhes do modelo foram minimamente trabalhados, haja vista que o modelo possui dupla carenagem nas laterais ao lado do tanque, detalhe este que faz com que a motocicleta se pareça ainda mais robusta.

Por Adriano Oliveira


Modelo foi apresentado na Europa e terá um motor mais potente do que os modelos convencionais.

A renomada empresa fabricante de motocicletas Yamaha fez a apresentação oficial no continente europeu, nesta última quinta feira, dia 20 de maio de 2016, do seu mais novo triciclo, veículo este que foi batizado com o nome de Tricity 155. Essa motocicleta começará a ser comercializada no mercado europeu no segundo semestre ainda deste ano. O objetivo da empresa com o lançamento deste novo triciclo foi o de aumentar a sua linha de motocicletas de três rodas, linha esta que anteriormente era representada pelo Tricity 125.

A principal novidade trazida por este novo triciclo da Yamaha é o seu propulsor, que possui maior cilindrada que os convencionais. Nesse lançamento o propulsor utilizado é de 155 cc e possui a capacidade de produzir uma potência máxima de 15,09 cavalos.

Outro diferencial trazido pelo Tricity 155 foi o fato de a Yamaha ter adotado uma roda traseira maior do que a que era utilizada anteriormente no Tricity 125, o qual foi projetado com roda traseira no tamanho 12 polegadas.

No caso do Tricity 155 o veículo foi projetado com uma roda traseira no tamanho de 13 polegadas e na parte frontal ambas as rodas possuem o tamanho 14 polegadas.

Para aqueles que pensam que esse novo triciclo da Yamaha será um veículo de condução dificultosa se enganam e muito, haja vista que o principal aspecto que foi uma das preocupações da fabricante no projeto do Tricity 155 foi o fato de fazer com que o veículo tivesse o comportamento de condução idêntico ao de uma motocicleta convencional, inclusive inclinando-se em curvas. Para conseguir este grande feito a marca fez a utilização da mesma tecnologia utilizadas por marcas renomadas, tais como a Piaggio, que possui grande sucesso com o MP3 e a Peugeot, que possui destaque com o Metropolis.

A grande vantagem de se ter um triciclo deste é fato de que a presença de duas rodas na parte dianteira oferece aos condutores um pouco mais de estabilidade do que em uma moto comum.

O certo é que a Yamaha está tentando inserir os triciclos no setor das motocicletas convencionais, já que essa é uma das tendências da marca no mercado europeu, sem sombra de dúvidas daqui há algum tempo teremos notícias deste tipo de veículo no mercado nacional.

Por Adriano Oliveira


Motocicleta chega com pequenas mudanças visuais e novos comandos.

Apesar da descontinuação do modelo Street CB 300R, a motocicleta Honda XRE 300 permanece na liderança do mercado on/off road, onde apresenta sua nova versão 2016, que chega ao mercado com pequenas mudanças visuais e de alguns comandos.

A aventureira da marca japonese precisou se adequar às novas regras de emissões de poluentes (PROMOT 4), o que gerou uma pequena perda de potência em seu propulsor DOHC, o qual permanece com a tecnologia flex e sistema de refrigeração a ar. Segundo a montadora, o motor possui 291,6 cc, 25,4 cavalos e 2,76 kgfm a gasolina e 25,6 cv e 2,80kgfm a etanol. Anteriormente a motocicleta desenvolvia 26,3 cavalos e 2,85 kgfm de torque.

O motor apresenta um novo diagrama de válvulas com novos ressaltos nos comandos, novo ângulo de abertura de válvulas e melhoras no arrefecimento do mesmo.

A grande novidade da versão 2016 fica por conta de seu painel digital totalmente renovado, que agora possui fundo preto e letras brancas, do tipo blackout, como as telas dos smartphones, trazendo um visual moderno. O modelo também ganhou novos punhos e comandos do guidão, assim como, a inserção de um lampejador.

Seguindo as novidades do painel, a XRE 300 apresenta um novo reservatório de combustível, juntamente com novas abas de proteção com linhas mais angulosas e uma inédita tampa de combustível articulada estilo aviador, que proporciona um aumento de 13,6 litros para 13,8 litros de capacidade de armazenamento.

No restante da motocicleta não houve nenhuma novidade, a ciclística se mantém a mesma. As suspensões permanecem do tipo telescópica e monoamortecida, na dianteira e traseira, respectivamente. Também apresenta frenagem a disco nas duas rodas e oferece uma versão com freios C-ABS, que garante maior segurança de frenagem.

Dando continuidade às novidades, A Honda passa a oferecer aos clientes a garantia de fábrica de três anos, sem limite de quilometragem para a XRE. Contando ainda com troca de óleo grátis em sete revisões.

O modelo atual possui novos preços sugeridos em relação ao modelo 2015. A versão standard (freios sem ABS) é oferecida nas cores vermelha metálica, branca e preta fosca, ao preço de R$ 15.560 – anteriormente era comercializada pelo valor de R$ 14.936. Já o modelo com freios C-ABS é comercializado ao preço de R$ 17.039 – anteriormente era de R$ 17.750. Vale ressaltar que esta versão é a única a oferecer a roupagem “Rallye”.

Os valores são referentes ao preço sugerido na região de São Paulo, para pagamento à vista, e não inclui despesas com frete e seguro.

Por Wendel George Peripato


Nova moto deve ganhar linhas mais parecidas com a da Ninja H2 e contará com o sistema supercharger.

Não há como negar que as motocicletas da Kawasaki, por todo o mundo, são sinônimos elegância e são caracterizadas como sonho de consumo de muitas pessoas devido a imponência e qualidade. E como não poderia ser diferente, os recentes lançamentos da marca, as enfurecidas Kawasaki Ninja H2 e H2R, causaram uma verdadeira agitação, pois estas são equipadas com propulsores de quatro cilindros de 1 litro com sobrealimentação realizada por supercharger, que são capazes de gerar incríveis 200 a 300 cavalos de potência, respectivamente.

Apesar de todo esse conjunto atrair a atenção de muitos consumidores, os preços dessas motocicletas não ficarão muito acessíveis, haja vista que a H2 custa R$ 120 mil e a versão de pista (H2R) sairá por R$ 350 mil.

Todavia, para aqueles consumidores que ficaram extremamente animados com estas novidades, as notícias são boas, uma vez que a fabricante japonesa está trabalhando na produção de uma nova motocicleta sobrealimentada com valor mais acessível. Segundo as notícias que já estão sendo divulgadas nos bastidores, a Kawasaki irá fazer a expansão da utilização do sistema supercharger em modelos de motocicletas até mesmo menos radicais que a série H2, sendo que a próximo modelo a ser contemplado com esta inovação será a famosa Kawasaki Ninja R2, cujo propulsor dotado de 4 cilindros deverá deslocar aproximadamente 800cc, gerando uma potência máxima de cerca de 190 cavalos e um torque que gira em torno dos 11 kgfm.

Este novo propulsor está sendo desenvolvido com a finalidade de ser mais compacto e leve que o da H2 e teria um compressor de geometria variável, ou seja, trabalhará por meio da variação da angulação de suas pás para que haja uma rotação mais rápida para que não aconteça o “lag” em uma faixa menor de giros.  O intercooler seria uma outra aplicação para fazer o resfriamento do ar antes que entrasse na turbina, fazendo com que ocorra uma indução com maior densidade.

Com relação ao design desse novo modelo, algumas projeções já estão sendo divulgadas, sendo que muitos dizem que são oriundas da própria Kawasaki, nessas projeções é possível visualizar algumas linhas bastante similares às da H2, principalmente nas laterais e rabeta, já a dianteira ficou no estilo mais convencional.

O lançamento desta novidade da Kawasaki tem previsão de lançamento no mercado no início do ano de 2017, porém, com grande chances de aparecer ainda neste ano em algum dos grandes salões de motocicletas.

Por Adriano Oliveira


Scooter chega ao país para concorrer com a Dafra Citycom 300i e custará cerca de R$ 23 mil.

A Honda, uma das empresas líderes mundiais em fabricação e venda de motocicletas, lançou oficialmente no mercado brasileiro a Honda SH 300. Este novo modelo da marca é um scooter considerado “premium” devido ao fato de possuir freios ABS de fábrica, bem como 300 cilindradas. O valor de comercialização dessa novidade da Honda aqui no Brasil será de R$ 23.590, o principal objetivo da fabricante com este lançamento é fazer concorrência com o scooter da marca Dafra, chamado Citycom, o qual, antes da chegada deste novo modelo aqui no Brasil, era a única opção de scooter com essa faixa de cilindrada. O Citycom é vendido pela Dafra por R$ 18.490. Apesar da diferença de valor, o modelo da Dafra não possui nem como opcional o freio ABS, mas conta com o sistema CBS já de fábrica.

O Scooter SH300i chega ao mercado nacional com a boa reputação de ter sido um grande sucesso de vendas no mercado da Europa. No mercado europeu, um scooter de 300cc são considerados ainda como de baixa cilindrada, mas mesmo assim o modelo teve uma boa aceitação, fator este que indica que aqui no país não deve ser diferente, haja vista que para o padrão nacional, um scooter dessa cilindrada está entre uma das maiores cilindradas disponibilizadas no mercado para este tipo de veículo.

Para se ter uma breve noção do quanto essa família de scooter fez sucesso no continente europeu, por lá ela já é produzida há 30 anos, sendo disponibilizados os modelos SH 150 e o SH 125. Por lá, o veículo já conseguiu superar a incrível marca de 1 milhão de unidades comercializadas.

A previsão da Honda é de que o scooter SH 300i chegue às concessionárias da marca a partir do mês de abril, sendo que a sua produção será destinada para a cidade de Manaus.

O propulsor que será utilizado no SH 300i é dotado de 1 cilindro e 279,1 cc, configuração esta que é capaz de produzir uma potência de 24,4 cavalos a 7.500 rpm e um torque de 2,59 kgfm a 5.000 rpm, este motor funcionará em conjunto com o sistema de câmbio CVT automático.

Por Adriano Oliveira


Motocicleta chega ao país custando R$ 36 mil e irá concorrer com a Ducati Scrambler.

A Triumph deu início a pré-venda do primeiro modelo da nova linha de motocicletas Bonneville no país, a Street Twin. A marca é uma novidade no país e é esperada para fazer concorrência com as outras marcas presentes em nosso país.

A chegada da nova motocicleta nas concessionárias brasileiras está sendo esperada para a segunda metade do mês de abril. Segundo a montadora, as primeiras 200 unidades da motocicleta terão preço especial, custando em torno de R$ 36.500 reais.

Para o ano de 2016, a marca ainda pretende trazer ao mercado nacional os outros lançamentos da linha Bonneville, que são a Thruxton R (com chegada prevista para o mês de junho), a Bonneville T120 (que é esperada para agosto) e também a Bonneville T120 Black (que chega ao mercado brasileiro em setembro deste ano).

Os preços dos novos modelos da marca ainda não foram divulgados pela empresa sediada na Inglaterra. Porém, é esperado que os preços acompanhem o de modelos similares das outras montadoras concorrentes.

O motor da nova Street Twin é de 2 cilindros, que conferem 900 cc ao modelo. Com esse motor, a motocicleta rende até 8,15 Kgfm de torque a 3.200 rotações por minuto, que chega a ser até 18% maior que a da geração anterior, segundo informações da própria companhia inglesa.

Para esse novo modelo, foi descartado o antigo sistema de refrigeração a ar, presente em modelos anteriores da marca, sendo este substituído por um novo sistema de refrigeração à liquido.

O design da motocicleta chega para agradar aqueles que curtem um visual mais retrô, baseado num estilo minimalista, sem deixar de lado a ótima qualidade das novas motocicletas lançadas nos últimos anos, causando ao condutor uma experiência de condução dinâmica. A motocicleta possui, também, um som muito característico, o que agrada muito os amantes de motocicletas, e pode ser um fator muito decisivo na hora da compra do modelo.

O lançamento da Street Twin, da Triumph, chega ao mercado visando bater de frente com a Ducati Scrambler, que a exemplo da Street Twin, também acaba de ser lançada no mercado nacional de motocicletas.

Por Igor Furraer


Montadora lança novas versões do modelo no Brasil. Preço varia de R$ 38 mil a R$ 42 mil.

Há alguns meses a montadora italiana Ducati lançou o modelo Scrambler versão Icon no país. No entanto, a montadora surpreendeu ao divulgar a comercialização de outras versões do modelo. Vale ressaltar que o modelo é hoje a opção mais acessível da marca italiana em território nacional.

As especificações técnicas das versões são iguais, no entanto, o que muda são alguns detalhes no design. O modelo Scrambler conta com motor de dois cilindros, 800 cilindradas e sistema de refrigeração a ar, capaz de gerar até 75 cv de potência. Já o tanque tem capacidade de armazenar até 13,5 litros de combustível. A Ducati confirmou que o modelo pesa 170 Kg sem o acréscimo de fluidos e combustíveis.

A versão Urban Enduro possui design off-road e conta com guidão largo e para-lamas alto, sendo ideal para quem enfrenta estradas de terra. A versão Full Throttle conta com escapamento duplo, exclusivamente na cor preta e detalhes em amarelo.

A versão Classic, por sua vez, é o que mais se assemelha a primeira linha de Scrambler, lançada em 1962 pela Ducati. O modelo conta com banco de couro envelhecido e rodas raiadas, que remetem ao passado. Já a versão Icon é a mais essencial do pacote e não possui grandes destaques, exceto por sua poderosa especificação técnica.

Segundo informações, a Ducati planeja comercializar ainda esse ano o modelo Scrambler Sixty2 de 400 cc em território brasileiro. A motocicleta conta com motor de dois cilindros que gera 41 cv de potência máxima e 3,5 kgfm de força de torque. Além disso, o modelo conta com câmbio manual de seis velocidades.

 O modelo também possui base na primeira geração Scrambler, lançada na década de 60. Apesar de ter design semelhante ao da linha Scrambler 800, o modelo Sixty2 conta com peças modestas em relação a sua irmã mais velha. Estima-se que com o lançamento do modelo no país, a Sixty2 passe a ser o modelo com o melhor custo-benefício da empresa. Infelizmente, a empresa ainda não se pronunciou quanto à data de comercialização da motocicleta no país.

A Ducati revelou o preço das versões, sendo: Icon por R$ 38.900; Urban Enduro e Classic por R$ 41.900 e a versão completa Full Throttle deverá custar R$ 42.900.

Por Wendel George Peripato


Motocicleta chega às concessionárias mais leve que sua antecessora e custará cerca de R$ 13 mil.

A montadora Honda lançou a nova CB Twister 2016, que vem para substituir a CB 300R. A nova motocicleta faz uso de um grande nome do passado, a CBX 250 Twister, para chamar atenção de novos e antigos consumidores. Utilizar símbolos anteriores está em alta entre as motocicletas, a mesma Honda ressucitou a CB 500 e trouxe de volta uma moto que chegará no mercado brasileiro ainda este ano, a Africa Twin.

Os exemplos continuam com a Scrambler, sendo usado novamente pela Ducati e a pouco tempo atrás pela BMW.

Em relação à CB 300, a CB Twister teve uma diminuição de cilindrada em seu propulsor e para isso nada melhor do que fazer uso de um nome antigo que continua sendo destacado por seus consumidores.

É bem complicado dizer o porquê de uma moto com motor mais forte (300 cc), que atualmente é líder do nicho, ser substituída por uma com menos cilindradas (250 cc). Entretanto, uma das possíveis razões foi às novas leis de emissões, as quais envolvem o risco de evaporação do combustível, que acaba por exigir uma tampa para o tanque com padrões específicos, porém, o modelo CB 300 não atendia. De acordo com a empresa, a nova Twister busca ser mais eficiente e mais leve, tendo uma diminuição de 10 kg em relação a CB 300R.

O novo propulsor de 1 cilindro e 249,5 cilindradas gera uma potência de 22,4,cv, já sua antecessora (que possui um 1 cilindro e 291 cilindradas) alcança 26,7 cv.

A Honda CB Twister foi reposicionada no nicho em questão e agora este modelo se aproximou da Yamaha Fazer 250, sua maior concorrente, com relação ao tamanho de motor.

A Fazer 250 chegar a custar R$ 13.620, já a CB Twister inicia em R$ 13.050, podendo bater a marca de R$ 14.450 com ABS. As duas são flex, porém, a moto da Yamaha não conta com sistema de freios. Tal sistema, seja CBS ou ABS, será obrigatório em todas as motocicletas até o ano de 2019.

A nova Twister virá mais cara que a CB 300R, que ao sair de linha custava R$ 12.737.

Nádia Neves


Modelos Forty-Eight, Iron 883, CB e 1200 CA chegam com novidades para melhorar ainda mais o conforto.

A empresa estadunidense Harley-Davidson apresentou no Brasil, no último trimestre do ano passado, a linha Sportster 2016. Os modelos Forty-Eight, Iron 883, CB e 1200 CA seguiram as mudanças já exibidas no lançamento mundial, que ocorreu no exterior, tais motos vieram com novidades, a fim de aprimorar ainda mais o conforto.

Estes modelos foram expostos no Salão Duas Rodas 2015, que ocorreu na segunda semana de outubro, e as vendas já tiveram início neste mês de janeiro de 2016. A marca também já divulgou os valores para as motos da linha 2016.

Abaixo segue a lista de valores para 2016:

– DYNA
Low Rider – a partir de 58.400 reais, 
Street Bob – a partir de 55.800 reais, 
Fat Bob – a partir de 59.900 reais.

– SPORTSTER
Iron 883 – a partir de 42.900 reais,
1200 Custom – a partir de 51.100 reais,
Forty-eight – a partir de 50.700 reais.

– V-ROD
Night Rod Special – a partir de 79.900 reais,
Muscle – a partir de 78.500 reais.

– CVO
Limited – 151.200 reais,
Street Glide – 134.200 reais.

– TOURING
Street Glide Special – a partir de 90.400 reais,
Road King Classic – a partir de 80.300 reais,
Ultra Limited – a partir de 102.800 reais.

– SOFTAIL
Fat Boy – a partir de 69.900 reais,
Deluxe – a partir de 69.900 reais,
Breakout – a partir de 73.700 reais,
Fat Boy Special – a partir de 70.900 reais,
Heritage Softail Classic – a partir de 74.100 reais.

A empresa informou que todas as motocicletas da família Sportster passam a ter uma nova suspensão dianteira e amortecedores traseiros renovados. O objetivo foi focar na melhoria de performance, melhorando a resposta da moto em relação às imperfeições do solo.

Tornou possível também o ajuste de pré-carga na suspensão traseira, devido a estas modificações.

A marca também adicionou novos assentos em todos os modelos da família e acrescentou mais espuma no banco para aumentar o conforto, além de contar com um novo desenho.

Diversos destes modelos também receberam novos grafismos, inspirados em estilos da década de 1970, como é o caso da Forty-Eight.

Nádia Neves


Honda registra patente da motocicleta e indica que poderá lançar a nova motocicleta em solo brasileiro.

A Honda Valkyrie, que foi apresentada no velho mundo e nos Estados Unidos no ano de 2014, agora está bem perto de chegar ao Brasil neste ano. Pelo menos é o que aponta a marca japonesa, ao realizar o registro de patente do design da moto no Instituto Nacional da Propriedade Industrial, o INPI, efetuado no começo deste ano de 2016.

A Valkyrie, que é uma Cruiser, nos mercados europeus é conhecida como Gold Wing F6C. A motocicleta, que é produzida para percorrer grandes distâncias e conta com o motor Gold Wing, chama atenção pelo porte imponente e pelo desenho futurista, além também por possuir diversos painéis e poucos detalhes cromados, o que vai na contra mão das tradicionais customs. De acordo com informações publicadas pela Honda, o desenho não é apenas por estilo, as grandes carenagens laterais também são funcionais, pois auxiliam na deflexão do calor do motor para longe do piloto.

O motor é o boxer, que possui 6 cilindros opostos e conta com 1.832 cilindradas, o que é utilizado no GL 1800 Gold Wing. Possui comando único no cabeçote (SOHC), refrigerado a líquido e alcança 116 cavalos de potência a 5.500 giros e um 17 kgfm de torque, os quais são entregues ao atingir 4 mil rpm. Freios são a disco simples na traseira e duplo na dianteira, com 316 mm e possui sistema C-ABS. A transmissão é de cinco marchas longas.

Ela é 70 quilos mais leve que a irmã Gold Wing, agora pesando 340 kg, promete melhor agilidade e desempenho na estrada. O assento está a apenas 725 mm de altura do solo.

A tabela dela está em aproximadamente US$ 18 mil nos Estados Unidos. Se vendida no Brasil, a nova Valkyrie será uma motocicleta de baixo volume, tendo preços logo abaixo da Gold Wing GL 1800, que atualmente é comercializadas por valores que variam entre R$ 99.900 e R$ 119.900. Caso seja importada, sua venda se dará apenas na rede Honda Dream.

Nádia Neves


Moto possui motor de 160cc e ganhou melhorias para diminuição do atrito interno e redução das vibrações.

A Honda fez o lançamento oficial da nova Hornet. Para aqueles que são apaixonados por esse lindo modelo, por enquanto não adianta ficar muito animado não, haja vista que este lançamento da fabricante, nesse primeiro momento, será destinado exclusivamente para o mercado indiano.

A principal novidade e que muitas pessoas por aqui não vão gostar é a de que ela não passa de uma motocicleta street com um motor de 160cc, ou seja, para explicar de uma forma mais direta, a nova Hornet não chega nem perto da famosa CB 600F Hornet de quatro cilindros, que fez muito sucesso aqui no mercado nacional. O objetivo principal da Honda é o de utilizar o sobrenome Hornet para que os consumidores tenham a impressão de que este modelo seja uma moto urbana com design esportivo.

O design desse lançamento é muito parecido com o da CB500F. Com relação à motorização, a Hornet indiana é dotada de um propulsor de 162,7 cm³, o qual possui a capacidade de gerar uma potência máxima de 14,5 cavalos e um torque de 1,5 Kgfm a 5 mil rpm.

Dentre as diversas tecnologias inseridas neste monocilíndrico, o grande destaque fica por conta do trabalho realizado para a diminuição do atrito interno, bem como a utilização de balancins para que as vibrações sejam reduzidas.

Outras grandes novidades são a bateria, pois o modelo utilizado é livre de manutenção e o filtro de ar que foi confeccionado por um papel viscoso, material este que fez com que a substituição deste componente seja feita somente após os 18.000 km.

Lá na Índia esta motocicleta será ofertada nas cores preta, branca, azul, laranja e vermelha e terá como acessórios rodas de liga-leve pintadas de preto, lanternas e faróis de LED, sendo que a lanterna terá a curiosa forma de “X”.

O sistema de freio utilizado será o a disco combinado, com a presença de sistema anti-travamento, já o câmbio será composto por cinco marchas. Lá na Índia esta motocicleta custará 79.900 rúpias indianas, valor este que feita a conversão equivale a aproximadamente R$ 4.500.

Por Adriano Oliveira


Modelos fabricados entre 2010 e 2013 possuem problemas com o eixo cardã. Conserto será realizado a partir de janeiro de 2016.

Na última terça-feira, dia 08 de dezembro de 2016, a grande e renomada fabricante de automóveis e motocicletas Honda fez o anúncio a respeito de um recall que irá atingir 489 unidades dos modelos VFR 1200X Crosstourer e VFR 1200F, a justificativa para esta convocação é um problema detectado nesses modelos que afetam diretamente o eixo cardã. Os modelos que deverão passar pelo procedimento correcional são as unidades de ano/modelo de 2010 a 2013 no caso da esportiva e no caso da aventureira apenas os modelos 2012.

Esse problema detectado, em alguns casos, pode ocasionar o ruptura do eixo cardã, situação este que causa consequentemente a perda de potência da roda traseira das motocicletas, sendo que em casos extremos ocasiona o travamento instantâneo do movimento. Caso ocorra o travamento do movimento da roda, a condução das motocicletas será seriamente afetada, o que irá expor os motociclistas ao risco iminente de uma queda, podendo ocasionar não só danos materiais, como também lesões graves ou fatais aos ocupantes do veículo ou até mesmo a terceiros.

Para fazer o reparo do problema detectado, a Honda irá fazer a substituição do eixo cardã dessas motocicletas por um novo componente que contém as mesmas características técnicas, mas que permitirá uma utilização mais segura e por um período mais prolongado.

O atendimento nas concessionárias de todo o país para que essa substituição seja feita terá início no próximo dia 04 de janeiro. Contudo, a marca já divulgou que um novo componente já está sendo desenvolvido no exterior e que em meados do mês de março de 2016 uma nova convocação será feita para que seja feita a instalação desse novo conjunto do eixo cardã, só que este com as melhorias definitivas, extinguindo completamente a ocorrência do problema mencionado.

Para conseguir maiores informações a respeito dessa situação, a Honda disponibiliza a sua Central de Atendimento cujo número é o 0800-701-3432, o qual possui atendimento de segunda a sexta-feira das 08h às 20h ou o seu portal eletrônico que é o www.honda.com.br/recall/motos.

Por Adriano Oliveira


Modelo é a primeira moto de média cilindrada da montadora. Ainda não foram divulgados os preços da motocicleta.

A grande fábrica alemã Bayerische Motoren Werke, também conhecida como BMW, lançou oficialmente na semana passada, dia 11 de novembro, na Europa, sua primeira moto de média cilindrada, a naked G 310 R. Segundo a BMW, trata-se de uma moto dinâmica, potente e leve. É uma versão da série, lançada em outubro, em São Paulo, a G 310 Stunt.

A empresa vem com essa novidade com o objetivo de atingir uma parte nova do mercado. A BMW quis dar ao modelo G 310 R uma maior versatilidade, já que seus usuários a utilizarão tanto na cidade quanto na estrada.

O nova moto tem 313 cilindradas de capacidade, possui apenas um cilindro e conta com comando duplo no cabeçote (DOHC) em suas 4 válvulas, refrigerado a água e injeção eletrônica de combustível. Um ponto interessante é a questão do motor ter um ângulo de inclinação para trás de 180 graus, o que deixa um grande espaço na parte da frente, onde se encontra o sistema de admissão. O motor a 7500 RPM de torque, 9500 RPM e 2,9 kgf.m atinge uma potência máxima de 34 cavalos. O peso do conjunto é de 158, 5 kg, resultando na relação entre peso-potência de 4,6 kg/cv.

O modelo foi desenvolvido na Alemanha e será produzido na Índia, também sendo montado na cidade brasileira de Manaus, o que está previsto para ocorrer no segundo semestre de 2016.

O chassi da versão é feito em tubos de aço. Na parte da frente a moto possui garfo telescópico invertido, enquanto que na traseira a moto conta com um único amortecedor e uma balança mais longa, que facilita a estabilidade da moto. Os freios ABS serão a novidade do modelo, onde na frente é equipada com apenas um disco de 300mm de diâmetro e na traseira disco de 240mm. As rodas são de 17 polegadas. O painel vem com uma tela de LCD para a apresentação de todas as informações necessárias.

O preço ainda não foi divulgado, mas segundo o diretor-geral da marca, será bem competitivo.

FILIPE RIBEIRO DA SILVA


Nova linha speed triple é lançada na Europa. Modelos chegarão ao Brasil somente no ano que vem.

Posteriormente a apresentação da nova geração da Bonnville, foi a vez de a Triumph lançar a nova linha Speed Triple, com as versões Speed Triple R e Speed Triple S. Segundo a assessoria de imprensa da marca, as novas Speed Triple só chegarão ao território brasileiro no segundo semestre do ano de 2016.

O veículo passou por significativas atualizações, dentre elas está o motor e a parte eletrônica, juntamente com as carenagens e o próprio design.

De acordo com as informações divulgadas pela empresa, o novo motor de 3 cilindros e 1050 cilindradas dispõe de 104 melhorias para que assim pudesse atingir uma potência e também torque maior, em todas as faixas, dessa forma, melhorando o consumo de combustível em quase 10 por cento. Tal moto conta agora com uma nova cabeça de cilindro e câmara de combustão, além de uma nova manivela usinada, aceleradores ride by ride e também um novo desenho do pistão.

A nova motocicleta recebeu também uma nova embreagem, um radiador mais eficiente e menor, além de contar também com um sistema de escape com fluxo melhorado em 70 por cento, se comparado com a versão anterior.

O novo modelo conta com cinco modos de pilotagem, são eles: chuva, estrada, pista, esporte e um modo programável. O controle de tração e o freio ABS podem ser ativados pelo próprio piloto. Pinças responsáveis pelas frenagens são da marca brembo.

As alterações de modos incluem luzes diurnas, novos faróis, assento totalmente novo e carenagens remodeladas, muito mais elegantes.

A nova Speed Triple R, além de possuir todos os itens acima citados, tem conta com alguns acessórios adicionais, como inserções de carbono no tanque, para-lama dianteiro feito em fibra de carbono e um protetor de motor.

A Speed Triple R terá disponível as cores: Crystel White e Matt Grafite. Já as cores para a Triple S serão Phantom Black e Diablo Red.

FILIPE RIBEIRO DA SILVA


Nova moto presta homenagem aos AMG GT da Mercedes Benz.

Apenas olhar para a nova moto MV Augusta F3 800 AMG já bastava. Ela já diz tudo, mas vamos encontrar as palavras e tentar falar sobre esta belezura.

A edição especial foi lançada em parceria com a Mercedes-Benz, no Salão de Frankfurt 2015. Porque parceria com a Mercedes? Bem, porque a Mercedes se tornou possuídora de 25% da MV Augusta em outubro do ano passado e porque decidiram prestar uma homenagem ao esportivo da montadora alemã, o AMG GT, isso também explica a MV Augusta ter abandonado suas cores clássicas, vermelha e prata, e ter mergulhado no amarelo e preto ao estilo “solar beam” (feixe de energia solar, em tradução livre), o mesmo nome do carro.

A F3 800 é da família 800 das motos da MV Augusta, que tem também as Brutale 800 e Rivale 800. De acordo com a montadora, a F3 800 vem com uma proposta bem definida ao usuário: dele ter a experiência de pilotar uma superesportiva de 1.000 cm³, mas com a condução de uma de 600 cm³.

Quer ver um pouco da descrição?

Motor de 3 cilindros, 12 válvulas, 7 cilindradas e 148 cavalos de potência. Câmbio de seis marchas com assistência eletrônica de troca de marcha e acelerador eletrônico, freios ABS (da Brembo – um disco dianteiro de 320 mm e um traseiro de 220 mm, pegos por pinças de quatro e de dois pitões) e controle de tração. Para-lamas em fibra de carbono, rodas pretas, costuras amarelas no banco (que dão um toque de estilo e exclusividade) e tampa de combustível no estilo de corrida. A moto tem 173 kg. Sua suspensão dianteira tem garfo telescópico hidráulico e amortecedores invertidos.

Infelizmente o  modelo não virá para o Brasil e custa, na Europa, 15.310 euros, algo em torno de R$ 68 mil.

MV Augusta:

A montadora italiana nasceu nos arredores de Milão, no ano de 1945. Nos anos 50 e 60 dedicava-se a fabricar motos de pequena cilindrada. Com o tempo começou a investir em motos maiores. É hoje um dos grandes nomes no segmento de supermotos.

Elia Macedo





CONTINUE NAVEGANDO: