A Pop 110i do ano de 2018 é uma motocicleta desenvolvida especialmente para pessoas que buscam por um meio de transporte econômico e também prático.

Se você está à procura de uma moto que ofereça qualidade por um preço mais acessível, conheça a Honda Pop 110i 2018. Com certeza ela possui características que juntamente com a qualidade Honda que todo mundo conhece vai conquistar muitos admiradores.

A Pop 110i do ano de 2018 é uma motocicleta desenvolvida especialmente para pessoas que buscam por um meio de transporte econômico e também prático. Ainda não foram divulgadas pela montadora muitas novidades sobre a motocicleta que traz inúmeras mudanças. Mas, as primeiras informações são de que essa primeira versão de Pop que teve seu lançamento no ano de 2006, vem desde o seu lançamento recebendo diversas melhorias para que seus usuários possam contar com uma motocicleta cada vez mais completa, moderna e com um desempenho bem melhor. Até mesmo o seu nome passou por modificações, tornando-se Honda Pop 110i.

Essa moto é uma excelente opção para o uso cotidiano, o que permite que seu usuário possa contar com bom desempenho aliado a uma boa economia, tudo por um preço bem acessível. O que é ideal para quem precisa de uma moto para trabalhar.
Em relação às mudanças na motocicleta a expectativa é de que o modelo apresente um design mais inovador, apresentando linhas novas na sua dianteira com uma leve remodelada na carenagem, deixando o veículo com um aspecto contemporâneo.

Também destaca-se na nova moto da Honda o seu painel que ganhou indicadores novos que foram redesenhados para que o modelo ficasse mais bonito. Veja abaixo os itens que o novo painel apresenta:

– Luzes indicadoras;

– Farol alto;

– Reserva de combustível;

– Piscas;

– Sistema de injeção tipo PMG-FI.

No mercado é possível encontrar a Pop 110i em 3 opções de cores, sendo elas preto, vermelho e branco. Existe uma expectativa sobre o lançamento de uma cor nova, porém nenhuma informação em relação a essa questão foi confirmada pela sua montadora.

Já em relação à ficha técnica as informações também são bem restritas. A Honda resolveu mesmo fazer sigilo sobre este lançamento. Diante disso, vamos apresentar aqui as informações do modelo atual, pois as mudanças não devem ser muitas nesse quesito.

Conheça abaixo algumas das suas características:

– Motorização OHC, tipo monocilíndrico, com 4 tempos e arrefecido a ar. São 109,1 cc de cilindradas. A transmissão é de 4 velocidades. A motocicleta alcança uma potência máxima de 7,9 cavalos de potência e 7.250 rpm. A capacidade de torque máxima é de 0,90kgf.m para 5.000 rpm. Equipada com uma bateria de 12V /4Ah. Com o sistema de partida por meio de pedal, a moto pode ser abastecida com gasolina com um tanque que aceita até 4,2 litros. Já de óleo a capacidade é de 1,0 litro. Seca a moto pesa 87 kg.

Em relação ao nível de consumo os testes ainda não foram realizados, contudo considerando o histórico que esse modelo possui é possível que o desempenho satisfatório e o consumo considerado baixo sejam mantidos, pois acima de tudo essas características que fazem desse modelo um dos grandes sucessos e aposta da marca.

Segundo as informações sobre os testes mais recentes realizados na Pop 110, os resultados foram os seguintes:

Abastecida com gasolina a moto oferece uma média de 41 km por litro, alcançando uma velocidade máxima de quase 100 km por hora. Com certeza a Pop 110i deve apresentar um resultado igual ou melhor a esse de sua antecessora.

Agora, em relação ao valor de venda já se espera que o modelo passe por um reajuste. Ainda não se pode afirmar quantos por cento será esse aumento, mas não deve ser muito, pois uma das características mais chamativas deste modelo é o seu preço que, em relação a outros modelos, é o mais acessível do mercado.

Por Sirlene Montes

Honda Pop 110i 2018


A linha CRF é a nova aposta da Honda para o segmento de motos para competições. Ela vem munida de inéditas especificações, sobretudo nas partes mais essenciais para os pilotos profissionais.

Entre as maiores companhias automotivas do planeta a Honda Motor Company, que consiste em uma das mais importantes fabricantes de automóveis e motocicletas do mundo, está com novidade para o mercado internacional.

A criação da linha CRF na Honda se destina, exclusivamente, à produção de veículos para competições. Deste modo, não há homologação, neste segmento, para trânsito nas ruas, ou seja, são motocicletas comercializadas, somente, para os campeonatos de corridas em pistas fechadas. A linha está sendo renovada com esse novo modelo da CRF de 2019, o qual está munido de inéditas especificações, sobretudo nas partes mais essenciais para os pilotos profissionais.

O modelo Honda CRF 2019 está sendo produzido em duas versões, a 250 e a 450. Cada uma delas possui mais duas versões. Os atributos essenciais, presentes em todas, são os seguintes: a função HRC em Launch Control; possuem um sistema de controle para largada em três níveis selecionáveis, o 1º é o Muddy Beginner, ou Lama para iniciantes; o 2º é o Dry Basic, ou Seco Básico, ou o 3º, que é o Dry Expert e o sistema EMSB, um tipo de seletor dos modos de condução em três níveis distintos de desempenho na força do motor sobre o solo, compondo os níveis normal, suave ou o agressivo.

Todas as versões estão equipadas com uma suspensão dianteira de tipo Upside-Down Showa-SPG de 49mm; com uma suspensão traseira de tipo Pro-Link Showa; possuem a injeção eletrônica em PGM-FI; munidas de partida elétrica; aparelhadas com bateria de 12V em Li-ion; os discos de freio são de 260mm, na roda dianteira e de 240mm, na roda traseira, sendo as mesmas produzidas em alumínio DID pretas.

Sobre a mecânica as informações são as seguintes:

Na linha 250 o motor é do tipo Monocilíndrico em 249CC – sendo que a companhia Honda não permite divulgação de números sobre a potência e o torque – o qual dispõe da função de arrefecimento com água; munido de duplo comando e injeção eletrônica, além de um câmbio em cinco marchas. No caso da CRF 250RX, trata-se de uma versão derivada da chamada 250R pertencente à linha Motocross, junto do acerto diferenciado sobre a função de respostas do acelerador do veículo. O peso oficial é de 111 kg, bastante leve; possui soluções como a de um tanque de combustível com capacidade para 8,5 litros, de tipo plástico. A versão 250R está equipada com uma suspensão bem mais rígida; possui uma roda traseira de 19 polegadas e o seu tanque de combustível é menor, com capacidade para 6,3 litros e pesa 108 kg.

No caso das versões 450, as mesmas utilizam o mesmo tipo de motor Monocilíndrico, munido com tecnologias equivalentes e com um comando de válvulas único, embora possua desempenho de 449 CC. Sobre a versão CRF 450R, a mesma possui um novo chassi e porta uma suspensão traseira bem mais compatível com a nova potência de motor – a qual, novamente, não foi divulgada pela empresa Honda – e está um quilo mais leve, dentro do peso total oficial. Seu guidão tem capacidade de ajuste em até quatro posições e as suas ponteiras no escape estão mais longas. O seu tanque de combustível está sendo produzido em titânio, o que completa o conjunto integral no peso de 112 kg.

Em relação à CRF 450RX, a mesma está equipada com roda de 18 polegadas; de um tanque de combustível produzido em plástico, porém, menor em capacidade e de um cavalete na lateral. A versão X foi projetada para competições mais longas; aparelhada de um sistema de arrefecimento por meio de ventoinhas e de câmbio em seis marchas; munida de farol e de um painel de instrumentos com novo velocímetro; com hodômetro; o indicador de consumo e autonomia.

Por Paulo Henrique dos Santos

Honda CRF 2019

Honda CRF 2019


A primeira scotter da Honda lançada no Brasil foi a Lead 110 e ainda conta com diversos admiradores.

A Lead 110 já fez muito sucesso no Brasil e desde que foi lançada em 2009, conseguiu ótimas vendas, mas em 2014 a própria Honda lançou a PCS 150 e esta é que passou a ser a queridinha do mercado. A Lead 110 conta com injeção eletrônica, freio CB – Combined Braking System, um sistema que aciona o freio dianteiro quando o traseiro é utilizado, assim o veículo para mais rapidamente, com segurança. Outra vantagem é que sob o banco tem espaço para acomodar tranquilamente dois capacetes. O freio de estacionamento pode ser usando com a manete do freio traseiro e todas estas comodidades associadas a um design bonito, ajudaram o modelo a ser líder de vendas.

A primeira scooter da Honda a ser lançada no Brasil foi a Lead 110, em maio de 2009 e o preço também era um grande atrativo, com isso muitos consumidores resolveram adquirir uma. Nas cidades, o modelo oferecia muito conforto com seu câmbio automático do tipo CVT e com tantos diferenciais, além do preço mais em conta, o sucesso foi imediato. Antes dela tinha a Honda Biz, mas que era com câmbio semiautomático, o que já facilitava, pois não era preciso acionar a embreagem sempre que era preciso trocar de marcha.

Mas apesar de todas as vantagens oferecidas pela Honda Lead 110, ela acabou sendo deixada de lado depois de algum tempo, justamente por não ter sido adequada à realidade do Brasil, por exemplo, suas rodas pequenas eram sempre engolidas pelos buracos nas ruas e avenidas. A suspensão de curso curto também era outro problema. Então, em 2013, a Honda trouxe a PCX, vinda do mercado europeu e já contando com muitos elogios e críticas favoráveis. Esse modelo trazia recursos inéditos que não estavam presentes nas concorrentes.

O preço reduzido também foi fundamental para ajudar a Honda PCX cair no gosto do brasileiro e logo as vendas cresceram. O motor era mais potente, as rodas eram de 14 polegadas, o visual era bem mais imponente, com linhas modernas e os muitos recursos oferecidos, era realmente o modelo perfeito para o país. A Honda PCX oferecia freios combinados CBS, o moderno sistema ACG para unir o motor de arranque ao gerador de energia, sistema star-stop que desligava o moto quando a moto ficava parada em marcha mais lenta depois de alguns segundos.

Em 2013, a Lead 110 foi a scooter mais vendida, seguida de perto pela PCX. Mas no ano seguinte foi a PCX que ficou na primeira posição e em 2015 continuou na lioerança vendendo ainda mais que nos outros anos.

Só que em 2017 a Honda colocou no mercado a SH 150i, uma forte concorrente para a PCX, da mesma empresa. A SH 150i oferece ainda mais sofisticação e tecnologia de ponta, tem até chave presencial. Só que a PCX continuou vendendo bem e chegou a ter mais unidades comercializadas que nos anos anteriores. Enquanto a PCX teve 28.049 unidades vendidas, a SH 150i vendeu apenas 2.458.

Alguns ainda sentem saudade da Lead 110, mas a Honda PCX tem muito mais a oferecer e garante bom desempenho tanto em cidades pequenas como também nos grandes centros urbanos. Essa scooter tem a praticidade de uma moto simples, mas é bem mais confortável, inclusive para o garupa. Tem câmbio automático tipo CVT, deixando o dia a dia bem mais cômodo e ainda vem com tomada para carregar o celular, um diferencial importantíssimo.

A PCX tem linhas suaves, design moderno sem ser exagerado, a carenagem frontal se destaca positivamente, trazendo o farol avantajado com iluminação LED, além da excelente aerodinâmica.

Mas a Lead 110 ainda continua sendo muito procurada e nos sites de classificados é possível encontrar vários modelos, nas mais diversas cores e em ótimo estado de conservação. Quem é mais saudoso e gostaria de ter um modelo desse, é só fazer uma pesquisa, por exemplo, no Mercado Livre, onde o preço médio é de 6 mil reais. O importante é verificar bem antes de comprar, levando a moto em um mecânico de confiança para certificar-se que está realmente em boas condições.

Por Russel

Honda Lead 110


A clássica moto dos anos 50 foi relançada e traz apenas de alguns poucos itens em termos de tecnologia e de modernização.

Entre as grandes revelações da atualidade, em termos de duas rodas, está o relançamento de um clássico das motos da década de 50.

Ao avaliar a ressurreição de um modelo antigo da Royal Enfield, os responsáveis adicionaram: Classic 500. Concebida dos anos 50, naquela época ela estava munida apenas de alguns poucos itens em termos de tecnologia e de modernização. A sua estrutura e eficiência foram mantidas, na quase totalidade, equivalentes aos concebidos pelas montadoras da época, sobre as linhas de motos até então produzidas. No mundo Vintage, por assim dizer, é assombroso o grande número de admiradores e de consumidores que adquirem esse modelo justamente por ser uma “réplica” da original de mais de cinco décadas. Ou seja, a Royal Enfield Classic 500 é muito cobiçada.

A nota publicada pela companhia indica o seguinte: o relançamento da Royal Enfield Classic 500 exigiu um tipo de suspensão temporária dos padrões e critérios regularmente utilizados para a realização de testes dessa espécie, o que acarreta na questão de que o produto final não possa acrescentar nada a mais de útil ao consumidor interessado em adquirir a moto, pela admiração que tem pela mesma. A clássica é uma das mais cobiçadas pelos aficionados. É literalmente o relançamento da mesma moto, sem muitas mudanças.

Entretanto, no sentido de garantir uma qualidade mais condizente com os padrões atuais, foram realizadas pesquisas em arquivos de memórias que permitiram aos engenheiros encontrar estruturas mais parecidas, tecnicamente, com a concepção da clássica, inspirando-se nas motos alemãs MZ, de design e maquinário robustos, prescindindo de muito luxo, munidas de motores em 2 tempos, com grande resistência, lançadas em solo brasileiro na década de 80, com a chancela da FBM.

Esta clássica moto, equipada com motor de 500 CC, foi criada para a utilização regular nas rotinas urbanas e para pequenos passeios em outros tipos de terreno, dado que esse modelo chama muito a atenção pela sua clássica beleza.

Por ser um dos melhores designs este é o seu maior apelo comercial. A Royal Enfield consiste em uma marca inglesa, sua fabricação, porém, é indiana, mas, esta é a única empresa produtora de motos em todo o mundo que permaneceu mais tempo atuante sem qualquer interrupção, desde o ano de sua fundação em 1901. Portanto, trata-se de um produto de alta categoria e confiabilidade.

No que tange à sua ficha técnica, a Royal Enfield Classic 500 possui os seguintes atributos:

Custa em torno de R$ 22.400,00, pela tabela FIPE, com zero km; o motor possui um cilindro, mais 4 tempos, e refrigeração a ar, OHV; desempenho de 499 CC; as suas medidas são, entre Diâmetro e Curso, de 84 mm por 90 mm; a taxa de compressão é de 8.5:1; sua potência integral é de 27.2 CV e de 5250 rpm; seu torque máximo é de 4,2 em kgf.m e 4000 de rpm; seu sistema de ignição é de tipo eletrônica digital; a embreagem opera por Multidisco a banho de óleo; munida de um Câmbio de cinco marchas; a lubrificação é de tipo Carter úmido e 15W 50 API e SL Grade & above, tipo JASO MA; sua alimentação se dá por Injeção Eletrônica a combustível; o filtro de ar é de tipo Filtrante de Papel; a partida é elétrica e a pedal; munido de Chassi Tubular produzido em aço, sendo que o motor faz parte da sua estrutura; sua suspensão dianteira possui a Garfo telescópico de tubos em 35 mm e curso de 130 mm; na suspensão traseira estão instalados os dois amortecedores à gás, com ajuste da pré-carga e o curso de 80 mm; medida da distância de entre eixos é de 1360 mm; a distância livre em relação ao solo é de 135 mm; comprimento total é de 2140 mm; largura total é de 790 mm; altura total de 1090 mm; a altura do assento é de 800 mm; seu peso integral é de 190 Kg, abastecido com 90% do combustível e do lubrificante; tanque com capacidade de 13.5 litros; os pneus dianteiros 90 por 90, aro19; pneus traseiros em 110/ por 80, aro 18; freio da dianteira munido de disco único em 280 mm, junto da pinça com dois pistões; o freio da traseira é de disco em153 mm; seu sistema elétrico é de 12 volt. CD; a Bateria em 12 volt – 14 Ah, lanterna dianteira em 60 – 55 W, tipo Halógena e a lanterna traseira em 21W -5W.

Vale a pena conferir este clássico.

Por Paulo Henrique dos Santos

Royal Enfield Classic 500

Royal Enfield Classic 500


A Ducati Scrambler possui 4 versões, cada uma com suas peculiaridades estéticas, porém mantendo os itens de tecnologia e segurança por igual.

Com um visual criativo, espirituoso e arrojado, a nova Ducati Scrambler é uma nova marca de expressividade e partilha de positividade. Um universo de diversão e liberdade em forma de motos, equipamentos e visual. A Ducati Scrambler tem quatro versões, cada uma com suas peculiaridades estéticas, porém mantendo os itens de tecnologia e segurança por igual, confira abaixo as versões:

  • Scrambler Classic: Se adequa perfeitamente àqueles que procuram valorizar cada detalhe, para apreciadores do estilo anos 70, sem perder o prazer do conforto ao pilotar, com a funcionalidade e requintes de uma moderna motocicleta. A Scrambler Classic se destaca por seus detalhes refinados e robustos, tais como sua frente em alumínio, suas rodas raiadas, para-lamas traseiros e banco na cor marrom, com inserções no formato de diamantes. A Scrambler Classic vem nas cores Sugar White e Laranja Sunshine. Preço: R$ 41.900,00.
  • Scrambler Icon: O ponto inicial por meio do qual você encontra expressão. Com a Icon, é claramente perceptível o conforto proporcionado para pilotagem, com seu tanque em aço, em forma “teardrop”. Seu banco à altura de 790 mm garante uma viagem com muito conforto, tanto para o piloto como para o passageiro. Dentre seus destaques da Scrambler Icon, temos o amplo guidão, rodas Dual Sport e farol equipado com lente de vidro, além de luz-guia de LED. Protetores da correia com alumínio em seu acabamento. Contendo protetor térmico, agregando ao estilo da moto. A Scrambler Icon pode ser adquiridas em 3 cores disponíveis: Vermelho Ducati, Amarelo ’62 e Silver Ice. Preço: R$ 38.900,00
  • Scrambler Urban Enduro: Esta versão é companhia ideal para quem precisa superar obstáculos urbanos usando de agilidade, e também explorar caminhos ainda pouco percorridos. O banco marrom possui sulcos, e é forrado usando tecidos técnicos, gerando conforto ergonômico incomparável. Tanto seus protetores do garfo quanto o protetor presente no reservatório de óleo do motor junto à grade do farol ajudam a proteger partes imprescindíveis da motocicleta, seguindo seções off-road, ao mesmo tempo que a barra transversal dá mais firmeza ao amplo guidão. Outras alusões ao design e desempenho off-road incluem para-lamas alto, construído com fibra plástica e também com rodas raiadas. A Scrambler Urban Enduro vem na cor Verde Selvagem. Preço: R$ 41.900,00.
  • Scrambler Full Throttle: Versão com inspiração no estilo Fat Track, fazendo claras referências a motocicletas de corrida em pista oval, a Full Throttle vem equipada com escapamento próprio de corrida tipo Termignoni homologado para ser usado na estrada, tem banco desenhado para corrida guidão baixo ajustável. Também satisfaz as necessidades do dia-a-dia perfeitamente mantendo a beleza e design esportivo. Preço: R$ 42.200,00.

Obs: Todos os modelos Ducati Scrambler vem com Distribuição desmodrômica, motor Duplo em L, 2 válvulas por cilindro, refrigerado a ar, 803 cc, torque de 67 Nm a 5.750 rpm e potência de 73 cv.

Pontos positivos e negativos da Ducati Scrambler

Prós:

  • Torque, saindo-se muito bem em arrancadas;
  • Segurança e conforto;
  • Tecnologia de última geração;
  • Alta potência.

Contras:

  • Não tem indicador de combustível (mostrando somente ao se atingir a reserva).
  • Preço alto.

Ficha Técnica

  • Transmissão

Caixa de câmbio comporta 6 velocidades;

Proporções: 1=32/13 2=30/18 3=28/21 4=26/23 5=22/22 6=24/26;

Transmissão principal: Proporção 1.85:1; Troca de marchas direta;

Transmissão final: Corrente; Pinhão traseiro 46; Pinhão frontal 15;

Embreagem: Multidisco úmida APTC / Controle: Mecânico.

  • Motor

Tipo: Duplo em L, Distribuição desmodrômica, 2 válvulas por cilindro, refrigerado a ar;

Cilindrada: 803 cc;

Diâmetro x curso: 88 x 66 mm;

Taxa de compressão: 11:1;

Potência: 73 cv @ 8,8250 rpm;

Torque: 67 Nm (73 hp) @ 5.750 rpm;

Injeção de Combustível: Eletrônica, corpo de aceleração 50 mm;

Escapamento: Conversor catalítico com duas sondas lambda, sistema de escapamento silencioso, peça única, feita com aço inoxidável e tampa em alumínio;

Emissões: Euro 4.

  • Chassis

Quadro: Treliça de tubos de aço;

Suspensão dianteira: Garfo Kayaba 41 mm invertido;

Curso da roda dianteira: 150 mm;

Roda dianteira: Rodas raiadas de alumínio, 3,00″ X 18″ (Classic, Icon); 10 raios, liga leve, 3,00” x 18 (Urban Enduro, Full Throttle);

Pneu dianteiro: Pirelli MT 60 RS 110/80 R18;

Suspensão traseira: Amortecedor traseiro Kayaba, pré-carga ajustável;

Curso da roda traseira: 150 mm;

Roda traseira: Raiada, em alumínio, 5,50″ X 17″ (Classic, Icon); 10 raios, liga leve, 5,50″ X 17″ (Urban Enduro, Full Throttle);

Pneu traseiro: Pirelli MT 60 RS 180/55 R17;

Freio dianteiro: Disco, 330 mm, calibre do monobloco radial 4 pistões com ABS como equipamento padrão;

Freio traseiro: Disco, 245 mm, calibre flutuante 1 pistão com ABS como equipamento padrão.

  • Dimensões / Peso

Distância entre seus eixos: 1,445 mm;

Rake: 24°;

Trail: 112 mm;

Dispositivo para bloqueio do guidão: 35°;

Tanque de combustível: Capacidade de 13,5 L;

Peso seco: 176,5 kg (Classic); 170 kg (Icon, Urban Enduro, Full Throttle);

Peso em ordem de marcha: 192,5 kg (Classic); 186 kg (Icon, Urban Enduro, Full Throttle);

Banco (Altura): 790 mm;

Altura máxima: 1,150 mm / reservatório de freio;

Largura máxima: 845 mm / espelhos;

Comprimento máximo: 2,100 – 2,165 mm;

Assentos: 1 (Banco duplo).

  • Equipamentos

Ducati Scrambler Classic: Rodas raiadas de fabricação em alumínio, para-lamas na roda dianteira e traseira (alumínio), design vintage, logotipo exclusivo do modelo Classic, suporte alto para a placa.

Scrambler Full Throttle: Silenciador de encaixe tipo Termignoni, guidão baixo em alumínio, banco desenhado no modelo corrida de terra batida, traseira esportiva, suporte exclusivo de indicador de curvas.

Padrão para todos os modelos: Tanque fabricado em aço, painéis laterais intercambiáveis, feitos de alumínio, farol com lente de vidro, guia de luz de LED, com protetor em alumínio intercambiável, instrumentos de LCD com protetor de alumínio, também intercambiável, lanterna traseira de LED com difusão de luz, protetores da correia de alumínio em acabamento usinado, roda dianteira 18 polegadas e traseira de 17 polegadas, banco com entrada USB (pode ser usado como compartimento de armazenamento).

Por Douglas Ribeiro

Ducati Scrambler Classic 2018

Ducati Scrambler Icon 2018


A nova Thruxton R trouxe muitas novidades em design e no desempenho. A fabricante Triumph não economizou em beleza e em tecnologia.

A marca

A Triumph é uma fabricante de motocicletas britânica presente no Brasil e em outros 12 países. Unindo tradicionalismo e modernidade, desde sua criação, a Triumph investiu em exclusividade, contrariando o modelo comercial vigente, que prezava pela fabricação de veículos em larga escala. Ou seja, a Triumph apostou na qualidade desde o início. Por isso, a fabricante, que comemorou o centenário em 2002, conquistou a admiração e o gosto do público. Seus modelos de alto padrão caíram na graça dos apreciadores ao redor do mundo e estão entre os "top" de vendas.

A nova Thruxton R foi lançada no Brasil em setembro e trouxe muitas novidades em design e no desempenho. A fabricante não economizou em beleza e em tecnologia. Confira as principais características da motocicleta.

A entrada USB como funcionalidade pode comprovar que é possível unir o útil ao que há de mais agradável em termos de tecnologia. O sistema antibloqueio variável dos freios ABS é outra funcionalidade que promete oferecer um maior controle.

A experiência do acelerador foi otimizada com o sistema eletroeletrônico RIDE-BY-WIRE, garantindo maior segurança e minimizando o tempo de resposta da aceleração. Esse mesmo sistema está interligado às três opções de pilotagem, possibilitando que o usuário escolha entre os modos estrada, chuva e esportivo. O controle de tração comutável é outra função do sistema RIDE-BY-WIRE, e tem a finalidade de melhorar o fornecimento de torque da Thruxton R.

A embreagem deslizante da Thruxton R proporciona um toque mais leve, facilitando a condução e proporcionando maior comodidade nas viagens longas, pois reduz o esforço do condutor.

O mostrador de funções da Thruxton R foi duplicado e apresenta um sistema digital que pode ser acionado facilmente por botões acoplados ao guidão, garantindo um rápido acesso às principais funcionalidades.

O imobilizador da Thruxton R agrega mais segurança à motocicleta. Ele evita que a Thruxton R seja ligada sem a chave correta.

O quesito design também foi repensado. O farol redondo deixou a com um visual bastante sofisticado. Já as lanternas traseiras em LED diminui significativamente o consumo de energia e acrescenta mais durabilidade à bateria.

Motor

A Thruxton apresenta orgulhosamente seu motor de 1200 cc cilindradas, oito válvulas e alto desempenho. Com nada menos que seis marchas, o motor é alimentado por carburadores de duplo corpo e o torque máximo massivo é de 112 Nm debitado as 4950rpm. A versão anterior tinha um desempenho 62% menor neste quesito. Visualmente parecido com o motor da Thruxton Bonneville, o motor da Thruxton R foi elaborado com o que há de mais atual. Seu escape de silenciador cônico e ponteira invertida cônica proporciona um agressivamente eletrizante, como caracteriza a montadora.

O sistema de refrigeração líquida do motor foi elaborado com o intuito de economizar combustível e diminuir a emissão de gases poluentes ao mesmo tempo.

Acessórios

Com mais de uma 160 acessórios disponíveis, a Thruxton R pode ser personalizada de acordo com o gosto do usuário. Peças da carenagem, escape e traseira podem ser facilmente modificadas, adicionando ainda mais estilo à motocicleta. Além disso, os usuários podem optar pelos kits já prontos, o "Track Racer" e o "Café Racer".
O kit "Track Racer" reúne uma gama de acessórios para motos de competição. Entre os acessórios do kit "Café Racer" estão o para-brisas curto fumê e braçadeira cabedal do tanque de combustível, entre outros.

Chassi

Com suspensão de alto rendimento regulável, barras de encaixe por pressão e roda de 17 polegadas na frente, a Thruxton R promete uma experiência inesquecível ao condutor.

Outras características

A nova Thruxton R está disponível nas cores cinza, preto fosco e vermelho, possui comprimento de 2.105 milímetros e pesa cerca de 203 kg. A potência da motocicleta é de 97 cv a 6.750rpm. Possui partida elétrica, sistema de alimentação por injeção eletrônica e embreagem multidisco banhada a óleo. Motor de oito válvulas com dois cilindros paralelos. Freios dianteiros com discos duplos e traseiros com discos simples. O tanque de combustível tem capacidade para 14,5 litros

Por Katia da Silva

Triumph Thruxton R 2018

Triumph Thruxton R 2018


Lançamento da nova moto no Brasil será em agosto deste ano.

Em geral, quando se trata do lançamento de algum automóvel inédito, seja um carro ou uma moto, esse mesmo evento se transforma em uma das apresentações mais interessantes entre os consumidores bem abastados, os especialistas, e aos amantes dos veículos em geral.

Desta feita, após a estreia desta motocicleta, centro das atenções no evento da companhia Ducati, no cerne do Salão Duas Rodas, realizado no ano de 2017, o inédito modelo, batizado Supersport pela empresa, aportou de forma definitiva em território brasileiro, sendo que o inicio de sua comercialização se dará pelo preço de 63.900 reais. O valor anunciado, em realidade, estava estipulado para as vendas prévias, que iniciaram a partir do dia 30 do mês de julho de 2018. As primeiras unidades serão desembarcadas no Brasil no próximo mês, agosto, e muitas delas já reservadas.

Em sua história, a montadora Ducati Motor Holding constituiu-se e firmou-se como uma importante indústria italiana que, ao longo do tempo, especializou-se na produção motocicletas, com sede construída na tradicional cidade de Borgo Panigale, interior da Bologna. Originalmente, esta empresa iniciou suas atividades de produção fabricando por meio da fabricação de rádios.

Mas, voltando ao tema central, a Supersport adquiriu, mesmo antes de se popularizar no Brasil, um título alternativo: Esportiva Urbana, dado que se trata de uma motocicleta do tipo usado em esportes, elaborada e montada na companhia italiana. Assim, o modelo Supersport foi vasado em uma estrutura muito mais ousada, apresentando um design mais atraente e perigoso, por assim dizer, entretanto, na medida em que o consumidor a guiar, perceberá sua maior praticidade, eficiência e versatilidade, tanto no perímetro urbano quanto nas estradas e rodovias.

Para citar apenas alguns de seus atributos mais essenciais, vale destacar a força que o seu motor equipado com dois cilindros, suplementados por 937 CC, pode entregar no desempenho, que chega a atingir em torno de 113 Horse Power, além da potência em termos de 96,7 Nm no torque.

Grande parte do pacote de especificações pode ser listado conforme segue:

1 – O sistema de freios, que agora está munido de ABS e do controle na tração na forma de série, reforçados pelas três modalidades de condução: a Esportiva, o estilo Turismo e o estilo Urbano;

2 – Possui um tipo suspensão dita “Öhlins”, que proporciona ajustes;

3 – Está aparelhada de câmbio ao modo "Quick Shift", garantindo maior segurança na troca das marchas, dispensando a utilização de embreagem;

4 – O motor é de tipo Testastretta (11°) de 937 cm3, entregando resultado de 113 CV, chegando a 9.000 de RPM;

5 – Está munida do visor no estilo de Plexiglas, o qual está posicionado em altura ideal, podendo ajustado em duas posições, suplementado por mais 50 mm em reposicionamento;

6 – No que tange à base, ela está equipada com os famosos Pneus da Pirelli, o Diablo Rosso III, medindo 120(70ZR), com aro rio 17 para roda frontal e 180(55ZR), com aro raio 17 na roda traseira;

7 – Com relação à estrutura, ela está munida dos Garfos de tipo Marzocchi, que medem até 41 mm no total, sendo, também, de tipo ajustável conforme as situações;

8 – No que tange ao sistema de freios, conforme foi explicado, a Supersport está aparelhada do sistema ABS, marca Brembo, em duplo disco dianteiro de 320 mm, além da presença de pinças do tipo M4.32;

9 – Existe, além de tudo, um necessário pacote de segurança inserido pela própria empresa, que inclui dispositivo ABS da Bosch, reforçado por um Controle de Tração elaborado pela Ducati;

10 – Equipada com: Ducati Quick Shift – DQS;

11 – Munida de farol estilo “milha diurno”, em luz Led;

12 – A Supersport está equipada com mais um vantagem, para fechar com chave de ouro, que consiste em uma entrada USB inteiramente resistente à água, localizado logo abaixo do banco da moto.

Por Paulo Henrique dos Santos

Ducati Supersport S

Ducati Supersport S


A nova Ducati SuperSport S traz visual agressivo e muita potência.

A Ducati SuperSport S é uma moto indicada para os usuários aventureiros e que gostam de muita velocidade. Ela foi projetada para atrais pessoas que gostam de fazer trilhas, viajar para a cidade e também pilotar na estrada. Como resumo geral essa versão foi projetada para atrair um grande número de adeptos de motos potentes e robusta. Além da beleza, essa moto traz motor muito potente, capaz de acelerar o coração dos mais corajosos. Veja abaixo as principais informações dessa moto.

Moto com motor potente

A primeira informação sobre essa moto é seu moto que é: Testastretta 11º com 4 válvulas por cilindro, bi-cilindros em L, refrigeração líquida e Desmodromic. Seu motor faz a potência máxima de 133 cv, seu torque máximo é 96,7 e seu rpm é 9.250. Essa moto é considerada muito potente e por isso é indicada para que já tem experiência em pilotar motos.

Moto com grandes proporções

Já não é novidades que a Ducati SuperSport S é uma moto grande e bem chamativa, porém, alguns usuários ainda não sabem seu real tamanho. Então vamos a essas informações:

– Altura do assento: 810 mm

– Distância entre-eixos: 1,478 mm

– Avanço: 91 mm

– Ângulo de lançamento: 28º

– Capacidade do tanque de combustível: 16 litros

– Peso: 210 KG

Valor de mercado da Ducati SuperSport S

O valor de mercado dessa moto pode espantar a alguns consumidores, pois ela pode custar R$63.900,00. Pode ser que esse valor esteja realmente acima do esperado, mas o que é indiscutível é que uma moto desse porte poderia custar até mais, e somente quem entende de moto vai entender isso. Para quem ainda está em dúvida se realmente vale a pena adquirir essa moto, a resposta é bem simples: Se o consumidor quiser ter uma moto completa, com designe agressivo, com motor bem potente, e com uma duração de muito tempo, a resposta é sim. Pois esse modelo oferece todos os requisitos citados.

Moto ideal para quem gosta de acelerar na pista

Uma das observações sobre essa moto, é que ela é indicada para pessoas que gostam de praticar esportes ou que gostam de adrenalina. Pois sua potência é muito alta e, por isso, o mais comum é que o usuário acelere muito essa máquina. O ideal é ter cautela, principalmente para quem nunca pilotou uma moto com essas características. E para todos que pilotarem a Ducati SuperSport S é bom ter muita cautela (até os mais experientes).

Moto com freios potentes

Os freios desse modelo são muito potentes, e potencializam a segurança dessa moto. Ele tem dois discos de 320 mm de diâmetro na parte da frente. Na parte traseira a moto tem dois discos simples de 245 mm de diâmetro com pinça de dois pistões. E todos são com sistema ABS. Essa é uma boa informação para quem deseja comprar essa moto.

Moto com detalhe que a torna mais resistente

A Ducati SuperSport S foi projetada com detalhes mais resistentes, para dar mais diferencial a esse modelo. E eles se encontram no quadro com desenho de treliça em tubos de aço e no para-brisa com regulagem de altura. Todos esses pequenos detalhes foram pensados pela marca, para dar aos seus consumidores mais uma razão de escolher essa moto na hora da compra.

Consumo médio

Não há uma informação precisa sobre esse modelo, porém, o esperado é que ela faça em média 16,7 km/l tanto na estrada e na cidade. O que é um ótimo resultado.

Conclusão final sobre a Ducati SuperSport S

Esse modelo é totalmente inovador e muito completo. Portanto, é indicado para pessoas que prezam por uma moto com funções mais avançada e com um pouco de experiência!

Por Cristiane Amaral

Ducati SuperSport S

Ducati SuperSport S

Ducati SuperSport S

Ducati SuperSport S


Nova geração da Suzuki Burgman 125 traz diversas características interessantes, modernas e esportivas.

A nova geração da Suzuki Burgman 2018 é um dos lançamentos mais esperados pelos admiradores da linha, principalmente quando se refere a modelos mais despojados, modernos, ainda mantendo um toque esportivo. Caso você não tenha conhecido esta linha de motocicletas, mas deseja entender um pouco mais a respeito deste novo lançamento da Suzuki para este ano de 2018, continue nos acompanhando, para receber mais detalhes e novidades sobre a nova motocicleta de 125 cilindradas da marca.

A Burgman 2018 foi muito bem preparada por seus fabricantes, a fim de oferecer aos motoristas uma experiência mais rica, em termos tecnológicos e referentes a conforto. Em adição, o modelo mais recente traz mais qualidade tratando-se de segurança, design arrojado e robusto.

O painel novo da Suzuki Burgman 125 e seu instrumental foi remodelado, porém sem perder as funcionalidades já características mais comuns aos usuários de suas versões anteriores. Estas pequenas mudanças ocorreram para um melhor aproveitamento destas funcionalidades, e melhor precisão para os movimentos do motorista, com renovação de vários itens. Eis aqui algumas das novidades da nova Suzuki Burgman 125 2018:

· Velocímetro com design atualizado;

· Mostradores de direção;

· Indicador do nível de combustível;

· Luzes mais nítidas para o farol alto;

· Visor com indicador de falhas e diagnóstico analítico do sistema para injeção de combustível.

Ficha técnica da Suzuki Burgman 125

Aqui você pode conferir as especificações técnicas do novo modelo da Burgman 125, observando boa parte dos novos detalhes deste lançamento da Suzuki para 2018. Entretanto, a lista completa de itens inéditos ainda não está completa, por questões de segurança de informações, por hora, confidenciais. Algumas das novidades já confirmadas para a nova motocicleta incluem:

· Alimentação por meio de Injeção eletrônica;

· 124 cm³ nas cilindradas;

· Sistema de lubrificação com cárter úmido;

· Diâmetro (53,5) X Curso (55,2mm);

· Tipo de ignição eletrônica;

· Taxa de compressão de 9,6:1;

· Novo motor, agora monocilíndrico, com 4 tempos, 2 válvulas, OHC, refrigeração usando ar forçado;

· Óleo do Motor 1 litro (com troca de filtro);

· Torque máximo de 0,95 kgf.m a 6.000rpm;

· Sistema de partida elétrica;

· Potência máxima: 9 hp (métrico) a 7.500 rpm;

· A motocicleta pesa, em média, 111 kg.

Economia garantida com a nova Suzuki Burgman 2018

Certificada pelo Imetro, órgão responsável por aplicar todos os testes necessários sobre consumo, ainda não tem mostrado os resultados a respeito da nova Burgman 125. Contudo, pela análise de desempenho de seu modelo anterior, é de se esperar este modelo de 2018 apresente aproximadamente esta média de abastecimento: gasolina, com capacidade média de quilometragem de 45 km por litro.

Como citado previamente, boa parte dos dados e informações referentes à Suzuki Burgman 125 2018 ainda são mantidas sob sigilo total. Entretanto, o que podemos esperar é que a Suzuki mantenha as mesmas versões seguindo o padrão de modelos 2018, e para o caso disso acontecer, as versões serão conforme as destacadas a seguir: Suzuki Burgman I; Suzuki Burgman 400 e Suzuki Burgman 650. Quanto aos valores, estes sofrerão alguns reajustes, e o valor do novo modelo terá sua divulgação após o lançamento pela Suzuki. Porém, para fins de informação, serão mostrados aqui o valor da Burgman 125 anterior, e então, o consumidor poderá ter alguma noção mais aproximada a respeito do valor desta próxima motocicleta Burgman. A Suzuki Burgman I, está a venda ao preço a partir de R$ 7.670,00; a Suzuki Burgman 400, na faixa de R$ 29.100,00, e Suzuki Burgman 650: a partir de R$ 42.900,00.

Econômica, estilosa e muito eficiente, esta é a nova Burgman 125. Se interessou? Para obter mais informações do mundo dos carros e motos, continue nos acompanhando! E se quiser conferir mais sobre a nova Burgman 125, ou entrar em contato com os fabricantes, entre no site da Suzuki Brasil, clicando neste link suzukimotos.com.br.

Por Douglas Ribeiro

Suzuki Burgman 125 2018

Suzuki Burgman 125 2018


A nova geração da Kawasaki Z900RS chegará ao mercado brasileiro em breve.

Essa mais nova geração da Kawasaki Z900 estará chegando ao mercado automobilístico do Brasil muito em breve. Isso mesmo, o modelo icônico Z900 renasceu novamente.

As principais características da nova Kawasaki Z900RS 2019 são um Estilo totalmente agressivo “Z”; o seu Painel de instrumentos é multifuncional; sua Lanterna é em formato “Z”; o seu Motor é digno de uma moto superesportiva; a sua Embreagem é assistida e deslizante; o Som único de admissão a ar; o Leve quadro de treliça; uma ótima Suspensão; produz muita Confiança e principalmente uma grande segurança; Ergonomia; ABS é de série.

Espera-se que essa nova Kawasaki Z900 RS 2019 esteja já disponível nas suas mesmas cores em que temos o seu atual modelo que já está sendo comercializado em todo o mercado automobilístico do país.

Essas cores que estão disponíveis são: Pearl Mystic Gray; Candy Lime Green; Metallic Flat; Spark Black; Candy Persimmon Red; Candy Lime Green.

Para a nova Kawasaki Z900RS 2019, não foi divulgada nenhuma informação específica ou técnica. No entanto, espera-se que a sua ficha técnica permaneça similar ou até mesmo igual a do seu modelo atual.

Sendo assim, você pode conferir abaixo a ficha técnica do modelo da Kawasaki Z900RS no ano de 2018:

O seu Motor é Tipo 4 tempos, e 4 cilindros em linha, e sua refrigeração líquida; Cilindrada com 948 cc; o seu Diâmetro x curso é de 73.4 x 56,0 mm; a sua Taxa de compressão é de 11, 8:1; o seu Sistema de válvulas é o DOHC, com 16 válvulas; o seu Sistema de combustível é de Injeção eletrônica; a sua ignição é Digital; a sua Partida é Elétrica; a sua Lubrificação é forçada e de cárter úmido.

Ele possui o quadro tipo de Quadro de aço e de treliças; Curso da sua roda com um Dianteiro de 120 mm; o seu Curso da roda de Traseiro é de 140 mm; o seu Pneu Dianteiro é o 120/ 70ZR17M/C e 58W; o Pneu Traseiro é de 180/ 55ZR17M/C e 73W; o seu Caster rake é de 24,5°; e o Trail é de 103 mm; além de um Ângulo com esterçamento entre Esquerda e Direita entre 33° / 33°.

As suas Dimensões são de um Comprimento total de 2.065 mm; Largura total de 825 mm; Altura total de 1.065 mm; Entre eixos de 1.450 mm; Altura mínima de solo de 130 mm; Altura do seu assento de 795 mm; Peso em ordem da sua marcha é de 210 kg; e a sua Capacidade do tanque é de um total de 17,0 litros.

A sua Suspensão Dianteira é de Garfo invertido com 41 mm e um amortecimento de retorno com uma pré-carga na mola ajustável; a Traseira é Horizontal Back-link e um amortecimento de retorno com ajuste na pré-carga da mola.

Os seus Freios Dianteiros são do tipo disco duplo com 300 mm e formato margarida; Dianteiro em Pinça Dupla e oposta com seus quatro pistões; Traseiro Tipo Disco simples com 250 mm e formato margarida; Traseiro Pinça é Pistão simples.

Com o seu visual ainda muito mais moderno e também com certeza ainda mais potente, a nova Kawasaki Z900RS 2019 estará pronta para poder oferecer as suas melhores experiências montado em uma máquina de duas rodas.

Pensando sempre no melhor para todo o seu público-alvo, a montadora da Kawasaki que é a sua marca fabricante, vem fazendo um investimento pesado no seu novo modelo. Sendo assim, com certeza é normal que seu valor seja um pouco mais elevado ao que os clientes esperam.

Segundo algumas informações que já foram divulgadas, a nova Kawasaki Z900RS 2019 custará uma média de R$ 41.990,00.

Por Ricardo Ferreira Rodrigues

Kawasaki Z900RS 2019


A Honda CBR 650F 2019 chama atenção pela sua beleza, segurança e modernidade.

A Honda CBR 650F 2019 é uma moto para quem gosta de aventuras e seu visual chama a atenção de quem é apaixonado por duas rodas. Esta é uma grande aposta da Honda, uma moto que tem um ronco que chama a atenção de todo mundo por onde passa. É esportiva, rápida, design super moderno, enfim, tem todos os requisitos para ser um dos maiores lançamentos do momento.

Quando a versão anterior foi lançada, especialistas já acreditavam que o modelo 2019 chegaria com pouquíssimas novidades e de fato, ela chega com ligeiras alterações. O design tem novas cores que colaboram com a moto, deixando ela ainda mais robusta. O guidão sofreu uma ligeira alteração e agora ficou um pouco mais baixo e avançado, com isso agregou um estilo mais esportivo, combinando com o escapamento que segue a mesma linha. Graças ao baixo centro de gravidade, o piloto tem maior conforto, seja na estrada ou na cidade.

Mas na Honda CBR 650F 2019 não é só a beleza que chama a atenção, a segurança é outro item que foi levado a sério, ela vem com freios ABS para as rodas não travarem quando for preciso fazer uma frenagem mais brusca, pois o piloto tem muito mais equilíbrio. O farol em LED não é só para deixar o visual mais esportivo, ele também garante melhor iluminação à noite.

A tecnologia também se faz presente na Honda CBR 650F 2019, começando pela suspensão dianteira que tem o sistema SDVB, que é mais leve e proporciona maior estabilidade para o piloto e também muito mais conforto. O painel digital conta com 2 displays, que facilitam a leitura e o torque concentrado deixou as retomadas bem mais precisas.

Quem optar por este modelo da Honda, ainda estará levando uma moto com motor que oferece muita potência, indo de 87 cv para 88,5 cv. Torque de 6,22 kgfm a 8.000 rpm, a caixa do filtro de ar ganhou dutos mais largos e o câmbio de 6 marchas tem relações mais curtas para a segunda, terceira e quarta marchas.

Se o tempo fechar e começar a chover, independente de ser um temporal ou um chuvisco, a moto se comporta muito bem, com o freio sempre auxiliando o piloto nas curvas e a moto garantindo maior estabilidade. Na cidade, quando o movimento é intenso e o piloto acaba sendo surpreendido e precisa fazer uma parada brusca, verá mais uma vez que tem uma moto que lhe oferece segurança nestas ocasiões.

Os amantes das duas rodas podem comparar a Honda CBR 650F 2019 com outras motos para ver o quando este modelo é vantajoso. O tanque de combustível é de 17,3 litros e as dimensões são: 2107 x 784 x 1077 mm, pesando 195 kg. Entre as novas opções de cores tem a vermelha e também laranja. O motor é quatro cilindros com duplo comando no cabeçote e tem borboletas individuais para cada cilindro.

A CBR 650F 2019 é indicada até mesmo para quem gosta de viajar nos finais de semana com os amigos, sair por aí em grupo, visitando cidades e tendo um contato maior com a natureza, pois esta é uma moto que oferece potência na estrada, é estável, segura nas curvas, econômica, confortável e o piloto não fica com aquela sensação de cansaço depois de rodar alguns quilômetros.

Destaque também para o consumo médio que é de 22 km/l. O preço é a partir de R$ 36.500 e todo este dinheiro é muito bem empregado, pois é uma moto top, moderna, bonita e que se sai muito bem em todas as ocasiões.

Vale a pena ir conferir a Honda CBR 650F 2019 e ver esta beleza de perto, conferir suas vantagens e constatar que é uma das melhores opções do momento.

Por Russel

Honda CBR 650F 2019


A F750 2019 tem beleza, muitas inovações e chega completamente reformulada ao mercado, agradando tanto aquele consumidor que olha primeiro o design, como também aqueles que vão direto na parte técnica.

A BMW F 750 2019 é uma moto feita para quem procura conforto no dia a dia e principalmente nas viagens, uma prática mais comum entre os brasileiros que se reúnem nos finais de semanas e pegam a estrada para curtirem novos lugares, conhecer cidades e outros estados. A F750 2019 tem beleza, muitas inovações e chega completamente reformulada ao mercado, agradando tanto aquele consumidor que olha primeiro o design, como também aqueles que vão direto na parte técnica.

O mercado de veículos já se mostrou bastante competitivo no mercado nacional, com várias montadoras já disponibilizando seus modelos e dando ao consumidor brasileiro muito mais opção de escolhas na hora da compra, enquanto que o de moto ficou quase que estagnado, com modelos tradicionais dominando as vendas, mas tudo indica que este cenário está mudando e o anúncio da BMW F750 2019 confirma esta tendência. Quando a empresa anunciou que a fábrica em Manaus começaria a produção da F 750 GS e da F 850 GS, foi uma grande euforia para os amantes das motos.

Estes dois modelos foram apresentados na Europa no final do ano passado e chamaram a atenção primeiramente pela beleza, o estilo arrojado, com um visual único e incomparável. Mas o destaque não parou por aí, pois logo nota-se o motor de 853 cc, com dois cilindros paralelos, o que garante maior torque em baixas rotações. O modelo 850 tem 95 cv de potência e a 750 tem 76 cv, apesar do motor ser o mesmo para ambas. Outro detalhe que não pode passar em branco são os dois eixos de equilíbrio que garantem uma redução da vibração que é proporcionada justamente por este modelo de propulsor. Os modelos contam ainda com embreagem assistida, o que deixa a manete muito mais leve. O câmbio é de 6 marchas e seja na cidade ou na estrada, a experiência de pilotar esta moto é apaixonante.

Ao preparar o lançamento da F750 2019, a empresa precisou providenciar a atualização de toda linha de produção, uma vez que os dois modelos contam com quadros novos, que garantem maior rigidez no berço do motor. Alguns ajustes foram feitos e tudo ficou pronto para começar a produzi-las. Mas as novidades não param por aí, pois a F750 2019 conta com suspensão exclusiva e a parte eletrônica é inédita, com isso os fornecedores locais precisaram trabalhar muito para se adaptarem rapidamente à produção das novas GS, mas isto foi feito sem problemas e não houve atraso no cronograma.

Para a 850, a suspensão recebeu bengalas investidas na parte da frente e a roda é aro 21. Para a 750, optou-se por garfo convencional com rodas aro 19, garantindo assim que ela tenha um estilo mais on-road, mas atrás os dois modelos contam com aro 17. Para muitos, estas são diferenças que acabam nem sendo notadas, mas para os amantes de duas rodas é importantíssimo ter esta diferenciação, já que o mercado nacional não vinha oferecendo tantas opções na hora de comprar motos, então, quanto mais detalhes diferenciando uma da outra, melhor será para que os clientes dos mais variados estilos sejam atendidos.

Mas quem quiser ter uma dessas, precisará ter paciência porque de acordo com a BMW Motorrad, somente entre agosto e dezembro é que chegarão às lojas e isso é se não houver nenhum atraso na produção e nenhum problema for encontrado na finalização.

Um detalhe que não agradou muito foi o escape, que fica mais distante do chassi. As primeiras fotos que começaram a circular pela internet logo receberam vários comentários sobre este detalhe, muita gente gostaria que tivesse ficado mais próximo. Entre os pontos positivos no design, destaque para o faro que deu um toque todo especial à moto.

Por Russel

BMW F 750 2019

BMW F 750 2019


Modelo oferece mais robustez e está preparada para rodar em qualquer tipo de estrada. Equipada com vários controles eletrônicos, que oferecem muito mais conforto e segurança, tanto para o piloto quanto para o garupa.

Você gosta de motos? Se a sua resposta for sim, com certeza você irá se apaixonar pela nova Triumph Tiger Explorer 1200 XCa que chega para surpreender muita gente.

Elogios à parte, vamos diretamente ao assunto que é essa máquina que pesa cerca de 260 kg. Pois bem, a moto é uma versão que pertence à linha da bigtrail, uma inglesa que é equipada com um moderno sistema chamado de Hill Hold Control, que é uma tecnologia muito parecida à tecnologia utilizada na categoria SUV de luxo, que em poucas palavras não permite que o carro em uma parada volte para trás.

A Tiger 1200 XCa oferece mais robustez e está preparada para rodar em qualquer tipo de estrada. Equipada com vários controles eletrônicos, que oferecem muito mais conforto e segurança, tanto para o piloto quanto para o garupa.

Como já era de se esperar, tantas novidades e modernidades têm um valor. Neste caso a Triumph Tiger 1200 XCa deve sair por um valor um pouco salgado, sendo R$ 78.500, mas ainda assim ela sai mais em conta que sua principal concorrente a R1200 GS Adventure, que está saindo por R$ 84.900.

Se comparada com outras versões, esta versão XCa possui dois modos para pilotagem novos, sendo eles o Rider e Sport, além de sistema de monitoramento para a pressão de seus pneus. Ainda temos um para-brisa colocado mais alto e que permite o ajuste eletrônico, o que possui muita utilidade, principalmente para quem pega estrada.

O lançamento também possui aquecimento nos bancos do garupa e piloto e um interessante suporte de malas nas laterais.

Essa motocicleta foi desenvolvida para ser uma moto aventureira, por isso possui características mais esportivas como o motor composto por três cilindros e 139 cavalos de potência. Suas rodas são raiadas e calçadas com pneus para uso misto.
As suspensões possuem ajuste TSAS que é um sistema de ajuste eletrônico, controle de tração, acelerador eletrônico, piloto automático e sistema de freios tipo ABS. Em resumo, temos uma excelente máquina, que une desempenho, tecnologia e segurança.

Como estamos falando de uma bigtrail, esta versão possui excelente ergonomia, uma vez que o piloto fica em uma posição bastante confortável e relaxada, o que facilita a pilotagem. O assento possui dois níveis, além de uma espuma com boa densidade, o que permite viagens longas sem se cansar pela postura. Em temperaturas mais baixas o banco possui sistema de aquecimento que pode ser facilmente acionado por um botão.

São cinco modos de pilotagem. Os comandos instalados no punho, assim como a parte eletrônica são bem intuitivos. Está tudo lá, faróis de neblina, piloto automático, manoplas aquecidas, tela LCD, mostrador analógico, entre outros.

Ideal para a estrada a moto com seus 139 cavalos de potência tem um perfil bastante esportivo, contudo é muito fácil de ser controlada, fato que ocorre em razão de uma relação positiva entre a entrega de torque e de potência, que já é uma característica comum de motores de três cilindros.

A Triumph Tiger 1200 XCa é bastante eficiente, as irregularidades do solo são bem absorvidas. Os freios são muito precisos, o que se deve as pinças monobloco que estão fixadas na dianteira. Para a realização de curvas existe um sistema de antitravamento que considera a inclinação da motocicleta.

Como se pode observar, todas as características da Triumph Tiger 1200 XCa nos mostram uma máquina toda completa que oferece segurança, conforto, tecnologia de ponta e desempenho. Enfim, uma moto excelente para rodar tanto no asfalto quanto na estrada. Em uma viagem longa ou em um simples passeio de tarde. Com certeza é uma moto que valerá por cada centavo investido.

Quem experimentar a Triumph Tiger 1200 XCa, com certeza vai gostar!

Por Sirlene Montes

Triumph Tiger Explorer 1200 XCa

Triumph Tiger Explorer 1200 XCa


A TY-E é uma moto elétrica, com uma funcionalidade totalmente nova que foi feita para trilhas e ótimas aventuras.

Quem já está acostumado com os modelos comuns de motos, irá se surpreender com a nova Yamaha TY-E. Pois ela define a tradução de inovação, e é raro as pessoas não gostarem do que é novo e moderno não é mesmo?

A TY-E é uma moto elétrica e com uma funcionalidade totalmente nova que foi feita para trilhas e ótimas aventuras. O consumidor que chegar até o momento de pré-venda dessa moto, é porque sabe o que quer. Então vamos falar um pouco mais sobre ela e suas funções de forma mais detalhada.

Yamaha TY-E é leve e pesa apenas 70 kg

O primeiro destaque dessa moto é seu peso, que é apenas de 70 kg. E justamente por esse detalhe que o usuário consegue fazer diversas manobras sem muitos problemas. Ela é considerada inovadora também por esse detalhe, e a marca usa justamente isso para consolidar sua campanha de apresentação da moto e o resultado tem sido incrível.

Yamaha TY-E é trial e não apresenta problemas comuns como de outros modelos

A Yamaha TY tem sistema trial que é faz com que ela tenha uma potência mais elevada e que vem de seus componentes leves. E permite que o usuário consiga usar uma potência elevada e usando os componentes pequenos e leves dessa moto. O resultado disso tudo é um aproveitamento total das melhores funções. Esse é um dos pontos positivos da Yamaha TY-E

Como se explica uma moto tão leve e com alto desempenho?

Muitas pessoas ficam surpresas com o alto desempenho da Yamaha TY-E e seu peso de apenas 70 kg. Onde ficam todas as peças que fazem com que essa moto tenha um desempenho tão perfeito assim? A explicação está também nas baterias que alimentam o motor elétrico. Além disso, ela possui embreagem mecânica que junto com o chassi de fibra de carbono fazem que ela seja mais potente.

Alguns detalhes técnicos da TY-E

A moto tem alguns detalhes técnicos bem interessantes como:

– Sua suspensão dianteira usa garfos telescópicos tradicionais

– Ela possui 350 mm de distância mínima do solo

– Ela possui 1,310 mm de distância entre os eixos

Veja as principais características da moto elétrica da Yamaha

A Yamaha TY-E possui muitas características de alta tecnologia, e elas também são responsáveis pelo resultado final da sua funcionalidade. Veja abaixo quais são essas funções:

– Possui carenagem exageradamente estreita, porém elas não interferem

– Possui um motor elétrico de alta potência compacto de alta rotação que alcança performances mais altas em todo terreno, ela também possui um binário a baixa velocidade que a torna potente fazendo que ela tenha uma aceleração excelente

– Possui embreagem mecânica que garante potência e controle imediatos. Seu motor é elétrico e otimizado que age em uma performance de tração perfeita

– Possui uma nova bateria que tem uma potência elevada e compacta criada com componentes fortes e leves

– Possui quadro monocoque CFRP que é um modelo mais leve do mercado e ao mesmo tempo ela permite uma boa consistência e espaço de armazenamento

Qual é a real utilidade dessa moto?

A Yamaha TY-E foi criada para uso esportivo e ideal para fazer campeonatos ou hobby. Ela aguenta os impactos mais difíceis, como terra de chão batido e com diversos empecilhos. Ela não foi feita para pista de cidade, ou seja, não compre ela achando que terá mil e uma utilidades.

Ainda não se tem muitas informações sobre esse modelo, mas daqui uns dias, vão surgir mais informações para alegria de quem está na espera!

Por Cristiane Amaral

Yamaha TY-E

Yamaha TY-E


Este novo modelo foi elaborado e devidamente projetado para rodar em todo tipo de vias urbanas nas grandes cidades.

A Honda é uma das montadoras internacionais de maior prestígio no mundo. Todo ano suas estreias estão entre as mais bem sucedidas. O novo lançamento está por conta da motocicleta intitulada X-Blade 2018. A primeira e nítida impressão que se tem, quando se está diante desse modelo, é a sua robustez, a sua sofisticação e a sua intensa agressividade, como se um portal se abrisse de um futuro longínquo lançando ao tempo presente um veículo avançado, que se tornará verdadeira vanguarda no segmento. Esses são os adjetivos que se enquadram precisamente na definição deste novo lançamento da Honda, no que se refere a motos muito velozes.

O modelo inédito X-Blade 2018 estreou, com todo o seu belo porte e com toda a exclusividade, em um evento na Auto Esporte 2018, localizado no continente asiático, no seio da Índia. Assim que foi tornada pública, imediatamente foi alvo dos maiores especialistas em sites de motos. É tradicional, na companhia japonesa em questão, estar sempre produzindo motos de alto desempenho, com alta robustez, mantendo sua fama e crédito internacional no mercado mundial.

De acordo com o que foi anunciado ao longo de todo o evento, por iniciativa dos executivos da empresa, este novo modelo foi elaborado e devidamente projetado para rodar em todo tipo de vias urbanas nas grandes cidades. A nova mecânica foi estruturada em base totalmente similar à da mesma moto brasileira, sendo que chegará ao mercado com diversas modificações instaladas, no sentido de proporcionar maior potência ao X-Blade 2018. Portanto, já que um modelo de moto com maior robustez e design esportivo não se articula com um motor de baixa velocidade, os responsáveis pelo projeto decidiram ousar.

Entre os seus atributos estão: um motor com força de 162 cilindradas; possui uma arquitetura inspirada em um modelo anterior produzido pela companhia, a versão oriental CB 160 Hornet, tornando-se um tipo de moto mais parruda, portando alterações muito significativas em seu porte estético; está equipada com um tipo de carenagem nos faróis, causando a impressão de superioridade e de sublimação, além de muito mais charme; possui lanternas traseiras em estilo luz de LED; as suas rodas são de liga leve e está munida de um dispositivo silenciador no escapamento de tipo duplo esportivo; aparelhada com freios em sistema de CBS; vem com um painel inteiramente digitalizado, com um indicador luminoso da marcha utilizada, embutido; o modelo de pneu utilizado é sempre o mais largo, em torno de 130 mm; aparelhada com um novo para-choque de tipo Hugger e possui suspensão que funciona em monochoque.

É muito importante ressaltar que este novo modelo está agendado para comercialização em concessionárias da Índia, embora ainda não tenha sido estipulada uma data definitiva, sendo que, a princípio, a estreia ocorra no próximo mês de março, 2018. Em território nacional ainda não há previsão de vendas. Entretanto, as alterações incorporadas na Honda X-Blade 2018, com atributos do modelo produzido no Brasil, rendeu, entre os especialistas do ramo, uma acunha divertida para essa moto: nova ‘CG Bombada’.

Embora a sua estreia oficial no mercado esteja muito próxima, a companhia Honda, como sempre, decidiu manter em sigilo o preço final deste novo modelo em relação ao consumidor. Os especialistas de plantão, refletindo muito a respeito dessa situação, levando em conta os consumidores indianos (os primeiros que irão desfrutar dessa motocicleta), estipulam que a faixa de preços vai girar em torno de, mais ou menos, 80 mil rúpias. Ao converter esse valor para a moeda do Brasil, a nova Honda X-Blade 2018 poderá custar ao bolso do consumidor em torno de 4.000,00 reais. Mas, esse valor seria muito improvável em se tratando de um modelo desse porte a ser comercializado em solo brasileiro. Para mais informações e atualizações acesse o site: https://www.carrobonito.com/2018/02/20/honda-x-blade-2018-novidades-e-lancamento.

Por Paulo Henrique dos Santos

Honda X-Blade 2018


Nova linha será lançada em junho deste ano no Brasil.

Que o brasileiro é um apaixonado por carros, ninguém mais duvida, mas a cada dia o número de pessoas que se apaixonam pelas máquinas de duas rodas aumenta de forma considerável. Se você se inclui nesse grupo de pessoas conheça agora tudo sobre a Nova Linha Triumph Tiger 800, que está prevista para chegar ao Brasil no segundo semestre de 2018.

De início podemos dizer que as versões que compõem a Linha Triumph Tiger 800 chegam com diversos atributos, dentre eles único comando que se assemelha a um Joystick iluminado, o que irá proporcionar mais praticidade.

Já no fim do ano passado a Nova Triumph Tiger 800 foi lançada oficialmente em um evento chamado EICMA 2017, no exterior. Já em nosso mercado a motocicleta estrou de forma surpreendente em um evento no Salão Duas Rodas, contudo seu lançamento oficial está marcado para acontecer no mês de junho deste ano.

A linha chega ao Brasil com três interessantes versões que trazem uma série de atualizações da área tecnológica, garantindo um desempenho melhor, que a torna ainda mais potente e, por isso, muito atraente.

Ao mesmo tempo em que o lançamento chega com mais potência, não deixa de oferecer suavidade e nem versatilidade, no tráfego tanto no meio urbano quanto na estrada. Na realidade a sua fabricante não poupou investimentos ao planejar uma motocicleta muito estilosa, com tecnologia avançada e muito conforto. Sem falar de um motor equipado com uma aparelhagem totalmente nova.

Esta nova linha é composta pelas versões:

– Triumph Tiger 800 XCa;

– Triumph Tiger 800 XRx Low Seat;

– Triumph Tiger 800 XRT.

Esteticamente, a Tiger 800 recebeu uma pintura de altíssima qualidade. No painel instalado na sua lateral temos uma ilustração totalmente nova. Sem descaracterizar a motocicleta o escopo foi colocado com um visual mais moderno e dinâmico.

Cada versão da linha possui características próprias, porém todas receberam muitas melhorias, dentre elas temos um painel de instrumentos completo, de 5 polegadas, colorido e fácil de ser configurado. Já os punhos vêm atrelados ao seu guidão. Além disso, ainda temos dispositivos equipados com Luzes de LED.

A Triumph procurou nessa linha de 2018 eliminar os pontos fracos de versões anteriores, tanto que o guidão chega em uma posição de 10 mm mais perto do piloto. Por sua vez o assento foi construído com uma espuma de uma qualidade superior e para fechar, o para-brisa pode ser ajustado em cinco posições.

As três versões da Linha são equipadas com o mesmo tipo de motor que se caracteriza por ser um Tricilíndrico de 800CC, que atua com 12 válvulas que conta com a função de refrigeração do tipo líquida, que oferece uma capacidade de geração de uma potência de até 95 cv, com capacidade máxima de 9500 RPM e capacidade de torque de 7,8 Kgfm que faz 8000 giros. Na realidade, essa força maior que a motocicleta faz de forma imediata deve-se ao seu propulsor.

O escapamento da moto é equipado com um sistema de 3 em 1 que atua juntamente com um silenciador que é produzido em aço, o que proporciona mais leveza e um fluxo melhor.

O banco pode ser ajustado em até duas posições de altura, podendo ser adaptada ao porte do piloto e ao tipo do terreno. Duas das suas versões são equipadas com uma suspensão um pouco mais baixa que as outras versões da linha Tiger 800.

Ainda não é possível afirmar os valores para comercialização de cada uma das suas versões, pois a fabricante ainda não realizou nenhuma divulgação em relação a isso. Contudo, os interessados não deverão esperar por muito tempo, já que a estreia no Brasil está prevista para o mês de junho.

Por Sirlene Montes

Triumph Tiger 800 2018


A Honda SH 150i 2018 é uma moto com muita tecnologia e conforto.

A Honda SH 150i 2018 é uma moto maravilhosa que promete encantar a todos os seus usuários. Pois ela possui peças bem modernas e que a tornam uma máquina potente e ao mesmo tempo muito segura.

Conhecendo alguns detalhes da Honda SH 150i 2018

A Honda SH 150i é uma moto muito confortável, ela possui o assoalho plano e que deixa o usuário mais confortável, facilitando na hora de pilotar. Essa característica é um dos detalhes positivos desse modelo. Ela possui o design bem moderno e é totalmente encantadora. Quem gosta de moto vai se apaixonar por esse modelo. Ela ainda possui partida sem chave, rodas aro 16 polegadas, freios ABS e acabamento bem moderno.

O que os futuros usuários podem esperar dessa moto?

A Honda SH 150i 2018 tem toda uma estrutura bem moderna, e a marca pensou justamente em criar esse impacto positivo em seus futuros consumidores. Ela tem potência, modernidade, conforto e segurança, e essa junção faz com que ela seja uma ótima referência nesse mercado.

Veja os detalhes sobre o motor dessa moto

Como já foi dito anteriormente, o motor da Honda SH 150i é potente e não vai ser insuficiente, veja os detalhes logo abaixo:

– Tipo: OHC. Monocilíndrico, 4 tempos, arrefecimento líquido

– Tem transmissão: Tipo CVT

– Sistema de partida: Elétrico

– Cilindrada: 149,3 cc

– Diâmetro x Curso: 57,3 x 57,9 mm

– Combustível: Gasolina

– Sistema de alimentação: Injeção eletrônica PGM-FI

– Torque máximo: 1,40 kgfm a 6.250 rpm

– Relação de compreensão: 10,6.1

Conhecendo as dimensões e capacidades dessa moda

A Honda SH 150i 2018 é uma moto bem compacta e confortável, se analisarmos com cuidado, essa moto é do tamanho ideal para pilotar, suas medidas são perfeitas, veja abaixo:

– Comprimento x largura x altura: 2026 x 740 x 1158 mm

– Distância mínima do solo: 146 mm

– Distância entre s eixos: 1340 mm

– Tanque de combustível/ reserva: 7,5 litros

– Óleo do motor: 0,9 litro

– Altura do assento: 799 mm

– Peso seco: 129 kg

Moto com sistema elétrico moderno

O sistema elétrico dessa moto é top de linha, ela conta com as seguintes funções:

– Ignição eletrônica que traz facilidade para o motorista

– Bateria: 12V – 5 Ah que é uma ótima bateria e funciona com potência

– Farol: Essa moto possui farol de LED que ajuda na hora de pilotar e ainda da um charme ao visual externo da moto

Informações sobre o Chassi dessa moto

As informações do chassi da moto são bem importantes, então vamos falar um pouco sobre eles:

– Pneu dianteiro: 100/80- 16

– Pneu traseiro: 120/80- 16

– Tipo: Monobloco (underbone)

– Suspensão dianteira/curso: Garfo telescópico/100/90 mm

– Suspensão traseira/curso: Dois amortecedores /95/80 mm

– Freio dianteiro/Diâmetro: A disco /212,76 mm/240 mm

– Freio traseiro/Diâmetro: A disco /207 mm/240 mm

Valor da Honda SH 150i 2018

Muito se fala a respeito do valor de qualquer moto que vai ser lançada e não seria diferente com a Honda SH 150i 2018. Seu valor de mercado está dentro das expectativas e custa aproximadamente R$12.450,00. É um ótimo valor para quem deseja ter uma moto moderna, potente e segura.

Veja as cores disponíveis para essa moto

Outra curiosidade bem comum a respeito dessa moto são as suas cores de fábrica, e elas são: prata fosca, azul escuro perolizado e azul claro perolizado. Elas são tão lindas e modernas que fica difícil escolher uma só.

Quais as expectativas da marca para esse novo lançamento?

A marca prioriza mostrar a seus futuros usuários que essa moto é inovadora, e tem tudo que o condutor realmente espera. Eles acreditam que a Honda SH 150i 2018 será um grande sucesso de venda.

Essa é uma moto que vale apena investir!

Por Cristiane Amaral

Honda SH 150i 2018


Confira as características e novidades da nova BMW K 1600 Bagger.

Inspirado no conceito 101, um estudo de design de 2015 da Roland Sands e BMW Motorrad, a nova BMW K 1600 Bagger é baseada no modelo K 1600 GT sport tourer que ganhou o Prêmio Rider's Motorcycle of the Year em 2012, feito exclusivamente para os Estados Unidos. Infelizmente, diferente da Concept 101, os painéis de sotaque de madeira não entraram em produção, mas grande parte da BMW K 1600 Bagger é fiel à inspiração original.

Conheça os itens da BMW K 1600 Bagger

Em comparação com o GT, a BMW K 1600 Bagger tem um para-brisas mais curto, um guiador tubular, alforjes mais longos e mais estreitos com luzes traseiras, com LED integradas e silenciosos de cromo tipo howitzer, que são horizontais em vez de inclinados para cima.

Já para dar à BMW K 1600 B o perfil adequado do bagger, o subtrama traseiro e o assento do passageiro foram reduzidos em 2,8 polegadas. Por outro lado, o modelo traz um novo para-lama traseiro, que se dobra para facilitar a remoção da roda traseira.

A altura do assento do piloto é de 30,7 polegadas, versus 31,9 / 32,7 polegadas no GT, e um assento opcional sem custo é de apenas 29,5 polegadas. A suspensão também é menor no bagger, mas ainda há 4.5 / 4.9 polegadas de frente e traseira.

Tecnologia e inovação à altura da marca alemã BMW

Mas as novidades não param por aí, a nova BMW K 1600 Bagger também é carregada com tecnologia de ponta. O equipamento padrão inclui modos de condução (Dynamic, Road e Rain) que ajustam automaticamente de acordo com a resposta do acelerador. A saída de torque e a intervenção pelo controle de tração dinâmico, são adaptáveis ao ângulo de inclinação e o ABS Pro é otimizado de forma semelhante.

Já o modo Dynamic ESA (Electronic Suspension Adjustment) tem dois modos: Road para todas as condições e Cruise para uma conformidade mais suave, modo que ajusta automaticamente o amortecimento.

Outras características padrão da nova BMW K 1600 Bagger também incluem faróis de xenônio, autonivelantes, alças aquecidas e assento, controle de cruzeiro, o Multi-Controller, um computador de bordo e soquetes de alimentação dupla.

O modelo também incluiu pacotes Premium e Touring, adicionando fechaduras centrais de alforjas, luzes auxiliares de LED, alarme antirroubo, sistema de monitoramento de pressão de pneus, farol adaptativo que aponta para cantos, Hill Start Control, Gear Shift Assistant Pro para acionar a embraiagem, deslizando para cima e para baixo. Também possui Keyless Ride, Bluetooth, um sistema de áudio e preparação de GPS. Há também Reverse Assist, que usa uma engrenagem helicoidal, função que escorre o motor de arranque para fornecer inversão de baixa velocidade para auxiliar no estacionamento.

E quando parece que acabaram as surpresas, a BMW K 1600 Bagger também possui, ainda, dois recursos, que por muitos são considerados traços de gênio, ambos debutados no K 1600 GT / GTL em 2012.

Um dos recursos é a roda Multi-Controller no punho esquerdo, o que torna tão fácil percorrer os menus e fazer as mudanças que os pilotos são muito mais propensos a tirar proveito das muitas configurações disponíveis. O outro é o defletor de ar winglets de cada lado do carenado dianteiro, que pode ser girado para fora, para direcionar o fluxo de ar para o cockpit. Estes são os tipos de detalhes que elevam a BMW K 1600 Bagger do bom ao excelente, o que facilita, e muito, a vida dos pilotos.

O modelo também possui um conjunto de malas totalmente redesenhado, o que deixa com um ar mais moderno, elegante e compacto.

Valor da BMW K 1600 Bagger

Com tanta tecnologia inclusa, o modelo não poderia ser barato. A BMW K 1600 Bagger não sai por menos de US$ 20.000 – (cerca de R$ 63.000). Uma opção bem interessante, mas que pode conquistar o consumidor. Afinal de contas, a atração da queridinha alemã está no motor, tecnologia e no seu alto estilo.

Para mais informações e especificações, acesso ao site da fabricante alemã: www.bmwmotorcycles.com/us/en/index.html.

Por Cassiany de Paula

BMW K 1600 Bagger


Modelo é potente e tecnológico. Confira as suas especificações.

A BMW apresentou uma versão atualizada do Tourer de luxo, a K 1600 GTL. Em 2012, o ano modelo em que foram introduzidos no mercado, a BMW K 1600 GT e o GTL compartilharam o Prêmio Motocicleta do Ano do Rider, em virtude dos novos níveis de performance e sofisticação, o que trouxeram mais destaques para o turismo esportivo e segmentos de turismo de luxo.

Conheça as especificações da BMW K 1600 GTL

Diferentemente, principalmente em termos de posição de assento, tamanho, forma do para-brisas e a presença de um tronco superior, no GTL, a fabricante alemã compartilhou um mecanismo de 6 cilindros, em linha, que produz uma força de 160 cavalos e um torque de 129 lb-ft.

Segundo informações divulgadas pela empresa alemã, o motor da potente das estradas foi produzido de forma mais compacta, dentre as motos de mais de 1.000 cm³. Na estrada, o modelo BMW K 1600 GTL pode atingir a velocidade máxima de 200 km/h. Ainda de acordo com dados divulgados pela BMW, a velocidade atingida pela potência do motor é mais que o suficiente para rodar as terras brasileiras.

Assim como no GT e B, os novos conversores catalíticos e o gerenciamento de motores atualizados permitem que o motor do K 1600 GTL seja compatível com Euro4 sem perda na saída reivindicada.

Controle de tração

O modelo ainda permite três modos de condução: Road, Dynamic e Rain adaptam a resposta do acelerador às condições de condução e ajustam automaticamente a configuração de Controle de Tração Dinâmica.

O que tem de diferente no modelo, é o ESA dinâmico, que ajusta automaticamente o amortecimento da suspensão e oferece dois modos, Estrada e Dinâmico.

A BMW K 1600 GTL também possui equipamento padrão, que inclui ABS Pro, farol de xenônio, alças aquecidas e assentos, Multi-controlador, controle de cruzeiro e alforjes removíveis e malha superior.

As novas opções também incluem Reverse Assist, uma engrenagem reversa que é engajada usando um botão no guidão esquerdo e controlada usando o botão de partida e Shift Assistant Pro, o que permite deslocamentos e downshifts sem embraiagem.

Outras opções incluem o farol adaptativo, Keyless Ride, Hill Hold Control, fechaduras centrais, rodas forjadas e uma linha completa de acessórios, que torna o modelo ainda mais atraente para o consumidor.

Em questão de estilo e modernidade, a nova BMW K1600 GTL inclui novos painéis laterais, defletores de deslizamento maiores, novos defletores de vento, para proteger as mãos do piloto, espelhos redesenhados, maiores e inserções esféricas, e protetores de pés, redesenhados, e compartimentos de armazenamento mais baixos.

Modelo top de linha

O modelo também pode ser encontrado em novos esquemas de cores, que incluem: Lightwhite não metálico, Thundergrey metálico e K 1600 GTL Elegance (Ebony metallic e Blackstorm metallic).

Diante de tanto desempenho, potência e tecnologia, as vendas da BMW K 1600 GTL saem no Brasil pelo valor de R$ 124.500, o que a considera a moto uma das mais caras da empresa.

Disponível em várias cores, o modelo é top de linha da fabricante alemã. Suas características exclusivas à modernidade e som integrado, a BMW K 1600 GTL foi feita exclusivamente para estradas e longas viagens.

Curtindo o som da BMW K 1600 GT

O sistema de som integrado possui sincronização via bluetooth, o que é exclusividade da top de linha. No Brasil, o consumidor pode encontrar a versão completa do modelo GTL, já em outros países como na Europa, é possível encontrar o modelo somente com o dispositivo de GPS. O modelo vem com espaço para instalação, mas não inclusa.

Para viagens e longos passeios, o sistema de som rouba a vez. O modelo ainda é acompanhado de três malas que facilitam, e muito, a vida do condutor. Os acessórios, ainda, podem ser removidos de acordo com o desejo do consumidor.

Para mais informações e especificações, assim como modelos, séries e detalhes, acesse o site da fabricante alemã BMW pelo site: www.bmw-motorrad.com.br.

Por Cassiany de Paula

BMW K 1600 GTL


A Ducati Multistrada 1260 apresenta muitas características interessantes que a fazem concorrer ao título de um dos melhores lançamentos mundiais no setor de motocicleta.

Uma das montadoras de motocicletas mais conhecidas do mundo é a Ducati. Criada no final dos anos 20, mais precisamente, em 1926 na cidade de Borgo Panigale Bologna, na Itália. A fábrica teve seu início de forma inusitada, pois, os seus primeiros produtos eram rádios. Alguns anos depois, a empresa mudou seu ramo de fabricação e começou a produzir motocicletas. Em mais nove décadas de atuação no mercado internacional, a empresa italiana conseguiu provocar profundas transformações no mercado de motocicletas, pois, hoje a entidade que fabricou a primeira moto com 250 cilindradas no ano de 1960, tornando-se assim a motocicleta mais rápida do mundo.

Em todos esses anos desde a sua fundação, a Ducati serviu como inspiração para as outras montadoras, por investir em mão de obra muito especializada para fabricar seus produtos e peças. E por investir muito dinheiro em tecnologia para o desenvolvimento de suas motocicletas. Os produtos da entidade italiana são comercializados em muitos países nos mais diferentes continentes e a empresa é uma das líderes do mercado de motocicletas no planeta. Um outro fato relevante a respeito de sua história é que há cerca de cinco anos, mais precisamente, em 2012, a Ducati foi comprada pelo grupo Audi, um dos maiores grupos de produção automobilística do mundo.

A cada anúncio de um novo lançamento da Ducati despertam interesse nos apaixonados por motos. Pois, todos sabem que um grande produto vai estar disponível no mercado e ele vai ser capaz de atrair atenção do consumidor, além da mídia especializada e de outras montadoras. Um dos lançamentos mais recentes do grupo italiano foi a Ducati Multistrada 1260. A Multistrada é uma das famílias de motocicletas da Dulcati. Essa linhagem faz muito sucesso desde o seu lançamento há alguns anos atrás. Prova disso, é o seu número de vendas, que é sempre muito expressivo.

Falando especificamente da Ducati Multistrada 1260 ela apresenta muitas características interessantes que a fazem concorrer ao título de um dos melhores lançamentos mundiais no setor de motocicleta.

Primeiramente vamos falar sobre o design da Ducati Multistrada 1260. Essa moto apresentada é um modelo considerado esportivo, ótimo para viagens em qualquer lugar, desde grandes metrópoles a lugares mais vazios e sem tanta habitação. Ela é um modelo mais alto, o que poderia gerar um desconforto para o condutor e para o passageiro, Entretanto, o seu banco está mais confortável tornando a viagem mais agradável.

Ela pode ser encontrada em diferentes tonalidades como: em vermelho, preto, branco (todas cores dominantes) e em mescla dessas cores, todas as tonalidades são metálicas.

A Ducati Multistrada 1260 ainda apresenta um bagageiro que foi reformulado para que este item possa caber mais pertences. O seu painel também sofreu algumas alterações, ele agora é todo em LED e funciona como um verdadeiro computador de bordo. Apresentando informações muito mais precisas e de forma muito mais fácil. Informações como: relógio, quantidade de combustível, tipo de condução, dentre outras informações.

A Ducati Multistrada 1260 apresenta o motor Testastretta DVT com 158 cavalos, o que confere para ela uma boa performance nas pistas. Ela ainda conta com uma suspensão eletrônica semi – ativa, discos de freio. O seu para-brisa também foi modificado, agora ele é produzido em fibra de carbono, o que torna este item ainda melhor, já que ele está menos pesado.

Ainda não se tem uma data definida de quando o produto chega ao mercado internacional e nem o nacional. A empresa italiana também não divulgou qual será o preço da Ducati Multistrada 1260. Lembrando que o preço dela pode variar de acordo com o gosto do cliente, que pode incluir ou retirar itens.

Se você quer saber mais informações a respeito da Ducati Multistrada 1260, acesse o endereço eletrônico da marca que é o: www.brasil.ducati.com/index.do.

Por Isabela Castro

Ducati Multistrada 1260


Estima-se que o modelo possa ser encontrado partir de R$ 50.000,00 e suas vendas devem ser começadas a partir dos próximos meses no território nacional.

Uma das maiores paixões de qualquer pessoa seja de qualquer idade são os veículos, sejam, eles automóveis ou motocicletas. Prova disso, é que para esse tipo de comércio as vendas sempre permanecem altas e raramente, é anunciado que as vendas caíram. Pois, nos dias atuais, em qualquer lugar do mundo contar com esse tipo de produto, é definitivamente, uma facilidade da vida moderna. Com isso, cada vez mais as montadoras vem investindo em produtos cada vez mais tecnológicos e que possam agradar a um número maior e mais diversificado de consumidores. E um dos últimos lançamentos que promete animar os apaixonados por motocicletas é a Triumph Tiger 800 XC. Conheça agora mesmo um pouco mais sobre essa moto e o porquê ela pode ser a sua nova aquisição.

A Triumph Motocicletas é uma montadora de motos fundada no início dos anos 80, mais precisamente, em 1984 no Reino Unido. Com mais de três décadas desde a sua fundação, a Triumph Motocicletas, nos dias atuais, está presente em mais de 10 países onde fabrica seus produtos, como: Japão, Holanda, Bélgica, França, Suécia, Suíça, Japão, Alemanha, Estados Unidos e muito mais. Hoje a companhia inglesa está na lista das principais montadoras de motocicleta do mundo. Com vendas para vários países em diferentes continentes. Seus produtos são conhecidos por apresentarem características muito próprias, como: alta qualidade, design inovador, tecnologia de ponta, dentre outros. Um dos seus lançamentos mais recentes foi a Triumph Tiger 800 XC. Essa moto faz parte da tradicional família Tiger 800, que conta com outros modelos como: Tiger 800 XR; Tiger 800 XRx; Tiger 800 XR x LOW; Tiger 800 XCx e a Tiger 800 XCa.

Falando especificamente da Tiger 800 XC, ela apresenta muitos pontos que devem ser mencionados para se compreender o quão inovadora essa motocicleta é. Vamos começar pelo seu desempenho dentro das pistas. Essa motocicleta foi desenvolvida para percorrer grandes e distâncias. Visto que, ela conta com 03 cilindros e 95 cavalos. Ótimos números para quem deseja pilotar nas ruas de grandes metrópoles ou em lugares mais tranquilos. Outro ponto que merece ser destacado, a respeito da Tiger 800 XC é que ela apresenta um painel moderno todo em LED. Que apresenta com o máximo de precisão para o piloto, informações como: temperatura ambiente, medidor de combustível, velocidade média do veículo, duração médio da viagem, relógio, indicação da posição da marcha, tacômetro analógico, dentre outras informações.

A Tiger 800 XC conta com um taque de 19 litros que possuem funções que economizam em mais de 15% o combustível da moto. Propondo assim uma economia no bolso do consumidor e também uma menor poluição no meio ambiente. O seu design chama atenção, a Tiger 800 XC é um modelo esportivo bastante arrojado, ele pode ser encontrado em diferentes cores, como: preta, prata e em variações desses tons. Além de detalhes em outras cores, como vermelho, branco e azul. Todos metálicos. O para-brisa da motocicleta foi desenhado para que os condutores ao guiarem o veículo, não tenham tanto problema com ventos mais portes, por isso, ele é mais alto. Além disso, a Tiger 800 XC apresenta um banco maior com mais conforto para que motorista e passageiro possam ter mais conforto durante a viagem. Ela ainda conta com freio e suspensão elevada para o conforto do motorista.

Estima-se que o modelo possa ser encontrado partir de R$ 50.000,00 e suas vendas devem ser começadas a partir dos próximos meses no território nacional. Para saber mais sobre a Tiger 800 XC, e outras motocicletas da Triumph Motocicletas, acesse o endereço eletrônico da empresa do Reino Unido no Brasil, que pode ser visitado através do seguinte link: www.triumphmotorcycles.com.br.

Por Isabela Castro

Triumph Tiger 800 XC


Novo modelo está munido de um motor de arranque superior aos demais, ou seja, vai causar um impacto sobre as outras motos no trânsito.

As motocicletas estão entre os veículos mais vendidos e mais variados do mundo. Recentemente foi estreada a nova Brutale Dragster 800 RR, um veículo sobre duas rodas imponente, cuja aparência intimida na primeira olhada, ou seja, trata-se de um modelo próprio de Street Fighter. Foi no dia sete de julho de 2017 que foi realizada no seio da estrutura da MV Agusta, na cidade de Lisboa, a estreia do modelo novo intitulado RR MY17 da MV Agusta Brutale Dragster RR, modelo recente de 2017, em conformidade com o padrão da Euro 4.

Esta marca em forma de RR, que estava sendo usada pela companhia apenas para representar os modelos de motos munidos de quatro cilindros, tornou-se ícone que distingue os novos modelos da Brutale Dragster, tais como os veículos aparelhados com três cilindros. A nova comunhão entre a potência, o estilo e até mesmo o design fabuloso do quadro desta moto, a chamada Dragster RR, basicamente inaugura uma linha explicitamente exclusiva.

Portanto, esta nova moto, MV Dragster RR, está munida de um motor de arranque superior aos demais, ou seja, vai causar um impacto sobre as outras motos no trânsito. Na medida em que a rotação de punho for ativada e as passagens de câmbio forem executadas esta Dragster impulsiona o piloto adiante por meio de uma grande capacidade de manter a velocidade e o equilíbrio. Esta Dragster RR consiste em uma produção superior em três cilindros potencializados em 800CC, garantindo maior força, portador de melhor aparelhagem electrónica, além de estar adornada de traços contínuos, verdadeiras marcas autênticas que caracterizam esta versão RR da Brutale Dagster.

Este motor dispensa apresentação, já que se trata da típica e eficiente tecnologia italiana tão reconhecida no mercado. Assim, a companhia MV decidiu imprimir mais força e impulso no novo modelo, justificando a identificação adotada de RR. A força registrada de até 140CV confirma essa grande produção elaborada e desenvolvida, já que se trata de uma combinação sem precedentes, sendo que é a primeira vez que surge um motor com três cilindros de 800CC, que proporciona a grande potência e desempenho.

O motor pode ser descrito como um tipo compactado pesando até 52Kg, o qual abarca uma tecnologia de alto prémio, incluindo cambota com rotação inversa, promovendo este recurso como um dos mais sublimes do mercado atual. Está aparelhado de um tensor hidráulico em corrente de distribuição que garante o desempenho suave e silencioso deste motor de grande força e impulso.

Na parte electrónica a injeção sofreu nova elaboração, nela sendo incluídos os injetores duplicados por meio de um cilindro, seis no total. O desempenho da potência acontece de modo suave em rotações mais baixas, ao mesmo tempo que é carregado de energia e mais violento em suas altas rotações, munido do limitador em 13.200 RPM.

Assim, a potente MV Dragster RR abrange, neste momento, a série de um sistema de MVICS (Motor and Vehicule Integrated Control System). Está munida de Maps com maior precisão articulando de modo eficiente a capacidade explosiva dos três cilindros com rendimento e economia. Possui um desempenho tanto mais potente quanto é mais ecologicamente correto.

Possui um sistema que mantém a regularidade do torque e os movimentos do motor estão configurados em 3+1, com Sport, o Normal e Rain, além de mais uma Custom. Esta RR possui, de fato, as mesmas dimensões e a mesma geometria do modelo Dragster normal. Munido do melhor ABS, sobretudo em pistas de superfície molhadas e muito lisas. Vale a pena conferir.

Por Paulo Henrique dos Santos

MV Agusta Brutale Dragster 800 RR


A nova moto esportiva vai deixar de lado o motor bicilíndrico e inovar com o motor de 4 cilindros em V de 1.103 cm³ que rende 214 cv e 12,4mkgf.

A Ducati já é uma marca italiana renomada no mercado de motos e vai lançar seu novo modelo que é a Ducati Panigale V4. Esse novo lançamento promete grandes mudanças e trazer a modernidade encima de 2 rodas.

Ducati Panigale V4 promete quebrar paradigmas

O novo lançamento da Ducati vai inovar trazendo uma grande mudança em seu novo modelo. A nova moto esportiva vai deixar de lado o motor bicilíndrico e inovar com o motor de 4 cilindros em V de 1.103 cm³ que rende 214 cv e 12,4mkgf. Ela também tem o sistema desmodrômico de válvula, que já é padrão da marca e vai ser mantido nesse novo lançamento. E essa é a primeira vez que essa estrutura de propulsor é usada em uma moto de linha italiana.

Conheça os itens de série da Ducati Panigale V4

O pacote de itens desse lançamento é sensacional e muito animador e nele contém:

Quickshift (que é o sistema que troca de marcha sem precisar movimentar o manete de embreagem) que é usado para subir e descer marchas e tem três modos de condução que são rua, corrida e sporte.

Freios ABS de curva

IMU que é a unidade de medição inercial é de série e tem 6 eixos que leem a velocidade, mudanças de direção e a inclinação da moto para garantir a entrega certa de potência na roda traseira e também faz a aplicação de força do ABS ou controle de tração.

Existe uma versão da Panigale V4 mais completa

O que algumas pessoas não sabem sobre a Ducati Panigale V4 é que existe uma versão mais completa dela, que é a Panigale V4 S que contém amortecedores Öhlins NIX-30 na parte da frente e TTX36 na parte de trás e também na direção semiativas com ajuste eletrônico bateria de Íon de lítio e rodas de alumínio forjado. Essa nova versão foi desenvolvida principalmente para as pistas, e ainda foi adicionada a ele o para-lamas de fibra de carbono, pedaleiras ajustáveis, banco revestido de alcantara e escapamento de titânio da Akrapovic, que vai elevar a potência para 226 cv. Essa nova versão é indicada para quem vai competir e precisa de uma máquina completa, que traz velocidade, estabilidade e segurança em uma única moto.

Design arrojado e encantador

A Ducati Panigale V4 é uma moto robusta e que chama a atenção por onde passa. Ela é ideal para pessoas que gostam de ter uma máquina grande, atrativa e potente. Ela se enquadra na categoria esportiva e por isso é indicada para diversos tipos de competições. Ela veio para deixar seu nome registrado através de toda sua potência.

Panigale V4 vem para substituir a versão Panigale 1299 S

A Panigale V4 não é qualquer moto ou mais um novo lançamento. Ela vem para substituir outra máquina bem potente que é a Panigale 1299 S. isso já mostra que essa moto vem para impressionar até os mais conhecedores de motos do mundo. A versão da Panigale 1299 S é uma máquina muito conceituada e que possui 205 cavalos, o que a torna muito potente. Por essa razão já podemos esperar uma máquina para ninguém colocar defeito.

Apresentação à altura da marca e da grande máquina

Para a apresentação da Panigale V4 foram convocados os pilotos da MotoGP, e isso já mostra a grandiosidade desse lançamento tão esperado. Os pilotos que participaram dessa apresentação foram o Andrea Dovizioso e Jorge Lorenzo. Porém, quem teve o privilégio de entrar no palco pilotando essa maravilhosa máquina, foi o australiano Casey Stoner, que foi campeão mundial em 2007 em Ducati.

Valor da Panigale V4

Essa é uma das informações mais esperadas desse lançamento, e ela vai custar o equivalente a R$ 107.000,00. É claro que o valor pode ser considerado alto para uma moto, mas, ela não é uma simples moto. É uma máquina de competição e muito potente. Além de ser um lançamento.

Ainda não existe uma data para o lançamento da Ducati Panigale V4, o que se sabe é que será lançada em 2018. Em quanto isso o que nos resta é aguardar!

Por Cristiane Amaral

Ducati Panigale V4


A BMW F 850 GS é uma big trail de média cilindrada que funciona muito bem tanto em estradas asfaltadas como em estradas não asfaltadas.

Durante o Salão de Milão, a BMW apresentou diversas novidades que vão aquecer o mercado no próximo ano e fazer os olhos dos amantes de motos brilharem. Uma das novidades é a nova linha GS e um dos modelos que vem compondo essa linha é a BMW F 850 GS, uma big trail de média cilindrada que funciona muito bem tanto em estradas asfaltadas como em estradas não asfaltadas.

Em relação ao design, possui um visual que é robusto e imponente, feito com uma estrutura de aço tubular é ideal para a prática de off road. Conta com um painel de instrumentos que possui iluminação laranja que ascende automaticamente quando está em um ambiente escuro e com um display digital com tela TFT de 5,5 polegadas contendo todas várias informações necessárias como indicadores de marcha engatada, temperatura do motor, nível do combustível, informações sobre o tanque e hodômetro total e parcial. Também está equipados com conta giros, velocímetro, cronômetro, relógio, e saída 12V para acessórios e faróis de LED. A série conta ainda com bancos de assentos com alturas diferentes, comandos de punho de fácil usabilidade, controle de tração ASC, entre outros.

Vem com um sistema eCall da BMW instalado na moto, que funciona por satélite, permitindo que o piloto consiga pedir ajuda e seja rastreado em caso de algum acidente.

O motor bicilíndrico de 853 cm com potência de 95 cv, quatro tempos, arrefecimento líquido, seis marchas, discos dianteiro duplo e disco traseiro simples, rodas com raios, garfo dianteiro invertido, suspensão com ajuste eletrônico, ABS acompanhado pelo controle automático de estabilidade da BMW, pneu de 12 polegadas.

Veja abaixo a ficha técnica:

Ficha técnica da BMW F 850 ​​GS 2018

MOTOR

Tipo: Arrefecido a água, duplo cilindro, 4 tempos, dois eixos de cames na cabeça do cilindro, lubrificação por cárter seco e 4 válvulas por cilindro.

Diâmetro x curso: 84 mm x 77 mm

Cilindrada: 853 cc

Potência de: 95 cv a 8 250 rpm

Torque máximo: 92 Nm a 6.250 rpm

Taxa de compressão: 12,7: 1

Controle de mistura e gerenciamento de motores Injeção eletrônica, tubo de sucção, gerenciamento de motores BMS-M

Controle de emissão Conversor catalítico regulado, de três vias

BENEFÍCIOS E CONSUMO

Velocidade máxima: +200 km / h

Consumo por 100 km a uma velocidade constante de 90 km / h ND l

Consumo por 100 km a uma velocidade constante de 120 km / h 4.1 l

INSTALAÇÃO ELÉTRICA

Alternador trifásico de 416W

TRANSMISSÃO

Embreagem multi-disco em banho de óleo, acionada mecanicamente.

Caixa de velocidades Seis velocidades de consumo constante, integradas no cárter.

Transmissão Corrente contínua com O-rings e amortecedor anti-choque no cubo traseiro.

QUADRO e FREIOS

Moldura de aço monocasco de quadro, motor de rolamento

Roda dianteira e suspensão Forquilha reversa, Ø 43 mm

Roda traseira e suspensão Braço oscilante de dois braços em alumínio

Curso das suspensões dianteira / traseira 204 mm / 219 mm

Distância entre eixos: 1.593 mm

Avançar 126 mm

Ângulo da direção: 28 °

Pneus radiais de pneus

Medição da frente: 2.15 × 21 "Medição traseira: 4,25 × 17 "Pneu dianteiro: 90/90 – 21 Pneu traseiro: 150/70 – 17

Travão dianteiro Duplo disco 305 mm, pinça flutuante de duplo pistão.

Travão traseiro Um disco de 265 mm, pinça flutuante de pistão único.

ABS BMW Motorrad (destacável)

DIMENSÕES E PESOS

Comprimento 2,305 mm

Largura (com retrovisores) 922 mm

Altura do assento no vácuo 860 mm (assento baixo: 815 mm)

Peso seco 229 kg

Capacidade do tanque 15 l

Por Lorena Ruiz

BMW F 850 GS


Moderna e em modelo único, a moto faz parte da classe retrô, inspirada na década de 1970.

A Kawasaki revelou a sua mais nova aposta para mercado, a Z900RS. Moderna e em modelo único, a moto faz parte da classe retrô, inspirada na década de 1970, com referência as linhas clássicas da Z1, e com base no modelo Z900.

Ao invés de simplesmente dar um novo estilo ao modelo retro Z900, o Kawasaki introduziu uma série de mudanças, significativas, sob o design. Essas mudanças incluem um motor retomado e um chassi totalmente redesenhado.

Motor

Segundo a fabricante, motor quatro cilindros de 948 cm³em linha-quatro foi retomado para um torque mais forte de baixo a médio alcance. O pico de energia está reduzido de 125cv para 111 cv de potência máxima (a 8.500 rpm).

A primeira marcha também é mais curta do que o antigo modelo da marca, Z900, para torná-la mais difícil de parar, quando começar a mover-se. Já a sexta marcha é mais alta para vibrações reduzidas em velocidade.

De acordo com a fabricante Kawasaki, a estrutura de treliça de aço foi "completamente redesenhada" para acomodar o novo tanque de estilo, em formato de gota, o que, também, ajuda a oferecer uma posição de condução mais relaxada e mais alta do que a Z900.

Peso

Feita sob uma estrutura mais leve, com larga utilização de materiais resistentes, o novo modelo surge para substituir a icônica Z800. São apenas 210 kg que acrescentam mais estilo e charme no modelo Kawasaki. Sua posição mais baixa para a condução é determinante para uma condução mais esportiva.

Curiosamente, o Z900RS também obtém um freio dianteiro de maior especificação e a adição de controle de tração, no que poderia ser um sinal de que upgrades semelhantes estão a caminho do Z900.

Ainda de acordo com informações da fabricante Kawasaki, o Z900RS possui calipers dianteiros monobloco de quatro pistões de montagem radial, enquanto o Z900 possui uma configuração convencional de quatro pistões gêmeos.

Já como o modelo Z900, a Z900RS possui uma embreagem de assistência e chinelo, mas também se beneficia do controle de tração, que ao contrário da Z900, não possui nenhum.

O sistema KTRC oferece dois modos de equitação, um para "desempenho de equitação de esporte melhorado" e um para "negociar superfícies escorregadias com confiança".

Entre os muitos novos elementos de estilo tradicionais, estão o capot de cauda inspirado Z1 e o velocímetro e o rev-contador de estilo analógico.

Rodas

As culatras agora têm barbatanas para imitar o arrefecimento do ar e as novas rodas fundidas que possui mais raios. As jantes raiadas possuem dimensão para encaixe de uma grande variedade de pneus, que vão de modelos de pneus mais clássicos, aos mais desportivos, que são usados para eventos como Track Days.

A fabricante Kawasaki ainda afirma que a nota do escape de quatro em um, de estilo megafone, foi especialmente ajustada para um rumor profundo a baixas rotações.

Como o Z900, a Kawasaki Z900RS tem forquilhas invertidas de 41mm com amortecimento de compressão e amortecimento de recuperação, com ajuste de pré – carga de mola. O modelo ainda possui e um back – link horizontal, choque carregado com gás, com amortecimento de rebote, e ajuste de pré – carga da mola.

Cores

O modelo pode ser encontrado no mercado nas cores verde, marrom e laranja, preto ou fosco.

Lançamento

Os novos modelos da fabricante, a Z900 RS e a Ninja 400, foram apresentadas nesta última terça-feira, 14, em um evento em São Paulo, São Paulo Expo. Os novos modelos estão previstos para serem vendidos no Brasil a partir de 2018. Os valores ainda não foram revelados para vendas no país.

Já para demais especificações e outros modelos, acesse o site da fabricante Kawasaki pelo link: http://kawasakibrasil.com.br/.

Por Cassiany de Paula

Kawasaki Z900RS


A moto foi inspirada nas motocicletas de competições. Dessa forma, é um veículo mais esportivo e mais alto em relação aos outros modelos mais comuns da Honda.

Um dos meios de transporte mais usados em todo o mundo é a motocicleta. Este veículo é usado para diferentes finalidades e é um verdadeiro facilitador da vida moderna. Por vários motivos, nos quais podemos citar: um preço mais acessível em relação a outros veículos, um baixo consumo de combustível, a facilidade de poder transitar em qualquer lugar e estacionar também em qualquer espaço, dentre outros benefícios.

Desde a sua invenção, datada no século XIX, mais precisamente, no ano de 1820, muitas empresas tornaram-se fabricantes desse bem e que investem a cada ano muito dinheiro para desenvolver produtos altamente tecnológicos. E um dos lançamentos mais recentes do mundo sobre duas rodas foi a nova Honda CB 125R. Conheça um pouco mais sobre essa moto e porque ela pode se tornar a sua próxima compra.

Fundada no final dos anos 40 em Tóquio, no Japão, mais precisamente em 1948, a Honda é uma montadora de veículos. Em quase sete décadas desde a sua criação, a empresa japonesa é uma das principais líderes na fabricação de automóveis e motocicletas em todo o mundo. Milhões de pessoas possuem ou já possuíram ao menos um produto da entidade. Além disso, os seus veículos são exportados para todo o mundo. A Honda ainda conta com fábricas, lojas espalhadas por diferentes países nos mais diversos continentes. No Brasil, o sucesso da montadora não é diferente. No território nacional, a Honda chegou no ano de 1971 e em 46 anos de atuação no mercado nacional, a empresa sempre figura na lista doe veículos mais adquiridos pelos brasileiros. A Honda também desenvolve diferentes veículos para o transporte normal, como carros e também automóveis para indústrias, como caminhão, carretas, dentre outros.

Falando mais especificamente sobre a Honda CB 125R. Esse modelo é um dos produtos de mais alta tecnologia já desenvolvido pela montadora japonesa. Visto que, para chegar às características que ele apresenta, foram levados em consideração muitos fatores de aperfeiçoamento e desenvolvimento de outros veículos da marca japonesa. Dessa forma, primeiramente, vamos falar do design da Honda CB 125R. Este veículo foi inspirado nas motocicletas de competições. Dessa forma, é um veículo mais esportivo e mais alto em relação aos outros modelos mais comuns da Honda.

A Honda CB 125R pode ser encontrada em diferentes cores, como: amarela com variações em laranja, totalmente preta e uma mescla entre branco, azul e vermelho. Todas em tons metálicos. Ela ainda conta com um painel todo em LED, que é um verdadeiro computador de bordo, já que mostra diferentes funções como: nível de combustível, indicação da pista, relógio, dentre outras funções.

A Honda CB 125 R vem de uma família de motos potentes, a família CB que conta com tantas outras unidades e que fez muito sucesso desde o seu lançamento há alguns anos. A Honda CB 125 R possui uma boa performance nas pistas já que conta com 125 cilindradas. Ela pode ser usada tanto para fazer viagens ou para uso cotidiano, nas grandes metrópoles brasileiras. Ela foi desenvolvida atendendo as mais altas normas de segurança. Prova disso é a forma como os seus pneus foram desenvolvidos, com uma tecnologia mais alta. Ela é indicada para os jovens condutores, devido às suas especificações. Por ser uma moto em estilo esportivo. Mas, atendendo as normas para que possíveis acidentes possam ser evitados. O modelo já pode ser encontrado nas mais diversas concessionárias da Honda em todo o Brasil. O preço estipulado é a partir de R$ 9.000,00. Claro que há variações. Visto que a Honda permite que seus clientes possam colocar diferentes acessórios e escolher diferentes coisas em suas motocicletas. Assim criando um veículo muito particular.

Para saber mais sobre esse produto e outros veículos da Honda, acesse o seguinte endereço eletrônico: www.honda.com.br.

Boa sorte!

Por Isabela Castro

Honda CB 125R


Modelo será lançado no início de 2018.

Para que está buscando um novo conceito para um transporte sobre duas rodas, a nova VITPILEN 701 da montadora russa Husqvarna deverá se sobressair no mercado de motos no mundo inteiro com um novo conceito.

Lançada no último salão EICMA em Milão, a nova moto promete mostrar bastante novidades com seu novo estilo e a sua chegada aos mercados consumidores já tem data agendada: início de 2018.

Os amantes de motocicletas deverão ter algumas boas novidades com as modificações que a montadora promete entregar aos seus consumidores. Tudo isto para que ela possa se firmar cada vez mais, principalmente, a partir do ano que vem no segmento das motos feitas para rodar em estradas por um longo período.

A marca Husqvana sempre se destacou no mercado russo por seu estilo mais alternativo. Deste modo, quem procurava um conceito diferente de motocicleta que fugisse um pouco dos padrões comuns adotados pelas suas principais concorrentes como a Honda e Yamaha, mais projetadas e planejadas, ela oferece um estilo mais contemporâneo e de vanguarda.

Apesar da sua concepção sempre a frente do seu tempo, os engenheiros russos resolveram incorporar também alguns conceitos e tecnologias mais modernas, tudo em função das atuais necessidades dos seus consumidores.

Assim a nova VITPILEN 701 estreará nas concessionárias em todo o mundo trazendo algumas mudanças e adaptações em virtude do estilo de vida prático, dinâmico e moderno das grandes metrópoles mundiais.

Apesar das mudanças, alguns detalhes que poderiam passar desapercebidos foram mantidos como uma forma de manter ainda o estilo único da marca.

Neste sentido, as suas linhas de design são fiéis ao projeto original que diferencia a marca e proporciona uma experiência única ao dirigir um destes modelos. A intenção é passar para o cliente o conceito verdadeiro de “Real Street Motorcycles”.

As mudanças que podem ser notadas no seu modelo a ser comercializado no início do ano que vem começa pelo projeto de elaboração do seu quadro principal. A nova VITPILEN 701 traz esta estrutura fabricada a partir de uma liga bastante resistente feita de uma liga de aço em combinação com Cromo e Molibdênio.

Com isto, o condutor ganha em mais segurança, pois poderá ter um maior controle da motocicleta proporcionada pelo alto grau de rigidez adquirido pela combinação destes dois tipos de metais. A montagem é feita através de sistema a laser e guiada por mecanismo robótico, o que garante maior precisão e segurança na montagem.

Para que se interessa pela potência do motor, o novo modelo vem de fábrica com um sistema de injeção exclusivo de combustível e que é controlado por um dispositivo eletrônico instalado no painel da moto.

Além disto, é o sistema SEM que gerencia todo o funcionamento do motor, inclusive a quantidade exata de combustível a ser utilizada, o que proporciona uma maior economia.

Ela vem equipada com um motor de 75 Cavalos de força, o que proporciona quase 700 cilindradas de potência e um torque de mais de 6.7 rpm.

Pensando na segurança dos seus consumidores, a montadora equipou o seu modelo com sistema de freio ABS nas duas rodas e um sistema de embreagem que proporciona a troca de marchas de modo mais rápido e suavidade.

Este sistema foi desenvolvido para que a moto não perca estabilidade, principalmente, na roda traseira, o que garante ao condutor um maior controle da roda traseira e mais segurança ao realizar uma curva ou entrar para um dos lados.

Para quem ainda não conhece o modelo fabricado pela Husqvana, esta é uma chance de ter contato com um novo estilo e por que não fazer um test drive com esta novidade.

Por enquanto, a montadora ainda não informou quais as concessionárias que estarão com a motocicleta para que o público conheça e quem sabe já não saía pilotando o novo modelo. Se você se interessou, é bom saber e já ir reservando um tempo para fazer uma visita.

Por Liana Gifoni

Husqvarna Vitpilen 701

Husqvarna Vitpilen 701


Modelo alia conceito de performance e design radical e arrojado, podendo ser usada no dia a dia, finais de semana, no campo e na estrada.

A Yamaha considera a MT-09 não só uma moto de alta cilindrada de perfil naked, ela traduz um conceito de performance e design radical e arrojado, seu projeto de construção tem participação exclusiva de pilotos com o claro objetivo de trazer uma personalidade singular e única a moto e sua condução.

A Master of Torque da Yamaha, alia muita tecnologia com seu motor de alumínio em 3 cilindros trazendo potência de sobra com os seus 115cv e ronco excitante com o seu escapamento 3 em 1.

O resultado é uma moto de baixo peso, bela e esportiva, com praticidade tanto para a cidade, no trabalho e no dia-a-dia, como nos finais de semana, no campo e estradas.

Atributos e Diferenciais da Yamaha MT-09

Os principais atributos e diferencias da Yamaha MT-09 na sua versão 2018 são:

– Motor de 3 cilindros feito em alumínio, com excelentes 115cv de potência e 8,92kgf de torque fazendo dela uma das mais potentes de seu nicho

– Tecnologia embarcada em todos os quesitos, como nos freios ABS, aliás, item de série dela, controle de comportamento e performance eletrônicos em até 2 opções de variação e acelerador eletrônico.

– Peso leve e centralização da massa, fazendo o conjunto pesar apenas 191kg em ordem de marcha, com Chassi e Balança feitos em matérias nobres.

– Painel totalmente Digital, com múltiplas funções, incluindo computador de bordo, mostrador de troca de marchas, consumo e muitas outras funções.

– Uma característica exclusiva da linha MT é o seu compacto escapamento 3 em 1 que contribui para uma centralização e otimização de massa da moto, isto se traduz em manobras muito mais ágeis por parte do condutor.

Ficha Técnica

Motor de 4 tempos, 3 cilindros, refrigeração líquida, 115cv de potência máxima, torque máximo de 8,92 kgfm e câmbio de 6 velocidades.

Cilindrada de 847 centímetros cúbicos

Partida Elétrica

Transmissão primária feita por engrenagens e secundária por correntes

Combustível principal é Gasolina

Chassi tipo Diamante

Suspensão Dianteira com Garfo Telescópico

Suspensão Traseira com tipo Monocross

Pneu dianteiro medindo 120/70

Pneu traseiro medindo 180/55

Freio dianteiro duplo disco hidráulico com sistema antitravamento eletrônico

Freio traseiro com disco hidráulico com sistema antitravamento eletrônico

Altura de 1135 milímetros, Largura de 815 milímetros e Comprimento de 2075 milímetros

Peso de 191 kg

Tanque de Combustível com capacidade para 14 litros

Altura mínima de 135 milímetros e Altura do assento de 815 milímetros

Entre eixos com distância de 1440 milímetros

Acessórios

O comprador da Yamaha MT-09 pode optar também por uma vasta linha de acessórios, precisamente 28 itens, todos vendidos e detalhados no site da Yamaha, entre os principais destacamos:

Bagageiro Traseiro Prata ou Preto

Bauleto de 39 ou 50 litros

Bolsas Laterais e fixador para elas

Piscas de LED em carbono pretos ou cromados

Encostos para passageiros

Para-brisa estilizado

Suporte para utilização de Smartphone

Tomada para carregadores de 12V

Freio com Manete, Embreagem com Manete

Tanque com Protetor exclusivo

Tampas Laterais para o Radiador em um Kit personalizado

Tomadas de AR em Kit com tramas de malhas

Bolsas Internas de 39 ou 50 litros

Bolsa para Tanque

Corrente com Capa

Bolsa de Tanque com Anel e Protetor

Cores, Preço e Condições

A versão 2018 da Yamaha MT-09 esta disponível em duas cores, as metálicas Magma Red (Vermelha) e a Night Fluo (Cinza Sólida), a Yamaha oferece a moto a partir de R$ 39.770,00, não incluindo frete e seguro, ou financiada através do Consórcio Online em 60 parcelas de R$ 848,45, no Plano Premium com o crédito final de R$ 42.199,00.

Todos os detalhes desta naked com sua ficha técnica, principais características e concessionárias, podem ser conferidos no site da própria Yamaha: https://yamaha-motor.com.br/mt-09.

Por Carlos B.

Yamaha MT-09


Modelo C 400 X é o primeiro scooter de baixa cilindrada da BMW.

Cheio de charme, estilo e perfeito para ser utilizado em áreas urbanas, driblar o trânsito e chegar mais rápido, cada vez mais os scooters vem conquistando espaço e se tornando os queridinhos de muitas pessoas.

Em 2011, a BMW se iniciou na categoria scooter, e os modelos de estreia responsáveis por iniciar a marca nessa categoria foram os modelos BMW C 600 Sport e o BMW C 650 GT, ambos scooters de alta cilindrada. Porém este ano, o Salão de Milão, maior evento de motos do mundo, responsável por mostrar os novos lançamentos e tendências e é claro levar a loucura os apaixonados por motos, apresentou muita novidade nessa edição e a BMW foi responsável por uma dessas novidades, o lançamento de seu primeiro scooter de baixa cilindrada, o modelo C 400 X, inclusive a marca já prometeu que mesmo sendo de baixa cilindrada, vai manter a qualidade premium no produto.

Com lançamento previsto para 2018, o modelo possui design moderno, elegante e os faróis de LED juntamente com uma ergonomia sofisticada traz um ar meio futurista, além de ter uma boa proteção contra o tempo/clima. O painel de instrumentos conta com tela LCD multifuncional com computador de bordo, nível de gasolina, temperatura do refrigerador, lembrete de revisões, relógio de tempo, entre outras funções. Outro ponto bacana no painel, é o fato de que quando o scooter está em ambientes claros, a luz do velocímetro apaga, isso para que o condutor tenha uma melhor visibilidade. Caso prefira, o condutor pode ter também adquirir os itens opcionais, onde ele terá a possibilidade de conectar smarphones, ouvir músicas, gravar rotas e até fazer chamadas caso ele tenha um capacete apropriado para isso, tudo através de uma tela TFT de 6,5 polegadas que vem equipada com esse pacote opcional. Em relação ao espaço para bagagem, a área se estende para baixo em direção a roda traseira, com isso ganhando espaço e resultando em um generoso espaço de armazenamento.

Perfeito para ser utilizado na cidade, o modelo conta com apenas um cilindro que gera potência de 34 cavalos, controle digital do motor, um tanque de combustível de 12,8 litros e uma reserva de 4 litros, 4 válvulas por cilindro, injeção eletrônica de combustível, velocidade de 139km/h e com itens de série como freios ABS, controle de estabilidade devido combinação de um pneu dianteiro de 15 polegadas com uma frente de 14 polegadas, que além da estabilidade, também garante uma ótima agilidade, duplo disco de freio na dianteira e disco simples na traseira e câmbio automático. Tem controle de tração ASC que aumenta a segurança, além de uma trança metálica nos travões.

Existem duas opções de cores: metálico azul e branco ou branco e preto com estofado vermelho. Além dos itens opcionais no painel de instrumentos, existe vários outros acessórios de fábrica que possibilitam a personalização do produto como, por exemplo, um sistema de início sem chave, luzes LED diurnas, troncos diferentes, assento inferior ou tela superior.

Os modelos serão lançados na Europa em 2018 e ainda não teve o preço divulgado.

Veja abaixo a ficha técnica:

Marca: BMW / Modelo: BMW C 400.

Ano: 2018.

Cilindradas: 350 cc.

Distribuição: OHC.

Cilindros: 1.

Válvulas por cilindro: 1.

Alimentação: Injeção eletrônica.

Refrigeração: Líquida.

Compressão: 11.5:1.

Potência: 34 cavalos.

Combustível: Gasolina.

Consumo: 3,5 l / 100 Km

Velocidade: 139 KM/h

Sistema de ignição: Eletrônico.

Bateria: 12 V 9ah.

Travão dianteiro: 2 discos ABS/ diâmetro 265 mm.

Travão traseiro: Disco/ diâmetro 265 mm.

Diâmetro da roda: 14’

Pneu de garganta: 4,25

Material da roda: Alumínio

Modelo do pneu: Diablo scooter

Medida dos pneus: 150/70 ZR14

Por Rosângela Pereira Rodrigues

BMW C 400 X

BMW C 400 X

Fotos: Divulgação


A Honda apresentou a nova geração da CB 1000R que possui 145 cv de potência, nova aparência e design muito mais moderno.

A nova geração da motocicleta montada e produzida pela Honda CB 100R ganhou 145 cavalos de potência, nova aparência e design muito mais moderno. Separamos as características mais marcantes dessa máquina para você conferir. Confira no post!

A CB 1000R é fabricada pela montadora Honda

A montadora Honda está presente há mais de 45 anos presente aqui no Brasil. Esta imensa fábrica atua no planejamento, fabricação e montagem dos melhores carros, produtos de força e é claro, das motos e motocicletas. A Honda possui compromisso ambiental, social e na qualidade de serviços para com seus clientes.

A apresentação da nova geração de motocicletas da Honda

A incrível fabricante e montadora dos carros e motos de maior qualidade no Brasil, apresentou a sua novidade referente à motos no Salão de Duas Rodas que aconteceu na cidade de Milão: A nova geração da CB 1000R. A moto que carrega nome de "Naked" ganhou um visual totalmente diferenciado. A novidade da Honda deixou o visual Jaspion de lado, e adotou um visual totalmente novo, mesclando o design retrô e o moderno. A moto fabricada pela Honda ganhou um nome novo: Neo Sport Café.

O peso e o motor da máquina

A moto Neo Sport Café pesa em média 12 quilos a menos que a versão anterior da CB 1000R. O chassi também teve peso reduzido, foram 2 quilos e 500 gramas retirados. O motor da CB 1000R que acompanha a motocicleta é um modelo de quatro cilindros, e possui linha refrigerada por água. São 145 cavalos que equipam o motor da Neo Sport Café, 20 cv a menos que a geração anterior, são 10.500 rpm e 10,4 kgfm de torque a 8.250 rpm, são 0,5 kgfm acima da geração anterior da CB 1000R.

A Neo Sport Café é além de potente, muito tecnológica

A parte tecnológica da nova motocicleta lançada pela Honda possui acelerador eletrônico com três opções de aceleradores eletrônicos, trazendo três tipos de pilotagem definidos previamente, as quais: Standar, Rain e Sport, além desses três modos, você também tem a opção de ajustar os níveis, que são três, para ter um modo de pilotagem personalizado, controlando a tração da motocicleta. O escape do lançamento da Honda é 4X1, possui uma grande ponteira e fluxo planejado para alcançar mais torque, visando os 5.000 rpm.

O quadro de instrumentação possui muita tecnologia envolvida, seu visor é totalmente digital. O conta-giros da moto possui faixa vermelha a 10.500, isso significa que é o valor de rotação potencial máxima. O conta-giros percorre todo o superior do painel, ele ainda possui o velocímetro, também digital, ao centro, dados de computador de bordo logo ao lado e nível de combustível do outro lado.

Ciclística da motocicleta possibilita pilotar na cidade e na estrada

A ciclística da moto possui distância nos eixos de 1455 mm, ou seja, 10 mm maior que a geração anterior. O assento ficou mais alto que a última geração também, terá 830mm. O braço oscilante da motocicleta foi reduzido para 574,2 mm.

O que deixará o piloto desta bela moto mais confortável para dirigir, possibilitando o motorista passar um tempo maior em cima da moto.

Valores e data de início de vendas

A Honda ainda não decidiu qual o valor de venda do modelo Neo Sport Café, por ter sido um lançamento super recente (7 de novembro de 2017).

Por Carolina B.

Honda CB 1000R


Modelo apresenta um design esportivo e diferenciado, devido às pedaleiras em posições recuadas, e o guidão mais baixo.

Se você está procurando para comprar uma bela moto com ar inovador e um tanto agressivo, pode ser que você tenha achado. Conheça a partir deste post a motocicleta mais inovadora do mercado, a Yamaha Fazer 150.

Yamaha Fazer

Conheça o modelo Fazer da Yamaha, um dos principais e mais conhecidos modelos da marca. Usando a tecnologia BueFlex, o modelo se torna muito econômico e prático, o que possibilita para o motorista andar tanto na cidade quanto na estrada. Além disso, apresenta um design esportivo e diferenciado, devido às pedaleiras em posições recuadas, e o guidão mais baixo que o “normal”. Fatores como os acabamentos e características gerais da motocicleta a auxiliam ter um a esportivo e inovador, sempre deixando-a com um ar estiloso diferente das outras motos da mesma categoria. Itens como o alumínio usado nas alças da garupa, nos contrapesos do guidão e nos protetores de pé fazem com que a Yamaha Fazer seja o que é: a inovação do mercado.

O ar agressivo também está presente nesta máquina, oferecido pelos retrovisores em formato hexagonal, e a pintura preta do motor e do garfo dianteiro. Caso você decida levar a Yamaha Fazer para casa, contará com três anos de garantia, e terá direito a Revisão Preço Fixo Yamaha.

Uma motocicleta segura

A Yamaha Fazer 150 dá toda segurança que o motorista precisa, ela possui um sistema de frenagem unificado, ativando os dois freios – traseiro e dianteiro – ao mesmo tempo, já que a maioria dos motociclistas tendem a utilizar mais os freios traseiros, podendo assim resultar em acidentes.

A Yamaha utiliza este método de frenagem para reduzir o tempo e espaço para acionar os freios em relação aos obstáculos que podem ser encontrados a frente.

Motor BlueFlex 150 CC

O “coração” desta incrível motocicleta é monocilíndrico de 149,3 centímetros cúbico, ela funciona com comando único (SOHC) no cabeçote, ela também possui arrefecimento a ar.

Funciona com etanol, gasolina ou as duas opções misturadas, podendo ser em qualquer proporção, mas a gasolina capacita menos o motor, gerando 12,2 cv, enquanto o etanol pode gerar até 12,4cv. Tanto um quanto o outro serão atingido a 7.500 rpm. O torque também é diferenciado com gasolina e etanol, atingindo 1,285 kgf.m com gasolina, e 1,295 kgf.m com etanol, os dois poderão estarão disponíveis em 5.500 giros.

Painel

O painel da moto é iluminado por leds brancas, e possui partes analógicas. A parte ainda conta com traços digitais, onde há o fornecimento de informações completas, como o exclusivo marcador de marcha da Yamaha, indicador “ECO” que avisa o motorista quando o motor está trabalhando em uma faixa de rotação mais eficiente e por isso mais econômica, e fuel trip.

Ciclístico equilibrado

A Yamaha Fazer 150 possui um quadro estilo diamante de aço, trazendo equilíbrio em seu conjunto ciclístico e assim inclui em seu freio sistema hidráulico, com discos de 245 milímetros de diâmetros. O freio traseiro desta moto é a tambor e possui 130 milímetros de diâmetro. Suas rodas de alumínio reforçam o ar esportivo e inovador da moto, ainda mais por ter os pneus sem câmara Metzeler. A suspensão traseira da Fazer 150 é amortecida por um sistema chamado bichoque e possui curso de 92 milímetros e 112 milímetros na roda, já o sistema de suspensão dianteiro possui um garfo telescópio e curso de 120 milímetros.

CORES

A Fazer 150 UBS 2017 pode ser comprada em quatro cores no Brasil, são elas: Dak Magenta, Branco Cristal, Racing Blue e Preto Eclipse.

Para saber mais informações como preços e ficha técnica desta incrível Yamaha, você pode acessar o link www.yamaha-motor.com.br/consorcio/acontece/noticias/yamaha-ys-150-fazer-sed-ubs.

Por David Ferreira

Yamaha Fazer 150 UBS

Yamaha Fazer 150 UBS


A linha 2018 a Yamaha Factor 125 i ED traz novidades como um novo design da carroceria, painel digital mais completo e uma motorização que garante maior torque na aceleração e retomadas.

A linha 2018 da Yamaha Factor 125 i ED vem com uma série de atributos para conquistar não só os tradicionais admiradores da marca como também um novo público ávido por renovações.

Com um novo design da carroceria, painel digital mais completo e uma motorização que garante maior torque na aceleração e retomadas a Yamaha Factor 125 i ED mostra ter não só qualidades para alcançar este objetivo como superar as expectativas de muitos consumidores que não tiveram a oportunidade de conduzir esta popular versão da montadora japonesa.

Principais diferenciais na categoria

Um dos principais diferenciais é o seu motor de 125cc, o qual além de possuir o maior torque da categoria, também tem a maior autonomia com 15,7 litros. Usando a tecnologia BlueFlex, o motor tem partida elétrica, injeção eletrônica e aceita tanto gasolina como Etanol para o seu funcionamento.

A Yamaha Factor 125 i ED esta com uma nova roupagem, igual a sua irmã mais potente de 150cc, isto significa além de um conjunto mais belo e harmonioso o compartilhamento de várias peças e acessórios, facilitando a manutenção e as reposições futuras.

O desenho novo da carroceria trouxe mais conforto para o piloto e para a garupa com um assento anatômico, de melhor ergonomia facilitando a pilotagem do dia a dia com uma postura mais relaxada, além de uma alça de apoio maior para melhor apoio do acompanhante.

O painel além de ser totalmente digital, tem iluminação em LED branca e todas as informações completas como conta-giros, relógio, hodômetro, indicador de marchas e um interessante recurso chamado indicador ECO, informando ao condutor a forma mais econômica de pilotagem no dia a dia.

Para harmonizar toda a potência e torque dispendido de seu motor, a Yamaha Factor 125 i ED tem freios a disco na dianteira, além de pneus sem câmara em rodas de alumínio, vale ressaltar que todas estas características são de série para quem adquiri-la.

Ficha Técnica e Principais Características

– Motor de 1 cilindro, de quatro tempos, 125cc de cilindrada com potência de 11 cv a Gasolina e 11,1 cv a Etanol e torque de 1.153kgf com Gasolina e 1.163kgf com Etanol.

– Alimentação por Injeção Eletrônica

– Partida Elétrica

– Ignição com sistema TCI

– Transmissão Primária feita por Engrenagens e Secundária por Corrente.

– Câmbio de cinco velocidades

– Motor roda tanto com Gasolina como Etanol

– Bateria de 12 volts a 5 Ah

– Chassi tipo diamante com Suspensão Dianteira com garfo telescópio de 120mm e Suspensão Traseira de Balança traseira de 92mm.

– Freios a Disco Hidráulico na Dianteira com 245 mm de diâmetro e a Tambor na Traseira com 130 mm de diâmetro.

– Pneus Dianteiros de 2,75-18 e Pneus Traseiros de 90/90, ambos Metzeler Street

– Altura da carroceria de 1085mm. Comprimento de 2015mm e Largura de 735mm

– Altura do Solo mínima de 175 mm

– Entre Eixos de 1325mm

– Peso em marcha de 124 kg

– Tanque de combustível de 15,7 litros

– Óleo do motor com capacidade para 1,25 litros

Preços e cores

A Yamaha oferece a Factor 125 i ED a partir de R$ 7.790,00 à vista sem o valor do frete, porém a Yamaha garante que o preço máximo a ser pago será de R$ 425,00 dependendo da região a ser adquirida, se o comprador preferir ele pode optar por duas modalidades de Consórcio disponibilizado pela própria Yamaha, o Plano Nacional com o valor de R$ 8.891,00 feito em até 75 parcelas de R$ 165,14 ou um Plano Top com valor de R$ 9.669,00 em até 72 parcelas de R$ 179,58.

São duas cores disponíveis para venda, a Preta Eclipse e a Vermelha Metálica, ambos com personalização nos assentos de acordo com a escolha.

Se você ficou interessado, a ficha técnica completa e uma galeria de fotos da Yamaha Factor 125 i ED podem ser conferidas através do link: www.yamaha-motor.com.br/mobile/produto.aspx?id=182.

Por C. B.

Yamaha Factor 125 i ED

Yamaha Factor 125 i ED


A nova versão da scooter da Yamaha vem com novas atualizações que promete encantar seus usuários.

A Yamaha NMax 160 traz em seu modelo muitos atrativos. E a expectativa é que ela seja um grande sucesso em 2018. A nova versão da Yamaha vem com novas atualizações que promete encantar seus usuários.

NMax 160 tem design diferenciado

Um dos pontos mais atrativos dessa Scooter é seu design, que conta com 3 opções de cores que são: Black Eclipse (preto), Matt Red (vermelho) e S-White (branco metálico). Com cores tão lindas, fica difícil escolher uma só. O assento da nova Yamaha tem nova textura que são divididas em duas partes por uma costura e traz mais conforto para quem vai pilotar.

Além disso, as rodas dessa nova versão são pintadas de preto e lembram ainda mais as versões de scooter esportivas.

Ainda falando do design da Yamaha NMax 160, podemos destacar seus faróis de LED. Na opção de farol alto é possível ver uma terceira luz central acesa, já na opção de farol baixo é possível ver 2 feixes elegantes de luz.

Já o painel de treinamento é totalmente digital, o que podemos afirmar é que essa scooter é uma explosão de tecnologia.

Parte mecânica da Yamaha NMax 160

A parte mecânica dessa scooter conta a inovação VVA que significa atuação de válvula variável. Ela serve para permitir a variação na abertura e fechamento das válvulas de admissão do motor, e com isso ela gera economia frequente por seu melhor aproveitamento da queima de combustível.

A Yamaha NMax 160 tem motor monocilíndrico de 155cc, 4 tempos e possui comando simples no cabeçote, tem refrigeração líquida que consegue gerar a potência máxima de 15, 1v a 8.000RPe torque máxima de 1,5 gf.m aos 6.000 giros.

Em testes realizados a Yamaha NMax 160 chegou a fazer 42km por litro. Uma grande economia.

NMax 160 é fácil de pilotar

Outra notícia boa é que essa Scooter é fácil de pilotar, e por isso é indicada até para as pessoas mais inseguras. Ela possui total segurança e modernidade, que ajudam na hora em que se está pilotando. Além de ter o conforto em seu banco também.

Tipo de combustível usado

A Yamaha NMax 160 usa a gasolina como combustível, e talvez esse detalhe não agrade a todos. Porém, outros fatores positivos tornam esse detalhe muito pequeno.

Preço de mercado

A Yamaha NMax 160 tem o preço de mercado sugerido em R$ 11.690.00. Esse valor está ótimo pela potência dessa Scooter e por ser lançamento também. Talvez seja possível encontrar uma opção mais baixa de seu valor, dependendo do local onde ela será comprada.

Amortecedores diferenciados

Os amortecedores dessa scooter tiveram ajustes duplos na traseira, trazendo mais conforto para quem estiver pilotando a mesma. E esse é um detalhe que vai valorizar ainda mais esse modelo, pois existem muitas reclamações dessa parte mecânica em outros modelos de scooter.

Câmbio automático CVT

Outra informação bem legal sobre a scooter NMax 160, é que ela tem câmbio automático CVT e tanque de combustível com capacidade para 6,6 litros, discos de 230mm na dianteira e parte traseira e por fim o ABS de série e freios a discos nas duas rodas.

Ficha técnica

Motor – Refrigeração líquida, 4tempos, SOCH, 4 válvulas

Potência Máxima – 15,1 cv (8.000 rpm)

Cilindros – 1

Cilindrada Real – 155cm³

Torque Máximo – 1,5 kgf.m / 6.000 rpm

Capacidade do tanque (reserva) – 6,6L (1,4 L)

Sistema de partida – Elétrica

Pneu Dianteiro – 110/70-13M/C 48P

Pneu Traseiro – 130/70-13M/C 63P

Suspensão dianteira – Garfo Telescópico/ 100mm curso

Suspensão Traseira – Motor Balança / 90mm curso

Freio Dianteiro – Disco 230 mm

Freio Traseiro – Disco 230 mm

Peso – 127k

Conclusão final sobre a Yamaha NMax 160

Ela é uma scooter completa e com toda modernidade necessária, seu desempenho supera todas as expectativas e por isso tudo indica que ela será um grande sucesso de venda.

Por Cristiane Amaral

Yamaha NMax 160

Yamaha NMax 160


A Yamaha Neo 125 possui um amplo conjunto de atributos e preço que a deixam muito interessante.

A nova versão da Yamaha Neo 125 chegou para fazer alvoroço em um mercado dominado pela sua compatriota nipônica, atributos e qualidades ela tem de sobra para isto!

Nacionalizada pela Yamaha em Manaus, no estado do Amazonas, a Yamaha Neo 125 lançada em 2016, conta com um novo motor de 125 cm cúbicos, de 9,8 de potência a 8000 rotação por minuto (RPM), além de um preço bem agressivo para seu nicho, partindo dos R$ 7.990,00.

Fora isso, o conjunto está mais leve, compacto e moderno, o condutor vai sentir suas qualidades na prática no trânsito do dia a dia, com os seus pouco mais de 95 kg quando conduzida, além de seu assento baixo, com cerca de 77 cm do solo. A Yamaha mede pouco mais de 1,85m de comprimento e 68cm de largura, facilitando muito as manobras em baixas velocidades, como em um trânsito engarrafado (seu principal habitat) demanda. Por conta disso a Yamaha aposta muito no público feminino, tanto que a expectativa é de 60% de seu total de vendas somente para mulheres, números que se tornam muito convincentes por conta de seus tributos de leveza e estrutura customizada até no guidão frontal compacto e rebaixado.

Seu câmbio CVT automático variável, compõe um conjunto harmonioso com o seu competente motor, fazendo com que os 0,98 kgfm de torque sejam suficientes para acelerar com certa rapidez, os freios são a disco na dianteira e a tambor na traseira, com um sistema combinado quando o freio traseiro é acionado em sua totalidade o dianteiro também corresponde com 30% de sua força.

Outros diferenciais importantes além do belo design são os faróis alto e baixo de LED dianteiros, um excelente porta-objetos de 14 litros, comportando um capacete com sobras para outros objetos. Função ECO do painel indicando uma pilotagem sempre mais econômica, além do sistema Auto Stop que faz o desligamento do motor quando o descanso lateral é acionado.

A Yamaha Neo 125 traz um comparativo em sua página com o seu maior concorrente

Mostrando uma ousadia digna de elogios, a própria Yamaha Neo 125 traz um detalhado comparativo com o sua principal concorrente; a Honda Biz 125!

O comprador pode conferir além dos principais detalhes da simpática scooter os atributos da concorrente aonde a Yamaha Neo 125 vence na maioria dos quesitos.

Enumeramos os principais na lista abaixo:

– Motor de 125 cv arrefecido a Ar.

– Potência de 9,8 cv com máxima de 8000 RPM.

– Câmbio Automático CVT.

– Pneus sem Câmara, aro 14, sendo 80/80 dianteiros e 90/80 traseiros, com rodas de liga-leve.

– Peso de 92 kg.

– Tanque de Combustível com capacidade de 4,2 litros a Gasolina.

– Freios a Disco na dianteira e a Tambor na Traseira com sistema unificado UBS.

– 3 Portas Objetos, sendo 2 dianteiros e 1 embaixo do banco com possibilidade de colocar até um capacete aberto.

Diferenciais na Assistência 24 Horas e no Seguro

A Yamaha disponibiliza Assistência 24 horas para o seu produto, além das revisões com preços fixos de acordo com cada estado e cidade, outro diferencial importante a ser considerado é o seguro oferecido pela Yamaha por um preço fixo de R$ 600,00 validos por um ano, a abrangência dele é nacional e possui coberturas de furto e roubo com cobertura de 100% da tabela FIPE.

Preço sugerido e cores

.A Yamaha Neo 125 tem o preço sugerido de R$ 7.990,00 para seus interessados com frete calculado a parte de acordo com o estado a ser realizada a compra, as cores disponíveis são as metálicas Branco e Vermelho e a fosca Cinza.

Maiores detalhes com um farto material fotográfico do produto, e um recurso de zoom 360º para verificar todos os detalhes da carroceria, o futuro comprador tem disponível no link abaixo: http://yamaha-motor.com.br/neo125.

Por Carlos B.

Yamaha Neo 125

Yamaha Neo 125


O novo modelo vem de fábrica com a versão mais recente do seu motor BlueFlex, possibilitando ao motoqueiro escolher entre a gasolina ou o etanol ou uma mistura de ambos na hora de abastecer.

Para os amantes dos populares veículos de duas rodas, as famosas motocicletas, a japonesa Yamaha, uma das mais principais fabricantes deste tipo de transporte em todo o mundo, traz também para o mercado brasileiro a sua Factor 150 E na sua mais nova versão 2018.

Sempre antenada com a evolução dos conceitos e tendências do mundo moderno, a montadora é conhecida pela sua capacidade de desenvolver soluções econômicas e rápidas a fim de contribuir com a problemática do sistema de locomoção das grandes cidades.

Uma das soluções mais populares desenvolvidas até a atualidade, as motocicletas se tornaram um sinônimo de deslocamento mais rápido, o que tem tornado mais fácil a vida de quem mora e precisa trabalhar nos grandes centro urbanos.

Entretanto, facilidade de locomoção e rapidez apenas não basta para garantir o sucesso deste meio de transporte. A tudo isso, as principais montadoras do mundo, de olho nesta tendência, conseguiram desenvolver motos capazes de rodar por muitos quilômetros com um baixo consumo de gasolina, o que ajudou muito a popularizar este meio de transporte.

Ao longo de vários anos desde que se lançou no mercado de motos, a Yamaha tornou-se uma das principais fabricantes destes modelos que, nos dias de hoje, é capaz de agradar a todos. No Brasil dos últimos anos, ela tornou-se uma verdadeira paixão nacional.

Para garantir o sucesso da marca, a Yamaha aposta sempre na renovação e na capacidade de facilitar a vida dos usuários de motos. Pensando nisto, ela lança a sua linha 2018 que inclui um dos seus modelos mais populares, a Factor 150 E.

O novo modelo vem de fábrica com a versão mais recente do seu motor BlueFlex (segunda geração).

Com esta versão, o motoqueiro tem a opção de escolher entre a gasolina ou o etanol ou uma mistura de ambos na hora de abastecer. Pensando na economia, a Yamaha decidiu adotar um sistema feito com pistões de alumínio, o que garante também maior leveza e, portanto, mais agilidade e rapidez na hora de guiar.

Para quem gosta de números, o novo motor é capaz de alcançar as 150 cilindradas bem rapidinho, com dois cilindros, quatro tempos diferentes de marcha, embora o câmbio apresente cinco e com sistema de refrigeração a ar.

O desempenho do motor com gasolina ou álcool vai até 12 cavalos de força, com sistema de embreagem do tipo multi disco.

A transmissão é diferente para as duas rodas e adota o padrão clássico com a roda dianteira por meio de engrenagens e de corrente para a traseira.

As inovações também podem ser sentidas no visual externo. A nova Factor 150 2018 vem com um painel do tipo digital em LED e com uma função e redução e emissão de gases, o que a classifica dentro do chamado sistema ECO.

Para a segurança tanto do motoqueiro quanto do passageiro, o sistema de freio em ambas as rodas é do tipo tambor.

A suspensão dianteira é feita através do uso do garfo chamado de telescópico e a traseira é composta de sistema de balanceamento próprio desenvolvido pela montadora.

Se você está pensando em adquirir as sua, então é bom até uma concessionária mais próxima e aproveitar para garantir logo o seu modelo.

Cabe salientar que a nova versão já sai de fábrica com três anos de garantia ininterruptos, o que está incluindo também as revisões.

Mantendo a mesma tendência de seus modelos anteriores, a nova Factor E150 conservou as tradicionais cores preta eclipse e vermelha pepper, o que já se consolidou como uma característica marcante para este tipo de motos da fabricante japonesa.

Portanto, quem quiser saber mais detalhes ou quer adquirir a sua, basta ir a uma das milhares de lojas da fábrica e sai dirigindo a sua.

Por Emmanoel Gomes

Yamaha Factor 150 E


A nova moto da Kawasaki foi apresentada no Salão de Tóquio e traz novidades.

Quem gosta de pilotar motocicletas e tem interesse em acompanhar as notícias sobre o mundo das motos, pode conferir aqui uma boa notícia sobre o próximo lançamento da Kawasaki.

Apresentada como a substituta da Ninja 300, no evento Salão de Tóquio 2017, que teve início no dia 25 de outubro (quarta-feira) e é a oportunidade das marcas anunciarem os novos modelos para 2018, a Kawasaki Ninja 400 é uma moto completamente nova.

Saiba mais informações sobre essa novidade a seguir.

Motor

A nova Ninja tem um motor moderno, sendo muito diferente de sua versão anterior, com novo chassi, que a torna mais leve que o modelo anterior em quase 8 quilos.

O motor é de 399 cilindradas e possui potência de 44,8 cavalos a 10.000 rotações por minuto (RPM). Com o aumento das cilindradas, há uma melhor integração entre o desenho da caixa de ar, o que resulta em mais eficiência e uma admissão ainda melhor. Desse modo, a Ninja 400 alcança quase 45 cavalos de potência, enquanto a Ninja 300 chegava até 39 cavalos.

As dimensões desse equipamento são semelhantes ao do modelo Ninja de 250 cilindradas e ainda possui a vantagem de pesar menos 1 quilo em comparação entre essa versão e a mais atual.

Assim, com motor de dois cilindros paralelos e refrigeração líquida, fabricados para ofertar um melhor desempenho em todas as faixas de vídeo e garantir comportamento confortável, tanto a pilotos novatos, quanto àqueles mais experientes.

Design

Em seu visual, há diversas mudanças em relação à sua antecessora, Ninja 300. As referências são os modelos mais robustos da Casa de Akashi, como por exemplo, a Ninja 650 e a Ninja ZX-10R.

A moto evoluiu para tentar vencer a concorrência de Yamaha YFZ-R3.

O novo painel tem mais aparência de uma realidade esportiva e apresenta conta-giros analógico no centro do painel. Completando o modelo, ao redor dele, há luzes espias e mostrador digital com fundo escuro, com informações em branco, e isso torna a visibilidade ainda melhor, tanto com relação à marcha engatada, quanto da velocidade.

Assim, a Kawasaki Ninja 400 tem mais estabilidade, facilidade nas manobras e rigidez para uma moto esportiva.

Acessórios

A nova motocicleta da Kawasaki tem vidro mais alto, banco com altura de 786 milímetros e largura de menos de 30 milímetros que o banco de seu modelo anterior, o que o torna mais ergonômico e facilita o apoio dos pés no chão.

Além disso, possui também uma proteção de depósito, fita de decoração das jantes, cadeado de capacete, tomada de corrente elétrica, um local para armazenamento de pequenos objetos, proteção para o quadro, tampa para o banco do carona e cadeado em U.

Freios, embreagem e tanque de combustível

O disco de freio na dianteira é de 290 milímetros de diâmetro. Já na parte traseira, tem um disco de 220 milímetros. O freio Anti-lock Braking System (ABS) fica a critério do cliente, podendo inclusive optar por um modelo sem esse mecanismo contra derrapagens.

O sistema de embreagem agora é mais deslizante, o que deixa os engates mais fluidos, leves e favorece mais agilidade à moto, pois há uma pressão muito menor no acionamento da embreagem. Isso permite também mais disposição ao condutor.

O tanque possui capacidade para 14 litros de combustível. Assim, o peso total é de 172 quilos para aqueles que preferirem a moto sem ABS. Já quem preferir com o dispositivo, a motocicleta terá peso de 174 quilos.

Preços

Os valores de venda ainda não foram divulgados. Contudo, assim que os primeiros compradores fizerem aquisição no mercado dos Estados Unidos e dos países da Europa, logo terá uma ideia de quanto a Kawasaki Ninja 400 custará no mercado brasileiro.

Por Melisse V.

Kawasaki Ninja 400


Saiba aqui o que mudou e o preço da nova Honda CG 160 2018.

Líder incontestável

Os números são incontestáveis, a Honda CG 160 é líder absoluta em vendas no mercado de motos brasileiras na categoria City, que envolve utilitárias urbanas (fonte Fenabrave).

A Honda produz seu sucesso de vendas em sua fábrica na cidade de Manaus, no Amazonas, mas mesmo tendo um produto vencedor e a montadora japonesa dominar o mercado de motos em nada mais nada menos do que seis categorias (fonte Fenabrave), o modelo 2018 esbanja jovialidade e foi apresentado com novos itens de segurança e conforto.

Mas o que mudou?

A principal novidade da linha 2018 são os sistemas de freios combinados ou freios CBS como a Honda denomina, basicamente é um dispositivo que equilibra a força da frenagem efetuada pelo motorista entre o eixo dianteiro e traseiro, na proporção de 34% na frente e 66% atrás, uma maneira inteligente e segura para o condutor que esta habituado a usar somente o pedal da frente.

Fora isto, a suspensão recebeu um novo formato, trata-se do SFF, a Honda explica que esta nova suspensão separa as funções das bengalas na dianteira, isto é, o que antes era unificado com molas e dispositivos hidráulicos dedicados a um movimento só de amortecimento, agora é dividido com uma parte fazendo o movimento de compressão e extensão e o outro somente com a mola, os benefícios são a maior dirigibilidade na cidade, área em que é mais comumente utilizada.

O motor é o mesmo de 160cc, com potência de 15,1cv rodando a álcool e 14,9cv rodando a gasolina, conta com injeção eletrônica, é arrefecido a ar, podendo chegar aos 8000 rpm e com torque justo pelo que promete (1,54kgf.m com etanol e 1,40kgf.m com gasolina). O painel de instrumentos nas versão CG 160 Titan é totalmente digital, as versões Honda CG Titan e Honda CG Fan tem maior capacidade no tanque de combustível, com 16 litros, enquanto que a versão de entrada Honda CG Start conta com 14 litros.

O visual das carenagens é esportivo com clara inspiração em motos de maior cilindrada e se torna um diferencial para o modelo nas ruas, tanto o modelo CG Titan com o modelo CG Fan tem rodas mais sofisticadas com cinco raios vazados. A versão de entrada (CG Start) não possui tantos apelos estéticos, porém, conta com quatro quilos a menos em seu chassi, pode parecer pouco, mas para o condutor é sinônimo de maior agilidade no trânsito e nas mudanças de direção. Os freios são a disco na dianteira e tambor na traseira nas versões mais caras (CG Titan e Fan) e somente a tambor na versão de entrada (CG Start).

Especificações comuns a todas as versões:

– Motor de 162,7cc
– Ignição e Injeção eletrônica
– Chassi Diamond Frame
– Bateria de 12V
– Faróis com lâmpadas de 35/35W, com maior capacidade de iluminação
– Suspensão Dianteira com garfo telescópico de 135mm
– Suspensão Traseira com dois amortecedores de 106mm
– Transmissão de 5 velocidades
– Peso aproximado de 117 a 115Kg
– Largura, altura e comprimento de 739mm x 1087mm por 2000mm, aproximadamente
– Garantia de três anos, a Honda ainda adotou uma promoção especial oferecendo gratuitamente óleo para troca em sete revisões feitas em suas concessionárias.

Versões e Preços

A Honda CG 160 é vendida em três versões principais:

Honda CG 160 Start, com preços a partir de R$ 7.999,00. Com as opções de cores vermelho e preta.

Honda CG 160 Fan, com preços a partir de R$ 8.999,00. Com as opções de cores vermelho, branco e preto.

Honda CG 160 Titan, com preços a partir de R$ 10.190,00. Com as opções de cores vermelho perolizado, preto e azul perolizado.

Maiores informações, consulte o links diretos dos modelos:

Carlos B.


Confira aqui a lista com as motos mais vendidas no país neste primeiro semestre de 2017.

Se você gosta de andar de moto e tem interesse pelo assunto, confira aqui quais foram as motos mais vendidas no primeiro semestre de 2017.

Segundo dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), comparando a quantidade de motos vendidas nos primeiros seis meses desse ano com o volume de vendas do mesmo período no ano passado, houve redução em 21,1%.

No ranking de marcas, aquelas que mais venderam foram: Dafra, em quinto lugar com 3.689 unidades nos seis meses de 2017; a Suzuki, que ocupa a quarta posição com 3.964 motos vendidas; a Shineray em terceiro lugar com mais de 8 mil unidades; a Yamaha é a marca vice-campeã em vendas com mais de 56 mil unidades e a campeã é a Honda com 334 mil motos vendidas.

Na categoria utilitárias urbanas, City, os seguintes modelos foram os mais vendidos:

  1. Honda CG 160 com mais de 115 mil unidades;
  2. Honda CG 125 com mais de 14 mil motos vendidas;
  3. Honda CB 250 Twister, que vendeu mais de 11.395;
  4. Yamaha versão Factor 150 com mais de 11.316;
  5. Yamaha Fazer 150 com um pouco mais de 5 mil unidades comercializadas.

Já na categoria Scooter, a mais vendida foi a Honda PCX 150 com mais de 12 mil unidades, seguida da Yamaha versão NMax com mais de 4 mil. A Yamaha Neo 125 ocupa a terceira posição e a Dafra Citycom 300i a quarta colocação.

Dentre as motos Naked alta cilindrada, as campeãs em venda foram a Honda CB 500F e a Yamaha MT-07. Por sua vez, a Yamaha XJ6 ficou com o terceiro lugar, seguida da Honda CB 650F e da Yamaha MT-09 – 373.

Se você prefere as do tipo Cub, confira o ranking das que mais venderam esse ano: Campeã – Honda Biz, Vice-campeã – Honda Pop 110i, Terceiro lugar – Shineray XY, Quarta posição – Traxx versão JL50 e a última posição do Top 5 é ocupada pela Honda Pop 100.

O top 3 da categoria naked baixa cilindrada é composto pelos seguintes modelos: Yamaha versão MT, depois o Kawasaki Z300, seguido do KTM 200 Duke.

Na categoria Trail a moto que mais foi vendida foi a Honda Bros 160. Já no tipo aventureiro foi a moto BMW R 1200 GS.

Melisse V.


Modelo está previsto para ser lançado no segundo semestre de 2017.

Lançando o seu primeiro modelo de motocicleta em território brasileiro, a famosa marca alemã BMW estreia no concorrido mercado de duas rodas atualmente dominado pela sua mais próxima concorrente e líder nas preferências de consumo dos fãs deste tipo de máquina.

Com uma produção montada na cidade de Manaus, a tradicional marca famosa por seus modelos luxuosos de automóveis resolveu mais uma vez inovar e agora tenta apostar no mercado dos modelos tidos como de baixa cilindrada. Par isso, ela traz ao consumidor brasileiro a sua BMW G310 R.

O modelo chega às concessionárias brasileiras como lançamento previsto para o segundo semestre de 2017. Desta vez, a montadora resolveu apostar nos modelos com potência mais baixa, numa clara tentativa de conquistar o mercado brasileiro que sempre esteve encantado com as máquinas de duas rodas de alta fabricada pela famosa Kawasaki.

Outro fator que a empresa aposta é exatamente o preço. A estratégia é exatamente conquistar uma fatia do mercado consumidor de motos no Brasil e usar o famoso nome da montadora em seus modelos. A nova BMW de duas rodas deverá custar quase R$ 22.000,00.

Seguindo uma tendência mundial, a nova G310 R deverá sair da linha de montagem em solo amazonense com freios ABS nas duas rodas, um item que chama bastante a atenção para quem é usuário deste tipo de transporte.

O novo lançamento chega às lojas mostrando um potência de 313 cilindradas contra os mais populares modelos brasileiros como a Honda CB Twister e a famosa Yamaha Fazer. Além disto, a montadora já mandou avisar que deverá tomar espaço das suas concorrentes como Kawasaki Z300 e a KTM 390 da Duke.

Apesar de ser montada em território brasileiro, a atual G310 R da BMW possui a base de produção de suas peças na Índia e em parceria com uma empresa local, a indiana TVS. Para tal façanha, a cidade de Manaus recebeu um alto investimento da montadora alemã que chegou facilmente aos R$ 4 milhões de dólares. Afinal, nada mau para quem quer iniciar num mercado dominado pelas montadoras orientais e que já fizeram história em pleno território nacional.

Por Emmanoel Gomes

BMW G310 R


A Honda CG 160 2017 possui duas versões, sendo elas a CG 160 Titan e a CG 160 Fan.

Não tem jeito, tem que gente que é totalmente apaixonada por motos, pois esses veículos de duas rodas oferecem grandes aventuras, além de praticidade e economia. Se você se encontra entre os milhares de brasileiros adeptos de duas rodas, continue lendo este artigo e conheça tudo sobre a Honda CG 160, que dá um show de modernidade.

Se a primeira impressão é mesmo a que fica, a CG 160 da Honda já impressiona pelo seu design moderno, principalmente na parte do tanque. Sua carenagem apresenta um aspecto mais agressivo que a coloca semelhante às motocicletas de maior cilindrada.

Conheça a CG 160 da Honda e saiba tudo o que as suas versões Titan e Fan têm a oferecer.

As modernas rodas possuem 5 aros, que dão a ela um aspecto mais esportivo. Aliás, todas as mudanças para 2017 ocorreram mais na área visual em que ficou notável a pretensão da marca de conquistar primeiramente pelo visual.

A Honda CG 160 2017 ainda possui duas versões, sendo elas a CG 160 Titan e a CG 160 Fan.

As duas versões trabalham com o mesmo motor e com praticamente as mesmas mudanças.

O maior diferencial entre uma e outra está no fato de que uma trabalha com carburador e a outra com injeção eletrônica.

Além disso, a moto CG Titan é equipada com sistema de freios CBS e com alça removível, enquanto que a versão CG Fan já é fabricada com rodas liga leve.

As versões divulgadas para o ano de 2017 ganharam duas cores novas, além, claro de uma versão especial, em razão da comemoração de aniversário dos 40 anos em que a Honda está no Brasil. Nesse sentido a motocicleta é tida branca com as rodas douradas, o que lhe dá um destaque incomparável.

Contudo, mesmo apresentando apenas mudanças visuais as versões receberam pequenos reajustes em seus preços.

Nesse sentido a Fan 160 está custando R$ 7.990,00, enquanto a versão Titan está saindo por R$ 9.290,00. Sendo que no ano de 2016 já havia sido feito um ajuste em seus preços.

De qualquer modo, independente do reajuste que tiveram, as versões da Honda CG 160 já conquistaram e prometem continuar conquistando muitos admiradores e adeptos.

Se você deseja saber mais detalhes sobre as versões acesse o site da Honda em www.honda.com.br/motos/cg-160-titan.

Por Sirlene Montes

Honda CG 160

Honda CG 160

Fotos: Divulgação


Modelos chegam ao país custando a partir de R$ 18.900.

A montadora indiana Royal Enfield, na última quinta-feira, dia 20, apresentou três motocicletas que serão comercializadas no Brasil, iniciando as atividades da marca no país. Focando principalmente em produtos que possuem média cilindrada e visual clássico, as motos serão montadas e importadas da Índia. As primeiras versões serão: Classic 500, Continental GT e Bullet 500.

Em 2015, após encerrar uma parceria com uma empresa importadora local, a marca de motos que conta com uma produção de 60 mil motos a cada mês inicia uma nova etapa, agora com operação própria.

Confira abaixo os valores dos modelos e de suas configurações:

– Bullet – R$ 18.900

Considerada a moto mais antiga que está em produção, tendo início no ano de 1931. Ela possui um cilindro com 499 cilindradas, gera 27,2 cv e possui injeção eletrônica. Sua roda dianteira possui 19” e na traseira conta com uma de 18 polegadas. Seu tanque possui 13,5 litros e um peso total de 194 kg.

  • Injeção eletrônica
  • Um cilindro com 499 cilindradas
  • Refrigerado a ar
  • Torque de 4,21 kgfm
  • Potência de 27,2 cavalos
  • Partida no pedal e elétrica
  • Tanque de 13,5 litros
  • 194 kg
  • 5 marchas

– Modelo Classic

– Versão Regular – R$ 19.900

– Versão Regular com ABS – R$ 20.900

– Squadron Blue, Battle Green e Desert Storm – R$ 21.000

– Squadron Blue, Battle Green e Desert Storm com ABS – R$ 22.000

Possui um visual clássico como o nome sugere e só tem banco para o piloto. O propulsor é o mesmo presente na Bullet, com as mesmas rodas de 18 e 19 polegadas. Além disso, o peso também é o mesmo, com tanque de 13,5 litros.

  • Injeção eletrônica
  • Um cilindro com 499 cilindradas
  • Refrigerado a ar
  • Torque de 4,21 kgfm
  • Potência de 27,2 cavalos
  • Partida no pedal e elétrica
  • Tanque de 13,5 litros
  • 194 kg
  • 5 marchas

– Continental:

– Versão GT – R$ 23.000

– Versão GT com ABS – R$ 24.500

  • Injeção eletrônica
  • Um cilindro com 535 cilindradas
  • Refrigerado a ar
  • Torque de 4,5 kgfm
  • Potência de 29,1cavalos
  • Partida no pedal e elétrica
  • Tanque de 13,5 litros
  • 184 kg
  • 5 marchas

FILIPE R SILVA


O modelo 2017 deve chegar com algumas diferenciações, como o próprio farol, que no centro possui uma divisão e a máscara também possui um tamanho maior. Além das carenagens que apresentam um recorte maior, onde os vincos são mais marcantes.

Pilotar uma moto é uma das atividades mais prazerosas que existem, principalmente para quem gosta de viver uma experiência de aventura, tanto no asfalto das grandes cidades, quanto nas estradas dotadas de grandes curvas.

E se o assunto for sobre uma motocicleta que seja leve, que ofereça agilidade e muito torque, é claro que o assunto é a Duke 390, que foi sucesso em 2016. E para 2017, a motocicleta promete mudanças ainda melhores. A motocicleta ainda não foi oficialmente apresentada, mas ainda de dentro de sua montadora em Bajaj, Índia, a KTM apresenta detalhes que lembram a 1290 Super Duke R.

Enquanto o modelo 2016 possui o farol mais alongado, e um marcante visual definido por linhas angulosas, o modelo 2017 deve chegar com algumas diferenciações, como o próprio farol, que no centro possui uma divisão e a máscara também possui um tamanho maior. Além das carenagens que apresentam um recorte maior, onde os vincos são mais marcantes.

Por sua vez, essa versão traz freio e embreagem que podem ser ajustados nos manetes. Como novidade ao que se sabe até o momento é que a KTM vem equipada com um disco de freio de tamanho maior na parte dianteira, embreagem do tipo deslizante, sistema de escape atualizado e um acelerador eletrônico tipo “ride-by-wire”. Já o seu painel, que foi bastante criticado, recebeu um visor que oferece mais visibilidade.

A KTM 390 DUKE é sem dúvidas uma excelente opção para os admiradores de motocicletas, pois ela se adapta a diversas situações, oferecendo ao piloto prazer em guiá-la e muita agilidade. Pois se caracteriza por ser uma motocicleta leve, com muitos recursos tecnológicos. Oferendo aos seus ocupantes muita emoção em viagens dentro da cidade e em estradas de muitas curvas. Além de oferecer um baixo consumo de combustível, em uma boa velocidade.

Enfim, a KTM 390 DUKE que deve chegar em 2017 promete surpreender muita gente com seu novo visual. Apesar de seu leve peso, sua eficiência pode ser facilmente comparada às motos mais robustas. Diante disso, os amantes de motocicletas podem ficar na expectativa de sua chegada em 2017.

Com certeza a KTM 390 DUKE em seus modelos 2017 irá conquistar a admiração de muitos.

Por Sirlene Montes

KTM 390 Duke 2017

Fotos: Divulgação


Nova moto da Indian pode ser encontrada com preços que variam de R$ 91.990 a R$ 94.990.

A fabricante Indian, de motocicletas, está fechando o ano de 2016 com chave de ouro. Tudo isso é por conta do lançamento da nova Indian Springfield, que é a sexta de sua linha no País e que levou esse nome para homenagear a cidade que é sede da empresa.

Já se pode encontrar nas concessionárias do Brasil as primeiras unidades em cores como: bicolor (vermelho com cinza metálico) ou somente preto brilhante. Os preços podem variar de R$ 91.990 a R$ 94.990.

Em relação as novidades da motocicleta estão a keyless, chamada também de partida sem chave, o piloto automático ou cruise control, malas laterais mais rígidas e que contam com controle remoto para travamento, monitoramento da pressão dos pneus, faróis para auxiliar, alarme, protetores cromados dos lados e plataformas na parte de trás que já vem com ajuste para a altura.

O motor é o mesmo de sua “irmã”, a Thunder Stroke, com 2 válvulas por cilindro V2 e de 1.811cc. A refrigeração é a óleo e a ar, do cilindro. O torque chega a atingir 16,5 kgf.m, em baixas rotações, como a 3 mil rpm. Uma diferença está na parte ciclística como as suas medidas de trail e caster que foram reduzidas, além de contar com guidão mais estreita, o que torna a motocicleta com cara de muito mais clássica e bem mais fácil de ser pilotada. Um de seus benefícios também está ligado a suspensão da parte de trás que vem com ajuste pneumático, que é realizado manualmente, por uma bomba, o que era até então uma exclusividade dos modelos Roadmaster e Chieftain, que estão no topo da linha da Indian.

Mesmo custando R$ 8 mil a menos que o modelo Cheftain e a mais cerca de R$ 2 mil, do que a Chief Vintage, a Nova Indian Springfield traz um painel que vem até com sistema de entretenimento e de som, chegando a ser mais completo, além de uma carenagem na frente.

Gostou da nova Indian Springfield? Qual é a sua opinião sobre ela? Comente e compartilhe conosco as suas experiências!

Por Kika Akita

Indian Springfield 2017

Indian Springfield 2017

Fotos: Divulgação


Modelo conta com um motor potente herdado da Speed Triple R, porém com mais economia, que pode chegar a 8%.

A marca britânica de motocicletas Triumph pode ter comemorado no ano de 2002 os seus 100 anos de existência, mas nem todos sabem que a empresa é mais antiga do que isso. A marca nasceu na última década do século XIX que na época comercializava apenas máquina de costura, fato que ocorreu até a ida do alemão Siegfried Bettmann para a Inglaterra.

Lá o alemão notou o aumento na produção e procura por motocicletas e então no ano de 1902 a primeira moto foi produzida pela marca carregando o nome de nº 1, que mais parecia um bicicleta com motores.

Com o passar dos anos a empresa foi se aprimorando, criando inclusive motos mais populares, mas sempre mantendo como destaque seus motores e partes elétricas de qualidade e eficiência. A empresa chegou até a iniciar a fabricação de automóveis, dividindo então a fábrica em dois segmentos, porém o seu ponto forte foi sem as motocicletas.

E foi assim com tantos anos e experiências que a marca chegou na criação da Triumph Tiger Sport que está sendo montada na região de Manaus e que conta com um motor potente herdado da Speed Triple R, porém com mais economia, que pode chegar a 8%. Outro item novo e importante é a redução da força para o acionamento da embreagem que ficou até 48% mais leve do que a antiga.

O seu visual mantêm o padrão antigo apenas foi renovado em alguns itens como os bancos, a bolha dianteira, os grafismos e o escapamento.

O novo modelo adquiriu modos de potência dos motores, controle de elevação das rodas, cruise control e protetores de mão.

Um ponto destacado pela marca foi o acelerador eletrônico Ride-by-Wire que atenderá exatamente a proposta do lançamento, já que a proposta do projeto foi para o uso diário na cidade e viagens de finais de semana gerando um melhor aproveitamento da parte do piloto.

A Tiger estará disponíveis nas cores: Preto mate com detalhes em amarelo neon ou prata brilhante com detalhes em vermelho. Seu valor está estimado em aproximadamente R$ 53.000,00.

Por Bruna Tabara dos Santos

Triumph Tiger Sport


A Honda Africa Twin se destacou no item de agilidade com média de 9,5 contra 8,8 obtidos em outros modelos.

A empresa Duas Rodas criou desde 1998 o prêmio Moto do Ano onde jornalistas especializados em diversos tipos de veículos analisam e julgam as melhores motos produzidas durante os últimos 12 meses subsequente ao prêmio.

A avalição é realizada em mais de dez categorias, entre elas: custom, trail, naked,entre outras. A moto que possuir uma média acima de todas as outras é eleita a campeã!

O evento atualmente é tão grandioso e conhecido que chega a receber mais de 50 modelos de motos por ano.

Neste ano o evento ocorreu no dia 22 de novembro de 2016, na noite de uma terça–feira, que reuniu 60 concorrentes ao grande prêmio e após dois dias de testes com as motos, os jornalistas deram suas notas em 7 quesitos para cada concorrente.

A Honda Africa Twin se destacou no item de agilidade com média de 9,5 contra 8,8 obtidos em outros modelos. Dentre todos os itens, este foi o desempate para que a Honda saísse na frente até mesmo da vencedora consecutiva dos dois últimos eventos realizados, a Kawasaki. O detalhamento das notas estará disponível na edição de novembro da Duas Rodas, podendo ser acessada por via impressa ou por aplicativos via celulares ou tablets.

Mas o que fez a Honda Africa Twin ser a campeã deste evento tão concorrido?

A empresa apostou em um mix de modelos da década 80: XRV650 e XRV750 Africa Twin, modelos que conquistaram 4 títulos consecutivos pela Rally Dakar.

A versão moderna traz a mesma força e natureza da versão anterior, porém com peso reduzido e um manuseio mais prático, feito especialmente para o dia a dia.

Um ponto que a fábrica destaca é a estabilidade da motocicleta graças a alguns ajustes feitos como a bateria alocada próxima ao cabeçote que fez o centro de gravidade ser mais baixo, tornando o seu ponto de equilíbrio mais forte.

Por Bruna Tabara dos Santos

Honda Africa Twin


Os novos modelos foram apresentados no Salão Internacional de Milão de 2015 e já estão à venda no Brasil.

Os modelos XDiavel e XDiavel S da Ducati já estão à venda e puderam ser vistos inicialmente, em um Road Show pelo Brasil.

Os novos modelos foram apresentados no Salão Internacional de Milão, em novembro de 2015, ganhando o prêmio de “A mais bela moto” em meio a todos os lançamentos mundiais.

A cruiser com motor Ducati Testastretta de 1.262 cc L-Twin, tem comando com válvulas variáveis DVT. Ela despeja 156 cv a 9.500 rpm, com um torque de 13,35 kgf.m a 5.000 rpm, e se conserva até os 7.500.

O peso da moto quando está abastecida é de 247 kg. Com câmbio de 6 marchas ela tem a embreagem deslizante. A injeção de combustível é da Bosch e acelerador eletrônico.

Além dessas tecnologias, a possante ainda apresenta Unidade de Medição Inercial da Bosch, para medir vários recursos eletrônicos. Esse sistema é capaz de ler a velocidade da roda quando a moto se inclina, a pressão feita pelos freios e aceleração, isso recebe o nome de “Cornering ABS”.

A Ducati controla bem a tração, estabilidade e assistente para ladeiras pode manter a roda de trás no chão, caso haja uma frenagem brusca. O modelo ainda consegue manter a estabilidade em caso de uma curva se o piloto precisar frear, não permitindo que a moto escorregue em caso de aceleração brusca.

O piloto automático possui 3 modos de pilotagem e 8 níveis para controlar a tração. Seu chassi é feito em quadro de treliça em aço tubular, com entre eixos comprido e o banco baixo. Rodas em aro 17 com pneus modelo Diablo Rosso II, da Pirelli.

Novo farol em LED, no guidão tem botões de controle iluminados. A capacidade de seu tanque de combustível é para 18 litros.

A nova versão sem o S, pode ser encontrada na cor preta fosca e grafite no quadro e nas rodas. E com S vem na cor preto brilhante, uma linha vermelha atravessando o tanque e quadro cinza com rodas pretas.

A Ducati brasileira conseguiu importar 70 unidades da XDiavel e já vendeu 20 dos modelos S que trouxe pelo valor de R$ 85.900 e as mais simples podem ser encontradas por R$ 74.900. Os modelos têm dois anos de garantia e revisão a cada 15 mil km rodados.

Por Ruth Galvão

 

Ducati XDiavel


Fazer um seguro para moto é muito importante. Saiba como ele é calculado e quais são os tipos.

A moto é uma paixão nacional desde que começou a ser fabricada e vendida no Brasil por volta dos anos 70. Isso acontece porque, no geral, as motos são mais rápidas que os carros, rodam mais com menos combustível, são mais baratas, etc. No entanto, as motos estão mais vulneráveis a roubos, por falta de estacionamentos seguros e, além disso, exigem muito mais cuidado do piloto. É para estes momentos que temos o seguro para moto. Mas, como é calculado o seguro para moto e quais são os tipos?

Fatores que influenciam no valor da moto:

A idade do contratante e dos moradores da residência é um fator importante, assim como os locais aonde a moto é estacionada e com que frequência ela é utilizada. Informações pessoais como o estado civil do motorista, o tempo de habilitação, o endereço e os locais que ele costuma ir de moto também são determinantes. A finalidade da moto também será importante, pois quem utiliza a moto todos os dias para compromissos como faculdade vai pagar mais caro que aqueles que utilizam o veículo apenas para esportes e hobby.

Naturalmente, outro fator importante é o tipo de cobertura:

A cobertura limitada, como o nome já diz, é algo mais “básico”, cobrindo gastos que o segurado da moto terá com furtos, incêndios e roubos. Já a cobertura compreensiva é completa, cobrindo gastos com capotagem, colisão, explosão, furtos, incêndios, raios e roubos.

O segurado tem a opção de escolher quais são os tipos de cobertura que ele deseja que tenha o seguro e eliminar, por exemplo, a cobertura de explosão. Isso pode baratear os gastos que o piloto terá na hora de contratar um seguro. No entanto, este tipo de atitude que pode ser econômica no início pode ser perigoso, pois nunca se sabe o que pode acontecer e, se um dia acontecer alguma coisa, pode ser que ele precise justamente daquilo que eliminou.

O seguro para moto não deve ser pensado como um desperdício de dinheiro com algo que nunca será utilizado, mas sim como um investimento pois, se algo acontecer, o piloto terá menos dores de cabeça e estará preparado, o que é muito importante, diga-se de passagem, pois muitos incidentes com motos podem se tornar uma verdadeira bola de neve.

Por Jéssica Lima Cochete

Seguro de moto


Primeiras imagens da nova moto são divulgadas em vídeo da Honda.

Recentemente foram divulgadas em um vídeo na Indonésia, as primeiras imagens da nova mota esportiva da Honda, de baixa cilindrada. A motocicleta ainda não tem nome oficial, mas provavelmente se chamará CBR 250RR. Este conceito foi apresentado no Salão de Tóquio 2015, mas tem tudo para logo ganhar as ruas. Mas, se você se perguntou o que são os dois “R’s” no provável nome da moto, saiba que ele faz referência a um “upgrade” em esportividade, nas atuais versões CBR 250R ou CBR 300R.

Mas, o que se pode ver no vídeo é que os faróis serão de LED e a moto terá cortes angulados e retos, lembrando os heróis de quadrinhos japoneses. Já o motor deverá ser monocilindro.

Esse modelo, de alto impacto, com certeza mexerá com o mercado nacional de motos, trazendo muita tecnologia e acessórios que vão deixar os fãs da marca de queixo caído, com itens especialmente para quem gosta de aventura. Não se sabe estimar também o valor da nova esportiva, mas o que já se sabe é que ela será de alto padrão.

Acredita que ainda neste ano, por volta de outubro, a nova esportiva da Honda já estará a disposição para compra na Ásia e só em 2017 na Europa.

Honda

Com 65 anos de mercado, a marca Honda se tornou grande no mundo. Pode-se dizer que ela é uma combinação de tecnologia com respeito ao meio ambiente, trazendo uma gama bem diversificada de produtos aos seus clientes. No total são 474 afiliadas e subsidiárias da marca em todo o mundo, sendo 72 unidades que produzem e 35 Centros de Pesquisa. Pode-se contar por volta de 190 mil funcionários, que levam consigo os lemas da empresa. Seu criador, Soichiro Honda, acreditou no poder de sonhar e levou este tema ao slogan da marca: “The power of dreams”.

Já no Brasil, a sua história se iniciou em 1971 com a importação e em 1976 com a produção no Amazonas, em Manaus.

Gostou do nosso post? Então comente suas experiências conosco! Esperamos que tenha curtido saber mais sobre a nova moto esportiva da Honda!

Kika Akita


Piloto de moto Kenan Sofuoglu atingiu a marca histórica de 400 km/h com a Kawasaki Ninja H2R.

O piloto de moto Kenan Sofuoglu nascido na Turquia conseguiu levar a Kawasaki Ninja H2R atingir uma velocidade de 400 km/h em uma ponte do no seu país natal. O recorde ocorreu no dia 30 de junho de 2016, em uma nova ponte que fica no Golfo de Izmit, a qual estava tendo sua inauguração a 50 km da cidade de Istambul.

Para que o piloto Sofuoglu, que é campeão do mundo de Supersport, fizesse tal façanha, a referida ponte teve de ser fechada, para que o mesmo pudesse acelerar a motocicleta e atingir uma marca histórica.

A grande preocupação dos organizadores era o risco de que os pneus viessem a estourar por causa da força e da alta temperatura, sendo assim o campeão teria que bater a velocidade em menos de trinta segundos.

A incrível velocidade de 400 quilômetros horários foi atingida aos 26 segundos com a tentativa de quebrar em uma moto fabricada em linha de produção.

A Ninja H2R consegue chamar atenção por utilizar um supercharger, compressor de ar, em seu propulsor que conta com quatro cilindros e tem 998 cilindradas, conseguindo gerar assim uma potência 316 cavalos. O modelo também faz uso de pequenas "asas" acopladas as carenagens que são feitas de fibra de carbono com intuito de melhorar o efeito aerodinâmico.

A H2R é uma das motocicletas mais velozes da atualidade, porém a companhia não informa qual é a velocidade máxima que a mesma atinge, apesar de ter atingido 400 depois desse “teste”.

Aqui no Brasil a Kawasaki Ninja H2R é comercializado apenas por encomenda e atinge a cifra de 350 mil reais.

A potência que este modelo atinge supera e muito as principais motocicletas esportivas, que contam com 200 cavalos na média.

Quando o quesito é cavalos de potência até alguns veículos esportivos ficam para trás da Kawasaki Ninja H2R.

Podemos tirar uma base com o Porsche Boxter, que é equipado com um motor de 2700 cilindradas (2.7 cc), que gera uma potência de 265 cavalos, no mesmo tempo que a Mercedes-Benz SLK 250 Turbo de motor 1.8 gera uma potência de 204 cavalos.

Por Filipe Silva

Recorde da Kawasaki Ninja H2R

Foto: Divulgação


Há diversas vantagens de se ter um scooter nos dias atuais.

Cada vez mais popular no Brasil, o scooter tem se tornado um meio de transporte útil, seguro e prático para se transitar em meio aos carros engarrafados e longos trechos de lentidão nas vias. O veículo é adorado pelos europeus, mas vem se tornado o queridinho em outros lugares do mundo.

Entre as diversas vantagens de se ter um scooter, algumas se destacam, a saber:

Tem uma pilotagem mais intuitiva e prática, uma vez que possui um sistema de câmbio automático, bastado ao condutor o cuidado em acelerar e frear adequadamente.

Os scooters são veículos leves, o que facilita seu estacionamento e parada, ainda que sejam as mais inesperadas e bruscas, já que não há necessidade de muita habilidade ou esforço em seu manejo com as pernas.

São veículos confortáveis, bem aconchegantes, por conta de não haver necessidade de montar e sim de se sentar; além do que, essa posição mantém as pernas do condutor mais protegidas.

Os calçados dos pilotos de scooters ficam menos desgastados e vulneráveis do que os dos pilotos das motos convencionais, já que o câmbio não é mudado com os pés e nem eles ficam para fora da moto.

Em geral, os scooters têm frentes e faróis mais encorpados, o que facilita a visibilidade dos motoristas pelo retrovisor em meio ao trânsito. Sem contar seu espaço robusto, contando com lugar para guardar o capacete debaixo de seu banco; modelos que cabem bauletos, frentes estilosas e espaço à vontade para o motociclista.

 Os modelos de scooters são raramente alvo de bandidos, mas caso isso aconteça, as versões geralmente contam com travas e alarmes em seu kit de acessórios.

Com espírito totalmente urbano, os scooters foram pensados para essa finalidade: a de se rodar no trânsito.

Se as motos convencionais já são econômicas quando comparadas aos carros, imagine os scooters! Sem falar que em sua maioria são exclusivamente elétricos, ganhando pontos junto ao meio ambiente.

Os scooters têm para-brisa em sua estrutura que não permitem que a roupa do condutor se suje ou fique com mau odor. Sem contar a possibilidade de compra extra de para-brisas maiores que podem ser adquiridos para agregar ao modelo.

Visualmente, o scooter é estiloso e diferenciado, até o piloto mais executivo pode pilotá-la ao trabalho sem pecar pela elegância.

Por Flávia Alves Figueirêdo Souza

Scooter

Foto: Divulgação


Lançamento no Brasil será em 2017 com novas especificações.

Com rumores de testes sendo realizados nas ruas e estradas do Brasil, a motocicleta SH150i da Honda deverá compor a nova linha 2017 da empresa. Da família de sucesso dos SH, o novo scooter de 150 cilindradas; rodas de 16 polegadas e lugar para guardar o capacete de modelo integral sob o banco, conta com o sistema Idling Stop e sistema de arrefecimento líquido, tem design similar ao modelo Honda SH300i, seu irmão maior, e mesma configuração da PCX 150 até sua versão 2015.

Muito conhecida na Europa e com cada vez mais espaço no Brasil, as motos da SH prometem! A fim de burlar a crise e aumentar suas vendas, essa opção de configuração se deu na nova SH150i, já que com uma estrutura mais antiga, a moto vem com um valor mais acessível aos compradores da Honda. Com freio ABS, o que não há na versão da PCX, e rodas maiores, esse tipo de moto é febre nos grandes centros, dando maior flexibilidade e velocidade de locomoção nos trânsitos caóticos.

Junto com o SH125i, o modelo SH150i formam a dupla de scooters mais vendidos na Itália, somando cerca de 340 mil vendidas no país desde seu lançamento em 2001. Chegará ao Brasil totalmente reformulado, não apenas no que toca ao seu novo visual, mas à motorização e conjunto todo revisado.

A nova geração de motores da Honda está bem representada em seus scooters, com baixo atrito e primando pela economia de combustível mediante alto desempenho sob duas rodas, o SH150i consome em média 43,8 km por litro. Vem com chassi mais leve e todo refeito, e não só suas rodas são novas, mas a plataforma de apoio para os pés é maior e mais confortável. Um olhar mais atento ao scooter consegue perceber suas características mais tradicionais, embora a carenagem, o farol dianteiro e as rodas tenham sido atualizadas nessa versão.

Para os apaixonados pelos scooters, o SH150i é motivo de grande espera, já que seu lançamento oficial no Brasil ainda não foi confirmado pela empresa Honda. A expectativa é que a modo apareça por aqui em meados de 2016 para ser incorporada ao mercado em 2017.

Por Flávia Alves Figueirêdo Souza

Honda SH150i

Honda SH150i

Fotos: Divulgação


Estatísticas mostram que Pedestres e Automóveis lideram lista de envolvidos em acidentes.

Trânsito cada vez mais intenso e caótico nas ruas das grandes cidades brasileiras, não há dia em que não se noticiem ou se presenciem acidentes envolvendo motociclistas, não é mesmo? Mas seriam os motociclistas o verdadeiro e único risco ao trânsito mais seguro? Ou é só mais um senso comum sem comprovação definida?

Se, para as pessoas, há sempre muitas vítimas fatais em acidentes que envolvem motos, logo, a moto se torna  um veículo perigoso. Mas, isso é apenas uma impressão, vamos as estatísticas: em primeiro lugar estão envolvidos os pedestres, em segundo lugar, os automóveis e, somente em terceiro, logo em seguida , as motos são mencionadas. Acredita-se que o que impressiona a população em geral é que, de fato, os motociclistas estão mais vulneráveis à acidentalidade no trânsito, dada a exposição de seu corpo e a falta de proteção do veículo em si, quando comparado com o carro ou o ônibus, por exemplo, que carregam outros tipos de suscetibilidades, mas essa é uma outra história.

Mais recentemente, os dados estatísticos mostram que há cada vez menos mortes em duas faixas de idade entre os envolvidos em acidentes com motos: de pessoas de zero a quatorze anos e de pessoas de cinquenta e um a noventa anos de idade, nesses casos os que mais morrem são os pedestres.

No Brasil, a quantidade de motos que circulam nas ruas é semelhante a do Japão, mas menor do que a Espanha e a Itália, perdendo apenas para o vizinho Paraguai. Assim, aumentam-se os acidentes não por conta da quantidade de motos que estão dispostas nas ruas, mas devido a outros motivos adjacentes. A motocicleta não é intrinsecamente perigosa, seu perigo é equiparado aos carros e aos ônibus, uma vez que sua direção é da alçada dos atos de seu condutor, logo, para condutores inábeis, há manobras e procedimentos equivalentes; independente do veículo por que se responsabilizam.

Entre os fatores que mais contribuem para os acidentes que envolvem as motos no trânsito listam-se: a falta de dedicação dos investimentos que são feitos em transporte público, por conta dos governantes; a ideia de marginalização, não somente das motocicletas, mas também das bicicletas, em detrimento do transporte particular no Brasil e o desrespeito de um modo geral pelo princípio da equidade, que também se aplicaria ao uso do espaço público de circulação. Todos esses motivos se manifestam em condutores cada vez mais imprudentes, negligentes e imperitos no trânsito. Assim, em vez de se pensar a moto como um problema, que tal se ela fosse pensada como uma alternativa mais econômica, mais rápida, mais sustentável e que ocupa menos espaço no trânsito?

Flávia Alves Figueirêdo Souza


Confira aqui algumas dicas para descobrir qual é a melhor moto para você.

O consumidor que deseja adquirir uma moto sempre enfrenta a dúvida sobre como escolher que moto comprar. Por um lado, os modelos superesportivos nos parecem um grande sonho, com sua potência e promessa de aventura. Mas nem sempre eles se encaixam ao perfil de quem deseja usar a moto para se locomover pela cidade e ir e voltar para o trabalho.

Por outro, motonetas e modelos exclusivamente urbanos podem não atender suas expectativas quando o objetivo é aproveitar o fim de semana para dar uma esticada a outras cidades, com alguma carga no bagageiro e uma companhia na garupa.

Preparamos algumas dicas que podem ajudar você na escolha da sua moto!

A primeira delas é pesquisar os custos de manutenção e seguro da motocicleta, que pode variar conforme o local em que você mora. Saber que tipos de oficina podem atendê-lo e com que qualidade é essencial. A concessionária também deve ter uma boa reputação em pós-venda, pois você pode precisar voltar a ela para tirar dúvidas ou fazer reparos. E sabemos que um bom atendimento é fundamental.

Outro aspecto importante é em relação às suas características físicas. Se você for alto ou pesado demais, esqueça os modelos compactos, pois eles podem ser bastante desconfortáveis para o seu caso. A recíproca é verdadeira. Se você for baixinho e franzino, fuja dos modelos muito pesados, pois eles podem conferir menor estabilidade e representar riscos para a sua pilotagem.

Apesar das motos superesportivas serem uma tentação, tenha em mente que nem todas elas são indicadas para as grandes cidades. Dificilmente você conseguirá aproveitar toda a sua potência e terá uma moto mais dura para o seu transporte no dia a dia.

A Roadwin, da Dafra, é uma das poucas esportivas que conciliam potência com conforto para as grandes cidades. Ela pode ser uma boa opção para quem deseja seguir a linha esportiva sem abrir mão da locomoção diária.

Como Escolher uma Moto. Dicas para Comprar Moto:

Com 250 cc, a Next é uma boa alternativa para conciliar transporte urbano com viagens nos fins de semana.

Se a ideia é ter uma moto para ir e voltar do trabalho, dê prioridade a características como agilidade, praticidade e economia. Mas se os seus planos incluírem viagens no fim de semana, atente para a capacidade de carga e potência, o que elimina da lista veículos exclusivamente urbanos, como motonetas.

Uma pequena utilitária de 150 cilindradas, ou melhor, de 250 cc, pode ser suficiente para realizar esses passeios. Agora é só escolher a melhor opção e o destino e se aventurar por ai.

Raquel Alice Moreira


Modelo é uma versão naked da esportiva R3.

No Salão Duas Rodas de 2015 a Yamaha apresentou duas novas motocicletas, a Nmax 160 e a MT-03. Segundo a companhia japonesa, ambas estarão chegarão às concessionárias a partir da segunda quinzena do mês de maio.

O modelo Yamaha MT-03 complementa o segmento Master of Torque trazendo assim um estilo robusto das 09 e 07 para um modelo mais compacto, leve e acessível. Na realidade, quem já conhece a moto esportiva R3 sabe exatamente do que se trata a nova Yamaha MT-03, pois é simplesmente uma versão naked da mesma. Em outras palavras, faz uso do mesmo motor, rodas, chassi, freios, pneus, suspensões, painel, rabeta, etc. O que diferencia é a mesa, que vem com um guidão novo, mais alto e aberto (ao invés do semi-guidão do modelo R3) e a parte da frente com farol que lembra a gama MT, assim também como as carenagens laterais. Comparando com a R3, o guidão ficou mais alto em 39 mm e aproximou 19 mm do piloto.

O propulsor é o famoso bicilíndrico de 321 cilindradas, refrigerado a líquido, que atinge uma potência de 42 cavalos de potência e um toque de 3,02 kgfm, juntamente com um câmbio de seis velocidades. Com relação às suspensões, contam com garfos de 41 mm de diâmetro na parte frontal e na parte traseira um monoamortecedor, com ajuste de pré-carga. No total ela possui um peso de 166 kg na versão standard, já no modelo equipado com freios ABS o peso chega a 169 kg. O assento possui uma altura de 780 mm, ou seja, a mesma da R3.

Os valores da MT-03 são de R$ 18.790 para a versão standard e R$ 20.790 para o modelo com freios ABS, onde a maior concorrente é a Kawasaki Z300, a qual custa R$ 17.990 sem a tecnologia de freio e R$ 19.990 com ABS. A Yamaha oferecerá a moto em três cores: preto, vermelho e cinza fosco. A organização japonesa irá ofertar também o seguro sem perfil para as cidades de Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro, nos valores de: R$ 2.050 na MT-03 ABS e R$ 1.880 na MT-03 STD. A Yamaha também destacou que as revisões possuem um preço fixo.

Por Filipe Silva

Yamaha MT-03

Yamaha MT-03

Fotos: Divulgação


Honda registra patente da motocicleta e indica que poderá lançar a nova motocicleta em solo brasileiro.

A Honda Valkyrie, que foi apresentada no velho mundo e nos Estados Unidos no ano de 2014, agora está bem perto de chegar ao Brasil neste ano. Pelo menos é o que aponta a marca japonesa, ao realizar o registro de patente do design da moto no Instituto Nacional da Propriedade Industrial, o INPI, efetuado no começo deste ano de 2016.

A Valkyrie, que é uma Cruiser, nos mercados europeus é conhecida como Gold Wing F6C. A motocicleta, que é produzida para percorrer grandes distâncias e conta com o motor Gold Wing, chama atenção pelo porte imponente e pelo desenho futurista, além também por possuir diversos painéis e poucos detalhes cromados, o que vai na contra mão das tradicionais customs. De acordo com informações publicadas pela Honda, o desenho não é apenas por estilo, as grandes carenagens laterais também são funcionais, pois auxiliam na deflexão do calor do motor para longe do piloto.

O motor é o boxer, que possui 6 cilindros opostos e conta com 1.832 cilindradas, o que é utilizado no GL 1800 Gold Wing. Possui comando único no cabeçote (SOHC), refrigerado a líquido e alcança 116 cavalos de potência a 5.500 giros e um 17 kgfm de torque, os quais são entregues ao atingir 4 mil rpm. Freios são a disco simples na traseira e duplo na dianteira, com 316 mm e possui sistema C-ABS. A transmissão é de cinco marchas longas.

Ela é 70 quilos mais leve que a irmã Gold Wing, agora pesando 340 kg, promete melhor agilidade e desempenho na estrada. O assento está a apenas 725 mm de altura do solo.

A tabela dela está em aproximadamente US$ 18 mil nos Estados Unidos. Se vendida no Brasil, a nova Valkyrie será uma motocicleta de baixo volume, tendo preços logo abaixo da Gold Wing GL 1800, que atualmente é comercializadas por valores que variam entre R$ 99.900 e R$ 119.900. Caso seja importada, sua venda se dará apenas na rede Honda Dream.

Nádia Neves


Nova Biz conta com injeção eletrônica e novo motor com 110 cm³, além de garantia de três anos sem limite de quilometragem e um novo desenho no painel de instrumentos.

A montadora japonesa Honda anunciou o lançamento da nova Biz 110i, a linha 2016. A nova versão da motocicleta, que será produzida na cidade de Manaus, no Amazonas, possui dois grandes destaques, que é a injeção eletrônica e o novo motor com 110 cm³, agora também conta com garantia de três anos sem limite de quilometragem e um novo desenho no painel de instrumentos, que é exclusivo para esta versão, com marcador de nível de combustível e hodômetro.

A moto da Honda vem com uma proposta bem urbana e entre as novidades está também o compartimento localizado abaixo do assento, que agora possui um espaço maior para armazenamento.

O conjunto mecânico conta com um propulsor motor monocilíndrico OHC (Over Head Camshaft) movido a gasolina, com 109,1 cm³ de capacidade, o que gera uma potência de 8,3 cavalos a 7.250 rotações e um torque de 0.89 kgfm a 5.500 giros. O arrefecimento é a ar e a injeção eletrônica PGM-FI (Programmed Fuel Injection) vem com a promessa de aumentar ainda mais o desempenho e a economia de combustível. A transmissão é semiautomática e rotativa com quatro velocidades, desta forma, não necessita acionar a embreagem. Mais um quesito que garante a tranquilidade do piloto é o sistema elétrico de partida do motor.

O modelo estará disponível nas concessionárias a partir deste mês de janeiro e será comercializada em uma única versão, em apenas duas cores: vermelha e preta. O valor sugerido pela marca é de R$ 7.090.

De acordo com a empresa a suspensão da Biz 110i 2016 absorve, com grande facilidade, os desníveis e da prioridade a pilotagem. Faz uso de duplo amortecimento traseiro com 86mm de curso e garfo telescópico com curso de 100 mm na dianteira. Os freios são a tambor, com 110 mm de diâmetro na parte de três e 130 mm na dianteira. O modelo também adotou novo catalisador para o sistema de escapamento, o que amenizando a emissão de gases poluentes.

Por Nádia Neves 

Honda Biz 110i 2016

Honda Biz 110i 2016

Honda Biz 110i 2016

Fotos: Divulgação


Honda, BMW, Dafra e Harley Davidson apresentam seus modelos que chegarão às concessionárias brasileiras em 2016.

O Salão Duas Rodas 2015 lançou várias novidades para o ano de 2016. A montadora HONDA, por exemplo, certamente atualizará sua linha de CB 500, que já foi atualizada fora do país. Além disso, também já estão confirmados 3 novos lançamentos do segmento de Scooters para o mesmo ano.

Com alterações na suspensão e mudanças no visual, a linha CB500 da HONDA passa por sua primeira renovação desde o seu primeiro lançamento. A HONDA NC 750X, que também ganhou modificações com um modelo mais esportivo, contará também com um porta objetos um pouco maior, que passou de 21 litros para 22 litros. Ainda com luz de led, a nova HONDA NC 750X promete agradar seus usuários.

Em 2016 haverá uma expansão da linha de scooters da montadora Honda e a nova sensação é a SCOOTER SH 300i, ela promete uma competição acirrada com os modelos de scooters da montadora DAFRA e BMW.

BMW C 650 SPORT:

Também na linha de scooters, a BMW vem com a exclusiva BMW C 650 SPORT, que foi lançada no Salão de Milão 2015 (EICMA). De acordo com a montadora, foram renovados motor, câmbio e suspensão. O modelo também investiu na repaginação do visual, que ficou ainda mas esportivo.

DAFRA FIDDLE III:

A montadora brasileira não para de expandir sua linha de scooters e apresentou sua nova linha da FIDDLE III. O modelo promete vir com um preço acessível, além de ser muito econômico.

DAFRA SYM GTS 300:

A nova scooter das Dafra com um motor mais potente, o SYM GTS 300, virá com rodas de 13 polegadas na traseira e 14 polegas na dianteira.

Harley Davidson Iron 883:

A nova Harley talvez seja o lançamento mais aguardado para o ano de 2016, mais o seu preço virá salgado e deve passar dos 40.000 reais. As vendas já começam no começo do ano ea motocicleta agitou o Salão Duas Rodas.

A linha Sportster atualizou a suspensão e deu uma repaginada no seu visual, mas sem alterar sua ideia retrô que tanto agrada os usuários dessa máquina, mantendo seu visual clássico e elegante sem perder o conforto.

Por Nathalia Henderson


Nova moto possui preços reduzidos, tendo versões com valores de R$ 7.390 e R$ 7.990.

Com a instalação da atual crise econômica vivida pelo país, o comércio de veículos do segmento de entrada tem ficado cada vez mais farto, uma vez que os consumidores procuram bons veículos e que tenham preços atrativos, seja entre motos ou carros, as fabricantes têm feito as suas apostas em mais uma opção de modelo, sendo que na maioria das vezes essa outra opção é a derivação de outro modelo já conhecido e renomado no mercado.

E seguindo essa tendência, essa é a nova aposta da fabricante de motocicletas Yamaha com a nova Factor 2016, modelo que foi desenvolvido a partir da bem-sucedida Fazer 150 e o objetivo da fabricante nesse novo projeto foi o de criar uma motocicleta mais simples e destinada para o uso diário intenso, além de ter um preço mais reduzido.

A nova Factor 2016 está sendo comercializada na versão E por R$ 7.390 e na versão ED, a qual possui rodas de liga-leve e sistema de freio a disco na roda dianteira, por R$ 7.990. Com o lançamento desse novo modelo a Yamaha aposta todas as suas fichas, a fim de conseguir que esse modelo street passe a ser o modelo mais comercializado da marca.

Para os consumidores que tiveram a grata satisfação de conhecer a Fazer 150, as modificações feitas na nova Factor foram bem poucas, mas alguns ajustes importantes foram realizados, tais como, guidão e pedaleira com recuo menor para que a posição de pilotagem fosse otimizada, bem como a concentração do painel num visor de tamanho reduzido e digital.

Em uma primeira impressão, parece que modelo não ficou tão atrativo assim, contudo ele possui tudo que uma boa motocicleta necessita como, por exemplo, velocímetro, relógio, hodômetro total e parcial, conta-giros, luz Eco e o importante indicador de marcha engatada que nem outros modelos mais famosos como a Honda CG possui.

A Factor também traz outra novidade de série que é o lampejador de farol alto dentre outros detalhes.

O certo é que essa nova Factor é um veículo que foi projetado para o ambiente urbano e que possui a capacidade de sair com agilidade dos semáforos, bem como circular sem nenhum tipo de problema em vias de trânsito rápido. Agora é aguardar para vermos qual será a resposta dos consumidores com relação a essa nova proposta da Yamaha.

Por Adriano Oliveira

Yamaha Factor 150 2016

Yamaha Factor 150 2016

Yamaha Factor 150 2016

Fotos: Divulgação


Confira aqui os três modelos de moto mais velozes do mundo.

O brasileiro é apaixonado por carros e por motos também. E quando falamos de moto, naturalmente pensamos em velocidade. Com isso em mente, mostraremos para os leitores fãs de duas rodas as máquinas mais rápidas do mundo. Coloquem os cintos de segurança da imaginação e desfrutem dessa leitura super rápida. Sendo assim, embora os maiores donos de moto sejam da Ásia, os brasileiros também aparecem como um dos principais consumidores de motos do planeta.  Em todo caso, além de citar alguma dessa belezuras velozes, também explanaremos o fato de atualmente muitos clientes estarem priorizando a velocidade. Clauberson Rios, psicólogo e amante de motocicletas, disse que uma moto veloz é como um sonho feliz. Ele sonha em ter uma Harley Davidson, mas diz que ainda é cedo para comprar tal objeto de desejo. Moto e velocidade são praticamente sinônimos. Vamos ao que interessa.

Agora, portanto, destacaremos três motos rápidas:

– MV Agusta F4R312:

Essa é uma moto muito bela, de caráter esportivo e de cores bastante chamativas. Ela chega a mais de 312 quilômetros por hora. Ela já foi testada em muitas estradas e mostrou ser muito potente e eficaz.

– Suzuki Hayabusa:

É a segunda mais rápida do mundo, mas a primeira se levarmos em conta as motos usuais. Seu design é incrível, pois parece uma obra de cinema. A moto alcança 320 quilômetros por hora. Esta beleza é uma das máquinas de duas rodas mais desejadas e conhecidas do universo.

– MTT Turbine Superbike Y2K:

Esta moto é coisa de outro mundo. Com seus 370 quilômetros por hora, seu motor é tipo o de um carro e sua turbina é hiper potente. No mais, além de ser a moto mais veloz do mundo, ela também está no livro dos recordes e possui uma funcionalidade bem bacana. Também é, em termos de produção, a mais cara de todas.

Acreditamos que os leitores aceleraram suas mentes com essa matéria. E aí? O que me dizes dessas máquinas?

Oliver


Nova linha speed triple é lançada na Europa. Modelos chegarão ao Brasil somente no ano que vem.

Posteriormente a apresentação da nova geração da Bonnville, foi a vez de a Triumph lançar a nova linha Speed Triple, com as versões Speed Triple R e Speed Triple S. Segundo a assessoria de imprensa da marca, as novas Speed Triple só chegarão ao território brasileiro no segundo semestre do ano de 2016.

O veículo passou por significativas atualizações, dentre elas está o motor e a parte eletrônica, juntamente com as carenagens e o próprio design.

De acordo com as informações divulgadas pela empresa, o novo motor de 3 cilindros e 1050 cilindradas dispõe de 104 melhorias para que assim pudesse atingir uma potência e também torque maior, em todas as faixas, dessa forma, melhorando o consumo de combustível em quase 10 por cento. Tal moto conta agora com uma nova cabeça de cilindro e câmara de combustão, além de uma nova manivela usinada, aceleradores ride by ride e também um novo desenho do pistão.

A nova motocicleta recebeu também uma nova embreagem, um radiador mais eficiente e menor, além de contar também com um sistema de escape com fluxo melhorado em 70 por cento, se comparado com a versão anterior.

O novo modelo conta com cinco modos de pilotagem, são eles: chuva, estrada, pista, esporte e um modo programável. O controle de tração e o freio ABS podem ser ativados pelo próprio piloto. Pinças responsáveis pelas frenagens são da marca brembo.

As alterações de modos incluem luzes diurnas, novos faróis, assento totalmente novo e carenagens remodeladas, muito mais elegantes.

A nova Speed Triple R, além de possuir todos os itens acima citados, tem conta com alguns acessórios adicionais, como inserções de carbono no tanque, para-lama dianteiro feito em fibra de carbono e um protetor de motor.

A Speed Triple R terá disponível as cores: Crystel White e Matt Grafite. Já as cores para a Triple S serão Phantom Black e Diablo Red.

FILIPE RIBEIRO DA SILVA


Nova moto conta com a tecnologia de supercharger, aliando os estilos retrô e futurista.

Para você que é fã de motocicletas: a Kawasaki revelou o conceito de sua nova moto com 'supercharger' – KAWASAKI SC01. O modelo utiliza ciber-tecnologia de compressor. Novo modelo possui um incrível visual que reúne um aspecto retrô e futurista.

A empresa Kawasaki mostrou o conceito do modelo SC01, que se apropria da mesma tecnologia de supercharger já vista nas esportivas H2 e H2R. Ainda sem demonstrar os detalhes técnicos, a estética do modelo demonstra que a moto possui um visual que hibridiza aspectos retrô com modernos, ao contrário de seus outros modelos, que reúnem uma estética mais ciber-futuristas.

A Kawasaki inova com o seu motor supercharger, equipado com quatro cilindros em linha, a mesma tecnologia presente nos modelos Ninjas H2 e H2R. A tampa do motor da moto SC 01 é circunscrita por um “River Mark”, uma insígnia datada em 1870 e que foi utilizada pelo fundador da marca japonesa, Shozo Kawasaki, na produção de seus primeiros navios. Outro detalhe interessante fica por conta do duto frontal que leva o ar até o compressor supercharger.

A gigante fabricante de motocicletas não divulgou grandes detalhes sobre o conceito. Mas não se desespere, a marca deve divulgar mais detalhes nos próximos dias.

É válido salientar que, ao contrário do que muitos fãs de motocicletas pensam, um supercharger não é exatamente um motor do tipo turbo. Nas motocicletas equipadas com o sistema turbo, o equipamento é interconectado ao coletor do escape do motor da moto, que se alimenta dos gases expelidos para girar uma turbina, injetando mais ar no motor.

No que se refere ao sistema blower ou supercharger, o sistema é interconectado ao virabrequim do motor por meio de polia e correia, se alimentando da energia fornecida pela rotação dessa peça para engendrar mais ar dentro do motor da moto, fazendo funcionar de forma parecida a um compressor de ar.

Por Felipe Pancheri Colpani

Kawasaki SC01

Foto: Divulgação


Justiça Federal de Pernambuco suspendeu temporariamente a exigência de Carteira de Habilitação para a condução das motocicletas de 50 cc, porém, o emplacamento e o licenciamento continuam obrigatórios.

A Justiça Federal de Pernambuco, no dia 20 de outubro de 2015, pronunciou uma decisão judicial que suspende temporariamente a exigência de habilitação (CNH – Carteira Nacional de Habilitação), em todo o território nacional, para condução das famosas “cinquentinhas”, ou seja, das motocicletas de 50 cilindradas (cc).

A Associação Nacional dos Usuários de Ciclomotores (ANUC) impetrou uma Ação Civil Pública (ACP) contra a União Federal requerendo a liberação da utilização das motocicletas de 50 cc sem a necessidade de CNH por meio, inclusive, de tutela antecipada.

A resolução nº 168/04 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), até então aplicada, exige que os condutores deste tipo de motocicleta fossem devidamente habilitados com a CNH na categoria A ou ACC (Autorização para Condução de Ciclomotores).

A juíza Nilcéa Maggy, atuante na 5ª Vara Federal em Pernambuco, proferiu uma decisão liminar, na quinta-feira, dia 15 de outubro, que suspendeu a exigência da Autorização para Condução de Ciclomotores no Brasil. Desta decisão ainda cabe recurso, invalidando a referida Resolução do Contran1.

A decisão não faz referência ao emplacamento e licenciamento dos ciclomotores, o que quer dizer que, neste aspecto, a Resolução 168/04 ainda é válida e que estes procedimentos continuam sendo obrigatórios. De acordo com o proferido pela juíza, o entendimento é que não existe regulamentação para obtenção da ACC e a suspensão da exigibilidade do documento deve permanecer até que a ACC seja devidamente regulamentada.

Foi levado em consideração o fato dos veículos de capacidade de potência limitada a 50 cc possuírem características deferentes dos demais, o que não os colocam em um nível de necessidade de habilitação regular.

O Denatran, Departamento Nacional de Trânsito, ainda não se posicionou sobre o assunto com a justificativa de não ter sido notificado até o momento.

Conforme apuração feita pelo Detran, entre os ciclomotores produzidos ou importados entre os anos de 2010 e 2014, menos de 10% foram emplacados.

Por Bruna Rocha Rodrigues

CNH

Foto: Divulgação


Nova moto tem um design diferenciado e é fabricado com madeira de guitarra.

No dia 16 de outubro de 2015, a Yamaha lançou a Resonator 125, uma moto que promete agradar o grande público. Estamos falando de um veículo de duas rodas que será um diferencial por vários motivos. Um ponto alto e positivo, além de interessante, é que essa moto é retrô, é urbana e é fabricada com madeira de guitarra

A Resonator será apresentada na data de 29 de outubro no Salão de Tóquio. Algumas características do modelo são os seguintes: motor de 1 cilindro e 125 cc, com refrigeração a ar, e injeção eletrônica. Essa é uma grande novidade e aposta da Yamaha para conseguir alcançar ainda mais seus clientes. O fato da madeira de guitarra, vale informar, é porque a empresa sempre teve uma forte conexão com o universo musical. Os fãs estão ansiosos para ver como será o desempenho dessa moto que, em termos de estilo, está apostando num design mais moderno e chamativo.

Sendo assim, como uma moto urbana, ela é ideal para as estradas da cidade, além de ser leve e veloz, o que traz uma sensação de liberdade para o motoqueiro. Sem contar que o próprio símbolo da empresa tem uma relação com a música. Vinicius Lima, um amante de motos, disse, em entrevista para o freelancer, que vai adquirir essa moto e que não vê a hora de pilotar essa novidade. A Yamaha, por seu turno, está confiante e acredita no sucesso da Resonator 125 não apenas no salão de Tóquio, mas também no Brasil. O preço ainda não foi divulgado, de forma que a expectativa fica bem maior. 

A marca também apresentou modelos elétricos que também prometem fazer sucesso. Agora é esperar para ver se a Resonator 125, com sua pegada musical, vai agradar ou não o público e os especialistas no mercado de duas rodas. 

Por Madson Lima de Oliveira

Yamaha Resonator 125

Yamaha Resonator 125

Yamaha Resonator 125

Fotos: Divulgação


Modelo terá preço de venda a partir de R$ 63.990 e deverá chegar ao Brasil no 2º semestre de 2016.

A grande e renomada fabricante de motocicletas Kawasaki mostrou oficialmente, na última quinta-feira, dia 8 de outubro de 2015, a reestilização da Kawasaki Ninja ZX-10R. A divulgação foi feita em um estande do Salão Duas Rodas.

A Kawasaki Ninja ZX-10R nada mais é do que é superesportiva de 1.000 cc baseada em um protótipo utilizado pela marca na disputa do Mundial de Superbike, sendo que este modelo, inclusive, foi contemplado com a conquista antecipada do título da atual temporada da competição.

Este modelo só deverá chegar aqui no Brasil no segundo semestre do ano de 2016, sendo que o seu preço de comercialização ainda não foi definido. Na atual linha o preço desta motocicleta parte de R$ 63.990.

O design da motocicleta não mudou muito, exceção feita a carenagem que, neste modelo, ficou maior e mais larga, já com relação à parte mecânica o modelo recebeu diversas mudanças, as quais foram feitas com o objetivo de melhorar o desempenho da motocicleta, a fim de que ela tenha um desempenho digno de uma motocicleta que teve o seu DNA extraído das competições.

Nesta versão a motocicleta tem garfo telescópico invertido na suspensão frontal, o qual traz um reservatório de nitrogênio, tecnologia esta pioneira em motocicletas e que serve para dar maior conforto e precisão aos condutores.

A balança traseira teve o seu tamanho alongado com o objetivo de dar maior estabilidade nas acelerações e frenagens. Com esta reestilização o chassi desta motocicleta ficou ainda mais leve e passou a pesar 206 Kg, isso em ordem de marcha na versão com freios ABS.

Para não deixar a desejar, motor e câmbio também passaram por aprimoramentos, sendo que o primeiro, de 998 cm³, dotado de refrigeração líquida e com 16 válvulas possui a capacidade de produzir uma potência máxima de 210 cavalos, ou seja, 10 a mais do que a ZX-10R.

Para completar todo este pacote a motocicleta ainda tem acelerador eletrônico, controle de tração e assistente de largada.

Por Adriano Oliveira

Kawasaki Ninja ZX-10R

Kawasaki Ninja ZX-10R

Fotos: Divulgação


Modelo de baixa cilindrada teve seu lançamento mundial oficializado e, no Brasil, será fabricado no Brasil na cidade de Manaus (AM).

Mais uma novidade no mercado de motos promete agradar o grande público do veículo de duas rodas. Estamos falando da BMW G 310 Stunt, moto de baixa cilindrada que será lançada no Brasil em 2016

No dia 6 de outubro deste ano, a BMW fez o lançamento mundial dessa belezura. No evento realizado no Salão Duas Rodas em São Paulo,  a moto parecia um protótipo, mas a empresa afirmou que, ainda no fim de 2015, sairá o modelo em sua versão oficial.  Apesar dos pormenores técnicos não terem sido divulgados, o fato é que o motor, então um monocilíndrico, terá mais de 300cc e menos de 500cc.

Essa moto de baixa cilindrada será fabricada no Brasil na cidade de Manaus no próximo ano. A G 310 Stunt, por seu turno, é uma moto singela e rápida, além de possuir um visual bacana que, provavelmente, irá cair nas graças do consumidor. A BMW, com o lançamento desta moto, pretende aumentar ainda mais seu marketing e suas vendas em todo o mundo, inclusive no Brasil, um país que a cada ano que passa mais se interessa pelo mercado das motos.  A marca, naturalmente, também apresentou outros modelos e novidades, mas o modelo de baixa cilindrada, o G 310 Stunt, acabou sendo o centro das atenções, o destaque da BMW no evento.

Assim, mesmo aparecendo como um protótipo, o público brasileiro, tanto os especialistas como os amantes de duas rodas, já parecem ansiosos com as possibilidades que a Stunt poderá oferecer. O preço ainda não foi divulgado.

Agora, após o lançamento mundial e com a expectativa de figurar no cenário brasileiro em 2016, cabe a todos nós aguardar como será o desempenho e as vantagens dessa moto de baixa cilindrada. 

Vamos ver no que vai dar esse novo interesse da BMW no mercado de motos menores.

Por Madson Lima de Oliveira

BMW G 310 Stunt

BMW G 310 Stunt

Fotos: Divulgação


Honda lançou a nova versão 2016 da NXR 160 Bros ESDD com mais opções de cores.

Quem pensa que motocicletas são todas iguais se engana. Prova disso é a Honda, que lança mais uma versão da NXR 160 Bros ESDD 2016, agora com mais opções de cores.

Essas alterações se concentram basicamente nas alças do garupa, que agora aparece na cor preta; e na rabeta e na carenagem do farol, que nessa nova versão aparece na mesma cor que predomina no resto da motocicleta.

O novo modelo deve chegar às concessionárias a partir de outubro. Além das alterações visuais, a NXR 160 Bros ESDD 2016 vem com um motor de um único cilindro OHC com 162,7 cm³, que possui a tecnologia FlexOne e é arrefecido a ar.

Esse motor gera uma potência máxima de 14,5 cv, rodando a 8.500 rpm a gasolina, e quando no etanol sua configuração é de 14,7 cv, rodando aos mesmos 8.500 rpm. O torque é de 1,46 kgfm e 1,60 kgfm, respectivamente, ambos com rpm de 5.500.

Com suspensão de garfo dianteiro telescópico, a nova Honda ainda conta com suspensão traseira mono amortecida. A motocicleta ainda vem com freio a disco em ambas as partes. Os pneus vêm na medida de 90/90-19 na parte dianteira, e 110/90-17 na parte traseira.

Chegando ao mercado com preço inicial de R$ 10.720,00, a NXR 160 Bros ESDD 2016 tem sua produção nacional, em Manaus, no Amazonas. As cores padrão são: vermelha, preta e branca. O interessante também é sua garantia, de até três anos sem qualquer limite de quilometragem, com opções de ter até sete revisões com fornecimento de óleo gratuito.

De acordo com a própria Honda, seu novo modelo tem como características principais a baixa manutenção, a segurança e sua robustez. Pela propaganda feita pela montadora, é provável que esse modelo tenha um bom custo benefício em relação a suas concorrentes. Agora é esperar para ver e tirar suas próprias conclusões em uma experiência de test ride.

Por Felipe Villares

Honda NXR 160 Bros ESDD

Honda NXR 160 Bros ESDD

Fotos: Divulgação


Moto será o novo modelo de entrada da Ducati no Brasil

A Ducati deu uma volta no tempo e se inspirou para criar a nova Scrambler: um modelo retrô, que resgatou a simplicidade das motos dos anos 50 – mas só no visual, porque as novas tecnologias marcam presença no modelo.

A nova moto da marca italiana foi apresentada no Brasil na última quarta-feira (23) e é apontada como a mais importante dos últimos tempos e tem uma missão bem especial: ser o novo modelo de entrada da Ducati, com um marketing pesado em cima, muitos acessórios e itens de vestuário.

Quatro versões da moto estarão disponíveis:

  • Icon, que é a básica e estará disponível nas cores amarela e vermelha;
  • Urban Enduro, na cor verde militar, com rodas raiadas e para-lama dianteiro elevado;
  • Full Trottle, que tem um guidão mais baixo e mais curto e pintura preta fosca e para-lama dianteiro curto;
  • Classic, com banco marrom, pintura laranja, para-lamas de alumínio e rodas raiadas.

Todos os modelos têm motor 2 cilindros, com 75 cavalos de potência e 6,98 kgfm de torque. Elas têm rodas 18” na dianteira e na traseira 17” e o seu painel é circular, com tela de LCD. Faróis e lanternas de LED – um farol redondo da frente, o que nos remete aos modelos antigos. Têm embreagem deslizante APTC e sua transmissão final é por corrente acoplada ao câmbio de 6 marchas.

Quem estiver em São Paulo e quiser ver a moto de perto, ela está exposta no espaço chamado “Land of Joy”, onde ficará até 4 de outubro.

No Salão de Milão, em 2014, a Scrambler foi eleita “a mais bela do Salão” – imagine agora o tanto de bela que tem que ser para conseguir um título desses em meio a tantas concorrentes.

Os preços das motos serão divulgados somente no Salão Duas Rodas, mas estima-se que não fiquem abaixo de R$ 35 mil.

Por Elia Macedo

Ducati Scrambler no Brasil

Ducati Scrambler no Brasil

Fotos: Divulgação


Novo modelo recebeu o nome de F3 800 AMG Solarbeam e foi inspirado no Mercedes-AMG GT.

O mundo automobilístico não se restringe aos carros, pois as motocicletas também têm grande destaque mundo afora. Prova disso está sendo o Salão do Automóvel de Frankfurt, onde diversas montadoras de motocicletas estão aproveitando o evento para lançar seus modelos superpotentes. E a MV Agusta é uma delas, que está utilizando o Salão para lançar sua nova F3 800.

Na verdade seu nome oficial será F3 800 AMG Solarbeam, pois o modelo foi inspirado no Mercedes-AMG GT. Bem propício, já que a AMG detém 25% de participação da MV Agusta.

Para esse novo modelo, a montadora deixou de lado seu clássico vermelho e prata, para adotar um amarelo bem vivo, bem parecido com o do Mercedes, e que dá o nome de AMG Solarbeam. Para contrastar com o amarelo, o preto também aparece na lateral da carenagem e em cima do tanque. Para completar o visual, a motocicleta ainda é composta por tampa de combustível racing, costuras amarelas nos assentos e para-lamas feitos em fibra de carbono.

As configurações mecânicas também são bem interessantes, compostas por um bloco de 3 cilindros, com 12 válvulas com dimensão de 798 cm³. Esse motor gera uma potência de 148 cavalos. Com câmbio de seis marchas, a F3 800 AMG Solarbeam ainda possui o sistema Electronically Assisted shift, que nada mais é do que um assistente eletrônico para troca de marcha. Além disso, também possui controle de tração e freios ABS.

Ainda não existem especulações se esse modelo deve chegar ao Brasil ou mesmo na América Latina. A única informação confirmada é de seu preço sugerido, 15.310 euros, o que equivalente a R$ 67.000 com nossa moeda atual.

Além da AMG, a Ducati também teve a mesma estratégia durante o Salão do Automóvel de Frankfurt, onde utilizou o stand da Volkswagen para promover seu novo modelo, a Ducati Monster 1200 R.

Por Felipe Villares

MV Agusta F3 800 AMG Solarbeam

MV Agusta F3 800 AMG Solarbeam

Fotos: Divulgação


Novo modelo será a naked mais potente já fabricada pela montadora.

O mundo automobilístico costuma voltar suas atenções em setembro para o famoso Salão do Automóvel de Frankfurt, na Alemanha, onde muitos aguardam ansiosamente por carros futurísticos e superpotentes, verdadeiras máquinas sobre rodas.

Mas muitos esquecem que não é apenas de veículos de quatro rodas que vive o mundo dos automóveis, como é o caso da Ducati, que ficou praticamente esquecida para esse evento, pois não recebeu um convite formal para ser participante como integrante desse mundo de rodas. Mas isso não foi problema, já que a marca acabou entrando como participante sendo integrante da marca do Grupo Volkswagen.

No evento, a montadora promete, no dia 14 de setembro, revelar seu novo modelo, a Monster 1200 R, a qual acaba de revelas duas novas imagens em um teaser. Apesar das imagens terem sido divulgadas, ainda não é possível perceber nenhum detalhe que revele realmente muitos detalhes do novo modelo.

A única informação oficial confirmada pela marca de Borgo Panigale é que essa será a naked mais potente já fabricada até hoje por ela. Um novo chassi também será apresentado durante o evento, sendo mais esportivo, com um design mais tecnológico, se comparado com os modelos Monster 1200 S e Monster 1200 Standard.

Outras informações, como valor de entrada e data oficial de lançamento, assim como os mercados onde a Monster 1200 R será comercializada ainda não foram divulgadas.

Além desse modelo, a Ducati ainda promete revelar novas motocicletas durante o Salão do Automóvel de Frankfurt, no dia do VW Group Night. A Monster 1200 R deve ficar exposta até o dia 20 de setembro no estande da marca durante o evento.

Assim como a marca do grupo VW, a Honda também pretende trazer uma grande revelação para esse Salão, com um carro conceito que vem com um motor derivado de uma motocicleta, o bloco RC213V, pertencente a MotoGP. Uma grande inovação para a indústria automobilística.

Por Felipe Villares

Teaser Ducati Monster 1200 R

Teaser Ducati Monster 1200 R

Fotos: Divulgação


Queda registrada foi de 7,29% em agosto nas vendas de motos no Brasil.

O mês de agosto também não foi bom para o setor de motos que apresentou queda nas vendas. Este era um dos setores que mais vinha crescendo no País e bastava olhar para ruas e avenidas para vermos o grande número de motos transitando. Mesmo quando a venda de veículos reduzia ou caia, o setor de motos continuava bom, mas não foi capaz de suportar a crise prolongada, apresentando queda de 7,29% em agosto.

Os dados foram divulgados pela Fenabrave e mostram mais um setor que está entrando em crise, devido à situação em que o País se encontra. A Fenabrave é uma entidade onde estão reunidos as revendas de veículos de todo o Brasil e os números divulgados pela entidade são preocupantes. É mais uma queda nas vendas de motos.

Em julho, o número de motos emplacadas chegou a 107.757. Em agosto, este número foi de apenas 99.901 motos emplacadas. A queda de 7,29% não apenas mostra a baixa nas vendas, como também alerta para este mês de setembro, que poderá registrar nova queda.

Durante todo este ano, o setor de motos vendeu apenas 849.449 unidades. Pode até parecer muito, mas o setor registrou uma queda de 10,59% se compararmos este período com o mesmo de 2014, quando foram emplacadas 950.052 unidades.

O único motivo que o setor de motos tem para comemorar é que este segmento foi o que menos caiu em 2015, pois enquanto este setor teve uma queda no acumulado do ano de 10,59% o setor de automóveis e comerciais leves já registrou uma redução nas vendas de 20,38%.

Alarico Assumpção Júnior, presidente da Fenabrave, lamenta que no cenário econômico do Brasil não tenha ocorrido mudanças e pior, a perspectiva é que as vendas continuem caindo neste resto de ano, pois até a presidente Dilma Rousseff já alertou que 2016 será um ano difícil, de sacrifícios, então não é bom esperar melhoras para os próximos meses.

As motos sempre foram um meio de transporte rápido, prático, econômico, principalmente nos grandes centros urbanos, mas com a redução nas vendas, o efeito dominó vai se espalhando, as empresas vão contratando menos, precisando de menos serviços, menos entregas e chega ao setor de motos, como podemos constatar.

Por Russel

Motos

Foto: Divulgação


Modelos que serão lançados no Brasil são Chief Classig, Chief Vintage, Chieftain, Roadmaster e Scout.

A Indian é a mais antiga fabricante de motocicletas dos Estados Unidos – ela já teve o título de maior do mundo. Tem entre seus modelos mais conhecidos e mais populares o Chief e o Scout.  É uma das concorrentes diretas da Harley-Davidson e ano passado anunciou que viria para o Brasil em 2015 e está mesmo vindo.

A montadora apresentará em outubro, no Salão Duas Rodas, os modelos que serão vendidos no País – cinco modelos serão apresentados e já se sabe quais são. Vamos conhecê-los.

Indian confirma modelos que serão vendidos no Brasil:

Inicialmente, serão comercializados os modelos Chief Classig, Chief Vintage, Chieftain, Roadmaster e Scout. Nem é preciso dizer que ela entra no mercado brasileiro para brigar de frente com a Harley e pegar a sua fatia de mercado.

A Chief Classic tem um estilo tradicional e recursos como partida do motor com a chave no bolso, controlador de velocidade e outros recursos práticos. Tem rodas de 16 polegadas com pneu largo. Motor V2 de 111 pol³, cuja prioridade é o torque. Pesa 354 kg.

A Chief Vintage tem malas laterais e banco em couro e é cheia de cromados. Recursos e motor iguais ao da Classic, a única diferença é mais pesada: 10 kg a mais.

A Chieftain combina modernidade com traços de estilos tradicionais. Tem para-brisa com ajuste elétrico e malas rígidas em seu espaço para bagagem. Pesa aproximadamente 370 kg. Motor igual às da série Chief, tanque com capacidade para quase 21 litros de combustível e sistema de áudio com interface Bluetooth.

A Roadmaster tem recursos iguais aos da Chieftain, alguns um pouco mais sofisticados, como o sistema de áudio com navegador e aquecimento no banco e nas manoplas. Pesa bastante també, cerca de 406 kg. É uma grande estradeira de turismo.

A Scout é o modelo médio da marca americana. Tem motor V2 de 1.133 cm³ com injeção eletrônica, potência de 100 cv. Rodas de alumínio, câmbio de 6 marchas e pesa 248 kg.

A marca pertence atualmente ao Grupo Polaris, que a comprou em 2011 e de lá pra cá vem renovando os modelos. Ainda não está definido se a Indian terá sua própria fábrica no Brasil ou se terceirizará a montagem, como fazem a Ducati e a BMW, por exemplo. Também se não tem informações sobre preços. O que se sabe é que terá concessionárias em São Paulo/SP, Rio de Janeiro/RJ, Belo Horizonte/MG e Florianópolis/SC.

A disputa com a Harley-Davidson:

A título de curiosidade, com quais modelos da Harley  a motos da linha Chief da Indian "brigarão" diretamente: Chief Classic x Harley-Davidson Fat Boy, Chief Vintage x Road King e Chieftain x Street Glide.

Por Elia Macedo

Motos Indian no Brasil

Foto: Divulgação


Novos modelos serão lançados com novidades que irão atrair os fãs da marca.

Mark-Hans Richer, presidente de Marketing da Harley-Davidson, acredita que este é mais um dos anos históricos da marca e isso porque está acontecendo o lançamento da linha cruiser mais potente de toda a história da montadora. A linha inclui também a novíssima série S. Além desses lançamentos, a montadora também está levando a linha Dak Custom™, a um novíssimo patamar, com os novos modelos Iron 883™ e Forth-Eight®. E para finalizar, o presidente de marketing anunciou ainda que a montadora está aumentando a linha de motocicletas no estilo Touring, que são líderes de mercado com o modelo Road Ultra e também estão dando um novo desenho ao modelo tradicional Heritage Softail Classic.

A Iron 883™ continua com seu estilo minimalista, sem maiores detalhes, mas agora conta com um acabamento ainda mais agressivo, com menos detalhes cromados e mais partes pretas. Sua ciclística é a grande novidade do modelo: a suspensão dianteira foi completamente repaginada, e a traseira agora pode ser ajustada. Suas rodas estão mais leves e o assento bem mais confortável que o modelo anterior.

As novidades da linha 2016 podem ser conferidas na Forty-Eight® que recebeu melhorias nos assentos e suspensões e tem rodas mais leves. Seu visual também foi repaginado e apresenta uma aparência mais imponente, com pneus mais corpulentos. Suas novas rodas são de liga leve, com tubos de 49 mm. Seu design apresenta agora uma perfeita combinação entre as cores, os cromados e o preto do modelo.

As inovações nos modelos Street 500 e 750 vêm com uma funcionalidade mais urbana, graças a seus freios dianteiros e traseiros.

Toda a linha Sportster 2016 vem com as melhorias de suspensão e assentos citadas anteriormente o que faz com que a condução desses modelos seja ainda mais prazerosa. Seus novos bancos são mais confortáveis e vêm com materiais especiais e formatos que foram completamente ajustados. Outras novidades também chamam a atenção nos modelos, como a suspensão redesenhada, os amortecedores traseiros, agora pressurizados a nitrogênio, e a suspensão dianteira com um conjunto de válvulas e pistões que são calibrados com molas progressivas, o que permite maior estabilidade da suspensão.

Além de inúmeras inovações, os modelos Softail, pela primeira vez na história possuirão um sistema de piloto automático controlado eletronicamente, graças a um novo controle do acelerador, que agora é eletrônico. A partir de agora, o item virá em série para os modelos, Fat Boy® S, Softail® Deluxe, Heritage Softail® Classic e Softail® Slim S, e aparecerá como opção para os demais modelos Softail.

As novas motocicletas da Harley-Davidson 2016, já começaram a chegar a algumas concessionárias da marca nos EUA e também em algumas lojas pelo mundo. Como sempre, o Brasil esperará mais um pouco, pois o lançamento oficial por aqui só acontecerá entre os dias 6 e 12 de outubro, no Salão Duas Rodas, que acontecerá no pavilhão do Anhembi, no estado de São Paulo.

Por Patrícia Generoso

Nova moto da Harley-Davidson

Nova moto da Harley-Davidson

Nova moto da Harley-Davidson

Fotos: Divulgação


Os estoques das montadoras estão altos e, com isso, ocorrem diversas promoções com bons descontos aos clientes que querem aproveitar o momento para comprar uma moto.

O ano de 2015 tem sido difícil para o comércio em geral e o setor de motocicletas também está sentindo as consequências desse cenário pessimista. As vendas no setor caíram 10,63% só no primeiro semestre do ano, e embora a produção tenha acompanhado a queda, os estoques de motocicletas zero quilômetro nas concessionárias são altos.

A notícia é excelente para quem tem dinheiro guardado, pois com a “sobra” de modelos nas lojas, o mercado tem oferecido bons descontos. Para desencalhar o estoque, algumas montadoras estão apelando e oferecendo facilidades como bônus de R$ 10 mil para quem comprar à vista, ou financiamentos com juros bem abaixo do mercado. Em alguns casos, as taxas chegam a 0%.

Uma das marcas que amarga com a queda de vendas é a Kawasaki, que depois de uma redução de 16% das vendas, anunciou uma promoção denominada “Invasão Verde” (referência à cor padrão da marca) em que oferece bônus e facilidades para quem financiar seus modelos. A marca tem uma parceria com o Banco Santander.

Um exemplo de modelo com um bom desconto da marca é a sport-touring Ninja 650 ABS 2015/2015, que ao ganhar um bônus sai pelo preço final de R$ 32.990. Os clientes podem ainda oferecer 20% de entrada e parcelar o restante do preço com taxa zero de juros. Outros modelos que recebem desconto são as esportivas Ninja ZX-10R e ZX-14R que recebem abatimentos de R$ 4.000 e R$ 10.000, respectivamente. Esses dois modelos podem ser parcelados pelas mesmas condições da Ninja 650.

A Honda também oferece descontos espetaculares para seus clientes. Os preços estão baixos para modelos de todos os portes. A Naked Honda CB 1000R tem um desconto de mais de R$ 3 mil e sai ao preço final de R$ 42.138. As condições de parcelamento incluem entrada de 60% do valor total e taxa de juros para o parcelamento de 0,39%, com até 24 meses de parcelas fixas. A versão top do modelo, a CG 150 Fan ESDi, está para sair de linha e é encontrada pelo incrível preço de R$ 8.139 para pagamentos à vista, ou parcelada, com entrada de R$ 881,45 e parcelas fixas de R$ 279. Os juros do modelo chegam a 2,29% ao mês, considerado baixo para o segmento.

Até os modelos que ainda não chegaram às lojas, como os lançamentos Yamaha YZF-R3 ou a Ducati Monster 821 já saem de fábrica com descontos e facilidades de parcelamento e pagamento para os clientes.

A dica é negociar pessoalmente:

A montadora Harley-Davidson também anunciou descontos especiais para os clientes: alguns modelos da luxuosa linha Softail como, por exemplo, a Fat Boy, terão 50% de entrada, com opção de 12 ou 24 parcelas de financiamento a taxa de 0,69%.

Um dos vendedores da marca, revelou que é possível obter preços ainda melhores, ao negociar pessoalmente. Aliás, essa é a dica dos especialistas nesse momento: vá até a concessionária e negocie pessoalmente com o vendedor ou representante. É o momento certo de conseguir o modelo de seus sonhos a um preço acessível.

Por Patrícia Generoso

Kawasaki Ninja 650R

Yamaha YZF R3

Fotos: Divulgação


Novo modelo tem preço sugerido de R$ 15.990 para ser vendido no Brasil.

O modelo KTM Duke 200 chegará ao mercado brasileiro em setembro, e tem preço sugerido de R$ 15.990 e chega para concorrer com o modelo CB 300R da Honda e com a Fazer 250R da Yamaha.

O modelo foi construído sobre o chassi utilizado para o modelo da Duke 125, que já foi comercializada no continente Europeu e em muitos outros Países.

O modelo conta com um estilo naked, e é mais leve do que os outros modelos de sua categoria. Quem adquirir a Duke poderá contar com duas opções de cores: branca e laranja. O design é parecido com o modelo de 390 cc da KTM.

O modelo possui ainda um câmbio que conta com 6 velocidades, motor de modelo DOHC monocilíndrico, altamente silencioso.  O motor é potente, com 4 válvulas e resfriamento a líquido. O escapamento é compacto e vem ajustado para ficar exatamente no centro de massa do modelo. A potência máxima da Duke 200 chega a 26 cv a 10.000 rpm. A Duke tem 199.5 cm³ de volume e peso total de 129,5 kg.

Os usuários brasileiros podem contar com o novo modelo a partir da primeira quinzena do mês de setembro. Embora o preço seja considerado alto se comparado com os modelos de porte parecido, que custam cerca de R$ 1.000 abaixo, a Duke 200 traz inovações que não são encontrados nas suas concorrentes, e que justificam o diferencial no preço: as suspensões do modelo são da marca WP e há itens feitos em alumínio, como a balança traseira e as rodas. O modelo conta também com freios a disco tanto na parte traseira, quanto na dianteira.

Mesmo com esses diferenciais, alguns usuários não concordaram com o preço do novo modelo e a KTM tem recebido críticas quanto ao valor para o novo modelo. Basta descobrir se as críticas surtirão efeito e a montadora alterará o preço final do modelo. 

Por Patrícia Generoso

KTM Duke 200

KTM Duke 200

Fotos: Divulgação


Novas versões da moto serão lançadas no Brasil na segunda quinzena de agosto com preços que aprtem de R$ 7.990.

Após comercializar por nove gerações a famosa e conhecida de todos brasileiro a CG 150, motocicleta mais popular do país, a fabricante de motocicletas Honda resolveu aposentar este modelo e lançar a sua mais nova aposta: a Honda CG 160 edição 2016. O anúncio relativo a estas mudanças foi feito pela empresa no dia 6 de agosto de 2015, quinta-feira.

Essa nova geração da CG que chegará ao mercado em breve terá o seu valor inicial fixado a partir de R$ 7.990 para o modelo Fan e para o modelo Titan o valor será a partir de R$ 9.290.

O motor que foi inserido neste modelo já estreou na NXR 160 Bros, motor este que tem um tamanho maior. Para fazer estas mudanças a fabricante teve que fazer algumas alterações no visual da motocicleta, o que fez com que o valor dela subisse cerca de R$ 600 em relação aos modelos anteriores, tendo em vista que anteriormente o preço inicial da CG 150 Fan era a partir de R$ 7.357, apesar de que essa versão possuía apenas uma versão chamada ESDi, a qual teve o seu nome alterado e passará a ser chamada apenas de CG 160 Fan, sendo que as antigas rodas raiadas deste modelos foram substituídas por bonitas rodas dessa vez confeccionadas em liga-leve.

Já o modelo Titan que tinha o seu preço inicial partindo dos R$ 8.113 na versão ESD e na versão topo de linha, a EX, chegava a custar R$ 8.639, as alterações que foram feitas é que a versão ESD da Titan não será mais comercializada, sendo que a única opção que restará no mercado será a EX, topo de linha, e que será comercializada por R$ 9.290.

A previsão da Honda é a de que estes novos modelos da CG 160 cheguem às concessionárias de todo Brasil na segunda quinzena do mês de agosto, motocicletas estas que terão um novo motor monocilíndrico de 162,7cc de cilindrada, que acabou trazendo maior torque e potência para a motocicleta, devido ao fato de possuir sistema de injeção eletrônica e ser dotada de um sistema flex. Este novo motor consegue produzir uma potência máxima de 15,1 cavalos a 8.000 rpm e 1,54 de torque a 6.000 rpm.  Tal como nas antigas versões, a principal adversária da CG 160 será a também conhecida Yamaha Fazer 150. 

Por Adriano Oliveira

Honda CG 160 2016

Honda CG 160 2016

Fotos: Divulgação


Novo modelo será lançada em setembro deste ano e vai custar R$ 19.900.

A emoção de encontrar equilíbrio e velocidade sob duas rodas não é aventura para qualquer um. Só mesmo quem entende e ama pilotar uma moto também pode compreender o que significa a nova Yamaha R3, uma moto única, que reúne potência, beleza e estabilidade em um único meio de transporte.

A Yamaha R3 chegou para disputar, de frente e com o mesmo nível, com a bem conceituada no mercado Kawasaki 300, e ao que parece, a disputa vai mesmo ser acirrada, uma vez que a Yamaha R3 vai custar R$ 19.900 contra a Kaeasaki que está no mercado pelo valor de R$ 20.213, uma diferença ínfima de preço que só tende a tornar ainda mais disputada a preferência do público.

O público consumidor só vai ter acesso à nova Yamaha R3 a partir de setembro deste ano, no caso, 2015, o que já deixa os loucos por motos bastante eufóricos, pois, a moto promete chegar com tudo com a sua potência fácil de controlar, pois a moto vem com uma suspensão dianteira com tubo interno de 41 mm. O que isso significa? O piloto terá mais facilidade para ser ágil nas curvas. A suspensão tem apenas um amortecedor traseiro, diminuindo a instabilidade na traseira, o que dá mais confiança e comodidade ao piloto.

O semiguidão da Yamaha R3 ganhou a característica de ser estreito, o que dá ao piloto também mais confiança para fazer uma ultrapassagem entre carros – caso seja necessário. O seu quadro de aço lhe dá boa rigidez e, na sua parte exterior, ligada ao design, apesar dela trazer marcas do R1, a Yamaha fez questão de dar mais um toque ao desenho da R3, para que ela ganhe mais imponência.

Se você está no aguardo de setembro para ver mais de perto a nova R3 da Yamaha, saiba que é nesse mês mesmo que ela vai chegar para colocar em estado de aflição os seus concorrentes da Kawasaki. No entanto, a boa aceitação dessa moto será, como sempre, decidida por quem gosta de motos e está a escolha de uma perfeita, seja para rua ou para as estradas, oferecendo bom preço, segurança, estabilidade e acima de tudo, economia.

Por Michelle de Oliveira

Nova Yamaha R3

Nova Yamaha R3

Fotos: Divulgação


Moto está à venda em 2 versões, a Básica, que custa R$ 64.900, e a Carbon, que custa R$ 74.900.

O segredo da Ducati Diavel 2015 já é de conhecimento dos fãs da marca de velocidade sobre duas rodas. Usando o trinômio de sucesso eficiência – economia – estabilidade, a Dafra, nome da montadora da moto mais cobiçada do momento, não poupou tecnologia para a fabricação da nova Ducati Diavel 2015. Claro que bem antes foi estudado um projeto de design que desse a essa máquina toda a imponência, algo que foi conseguido e já pode ser contemplado pelos proprietários da Ducati.

A beleza da Ducati Diavel 2015 está no seu farol de Led, com a carenagem que ganhou um toque especial com o toque do brilho na pintura – uma inovação que a Dafra pediu apoio à montadora de carros Audi para fazer na Ducati 2015. Para prezar o conforto do piloto, a Ducati 2015 investiu em novas modelagens para o assento e guidão, o que vai tornar a moto bem mais viável até mesmo para quem gosta de aventura de viajar de moto.

A moto está no mercado em duas versões: a básica – que pode ser adquirida por R$ 64.900 e a mais estilizada, em cor Carbon, com nuances da cor vermelha em seus detalhes, que pode ser comprada por R$ 74.900. Importante salientar que o acréscimo no preço advém de outros opcionais que a categoria Carbo9n tem para oferecer, como rodas remodeladas para ficar com 5 Kg a menos de peso.

O banco da moto modelo 2015 está mais curvado, com isso, o piloto não terá dores se passar um bom tempo pilotando a Ducati Diavel 2015, um projeto de ergonomia inteligente que só faz o lançamento da Dafra ser ainda mais aceito no mercado. Tudo isso com um painel digital, com marcador inteligente para marcar o velocímetro, contagiro e combustível.

O possante Ducati Diavel 2015 já está à venda em todas as concessionárias autorizadas Dafra, é só ir até uma mais próxima, ver as facilidades de pagamento e sair com o modelo que lhe agradar, seja a Básica e Carbon.

Por Michelle de Oliveira

Ducati Diavel 2015

Ducati Diavel 2015

Fotos: Divulgação


Novas versões de entrada da linha Tiger 800 foram anunciadas oficialmente no Brasil. Preços partem de R$ 37.690.

A Triumph, empresa fabricante de motocicletas, anunciou oficialmente no dia 28 de junho o lançamento no Brasil das novas versões de entrada da linha Tiger 800. O último lançamento feito pela empresa aqui no país ocorreu no mês de março, oportunidade em que foram lançadas as versões topo de linha da motocicleta mencionada acima. Nesta versão topo de linha, a motocicleta já vem de fábrica dotada com um sistema de controle de tração.

Dessa vez a empresa aproveitou para fazer o lançamento das versões mais acessíveis e mais básicas. O processo de produção dessas motocicletas, aqui no país, já foi iniciado e estão ocorrendo na cidade de Manaus. O modelo mais básico da Tiger 800, que é o XR, irá custar para o consumidor brasileiro R$ 37.690, enquanto a versão topo de linha, a XC, já é comercializada por aqui por R$ 40.790, com relação à disponibilização de freios do tipo ABS em ambos os modelos os consumidores são contemplados com este sistema de série.

Em princípio, a linha mais vendida pela Triumph, aqui no país, sem sombra de dúvidas é a Tiger 800, modelo que, após ter passado por atualizações nesta última versão, segundo as estatísticas da empresa, representa nada mais nada menos que 70% das vendas realizadas por aqui.

Com relação à motorização desta nova motocicleta mais básica, o propulsor utilizado foi o mesmo nas versões anteriores da Tiger 800, motor este que possui 3 cilindros e 799 cilindradas, contudo apesar de ter sido mantidas as mesmas especificações técnicas dos modelos produzidos anteriormente, com uma potência total de 95 cavalos e um torque de 8,05 Kgfm, a empresa garante que nesta nova versão de motocicleta o consumo de combustível foi reduzido em 17%.

Esta nova versão da Tiger 800, a XR, mesmo sendo mais simples, será comercializada com o mesmíssimo pacote tecnológico disponível no modelo XC, ou seja, com a presença dos seguintes itens: acelerador do modelo eletrônico e controle de tração.

A única distinção entre os dois modelos é a ausência de alguns equipamentos.

Por Adriano Oliveira

Triumph Tiger 800 XR

Triumph Tiger 800 XC

Fotos: Divulgação


Novo modelo conta com ótimas características que oferecem alto desempenho tanto para off-road quanto para asfalto.

Foi apresentada a nova Honda CRF 1000L Africa Twin na Europa. A motocicleta retorna com a missão de fazer o mesmo sucesso do passado e para isso veio bem equipada. O motor de 2 cilindros e 998 cc, rende até 95,2 cv e 10 kgfm de torque. A Honda disponibilizou duas opções de câmbio: manual de 6 marchas e de dupla embreagem equipada com modo de funcionamento para a terra.

A proposta da empresa é de oferecer um modelo de alto desempenho off-road e para o asfalto. A versão básica é vendida sem freios ABS e o novo controle de torque. O preço inicial é de 12 mil euros (aproximadamente R$ 43,8 mil). Ambas as versões apresentam um tanque com capacidade de 18,8 litros de combustível. A autonomia é de 400 quilômetros. A altura do assento tem medidas que oscilam entre 20 mm, variando de 850 mm a 870 mm.

A Honda afirmou que o novo câmbio de dupla embreagem é uma evolução em relação ao sistema das irmãs VFR 1200F e Crosstourer. Com ela, o condutor pode pilotar no modo 100% automático ou semiautomático, que permite a mudanças automáticas de marchas, acionadas pelo botão da manopla. O condutor também tem a opção de acionar o modo que ameniza o efeito de arrasto nas trocas de marcha.

Já o câmbio manual se baseia nos mesmos empregados nas motos 250R e 450R de motocross, ambas com embreagem antideslizante. O modo S permite que motor e câmbio trabalharem de forma mais esportiva, dividindo-se em três níveis: S1, S2 e S3. Segunda a Honda, o câmbio analisa a inclinação da motocicleta para melhorar o desempenho, principalmente na terra.

Após 3 das 4 vitórias seguidas do Rally Paris-Dakar, Africa Twin original chegou ao mercado em 1988 e se popularizou em todo o mundo. No seguinte, o modelo mais moderno, a XRV 750 Africa Twin foi apresentada com novidades, como o motor V-Twin de 742 cc, que gerava 61,2 cavalos de potência.

Por Ana Rosa Martins Rocha

Honda CRF 1000L Africa Twin

Honda CRF 1000L Africa Twin

Honda CRF 1000L Africa Twin

Fotos: Divulgação


Novo modelo estará à venda no Brasil em agosto pelo preço sugerido de R$ 13.620,00 e com alterações no design.

A Yamaha divulgou na última segunda-feira, dia 20, o lançamento da nova Fazer 250, linha 2016. Esse lançamento traz as primeiras mudanças na motocicleta no quesito estética. Esse novo modelo deve chegar ao Brasil na segunda metade do mês de agosto com o valor sugerido de R$ 13.620,00, ou seja, o mesmo preço de sua versão anterior.

Na nova Fazer 250 o tanque foi redesenhado e ganhou um novo bocal de abastecimento com capacidade de 18,5 litros e um estilo airplane. Na versão anterior a capacidade máxima do tanque de combustível era de 19,2 litros, assim o tanque do novo modelo é menor. Outras diferenças são as abas laterais que ganharam formatos agressivos, as laterais do farol e as carenagens que também tiveram modelagem nova.

Na mesa do guidão o nome Fazer está gravado. Com uma nova chave, o painel de instrumentos tem luz branca de LED e é totalmente digital. No painel você encontra relógio, velocímetro, ECO que tem a finalidade de ascender quando o motor estiver trabalhando com a eficiência máxima, hodômetro com duas funções parciais e totais, luzes indicadoras e tacômetro. As funções do hodômetro são a Fuel Trip, de reserva de combustível, TRIP-1 e TRIP-2.

O motor da Yamaha Fazer já era popular por ser forte, mas ficou ainda melhor. Por ser de 249, 45 cc e monocilíndrico, ele desenvolve 20,9 cv de potência com cambio de cinco velocidades, 2,10 kgmf de torque e 8.000 de rpm.

A última grande mudança na Fazer 250 tinha acontecido em 2012, quando o motor passou a ser flex. Na época, a motocicleta também ganhou novos grafismos, mas nada que se compare às mudanças ocorridas no modelo 2016 que deixaram a moto mais moderna e bonita.

Aos amantes de motocicletas resta esperar até que a nova Fazer 250 chegue ao mercado brasileiro para apreciar e comprar o modelo que promete fazer muito sucesso.

Por Jéssica Posenato

Yamaha Fazer 250 2016

Yamaha Fazer 250 2016

Fotos: Divulgação


Novo modelo começou a ser vendido no Brasil e tem preço sugerido de R$ 43.900.

No mês de março do ano passado, a Ducati Monster 821 foi anunciada para o Brasil. Na última sexta-feira (3) a montadora italiana iniciou oficialmente a venda do modelo no país. O novo modelo deverá substituir a Ducati Monster 793, e possui preço sugerido de R$ 43.900.

A fabricante italiana preparou um presente para os cinquenta primeiros clientes que adquirirem o novo modelo. No lançamento, a Monster 821 deverá contar com IPVA grátis. Além disso, no pagamento à vista haverá desconto de R$ 1.500, ou seja, o preço deverá ser de R$ 42.400.

A Ducati Monster 821 não deve deixar a desejar em relação às concorrentes japonesas. O modelo conta com motor de dois cilindros com 821 cilindradas, capaz de gerar 112 cv de potência máxima. Uma das grandes novidades do novo modelo é o sistema de refrigeração líquida, que possui maior eficiência se comparado ao sistema de refrigeração a ar.

Conta também com aceleração eletrônica e controle de tração de oito modos, como itens de série. O controle de tração é um sistema de segurança bastante utilizado em motocicletas vendidas fora do Brasil, e proporciona maior estabilidade em qualquer terreno, já que aproveita o máximo de tração exercida pelo motor.

A Monster 821 conta também com sistema de frenagem ABS com regulagem para três níveis, que evita que as rodas traseira e dianteira travem. O modelo possui peso de 205 Kg com todos os fluídos e combustíveis inclusos. Sobre o reservatório de combustível, o modelo pode armazenar até 17,5 litros.

A motocicleta deverá ser fabricada em Manaus, em parceria com a montadora Dafra. O novo modelo possui características semelhantes com a Ducati Monter 1200, que é sucesso no país. Além disso, a Ducati Monter 821 é considerada o modelo de entrada da empresa no país. Porém, esse posto não deverá durar muito, já que durante o evento Salão Duas Rodas 2015 a montadora italiana deverá apresentar o modelo Scrambler, que promete ser o melhor custo benefício do Brasil.

Por Wendel George Peripato

Ducati Monster 821

Ducati Monster 821

Fotos: Divulgação


Versão Marc Márquez tem preço sugerido de R$ 69.900 e versão tricolor, nas cores azul, vermelho e branco, tem preço sugerido de R$ 66.500.

A primeira semana de julho foi bastante agitada para o mercado das motocicletas, haja vista a Honda ter anunciado um grande lançamento. Trata-se do lançamento da nova CBR1000RR Fireblade linha 2015. Vale ressaltar que este era um dos lançamentos mais esperados para 2015 no segmento das motocicletas. O lançamento da Honda possui como grande inspiração o modelo RC213V, modelo esse que foi utilizado pela Repsol Honda Team no Mundial de MotoGP.

A grande novidade da Honda já se encontra disponível no mercado brasileiro e vem acompanhada de dois visuais diferentes. Um deles é a versão limitada “Marc Márquez”, que dispõe de visual exclusivo e possui preço sugerido de R$ 69.900. A outra opção é a versão tricolor: azul, vermelho e branco. A versão tricolor tem como inspiração a equipe Honda HRC e seu preço sugerido é de R$ 66.500. Os dois modelos serão importados do Japão.

O principal destaque desse lançamento será, sem sombra de dúvidas, a versão limitada “Marc Márquez”. Ao todo a versão irá contar com nada menos que 93 unidades disponíveis, uma homenagem ao número oficial do piloto espanhol que serviu de inspiração para este modelo.

É importante ressaltar que este lançamento da Honda é voltado para aqueles que curtem uma boa aventura e muita velocidade, pois se trata de um modelo da categoria superesportiva. A mesma dispõe de um motor de nada menos que quatro cilindros DOHC que possui 999,8 cilindradas. O motor conta com arrefecimento a líquido com 180,8 cavalos de potência a 12.250 rpm. O torque máximo do modelo é 11,6 kgfm a 10.500 rpm. Apesar de todo este equipamento a mesma pesa apenas 191 kg.

Um destaque bastante interessante desse modelo é o chassi de alumínio no estilo diamante. Outro detalhe muito importante é o garfo telescópico de 110 mm que se encontra disponível na dianteira. A traseira, por sua vez, é tipo Pró-Link e dispõe de curso de 138 mm.

A moto também possui muita segurança, haja vista os reios equipados com a tecnologia C-ABS. Caso não saiba, a tecnologia C-ABS é responsável pela união dos sistemas ABS e CBS.

Por Bruno Henrique

Honda CBR1000RR Fireblade 2015

Honda CBR1000RR Fireblade 2015

Fotos: Divulgação


Novo modelo contará com o sistema de abastecimento Blueflex, novo design para o painel de instrumentos e lanternas de cristal.

A fabricante japonesa de motocicletas Yamaha anunciou na última sexta-feira (26) a Lander XTZ 250 2016. O modelo passará a contar com o sistema de abastecimento Blueflex, que permite ao usuário utilizar gasolina, etanol ou os dois em conjunto.

A motocicleta mantem o design típico do segmento on/off-road.  A XTZ 250 Lander 2016 possui novo design para o painel de instrumentos e agora conta com lanternas de cristal. Além disso, o modelo 2016 possui algumas mudanças no grafismo.

O coração do modelo possui base no modelo atual, o motor monocilíndrico de 249,45 cilindradas é capaz de gerar 20,9 cavalos de potência com etanol e 20,7 com gasolina. Além disso, o cilindro é revestido por cerâmica, o que garante uma melhor dissipação do calor e resistência a danos.

O modelo Yamaha Lander conta com injeção eletrônica, que garante uma maior economia de combustível, e bom desempenho em baixas e altas rotações.

A Lander é uma boa opção para quem planeja aventurar-se por estradas de terra e dirigir com segurança na cidade.

O novo painel digital do modelo conta com iluminação LED na cor vermelho, autonomia de combustível e luz para o sistema BlueFlex. O indicador mostra qual o momento ideal para o motorista engatar a marcha. No caso do motorista engatar a marcha com a luz do indicador acessa, o motor deverá desligar automaticamente.

O modelo Yamaha Lander foi lançado em 2006, e desde então não houve grandes mudanças em seu design. O motor flex tem se tornado essencial na atualidade, tanto é que o sistema Blueflex equipa outros modelos da Yamaha, como a Fazer YS 250.

A Yamaha também apresentou o modelo urbano Fazer 150, que deve ganhar design mais esportivo na versão 2016.

A XTZ 250 deverá estar nas concessionárias a partir de julho de 2015, e o preço sugerido é de R$ 14.150. O modelo estará disponível nas cores azul, laranja, branco e cinza.

Por Wendel George Peripato

Yamaha XTZ 250 Lander 2016

Yamaha XTZ 250 Lander 2016

Fotos: Divulgação


Novos modelos serão comercializados em breve no Brasil. Preços sugeridos partem de R$ 5.999 para a Traxx TSS e de R$ 7.299 para a Traxx Fly.

Foi anunciado pela Traxx, empresa chinesa fabricante de motocicletas, os lançamentos de dois novos modelos de motocicletas, a Fly e a TSS, que em breve serão comercializadas aqui no Brasil. A Traxx, atualmente, está com uma fábrica instalada no Polo Industrial de Manaus (PIM) e o lançamento dessas motocicletas por aqui faz parte de uma estratégia que a empresa está adotando, a fim de conseguir garantir uma parcela de consumidores no segmento das motocicletas de 150 cilindradas.

A estimativa da Traxx é que, em princípio, sejam fabricadas cerca de 30 mil motocicletas nessa fábrica em Manaus até o final deste ano de 2015, apesar dela declarar que tem plena consciência de que o setor de vendas de motocicletas está passando por uma crise.

Segundo as estimativas da empresa o modelo TSS 150cc será lançado oficialmente e começarão a ser comercializada nas concessionárias da empresa em todo país a partir do segundo semestre de 2015, ela virá ao mercado com o mesmo carburador que é utilizado no modelo Fly 150cc. A TSS 150cc foi projetada, exclusivamente, para os usuários que utilizam motocicletas no cotidiano como instrumento de trabalho. Quando começar a ser vendida nas concessionárias, ela será disponibilizada nas seguintes cores: vermelha, preta ou branca. O preço sugerido pela fabricante é de R$ 5.999, sendo que a TSS 150cc irá sair de fábrica com uma garantia de dois anos.

Também no segundo semestre a Traxx lançará a Fly 150cc, esta motocicleta oi projetada com a mesmo tecnologia e o mesmo chassi da sua irmã que possui 250cc, os atrativos desta motocicleta são alguns acessórios que a deixa ainda mais bonita, tais como, lanternas e piscas de LED, projeção do escapamento confeccionada em alumínio fosco, além disso, ela virá equipada de fábrica com o sistema de freio a disco nas duas rodas. O valor sugerido para comercialização dessa novidade será de R$ 7.299.

Por Adriano Oliveira

Traxx Fly

Traxx TSS

Fotos: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: