Modelo chega ao mercado deixando boas impressões.

Dentro do segmento, o valor de 8.250 reais para a scooter é considerado o mais acessível desta marca, de modo que basta para se popularizar este tipo de veículo aqui no Brasil. O modelo Elite consiste em uma moto ágil que pode transitar na cidade. Sua limitação está nas rodinhas que sofrem na buraqueira.

Avançando para além dos modelos anteriores, a Honda lançou neste momento o Elite 125 no Brasil. Trata-se de um modelo que consiste na alternativa mais barata produzida pela empresa, neste segmento. Oficialmente ela custa 8.250 reais. A concorrência é direta com o Yamaha Neo 125, comercializado por 8.290 reais.

Alguns atributos do modelo Honda Elite 125:

O consumo é superior a 50 km/l; as rodas são de 12 polegadas na dianteira e de 10 polegadas na traseira; na parte dianteira está munida de garfo telescópico de 90 mm; na parte traseira ela é monoamortecida em 70 mm; o peso oficial é de 104 kg; seu sistema de Freios é CBS, ou seja, em disco na dianteira e em tambor na roda traseira; além de contar ainda com farol de luz Led.

Dado o retorno das scooters no mercado em 2018, estes veículos continuam ganhando bastante espaço, sendo que a meta da Elite está em popularizar ainda mais esse tipo de moto no território brasileiro.

De acordo com alguns especialistas, os testes sobre esta moto foram bastante satisfatórios, apesar de algumas limitações.

Ao longo de alguns trechos de asfalto irregular; sobre os paralepípedos e quando cruza os trilhos férreos em deslocamentos, o Honda Elite apresentou limitação em termos de rodas, que sofrem um pouco sobre as irregularidades e buracos nas pistas. Entretanto, está limitação, devido às rodas de menor porte, é tolerável, dada as suas suspensões curtas, de 90 mm na roda dianteira e de 70 mm na roda traseira.

Mesmo assim, embora compactos, os seus amortecedores estão munidos de um eficiente ajuste, ou seja, eles não são nem muito flexíveis e nem muito inflexíveis. Portanto, nessa qualidade específica o veredito geral é o de que o Honda Elite foi aperfeiçoado ao longo do tempo, em um processo evolutivo bastante eficiente, em relação ao tipo Lead, embora não seja possível esperar que seu desempenho seja melhor que o de uma Trail, sobre os pavimentos mais irregulares.

Entre outros atributos destacáveis deste modelo, seguem:

O modelo Honda Elite 125 está munido de bom motor. Trata-se de um projeto inteiramente novo, munido de 1 cilindro e apresenta desempenho de 124,9 CC, operando em conjunto com o câmbio tipo CVT automático. A sua potência máxima pode atingir a escala de 9,34 CV, com o torque final registrando a escala de 1,05 KGFM.

Ao longo dos testes, em certos momentos, ao pilotar o Elite 125, é possível ter a sensação de se estar em uma bicicleta, porém, esta impressão não é tão intensa, dada a falta dos pedais. Resumindo: o Elite consiste em um scooter de tipo plataforma, dentro do qual existe espaço para colocar os pés, com folga, sobre o assoalho.

Todo piloto pode se posicionar de modo bastante confortável, mesmo para uma pessoa que tenha mais de 1,80m de altura. A moto é, de certa forma, ajustável ao seu proprietário. O Honda Elite agrada em sua condução, tornando-se uma opção muito mais ágil para se rodar entre os centros urbanos.

É clássica, é pequena e ágil. É atraente e estilosa. Este tipo de moto tornou-se famosa até nos cinemas.

Paulo Henrique dos Santos


Modelo chega para ser o mais barato disponível, concorrendo com o Yamaha Neo 125.

Na quarta-feira da semana passada (5 de dezembro de 2018) a Honda revelou o preço de seu novo scooter. Vai custar R$ 8.250, tendo somente uma versão e contando com freios CBS de série.

Este é considerado o principal lançamento da Honda em 2018. O scooter chega às lojas da montadora japonesa em dezembro. A Honda tem o objetivo de posicioná-lo abaixo do modelo “PCX 150”, que é atualmente o scooter mais vendido do Brasil.

A montadora havia anunciado, no dia 19 de outubro, nove modelos de motos para 2019 no país. Dentre esses modelos havia lançamentos, renovações de modelos já existentes e séries especiais. Entre os destaques desse anúncio de outubro lá estava o pequeno Scooter Elite 125.

Motor

O pequeno Honda Elite 125 tem motor de 1 cilindro e 124,9 cilindradas. O motor conta com 9,34 cavalos de potência (7 quilowatts) e torque de 1,05 kgfm. O câmbio automático já vem com a tecnologia CVT.

Outras Características

O tanque de combustível tem a capacidade de 6,4 litros. Luzes com a tecnologia LED são disponibilizadas como itens de série, assim como os freios do tipo CBS.

A altura do assento é de 77,2 cm e você se deslocará pela cidade olhando para um painel digital em uma scooter vermelha, azul, branca ou preta. Se você decidir passar no supermercado e comprar algo, terá um espaço para bagagens abaixo do assento.

Vendas em Alta

O setor de motos no geral vem tendo uma lenta recuperação nas vendas depois de uma grave queda, tendo uma pequena recuperação apenas esse ano. Apesar desses números moderados, as scooters vêm subindo de popularidade há um bom tempo. Um bom exemplo disso é a contínua alta nas vendas no setor. Veja informações completas no site oficial da Abracio clicando aqui.

Tendo ultrapassado as 48 mil unidades vendidas em 2017, o setor de scooters superou o número anterior de 2014, que havia sido o melhor ano para as vendas no setor. Em 2014 foram vendidas quase 42.500 unidades das pequenas motocicletas.

O avanço na quantidade de unidades vendidas foi enorme num período de apenas 7 anos! No ano de 2007, a quantidade de scooters vendidas no Brasil foi de 3.280, passando para 10.567 em 2008, 29.116 em 2009 e 42.491 unidades em 2014! As vendas de 2014 foram mais de 10 vezes maiores do que as vendas de 2007!

Porém, os anos de 2015 e 2016 apresentaram números menores do que 2014. E somente em 2017 foram superados os números de 2014, com mais de 48.800 unidades vendidas em todo o país durante o ano.

Motos de alta cilindrada também se mantiveram em alta por um tempo

As motocicletas acima de 450 cilindradas são consideradas de alta cilindrada no Brasil. Essas motos, juntamente com os scooters, não tiveram a queda de vendas que outros modelos tiveram nos últimos 6 anos. Porém, elas já começaram a ter uma forte queda nas vendas em 2015, deixando os pequenos scooters como o único nicho com altas nas vendas.

As motocicletas de alta cilindradas vinham de um período de altas em vendas desde 2004. No período de 10 anos, entre 2004 e 2014, as vendas subiram vertiginosamente. Foram 5.771 motos com mais de 450 cc vendidas em 2004 contra 53.737 vendidas em 2014. Porém, em 2015 houve uma queda nas vendas para 49.738 motos e uma nova queda para 36.036 motos vendidas em 2016. Até outubro de 2017 a venda de motos de alta cilindrada estava em 27.913 unidades, mostrando uma provável nova queda. parece que o pequeno Scooter resiste a qualquer crise.

Por Bruno Rafael da Silva





CONTINUE NAVEGANDO: