Foram encontrados problemas na alavanca de mudança de marcha e uma inconformidade na fabricação da mangueira do radiador.

Os proprietários das motos R3 e MT-03 estão sendo convocados a comparecer nas concessionárias Yamaha para realizar a substituição da mangueira do radiador.

O motivo é que foi constatada uma inconformidade na fabricação da mangueira do radiador.

Este defeito causa o vazamento do líquido arrefecido do motor, que consequentemente pode atingir o condutor ou o passageiro, causando, com isso, queimaduras na pele, já que o líquido expelido é quente e ácido.

Nos modelos 2016 a 2018, também foram detectados problemas na alavanca de mudança de marcha.

Devido a esse defeito de fabricação poderá ocorrer a quebra da peça, impossibilitando a mudança de marchas, o que poderia causar o risco de acidentes e ferimentos aos usuários. E o pequeno vilão responsável por tudo isso é a mola da alavanca de mudança de marcha.

A moto Yamaha R3 é muito apreciada por motociclistas que gostam de motos mais robustas e velozes. Com acelerações poderosas para uma moto de 167 quilos, ela é capaz de fazer o piloto chegar à velocidade de cruzeiro de 100 Km/h com certa facilidade. A sua estrutura tem o mínimo de vibração, resultado da tecnologia DIASIL, que é patenteada pela marca. Os 80% de alumínio e 20% de silício na composição do cilindro melhoram a dissipação de calor.

A R3 é uma moto pequena e fácil de ser pilotada. Sua suspensão dianteira com tubo interno de 41mm facilita as manobras nas curvas.

A suspensão traseira do tipo monocross possui um amortecedor traseiro e tem o garfo longo, o que diminui bastante o balanço da parte traseira evitando o movimento de pêndulo.

Outra vantagem é que o piloto não precisa se curvar muito para pilotá-la, o que proporciona mais descanso durante o uso urbano. A rigidez do quadro de aço tipo diamante da R3 proporciona uma excelente resistência e durabilidade. Por outro lado, os pneus da marca Metzeler não são os mais indicados para motos esportivas, visto que desgarram um pouco do asfalto em situação limite, exigindo um certo grau de perícia do piloto para estabilizar a moto. O visual da R3 foi baseado no modelo R1 dando-lhe a robustez de uma 600. Para completar todo esse design possui luz sinalizadora de passagem de marcha no painel digital, além de aviso do tempo para a troca de óleo.

A MT-03, também não fica para trás quando o assunto é potência, conforto e beleza. Praticamente é uma R3 sem carenagem, e tem até o mesmo modelo de painel, contudo, com o guidão colocado na mesa superior, e apoiado por duas castanhas. A posição de pilotagem é menos cansativa, permitindo que o tronco do piloto fique mais ereto. O banco do garupa tem um ressalto que evita que este escorregue para a frente nas frenagens. O motor em rotação chega a atingir 11.000 rpm mostrando todo o poder do motor e sua velocidade.

Possui um equilíbrio em curvas bem similar ao da R3, além de um conjunto de suspensões bem esportivo, com bengala 41mm rodas de alumínio 17 polegadas e pneu traseiro 140. Os freios são bem balanceados, o que permite muita segurança na pista.

Resumindo, a MT-03 é uma moto completa, aliando velocidade e conforto ao piloto, podendo ser usada tanto dentro da cidade como nas estradas, no entanto, ela é mais indicada para percursos longos.

Simplificando em poucas palavras, são duas motos que merecem a total confiança do consumidor, e mesmo que apresentem esses defeitos de fábrica, o conjunto da obra em si não fica comprometido, tampouco, a expectativa daqueles que gostam de motos esportivas.

Por Defilho

Yamaha R3 e MT-03


Empresa convoca proprietários do modelo por risco de curto.

A Yamaha tem uma importante notícia para quem possui um exemplar de seu famoso modelo NEO 125 UBS. Isso porque algumas motocicletas foram convocadas para a realização de um recall para a substituição de um kit de chicote do velocímetro.

As unidades que foram afetadas são os modelos do ano de 2017 e 2018. E se você quer saber mais sobre a troca, fique ligado que daremos todas as informações necessárias.

Quais os modelos envolvidos?

Como já foi falado anteriormente, as unidades que foram afetadas são alguns modelos do ano de 2017 e de 2018. Os números dos chassis do Yamaha NEO 125 UBS afetados são identificados como: 9C6SEB510H0000101 até 9C6SEB510J0010798.

Qual a falha identificada?

Conforme dados da própria Yamaha, em comunicado oficial, foi detectado pela empresa uma inconformidade no comprimento e na própria fixação dos fios do velocímetro logo na montagem de unidades. Sendo assim, esses fios podem acabar ficando presos entre o guidão e o velocímetro, causando um atrito entre os fios e o cordão de solda do guidão.

Esse roçar pode acabar ocasionando um desgaste na proteção da fiação, o que ocasionaria um curto circuito. E, portanto, nas situações colocadas, a parte elétrica e o motor da Yamaha NEO 125 UBS poderá se desligar durante a sua utilização, causando sérios acidentes e, inclusive, lesões aos seus usuários.

Como faço para agendar o recall?

Quem for proprietário de uma das scooters envolvidas no recall, precisa agendar o quanto antes o seu reparo, garantindo assim a sua segurança e dos demais passageiros. Por isso, a Yamaha informa que a substituição do chicote do velocímetro é feita na própria concessionária e revenda da marca, precisando de agendamento antecipado para a sua realização.

Esse pode ser feito pelo telefone disponibilizado pela montadora, no 0800 774 3738 ou, ainda, pelo portal da marca, no www.yamaha-motor.com.br. Toda e qualquer outra informação que o condutor precisar ou alguma dúvida que tiver e que for relacionada ao assunto, pode ser também sanada pelos mesmos canais.

É fundamental salientar que não é feita nenhuma cobrança para esse recall, sendo a troca realizada gratuitamente. Conforme a Yamaha, o tempo estimado para a realização do reparo, baseado nas determinações do Código de Defesa do Consumidor, é de apenas 30 minutos.

Outros recalls realizados em 2017

Esse não é o primeiro recall realizado pela Yamaha no ano de 2017. De acordo com o site da montadora japonesa no Brasil, foram identificadas, até o momento, quatro necessidades diferentes, incluindo a citada nessa matéria.

Sendo assim, a primeira convocação foi realizada em março desse ano, em que proprietários das motocicletas FAZER 250, TÉNÉRÉ 250, MT-03, R3 e LANDER 250, dos anos de 2016 a 2018, precisaram substituir o subchicote do interruptor da ignição. Embora não houvesse a ocorrência de acidentes no país, as inconformidades identificadas em caso de infiltração de água no componente poderiam ocasionar uma oxidação do contato nos terminais, trazendo a possibilidade de falhas elétricas e risco de desligamento do motor durante o seu uso.

Já o segundo recall, também em março desse ano, convocou os proprietários dos modelos MT-03 e R3 dos anos 2016 a 2018 para substituição do suporte frontal do tanque do combustível. Sua necessidade se deu após a averiguação de um desvio na posição do furo da fixação de suporte do tanque do combustível, podendo causar uma trinca no tanque e o conseqüente vazamento do combustível e risco de incêndio.

E em abril, os usuários dos modelos MT-09 TRACER e MT-09, dos anos 2015 a 2017, tiveram que realizar a substituição de suportes do guidão. A troca se deu pela hipótese de ocorrência de desplacamento de pintura na base de suportes do guidão e da falta de aplicação suficiente de um agente travante no parafuso. Em caso, portanto, de força excessiva sobre o guidão, o parafuso poderia se desprender e, consequentemente, soltar o guidão, fazendo com que o condutor perdesse o controle da motocicleta.

Kellen Kunz


Problema pode fazer o motor parar de funcionar.

A grande fabricante japonesa mais renomada do mercado internacional, Suzuki, está convocando seus clientes para um recall. O anúncio saiu no último dia 23 (janeiro de 2017) e solicita que os proprietários das motos modelos V-Strom, nas versões 650ª e 650X, compareçam a uma concessionária autorizada.

Isso se dá pela necessidade de substituir o estator das unidades dos modelos entre os anos 2013 e 2017, com chassis finais entre 100001 e 100482.

O material de isolação apresenta defeito, podendo derreter o componente, o que causaria um curto circuito, causando carga insuficiente da bateria, ocasionando parada do motor.

A Suzuki

Fundada em 1992, a Suzuki se tornou uma renomada fabricante de automóveis e motocicletas pela variedade de modelos.

A empresa busca melhoria contínua, fornecendo produtos de forma que satisfaça clientes e parceiros.

A J. Toledo Suzuki Motos oferece uma vasta linha de motocicletas, sendo a mais completa no Brasil. São aproximadamente 20 modelos diferentes que compõe desde a motocicleta clássica (custons de alta cilindrada) até as preparadas especialmente para competições, sem deixar de mencionar streets e scooters.

Sempre pensando em alta tecnologia, a Suzuki disponibiliza o melhor produto a clientes e parceiros, pois foi assim que alcançou um dos patamares mais altos no mercado.

O Recall

É comum que as empresas realizem recall. Isso ocorre quando é detectado algum defeito de fabricação que necessita de reparo.

Os erros acontecem de forma que o fabricante não perceba, mesmo com o rígido setor de qualidade que todas costumam ter. O que significa dizer que o defeito acontece com o uso, não necessariamente com a montagem.

No caso de grandes fabricantes como a Suzuki, os maquinários são programados para realizarem a montagem das peças e da motocicleta. Nesses casos o controle de qualidade para averiguar erros é ainda mais rigoroso, por conta disso é quase impossível que um produto saia da fábrica com defeito visível.

Por isso, muitas vezes o defeito acontece com o tempo de uso, tendo a necessidade de organizar um recall, a fim de proteger os usuários de possíveis riscos futuros.

O tempo para revisão não foi divulgado, a Suzuki disponibilizou o telefone 0800 707 8021 para mais informações.

Caroline Silvério


Modelos possuem problema no contato do modulador do ABS e do chicote elétrico.

A Kraftfahrzeuge Trunkenpolz Mattighofen, mais conhecida como KTM, iniciou o recall, na última terça-feira, dia 06 de dezembro, dos modelos de motocicleta 1290 Super Adventure no Brasil, 1190 Adventure e 1190 Adventure R, até o ano/ modelo 2016, contando com mais de 88 unidades. Acredita-se que houve uma falha na montagem que pode causar problemas no contato do modulador do ABS e do chicote elétrico. Caso o problema seja detectado, a empresa instalará de forma gratuita uma cinta para fazer a fixação dos cabos. Veja abaixo as principais dúvidas dos clientes em relação a recall:

  • O que é recall? Esta é uma convocação da empresa fabricante, quando constata que há um defeito no produto que pode colocar em risco a segurança ou a saúde do consumidor
  • Eu devo pagar pelo conserto? O Procon-SP informa que qualquer serviço realizado pelo fabricante, em recall, deve ser obrigatoriamente gratuito, já que ele não pode gerar nenhum prejuízo a quem comprou o produto. Caso o cliente tenha que se deslocar por uma longa distância ou até mesmo perder um dia de trabalho, por exemplo, pode requerer compensação destes prejuízos na Justiça.
  • E qual é o prazo que eu tenho para levar o veículo para inspeção do fabricante? Uma vez veiculado o recall, pela empresa, não há data limite para realizar. Mas, pode ocorrer da fabricante determinar um período de início e fim para este atendimento. Qualquer problema que se tenha, seja com o agendamento, demora para reparar ou mau atendimento, ele deve ser levado diretamente ao Procon de sua região.
  • Eu comprei o veículo usado. Tenho direito? Sim, o direito ao recall é também para quem fez a compra de usados. Quem comprou pode a qualquer momento pedir a inspeção em seu veículo.

Mesmo realizando um recall, o fabricante é sempre o responsável pelo produto, isto é, por ter colocado no mercado algo com defeito. Já em caso de acidente por conta desta falha da empresa, pode-se entrar com um processo, requerendo os seus direitos.

Para mais informações entre em contato com a KTM pelo e-mail contato@ktm.com.br ou telefone 0800-778-1234.

Gostou do nosso post? Conte para nós suas experiências e opiniões sobre o assunto! Esperamos!

Kika Akita


Troca da Bomba de Óleo e Embreagem será feita gratuitamente.

A montadora japonesa Yamaha informou na última quinta-feira, dia 30 de junho, um recall para a nova YZF-R3, ano 2016, para que sejam realizadas as trocas da placa de embreagem e da bomba de óleo de forma gratuita e também uma vistoria preventiva do câmbio.

Os chassis envolvidos no recall são os seguintes:

  • YZF-R3A vai de 9C6RH0920G0000101 a 9C6RH0920G0001220
  • YZF-R3 vai de 9C6RH0910G0000101 a 9C6RH0910G0002140

De acordo com a Yamaha, algumas motos acabaram tendo inconformidades na placa de embreagem e da bomba de óleo, além de uma montagem incorreta do anel de trava do eixo do câmbio.

Estes defeitos podem acabar travando o motor ou então a roda traseira, além de perder a dirigibilidade devido à dificuldade ao realizar as trocas de marchas, podendo causar graves lesões e acidentes.

O reparo que será realizado de forma gratuita tem um tempo estimado de 2 horas para trocar a placa de embreagem e a bomba de óleo.

Já a vistoria a ser realizada no câmbio levará apenas 12 minutos, porém, caso o problema de montagem seja constatado, 5 horas é o tempo necessário para solucioná-lo.

Os proprietários que tiverem dúvidas podem sana-las diretamente com a fabricante através do telefone 0800-774-3738, que atende em horário comercial.

A YZF-R3, concorrente da Kawasaki Ninja 300, é uma versão da R1, porém de baixa cilindrada, com motor de 320,6 cilindradas. A motocicleta iniciou a montagem e as vendas em território brasileiro em setembro de 2015.

É de extrema importância que o recall seja realizado, pois o chamado é sempre realizado em caso de defeito de fabricação, o que pode colocar em risco a vida de todos os condutores.

Assim que o recall for anunciado a montadora não pode determinar uma data limite para realizá-lo. A empresa apenas determina uma data para iniciar o atendimento, mas nunca para encerrá-lo.

Como dito anteriormente, todos os reparos realizados através de recall devem ser gratuitos e caso haja algum tipo de problema, como mau atendimento, lentidão no reparo ou demora no agendamento, o proprietário deverá realizar uma denúncia junto ao Procon local.

Muitos usuários acabam deixando de realizar o reparo ficando vulneráveis a altos riscos de acidentes, portanto, realize o conserto o mais breve possível.

FILIPE R SILVA


Modelos fabricados entre 2010 e 2013 possuem problemas com o eixo cardã. Conserto será realizado a partir de janeiro de 2016.

Na última terça-feira, dia 08 de dezembro de 2016, a grande e renomada fabricante de automóveis e motocicletas Honda fez o anúncio a respeito de um recall que irá atingir 489 unidades dos modelos VFR 1200X Crosstourer e VFR 1200F, a justificativa para esta convocação é um problema detectado nesses modelos que afetam diretamente o eixo cardã. Os modelos que deverão passar pelo procedimento correcional são as unidades de ano/modelo de 2010 a 2013 no caso da esportiva e no caso da aventureira apenas os modelos 2012.

Esse problema detectado, em alguns casos, pode ocasionar o ruptura do eixo cardã, situação este que causa consequentemente a perda de potência da roda traseira das motocicletas, sendo que em casos extremos ocasiona o travamento instantâneo do movimento. Caso ocorra o travamento do movimento da roda, a condução das motocicletas será seriamente afetada, o que irá expor os motociclistas ao risco iminente de uma queda, podendo ocasionar não só danos materiais, como também lesões graves ou fatais aos ocupantes do veículo ou até mesmo a terceiros.

Para fazer o reparo do problema detectado, a Honda irá fazer a substituição do eixo cardã dessas motocicletas por um novo componente que contém as mesmas características técnicas, mas que permitirá uma utilização mais segura e por um período mais prolongado.

O atendimento nas concessionárias de todo o país para que essa substituição seja feita terá início no próximo dia 04 de janeiro. Contudo, a marca já divulgou que um novo componente já está sendo desenvolvido no exterior e que em meados do mês de março de 2016 uma nova convocação será feita para que seja feita a instalação desse novo conjunto do eixo cardã, só que este com as melhorias definitivas, extinguindo completamente a ocorrência do problema mencionado.

Para conseguir maiores informações a respeito dessa situação, a Honda disponibiliza a sua Central de Atendimento cujo número é o 0800-701-3432, o qual possui atendimento de segunda a sexta-feira das 08h às 20h ou o seu portal eletrônico que é o www.honda.com.br/recall/motos.

Por Adriano Oliveira





CONTINUE NAVEGANDO: