Nova moto da Ducati estará à venda no Brasil em outubro deste ano e terá preços em torno de R$ 172.500.

Quem gosta muito de motocicletas no Brasil, em especial da marca Ducati deve estar bastante curioso para saber novas informações sobre a versão V4R. Pois bem, uma notícia boa acaba de chegar. Estamos falando que a Nova Ducati, a Panigale V4R está disponível para os brasileiros, no entanto ainda somente para encomenda, com previsão de entrega a partir do mês de outubro deste ano.

Mas um detalhe importante faz com que esse modelo ganhe destaque entre as motocicletas da sua categoria. Estamos falando de um detalhe muito importante, o seu valor. É que a novinha da Ducati tomará como lugar o topo da lista de motocicletas mais caras do Brasil.

A V4R é toda construída com materiais nobres e tem muita tecnologia embutida também, fatores que fazem com que ela saia por um preço mais alto. Nada mais justo diante da grande máquina que ela promete ser. De acordo com as informações de sua montadora a Ducati Panigale V4R foi desenvolvida para ser uma moto de corrida, mais precisamente para concorrer no Campeonato Mundial de Superbike. Mas é claro que ela pode ser usada também nas ruas, sendo uma moto muito versátil.

Como existe um padrão exigido aos concorrentes do Campeonato Superbike a montadora para introduzir a nova Ducati neste campeonato teve que fazer uma redução de capacidade motora que era de 1 1.103 cm para os 998 cm³ na V4R. Mas ainda restam 500 unidades a serem vendidas ao público, estas com a antiga capacidade de motor.

A moto foi toda construída com materiais leves, mas sem deixar de serem nobres. O tanque foi construído em alumínio polido. Por sua vez o virabequim é feito em aço forjado. Em relação ao seu motor, este foi especialmente desenvolvido para oferecer uma potência de 221 cavalos, com capacidade máxima de 15.250 rpm.

A nova Ducati ainda conta com um moderno kit de escapamento de tipo racing da Akrapovic que faz com que o seu desempenho seja elevado para a potência de 234 cavalos. A embreagem é a seco como é feito nas motocicletas de MotoGP. A balança traseira é ajustável, as suspensões topo de linha da grife Öhlins e os freios são da marca Brembo e completam as suas especificações mecânicas e ciclísticas.

Sem falar do pacote eletrônico que é de última geração possuindo acertos e parâmetros ideais para aqueles que desejam concorrer nas pistas.

Enfim, uma moto toda completa que promete muita potência e eficiência, sem deixar de possuir um design elegante, sendo uma moto muito atraente. Com certeza, mesmo com seu valor alto será uma moto com altos índices de vendas. Afinal, o investimento será válido para cada detalhe.

Nesse sentido, se você é um amante de motos, procure uma concessionária Ducati, saiba mais destas e de outras informações sobre o modelo e faça a sua encomenda. A partir do mês de outubro essas super máquinas já estarão nas ruas e estradas do país.

A Ducati Panigale V4R chega para competir com outras motos como a Harley-Davidson que é a mais cara da sua marca e tem qualidades como pintura especial, acabamento premium, motor de 117 polegadas com 1.923 cm³, que possui a capacidade de fazer no máximo 17,2 kgfm. Esse modelo já sai da fábrica trazendo vários acessórios compondo seu quadro de itens de série. As manoplas são aquecidas e diferenciadas, assim como o assento. Essa moto ainda conta com escapamento com uma ponteira especial e rodas exclusivas. Em termos de tecnologia temos uma central multimídia de última geração que opera com o aplicativo Apple Car Play. Seu valor é em torno de R$ 172.500.

Ainda existem outros modelos de outras marcas para fazerem concorrência com a nova Ducati. Com certeza, todas elas são as melhores de cada fabricante.

Por Sirlene Montes

Ducati Panigale V4R

Ducati Panigale V4R


Modelo é uma moto com características robustas que vai te acompanhar desde o asfalto até em aventuras na estrada.

A Yamaha traz para os amantes de motos uma grande novidade a um preço bem convidativo, a nova Lander 250 – 2019/2020, é uma moto com características robustas, que substitui a anterior e a TÉNÉRÉ, ela vai te acompanhar desde o asfalto até em aventuras na estrada, e pensando na segurança de seus clientes conta com freios ABS na dianteira isso se dá pela proposta off road da moto onde se concentra todo peso da frenagem na parte dianteira da mesma, entretanto no asfalto possibilita maior eficiência na frenagem, evitando que as rodas se bloqueiem ocasionando falta de aderência na pista.

A Yamaha teve uma grande preocupação com o cliente na hora de desenvolver o projeto da nova Lander ABS 250, 2019 – 2020. Essa motocicleta foi inspirada em três ícones da marca, tendo a agilidade de manobras e fácil pilotagem em terrenos acidentados da Lander antiga, juntando a isso o conforto para uso urbano e viagens na estrada da antiga Ténéré 250, trazendo a suspenção com maior curso, sem contar que a suspensão traseira é composta por óleo e nitrogênio, algo que só tinha em motos de competição, outro detalhe e que o banco ficou mais largo, e mais confortável em dois níveis e, por fim, trouxe toda robustez e toda força do design da XT 660 que dá a ela essa pegada de moto grande.

Além da aparência robusta, conta com três cores, branco, preto e azul alcançando todos os gostos, farol de led, lanterna traseira de led, rodas em aço, possui partida elétrica, painel com consumo, a sua potência máxima é de 20,7cv/8.000 rpm (Gasolina) – 20,9cv/8.000 rpm (Etanol), o tanque de combustível 13,6 L (4,1 L reserva) garantindo maior autonomia, e maior que a anterior, possui 1 cilindro, a altura do assento é de 875 mm. Itens opcionais, bolha e bagageiro.

O valor segundo a própria Yamaha é de R$ 16.990,00 e frete de R$ 896,00 à vista, entretanto pagamento à vista não é a única opção, existe um financiamento para todos os bolsos, 36x de R$ 533,00 mensais, e entrada de R$ 5.366,00, semelhantemente é possível utilizar consórcio plano nacional, valor do crédito R$18.579,00 em parcelas de 36x R$637,73, 50x R$469,68, 60x R$401,96, 72x R$347,33.

Um outro financiamento é o Liberacred um financiamento direto com o banco Yamaha que garante a aprovação independente de comprovação de renda, é um contrato de 12 meses, podendo até antecipar 4 parcelas, nesse caso pegar a moto em 8 meses, a Yamaha liberou essa forma de financiamento para atender quem não tem experiência de crédito assim como menores de 21 anos, autônomos que tem baixo score, pessoas negativadas ou até mesmo que acabaram de limpar o nome mais não estão conseguindo crédito no mercado. Entretanto cada caso varia e depende do perfil de cada cliente, um consultor Yamaha conseguirá analisar qual é a melhor forma de financiamento, para cada cliente e com as menores taxas.

Alguns dos benefícios desta moto são, garantia de 4 anos, revisão com preço fixo, 1.000 KM – 6X R$25,50 – 5.000 KM – 6X R$17,33 -10.000 KM 6X R$71,50 -15.000 KM 6X R$53,16 e mão de obra paga pela Yamaha, no entanto, apesar destes benéficos o que muitos ficam receosos é sobre o preço das peças de reposição, que atualmente não há paralelas, pensando nisso existe reposição econômica, que atende muito bem a quem quer pagar um preço acessível.

Por Fernanda Reche de Souza

Yamaha Lander 250 ABS 2019


Conheça aqui mais detalhes sobre este novo modelo que deve chegar às concessionárias ainda no primeiro semestre de 2019.

Se, por acaso, você der com este veículo estacionado em qualquer lugar das vias públicas, provavelmente vai imaginar que algum super-herói da ficção japonesa saiu da TV veio para a realidade. Porém, esta mesma realidade é muito diferente do que se passa na TV. Trata-se, em primeiro lugar, de um modelo de moto de origem alemã.

Esta é nova versão Tourer da moto F850 GS, que será oficialmente lançada ainda neste mesmo ano de 2019.

Entretanto, segundo alguns especialistas, a própria companhia BMW Motorrad, por meio de seus líderes, fazia questão de vazar dados sobre o processo de desenvolvimento e produção desta nova versão Tourer do modelo F850 GS.

Este modelo de moto, em realidade, consiste em uma derivação muito mais destinada à rodagem nem extenso asfalto, tendo sido projetada para longas viagens e especificamente para o universo esportivo, que compreende muitos terrenos acidentados. Nesta versão, porém, a moto está suplementada de algo especial, ou seja, esta é a primeira vez que o modelo se dá em unidades de produção, sendo o primeiro em território brasileiro, tal como foi anunciado pelo registro do INPI, ou o Instituto Nacional da Propriedade Industrial, na última terça-feira, dia 2 de abril de 2019.

O título deste veículo já é um grande chamado: a moto BMW F850 RS consiste na maior novidade deste segmento, neste primeiro semestre de 2019. Deste modo, o new Tourer consiste na versão definitiva do conceito conhecido como: 9Cento Concept, que foi apresentado no evento Concorso d'Eleganza Villa d'Este, ao longo de uma promoção na Itália, no ano de 2018.

Não por coincidência, este novo modelo conceitual está presente, da mesma maneira, no próprio registro do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). O título de F850 RS já havia sido antecipado por meio da própria empresa BMW, devidamente autorizado pelos gestores da mesma. A divulgação prévia se deu em um folder que apresentava as novidades na linha Tourers, entre as da mais alta categoria e as versões mais caras produzidas pela marca, tais como a versão R1250 RT e a versão K 1600 GT.

Portanto, a new F850 RS estará fazendo estrear um verdadeiro pórtico que permitirá esta cooperativa inserir suas produções na classe turística. Desta forma, esta moto está sendo equipada na seguinte configuração:

Munido de um motor Bicilíndrico com desempenho de 853 CC, gerando até 95 CV e mais 9,2 KGFM de torque, o qual é limitado a 80 CV em território brasileiro; está equipado de um câmbio em seis marchas; está adornado de linhas muito similares à sua irmã de maior porte, ou seja, a versão S1000 XR; está estruturada sobre um novo tipo de suspensão e de um novo conjunto de rodas, que compõe uma roda dianteira com aro raio 17”, entre outras especificações.

Este modelo foi flagrado pelas lentes dos especialistas diversas vezes, em testes pela Europa, sendo que a new F850 RS está programada para ser exibida mundialmente no evento anual do Salão de Milão, o EICMA, no mês de novembro deste ano, com previsão de chegar às concessionárias autorizadas no início do ano de 2020, sendo que este lançamento inclui a chegada desta moto no Brasil, já que o nosso país é a nação onde a companhia BMW está preparando em torno de 20 inéditos lançamentos, dentro de uma de carros e motos, nos meses vindouros.

A companhia BMW Motorrad consiste em uma unidade subsidiária do grande Grupo BMW, especializado na produção de motos.

Paulo Henrique dos Santos


A clássica moto esportiva e compacta está atualizada em novo design, munida de novo painel e de suspensões invertidas na roda dianteira.

A organização Yamaha Motor Company Limited consiste em uma grande empresa, oriunda do Japão, e famosa pela produção de motocicletas, de quadriciclos, de motores, entre outras aparelhagens próprias do segmento.

Deste modo, a clássica moto esportiva e compacta está atualizada em novo design, munida de novo painel e de suspensões invertidas na roda dianteira.

Depois de alguns projetos já concluídos, a empresa Yamaha do Brasil deverá retomar seus trabalhos direcionados à atualização do modelo YZF-R3. A motocicleta esportiva compacta foi apresentada recentemente, apenas no exterior, vazada em um belo e atualizado estilo.

A partir desta versão, a moto está visível no chamado registro brasileiro do INPI, ou no Instituto Nacional da Propriedade Industrial, constituindo essa uma situação que não pode ser compreendida, exatamente, como novidade. O modelo YZF-R3 consiste em uma moto de grande sucesso nas concessionárias.

No Brasil este modelo está cercado de grandes concorrentes.

Algumas especificações seguem abaixo:

Em sua parte dianteira a Yamaha R3 está munida de novos faróis em luz LED, em formato um tanto mais estreitos, instalados numa posição levemente inclinada, lembrando dois olhos formando uma expressão ao estilo “Anger”, que apontam para uma aparente tomada de ar, de central. Possui um novo para-brisa que está estilizado de modo a parecer bem maior que o modelo anterior; está munida de um tanque de combustível aperfeiçoado, vazado em estrutura mais estreita na parte em que o piloto encaixa os joelhos, sendo mais largo em sua parte superior, porém, mantendo a eficiente capacidade de 14 litros. Com relação ao guidão, este está 20 mm mais baixo que o do modelo anterior, este conjunto de alterações que abrange o tanque e o guidão teve por objetivo aperfeiçoar a posição, para uma pilotagem mais esportiva.

Outros atributos podem ser relacionados abaixo:

O novo painel está muito inspirado no modelo R1, outro clássico da empresa, que, a partir desta versão, passará a ser inteiramente digital, dado que no painel atual a função de conta-giros é de tipo analógico. Conforme uma nota publicada pela Yamaha, todas as alterações operadas sobre o estilo e a posição do piloto, por exemplo, foram elaboradas para aperfeiçoar a aerodinâmica, no sentido de que a Yamaha R3 ganhasse mais força, entregando desempenho de 10 km/h em sua velocidade máxima.

Com relação à sua parte mecânica, a R3 está munida de um motor Bicilíndrico em 321 CC que, em realidade, se trata do mesmo anteriormente instalado. Ele está equipado de 42 CV e mais 3,02 KGFM de torque, que está perfeitamente atrelado ao novo câmbio de seis marchas.

Outra função que sofreu positiva alteração é a suspensão dianteira, que a partir deste modelo está munido de “bengalas invertidas”, além de uma nova e mais eficiente calibragem, de modo a poder manter a estabilidade durante as mais variadas condições de solos ou estrada. Esta é uma moto com “pegada” mais dinâmica e agressiva, porém suave a resistente aos terrenos mais hostis. A Yamaha está entre as produtoras que mais garantem veículos resistentes e seguros.

Sobre o valor no mercado, seguem as informações:

Dentro do mercado internacional, a new Yamaha YZF-R3 estava programada, desde que foi exibida em evento no ano passado, para comercialização já no início deste ano. Aqui, no Brasil, a R3 provavelmente começará a ser vendida a partir do segundo semestre, com possibilidade de tornar-se uma das possíveis atrações para o anual evento promovido no Salão Duas Rodas.

Ainda é cedo para adiantar mais dados, mas os especialistas estão atentos.

Por Paulo Henrique dos Santos

Yamaha YZF-R3

Yamaha YZF-R3


Modelo ganhou freios ABS e custa a partir de R$ 12 mil.

Uma das maiores indústrias automobilísticas japonesas está com nova estreia no mercado internacional, neste início de 2019. Os especialistas estão alerta.

Trata-se do novo lançamento da companhia Yamaha, a qual fez revelar seu inédito modelo, edição de 2019, da motocicleta Crosser 150, para o mercado do Brasil, ou seja, este veículo que chegará às concessionárias no próximo mês de março. Ela consiste na principal novidade da empresa, tornando-se a moto que ganhou um novo sistema de freio ABS, instalados em sua parte dianteira, de modo que seja possível a mesma cumprir a lei federal, que impõe o dever da presença dos itens de segurança no aparato de frenagem, em todo o conjunto das motos vendidas em território brasileiro.

Este modelo está vazado em duas versões não muito distintas, porém, dentro da mesma faixa de preços:

A versão Crosser 150 S está custando em torno de R$ 12.399. Já a versão Crosser 150 Z está custando R$ 12.599. São preços bastante acessíveis para um modelo de alta categoria.

Entre outros atributos pertencentes a este modelo, estão:

Junto ao sistema de freios ABS, o modo de freio na parte dianteira foi acrescido de um disco maior. Na sua parte traseira, este mesmo modelo está desprovido do tipo de freio do operante a tambor, sendo, agora, munido do sistema de frenagem a disco.

Entre os seus concorrentes, a grande rival é a moto produzida por outra máxima companhia automobilística, a intitulada Honda Bros 160, que é comercializada pelo valor de R$ 12.250, entretanto, o mesmo modelo está munido de um sistema de freios do tipo combinado.

O modelo Crosser está munido de um motor tipo monocilíndrico de 149 CC Flex, que é capaz de entregar desempenho de 12,2 cavalos de potência, quando movido a gasolina e o desempenho de 12,4 cavalos quando movido a etanol.

Sobre o sistema de frenagem tipo ABS ou CBS, tornados obrigatórios pela lei federal, seguem as informações:

Desde o ano de 2016, todas as fabricantes de motos iniciaram nova modalidade na produção do sistema de frenagem, sendo todas obrigadas a incluir o sistema de freio ABS ou o CBS, sendo instalados em grande parte das novas unidades saindo da plataforma.

Deste modo, a partir do dia 1º do mês de janeiro de 2019, esta exigência legal saltou de 60% para 100%, abrangendo a totalidade de todas as novas motos fabricadas ou mesmo sobre as motos importadas diretamente para o Brasil.

Estas medidas federais visam a manter a segurança no trânsito, exigindo maior precisão no aparato mecânico dos veículos.

Somente as motos equipadas com potência menor que 300 CC poderão optar pela alternativa de sistema CBS, ao passo que a motos munidas de maior potência terão o dever de incluir o sistema ABS. Entretanto, ainda assim será bem possível encontrar alguns modelos de motos, produzidas no ano de 2018, que estejam desprovidas dos equipamentos disponíveis nas lojas. Todo cuidado é pouco, e todos os proprietários necessitam estar muito atentos às exigências legais, submetendo seus veículos a todas as adaptações necessárias, nesse sentido.

Sobre a empresa:

A organização empresarial Yamaha Motor Company Limited consiste em uma grande empresa japonesa, responsável pela produção, sobretudo de motocicletas, de quadriciclos, de motores, entre outros veículos e aparatos técnicos. A empresa é parte integrante da Yamaha Corporation. Está entre as mais bem sucedidas no mundo e da história automobilística.

Paulo Henrique dos Santos


Modelo chega ao mercado deixando boas impressões.

Dentro do segmento, o valor de 8.250 reais para a scooter é considerado o mais acessível desta marca, de modo que basta para se popularizar este tipo de veículo aqui no Brasil. O modelo Elite consiste em uma moto ágil que pode transitar na cidade. Sua limitação está nas rodinhas que sofrem na buraqueira.

Avançando para além dos modelos anteriores, a Honda lançou neste momento o Elite 125 no Brasil. Trata-se de um modelo que consiste na alternativa mais barata produzida pela empresa, neste segmento. Oficialmente ela custa 8.250 reais. A concorrência é direta com o Yamaha Neo 125, comercializado por 8.290 reais.

Alguns atributos do modelo Honda Elite 125:

O consumo é superior a 50 km/l; as rodas são de 12 polegadas na dianteira e de 10 polegadas na traseira; na parte dianteira está munida de garfo telescópico de 90 mm; na parte traseira ela é monoamortecida em 70 mm; o peso oficial é de 104 kg; seu sistema de Freios é CBS, ou seja, em disco na dianteira e em tambor na roda traseira; além de contar ainda com farol de luz Led.

Dado o retorno das scooters no mercado em 2018, estes veículos continuam ganhando bastante espaço, sendo que a meta da Elite está em popularizar ainda mais esse tipo de moto no território brasileiro.

De acordo com alguns especialistas, os testes sobre esta moto foram bastante satisfatórios, apesar de algumas limitações.

Ao longo de alguns trechos de asfalto irregular; sobre os paralepípedos e quando cruza os trilhos férreos em deslocamentos, o Honda Elite apresentou limitação em termos de rodas, que sofrem um pouco sobre as irregularidades e buracos nas pistas. Entretanto, está limitação, devido às rodas de menor porte, é tolerável, dada as suas suspensões curtas, de 90 mm na roda dianteira e de 70 mm na roda traseira.

Mesmo assim, embora compactos, os seus amortecedores estão munidos de um eficiente ajuste, ou seja, eles não são nem muito flexíveis e nem muito inflexíveis. Portanto, nessa qualidade específica o veredito geral é o de que o Honda Elite foi aperfeiçoado ao longo do tempo, em um processo evolutivo bastante eficiente, em relação ao tipo Lead, embora não seja possível esperar que seu desempenho seja melhor que o de uma Trail, sobre os pavimentos mais irregulares.

Entre outros atributos destacáveis deste modelo, seguem:

O modelo Honda Elite 125 está munido de bom motor. Trata-se de um projeto inteiramente novo, munido de 1 cilindro e apresenta desempenho de 124,9 CC, operando em conjunto com o câmbio tipo CVT automático. A sua potência máxima pode atingir a escala de 9,34 CV, com o torque final registrando a escala de 1,05 KGFM.

Ao longo dos testes, em certos momentos, ao pilotar o Elite 125, é possível ter a sensação de se estar em uma bicicleta, porém, esta impressão não é tão intensa, dada a falta dos pedais. Resumindo: o Elite consiste em um scooter de tipo plataforma, dentro do qual existe espaço para colocar os pés, com folga, sobre o assoalho.

Todo piloto pode se posicionar de modo bastante confortável, mesmo para uma pessoa que tenha mais de 1,80m de altura. A moto é, de certa forma, ajustável ao seu proprietário. O Honda Elite agrada em sua condução, tornando-se uma opção muito mais ágil para se rodar entre os centros urbanos.

É clássica, é pequena e ágil. É atraente e estilosa. Este tipo de moto tornou-se famosa até nos cinemas.

Paulo Henrique dos Santos


Conheça aqui mais detalhes sobre o serviço de aluguel de motos.

O aluguel de moto vem ganhando força a cada dia e já pode ser considerado uma tendência para empresários do ramo.

O sistema de locação de moto vem crescendo a cada dia. Essa é uma modalidade indicada para quem não quer investir na compra de uma moto ou não quer se preocupar com cuidados de manutenção. Muitas pessoas estão em busca desse serviço, que é muito prático e compensa muito na parte da economia financeira. Agora vamos conhecer de forma mais clara esse serviço e opções para o seu público.

Qual a vantagem de alugar uma moto?

Muitas pessoas gostam de moto e a grande maioria até tem habilitação para isso. Mas, o carro é o meio de transporte mais escolhido ultimamente. Ele é espaçoso, confortável e traz praticidade para o dia a dia. Por essa razão, muitas pessoas acabam optando por ele. Nem todas as pessoas tem condições de ter carro e moto em sua garagem. E nesse caso o aluguel de moto se torna a melhor opção. Pois com um planejamento bacana, fica fácil alugar uma moto ideal, com um valor acessível, sem ter preocupação com gastos de manutenção e documentos.

Quem tem moto também contrata esse tipo de serviço?

Sim. Alguns clientes desse tipo de serviço possuem moto e mesmo assim eles acabam optando por alugar outro modelo. Essa escolha pode ser por diferentes razões, alugar um modelo para viajar por estradas difíceis ou até mesmo ter acesso a uma moto potente e moderna. E é por essa razão que esse tipo de negócio vem crescendo a cada dia.

Qual é o público alvo desse tipo de serviço?

O serviço de aluguel de moto atinge a um público eclético. Homens, mulheres, empresários, autônomos, entre outros. Mas, a conclusão final é que o público alvo são pessoas que querem praticidade. Não há uma burocracia grande para contratar esse tipo de serviço, por essa razão a praticidade vem conquistando muitos clientes a cada dia.

Valores do serviço

Como já foi dito anteriormente, o valor do aluguel de moto é considerado bem acessível. Mas o valor vai variar muito de modelo para modelo. O valor inicial é de R$278. Mas existem modelos mais modernos e com potência elevada, e nesse caso o valor fica maior.

Possibilidade de alugar motos com acessórios e material de trabalho

O aluguel de moto pode ajudar muitas pessoas a dar um UP no seu trabalho. Pois existem muitas opções de motos para ser alugadas, que já vem com acessórios, malas e bagageiros. Essa é uma opção para quem precisa prestar um serviço de qualidade e não possui uma moto completa. Ou para quem precisa fazer uma viagem de negócios e precisa de espaço para carregar materiais de trabalho também.

Diária de R$750 para modelo da Tiger 1200 XCx

O aluguel do modelo Tiger 1200 XCx tem o valor acima da média. Esse modelo é completo e tem o público certo também. A boa notícia é que fazendo o aluguel para mais dias, o valor fica mais abaixo e acaba compensando demais. Se avaliar o custo benefício, a conclusão é que esse tipo de aluguel é muito em conta. Por essa razão é bom fazer uma pesquisa de valores de cada modelo e ver qual deles compensa mais.

Exigências para alguns modelos de motos

Algumas motos exigem algumas coisas para serem alugadas. Um bom exemplo é a BMW G 310 GS. Ela exige que o condutor tenha habilitação “A”, tenha no mínimo 28 anos e tenha 3 anos de carteira de motorista. Vale lembrar que não pode ter pendências de trânsito em seu nome.

Então se você deseja alugar uma moto, saiba que esse tipo de serviço é prático e muito em conta!

Escrito por Cristiane Amaral


Modelo chega ao país custando a partir de R$ 18 mil.

Neste início de 2019, uma expectativa iniciada em 2017 foi confirmada. A marca indiana de fabricação de motocicletas, a Royal Enfield, publicou a notícia de que o modelo Trail Himalayan já está sendo comercializado no Brasil.

Deste modo, a companhia finalmente fez confirmar que as vendas deste modelo de motocicleta iniciaram em nosso país, a partir deste ano. Em realidade, a Trail está sendo comercializada em única versão, além de mais duas opções nas cores, a branca e a preta, ambas munidas de acabamento fosco. O valor no mercado, para esta novidade, está em torno de 18.990, sendo equipada com freios tipo ABS de série, embora, sem o frete incluso.

O comércio da Trail Himalayan iniciou no último dia 23 janeiro. Neste artigo o leitor acompanhará uma sumária, porém, essencial avaliação da novidade.

O modelo Himalayan é produzido de modo a ser aparelhado com motor tipo monocilíndrico, movido a gasolina, arrefecido por meio de ar de 411 cm³ de capacidade, além de ser alimentado pela injeção eletrônica. Este modelo é produzido dentro de um sistema inverso dos clássicos Bullet; o Classic e o Continental GT, munido de seu comando por válvulas que opera por cabeçote (SOHC). Ele está equipado com um propulsor cujo desempenho entrega até 24,5 CV de potência e mais 3,2 KGFM de torque. Sua transmissão final opera por meio de corrente e o seu câmbio é de cinco marchas.

Com relação ao chassi, o Himalayan funciona por meio cavalete tipo duplex; o seu peso, a seco, sem tanque cheio e demais fluídos, é de 185 kg. Sua suspensão dianteira está equipada de garfos telescópicos em 41 mm de diâmetro e mais 200 mm no curso; a sua parte traseira está munida de estrutura “mono amortecida” com 180 mm no curso. A sua parte dianteira está equipada de roda raiada de 21 polegadas, a qual utiliza pneu de tipo 90-90 R21, ao passo que a traseira está munida de roda raiada de 17 polegadas, a qual utiliza pneu de tipo 120-90 R17.

Este mesmo modelo Himalayan está equipado, nesta série, com o sistema de freios a disco em sua dianteira com 300 mm de diâmetro e pinça de dois pistões, sendo que o disco traseiro é produzido em 240 mm de diâmetro e pinça de um pistão.

Suas medidas oficiais são: 2,1 m no comprimento; 0,84 m na largura e 1,36 m na altura. Sobre a altura do vão livre, em relação ao solo, ela está em 220 mm.

Qual a posição do veículo na concorrência?

O modelo Royal Enfield Himalayan está avançando para um patamar situado entre as Trails médias da entrada, tais como a Honda XRE 300 e a famosa Yamaha Lander 250, junto dos modelos premium, que incluem a Kawasaki Versys-X 300 e a clássica BMW G 310 GS.

Os valores de concorrência no mercado seguem abaixo:

A Yamaha Lander 250 2020, equipada com ABS de série somente na dianteira, está em torno de 16.990.

A Honda XRE 300 2019, equipada com ABS nas suas duas rodas de série, está com valores de 18.200 a 18.690, conforme a cor escolhida.

A Royal Enfield Himalayan, equipada com ABS em suas duas rodas de série, está no valor de 18.990.

A Kawasaki Versys-X 300, desprovida de ABS, está no valor de 19.990.

A Kawasaki Versys-X 300, com ABS em suas duas rodas; está no valor de 22.990.

A BMW G 310 GS, com ABS em suas duas rodas de série, está no valor de 24.990.

Paulo Henrique dos Santos


Modelo chega com freios ABS e valores a partir de R$ 11 mil.

A scooter mais emplacada no Brasil, a Honda PCX 150, teve uma nova geração lançada aqui no mercado brasileiro na última terça-feira, dia 22 de janeiro. Além de possuir um visual renovado, a motocicleta também ganhou uma suspensão nova em sua traseira, um painel digital e passou a contar agora com freios com tecnologia ABS em suas versões com preços mais elevados.

Confira os preços da nova PCX 150 linha 2019:

  • PCX Sport com ABS: era R$ 11.778 e passou a ser R$ 12.990 – cor prata metálico
  • PCX DLX com ABS: era R$ 11.778 e passou a ser R$ 12.990 – cor branco perolizado
  • PCX 150 com CBS: antes era R$ 11.272 e passou a ser R$ 11.620 – cor prata metálico e também azul perolizado

Lançada no Brasil no ano de 2013, a marca comercializou mais de 133 mil exemplares da moto. O visual novo do scooter já tinha sido flagrado no final do ano de 2017, na Ásia, seguindo as alterações também encontradas na PCX elétrica e na híbrida.

A moto acabou por diminuir seu comprimento, ficou pouca coisa mais curta, o que antes era de 1.931 mm atingiu 1.923 mm, além de ter ficado mais largo também, passando de 745 mm para 737 mm, que era o tamanho da antiga versão.

A marca japonesa também reforçou a presença, no final do último ano, no segmento de scooters, onde lançou a Elite 125. Para este ano de 2019, a marca pretende também lançar novidades quando o assunto é motocicletas de alta cilindrada, onde deve apresentar a CB 1000R em sua linha 2019.

Quando se olha a parte frontal da nova PCX, pode-se notar que a principal alteração do scooter foi estética. Embora a moto como um todo manteve a sua conhecida identidade, o farol novo dianteiro conta com um recorte na parte central, o dividindo horizontalmente.

O lançamento passou também a contar com um conjunto de iluminação com tecnologia LED, além do seu painel digital ser novo e com tela em LCD.

As versões possuem freio ABS

Se for comparar com sua principal rival, a NMax 160 da Yamaha, que custa R$ 12.390, a PCX passa a ser equipada em sua linha 2019 com freios dotados de tecnologia ABS, porém, somente em suas versões com preços mais elevados, sendo a Sport e a DLX. Porém, também continua disponibilizando a variante de entrada, a qual conta com os conhecidos freios combinados, o CBS.

Outra novidade vista nas versões Sport e DLX é a tecnologia da chave "inteligente" presencial, em inglês Smart Key System, a qual já pode ser vista na SH 300i e na SH 150i. Com tal tecnologia, não é necessário fazer uso da chave para que se gire a ignição antes de realizar o funcionamento do motor.

Com suspensão nova na sua traseira

A montadora fez também alterações em sua suspensão traseira. Seus amortecedores agora possuem nova calibragem e também 3 estágios para que seja regulada a tensão de sua mola. Também foram alterados os pontos onde se ancora os amortecedores e a balança de suspensão.

A moto teve mudanças nas dimensões de seus pneus, os quais agora ficaram ligeiramente mais largos. Na dianteira as medidas foram de 100/80 com raio 14 e na traseira foi para 120/70 com o mesmo raio, antes era 90/90 e 100/90, ambos com raio 14. As rodas receberam desenho novo também, agora com 8 raios, antes só possuíam 5 raios.

Motor continua o mesmo

O motor ainda é o mesmo com 1 cilindro e com 149,3 cilindradas. Consegue gerar 13,2 cv de potência ao atingir 8.500 giros e um torque de 1,38 kgfm a 5 mil rotações. É movido a gasolina e possui consumo de 47,5 km por litro.

FILIPE R SILVA


O novo modelo traz muitas modificações e uma das mais marcantes já se pode notar pelo seu novo desenho, bem mais atualizado e mais agressivo, o que contribui para manter o seu estilo mais esportivo e bem arrojado.

Para o ano de 2019, a Ducati promete surpreender os consumidores brasileiros e lança no país a sua mais nova geração de motos, a Diavel 1260, que entra na sua segunda versão depois de estrear o seu primeiro modelo há mais de sete anos.

Desta vez, a marca resolveu trazer para o Brasil um modelo bem mais adaptado às condições das estradas brasileiras que exigem bem mais de um transporte de duas rodas em algumas regiões do país.

O novo modelo traz muitas modificações e uma das mais marcantes já se pode notar pelo seu novo desenho, bem mais atualizado e mais agressivo, o que contribui para manter o seu estilo mais esportivo e bem arrojado.

A nova moto apresenta-se com uma dianteira bem mais elevada e volumosa e uma traseira mais afinada e mais curta. Com apenas um farolim, o novo modelo priorizou também o passageiro na garupa e por isto traz também um sistema de alças removíveis que podem ser deslocadas para acomodar o segundo tripulante.

Nesta nova versão, a Ducati resolveu também apostar nas novidades da tecnologia do ciclismo e nos avanços do conceito de dirigibilidade sobre duas rodas. Agora o piloto poderá optar em qual modo de dirigibilidade ele poderá guiar: o chamado Touring, o Sport ou o Urban.

Para cada módulo distinto de direção, as potências desempenhadas pelo novo modelo podem ser reguladas através de um controle eletrônico que é capaz de regular, além da potência do motor, o desempenho do sistema ABS de frenagem, o que garante além de uma melhor dirigibilidade, maior segurança ao condutor e ao passageiro.

A nova Diavel 1260 vem de fábrica com um motor Ducati Testastretta DVT de 1260cc e com potência de 160 cv e 9500 rpm. O sistema de transmissão é manual com seis velocidades e o seu sistema de combustão foi inteiramente adaptado para seguir as normas de emissão de poluentes do chamado protocolo Euro 4.

Como já dissemos, a palavra de ordem para o novo modelo, além de tecnologia, é comunicação. Neste sentido, a nova moto vem equipada com o Ducati Multimídia System, um sistema exclusivo que permite ao condutor atender as ligações de celulares e visualizar as suas mensagens de texto através do monitor no console central da moto, tudo por via Bluetooth. Neste mesmo sistema, o piloto pode ainda escolher e verificar quais as músicas que ele gostaria de ouvir durante a viagem.

Considerada como uma das grandes novidades de marca para o ano de 2019, a nova motocicleta traz ainda um sistema de regulagem dos amortecedores traseiros que podem ter a sua altura ajustada de acordo com a quantidade de peso a ser transportada na sua parte posterior.

A novidade também é que a suspensão dianteira, composta por um sistema de garfos inteligentes foi projetada para a sua altura regulada de acordo com as necessidades de cada terreno acompanhado de seu sistema de amortecimento do tipo Ohlins.

Ainda sem data prevista para estrear nas principais concessionárias do Brasil, o novo modelo chama a atenção pelo seu estilo bem robusto e uma carenagem na cor preta, o que confere um ar bem agressivo e bastante adequado para quem gosta de muita velocidade sobre duas rodas.

Por enquanto, os fãs do motociclismo só poderão apreciar a novidade apenas pelas imagens na internet e que já estão circulando nos principais sites especializados sobre o assunto. Para quem se interessou e já está curioso para saber quanto vai custar o novo modelo, a Ducati ainda não se posicionou sobre o assunto. Mas como todo bom entendedor do mercado de motos, com certeza, todas as novidades trazidas pelas novas gerações que surgem a cada ano vêm com um preço bastante salgado.

Por Emmanoel Gomes

Ducati Diavel 1260 2019

Ducati Diavel 1260 2019


A nova Honda CB 650R traz mudanças e um estilo mais retrô, com um charme das motos dos anos 60.

A Honda CB 650R chega com muitas novidades e foi uma das maiores sensações do Salão de Milão 2018 (Eicma) e o lançamento mais aguardado da montadora. Essa bela máquina já está à venda no mercado dos Estados Unidos por cerca de R$ 35 mil, sem despesas de frete. O que é quase o valor da CB 650F, que sai a R$ 34,9 mil aqui no Brasil. E isso com certeza é muito importante para acelerar a sua chegada aqui no Brasil. Os amantes de duas rodas brasileiros já estão na expectativa.

A Honda não fez feio com a apresentação dessa máquina e agora vamos revelar para você as principais características da CB 650R.

Design e Estilo:

A CB 650R é NSC, ou seja, é Neo Sports Café. O que é isso? Essa é a nova identidade que a Honda escolheu para sua linha naked. As CB 125, 300 e 1000R já vieram com esse estilo retrô. A proposta desse estilo é trazer o charme das motos Honda da década de 60. E isso se vê nos detalhes como o clássico farol redondo. Mas ao mesmo tempo tem um toque de modernidade como a luz LED do conjunto ótico dianteiro. A CB 650R é bem parecida com sua irmã maior, a nova CB 1000R. Perceba as semelhanças:

· Mínimo de carenagem

· Motor e saída de escapamento à mostra

· Inclusive faróis, lanternas e até painel muito parecidos

· Painel de instrumentos da 650 inspirado na 1000R, com LCD da Sharp

· Peak Hold que traz informação para o pico de rotações do motor

· Indicador de posição e de troca de marcha e demais informações

Trocou uma letra, mas a mudança é significativa. Entenda porquê:

Engana-se quem pensa que essa mudança de 650F para 650R é apenas estratégia de vendas. Não meu amigo, o F vem do inglês fun, que é divertido ou uma moto pensada mais para o lazer. E o R vem do inglês Racing, cuja tradução é corrida. Isso mesmo, a Honda quis marcar a nova veia da linha que passa a ser mais esportiva.

E quais mudanças comprovam essa nova direção mais agressiva? Primeiro um motor mais potente e depois a posição de pilotagem. A posição do apoio para os pés ficou mais para atrás, com recuo da pedaleira de cerca de 3,3 centímetros. O guidão cônico de 21,9 polegadas foi reposicionado 12,7 cm para frente e 0,7 cm para baixo. Somente a altura do assento é a mesma da CB 650F. Já o motor ganhou agora 95 cavalos de potência máxima a 12.000 rpm, aproximando-se ao ícone da Honda, o Honet e seus 100 cavalos de potência. É muita aventura.

E mais: Para tornar o modelo mais ágil o peso da moto ficou quase 5kg mais leve que a 650F. O chassi tipo Diamont passou a ter placas de articulação do braço oscilante pressionadas, em vez das antigas que eram forjadas. E isso resultou em 4,2 quilos menos peso que a anterior.

Ficha técnica CB 650R 2019:

Motor:

· Tipo: Quatro cilindros em linha, refrigeração líquida; 16 válvulas; eixo duplo;

· Cilindrada: 649 cc;

· Potência máxima: 95 cv (70kW) a 12.000 rpm;

· Torque máximo: 6,4 kgf.m a 8.500 rpm;

· Transmissão: 6 velocidades;

· Sistema de partida: Elétrico;

· Diâmetro x Curso: 67,0 x 46,0 mm;

· Relação de Compressão: 11,6 : 1;

· Sistema Alimentação: Injeção Eletrônica PGM-FI;

· Combustível: Gasolina.

Sistema elétrico:

· Ignição: Eletrônica;

· Bateria: 12V – 8,6 Ah;

· Farol: LED.

Capacidade:

· Tanque de combustível/Reserva: 15,4 litros.

Dimensões:

· Comprimento x Largura x Altura: 2130 x 780 x 1075 mm;

· Distância entre eixos: 1450 mm;

· Distância mínima do solo: 150 mm;

· Altura do assento: 810 mm;

· Peso seco: 202 kg.

Chassi:

· Tipo: Diamond Frame;

· Suspensão dianteira/Curso: Garfo tombado, 41 mm, Showa SFF ajustável / 120 mm;

· Suspensão traseira/Curso: amortecedor ajustável, Braço oscilante de alumínio; / 128 mm;

· Freio dianteiro/Diâmetro: A disco / 310 mm (ABS);

· Freio traseiro/Diâmetro: A disco / 240 mm (ABS);

· Pneu dianteiro: 120/70 – 17M/C;

· Pneu traseiro: 180/55 -17M/C.

Por Cristina dos Santos

Honda CB 650R 2019


A Diavel 1260 ganhou uma parte dianteira volumosa, traseira afunilada e mais curta, contendo um farolim, e alças removíveis para o passageiro.

A Ducati Diavel entra na segunda geração com a Diavel 1260 depois de oito anos do seu lançamento e novamente, a estreia acontece no Salão de Motos em Milão (EICMA). Agora ela conta com prestações mais elevadas, linhas e design com aspecto agressivo e atualizações ao nível eletrônico e ciclístico, tudo isso sem deixar de ser uma naked desportiva.

Os traços de estilo são iguais aos da geração anterior, só que mais atualizados. A Diavel 1260 ganhou uma parte dianteira volumosa, traseira afunilada e mais curta, contendo um farolim, e alças removíveis para o passageiro. O depósito de combustível está composto por três coberturas e a ele se unem duas entradas de ar em alumínio escovado. As tampas contidas nas laterais do radiador, que integram os indicadores de fumaça de direção light blade fazem parte das características que têm destaque neste modelo. A ótica, atualmente com LED em seus faróis, piscas e lanternas, possui uma luz diurna DRL em sua versão S.

A gama de características da Ducati 1260 possui alto nível eletrônico, firmada por uma unidade de medição inercial da Bosch. O piloto pode contar com três modos de pilotagem: o Touring, Spor e Urban, apresentando cada um deles um modelo de potência específico e regulações distintas do outro para o controle de tração Ducati Tration Control Evon, para o ABS e para o Ducati Wheelie Control EVO. Os sistemas citados possuem a possibilidade de ajuste nos níveis de intervenção. O Ducati Power Lunch EVO e o Ducati Cornering ABS EVO finalizam a variedade eletrônica juntamente com o ABS em curva. A ignição funciona com o sistema de mãos livre, excluindo a obrigatoriedade da chave mecânica.

O sistema de travagem com Corning ABS possui pinças monobloco radiais Brembo ativadas por uma bomba de travão radial na frente, dois discos flutuantes (também na parte frontal) e um disco com pinça de dois pistões Brembo atrás. Na área posterior a moto conta com um amortecedor regulável em pré-carga e extensão, enquanto a suspensão dianteira é assegurada por um garfo completamente regulável. Na versão S da Diavel 1260, um garfo e um amortecedor Öhlins são encontrados de forma igualmente reguláveis. As jantes são formadas por 14 braços, sendo 4 a mais que a outra versão S, porém, ambas têm pneus Pirelli Diablo Rosso III.

O piloto ganhou a possibilidade de receber instrumentação num ecrã TFT com módulo de luzes de aviso separado. Existem quatro módulos diferentes de tela, incluindo o mais novo Default, que só disponibiliza a informação que lhe for obrigatória, as outras opções já são clássicas: Track, City e Full. Na mesma medida em que os comutadores da Diavel 1260 são retroiluminados, o controle de velocidade de cruzeiro proporciona botões que são próprios para ativação e ajuste das definições. A série de equipamentos exclusiva da Diavel 1260 S é o Ducati Multimedia System, o qual conecta o smartphone ao painel de instrumentos via Bluetooth, este fato permite que o piloto possa ver e atender às chamadas e mensagens de texto no monitor da moto, e tenha acesso a informações sobre a música que está ouvindo no momento.

Em suas principais características técnicas, o modelo Ducati Diavel 1260 carrega consigo um motor Ducati Testastretta DVT 1262cc com potência 159cv, 9.500 rotações por minuto, transmissões por meio da caixa que comporta seis velocidades no total, quadro de aço tubular em treliça e uma norma de emissões Euro 4, tornando este modelo mais potente que os usuais. As mesmas características se aplicam à sua versão S.

Infelizmente, a única informação sobre a estreia da nova Ducati Diavel 1260 no Brasil é que aconteça ao longo de 2019, sem previsões a respeito do mês ou qualquer outra especificação.

Por Fabio Santos

Ducati Diavel 1260 2019


Moto BMW S 1000 RR ganhou uma nova versão, com novidades e muita tecnologia.

No salão de motos de Milão-EICMA em 2018 a BMW fez o lançamento da nova S 1000 RR 2019, uma das motos superesportivas mais admiradas, respeitadas e desejadas do planeta finalmente ganhou uma nova versão. O visual renovado já havia sido adiantado por imagens de patente, mas sabemos que ela ganhou bem mais potência, perdeu o peso de sua versão anterior e está muito mais tecnológica, seu design também é totalmente novo, com nova carenagem, faróis e ergonomia.

Seu novo motor contém tecnologia (ShiftCam) sendo 4 kg mais leve que a versão anterior e entrega 207 cv de potência máxima assim o peso total da moto caiu para 197 kg em ordem de marcha. Se for utilizado o seu pacote M, ele irá cair ainda mais, indo para 193,5 kg.

Ela vem com uma promessa de marcar o seu seguimento, sendo inovadora e ousada. Ela é uma naked vindo com tecnologia de ponta e um visual totalmente arrojado que chamou bastante atenção de todos que acompanharam seu lançamento.

A BMW S1000 RR 2019 trouxe com este lançamento acessórios novos como o novo controle de tração dinâmico-DTC, controle de suspensão ativa-DDC que deixaram a motocicleta bem mais ágil e segura e os freios ABS Pro.

No design temos uma frente baixa com traseira elevada, faróis assimétricos e um indicador de direção LED, seus faróis estão seguindo a tendência da concorrência e estão além de menores, mais finos com os projetores e quase ficam escondidos dentro da carenagem dianteira. Em suas laterais, o quadro está mais exposto, com uma menor cobertura e uma melhor refrigeração do motor.

Como já falado antes ela é a mais potente em sua categoria, assim uma naked derivada da categoria superesportiva que veio oferecendo o máximo desempenho e um motor tetra cilíndrico com potência de 165 HP e torque linear e constante em todas suas faixas de rotações.

As cores as quais vieram marcando o lançamento foram preta, vermelha e branca.

Sua ficha técnica já atualizada pela BMW S1000 RR 2019 ainda não foi divulgada, mas pontuamos a seguir algumas características esperadas para o modelo pelos admiradores.

Quanto ao motor o tipo é de 4 cilindros em linha, 4 tempos, 16 válvulas de titânio com duplo comando, refrigeração mista sendo líquido e óleo, a cilindrada (999 cc) tendo sua potência Máxima (165 HP a 11.000 RPM) e Torque Máximo (114 Nm a 9.250 RPM).

E sua embreagem tem multidisco em banho de óleo, deslizante, operada mecanicamente com câmbio de seis marchas e transmissão: Corrente.

O quadro sendo Diamond Frame composto de alumínio, motor parcialmente integrado ao chassi; sua suspensão Dianteira, o garfo telescópico invertido Ø 46 mm, compressão e retorno ajustáveis; a suspensão Traseira com Balança traseira em alumínio, amortecimento e retorno ajustáveis; curso da Suspensão Dianteira e Traseira: 120 mm / 120 mm; a roda Dianteira: 3.50 x 17″ e roda Traseira: 6,00 x 17″; os freio Dianteiro em disco duplo flutuante, pinça fixa com 4 pistões radiais, diâmetro de 320 mm, espessura de 5 mm e freio Traseiro: Disco simples, pinça flutuante com pistão único, diâmetro de 220 mm, espessura de 5 mm.

Consumo em média da BMW S1000 R 2019 é de 16,9 km/l Ela chegará com um valor novo ao mercado, mas esse reajuste ainda não foi divulgado e ainda não se tem a previsão de lançamento no Brasil.

Este modelo é um daqueles verdadeiramente luxuosos tanto pela beleza com pelo seu valor que está estimado em média R$62.900,00 essa sim irá agradar aos clientes que adoram uma aventura!

Por Karla da Silva

BMW S 1000 RR


A nova BMW F 850 GS 2019 chega com muita renovação em sua parte visual e um estilo muito versátil, sendo bastante robusta, mas sem deixar de oferecer conforto aos seus ocupantes.

Quem é um amante de motocicletas sabe que a cada ano que passa os lançamentos são mais tremendos, em todos os sentidos, não é mesmo? As motos são verdadeiras máquinas prometendo muitas aventuras aos seus adeptos. E por falar em motos que dão um show neste artigo vamos falar um pouco sobre um super lançamento do ano de 2019. Estamos falando da novíssima BMW F 850 GS 2019. Não deixe de conferir.

A nova BMW F 850 GS do ano de 2019 é um modelo que vai conquistar muitos admiradores no Brasil. Estamos falando de uma motocicleta muito luxuosa, de muito estilo e principalmente personalidade. O lançamento de 2019 chega com muita renovação em sua parte visual e um estilo muito versátil, sendo bastante robusta, mas sem deixar de oferecer conforto aos seus ocupantes. Uma grande novidade deste modelo é o fato de os equipamentos que esta categoria traz são de um nível considerado inédito. Por isso, aproveite.

Falando um pouco mais de seu design temos uma moto com linhas bem marcantes e com opções novas de cores e de acabamentos. Este lançamento traz no seu para-lama dianteiro algumas mudanças. Já os winglets que são pequenos refletores chegam com uma aerodinâmica mais perfeita.

Os painéis de compensação que ficam nas laterais do tanque de combustível passaram por uma nova projeção. O modelo ainda conta com o motor boxer, que é capaz de enfrentar condições mais extremas dos lugares mais extremos da terra. Uma verdadeira máquina.

No início do texto mencionamos que neste modelo haverá uma oferta maior de cores, pois bem, são elas o chocolate, branco e preto metálico, cada uma mais bonita que a outra. Difícil vai ser se decidir entre uma ou outra.

Bem, até agora dá para saber que essa BMW em termos de design é um verdadeiro arraso não é? Mas o que muitas pessoas acabam se interessando bem é pelos itens de série, que realmente fazem a diferença na hora de fechar a compra. Dessa forma, podemos dizer que a F 850 GS vem equipada com itens diversos muito modernos e altamente tecnológicos. Além de oferecerem conforto e segurança. Veja abaixo alguns destes itens:

– Manetes e freios com ajuste de embreagem;

– Acelerador eletrônico;

– Pré-carga que pertence amortecedor traseiro com ajuste;

– Amortecimento – variável auxiliar;

– Dois níveis de assento;

– Freios ABS;

– Computador de bordo;

– Cavalete central;

– ASC – Controle automático de estabilidade;

– Embreagem antideslizante;

– Ajuste de posição no guidão;

– Eixo cardã;

– Imobilizador eletrônico;

– Branco-cristal no indicador de direção;

– Variados Modos de pilotagem;

– LED na Lanterna traseira;

– Ajuste de altura no Para-brisa;

– Protetor de cárter;

– Tomada de 12V;

– Rodas de liga leve;

– Suspensões telelever e paralever;

– Suporte de top case;

– Entre outros.

Em termos de ficha técnica temos uma motor boxer bicilíndrico composto de quatro tempos equipado com refrigeração líquida e também ar. São 1.170 cilindradas, com potência máxima de 6.500 rpm de capacidade de torque. O motor conta com injeção eletrônica para combustível. Em relação ao consumo temos 11,2 km por litro de combustível seja na estrada ou na cidade.

Como se pode observar a BMW F 850 GS 2019 é uma moto completa que atende a todo tipo de motoqueiro. Excelente para a cidade e para a estrada, mesmo em terrenos sinuosos, oferecendo muito conforto, luxo e principalmente segurança.

Seu lançamento oficial no Brasil está marcado para o mês de abril, ate lá os interessados deverão se contentar com estas informações.

Em relação ao preço de venda, a estimativa ainda não confirmada pela montadora é que seja a partir de R$ 63.900,00. Para alguns este valor pode ser um pouco alto, mas com tantas qualidades é um preço nada mais que justo.

Por Sirlene Montes

BMW F 850 GS 2019


Modelo ganha novo design e está mais confortável.

A Yamaha MT-07 2019 chega agora às lojas com um design renovado, novo acerto nas suspensões e um banco que promete mais conforto. Vamos ver tudo que mudou na Naked média!

Visual

A principal mudança visual está no farol maior, que lembra o do MT-09, as setas dianteiras agora estão instaladas na lateral do radiador. A traseira foi redesenhada e ganhou uma nova lanterna.

Parte Ciclística

Na parte ciclística o garfo dianteiro ficou mais rígido e esportivo. Enquanto o amortecedor traseiro ganhou um ajuste no retorno. No geral o novo conjunto oferece um amortecimento mais progressivo e dá mais confiança para deitar nas curvas.

Não é a melhor para estradas

O banco mais amplo é mais confortável! Mas, mesmo assim, em uma viagem de 300 km cansa um pouco. Como toda naked, ela não tem proteção aerodinâmica e a 07 em particular não tem nem lugar para amarrar bagagem!

Boa para a cidade

Por outro lado, a MT 07 é uma boa opção para quem usa moto no dia a dia. Leve e estreita, ela se sente em casa na cidade. O motor tem um bom torque em uma ampla faixa de giros. Dá para rodar em quarta marcha a 50 km/h tranquilamente. Os 75 cavalos (56 quilowatts) de potência máxima são suficientes para você se divertir na cidade [ou até na estrada].

Freios e preço

Com freios ABS de série, a Yamaha MT-07 2019 tem preço sugerido de R$ 33.790.

As mil, quatrocentas e seis unidades emplacadas no ano de 2017 tornaram a Yamaha MT-07 a naked de alta cilindrada (mais de 500) mais vendida no quinto maior país do mundo, superando a concorrência (Honda CB 650F e a XJ6 da Yamaha).

O face-lift que a Yamaha MT-07 passou para o modelo 2019, juntamente com a adição de um assento mais confortável, tinham como objetivo a volta da Yamaha para a liderança do seguimento. Além dessas inovações, a moto ganha novas suspensões. Você encontra todo esse conforto nas concessionárias Yamaha desde outubro de 2018.

Design

A nova MT-07 está com a aparência mais volumosa. Além do já citado farol maior, há também o tanque, que está com carenagens laterais onde há maiores entradas de ar.

Mudança importante

Outra mudança muito importante para aumentar o conforto de quem pilota a MT-07 é o acerto das suspensões. Estamos com novas molas no lado de dentro do garfo, além de novo óleo!

Na parte de trás, houve um ajuste de retorno no monoamortecedor. E a mola ganhou uma nova regulagem.

Detalhes do Motor e Potência

Apesar de não ter mudado, ainda vale destacar os detalhes do coração da moto: o motor.

O motor é bicilíndrico com volume de 689 centímetros cúbicos e o resfriamento é feito com líquido. O desempenho continua tão bom quanto antes. A Yamaha conseguiu garantir um bom torque desde a baixa rotação até as altas devido à configuração que colocou no virabrequim, com intervalos de ignição de 270 graus. O torque máximo é alcançado nas 6.500 rotações por minuto, com 6,9 kgfm.

O torque dá condições para rodar com conforto e baixo consumo de combustível numa cidade como São Paulo. De acordo com testes, a moto faz algo próximo de 23,7 km/L na cidade.

Nós já havíamos citado os 74 cavalos de potência. Só não mencionamos que a moto entrega essa potência nas 9.000 rotações por minuto. Isso permite com que você consiga rodar a altas velocidades sem dar aquela “esticada”.

A autonomia do tanque de combustível de 14 L da MT-07 é de aproximadamente 300 km.

Vale à pena a compra dessa moto para quem quer uma moto confortável para o dia a dia!

Por Bruno Rafael da Silva


Modelo chega para ser o mais barato disponível, concorrendo com o Yamaha Neo 125.

Na quarta-feira da semana passada (5 de dezembro de 2018) a Honda revelou o preço de seu novo scooter. Vai custar R$ 8.250, tendo somente uma versão e contando com freios CBS de série.

Este é considerado o principal lançamento da Honda em 2018. O scooter chega às lojas da montadora japonesa em dezembro. A Honda tem o objetivo de posicioná-lo abaixo do modelo “PCX 150”, que é atualmente o scooter mais vendido do Brasil.

A montadora havia anunciado, no dia 19 de outubro, nove modelos de motos para 2019 no país. Dentre esses modelos havia lançamentos, renovações de modelos já existentes e séries especiais. Entre os destaques desse anúncio de outubro lá estava o pequeno Scooter Elite 125.

Motor

O pequeno Honda Elite 125 tem motor de 1 cilindro e 124,9 cilindradas. O motor conta com 9,34 cavalos de potência (7 quilowatts) e torque de 1,05 kgfm. O câmbio automático já vem com a tecnologia CVT.

Outras Características

O tanque de combustível tem a capacidade de 6,4 litros. Luzes com a tecnologia LED são disponibilizadas como itens de série, assim como os freios do tipo CBS.

A altura do assento é de 77,2 cm e você se deslocará pela cidade olhando para um painel digital em uma scooter vermelha, azul, branca ou preta. Se você decidir passar no supermercado e comprar algo, terá um espaço para bagagens abaixo do assento.

Vendas em Alta

O setor de motos no geral vem tendo uma lenta recuperação nas vendas depois de uma grave queda, tendo uma pequena recuperação apenas esse ano. Apesar desses números moderados, as scooters vêm subindo de popularidade há um bom tempo. Um bom exemplo disso é a contínua alta nas vendas no setor. Veja informações completas no site oficial da Abracio clicando aqui.

Tendo ultrapassado as 48 mil unidades vendidas em 2017, o setor de scooters superou o número anterior de 2014, que havia sido o melhor ano para as vendas no setor. Em 2014 foram vendidas quase 42.500 unidades das pequenas motocicletas.

O avanço na quantidade de unidades vendidas foi enorme num período de apenas 7 anos! No ano de 2007, a quantidade de scooters vendidas no Brasil foi de 3.280, passando para 10.567 em 2008, 29.116 em 2009 e 42.491 unidades em 2014! As vendas de 2014 foram mais de 10 vezes maiores do que as vendas de 2007!

Porém, os anos de 2015 e 2016 apresentaram números menores do que 2014. E somente em 2017 foram superados os números de 2014, com mais de 48.800 unidades vendidas em todo o país durante o ano.

Motos de alta cilindrada também se mantiveram em alta por um tempo

As motocicletas acima de 450 cilindradas são consideradas de alta cilindrada no Brasil. Essas motos, juntamente com os scooters, não tiveram a queda de vendas que outros modelos tiveram nos últimos 6 anos. Porém, elas já começaram a ter uma forte queda nas vendas em 2015, deixando os pequenos scooters como o único nicho com altas nas vendas.

As motocicletas de alta cilindradas vinham de um período de altas em vendas desde 2004. No período de 10 anos, entre 2004 e 2014, as vendas subiram vertiginosamente. Foram 5.771 motos com mais de 450 cc vendidas em 2004 contra 53.737 vendidas em 2014. Porém, em 2015 houve uma queda nas vendas para 49.738 motos e uma nova queda para 36.036 motos vendidas em 2016. Até outubro de 2017 a venda de motos de alta cilindrada estava em 27.913 unidades, mostrando uma provável nova queda. parece que o pequeno Scooter resiste a qualquer crise.

Por Bruno Rafael da Silva


Confira aqui os prós e contras da nova Yamaha Lander 250 ABS 2019.

A Yamaha Lander 250 está entre as motocicletas de grande sucesso na história da marca no território brasileiro, batendo a marca de 103 mil unidades emplacadas. Fabricada no ano de 2006 de maneira específica para o Brasil, tendo uma proposta de transitar tanto no asfalto quanto na terra, o modelo apareceu como uma alternativa para brigar com a Tornado 250, modelo da Honda, e depois com o modelo XRE 300.

Com o peso da idade, a moto passou recentemente por uma das maiores alterações de toda sua vida, indo para a segunda geração, assim como ocorreu com sua moto urbana, Yamaha Fazer 250. A péssima notícia é o fato de que ao lançar a XTZ 250 Lander na linha 2019, o modelo Ténéré 250 acaba por sair de linha, a qual integrava a família on/off-road das 250 cc da fabricante.

Embora tenha escolhido manter somente um dos modelos, a marca japonesa não deixou de lado a Ténére 250 e diversas características desta acabaram sendo transferidas para este lançamento. Sendo um misto de Lander com Ténéré.

Ainda que não tenha definido o preço, a moto já irá desembarcar nas concessionárias do Brasil ainda no mês de janeiro de 2019, na segunda quinzena.

Elementos importantes na nova Lander 250 linha 2019:

  • De série com freio ABS, porém, somente em sua roda dianteira
  • Visual novo, tendo a XT 660R como inspiração
  • Aumento no volume do tanque em 11 litros, atingindo a marca de 13,6 litros
  • Luzes passaram a ter tecnologia LED
  • Elevação de seu peso total, aumentando em 10 kg, passando a ter 143 kg
  • O propulsor continuou sendo o mesmo, gerando uma potência de 20,9 cavalos
  • O painel também se manteve, porém, recebeu indicadores novos
  • Banco em dois níveis, agora é mais largo
  • Guidão, assento e escapamento foram alterados
  • As suspensões foram encurtadas um pouco
  • Suspensões e chassi foram modificados

Deixou de ter design de trilheira

Somente o modelo Lander 250 possuía uma utilização mista eu mantinha uma cara de trilheira, quando se tratava no mercado das 250/300. Assim que a Tornado saiu de cena, a Honda XRE 300 já foi lançada com um design mais de aventureiro e, por fim, a Lander acabou ficando mais moderna.

A Yamaha deu o recado de forma clara, de que a inspiração para este lançamento adveio da XT 660R, que é uma das motocicletas mais clássicas da marca, só que não está mais no mercado.

Fazendo uso de novas carenagens que envolvem seu tanque, farol redesenhado na dianteira e para-lama mais bicudo na frente, é de fato fácil identificar os elementos da antiga XT neste lançamento. A nova Lander 2019 está encorpada, até parecendo uma moto que possui um moto de cilindrada maior.

Entretanto a moto também teve uma dose de estilo da Yamaha Crosser 160 , ainda mais em seus grafismos coloridos. Mais sobriedade neste arranjo poderia deixar a Lander muito mais parecida com a XT 660R.

Na sua parte de trás, há também um visual totalmente novo e bem mais moderno, equipada com uma lanterna que remete a Fazer atual, que por sinal suas lâmpadas de posição agora são em tecnologia LED. Além disso, suas alças de garupa passaram a ser mais confortáveis e ter mais robustez.

As alterações ainda seguem com o assento novo que deverá ser muito querido pelos motociclistas que ficaram órfãos da Ténéré 250. Aquele banco reto da Lander antiga já era, com uma pegada off-road. Neste lançamento o banco vem mais anatômico e mais largo, com dois níveis, o que traz muito mais conforto para os ocupantes da motocicleta, que inclusive reclamavam muito do antigo banco, por ser seco e fino demais. O guidão é novo também e deixou os braços do piloto mais relaxados.

FILIPE R SILVA


Modelo dará lugar à nova Lander 250.

Com o lançamento da Yamaha Lander 250, a empresa japonesa vai aposentar a Ténéré 250. Ainda disponível no mercado brasileiro ao preço sugerido de R$ 16.490, o modelo fabricado há 8 anos dará seu adeus em breve.

Algumas características da Ténéré 250 foram levadas para a nova Yamaha Lander. Dentre elas podemos destacar o assento mais largo, um conjunto de acessórios formado por baú, bolha e o protetor de motor para quem quer deixar a motocicleta mais preparada para longas viagens.

Equipada com motor de 1 cilindro e 250 cilindradas, a Ténéré chega a 20,9 cavalos de potência quando abastecida com etanol e 20,7 cavalos quando abastecida a gasolina e 2,1 kgfm de torque. A Ténéré tinha inspiração em modelos com cilindradas maiores, como a Ténéré 660 e a Super Ténéré.

A Ténéré 250 é conhecida como o modelo on/off road da Yamaha.

Características do motor da Ténéré 250:

O motor da motocicleta que está prestes a se aposentar é de 4 tempos, refrigerado a ar e de 2 válvulas, tem 1 cilindro, 250 cilindradas e tem sistema de lubrificação de Cárter úmido.

Equipada com sistema de alimentação de injeção eletrônica a moto dispõe de câmbio de 5 velocidades e embreagem do tipo Multi-disco/úmida. Seu sistema de ignição é o TCI com sistema de partida elétrica complementada com sistema de abastecimento flex (gasolina e álcool) e bateria de 12 V e 6 Ah.

Dimensões

A Ténéré tem comprimento de 2,135 m, largura de 830 mm e altura de 1,375 m. A distância entre eixos é de 1,39 m e a altura do assento é de 865 mm. O peso líquido é de 154 kg, capacidade do óleo do motor de 1,55 L e capacidade do tanque de combustível de 16 L.

Outras Características

A moto vinha nas cores Matt Black, que é um preto fosco, verde Savage e marrom Atacama. O painel de instrumentos é composto por painel digital com velocímetro, hodômetro total e dois parciais, marcador de combustível, marcador do nível do combustível, relógio e conta-giros.

Para mais informações sobre as características da amada Ténéré, confira direto no site da yamaha clicando aqui.

Opinião de Motociclista

Segundo o motociclista Chico Sepulveda, divulgou em vídeo do seu canal no dia 1 de dezembro quando soube da notícia da aposentadoria da Ténéré, a motocicleta é “uma moto excelente. Uma moto que não dá dor de cabeça, motor excepcional, conjunto excepcional, uma motocicleta com um excelente custo-benefício, excelente pra uso urbano, pra viagem. Tem gente que já viajou aí a América Latina, o Brasil inteiro… uma moto ‘pau-pra-toda-obra’”

O Peso do Nome Ténéré

História, segurança e flexibilidade. Com novas cores na linha 2018, a TÉNÉRÉ 250 segue possibilitando grande custo-benefício para quem deseja uma motocicleta para o dia a dia e ainda para passeios. Vitoriosa do prêmio Moto de Ouro por dois anos subsequentes no tipo Trail, o nome TÉNÉRÉ carrega propriedades de linhagem, robusteza e ainda conta com a Revisão Preço Fixo da Yamaha. O cliente pode preencher um formulário de interesse para que a equipe de vendas entre em contato.

História da Yamaha

A Yamaha é uma companhia fundada há 131 anos (em 1887) no Japão. No início a empresa fabricava equipamentos musicais, focando na fabricação de pianos e órgãos. Foi somente depois da Segunda Guerra Mundial que a empresa começou a fabricar motocicletas. O braço da empresa para fabricação de motocicletas chama-se Yamaha Motor Company e foi fundada também no Japão há 63 anos (em 1955).

Há 20 anos (em 1998) a Yamaha comercializou uma motocicleta de estrada de quatro cilindros e 1.000 cilindradas chamada YZF 'R1', este modelo introduziu um novo estilo de design de caixa de velocidades que encurtou o comprimento total da caixa do motor / caixa de velocidades, para permitir uma unidade mais compacta. Isso, por sua vez, permitiu que o motor fosse colocado na estrutura mais para frente, projetado para melhorar o manuseio em uma estrutura de roda curta.

Há 23 anos (em1995), a Yamaha anunciou a criação da Star Motorcycles, uma nova marca para sua série de motocicletas do tipo “Cruiser” no mercado americano. Em outros mercados, as motocicletas Star ainda são vendidas com a marca Yamaha. Este foi um esforço para criar uma identificação de marca mais alinhada com a divisão de mercado do tipo “cruiser”, uma das maiores e mais lucrativas dos Estados Unidos.

Na Década de 2000 a Yamaha entrou em expansão e fortalecimento. Há 11 anos (em 2007), a Yamaha estabeleceu as operações nas Filipinas e distribuiu motocicletas Yamaha sob o nome corporativo da Yamaha Motor Philippines, Inc., uma das mais de 20 subsidiárias globais que estão em todos os continentes.

Por Bruno Rafael da Silva


Com novo visual, XRE 300 chega às lojas com Freio ABS de fábrica.

A motocicleta Honda XRE 300 linha 2019 desembarca nas concessionárias do Brasil ainda no mês novembro de 2018, trazendo consigo um design totalmente novo, menos peso e sistema de iluminação em tecnologia full LED. Os interessados na trail só poderão adquirir o modelo com versão de freios ABS nas colorações prata, azul, adventure e rally, pela cifra de R$ 18.690, as quais mudam somente por seus grafismos, agora mais sofisticados. O preço é aproximadamente R$ 200 acima do que era cobrado pela linha 2018, ao estar equipada com ABS, onde a mesma sai das lojas por R$ 17.990.

A alteração visual agora teve uma radicalidade maior, se comparado com todas as outras mudanças desde 2009, quando o modelo foi lançado. O desenho da linha 2019 sofreu a perda de seu protuberante “bico”, presente na geração anterior e passou a lembrar muito a XRE 190, que possui dois paralamas sendo um deles superior menor e um junto à roda. As carenagens traseiras e laterais são totalmente novas. Ainda que sua aparência tenha sido alterada, o tanque da trail continuou com sua capacidade de 13,8 litros.

Na sua parte traseira, a nova XRE 300 ainda recebeu maiores alças laterais, as quais prometem mais segurança e conforto para quem vai na garupa. Seu conjunto de iluminação com tecnologia full LED é mais uma das novidades interessantes presente na motocicleta: piscas, o grupo ótico dianteiro e a lanterna traseira, adotam uma tecnologia de iluminação, permitindo poupar consumo de energia e peso, além de prometer uma durabilidade maior.

Na parte prática e estética ainda, o destaque fica por conta dos espelhos retrovisores novos e seu painel "black-out", o qual possui agora informações sobre o consumo instantâneo e médio.

Menor peso e freios ABS

Uma novidade interessante é o sistema de freios. A montadora japonesa deixou de lado o C-ABS, que por sua vez possuía frenagem combinada em ambas as rodas, e passou a adotar somente o sistema anti-travamento, conhecido como ABS, em dois canais independentes. Embora o sistema tenha mudado, os discos continuam os mesmos, tendo um diâmetro de 256 mm, na roda frontal com 21 polegadas; já na roda traseira, que possui 18 polegadas, o diâmetro é de 220 mm. Mantiveram as mesmas medidas nos pneus também sendo, na dianteira um 90/90/21; e na traseira um 120/80/18.

A alteração em seu sistema de freios acabou por culminar na redução de peso do modelo, passando a diminuir 5,4 kg seco, ainda que a montadora não tenha garantido esta informação. A geração anterior pesava, a seco, 153 kg, já a linha 2019 aponta, na balança, a marca de 148 kg.

Uma diminuição muito bem-vinda, visto que a performance do propulsor DOHC de um cilindro, e com tamanho de 291,6 cm³, não alterou. O motor é alimentado através de injeção eletrônica e possui combinação bicombustível, e ainda produz a mesma potência de 25,4 cavalos em 7.500 giros, ao utilizar gasolina, enquanto com etanol a potência sobe para 25,6 cavalos na mesma rotação.

A Honda XRE 300 com ABS em linha 2019 contará com quatro cores, que são inéditas para o modelo: Verde Fosco, chamada de Adventure; Vermelho, conhecida como Rally; Prata Metálico e Azul Escuro Perolizado. As primeiras unidades já estão chegando nas 1.100 lojas que irão comercializar a Honda, tendo um preço sugerido de R$ 18.690,00, para as cores Adventure e Rally, enquanto que para as cores Prata e Azul o valor será de R$ 18.200,00, sendo baseado pelo estado de São Paulo, ainda não incluindo os gastos com seguro e frete.

A moto possui três anos de garantia, sem limitação de quilometragem e 7 trocas de óleo grátis.

FILIPE R SILVA


Modelo ganha novo design e preços partem de R$ 18 mil.

A nova linha apresentada em outubro deste ano chega somente as lojas no início de 2019, portanto, os apaixonados de motocicleta terão que esperar mais um pouco.

Os valores variam de acordo com a marca, ou seja, vai da preferência de cada consumidor, entre eles estão: Adventure, que sai a partir de R$18.200,00 e Rally, que custa a partir de R$18.690,00.

Vale recordar que a nova Honda XRE 300 ABS chega à disposição com quatro cores: Vermelho, Verde Fosco, Azul Escuro Perolizado e Prata Metálico.

Características da nova linha

Diante a longa espera desta XRE, o motociclista poderá ter algumas novidades que possibilitam uma experiência ainda maior quando for passear ou até mesmo viajar no período noturno, com faróis, lanterna e pisca-alerta serem de LED.

O tanque por si só possibilita uma grande quilometragem para ser rodado, suportando até 13,8 litros.

Sua durabilidade em questões muito complexas na hora da revisão, é demonstrada através de pequenos detalhes como consumo de energia para diminuir riscos que podem ocorrer ao longo do dia-a-dia.

Outro ponto a ser observado são as alças laterais que prometem maior segurança na hora de levar aquele amigo, namorada ou conhecido em sua garupa, garantindo segurança e conforto para ambos.

O fundo preto demonstra certo estilo para agradar os consumidores exigentes, em questão das cores dando um caráter mais arrojado a quem for pilotar está moto, além de dados instantâneos que facilitam o dia-a-dia do condutor.

Freios

Os freios combinados que sua antiga linha tinha, nesta Honda XRE 300 deixou de existir, por isso, precisou equilibrar um pouco com a continuação do sistema ABS.

Outro detalhe a observar são os freios a disco, na sua dianteira possui 256 milímetros de diâmetro e 21 polegadas e em sua traseira possui 18 polegadas e incríveis 220 milímetros.

Moto competitiva

Para profissionais deste ramo, está moto pode ser um bom condutor seja na sua experiência quanto no desempenho.

O estilo selvagem confronta com a tração 4 por 4, sendo ótima para seu desempenho avalassador nas estradas, cidades e campo principalmente.

A boa notícia fica por conta dela ser bicombustível, podendo ser ajustada tanto com gasolina quanto etanol, sendo alimentada por injeção eletrônica com cerca de 25,4 cavalos de potência.

Neste novo modelo foi apresentado uma certa ‘magreza’, saindo dos antigos 154 kg para os atuais 149 kg, sendo um fator que vale a pena ser observado.

Preço significa qualidade?

Uma das questões que põem a dúvida do comprador. Será que preço define a qualidade do produto? Se for analisar, nas pequenas coisas que aparecem em nossas vidas, quanto mais caro melhor é o produto, mas e o que está por trás de toda transformação (na composição da moto), não será que o status não esteja maior do que deveria? E assim sucessivamente…

No caso da moto, aí vai de cada pessoa, independente da experiência que possui nas pistas, estradas se for viável não será um problema a ser resolvido, mas se pesar no bolso…. Aí é melhor pensar duas vezes antes de adquirir uma XRE 300 ABS.

O valor muitas vezes pode nem compensar, por isso, analise os prós e contras para que não se arrependa depois.

Compramos pela eficiência e status de uma determinada marca e muitas vezes deixamos de observar uma outra que não tem o mesmo marketing que a oferecida lhe dá a todos nós. Não confunda preço com qualidade.

A qualidade de uma moto às vezes pode ser superior à de outra mais famosa e mais cara, mas por questões sociais e por modismo vão na onda e acabam comprando. O que mais acontece são dois pesos e apenas uma medida, o que define o sucesso atualmente é o status adquirido e não da qualidade que a máquina possui,transformando quase sempre uma competição desigual.

Thalles Cakan


Modelo chega com mais tecnologia, mas com menos potência.

Os fãs de moto sabem como é importante observar todos os detalhes que acercam um bom desempenho da máquina que está ao seu dispor.

Diante disso, é necessário compreender fatores de risco que podem aparecer quando comprar tamanha potência em seu trabalho. Um dos pontos são os 80 cavalos que compõem a sua estrutura.

A nova BMW F 850 GS chega com desempenho semelhante à de outra moto, a F 750 GS.

Mudanças

A potência de sua irmã, F 750 GS, foi diminuída a essa nova versão e com isso admiradores e pessoas que adoram pilotar uma moto ficaram um tanto decepcionados com esta notícia.

Vale citar que essa mudança se passa justamente por estar regulamentada as novas diretrizes que compõem as leis brasileiras, o que possibilitou essa mudança drástica em sua linha.

Consta que a original alemã venha com 95 cavalos, 20 cavalos a menos do que a nova versão que será lançada em 2019, tirando a emissão de ruídos e tornando economicamente sustentável, preservando a ideia do modelo autossustentável, promovendo a diminuição do gás carbônico e do aumento da temperatura da Terra.

Os motoqueiros poderão ficar animados com a nova linha, já que teve um aumento considerado significativo, alterando dos 798 cilindros cúbicos para 853 cilindros cúbicos.

Outro detalhe que vale a pena citar são os eixos balanceiros que garantem que o piloto se sinta mais a vontade de pilotar e sinta pequenas vibrações durante seu uso.

Essa nova versão pode ser adquirida por R$50.950. Diante disso, na F 750 GS a modernidade se aplica com uma leitura eficiente do painel, além do sistema de partida através do keyless.

Tanque cheio e suas vantagens

Tanta modernidade só pode ser traduzida com uma das novidades que podem caber dos usuários assíduos das redes sociais, que aproveitam para tirarem fotos pelas estradas e paisagens por onde passam, contando com a conexão Bluetooth.

Outra vantagem a ser observada é através da pressão dos pneus e principalmente a hora do repouso.

O tanque pode ser abastecido com até 15 litros, dando liberdade e garantia de rodar no mínimo 300 quilômetros e seu consumo médio por litro é que pode rodar por 20 km.

Vale recordar que para atingir esta marca é preciso controlar o seu acelerador e o câmbio que conta com seis marchas.

A BMW conta ainda com sua roda de cerca de 21 polegadas. Sua fixação externa permite que não precise usar a câmara. A partir disso, é possível diminuir sua resistência sem câmara mantendo o seu equilíbrio perante aos raios da motocicleta, relembrando a aerodinâmica do voo dos pássaros como num todo.

Seus freios presentes neste novo modelo são maiores, com dois discos de 305 milímetros de diâmetro. Na traseira conta com 17 polegadas e 265 milímetros, tornando mais complexo e interessante para os consumidores mais exigentesm que normalmente gostam de observar pequenos detalhes.

Vale a pena comprar?

Mais uma vez vai depender da exigência de cada motociclista, por isso, avalie o seu bolso primeiro antes de tomar uma decisão.

Apesar das facilidades e das vantagens dessa nova versão em relação as anteriores, é possível observar que quem gosta de campo ou da cidade, a BMW F850 GS é perfeita. A sua automação lhe permite dirigir sem maiores problemas, independente da dificuldade que a pista for lhe dar.

Vale a pena verificar a possibilidade do controle de automação dos freios ABS, além dos quatro modos que o condutor pode ter a sua disposição.

Um dos pontos negativos que foram observados em sua análise foi de que neste novo modelo ele é mais pesado e menos rápido. A antiga versão contabilizava 214 kg, essa nova versão possui 229 kg.

A questão da escolha deve partir de cada um, afinal, dirigir um monstro como é a BMW F850 GS versão 2019 é para poucos.

Thalles Cakan


Conheça todas as informações da Nova BMW F 850 GS 2019.

A nova BMW F 850 GS 2019 é uma moto que traz muita modernidade para seus usuários. Essa moto é indicada para quem gosta muito de aventura em cima de duas rodas, pois ela roda muito bem tanto na cidade como na estrada. Esse modelo tem muitos itens eletrônicos, que são bem atrativos para quem está em busca de uma máquina moderna e que ofereça uma viagem cheia de emoção e segurança também. Conheça agora as principias informações da Nova BMW F 850 GS 2019.

Moto sem muita potência

Uma das informações que pode não agradar a muitos usuários, é que esse modelo não tem tanta potência. A marca preferiu investir em tecnologia e deixar a potência mais baixa. O lado ruim dessa notícia, é que muitas pessoas que pilotam, buscam por motos que sejam potentes e possam ter uma aceleração alta. Mas isso não é motivo para não olhar com calma para todas as informações dessa moto, que vai chegar ao mercado conquistando até mesmo quem preza por potência. O motor desse lançamento tem 80 cv, que é considerado pouco por muitas pessoas que conhecem essa marca.

Falando sobre o motor da BMW F850 GS 2019

O motor dessa moto é muito moderno, apesar de não oferecer uma alta potência. A primeira informação sobre o motor é que ele está maior e mudou de 798 cc para 853 cc. Ele ainda tem 2 cilindros paralelos, e uma das novidades é que ele possui intervalo de ignição de 270º. O torque máximo é de 6.250 giros e 9,18 kgfm. Como podemos ver, essa moto tem um motor moderno e que consegue superar as expectativas dos usuários.

Moto com design esportivo

A Nova BMW F850 GS 2019 é uma moto com design esportivo, ideal para curte esportes e pilotar em estradas. Ela é considerada muito compacta e confortável. Outro detalhe da parte externa dessa moto são suas rodas dianteiras, que possuem 21 polegadas, elas possuem raios com fixação externas e dessa forma o usuário pode usar esses pneus sem câmara. O sistema encontrado nas rodas da BMW F850 GS 2019 é um dos mais modernos do momento e tende a agradar a muitos consumidores de moto. Já as rodas traseiras possuem 17 polegadas e são bem resistentes. Os discos de freio ficaram maiores e essa mudança ficou assim:

– Pinça flutuante de dois pistões;

– Dois discos com 305 mm de diâmetro

Nova BMW F850 GS 2019 tem novo quadro monocoque

O novo quadro monocoque vem para trazer estabilidade para o condutor dessa moto, já que ele pode ajustar de forma manual a compreensão da mola e sua velocidade de retorno. Assim é possível ter mais liberdade para conduzir a moto sem correr risco de acidentes. A suspensão dianteira invertida vem com 204 mm de curso, já a suspensão traseira, vem com monoamortecedor com 219 mm de curso.

Preço de mercado

Essa nova moto traz um valor inicial de mercado de R$50.950. Esse valor de mercado é completamente justificável, pois essa moto tem muitos itens modernos, assim como suas funções.

Câmbio com 6 opções de marchas

Outra informação interessante sobre essa moto, é que ela tem 6 opções de marchas. Dessa forma o usuário tem mais liberdade de velocidade e assim fica mais fácil assumir a direção dessa máquina.

Moto com controle de tração

Um dos detalhes de segurança dessa moto, é seu controle de tração que é bem alto. Esse detalhe é muito importante para quem se preocupa com a parte de segurança da moto. Essa moto tem 4 tipos de pilotagem, que serve para deixar o condutor mais seguro para dirigir em diferentes estradas e tipos de situações.

Conclusão final sobre a Nova BMW F850 GS 2019

A Nova BMW F850 GS 2019 é uma moto completa. Que tem um bom motor e muitos detalhes modernos. Ela é indicada para quem gosta de dirigir em diferentes lugares e tipos de estradas.

Escrito por Cristiane Amaral


Conheça aqui as principais novidades da Ducati Multistrada 1260 2019.

No último dia 31, quarta-feira, no período da noite, na cidade de São Paulo, a fabricante Ducati exibiu de forma oficial a versão da nova motocicleta Multistrada, desenvolvida no modelo big trail. Se trata do modelo Multistrada 1260, a qual será comercializada em duas diferentes versões, sendo a versão standard, também conhecida como a 1260, e a outra, que é a top de linha, chamada de 1260 S.

A configuração de entrada que possui painel digital parecido com o que equipa a Supersport S, possuindo diferentes modos para conduzir, como por exemplo cruise control, potência que conta com acelerador eletrônico, modo anti-wheelie, o qual possui um sistema que evita empinadas nos momentos de acelerações, controle para reter o motor em momentos que estiver em ladeiras, que no momento que se encontrar ativo realiza o acionamento do freio traseiro de forma automática para auxiliar o condutor a sair em locais de aclive e controle de tração em oito diferentes níveis.

O sistema de frenagem é da marca Brembo e seu ABS é da Bosch, o qual tem boa atuação em curvas, devido à Unidade de Medição Inercial que também é da Bosch, tecnologia essa conhecida como IMU, a qual analisa diversos dados da motocicleta em tempo real realizando a interpretação destes e retornando a mais adequada resposta. A suspensão conta com um conjunto de garfo invertido em sua parte dianteira, já na balança é um alumínio em sua parte traseira. Ao se tratar de ergonomia, o assento que é ajustável possui altura mínima de 825 milímetros e altura máxima de 845 milímetros.

Com relação a motorização, é um Testastretta DVT com 1.262 centímetros cúbicos, o qual consegue desenvolver uma potência de 158 cavalos quando atinge 9.750 rotações por minutos, além de um torque que alcança 13,2 kgfm em 7.500 rpm. Segundo a própria montadora, este novo motor conta com uma curva ainda mais linear, além de conseguir oferecer 85 por cento do torque, o qual já se disponibiliza ao atingir no mínimo 3.500 rpm. Se comparar com o motor Multistrada 1200, a elevação de sua curva é de 5.500 rpm, o que corresponde a 18%, de acordo com a montadora Ducati.

Todos esses itens são comuns para ambas as versões. A configuração 1260 S, ainda conta com mais itens em sua lista de equipamentos de série e diversa outras novidades. Na parte eletrônica, o destaque fica por conta do quickshifter bidirecional, o qual já é opcional em sua versão de entrada, além de um sistema de suspensão considerado semi-ativo, sendo, em sua dianteira, um Sachs e também em sua traseira, controlado pelo sistema DSS, o Ducati Skyhook Suspension Evolution, o qual dá a permissão permite para realizar o ajuste através dos modos e age de forma constante para oferecer equilíbrio adequado à motocicleta em cada uma das situações de pilotagem, segundo a própria montadora.

Sem contar, a configuração top de linha ainda conta com faróis totalmente em tecnologia LED, equipado com o DCL, sistema da montadora, conhecido como Ducati Cornering Lights, o qual direciona a luminosidade ao realizar curvas. Para finalizar, o painel com tecnologia TFT e com display de 5 polegadas colorido apresenta os dados referente a motocicleta. Ainda consegue gerenciar diversas funções de smartphone através do DMS, o Ducati Multimedia System e também do Bluetooth, controlando notificações e dando permissão de controle das músicas por meio dos botões que se localizam próximos da manopla do lado esquerda.

Independentemente da versão, seja ela a de entrada ou então a top de linha, irão ser vendidas na coloração vermelha. A configuração de entrada da 1260 possui um preço inicial de R$ 74.900, já a versão 1260 S é comercializada pelo valor de R$ 84.900.

FILIPE R SILVA


Modelo chega em novas cores e custa quase R$ 8 mil.

Já iniciaram as vendas da nova Honda Biz, a linha 2019, a qual é disponibilizada em duas versões: a 110i com valor de R$ 7.750 e a 125 custando R$ 9.590. As duas agora possuem novos grafismos e novas cores. Os tons lançados são o cinza metálico e prata, além também do vermelho perolizado e uma alteração no branco perolizado, que já era visto na versão anterior. Para o modelo que é mais barato, as cores oferecidas serão vermelho perolizado, a manutenção do branco e cinza metálico.

O modelo em questão da montadora japonesa é o mais comercializado de todos os tempos, superando a marca de 100 milhões de unidades emplacadas em 60 anos, levando em consideração o modelo Super Cub. A motocicleta ficou famosa pelo fato de possuir um escudo frontal protetivo, além de um motor forte com embreagem automática. Entretanto, o modelo de lançamento, linha 2019, ainda possui entre suas principais vantagens o ótimo espaço no compartimento sob bando, destinado a colocar o capacete.

Há pouco tempo, a Honda Cub também foi equipada com um espaço sob o banco para acomodar o capacete, cuja abertura é acionada por meio da chave de ignição. Uma exigência dos tempos atuais que também virou um aperfeiçoamento foi a tomada 12V, muito utilizadas para recarregar tablets e celulares. A mesma se situa abaixo do assento de forma que não interfere no uso do espaço. Ao se tratar de cargas, a Biz tem capacidade de transportar bolsas, sacolas e mochilas através de um aperfeiçoamento do modelo, onde foi instalado um gancho retrátil na parte posterior de seu escudo frontal.

Já ao falar da parte mecânica do modelo, a Biz 110i e a 125 fazem uso de propulsores de apenas um cilindro, o qual é arrefecido através do ar e são alimentados por meio injeção eletrônica PGM-FI. Além disso, elas estão equipadas com um prático câmbio com quatro marchas e dotada de uma embreagem automática. A versão com 125 cc conta com a da tecnologia FlexOne, a qual dá ao condutor o poder de escolha entre gasolina e etanol para funcionamento de seu motor.

Honda Biz 2019 e seus detalhes

Ainda adentrando aos principais pontos da Honda Biz linha 2019, pode-se citar o sistema CBS, que auxilia de forma fundamental na diminuição do espaço de frenagem do veículo. Em testes feitos, a Biz 125 cc, utilizando freio a disco na roda frontal e freio a tambor na parte traseira, deslocou 29,4 m até a ficar imóvel, em uma velocidade de 60km/h, um espaço inferior de 6,7 metros ao que foi percorrido pela mesma Biz 125, porém, sem o sistema de CBS. Por outro lado, a Biz 110i, dotada de freios a tambor nas duas rodas, se deslocou 30,6 m em um teste equivalente, o que representa uma diminuição de 5,6 m se comparado com a Biz 110i que não possui CBS.

No quesito segurança, o conjunto de chassi-suspensões dão conta, o qual é mais adequado para utilização em estrada degradada. Para auxiliar nesse momento é melhor utilizar rodas aro 17 na dianteira e 14 na traseira, fazendo uso de pneus Pirelli modelo MT 15.

Mais um ponto chamativo nesta motocicleta é o painel em LCD, o qual tem um fundo escurecido pela tecnologia chamada blackout, e permite a melhor visualização dos indicadores.

A Biz linha 2019 não poderia abrir mão da facilidade de pilotagem que advém, não somente da leveza, que seco não passa dos 100kg, mas principalmente pela progressiva aceleração, suavidade do câmbio e a redução da altura do assento, que possui só 753 mm e também sua partida elétrica.

FILIPE R SILVA


Modelo chega aos 326 cv e sai por mais de R$ 350 mil.

Foi anunciado pela marca produtora de motos de alta potência Kawasaki, a aceitação do começo de encomendas para a linha superesportiva da marca do ano de 2019, sendo elas Kawasaki Ninja H2, Kawasaki Ninja H2 Carbon e Kawasaki Ninja H2R, ambas tem características não urbanas, sendo conhecidas como "moto de pista", porém, mesmo assim, dois dos modelos poderão ser pilotados nas ruas, tirando claramente a H2R, que é feita para a pista, onde o ambiente é controlado e se tem uma segurança maior para alta velocidade. Mais uma vez globalizando as três, é importante que se saiba que sua produção mundial é limitada, ressaltando que a Carbon e a H2R têm como base a mais nova irmã, que é a H2.

Mesmo sabendo que chegarão apenas no ano de 2019, já poderão ser feitas as encomendas de ambos os modelos citados, e isto à partir do mês de outubro, por preços que estão à altura de suas características e desenvolvimento, seja na cidade, seja na pista, independentemente disto, terá um preço justo.

A pré-venda das motos podem ser feitas a partir do hotsite www.kawasakibrasil.com/lancamento. Porém fique atento que essas pré-vendas têm limitação de tempo e podem ser feitas apenas até o dia 30 de novembro, e vale ser ressaltado ainda que elas chegarão apenas a partir de maio do ano que vem, então para quem encomendar, espera-se que a ansiedade seja grande, até porque, imagine, é um superesportiva em sua garagem.

As cores da moto são um tanto quanto interessantes, isso porque seus nomes não são tão comuns de serem citados popularmente, observe, as motos H2, H2 Carbon e H2R têm as opções:

  • Mirror Coated Spark Black (preto);
  • Mirror Coated Matte Spark Black (preto);
  • Golden Blazed Green (Carbon) verde;
  • Mirror Coated Matte Spark Black, que é para a H2R;

Tendo ainda sim a maior potência da H2 e da H2 Carbon 2019, tomando início em suas antecessoras, ambas as motos têm como a mais atrativa e chamativa novidade uma pintura considerada especial prata espelhada, que não é tão comum de se ver, cor que atualmente está sendo chamada de “auto curativa”, ou também pode ser conhecida como auto regenerativa.

A tecnologia que é envolvida e apresentada nas motos parecem coisa de filmes futuristas, pois apresentam um grande grau de inteligência e uma maior segurança, mesmo se tratando de uma superesportiva, porém, a tinta pode realmente corrigir de forma própria alguns arranhões feitos pelo motorista ao conduzir, mas desde que a temperatura ambiente seja mantida alta o suficiente para que todo esse processo seja feito, assim, garantindo uma ótima condução e confortabilidade. Tendo em mente ainda a característica da moto H2R, isso porque além de trazer esta pintura cromada, ainda possui detalhes feitos em prata. Já agora pensando na segunda geração, esta veio com uma pintura diferente, lembrando como se fossem pedaços de vidro, coisa que deixa quem conduz ou olha sua condução, muito surpreso. E em relação a sua potência, podem todos aqueles que amam velocidade, ficarem felizes, pelo motivo da mesma ter sido aumentada em 15%, que mesmo parecendo um número pequeno, para uma moto é muito significativo.

As motos, como dito anteriormente, tem seu preço justo, pois levaremos em conta vários fatores, principalmente os que foram citados aqui, começando por ser uma moto extremamente preparada para a pista, e apesar de apta, não tão capaz de ser conduzida pela cidade, e mais um de seus investimentos foram em pinturas, por se tratarem de cores incomuns, espera-se um grande trabalho em cima das mesmas, e por fim, sua potência, que de maneira absurda aumentou e com certeza houve um grande trabalho para isto.


A linha CRF é a nova aposta da Honda para o segmento de motos para competições. Ela vem munida de inéditas especificações, sobretudo nas partes mais essenciais para os pilotos profissionais.

Entre as maiores companhias automotivas do planeta a Honda Motor Company, que consiste em uma das mais importantes fabricantes de automóveis e motocicletas do mundo, está com novidade para o mercado internacional.

A criação da linha CRF na Honda se destina, exclusivamente, à produção de veículos para competições. Deste modo, não há homologação, neste segmento, para trânsito nas ruas, ou seja, são motocicletas comercializadas, somente, para os campeonatos de corridas em pistas fechadas. A linha está sendo renovada com esse novo modelo da CRF de 2019, o qual está munido de inéditas especificações, sobretudo nas partes mais essenciais para os pilotos profissionais.

O modelo Honda CRF 2019 está sendo produzido em duas versões, a 250 e a 450. Cada uma delas possui mais duas versões. Os atributos essenciais, presentes em todas, são os seguintes: a função HRC em Launch Control; possuem um sistema de controle para largada em três níveis selecionáveis, o 1º é o Muddy Beginner, ou Lama para iniciantes; o 2º é o Dry Basic, ou Seco Básico, ou o 3º, que é o Dry Expert e o sistema EMSB, um tipo de seletor dos modos de condução em três níveis distintos de desempenho na força do motor sobre o solo, compondo os níveis normal, suave ou o agressivo.

Todas as versões estão equipadas com uma suspensão dianteira de tipo Upside-Down Showa-SPG de 49mm; com uma suspensão traseira de tipo Pro-Link Showa; possuem a injeção eletrônica em PGM-FI; munidas de partida elétrica; aparelhadas com bateria de 12V em Li-ion; os discos de freio são de 260mm, na roda dianteira e de 240mm, na roda traseira, sendo as mesmas produzidas em alumínio DID pretas.

Sobre a mecânica as informações são as seguintes:

Na linha 250 o motor é do tipo Monocilíndrico em 249CC – sendo que a companhia Honda não permite divulgação de números sobre a potência e o torque – o qual dispõe da função de arrefecimento com água; munido de duplo comando e injeção eletrônica, além de um câmbio em cinco marchas. No caso da CRF 250RX, trata-se de uma versão derivada da chamada 250R pertencente à linha Motocross, junto do acerto diferenciado sobre a função de respostas do acelerador do veículo. O peso oficial é de 111 kg, bastante leve; possui soluções como a de um tanque de combustível com capacidade para 8,5 litros, de tipo plástico. A versão 250R está equipada com uma suspensão bem mais rígida; possui uma roda traseira de 19 polegadas e o seu tanque de combustível é menor, com capacidade para 6,3 litros e pesa 108 kg.

No caso das versões 450, as mesmas utilizam o mesmo tipo de motor Monocilíndrico, munido com tecnologias equivalentes e com um comando de válvulas único, embora possua desempenho de 449 CC. Sobre a versão CRF 450R, a mesma possui um novo chassi e porta uma suspensão traseira bem mais compatível com a nova potência de motor – a qual, novamente, não foi divulgada pela empresa Honda – e está um quilo mais leve, dentro do peso total oficial. Seu guidão tem capacidade de ajuste em até quatro posições e as suas ponteiras no escape estão mais longas. O seu tanque de combustível está sendo produzido em titânio, o que completa o conjunto integral no peso de 112 kg.

Em relação à CRF 450RX, a mesma está equipada com roda de 18 polegadas; de um tanque de combustível produzido em plástico, porém, menor em capacidade e de um cavalete na lateral. A versão X foi projetada para competições mais longas; aparelhada de um sistema de arrefecimento por meio de ventoinhas e de câmbio em seis marchas; munida de farol e de um painel de instrumentos com novo velocímetro; com hodômetro; o indicador de consumo e autonomia.

Por Paulo Henrique dos Santos

Honda CRF 2019

Honda CRF 2019


A primeira scotter da Honda lançada no Brasil foi a Lead 110 e ainda conta com diversos admiradores.

A Lead 110 já fez muito sucesso no Brasil e desde que foi lançada em 2009, conseguiu ótimas vendas, mas em 2014 a própria Honda lançou a PCS 150 e esta é que passou a ser a queridinha do mercado. A Lead 110 conta com injeção eletrônica, freio CB – Combined Braking System, um sistema que aciona o freio dianteiro quando o traseiro é utilizado, assim o veículo para mais rapidamente, com segurança. Outra vantagem é que sob o banco tem espaço para acomodar tranquilamente dois capacetes. O freio de estacionamento pode ser usando com a manete do freio traseiro e todas estas comodidades associadas a um design bonito, ajudaram o modelo a ser líder de vendas.

A primeira scooter da Honda a ser lançada no Brasil foi a Lead 110, em maio de 2009 e o preço também era um grande atrativo, com isso muitos consumidores resolveram adquirir uma. Nas cidades, o modelo oferecia muito conforto com seu câmbio automático do tipo CVT e com tantos diferenciais, além do preço mais em conta, o sucesso foi imediato. Antes dela tinha a Honda Biz, mas que era com câmbio semiautomático, o que já facilitava, pois não era preciso acionar a embreagem sempre que era preciso trocar de marcha.

Mas apesar de todas as vantagens oferecidas pela Honda Lead 110, ela acabou sendo deixada de lado depois de algum tempo, justamente por não ter sido adequada à realidade do Brasil, por exemplo, suas rodas pequenas eram sempre engolidas pelos buracos nas ruas e avenidas. A suspensão de curso curto também era outro problema. Então, em 2013, a Honda trouxe a PCX, vinda do mercado europeu e já contando com muitos elogios e críticas favoráveis. Esse modelo trazia recursos inéditos que não estavam presentes nas concorrentes.

O preço reduzido também foi fundamental para ajudar a Honda PCX cair no gosto do brasileiro e logo as vendas cresceram. O motor era mais potente, as rodas eram de 14 polegadas, o visual era bem mais imponente, com linhas modernas e os muitos recursos oferecidos, era realmente o modelo perfeito para o país. A Honda PCX oferecia freios combinados CBS, o moderno sistema ACG para unir o motor de arranque ao gerador de energia, sistema star-stop que desligava o moto quando a moto ficava parada em marcha mais lenta depois de alguns segundos.

Em 2013, a Lead 110 foi a scooter mais vendida, seguida de perto pela PCX. Mas no ano seguinte foi a PCX que ficou na primeira posição e em 2015 continuou na lioerança vendendo ainda mais que nos outros anos.

Só que em 2017 a Honda colocou no mercado a SH 150i, uma forte concorrente para a PCX, da mesma empresa. A SH 150i oferece ainda mais sofisticação e tecnologia de ponta, tem até chave presencial. Só que a PCX continuou vendendo bem e chegou a ter mais unidades comercializadas que nos anos anteriores. Enquanto a PCX teve 28.049 unidades vendidas, a SH 150i vendeu apenas 2.458.

Alguns ainda sentem saudade da Lead 110, mas a Honda PCX tem muito mais a oferecer e garante bom desempenho tanto em cidades pequenas como também nos grandes centros urbanos. Essa scooter tem a praticidade de uma moto simples, mas é bem mais confortável, inclusive para o garupa. Tem câmbio automático tipo CVT, deixando o dia a dia bem mais cômodo e ainda vem com tomada para carregar o celular, um diferencial importantíssimo.

A PCX tem linhas suaves, design moderno sem ser exagerado, a carenagem frontal se destaca positivamente, trazendo o farol avantajado com iluminação LED, além da excelente aerodinâmica.

Mas a Lead 110 ainda continua sendo muito procurada e nos sites de classificados é possível encontrar vários modelos, nas mais diversas cores e em ótimo estado de conservação. Quem é mais saudoso e gostaria de ter um modelo desse, é só fazer uma pesquisa, por exemplo, no Mercado Livre, onde o preço médio é de 6 mil reais. O importante é verificar bem antes de comprar, levando a moto em um mecânico de confiança para certificar-se que está realmente em boas condições.

Por Russel

Honda Lead 110


A nova Ducati SuperSport S traz visual agressivo e muita potência.

A Ducati SuperSport S é uma moto indicada para os usuários aventureiros e que gostam de muita velocidade. Ela foi projetada para atrais pessoas que gostam de fazer trilhas, viajar para a cidade e também pilotar na estrada. Como resumo geral essa versão foi projetada para atrair um grande número de adeptos de motos potentes e robusta. Além da beleza, essa moto traz motor muito potente, capaz de acelerar o coração dos mais corajosos. Veja abaixo as principais informações dessa moto.

Moto com motor potente

A primeira informação sobre essa moto é seu moto que é: Testastretta 11º com 4 válvulas por cilindro, bi-cilindros em L, refrigeração líquida e Desmodromic. Seu motor faz a potência máxima de 133 cv, seu torque máximo é 96,7 e seu rpm é 9.250. Essa moto é considerada muito potente e por isso é indicada para que já tem experiência em pilotar motos.

Moto com grandes proporções

Já não é novidades que a Ducati SuperSport S é uma moto grande e bem chamativa, porém, alguns usuários ainda não sabem seu real tamanho. Então vamos a essas informações:

– Altura do assento: 810 mm

– Distância entre-eixos: 1,478 mm

– Avanço: 91 mm

– Ângulo de lançamento: 28º

– Capacidade do tanque de combustível: 16 litros

– Peso: 210 KG

Valor de mercado da Ducati SuperSport S

O valor de mercado dessa moto pode espantar a alguns consumidores, pois ela pode custar R$63.900,00. Pode ser que esse valor esteja realmente acima do esperado, mas o que é indiscutível é que uma moto desse porte poderia custar até mais, e somente quem entende de moto vai entender isso. Para quem ainda está em dúvida se realmente vale a pena adquirir essa moto, a resposta é bem simples: Se o consumidor quiser ter uma moto completa, com designe agressivo, com motor bem potente, e com uma duração de muito tempo, a resposta é sim. Pois esse modelo oferece todos os requisitos citados.

Moto ideal para quem gosta de acelerar na pista

Uma das observações sobre essa moto, é que ela é indicada para pessoas que gostam de praticar esportes ou que gostam de adrenalina. Pois sua potência é muito alta e, por isso, o mais comum é que o usuário acelere muito essa máquina. O ideal é ter cautela, principalmente para quem nunca pilotou uma moto com essas características. E para todos que pilotarem a Ducati SuperSport S é bom ter muita cautela (até os mais experientes).

Moto com freios potentes

Os freios desse modelo são muito potentes, e potencializam a segurança dessa moto. Ele tem dois discos de 320 mm de diâmetro na parte da frente. Na parte traseira a moto tem dois discos simples de 245 mm de diâmetro com pinça de dois pistões. E todos são com sistema ABS. Essa é uma boa informação para quem deseja comprar essa moto.

Moto com detalhe que a torna mais resistente

A Ducati SuperSport S foi projetada com detalhes mais resistentes, para dar mais diferencial a esse modelo. E eles se encontram no quadro com desenho de treliça em tubos de aço e no para-brisa com regulagem de altura. Todos esses pequenos detalhes foram pensados pela marca, para dar aos seus consumidores mais uma razão de escolher essa moto na hora da compra.

Consumo médio

Não há uma informação precisa sobre esse modelo, porém, o esperado é que ela faça em média 16,7 km/l tanto na estrada e na cidade. O que é um ótimo resultado.

Conclusão final sobre a Ducati SuperSport S

Esse modelo é totalmente inovador e muito completo. Portanto, é indicado para pessoas que prezam por uma moto com funções mais avançada e com um pouco de experiência!

Por Cristiane Amaral

Ducati SuperSport S

Ducati SuperSport S

Ducati SuperSport S

Ducati SuperSport S


Conheça aqui mais detalhes sobre a nova Ducati Supersport 2019.

Todo lançamento de algum novo automóvel, seja sobre quatro ou duas rodas, torna-se uma grande sensação entre consumidores abastados e especialistas, amantes de carros e motos.

Assim, logo após ser apresentada como a principal atração no evento da Ducati no interior do Salão Duas Rodas, no ano de 2017, o modelo Supersport chegou finalmente e oficialmente ao Brasil, onde será comercializada pelo valor de 63.900 reais. Este preço já é válido na sua pré-venda, a qual iniciará no dia 30 de julho próximo, sendo que as primeiras unidades estão programadas para desembarcarem em território nacional no mês de agosto.

A companhia Ducati Motor Holding consiste em uma fábrica italiana especializada em motocicletas, estabelecida no município de Borgo Panigale, na Bologna, a qual iniciou suas atividades fabricando modelos e estruturas de rádios.

Esta alcunhada "esportiva urbana", motocicleta estilo esporte, produzida pela montadora italiana e intitulada de Supersport, está vasada em um visual bem mais radical, design mais imponente, porém, o seu uso se mantém versátil, tornando-se uma opção tanto para o trânsito na cidade, quanto para longas viagens, na estrada.

Entre os seus atributos e especificações, destacam-se o potente motor em 2 cilindros e mais 937 CC, desempenho que entrega um resultado de 113 cavalos de potência e a força de 96,7 Nm em torque.

No que tange ao pacote do sistema de freios, se trata de dispositivo ABS e o controle de tração em série, suplementados por 3 modos de condução: o Esportivo, o Turismo e o Urbano. Sua suspensão é de tipo “Öhlins”, dita totalmente ajustável, munida de um câmbio do tipo "Quick Shift", que proporciona uma troca de marchas sem necessidade de embreagem.

Entre os principais atributos da Supersport, podem ser listados os seguintes:

1 – Equipada com Motor Testastretta 11° com 937 cm3 e desempenho 113 CV, atingindo o grau de 9.000 rpm e os já citados 96,7 em Nm a 6.500 de RPM;

2 – Possui um visor formado de Plexiglas, instalado em altura ajustável para até 2 posições e mais 50 mm de deslocamento;

3 – Utiliza os Pneus Pirelli Diablo Rosso III, com 120/70ZR, aro 17 na roda dianteira e de 180/55ZR, aro 17 na rado traseiro;

4 – Está aparelhada de Garfos Marzocchi medindo em torno de 41 mm, e de natureza totalmente ajustável;

5 – Sobre o seu sistema de frenagem, ela está munida da seguinte maneira: dianteiro estilo Brembo com dois discos em 320 mm e mais as pinças tipo M4.32;

6 – possui os 3 Modos de Pilotagem, ou seja, o tipo Esportivo, o Turismo e o Urbano;

7 – Em seu pacote de Segurança oferecido pela Ducati, ela conta com o sistema ABS Bosch, suplementado do Controle de Tração da marca Ducati;

8 – Munida do Ducati Quick Shift, o DQS;

9 – No que tange aos faróis, ela está equipada com o farol de tipo milha diurno, ou DRL, da marca LED;

10 – Em termos de instrumentação, trata-se de uma aparelhagem inteiramente de tipo LCD;

11 – Todas elas agora estão munidas da entrada para USB e, neste caso, a super novidade está em que essa entrada é à prova de água, instalada por baixo do assento.

Para todos os consumidores que estão cheios de cascalho, dispostos a trocar sua moto velha ou adquirir sua primeira, interessados na Supersport, é importante informar que ela estará disponível, por enquanto, apenas na cor vermelha, embora, para fora do país já esteja sendo comercializada na opção branca, a qual esteve em exibição no Salão Duas Rodas em 2017.

Vale a pena conferir, quem gosta.


A nova geração da Kawasaki Z900RS chegará ao mercado brasileiro em breve.

Essa mais nova geração da Kawasaki Z900 estará chegando ao mercado automobilístico do Brasil muito em breve. Isso mesmo, o modelo icônico Z900 renasceu novamente.

As principais características da nova Kawasaki Z900RS 2019 são um Estilo totalmente agressivo “Z”; o seu Painel de instrumentos é multifuncional; sua Lanterna é em formato “Z”; o seu Motor é digno de uma moto superesportiva; a sua Embreagem é assistida e deslizante; o Som único de admissão a ar; o Leve quadro de treliça; uma ótima Suspensão; produz muita Confiança e principalmente uma grande segurança; Ergonomia; ABS é de série.

Espera-se que essa nova Kawasaki Z900 RS 2019 esteja já disponível nas suas mesmas cores em que temos o seu atual modelo que já está sendo comercializado em todo o mercado automobilístico do país.

Essas cores que estão disponíveis são: Pearl Mystic Gray; Candy Lime Green; Metallic Flat; Spark Black; Candy Persimmon Red; Candy Lime Green.

Para a nova Kawasaki Z900RS 2019, não foi divulgada nenhuma informação específica ou técnica. No entanto, espera-se que a sua ficha técnica permaneça similar ou até mesmo igual a do seu modelo atual.

Sendo assim, você pode conferir abaixo a ficha técnica do modelo da Kawasaki Z900RS no ano de 2018:

O seu Motor é Tipo 4 tempos, e 4 cilindros em linha, e sua refrigeração líquida; Cilindrada com 948 cc; o seu Diâmetro x curso é de 73.4 x 56,0 mm; a sua Taxa de compressão é de 11, 8:1; o seu Sistema de válvulas é o DOHC, com 16 válvulas; o seu Sistema de combustível é de Injeção eletrônica; a sua ignição é Digital; a sua Partida é Elétrica; a sua Lubrificação é forçada e de cárter úmido.

Ele possui o quadro tipo de Quadro de aço e de treliças; Curso da sua roda com um Dianteiro de 120 mm; o seu Curso da roda de Traseiro é de 140 mm; o seu Pneu Dianteiro é o 120/ 70ZR17M/C e 58W; o Pneu Traseiro é de 180/ 55ZR17M/C e 73W; o seu Caster rake é de 24,5°; e o Trail é de 103 mm; além de um Ângulo com esterçamento entre Esquerda e Direita entre 33° / 33°.

As suas Dimensões são de um Comprimento total de 2.065 mm; Largura total de 825 mm; Altura total de 1.065 mm; Entre eixos de 1.450 mm; Altura mínima de solo de 130 mm; Altura do seu assento de 795 mm; Peso em ordem da sua marcha é de 210 kg; e a sua Capacidade do tanque é de um total de 17,0 litros.

A sua Suspensão Dianteira é de Garfo invertido com 41 mm e um amortecimento de retorno com uma pré-carga na mola ajustável; a Traseira é Horizontal Back-link e um amortecimento de retorno com ajuste na pré-carga da mola.

Os seus Freios Dianteiros são do tipo disco duplo com 300 mm e formato margarida; Dianteiro em Pinça Dupla e oposta com seus quatro pistões; Traseiro Tipo Disco simples com 250 mm e formato margarida; Traseiro Pinça é Pistão simples.

Com o seu visual ainda muito mais moderno e também com certeza ainda mais potente, a nova Kawasaki Z900RS 2019 estará pronta para poder oferecer as suas melhores experiências montado em uma máquina de duas rodas.

Pensando sempre no melhor para todo o seu público-alvo, a montadora da Kawasaki que é a sua marca fabricante, vem fazendo um investimento pesado no seu novo modelo. Sendo assim, com certeza é normal que seu valor seja um pouco mais elevado ao que os clientes esperam.

Segundo algumas informações que já foram divulgadas, a nova Kawasaki Z900RS 2019 custará uma média de R$ 41.990,00.

Por Ricardo Ferreira Rodrigues

Kawasaki Z900RS 2019


Conheça aqui as principais novidades da Nova Dafra Next 2019.

Considerada como uma das motos superpotentes no mercado atual, o novo modelo da Dafra Next será ideal para as pessoas que procuram motos com uma alta pilotagem para rodovias e os centros urbanos que possuem suas vias rápidas. Essa nova Dafra Next virá ainda com muitas novidades bem interessantes nessa atualização, podendo ainda se tornar uma moto muito tecnológica, possuindo uma modernidade única e muita segurança, apesar de atingir altas velocidades. Você ainda poderá conferir muitas informações em relação a essa nova Dafra Next.

A nova Dafra Next poderá chegar com certeza ainda muito em breve no mercado brasileiro. Porém, muito antes de seu lançamento, ela é bastante cobiçada já entre todos os que admiram seus modelos anteriores e motos de alta potência desta linha e dessa categoria.

Este novo modelo da Dafra virá ainda mais potente e completo, sendo essencial para aqueles que buscam uma motocicleta de ótimo desempenho além de um lindo design muito mais moderno e ainda mais encantador.

Uma das melhores formas de poder conhecer essa nova Dafra Next, depois de poder dar uma volta pessoalmente é claro, é obtendo cada informação de suas características. Por isso, nós estamos aqui reunindo suas principais neste artigo e todas que são marcantes e importantes da Dafra Next. Confira alguns desses detalhes maravilhosos:

O sistema de sua Refrigeração é com água;

O Seu Motor é de 300cc e ontém uma injeção eletrônica de última geração;

A Sua Potência pode chegar até 25 cv;

Os seus Freios a disco na sua parte frontal e também em sua traseira;

O seu Painel é novo e totalmente moderno;

A moto é muito mais leve e além de ser muito ágil;

Sua Partida é também elétrica.

Essas são umas de suas principais e mais importantes características. E mais adiante, você irá ter algumas outras informações por isso não deixe de poder conferir até o fim.

As suas Dimensões são de um comprimento aproximadamente de 200,5cm, e sua altura e largura de uma média de 105 / 79cm, os entre-eixos de até 132, e o seu peso é aproximadamente 170kg, sua altura no assento é 79cm, e a sua capacidade de seu Tanque é até 14 litros, a capacidade de óleo em seu motor é 1,5 litros.

O motor da Dafra Next 250 é também monocilíndrico possuindo 4V SOHC além de possuir 300 cc, e a sua refrigeração é líquida, ele também é alimentado com injeção eletrônica, e a sua Ignição eletrônica, a sua partida elétrica, e o seu Diâmetro x curso de 71 x 63cm, com uma Taxa de compressão de até 10, 5:1, com uma Potência de cv a rpm com 25 a 7 500 e o seu Torque com mkgf a rpm 2,75 a 6 500.

Essa é a nova Dafra Next e poderá estar sendo disponibilizada para o comércio em todas as concessionárias do Brasil, provavelmente em suas três cores. A Branca, Preta e também Vermelha.

O Teste do seu consumo não foi realizado ainda.

No geral, essa nova Dafra Next irá se destacar e muito nesse quesito de economia. Porém, todos os testes de consumo que deveriam ser realizados não foram finalizados, e sendo assim eles ainda não puderam divulgar os seus resultados.

Porém ela virá ao mercado para incomodar os vendedores da Fazer e também da Twister, ela será um modelo que brigará de frente com o topo de vendas de motos potentes no Brasil.

Especula-se que a Dafra Next poderá estar custando média de R$13.790,00.

Com certeza essa será uma ótima opção para todos aqueles que estiverem procurando por velocidade e economia.

Fique atento em todas as novidades desse grande modelo, e não perca seu lançamento oficial para fazer um test drive e conferir pessoalmente essa nova máquina de duas rodas.

Ricardo Ferreira Rodrigues


Veja conferir mais detalhes sobre as motos BMW F 750 e F 850 GS.

A BMW traz para o mercado brasileiro no final deste ano, as novas F 750 e F 850 GS, duas motos potentes, com design moderno, onde o quesito segurança não foi ignorado, pelo contrário, está sempre auxiliando o piloto e contam ainda com muitas novidades. Entre elas há diferenças significativas, então é bom o consumidor conhecer bem cada modelo para ver qual melhor atende seu perfil.

A F 750 e a F 850 GS não são simplesmente uma nova geração, elas foram projetadas quase que do zero, tanto no design, motor, rodas e suspensões. A intenção da fábrica alemã foi deixar os dois modelos bem mais versáteis, atendendo bem o piloto que precisa da moto para o dia a dia e também aquele que gosta de viajar nos finais de semana.

Um dos principais diferenciais entre os dois modelos é que a F 850 GS foi escolhida para ser mais off-road, por isso ela conta com garfos invertidos, enquanto a 750 GS conta com garfo telescópico convencional. E somente a 850 GS conta com o sistema de ajuste eletrônico para as suspensões. Os dois modelos trazem acelerador eletrônico, freios anti-travamento e controle de estabilidade, o que garante muito mais segurança e conforto ao piloto principalmente nas longas viagens.

No caso da 750 GS pode ter um painel digital completamente renovado e que traz conectividade com o smartphone. A iluminação melhorou bastante, o farol é de LED e à noite faz toda diferença. A produção aqui no Brasil destas duas motos já foi confirmada pela BMW, porém, ainda não há uma data prevista de quando os trabalhos terão início e muito menos, quando as vendas começam, tudo indica que seja no final deste ano. A marca alemã também não revelou os detalhes para estas duas motos, mas tudo indica que a F 750 GS, que é a opção de entrada, terá uma configuração standard. No caso da F 850 GS, esta deverá ser bem mais equipada para conseguir competir com a Triumph Tiger 800 XCx.

Quem planeja em ter uma destas motos para viajar, não ficou satisfeito com a notícia de que o tanque perdeu 1 litro de sua capacidade, passando a suportar 15 litros de gasolina, mas a BMW garante que este modelo é mais econômico que seu antecessor e a falta de 1 litro de combustível é recompensada com a economia que o modelo proporciona.

Quanto aos preços, realmente é preciso estar disposto a desembolsar um alto valor, pois das novas motos da BMW tem muito a oferecer, mas isto tem seu preço. Apesar dos valores ainda não terem sido revelados, é possível tomar como base a F 700 GS que custa R$ 39.950 e a F 800 GSS custa R$ 45.900. Os dois novos modelos serão mais caras.

A F 850 GS vem criando grande expectativa e como é bem mais equipada, poderá contar com 3 modos de pilotagem e ainda trazer importantes itens para garantir maior segurança nas viagens, um deles é o DTC – Controle de Tração Dinâmico e o outro item é o ABS otimizado exclusivamente para as curvas, deixando a moto mais estável, mesmo quando se encontra em alta velocidade.

O consumidor terá duas ótimas motos para escolher, mas elas têm detalhes que precisam ser analisados com calma, para fazer a escolha certa, pois cada uma foi projetada para atender um perfil específico de consumidor, por exemplo, a 850 GS é mais alata, tem rodas raiadas, com a dianteira de 21 polegadas e a traseira de 17. A 750 GS é mais baixa, as rodas são de liga-leve, a da frente é de 19 polegadas e a traseira de 17. A BMW caprichou nestes modelos e quando chegarem ao mercado deverão ser uma das mais desejadas.

Por Russel


A Honda CBR 650F 2019 chama atenção pela sua beleza, segurança e modernidade.

A Honda CBR 650F 2019 é uma moto para quem gosta de aventuras e seu visual chama a atenção de quem é apaixonado por duas rodas. Esta é uma grande aposta da Honda, uma moto que tem um ronco que chama a atenção de todo mundo por onde passa. É esportiva, rápida, design super moderno, enfim, tem todos os requisitos para ser um dos maiores lançamentos do momento.

Quando a versão anterior foi lançada, especialistas já acreditavam que o modelo 2019 chegaria com pouquíssimas novidades e de fato, ela chega com ligeiras alterações. O design tem novas cores que colaboram com a moto, deixando ela ainda mais robusta. O guidão sofreu uma ligeira alteração e agora ficou um pouco mais baixo e avançado, com isso agregou um estilo mais esportivo, combinando com o escapamento que segue a mesma linha. Graças ao baixo centro de gravidade, o piloto tem maior conforto, seja na estrada ou na cidade.

Mas na Honda CBR 650F 2019 não é só a beleza que chama a atenção, a segurança é outro item que foi levado a sério, ela vem com freios ABS para as rodas não travarem quando for preciso fazer uma frenagem mais brusca, pois o piloto tem muito mais equilíbrio. O farol em LED não é só para deixar o visual mais esportivo, ele também garante melhor iluminação à noite.

A tecnologia também se faz presente na Honda CBR 650F 2019, começando pela suspensão dianteira que tem o sistema SDVB, que é mais leve e proporciona maior estabilidade para o piloto e também muito mais conforto. O painel digital conta com 2 displays, que facilitam a leitura e o torque concentrado deixou as retomadas bem mais precisas.

Quem optar por este modelo da Honda, ainda estará levando uma moto com motor que oferece muita potência, indo de 87 cv para 88,5 cv. Torque de 6,22 kgfm a 8.000 rpm, a caixa do filtro de ar ganhou dutos mais largos e o câmbio de 6 marchas tem relações mais curtas para a segunda, terceira e quarta marchas.

Se o tempo fechar e começar a chover, independente de ser um temporal ou um chuvisco, a moto se comporta muito bem, com o freio sempre auxiliando o piloto nas curvas e a moto garantindo maior estabilidade. Na cidade, quando o movimento é intenso e o piloto acaba sendo surpreendido e precisa fazer uma parada brusca, verá mais uma vez que tem uma moto que lhe oferece segurança nestas ocasiões.

Os amantes das duas rodas podem comparar a Honda CBR 650F 2019 com outras motos para ver o quando este modelo é vantajoso. O tanque de combustível é de 17,3 litros e as dimensões são: 2107 x 784 x 1077 mm, pesando 195 kg. Entre as novas opções de cores tem a vermelha e também laranja. O motor é quatro cilindros com duplo comando no cabeçote e tem borboletas individuais para cada cilindro.

A CBR 650F 2019 é indicada até mesmo para quem gosta de viajar nos finais de semana com os amigos, sair por aí em grupo, visitando cidades e tendo um contato maior com a natureza, pois esta é uma moto que oferece potência na estrada, é estável, segura nas curvas, econômica, confortável e o piloto não fica com aquela sensação de cansaço depois de rodar alguns quilômetros.

Destaque também para o consumo médio que é de 22 km/l. O preço é a partir de R$ 36.500 e todo este dinheiro é muito bem empregado, pois é uma moto top, moderna, bonita e que se sai muito bem em todas as ocasiões.

Vale a pena ir conferir a Honda CBR 650F 2019 e ver esta beleza de perto, conferir suas vantagens e constatar que é uma das melhores opções do momento.

Por Russel

Honda CBR 650F 2019


A F750 2019 tem beleza, muitas inovações e chega completamente reformulada ao mercado, agradando tanto aquele consumidor que olha primeiro o design, como também aqueles que vão direto na parte técnica.

A BMW F 750 2019 é uma moto feita para quem procura conforto no dia a dia e principalmente nas viagens, uma prática mais comum entre os brasileiros que se reúnem nos finais de semanas e pegam a estrada para curtirem novos lugares, conhecer cidades e outros estados. A F750 2019 tem beleza, muitas inovações e chega completamente reformulada ao mercado, agradando tanto aquele consumidor que olha primeiro o design, como também aqueles que vão direto na parte técnica.

O mercado de veículos já se mostrou bastante competitivo no mercado nacional, com várias montadoras já disponibilizando seus modelos e dando ao consumidor brasileiro muito mais opção de escolhas na hora da compra, enquanto que o de moto ficou quase que estagnado, com modelos tradicionais dominando as vendas, mas tudo indica que este cenário está mudando e o anúncio da BMW F750 2019 confirma esta tendência. Quando a empresa anunciou que a fábrica em Manaus começaria a produção da F 750 GS e da F 850 GS, foi uma grande euforia para os amantes das motos.

Estes dois modelos foram apresentados na Europa no final do ano passado e chamaram a atenção primeiramente pela beleza, o estilo arrojado, com um visual único e incomparável. Mas o destaque não parou por aí, pois logo nota-se o motor de 853 cc, com dois cilindros paralelos, o que garante maior torque em baixas rotações. O modelo 850 tem 95 cv de potência e a 750 tem 76 cv, apesar do motor ser o mesmo para ambas. Outro detalhe que não pode passar em branco são os dois eixos de equilíbrio que garantem uma redução da vibração que é proporcionada justamente por este modelo de propulsor. Os modelos contam ainda com embreagem assistida, o que deixa a manete muito mais leve. O câmbio é de 6 marchas e seja na cidade ou na estrada, a experiência de pilotar esta moto é apaixonante.

Ao preparar o lançamento da F750 2019, a empresa precisou providenciar a atualização de toda linha de produção, uma vez que os dois modelos contam com quadros novos, que garantem maior rigidez no berço do motor. Alguns ajustes foram feitos e tudo ficou pronto para começar a produzi-las. Mas as novidades não param por aí, pois a F750 2019 conta com suspensão exclusiva e a parte eletrônica é inédita, com isso os fornecedores locais precisaram trabalhar muito para se adaptarem rapidamente à produção das novas GS, mas isto foi feito sem problemas e não houve atraso no cronograma.

Para a 850, a suspensão recebeu bengalas investidas na parte da frente e a roda é aro 21. Para a 750, optou-se por garfo convencional com rodas aro 19, garantindo assim que ela tenha um estilo mais on-road, mas atrás os dois modelos contam com aro 17. Para muitos, estas são diferenças que acabam nem sendo notadas, mas para os amantes de duas rodas é importantíssimo ter esta diferenciação, já que o mercado nacional não vinha oferecendo tantas opções na hora de comprar motos, então, quanto mais detalhes diferenciando uma da outra, melhor será para que os clientes dos mais variados estilos sejam atendidos.

Mas quem quiser ter uma dessas, precisará ter paciência porque de acordo com a BMW Motorrad, somente entre agosto e dezembro é que chegarão às lojas e isso é se não houver nenhum atraso na produção e nenhum problema for encontrado na finalização.

Um detalhe que não agradou muito foi o escape, que fica mais distante do chassi. As primeiras fotos que começaram a circular pela internet logo receberam vários comentários sobre este detalhe, muita gente gostaria que tivesse ficado mais próximo. Entre os pontos positivos no design, destaque para o faro que deu um toque todo especial à moto.

Por Russel

BMW F 750 2019

BMW F 750 2019





CONTINUE NAVEGANDO: