Modelo deverá chegar ao país depois da Multistrada 950.

Em 2018 estreará no Brasil a novíssima Monster 797, que vem logo depois da Multistrada 950, que deve chegar ainda em 2017.

Embora estivesse programada também a chegada da Scrambler Sixty2 em território brasileiro, sua vinda foi cancelada. Segundo a fabricante, o motivo da desistência de trazer esse modelo se deve ao fato de seu preço ser muito compatível com o preço da Scrambler 800, já vendida no Brasil, não compensando assim a sua venda.

De acordo com a diretoria da Ducati, as motos Scrambler 800 e Scrambler Sixty 2 possuem características muito parecidas, com o diferencial apenas no motor, por isso seus preços são muito próximos, por isso a sua oferta no Brasil chega a ser inviável, pois aqui não existe a questão dos incentivos fiscais para motos de baixa cilindrada, diferentemente do que ocorre em outros países.

A BMW tem apostado para o Brasil, nos modelos de cilindradas mais baixas, mas possui a vantagem de ter a sua própria fabricação. Por sua vez, o fato da produção da Sixty ser em Bolonha, ainda faz com que seu preço não possa cair.

Segundo o diretor da fábrica italiana, a única forma de oferecer preços mais acessíveis em suas motos de cilindrada menor seria a partir de uma parceria com outras fabricantes que atuam no Brasil. Mas apesar de já ter existido algum comentário sobre essa possibilidade, no momento está descartada e por isso não podem entrar na concorrência deste segmento de motocicletas.

Em relação a uma fábrica própria no Brasil, mais precisamente em Manaus, esta possibilidade também está descartada. Pois a fabricante italiana monta seus modelos em um espaço que pertence a Dafra motos em Manaus.

Agora, no que refere a nova Monster 797, que já é garantia de chegar ao Brasil, ela é uma sequência da já fora de linha 796.

Quando o modelo 796 saiu de linha, foi substituída pela Monster 821, que foi produzida com um motor que possuía refrigeração líquida.

A Nova Monster 797 chega com o motor a ar, o que a deixa mais acessível. A previsão de preço, embora ainda não exista números exatos, estima-se que será maior que o preço da Scrambler.

Sirlene Montes


Piaggio lançou no Brasil a primeira scooter de 3 rodas: MP3.

Você se lembra da Vespa, uma moto cheia de estilo que conquistou uma geração inteira? Pois bem, a Piaggio, marca que é dona da Vespa, acabou de lançar no Brasil a sua scooter MP3, a primeira de 3 rodas.

Primeiro foi a vez da Vespa voltar a rodar em solo brasileiro, e agora a marca de origem italiana vem com a novidade da MP3. Serão oferecidas quatro versões e os preços são a partir de R$ 38.000.00.

A motocicleta foi lançada no dia 07 de dezembro.

A MP3 com certeza vai chamar a atenção de todos pelo seu estilo que lembra os modelos clássicos, com traços muito modernizados e principalmente pelas 3 rodas, equipada com um motor de 300 c, equipada com um motor de 300 cm³.

Veja os preços dos modelos da primeira scooter de 3 rodas do mundo:

A versão de entrada, a MP3 300 Yourban LT Sport, está sendo vendida por R$ 38.800.00.

Já a versão MP3 300 Yourban LT, possui o preço para venda de R$ 39.800.00.

A versão MP3 300 LT Sport, cheia de detalhes, está saindo por R$ 47.800.00.

E por último, a versão MP3 300 LT Business, um luxo em 3 rodas que sai por R$ 49.800.00.

A novidade de 3 rodas que chega ao Brasil agora, mas ela foi lançada há 10 anos atrás, no ano de 2006. O Brasil recebe um modelo deste estilo, oficialmente pela primeira vez. Contudo, já havia no Brasil alguns modelos que vieram como importados.

A Piaggio é uma marca Italiana, que no Brasil tem seus produtos vendidos por sua representante oficial, Asset Becley, um grupo de investimentos.

Os modelos já estão sendo vendidos, a princípio na condição de produto importado, mas a intenção da empresa é que a partir de 2018 as scooters sejam montadas no Brasil, mais precisamente em Manaus.

Segundo a empresa que produz tanto a Vespa como a MP3, a estimativa de vendas para o ano de 2017 é de 12 mil unidades, entre os dois modelos. Sendo que espera-se que 60% das vendas dessa 12 mil unidades sejam da MP3.

Ainda não se sabe se a moto de 3 rodas da Piaggio vai agradar a todos os gostos. Mas elas são realmente muito charmosas.

Por Sirlene Montes

Piaggio MP3 2017

Piaggio MP3 2017

Fotos: Divulgação


Modelos possuem problema no contato do modulador do ABS e do chicote elétrico.

A Kraftfahrzeuge Trunkenpolz Mattighofen, mais conhecida como KTM, iniciou o recall, na última terça-feira, dia 06 de dezembro, dos modelos de motocicleta 1290 Super Adventure no Brasil, 1190 Adventure e 1190 Adventure R, até o ano/ modelo 2016, contando com mais de 88 unidades. Acredita-se que houve uma falha na montagem que pode causar problemas no contato do modulador do ABS e do chicote elétrico. Caso o problema seja detectado, a empresa instalará de forma gratuita uma cinta para fazer a fixação dos cabos. Veja abaixo as principais dúvidas dos clientes em relação a recall:

  • O que é recall? Esta é uma convocação da empresa fabricante, quando constata que há um defeito no produto que pode colocar em risco a segurança ou a saúde do consumidor
  • Eu devo pagar pelo conserto? O Procon-SP informa que qualquer serviço realizado pelo fabricante, em recall, deve ser obrigatoriamente gratuito, já que ele não pode gerar nenhum prejuízo a quem comprou o produto. Caso o cliente tenha que se deslocar por uma longa distância ou até mesmo perder um dia de trabalho, por exemplo, pode requerer compensação destes prejuízos na Justiça.
  • E qual é o prazo que eu tenho para levar o veículo para inspeção do fabricante? Uma vez veiculado o recall, pela empresa, não há data limite para realizar. Mas, pode ocorrer da fabricante determinar um período de início e fim para este atendimento. Qualquer problema que se tenha, seja com o agendamento, demora para reparar ou mau atendimento, ele deve ser levado diretamente ao Procon de sua região.
  • Eu comprei o veículo usado. Tenho direito? Sim, o direito ao recall é também para quem fez a compra de usados. Quem comprou pode a qualquer momento pedir a inspeção em seu veículo.

Mesmo realizando um recall, o fabricante é sempre o responsável pelo produto, isto é, por ter colocado no mercado algo com defeito. Já em caso de acidente por conta desta falha da empresa, pode-se entrar com um processo, requerendo os seus direitos.

Para mais informações entre em contato com a KTM pelo e-mail contato@ktm.com.br ou telefone 0800-778-1234.

Gostou do nosso post? Conte para nós suas experiências e opiniões sobre o assunto! Esperamos!

Kika Akita


Confira aqui o preço e a avaliação da nova Honda CRF1000L Africa Twin 2017.

A Honda é com certeza uma marca que é líder em motocicletas. E agora a grande novidade é a nova Honda CRF-1000L Africa Twin, que se caracteriza por ser uma máquina que pode ir a todo e qualquer lugar. Ela deve estrear aqui no Brasil no segundo semestre de 2017 e traz o nome de África Twin de um modelo que já rodou por aqui, mas que a alguns anos foi retirada do mercado, mas que deixou muitos admiradores.

Porém, o mais importante e mais marcante dessa motocicleta é a retomada do perfil “go anywhere”, que representa esse espírito de que com ela pode-se ir a qualquer lugar, típico das motos mais antigas que atuavam em ralis africanos com muita eficiência.

A nova Honda foi desenvolvida para rodar no asfalto, na estrada de terra, nas montanhas desérticas, tudo isso usando pneus mistos. Por sua vez, com o uso dos pneus de trilha, ela desempenha muito bem nas “ramblas” desérticas que são compostas por pisos do tipo aluvião, além de ser excelente para raízes, lamas, ribeiras, pedras e areia.

Quem realizou todas essas avaliações, rodando por quilômetros, foi o multicampeão Jean Azevedo, profissional em Rali.

A Honda CRF foi planejada com foco na versatilidade e na simplicidade de uso. Seus freios são ABS, oferecendo ao piloto a opção de desligamento da parte traseira. Além disso, ela também possui um controle de tração que se realiza em três níveis e que podem ser desativados também. Dessa forma, assim se configura a sua parte elétrica.

Uma outra característica interessante da África Twin é o fato de seu banco oferecer a opção de duas posições de altura. Sendo a posição original de 870 mm ou a outra opção de 870mm, um pouco mais baixa, e que não oferece nenhuma dificuldade para ajustar. Mas o melhor é que as duas posições são muito confortáveis, o que é muito importante, principalmente pela finalidade de seu uso.

Enfim, a Honda CRF 1000-L África Twin não deixa nada a desejar às suas concorrentes e que apesar de não ter uma extensa lista técnica, é extremamente eficiente, o que foi atestado pelo Jean Azevedo.

Sirlene Montes


Confira aqui as principais novidades e o preço da Harley-Davidson Roadster 2017 no Brasil.

A Harley-Davidson apresentou uma novidade para a sua linha 2017 no Brasil: a Roadster, que faz parte da família Sportster. Entre os principais detalhes destacam-se a roda dianteira, que tem 19 polegadas, e a traseira, de 18 polegadas. Ambas têm alumínio fundido com 05 raios, além de tanque de 12,5 litros.

Além disso, a nova moto conta com freios ABS de série, duplo disco na dianteira e um na traseira. O motor é o V-Twin Evolution, que é refrigerado a ar e tem 1.202 cc. Segundo a marca, o motor conta com capacidade para fazer 9,6 kgfm de torque. A Roadster pode ser encontrada nas versões vermelha, cinza, preta e preta, que tem o tom fosco com faixas vermelhas. O preço é de R$ 47.500,00.

A marca também apresentou novidades em relação à linha Touring 2017, que conta com o motor Milwaukee-eight, além de um excelente sistema de suspensão, oferecendo conforto e segurança ao piloto. Um dos modelos é o Road King Classic, que apresenta pneus de faixa branca, rodas raiadas, além de inserção de alforge de couro. O design também chama atenção, sobretudo pelo estilo despojado do modelo. O controle da moto é feito por meio da nova suspensão dianteira e amortecedores traseiros pressurizados, que contam com ajuste de pré-carga.

Outro modelo da categoria é o Street Glide Special, que tem um visual despojado e estilo hot rod. Um dos diferenciais é a presença do novo motor Milwaukee – Eight 107, que tem os freios denominados Reflex Linked Brembo. O modelo especial ainda acompanha sistema de informação e entretenimento, que conta com GPS integrado, além de tela touchscreen de 6,5 polegadas. Entre outros diferenciais, a moto mantém o ABS padrão, carenagem interna que pode ser encontrada na cor preta brilhante e externa com tons combinados. Não é à toa que este modelo oferece conforto, informação, entretenimento e muita tecnologia.

A Ultra Limited chama a atenção pelo seu estilo único, sobretudo por acompanhar o motor Twin – Cooled e o farol dianteiro Daymaker de LED. Entre outros detalhes, destacam-se o controle de velocidade eletrônico cruise control, sistema de touchscreen de informação e entretenimento, além do BOOM Box 6.5 GT Premium, em que o piloto e o garupa podem escolher a música.

O que achou das novidades da Harley – Davidson?

Por Babi


Modelo possui 950 cavalos de potência e conta com controle de tração e freios ABS.

A Ducati apresentou na Europa seu mais novo lançamento, a inédita Multistrada 950, deixando ainda maior a sua linha de aventureiras.

Com um visual mais agressivo, inspirado na moto de 1200 cc, ela apresenta controle de tração, modos de potência e freios ABS.

De acordo com a Ducati, o conceito de criação da 950 visou oferecer uma moto mais “versátil e acessível”, porém, mantendo as características da 1200.

O lançamento foi um dos destaques da marca no Salão de Milão 2016 (EICMA). A Ducati Multistrada 950 ainda não tem previsão para ter suas vendas iniciadas no Brasil.

Apesar de ser de menor cilindrada, a Multistrada 950 possui um motor de alta performance, onde se encontra 2 cilindros e 937 cc.

O motor da 950 é originário da linha Hypermotard e chega a render 113 cavalos a 9.000 rpm e 9,8 Kgfm a 7.750 rpm, que trabalha em sintonia com um câmbio de 6 marchas.

A Multistrada 950 apresenta o visual arrojado, uma espécie de “Crossover”, e apresenta características voltadas para o asfalto, contudo, com ela também é possível enfrentar um off-road mais leve.

A moto vem com rodas de liga-leve. A roda dianteira vem com 19 polegadas e a traseira com 17 polegadas.

Ao contrário da 1.200 cc, que possui a suspensão tipo monobraço na traseira, a Multistrada 950 foi simplificada e vem equipada com uma de duplobraço.

Saiba aqui quais foram as 10 motos que mais se destacaram no Salão de Milão 2016:

A principal aposta das montadoras para o Salão de Milão 2016 foi no segmento das “pequenas aventureiras. Este é um dos segmentos que mais crescem no Brasil, com modelos como XRE 300 e XT 250 Ténéré. Agora surgiram novidades no mercado como os modelos BMW G 310 GS, Suzuki V-Stron 250 e Versys-X 300. Veja aqui quais são as motos que se destacaram:

1) BMW G 310 GS

2) Kawasaki Versys-X 300

3) Suzuki V-Stron 250

4) Honda CB 650F

5) Ducati Multistrada 950

6) Yamaha T7

7) BMW HP4 Race

8) K TM 1290 Super Duke R

9) Triumph Street Scrambler

10) Honda X-AD

Fabiana Batista Santos


Scooters da marca estão sendo comercializadas como premium e custam mais de R$ 20 mil.

Em seu retorno ao mercado brasileiro, a Vespa já estabeleceu o valor de duas de suas scooters. Ambos modelos serão comercializados simultaneamente pelo site da empresa.

O modelo Primavera 125 cc sairá a partir de R$ 22.890, enquanto a Primavera Série Histórica 150 cc estará disponível por R$ 27.930. Já é possível reservar sua motocicleta na página da companhia.

A empresa afirma a entrega do produto para qualquer região do país. Dando uma entrada de 30% do valor inicial, o restante poderá ser quitado pelo comprador posteriormente em até 36 parcelas.

Em sua volta para o Brasil, a Vespa deixou mais que claro o objetivo de colocar a marca no patamar premium entre os scooters. Tendo como embaixador da marca no Brasil o ator Caio Castro e o preço de um modelo nada convencional são pontos que confirmam o indício de que “as vespinhas” serão comercializadas com um conceito diferente dos seus modelos similares.

O líder no mercado de scooters, a Honda PCX 150, é vendida na faixa dos R$ 10.000. Existem outros modelos mais baratos que rodam na casa dos sete mil reais, como a Honda Lead e a Yamaha Neo. Já a Dafra, concorrente direta da Vespa nesse segmento, investe também em um visual mais retrô, com o SYM Fiddle III, vendido por R$ 11.390.

O retorno da montadora italiana é conciliado com a parceria ao grupo de investimentos Asset Becley. A fabricante também estará vendendo em lojas físicas outros modelos. Inauguradas em 22 de outubro, às lojas em São Paulo e Campinas já estão em plena atividade.

Por enquanto, as motocicletas serão importadas. Atualmente a marca já comercializa os modelos Sprint 150, GTS 300, 946 Emporio e Armani 150, além da série Primavera. Ambos modelos podem ser encontrados nas concessionárias denominadas “boutiques” pela empresa. Na intenção de estabelecer um visual mais forte para a marca, o presidente da Piaggio Brasil, Longino Morawski, afirma que as boutiques sempre serão charmosas e elegantes.

Já existe a previsão por parte da empresa que a motoneta passe a ser produzida no Brasil em 2018. Visto que a Vespa já busca algumas parcerias com montadoras situadas no país.

Por Denisson Soares


Confira aqui o preço e as principais novidades da Honda CB 650F 2016.

A Honda anunciou a nova CB 650F no Salão de Milão deste ano. A base é a mesma, porém, o visual e o motor passaram por algumas modificações.

Começando no motor de 4 cilindros e 649cc, que ganhou alguns cavalos após a redução na relação das marchas. Ela está agora com 91 cavalos de potência a 11.000 rpm, 4 cavalos a mais que a versão encontrada hoje no mercado, que é de 87. Devido ao encurtamento das carenagens laterais, o motor ficou mais exposto do que a atual CB.

A autonomia da versão apresentada na Europa, segundo a Honda, é de mais de 350 quilômetros com o seus tanque de 17,3 litros.

Na parte dianteira, a nova CB 650F está com o garfo novo, da Showa, e os faróis e lanternas são de LED.

Não foram muitas as informações técnicas divulgadas nesta apresentação, mas se sabe que a garantia é de 3 anos sem limite de quilometragem e o freio ABS agora é de fábrica.

A Honda CB 650F chegou ao Brasil em 2014 para substituir a CB 600F Hornet e o preço de lançamento na época era de R$ 28.990,00 (com os freios ABS) ou R$ 31.190,00 (sem os freios ABS). Ambas com câmbio de seis marchas e nas cores vermelho e preto. A assistência técnica e o resgate era aqui no Brasil e em mais cinco países: Argentina, Chile, Paraguai, Uruguai e Venezuela.

Anúncios em alguns sites especializados em compra e venda de motos na internet, mostram que a CB 650F ano 2016 custa por volta de 37 mil reais e a versão CBR 650F por volta dos 39 mil reais.

Uma curiosidade, a sigla "CB" significa Citzen Band ("Faixa do cidadão", em inglês). O acréscimo da letra R coloca o moto como sendo Racing, de corrida.

Um comparativo feito pela revista "Quatro Rodas" mostrou que a CB 600F atual é mais rápida do que a CB 750F de 1972. Imagina como a nova CB 650F pode ser.

Muito se evoluiu nos últimos 40 anos, as motos ficaram mais potentes, mais leves, mais modernas. Mas o prazer de pilotar uma moto, isso sim não muda. Seja prudente no trânsito e se beber, não dirija.

Por: Fernando Dias


Novo modelo mostra o futuro da linha Teneré.

O Salão de Milão 2017 foi palco da apresentação da nova versão do modelo Teneré, a "Yamaha T7 Concept".

O nascimento desta "máquina" foi possível graças ao empenho de um grupo de engenheiros e desenhistas de três países. Na França temos o time oficial de Rally, na Itália um centro de pesquisa e desenvolvimento e na Holanda um laboratório de design. Eles receberam a missão de construir uma moto que suprisse todas as necessidades de um piloto numa aventura, mostrando o futuro em duas rodas nesse estilo.

A T7 foi construída com um novo quadro e novas suspensões, tendo um potente motor, chamado "CP2" de 700 cm³, para acompanhar. O tamanho e a capacidade foram projetadas para percorrer estradas e outros tipos de terrenos, estilo "Rally Dakar".

A nova versão adventure da Teneré possui uma rabeta alta e pequena, um tanque de combustível largo, reservatório de combustível em alumínio e quatro projetores de LED como farol. A carenagem e o protetor de cárter são de fibra de carbono. Para terminar, suspensão KYB Racing e escape artesanal Akrapovic.

Com uma verdadeira característica de moto de rali, a T7 não teve os detalhes técnicos revelados pela montadora e as vendas estão previstas para 2018.

A Yamaha quer alcançar a perfeição em moto, que seja ótima para longas viagens e que tenha uma durabilidade maior em todos os terrenos. Uma combinação perfeita de tecnologia e design contemporâneo..

A Teneré surgiu há 33 anos, com a XT 600Z, após o sucesso desta moto no "Rally Paris-Dakar" e entre os anos de 1984 e 1994, 61 mil unidades foram vendidas na Europa. Um enorme tanque de combustível era capaz de levar esta moto a longas distâncias sem reabastecimento, mas o peso proporcionado por isto era um pequeno problema para os terrenos em trilhas. O motor era um outro enorme diferencial, com uma característica forte e rápida. A família "Teneré" já passou por várias mudanças e os motores de 250, 660 e 1200cc fazem parte desta potência.

Para os amantes de aventuras em duas rodas, seja em estradas ou em trilhas, a nova Teneré promete surpreender os seus futuros proprietários.

Por: Fernando Dias


Modelo tem visual inspirado na Yamaha YZF-R1.

A famosa montadora japonesa Yamaha revelou na última quinta-feira, na semana passada, dia 13 de outubro, na Europa, uma novo modelo de moto esportiva, a YZF-R6.

Além de ter sofrido diversas modificações em sua parte mecânica, a esportiva também ganhou um novo desenho, o qual teve como inspiração a sua irmã maior, a famosa Yamaha YZF – R1.

O novo modelo da motocicleta agora está equipado com freios ABS modernos; sistema para trocas de marchas, conhecido como “quick shifter”, que é muito mais indicado para utilizar em estradas fechadas; controle de tração e também controle de pilotagem juntamente com um sistema chamado ride by wire, ou seja, que não possui cabos e conta com três regulagens, além de contar também com um novo sistema de suspensão.

A motocicleta está com uma nova suspensão na parte dianteira, a qual manteve o garfo ajustável, porém, ao invés de utilizar bengalas de 41 mm de diâmetro, passou a fazer uso de uma peça com 43 mm. Na parte traseira conta com um sistema ajustável monochoque.

Sem contar também que o modelo agora possui de série novas carenagens, o que segundo a fabricante melhorou a eficiência aerodinâmica em até 8 por cento. Além disso, a montadora também redesenhou o tanque de combustível da nova YZF – R6 para que a moto pudesse andar ainda melhor, diminuindo assim a resistência ao vento dianteiro.

Na questão de frenagem, o modelo conta na parte dianteira com 10 mm a mais, passando a ter agora um diâmetro de 320 mm. Entretanto, a motorização ainda continua a mesma, com 4 cilindros, totalizando 599 cilindradas, porém, a empresa ainda não fez nenhuma divulgação com relação a sua potência.

A moto também teve alterações em seu assento, o qual recebeu uma nova inclinação, que acabou mudando a ergonomia para o motociclista.

A estreia mundial do modelo acontecerá em novembro, no próximo Salão de Milão (EICMA).

A montadora japonesa até agora não divulgou nenhuma especificação técnica, detalhe com relação ao seu desempenho ou dados sobre o consumo de combustível da nova R6, o que deixa os consumidores bem ansiosos a espera de informações da moto japonesa.

FILIPE R SILVA


BMW lançou no Salão de Colônia 2 novos modelos de motos com a mesma base da Scrambler.

No dia 04 (terça-feira) a BMW fez o lançamento, na abertura do Salão de Colônia (Intermot 2016), na Alemanha, de seus novos modelos de motocicleta em duas versões, ambas com a mesma base da Scrambler, apresentada no Salão de Milão em 2015.

O modelo RACER, que adota a carenagem e a rabeta relembrando como eram as motocicletas nos anos 70, com meia carenagem, sede corcunda, assento único, guidão baixo, e os pés mais atrás. O modelo transmite uma sensação de old-school projetada para diversão de passeios simples como em estradas sinuosas e uma pintura que remete a da clássica BMW Motorsport. Segundo a montadora, o preço será de 13.300 euros.

  • As duas versões vem com motor boxer arrefecido a óleo de 170 cc de dois cilindros e uma potência de 110 hp combinado com transmissão de 06 velocidades, atendendo aos requisitos EU4 de emissão de poluentes.
  • Rodas de liga leve de cinco raios, 3,5×17 (dianteira) e 5,5×17 (traseira), 320 mm de freio a disco duplo na frente, e ambas com freio ABS de série.
  • Estrutura modular, podendo personalizar, permitindo assim a individualização a gostt do comprador.
  • Opção de ASC (Controle de Estabilidade automática).
  • Suspensão com um garfo de 43 milímetros RWU.
  • Tanque de 17 litros.
  • A distância entre eixos é de 1.491 e o ângulo da cabeça é de 63,6º.

Também chama atenção o cockpit com dois instrumentos analógicos circulares, cada um com um pequeno painel de LED para o computador de bordo, mostrando a velocidade média, consumo de combustível, posição da engrenagem, distância da viagem e intervalos de serviços. Se o dono quiser carregar um garupa, existem opções de peças genuínas para acoplar na moto.

O modelo Pure, uma naked mais simplista, é um projeto que une estilos clássicos e modernos de motocicletas, com a mistura entre o preto e o cinza, principalmente no tanque de combustível e no para-lamas cinzas com a suspenção e o drivetrain pretos, caracterizando seu DNA purista, misturando o clássico com o dinâmico.

Também havia expectativa da montadora lançar um modelo de baixa cilindrada, mas parece que ficou mesmo para o Salão de Milão, na Itália, em novembro.

Por Jefferson Silva

BMW R NineT


Modelo será vendido por R$ 59.900. A montadora diz que elevou o patamar do modelo, tendo aumentado o torque e a potência ao motor com três cilindros, de mil cilindradas, além das assistências eletrônicas.

A moto Triumph Speed Triple foi reestilizada para o ano de 2016 e chega ao Brasil em sua versão mais luxuosa custando R$ 59.900. O valor tem assustado os consumidores, pois representa um acréscimo de R$ 16.410 à linha anterior, ou seja, 37%.

A montadora diz que o modelo elevou o patamar, tendo aumentado o torque e a potência ao motor com três cilindros, de mil cilindradas, além das assistências eletrônicas. Esteticamente o padrão continua o mesmo, porém a versão R vem com algumas peças em fibra de carbono e as luzes de seta em LED.

Entretanto, ao subir de patamar irá concorrer com modelos com a BMW S 1000 R, que custa R$ 58.900, que é equipada com um motor de 20 cv a mais, assistente de troca de marchas e suspensões eletrônicas.

Por sofrer grandes alterações, a Speed Triple R continuou com o conjunto óptico com faróis saltados. A Interface dos comandos eletrônicos é bem parecido com as outras Triumph, onde possuo os botões do lado esquerdo, no punho que permitem selecionas os modos de pilotagem, que são: Road, Rain, Sport, Rider e Track.

Conta com 140 cv de potência, a 9.500 giros, em qualquer modo de pilotagem. A resposta do acelerador mudou e agora ficou mais abrupta e linear. O freio ABS e controle de tração, de acordo com o modo selecionado, fica mais intrusivo ou menos.

A marca disse ter realizado cerca de 100 alterações na parte interna, em áreas como cabeçote, câmara de combustão, virabrequim e pistão e um sistema de aceleração eletrônica que foi incluído. Na prática, em médios e baixos regimes, o comportamento está mais vigoroso.

Agora também a embreagem possui um sistema antiderrapagem, reduzindo assim o esforço ao acionar e aumentando o controle da roda traseira.

Na dianteira as suspensões fazem uso do Öhlins NIX 30, garfo telescópico invertido, com tubos totalmente ajustáveis de 43 mm, e na traseira um monoamortecedor, da mesma marca, TTX36. Os dois dão confiança ao motociclista ao realizar curva, contando também bons pneus da marca Pirelli modelo Diablo Supercorsa.

Uma notícia boa também, são as pedaleiras, que tiveram suas posições alteradas, ficando mais altas e evitando que rapassem no chão, como acontecia com a anterior.

Por Filipe Silva

Triumph Speed Triple

Triumph Speed Triple

Fotos: Divulgação


Modelos chegam de visual novo e preço mais alto.

As três versões da linha CB 500 – naked, esportiva e crossover – receberam um novo visual, além de melhorias nas suspensões. Os modelos foram criados pensando-se num custo mais acessível e pilotagem descomplicada.

Os três modelos da Honda 500 cc, naked CB 500F, esportiva CBR 500R e crossover CB 500X foram totalmente repaginadas para se tornarem atuais, com um design moderno, novos desenhos, suspensão melhorada e maior capacidade no tanque de combustível. Também foram feitas melhorias nas lanternas e farol de LED.

No mês de julho as três novas versões estarão entrando no mercado brasileiro com muitas melhorias, mas com preço bem mais salgado, o trio chega com preços parecidos, a naked 500F será vendida por R$ 26.000 ou R$ 28.000 já com ABS, já a esportiva versão única com ABS custará R$ 29.900, bem como sua irmã CB 500X ABS, também poderá ser adquirida por preço semelhante, R$ 29.900. A boa notícia é que o serviço da Honda Assistence estará disponível em todo território nacional para prestar assistência ao trio de motos 500cc e a vigência de sua garantia agora se estendeu por três anos.

A mudança maior aconteceu mesmo no visual das motos CB 500, com a repaginada elas ficaram com formas mais cheias de detalhes e atualizadas, desenhos modernos e cores que dão mais vida aos modelos.

Naked CB 500F

O que antes era simples agora ganhou um moderno conjunto óptico de LED com a carenagem do farol mais consistente. Também ganhou um tanque de combustível moderno e maior de 16,7 litros e linhas mais retas na rabeta, com duas entradas de ar. A nova naked 500F agora possui um ronco mais possante, o que deixará o comprador empolgado. A versão mais barata, sem freios ABS, custará R$ 26.000 e será vendida somente na cor preta, porém, a versão com ABS custará R$ 28.000 e terá como opções as cores branca, preta e vermelha.

Esportiva CBR 500R

O modelo atual está com aparência mais ousada e atual até nas cores. A venda da esportiva será apenas com freios ABS no valor de R$ 29.000, com opção da cor preta com grafismo laranja ou na cor vermelha com grafismo laranja e branco. A nova esportiva, além de moderna, vem com melhorias na suspensão, regulagem no manete de freio e está 12% mais cara.

Crossover CB 500X

No visual foi a menos beneficiada, continua igual a versão anterior. Sem motivos aparentes a Honda não quis usar os mesmos grafismos ousados e modernos na crossover, deixando inclusive a ponteira cromada e ‘antiquada’. Mas na mecânica os ajustes melhoraram, com regulagem de suspensão e ajustes de freios. O tanque aumentou para 17,7 litros, além de novo parabrisa 100mm mais alto.

Para quem tinha expectativas a respeito da nova crossover terá que se conformar com as cores vermelha e branca, além do preço salgado de R$ 29.900, com freios ABS.

Por Ruth Galvão


Confira aqui algumas dicas e cuidados que os motociclistas devem ter ao trafegar pelas ruas.

Alguns comportamentos por parte dos motociclistas no trânsito são capazes de irritar não somente os motoristas, mas aos próprios colegas motoqueiros. A vida em sociedade requer tanto que todos se atenham aos seus direitos quanto aos seus deveres, de modo que o máximo seja feito para o bem-estar coletivo e da urbanidade. Entre todos, só que às vezes em cima das duas rodas, alguns motociclistas parecem não se importar muito com esses princípios de boa convivência nas ruas. Mas que manias serão essas?

Em primeiro lugar, os motociclistas e seus escapamentos barulhentos e insuportáveis aos ouvidos de qualquer um. Sem contar a falta de respeito que um cano escandaloso na moto representa ao passar em frente aos hospitais, escolas e residências em horário convencional e nas demais vias depois das vinte e duas horas. Quem ainda acredita que um escapamento barulhento pode salvar vidas é conversa superada e não cabe em nenhuma circunstância.

A emissão de som para quem está à frente do motociclista é executada pela buzina, que por sua vez, é também muitas vezes utilizada de maneira equivocada pelos condutores, com aquela mania de abrir caminho com ela, em vez de alertar para alguma situação no trânsito ou para chamar a atenção de um motorista mais distraído. Sentindo-se muitas vezes como o dono das ruas, certos motociclistas lançam mão da buzina para avisar aos demais a intensidade de sua pressa.

Corredores não andarão mais rápido, se o barulho for maior, isso só irá causar mais estresse e indisposição no trânsito. Se o motociclista não é visualizado pelos demais condutores da via, o correto é se posicionar de modo que ele seja notado, isso funciona com a diminuição da velocidade e saída do ponto cego do carro à frente, reduzindo o risco de alguma colisão ou fechada brusca.

Outra mania inexplicável por parte de alguns motociclistas e a de acelerar a moto parada! Mais gasto de combustível, mais emissão de poluentes na atmosfera e menos tempo de vida do motor. As paradas adequadas consistem na moto em ponto morto e marcha lenta, nada mais do que isso. Respeito é bom e todo mundo gosta! Essa regra vale principalmente para o trânsito.

Flávia Alves Figueiredo Souza


Estatísticas mostram que Pedestres e Automóveis lideram lista de envolvidos em acidentes.

Trânsito cada vez mais intenso e caótico nas ruas das grandes cidades brasileiras, não há dia em que não se noticiem ou se presenciem acidentes envolvendo motociclistas, não é mesmo? Mas seriam os motociclistas o verdadeiro e único risco ao trânsito mais seguro? Ou é só mais um senso comum sem comprovação definida?

Se, para as pessoas, há sempre muitas vítimas fatais em acidentes que envolvem motos, logo, a moto se torna  um veículo perigoso. Mas, isso é apenas uma impressão, vamos as estatísticas: em primeiro lugar estão envolvidos os pedestres, em segundo lugar, os automóveis e, somente em terceiro, logo em seguida , as motos são mencionadas. Acredita-se que o que impressiona a população em geral é que, de fato, os motociclistas estão mais vulneráveis à acidentalidade no trânsito, dada a exposição de seu corpo e a falta de proteção do veículo em si, quando comparado com o carro ou o ônibus, por exemplo, que carregam outros tipos de suscetibilidades, mas essa é uma outra história.

Mais recentemente, os dados estatísticos mostram que há cada vez menos mortes em duas faixas de idade entre os envolvidos em acidentes com motos: de pessoas de zero a quatorze anos e de pessoas de cinquenta e um a noventa anos de idade, nesses casos os que mais morrem são os pedestres.

No Brasil, a quantidade de motos que circulam nas ruas é semelhante a do Japão, mas menor do que a Espanha e a Itália, perdendo apenas para o vizinho Paraguai. Assim, aumentam-se os acidentes não por conta da quantidade de motos que estão dispostas nas ruas, mas devido a outros motivos adjacentes. A motocicleta não é intrinsecamente perigosa, seu perigo é equiparado aos carros e aos ônibus, uma vez que sua direção é da alçada dos atos de seu condutor, logo, para condutores inábeis, há manobras e procedimentos equivalentes; independente do veículo por que se responsabilizam.

Entre os fatores que mais contribuem para os acidentes que envolvem as motos no trânsito listam-se: a falta de dedicação dos investimentos que são feitos em transporte público, por conta dos governantes; a ideia de marginalização, não somente das motocicletas, mas também das bicicletas, em detrimento do transporte particular no Brasil e o desrespeito de um modo geral pelo princípio da equidade, que também se aplicaria ao uso do espaço público de circulação. Todos esses motivos se manifestam em condutores cada vez mais imprudentes, negligentes e imperitos no trânsito. Assim, em vez de se pensar a moto como um problema, que tal se ela fosse pensada como uma alternativa mais econômica, mais rápida, mais sustentável e que ocupa menos espaço no trânsito?

Flávia Alves Figueirêdo Souza


Modelo foi apresentado no Vietnã e não deve ser produzido, servindo apenas de inspiração para novos projetos.

Uma moto que une uma aparência retrô, juntamente com toda a modernidade na sua concepção e nos detalhes. É isso que a Yamaha, uma companhia japonesa conhecida mundialmente e fabricante de um extenso leque de produtos também na área de motocicletas, apresentou no Primeiro Salão de Motos.

O evento, que aconteceu até o dia 10 de abril na cidade de Ho Chi Minh, no Vietnã, foi o palco escolhido para que a marca mostrasse seu mais novo protótipo, em uma linguagem que transpira design e dinamismo, tudo regado com uma pitada de passado. O 04GEN, nome dado ao modelo, possui um motor de 124,8cm³ e surpreendeu ao ousar nos aerofólios, trazendo para o público dois painéis móveis e transparentes nas laterais, dando a ideia de asas. Ainda, o farol, em conjunto a isso, foi idealizado de forma que se assemelhasse muito a um inseto.

Além do diferencial já comentado, o protótipo também possui uma carenagem e cobertura diferenciada. Isso porque o local também apresenta armação em resina transparente, objetivando assim mostrar os detalhes que nunca se viu na estrutura do veículo. Outra característica que demonstra a inovação constante nos modelos produzidos pela Yamaha é a utilização de um smartphone como painel para a apresentação de dados da motocicleta.

Todavia, tanta modernidade vem acompanhada também de um conceito retrô, remetendo à imagem que se tem das antigas scooters italianas da marca Vespa. O passado pode ser visto e sentido também no acabamento em couro usado para revestimento de banco.

Isso e muito mais é a 04GEN, unindo o velho e o novo. Com essa scooter, a Yamaha reforça mais uma vez a sua tradição na fabricação e criação de produtos inovadores no mercado, buscando sempre a excelência no desenvolvimento destes e, principalmente, primando em engenharia avançada para buscar os melhores resultados durante a sua locomoção.

A empresa japonesa, apesar de ter dado asas à sua imaginação, não irá, até onde se sabe, produzir a scooter-conceito. Todavia, não há motivos concretos divulgados pela organização do porquê disto. Porém, nota-se claramente a influência futurística que esta “obra de arte” acaba tendo sobre o futuro que nos aguarda neste setor. A 04GEN é uma verdadeira inspiração para os projetos que ainda virão e que estarão em breve circulando nas ruas.

Para saber mais, basta assistir ao vídeo abaixo:

Kellen Kunz


Nova moto será vendida por 5.150 euros e contará com um motor de 313 cc.

Na última terça-feira, dia 17 de maio de 2016, a grande e renomada fabricante de veículos automotores BMW fez a definição do preço da nova motocicleta BMW G310 para o mercado europeu. O preço base de comercialização dessa motocicleta foi anunciado oficialmente na Itália, sendo que no mercado italiano as vendas dessa grande novidade irão começar no mês de outubro ainda deste ano, por lá esta motocicleta será vendida pelo preço de 5.150 euros, valor este que feita a conversão em moeda nacional ficaria em torno de R$ 20.500.

Já para o mercado brasileiro a previsão da fabricante é disponibilizar esta motocicleta também no segundo semestre do ano de 2016, sendo que por aqui ela seria montada na cidade de Manaus (AM), cidade esta em que a BMW possui uma fábrica própria e exclusiva somente para motocicletas.

No ano de 2016, o lançamento da G 310 R é um dos mais aguardados pelos apaixonados por motocicletas. A base de produção deste grande lançamento é oriunda da Índia, porém, por lá para fabricar este lançamento a BMW irá utilizar uma parceria feita com a empresa indiana chamada TVS, sendo que serão estas peças oriundas da Índia que chegarão aqui no Brasil apenas para realização da montagem das motocicletas.

O propulsor utilizado na G 310 R é um monocilíndrico inédito de 313 cc, o qual possui sistema de refrigeração feita por líquido e que funciona por meio de um duplo comando de válvula, bem como com injeção eletrônica. De acordo com os dados estatísticos da fabricante, este motor possui a capacidade de gerar uma potência de 34,4 cavalos.

No total, esta motocicleta possui um peso de nada mais nada menos que 158,5 Kg, para suportar todo este peso com maior facilidade este motor utilizado possui o cilindro inserido numa posição inclinada para trás e cabeçote com uma rotação de 180 graus, fatores estes que também contribuíram sobremaneira para que a motocicleta se tornasse ainda mais ágil.

Assim como em todos os modelos de motocicletas que possuem maiores cilindradas, a suspensão dianteira da G 310R é do modelo invertida e o sistema de freios a disco está disponível nos dois eixos.

Devido ao visual bastante chamativo, não há como negar que os detalhes do modelo foram minimamente trabalhados, haja vista que o modelo possui dupla carenagem nas laterais ao lado do tanque, detalhe este que faz com que a motocicleta se pareça ainda mais robusta.

Por Adriano Oliveira


Modelo foi apresentado na Europa e terá um motor mais potente do que os modelos convencionais.

A renomada empresa fabricante de motocicletas Yamaha fez a apresentação oficial no continente europeu, nesta última quinta feira, dia 20 de maio de 2016, do seu mais novo triciclo, veículo este que foi batizado com o nome de Tricity 155. Essa motocicleta começará a ser comercializada no mercado europeu no segundo semestre ainda deste ano. O objetivo da empresa com o lançamento deste novo triciclo foi o de aumentar a sua linha de motocicletas de três rodas, linha esta que anteriormente era representada pelo Tricity 125.

A principal novidade trazida por este novo triciclo da Yamaha é o seu propulsor, que possui maior cilindrada que os convencionais. Nesse lançamento o propulsor utilizado é de 155 cc e possui a capacidade de produzir uma potência máxima de 15,09 cavalos.

Outro diferencial trazido pelo Tricity 155 foi o fato de a Yamaha ter adotado uma roda traseira maior do que a que era utilizada anteriormente no Tricity 125, o qual foi projetado com roda traseira no tamanho 12 polegadas.

No caso do Tricity 155 o veículo foi projetado com uma roda traseira no tamanho de 13 polegadas e na parte frontal ambas as rodas possuem o tamanho 14 polegadas.

Para aqueles que pensam que esse novo triciclo da Yamaha será um veículo de condução dificultosa se enganam e muito, haja vista que o principal aspecto que foi uma das preocupações da fabricante no projeto do Tricity 155 foi o fato de fazer com que o veículo tivesse o comportamento de condução idêntico ao de uma motocicleta convencional, inclusive inclinando-se em curvas. Para conseguir este grande feito a marca fez a utilização da mesma tecnologia utilizadas por marcas renomadas, tais como a Piaggio, que possui grande sucesso com o MP3 e a Peugeot, que possui destaque com o Metropolis.

A grande vantagem de se ter um triciclo deste é fato de que a presença de duas rodas na parte dianteira oferece aos condutores um pouco mais de estabilidade do que em uma moto comum.

O certo é que a Yamaha está tentando inserir os triciclos no setor das motocicletas convencionais, já que essa é uma das tendências da marca no mercado europeu, sem sombra de dúvidas daqui há algum tempo teremos notícias deste tipo de veículo no mercado nacional.

Por Adriano Oliveira


Nova motocicleta conta com freios ABC e irá preencher o espaço entre os modelos Bros 160 e XRE 300.

A Honda anunciou recentemente a chegada de uma das motos mais esperadas de 2016. Trata-se da nova XRE 190, que promete preencher o vácuo que existia entre a Bros 160 e a XRE 300, levando em consideração a performance e o preço. O mais recente lançamento da Honda já se encontra disponível no mercado desde o dia 06 de maio. O preço sugerido da nova XRE 190 é de R$ 13.300. A moto é disponibilizada em versão única com freios ABS na dianteira e nas cores vermelho, preto e verde.

A montadora japonesa destaca que a moto intermediária foi projetada a partir de uma base totalmente nova. Seu chassi é de berço semi-duplo. Um dos principais destaques é, sem sombra de dúvidas, o motor inédito. A XRE 190 é equipada com o motor monocilíndrico refrigerado a ar que dispõe de 184,4 cc, injetado, que é capaz de entregar até 16,4 cv e 1,66 kgfm de torque através de etanol. O câmbio é de cinco marchas.

Outro destaque deste lançamento da Honda é o seu peso: apenas 127 kg. Em relação às suspensões, saiba que neste quesito a XRE 190 é bastante convencional: conta com garfo telescópio na dianteira, com 180 mm de curso, além de monoamortecimento na traseira, que possui 150 mm de curso. São 241 mm de altura livre em relação ao solo e banco a 836 mm do chão.

Os freios a disco estão presentes nas duas rodas, sendo que o sistema ABS é integrado apenas na roda dianteira. Segundo a montadora, os freios a disco são suficientes para resolver grande parte dos problemas resultantes de frenagem, até mesmo em pisos sujos. A roda dianteira é de 19 polegadas com pneus 90/90 e a traseira é de 17 polegadas e pneus 100/90.

Já em relação ao design, saiba que a nova XRE também se destaca bastante neste ponto. A sua dianteira, por exemplo, conta com faróis, para-lamas e carenagem projetados de forma exclusiva para este modelo. A traseira, por sua vez, lembra bastante a XRE 300, o único detalhe diferente é a lanterna. O painel central é digital por completo, sendo que nesta versão o mesmo é acompanhado de um medidor de consumo médio.

Por Bruno Henrique


Moto é puro luxo e conta com motor 1.8. Preço da moto deve ser de R$ 115 mil.

Pelo nome já se pode ter uma ideia, Roadmaster, "mestre das estradas" traduzido para o português. O novo modelo da norte-americana Indian entra para o mercado brasileiro disposta a lutar por clientes acostumados ao "turismo de luxo" e tem preço e motor de carro.

A nova Roadmaster teve como inspiração um modelo da década de 40, na cor única, preta para garantir mais beleza. A possante apresenta freios com sistema ABS , o acelerador é eletrônico e a suspensão de trás possui regulagem a ar.

Só pela altura, 2,66m, a Roadmaster já mostra sua imponência e precisa de um motor V2 (dois cilindros em v), que possui 1.811 cc (ou 1,8 litro). Com uma força de impressionar, o maior destaque da nova moto é seus 16,5 Kgfm de toque. Sobre a potência, não houve divulgação.

Os cilindros e as formas cromadas e arredondadas dos cabeçotes remetem ao estilo retrô. O motor vem com esfriamento misturado por ar e óleo e câmbio de seis marchas.

Maior Conforto:

De acordo com a fabricante Indian, a construção do chassi foi toda feita em alumínio forjado, o que garante à moto pouco nível de tensão. Seguindo a tradição, mas com ares modernos, o novo modelo traz uma dianteira com garfo telescópico e tubos cromados de 46mm de diâmetro e 116mm no curso.

Na traseira ela apresenta monoamortecedor regulável com curso de 114 mm e na parte de dentro da tampa lateral dá para consultar uma tabela com peso/pressão, para ajuste de suspensão.

O modelo de luxo da Indian tem como ponto forte o conforto que oferece, como faróis embutidos com LED e o para-brisa de regulagem elétrica. Mas não para por aí, ela ainda apresenta outros pontos que também vão atrair o consumidor: o piloto automático e o banco aquecido.

O modelo de luxo ainda dá conta de transportar até 142 litros de bagagem, desde que estejam bem organizados entre o top case, alforjes de lado e dois compartimentos pequenos que ficam na carenagem, perto do motor.

O luxuoso modelo concorre diretamente com as linhas Touring e CVD da Harley e foi avaliada em R$ 115 mil.

Por Ruth Galvão


Motocicleta chega com pequenas mudanças visuais e novos comandos.

Apesar da descontinuação do modelo Street CB 300R, a motocicleta Honda XRE 300 permanece na liderança do mercado on/off road, onde apresenta sua nova versão 2016, que chega ao mercado com pequenas mudanças visuais e de alguns comandos.

A aventureira da marca japonese precisou se adequar às novas regras de emissões de poluentes (PROMOT 4), o que gerou uma pequena perda de potência em seu propulsor DOHC, o qual permanece com a tecnologia flex e sistema de refrigeração a ar. Segundo a montadora, o motor possui 291,6 cc, 25,4 cavalos e 2,76 kgfm a gasolina e 25,6 cv e 2,80kgfm a etanol. Anteriormente a motocicleta desenvolvia 26,3 cavalos e 2,85 kgfm de torque.

O motor apresenta um novo diagrama de válvulas com novos ressaltos nos comandos, novo ângulo de abertura de válvulas e melhoras no arrefecimento do mesmo.

A grande novidade da versão 2016 fica por conta de seu painel digital totalmente renovado, que agora possui fundo preto e letras brancas, do tipo blackout, como as telas dos smartphones, trazendo um visual moderno. O modelo também ganhou novos punhos e comandos do guidão, assim como, a inserção de um lampejador.

Seguindo as novidades do painel, a XRE 300 apresenta um novo reservatório de combustível, juntamente com novas abas de proteção com linhas mais angulosas e uma inédita tampa de combustível articulada estilo aviador, que proporciona um aumento de 13,6 litros para 13,8 litros de capacidade de armazenamento.

No restante da motocicleta não houve nenhuma novidade, a ciclística se mantém a mesma. As suspensões permanecem do tipo telescópica e monoamortecida, na dianteira e traseira, respectivamente. Também apresenta frenagem a disco nas duas rodas e oferece uma versão com freios C-ABS, que garante maior segurança de frenagem.

Dando continuidade às novidades, A Honda passa a oferecer aos clientes a garantia de fábrica de três anos, sem limite de quilometragem para a XRE. Contando ainda com troca de óleo grátis em sete revisões.

O modelo atual possui novos preços sugeridos em relação ao modelo 2015. A versão standard (freios sem ABS) é oferecida nas cores vermelha metálica, branca e preta fosca, ao preço de R$ 15.560 – anteriormente era comercializada pelo valor de R$ 14.936. Já o modelo com freios C-ABS é comercializado ao preço de R$ 17.039 – anteriormente era de R$ 17.750. Vale ressaltar que esta versão é a única a oferecer a roupagem “Rallye”.

Os valores são referentes ao preço sugerido na região de São Paulo, para pagamento à vista, e não inclui despesas com frete e seguro.

Por Wendel George Peripato


Modelo se destaca pelo visual futurista e faz parte da série de lançamentos da Yamaha até 2018.

Depois de sua apresentação oficial como conceito no Salão de Tóquio de 2015, a Yamaha MWT-9 deverá ser tornar realidade muito em breve. O conceito dessa moto acabou trazendo grandes expectativas em torno da mesma, bem como ansiedade por parte dos amantes de motos em relação ao seu lançamento. Segundo o CEO da Yamaha, Hiroyuki Yanagi, o conceito deve se tornar realidade em dois anos, no máximo. Caso ainda não a conheça, saiba que a MWT-09 possui três rodas e é a principal aposta da montadora japonesa para o mercado de triciclos.

Um detalhe importante é que este plano da Yamaha, o lançamento do conceito MWT-09, faz parte de um conjunto bastante ofensivo de uma série de lançamentos até 2018. A empresa japonesa busca um sucesso ainda maior através de novos conceitos e projetos futurísticos. A grande ideia por trás deste lançamento da Yamaha é, sem sombra de dúvidas, a busca por uma plataforma compartilhada para diversas motos. Vale ressaltar que este sistema de plataforma compartilhada já existe há bastante tempo entre os carros. Dessa forma, tal ação reduziria o número de chassis, além da diversidade de motor, sendo que ao mesmo tempo a Yamaha expandiria sua linha de produtos.

A Yamaha MWT-09 se destaca em diversos pontos. Um dos principais destaques está na sua motorização: a moto é equipada com o mesmo motor 3 cilindros de 850 cc e 115 cv da já conhecida Naked. Um dos diferenciais está no seu design, pois o mesmo é agressivo, arrojado e bastante futurista, haja vista a carenagem larga que vem equipada com faróis duplos e uma bola-para-brisa com inclinação fora do comum. Já a existência de duas rodas na parte dianteira é o que mais chama a atenção na MWT-09. Vale destacar que cada uma das rodas dianteiras é acoplada a dois garfos invertidos.

Outro ponto que deve ser destacado na MWT-09 é quanto à estabilidade da condução. Segundo a montadora, o segredo está no ângulo de inclinação, que foi maximizado pela suspensão dianteira para fora, que juntamente com o desempenho expressional em curva, haja vista as rodas dianteiras individuais, permite com que o piloto trafegue tranquilamente em diversos tipos de estradas e ambientes. Dessa forma, toda essa conjuntura promete curvas apertadas bem sucedidas.

Por Bruno Henrique


Moto passa por nova reestilização e ganha diversos acessórios.

Após ter sido apresentada ao mundo no Salão de Milão, evento realizado na Itália no mês de novembro do ano de 2016, a nova F 800 GS chegou ao Brasil. A motocicleta veio com algumas modernizações não só no design, mas também na mecânica, atualizações estas que fizeram com que a motocicleta fosse contemplada com um novo pacote técnico. Outra mudança que ocorrerá será o local de fabricação destas motocicletas, haja vista que a BMW já anunciou que irá fazer a instalação de uma nova linha de montagem própria na cidade de Manaus (AM), ocasião em que será encerrada a parceria com a fabricante Dafra, local em que são produzidas as suas motocicletas.

Junto com a mudança de planos da BMW está incluso o lançamento da motocicleta de pequeno porte G310R, a qual virá ao mercado com um propulsor monocilíndrico e tem como objetivo dar maior agressividade à marca no mercado nacional.

Essa já é a segunda atualização que este modelo versátil da BMW passa, este modelo de motocicleta, a F 800 GS, é um modelo que pode transitar tanto na terra quanto no asfalto com bastante desenvoltura. A F 800 chegou ao mercado no ano de 2008, sendo que a sua primeira modernização ocorreu no ano de 2013, sendo que nesta ocasião o modelo foi contemplado com a inserção do sistema de controle de tração.

Já nesta nova reestilização, a F 800 GS ganhou novos acessórios estéticos, tais como novas aletas laterais prata, além de novo banco do modelo confort, o qual será disponibilizado aos clientes com três opções de formatos anatômicos.

Dentro do pacote de novos acessórios a motocicleta também ganhou nova cobertura para a chave de ignição, protetores para as mãos, bem como uma nova tampa para o tanque de combustível, o qual possui capacidade para 16 litros, sendo que no caso dessa motocicleta o tanque não fica no local convencional, pois no lugar onde comumente fica localizado o tanque de combustível nas motocicletas convencionais ela traz uma caixa que abriga tanto o filtro de combustível quanto outros componentes elétricos, posicionamento este que foi estratégico para o filtro de ar, a fim de que o centro de gravidade do modelo fosse rebaixado.

Por se tratar de uma BMW, o pacote tecnológico não poderia deixar de ser de primeira qualidade, tanto que a motocicleta possui aquecimento nos punhos, saída USB para conexão de aparelhos eletrônicos, computador de bordo e freios ABS com opção de desativação.

Por Adriano Oliveira


Modelo é inspirado no MT-07 e está sendo vendido na Europa por 7.890 euros.

Nesta última quarta-feira, dia 20 de abril de 2016, a grande e renomada fabricante de motocicletas Yamaha fez a apresentação na Europa da nova e inédita Yamaha Tracer 700. Este modelo utilizou como base a MT-07.

De modo diverso da Naked da qual foi originada, a Tracer 700 é caracterizada como uma motocicleta crossover, podendo até mesmo ser comparada como um SUV de duas rodas, pois ela foi projetada com suspensões mais diferenciadas, a fim de proporcionar aos condutores maior conforto para a realização de viagens mais longas, além do excelente conforto esta suspensão acabou deixando a motocicleta com um design mais aventureiro.

Segundo os dados que estão sendo divulgados pela própria fabricante, esta motocicleta aventureira com característica para transitar no asfalto possui um propulsor de 2 cilindros, o qual entrega ao veículo uma potência máxima de até 74,8 cavalos a 9.000 rpm e um torque de 6,9 Kgfm a 6.500 rpm, sendo que a cilindrada dessa motocicleta é de 689 cc.

O lançamento deste novo modelo pela Yamaha serviu para fazer a expansão da linha Tracer de crossovers, linha esta que já contava com a presença da MT-09.

A Tracer 700 foi projetada com a utilização do mesmo chassi e propulsor que foi utilizado na MT-07, mas ela acabou ganhando um visual bastante diferenciado, tendo em vista a inserção de um novo farol, bem como bolha na dianteira, características estas que foram projetadas por meio da inspiração retirada da Tracer 900. A fim de dar um entre eixos ainda maior para a Tracer, este modelo teve a sua projetada com um alongamento.

Além destes detalhes, na Tracer 700 a suspensão traseira teve o seu curso aumentado e para trazer uma nova proposta para este modelo, os engenheiros da Yamaha retrabalharam os amortecedores. Por enquanto esta novidade só está sendo comercializada pela marca no mercado europeu, sendo que por lá o seu preço está fixado em 7.890 euros.

O certo é que para quem é apaixonado por motocicletas e gostou do lançamento dessa grande novidade, em breve teremos novas notícias sobre o modelo e quem sabe até mesmo a grata satisfação de ter esse modelo em breve chegando ao mercado brasileiro.

Por Adriano Oliveira


Modelo chega ao Brasil custando cerca de R$ 36 mil.

No mundos dos automóveis e das motocicletas sempre há aqueles veículos que foram lançados no passado e que deixam saudade no presente, seja pelo design ou seja pelas características de motores e peças utilizadas na época. E é neste contexto que a fabricante de motocicletas inglesa Triumph está lançando novamente um de seus modelos mais famosos: a Bonneville, motocicleta esta que foi lançada no ano de 1959. Porém, esta não é a primeira motocicleta que a fabricante revive do passado, pois os modelos Bonneville T100, T1200 e Thruxton também foram relançados. Os modelos foram totalmente atualizados, ganhando eletrônica, arrefecimento a líquido e sistema de freios ABS, contudo, sem deixar de lado o clássico visual que marcou os modelos.

A maior surpresa que a empresa proporcionou aos seus clientes apaixonados foi o fato de ter feito uma multiplicação dessas motocicletas trazidas do passado e uma prova disso é a chegada ao Brasil do modelo Street Twin 900, modelo este que teve o seu lançamento mundial no mês de outubro do ano de 2015.

Os consumidores que quiserem adquirir Street Twin terão que desembolsar pelo menos R$ 36.500, valor este referente ao modelo de entrada, mas o custo benefício para os apaixonados por motocicleta sem dúvida será proporcional, haja vista que o modelo chega com as linha clássicas da marca e com avanços tecnológicos que irão agradar.

Ao longo de quatro anos, os profissionais da fabricante ficaram trabalhando para o que essa transformação trouxesse o menor impacto possível no design retrô já consagrado da motocicleta. Todavia, um dos detalhes que acabou modificando a originalidade do modelo em relação ao passado foi a escolha pela refrigeração a líquido, tecnologia esta que fez com que o modelo ganhasse um radiador, que para causar menos desgaste ao visual da motocicleta, teve que ser camuflado entre as traves do quadro do motor.

O bloco do motor, porém, não deixou de lado as antigas e famosas aletas de dissipação de calor, conforme os modelos do passado, detalhe este que acabou compondo ainda mais o estilo imponente dessa motocicleta.

No geral, essa motocicleta revivida do passado irá oferecer aos consumidores, além da facilidade de condução, uma diversão na pilotagem, haja vista que como o próprio nome diz ,ela agora será uma motocicleta do modelo Street que irá proporcionar muita praticidade para o dia a dia dos seus proprietários.

Por Adriano Oliveira


Nova scooter é lançada para concorrer com a Honda PCX 150.

A Yamaha está lançando duas motos ao mesmo tempo, as quais eram bastante aguardadas pelo público do Brasil, são elas: a MT-03, uma versão naked da esportiva R3 e a scooter NMax 160, o que reposiciona a marca no mercado depois da saída da Neo 115. As duas foram apresentadas no mais recente Salão Duas Rodas, que ocorreu no fim de 2015, e começarão a ser comercializadas nas lojas no mês de maio.

A companhia japonesa aposta na nova NMax 160 para bater de frente com a scooter mais vendida no país, atualmente, a Honda PCX 150, a qual passou recentemente por uma reestilização. Este novo modelo tem como principal destaque os freios a disco em ambas as rodas, equipadas com ABS de série. Desta forma, a nova Nmax 160 se torna, não apenas a primeira motocicleta da categoria a contar com esta tecnologia nos freios, mas também o veículo mais barato do Brasil a possuir ABS. O valor sugerido pelo modelo é R$ 11.390, sendo que a mesma estará disponível em 3 cores: na cor branca, cinza fosca e vermelha. A concorrente, a Honda PCX é comercializada em duas versões a STD e a DLx, que custam R$ 10.814 e R$ 11.234 respectivamente, porém não contam com freio ABS, nem mesmo como opcional.

Outra novidade da nova scooter é seu motor 160, que na realidade conta com 155 cilindradas e é refrigerado a líquido, possui comando de válvulas variável VVA – o qual funciona da seguinte forma: acima dos 6 mil rpm ativa o comando de alta, sendo desativado quando atinge menos de 5.500 rpm e atua o comando de baixa. Através dessa tecnologia, é permitido realizar uma variação no tempo e na abertura da válvula, proporcionando assim, uma melhoria no torque e na economia em momentos de baixas rotações e em altas proporciona a potência.

Visualmente, o modelo se destaca pelo desenho compacto e moderno, possuindo faróis e freios com lâmpadas de LED, o que dá um brilho especial ao conjunto de luzes. Possui também um acabamento requintado com plásticos com texturas. O tanque conta com 6,6 litros, centralizado e é possível abastecer sem elevar o banco. Possui um peso total de 127 kg.

Por Filipe Silva

Yamaha NMax 160

Yamaha NMax 160

Fotos: Divulgação


A moto é um modelo de estilo arrojado nas pistas, mas que conta com conforto e uma tendência para o turismo.

Antes mesmo de chegar oficialmente ao Brasil a Yamaha MT-09 Tracer já vinha chamando a atenção da mídia especializada por seu porte com visual encorpado e as linhas atualizadas. Ainda assim, outros pontos da moto tornaram-se conhecidos e fizeram com que o modelo fosse ainda mais desejado. Um deles é a presença do motor tricilíndrico de 115 cv de potência com algumas particularidades inspiradas nas bigtrail que agregam ao modelo uma esportividade marcante.

A moto que chega em terras nacionais com um preço atrativo e competitivo na casa dos R$45.990, conta ainda com um considerável pacote tecnológico composto por três modos de pilotagem, freios ABS e controle de tração. A Yamaha MT-09 Tracer acaba se tornando um modelo de estilo arrojado nas pistas, mas que conta com conforto e uma tendência para o turismo.

De qualquer maneira uma das coisas que mais estão sendo comentadas a respeito da Yamaha Tracer é com certeza o design da moto. A fabricante manteve a presença de seu já conhecido padrão estético especifico das motos superesportivas. A presença da carenagem frontal com os faróis divididos em dois exemplifica muito bem essa questão.

Outro destaque digno de nota do modelo é o tanque de combustível com uma capacidade para 18 litros. O design mais uma vez se faz presente já que o tanque grande permite um encaixe agradável das pernas de quem estiver pilotando. Aliás, nesse ponto ainda temos o banco de espuma que traz uma boa densidade e que vem com o benefício da regulagem de altura. Todo esse conjunto é protegido pelo para brisa.

A visão que o piloto tem ao subir na moto é um painel de instrumentos nada pequeno e que tem um detalhe agradável: completamente digital. Além do esperado, como o marcador de combustível e o velocímetro essa parte ainda traz integrado um computador de bordo que informa praticamente tudo ao condutor. Dentre essas informações estão a temperatura, a marcha engatada, relógio e o hodômetro que mostra informações parciais e totais. Um facilitador para o uso do painel de instrumentos é a presença do botão de navegação localizado na parte superior do punho esquerdo.

E se você pensa que a mordomia acabou ainda tem uma tomada de 12 volts perfeita para carregar o smartphone ou o GPS.

Voltando um pouco para as características apresentadas pelo motor temos ainda a presença do chamado duplo comando ou DOHC, arrefecimento líquido e também alimentação por injeção eletrônica.

A Yamaha ainda quis melhorar a coisa toda incrementando com a tecnologia D-MODE. Para quem não conhece ela permite que o piloto possa escolher entre os três possíveis modos de pilotagem já apontados.

A Yamaha disponibilizou um vídeo do modelo com algumas características no Youtube. 

Por Denisson Soares


Scooter chega ao país para concorrer com a Dafra Citycom 300i e custará cerca de R$ 23 mil.

A Honda, uma das empresas líderes mundiais em fabricação e venda de motocicletas, lançou oficialmente no mercado brasileiro a Honda SH 300. Este novo modelo da marca é um scooter considerado “premium” devido ao fato de possuir freios ABS de fábrica, bem como 300 cilindradas. O valor de comercialização dessa novidade da Honda aqui no Brasil será de R$ 23.590, o principal objetivo da fabricante com este lançamento é fazer concorrência com o scooter da marca Dafra, chamado Citycom, o qual, antes da chegada deste novo modelo aqui no Brasil, era a única opção de scooter com essa faixa de cilindrada. O Citycom é vendido pela Dafra por R$ 18.490. Apesar da diferença de valor, o modelo da Dafra não possui nem como opcional o freio ABS, mas conta com o sistema CBS já de fábrica.

O Scooter SH300i chega ao mercado nacional com a boa reputação de ter sido um grande sucesso de vendas no mercado da Europa. No mercado europeu, um scooter de 300cc são considerados ainda como de baixa cilindrada, mas mesmo assim o modelo teve uma boa aceitação, fator este que indica que aqui no país não deve ser diferente, haja vista que para o padrão nacional, um scooter dessa cilindrada está entre uma das maiores cilindradas disponibilizadas no mercado para este tipo de veículo.

Para se ter uma breve noção do quanto essa família de scooter fez sucesso no continente europeu, por lá ela já é produzida há 30 anos, sendo disponibilizados os modelos SH 150 e o SH 125. Por lá, o veículo já conseguiu superar a incrível marca de 1 milhão de unidades comercializadas.

A previsão da Honda é de que o scooter SH 300i chegue às concessionárias da marca a partir do mês de abril, sendo que a sua produção será destinada para a cidade de Manaus.

O propulsor que será utilizado no SH 300i é dotado de 1 cilindro e 279,1 cc, configuração esta que é capaz de produzir uma potência de 24,4 cavalos a 7.500 rpm e um torque de 2,59 kgfm a 5.000 rpm, este motor funcionará em conjunto com o sistema de câmbio CVT automático.

Por Adriano Oliveira


Motocicleta chega ao país custando R$ 36 mil e irá concorrer com a Ducati Scrambler.

A Triumph deu início a pré-venda do primeiro modelo da nova linha de motocicletas Bonneville no país, a Street Twin. A marca é uma novidade no país e é esperada para fazer concorrência com as outras marcas presentes em nosso país.

A chegada da nova motocicleta nas concessionárias brasileiras está sendo esperada para a segunda metade do mês de abril. Segundo a montadora, as primeiras 200 unidades da motocicleta terão preço especial, custando em torno de R$ 36.500 reais.

Para o ano de 2016, a marca ainda pretende trazer ao mercado nacional os outros lançamentos da linha Bonneville, que são a Thruxton R (com chegada prevista para o mês de junho), a Bonneville T120 (que é esperada para agosto) e também a Bonneville T120 Black (que chega ao mercado brasileiro em setembro deste ano).

Os preços dos novos modelos da marca ainda não foram divulgados pela empresa sediada na Inglaterra. Porém, é esperado que os preços acompanhem o de modelos similares das outras montadoras concorrentes.

O motor da nova Street Twin é de 2 cilindros, que conferem 900 cc ao modelo. Com esse motor, a motocicleta rende até 8,15 Kgfm de torque a 3.200 rotações por minuto, que chega a ser até 18% maior que a da geração anterior, segundo informações da própria companhia inglesa.

Para esse novo modelo, foi descartado o antigo sistema de refrigeração a ar, presente em modelos anteriores da marca, sendo este substituído por um novo sistema de refrigeração à liquido.

O design da motocicleta chega para agradar aqueles que curtem um visual mais retrô, baseado num estilo minimalista, sem deixar de lado a ótima qualidade das novas motocicletas lançadas nos últimos anos, causando ao condutor uma experiência de condução dinâmica. A motocicleta possui, também, um som muito característico, o que agrada muito os amantes de motocicletas, e pode ser um fator muito decisivo na hora da compra do modelo.

O lançamento da Street Twin, da Triumph, chega ao mercado visando bater de frente com a Ducati Scrambler, que a exemplo da Street Twin, também acaba de ser lançada no mercado nacional de motocicletas.

Por Igor Furraer


Novo modelo alia design, tecnologia e itens inovadores. Lançamento será em fevereiro de 2016.

Com um design que passa um toque de “ares” parisiense, a Dafra não esperou para 2016 o lançamento da sua mais nova queridinha: a Fiddle III.  Mas, não se afobe, fala-se de lançamento, não de chegada ao mercado de vendas, programada só para fevereiro de 2016.  

Mostrar o seu novo modelo de moto no Salão Duas Rodas, ocorrido em outubro, em São Paulo, foi uma estratégia da Dafra para “atiçar” o desejo dos apaixonados por duas rodas; fazendo-os aguardar até fevereiro do próximo, para não se precipitarem em fazer uma compra sem antes conhecer a proposta estilo vintage da Dafra.  

O que a Fiddle tem de interessante, além do seu design já citado, são itens inovadores para uma moto. O primeiro deles foi pensar no conforto de quem irá guiá-la, pois ela vem com um espaço sob o banco onde vai dar para guardar o capacete. Ainda se tratando de conforto, a Fiddle III também oferecerá entrada USB para se carregar equipamentos eletrônicos. A Dafra sabe que hoje é complicado se ficar longe das tecnologias, daí essa sacada em tornar disponível a entrada USB.  

A Fiddle III é um scooter, mas nem por isso deixará de ter uma boa potência, o que explica ela ter um motor de 124 centímetros cúbicos em 103 cv de potência.      

O visual tem também a marca do porta-luvas com fechaduras; as luzes LED, uma inovação do universo motorizado que a Dafra decidiu usar da Fiddle, com a proposta de fazer um contraponto de tecnologia com o seu desenho estilo mais retrô. A proposta é agradar a gregos e troianos, a quem gosta do antigo, mas também do moderno.  

Ainda não se sabe por quanto custará levar para casa, ou melhor, para as ruas, a nova Fiddle III da Dafra, mas o que a companhia almejou com certeza conseguiu: fazer com que se pague o valor merecido por tanta beleza, conforto e tecnologia que ela tem para oferecer.

Por Michelle de Oliveira

Dafra Fiddle III

Dafra Fiddle III

Fotos: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: